Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“Laboratório vivo para a regeneração do sistema agrossilvopastoril montado” no Alentejo

Zé LG, 10.01.24

202102091137082356.pngCerca de 30 parcelas de montado em várias zonas do Alentejo vão funcionar como laboratório vivo para testar soluções que permitam preservar este ecossistema, numa iniciativa liderada pela Universidade de Évora (UÉ) e que integra 40 parceiros. O denominado “Laboratório vivo para a regeneração do sistema agrossilvopastoril montado”, formalmente constituído hoje, é coordenado pela UÉ, através do MED – Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento.

Teresa Pinto Correia, do MED, revelou que se pretende que este laboratório vivo “seja um sistema de interação entre produtores, administração e investigadores para criar conhecimento aplicável na gestão da prática” e “contribuir com a produção de conhecimento para a manutenção deste sistema”, através da criação de “uma rede de parcelas em explorações agrícolas reais”.

Universidade de Évora com Projeto de Saúde Mental premiado

Zé LG, 22.10.23

ig5_1.jpgO projeto “MAIS – UÉ: Mente Ativa e Inteligência Socioemocional no Ensino Superior” é um dos vencedores da segunda edição do Prémio FLAD (Fundação Luso-Americana) /OPP – Saúde Mental no Ensino Superior, numa parceria com a Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) e patrocínio da Presidência da República, tendo como objetivo «contribuir para uma menor prevalência de problemas de Saúde Mental entre os estudantes universitários». O projeto da Universidade de Évora tem como objetivo principal a promoção do bem-estar psicológico, da saúde mental e da resiliência dos estudantes desta instituição, através da educação inter-pares, para a literacia em saúde psicológica e da promoção e disseminação de estratégias de regulação emocional.

Oito investigadores da Universidade de Évora entre os melhores do mundo

Zé LG, 20.10.23

size_850-1-696x457.jpgUm estudo desenvolvido pela Universidade de Stanford (EUA), que avaliou mais de 200 mil investigadores em ambas as listas, tendo considerado os valores de citações, de acordo com a base de dados online da SCOPUS, amplamente utilizada para efeitos científicos, coloca oito investigadores da Universidade de Évora, entre os mais relevantes do mundo.

Na lista “Carreira”, são destacados: António Ferreira Miguel, António Heitor Reis, Giuseppe Catalanotti, Manuel Collares Pereira, e Miguel Araújo.

Entre os investigadores mais importantes de 2022, estão indicados: Nuno Carlos Leitão, Soumodip Sarkar, Giuseppe Catalanotti, António Ferreira Miguel, Manuel Melo e Mota e Miguel Araújo.

Um terço dos estudantes universitários já sofreu assédio sexual

Zé LG, 04.06.23

01518459f6228bc3816b8cf7b277ebb1_XL.jpgUm estudo coordenado por uma investigadora da Universidade de Évora (UÉ) concluiu que mais de um terço dos estudantes do ensino superior já sofreu assédio sexual e cerca de metade foi alvo de assédio moral.

“Há uma elevada percentagem de estudantes que refere que sofreram assédio moral e sexual” e estes casos estão relacionados com “um maior número de sintomas depressivos e ansiosos”, destacou Lara Guedes de Pinho, coordenadora do estudo, que considerou assédio sexual “qualquer comportamento ou revelação, por palavras ou ações, de natureza sexual, não pretendido pela pessoa a que se destina e que se revela ofensivo”. Observando que, “quem sofre de assédio moral e sexual tem uma pior saúde mental”, a investigadora do CHRC salientou que os casos relatados pelos alunos “acontecem mais fora” das instituições de ensino superior.

“Olivares Vivos +” garante biodiversidade

Zé LG, 19.05.23

Olivais.png

Portugal passou a integrar uma rede europeia que vai implementar um novo certificado que garante que a gestão do olival integra a conservação da biodiversidade, graças a um projeto da Universidade de Évora, denominado “Olivares Vivos +”, que promove um novo modelo de olivicultura que recupera a biodiversidade e a transforma em rentabilidade pelo pagamento por serviços ambientais, através de eco-esquemas, instrumento que incentiva práticas sustentáveis e medidas agroambientais da nova PAC e, além disso, permite também economizar consumos na gestão do olival, já que está prevista uma diminuição média de 22% no custo de fertilizantes e produtos fitossanitários.

Retrocesso na recuperação natural das pradarias marinhas do Rio Mira

Zé LG, 02.05.23

Mira.pngHelena Adão, investigadora no Centro de Ciências do Mar e Ambiente (MARE), da Universidade de Évora (UÉ) e Pedro Nogueira, investigador do Instituto de Ciências da Terra (ICT), da mesma universidade têm vindo a desenvolver desde 2022 um estudo de cartografia detalhada das pradarias marinhas do Rio Mira e os resultados vêm confirmar o que os investigadores já suspeitavam - “existe um retrocesso da recuperação natural deste habitat no estuário do Mira” revela Helena Adão.

Estes habitats constituem ambientes estuarinos chave para muitas espécies de invertebrados e peixes, “funcionando como filtros biológicos de nutrientes e poluentes, oxigenam as águas e os sedimentos, tendo um papel fundamental no controle da erosão costeira e no sequestro do carbono” e “com as crescentes preocupações relacionadas às mudanças climáticas e à biodiversidade, as pradarias marinhas do estuário do Mira constituem um campo fértil para pesquisas e projetos de conservação, cujos resultados podem impulsionar esforços internacionais para proteger e restaurar esses valiosos habitats”, complementa Helena Adão.

Universidade de Évora e ADRAL vão liderar Comité Transfronteiriço da Aeronáutica

Zé LG, 24.12.22

ta_66.pngA ADRAL – Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo e a Universidade de Évora reuniram com vista à criação do Comité Transfronteiriço de Acompanhamento da Indústria Aeronáutica, no eixo Alentejo – Andaluzia, no âmbito do projeto AERIS Plus, um projeto de cooperação transfronteiriça, financiado por Fundos Europeus e que procura criar um espaço para transferência de conhecimentos entre empresas do setor aeronáutico e instituições/entidades do território Alentejo – Andaluzia, potenciando uma dinâmica de cooperação entre atores portugueses e espanhóis, favorecendo a partilha de recursos e promovendo a colaboração público-privada nos domínios relacionados com o setor aeronáutico. Este projeto integra os municípios de Évora, Beja, Grândola e Ponte de Sor e Cámara de Comercio de Sevilla, Agencia de Innovación y Desarrollo de Andalucía IDEA, ANDALUCÍA AEROSPACE Cluster Empresarial, Centro Avanzado de Tecnologías Aeroespaciales (CATEC), Universidad de Sevilla, ADRAL Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo, Universidade de Évora e o Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia.

“Criar um diálogo” entre Pisões, Beja e o Museu regional, “valorizando todo o território”

Zé LG, 20.05.22

Pisões-1024x703.jpgA União de Freguesias de Santiago Maior e São João Batista, o Museu Regional de Beja e a Universidade de Évora (UÉ), através do seu Laboratório HERCULES, assinaram um protocolo para estudar e valorizar o acervo das escavações realizadas no sítio arqueológico de Pisões, no concelho de Beja, considerada “uma das mais originais ‘villae’ romanas da Península Ibérica”.
O professor António Candeias, da UÉ, explicou que o acordo prevê a cedência, por parte da união de freguesias, de um espaço na aldeia de Penedo Gordo, onde será colocado o acervo proveniente de Pisões e que está depositado no museu regional, com “O grande objetivo” de “criar as condições para que agora seja possível desenvolver todo um estudo em torno do espólio das escavações”.

Nova reitora da Universidade de Évora defendeu a criação de “uma voz única” na defesa dos interesses do Alentejo

Zé LG, 10.05.22

Sem nome.pngHermínia Vasconcelos Vilar, a nova reitora da Universidade de Évora, defendeu a criação de “uma voz única” na defesa dos interesses do Alentejo, afirmando que este é o desígnio para o seu mandato que agora se inicia.
A nova equipa reitoral é constituída pelos vice-reitores João Valente Nabais, Ana Paula Canavarro e Paulo Quaresma e pelos pró-reitores Ana Fialho, Vítor Nogueira, Clarinda Pomar, Paulo Mendes e Augusto Peixe.