Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

O direito à greve sai diminuído desta greve dos motoristas de transporte de matérias perigosas

greve.jpgEste parece-me ser um dado objectivo. E com isto sai diminuída a capacidade de luta dos trabalhadores.

Estes trabalhadores, ao isolarem-se de todos os outros por acharem que, sozinhos, podiam “fechar as torneiras” e criar o caos no país puseram-se a jeito, gerando descontentamento e animosidade em grande parte da população.

A ANTRAM, oportunisticamente, soube aproveitar-se da situação e, "com um mamar doce", lançar o odioso da situação para cima dos trabalhadores, focando os seus argumentos no "sindicalista" / jurista / assessor / candidato que conduziu a luta para um beco sem saída, ou melhor, para a saída da luta de muitos...

O governo, pretendo fazer mais estragos eleitorais nos partidos da direita fez, o que estes dificilmente fariam e esquecendo as origens remotas do PS, tomou medidas que, objectivamente atentam contra o direito à greve e o enfraquecem.

Com isto, não digo que estes trabalhadores não tivessem legitimidade e razões para lutarem pelos seus direitos. Acho é que escolherem mal a forma, a oportunidade e os protagonistas da sua luta. E, desta forma, isolaram-se, nada conseguiram e não só saíram prejudicados como prejudicaram a luta geral dos trabalhadores.

Fotografia daqui.

Junta de Sobral da Adiça critica Câmara de Moura

sobral da adiça.jpgA Junta de Freguesia de Sobral da Adiça critica a Câmara de Moura, por ter afirmado que a Junta de Freguesia “não sinalizou qualquer caminho para reparação”.

A Junta de Freguesia critica a forma como decorreu o processo tendo em vista o arranjo dos caminhos municipais e recorda que numa reunião, a 18 de Julho, com a Câmara de Moura, ficou acordado que não tendo a Câmara Municipal capacidade para responder aos arranjos dos arruamentos em Sobral da Adiça, a Junta de Freguesia faria esses trabalhos e o município arranjaria as respectivas vias rurais e agrícolas.
Para a Junta de Freguesia de Sobral da Adiça, que garante estar a cumprir a sua parte do acordo, a nota de imprensa da Câmara Municipal de Moura é “uma falsa verdade, com objectivos políticos de desacreditar” o seu o trabalho.

Câmara de Beja reduz mais preços de Transportes Públicos

urbanas.jpgÉ já a partir de 1 de setembro, que “as viagens no concelho de Beja com percursos, num sentido, superiores a nove quilómetros e que pagam, atualmente, mensalidade de 50 euros e 50 cêntimos, passarão a pagar 40 euros”, revela a autarquia bejense, “mediante apresentação no Balcão Único da Câmara Municipal de Beja do certificado de residência, emitido pelas Juntas de Freguesia”. Os passes para a cidade de Beja “a partir de Beringel, Cabeça Gorda, São Brissos e São Matias, por exemplo, passarão a beneficiar de uma redução de 10 euros e 50 cêntimos por mês”, revela a Câmara de Beja, que considera que “Promover uma mobilidade mais acessível, é reforçar a coesão do território”.

IP reconhece a necessidade de obras de grande vulto no concelho de Serpa, que não vai fazer devido ao “actual enquadramento financeiro”

De acordo com a Infraestruturas de Portugal (IP), no concelho de Serpa “foram identificadas necessidades de intervenção no montante aproximado de 22 milhões de euros”, mas “atendendo ao actual enquadramento financeiro e à impossibilidade de executar no curto prazo todas as intervenções necessárias”, está a seguir o Contrato de Conservação Corrente.

Estradas-Serpa-768x512.jpgA Câmara de Serpa frisa que “a empresa dá razão à autarquia” que vem defendendo a necessidade de realização de obras de grande vulto e que, com base na resposta da IP, “os utilizadores das estradas nacionais que atravessam o concelho de Serpa vão continuar a circular em estradas sem o mínimo de condições de segurança”.

É “inaceitável” o estado de degradação da EN2, nomeadamente o troço Aljustrel/Castro Verde

Estrada-768x432.jpgOs presidentes dos municípios de Castro Verde e Aljustrel reuniram-se com o Secretário de Estado das Infraestruturas. Em cima da mesa esteve a degradação da EN2, nomeadamente o troço Aljustrel/Castro Verde.

De acordo com os autarcas é “inaceitável” o estado da estrada utilizada pelos trabalhadores das minas de Somincor e Almina, utentes da saúde os utilizadores da nova rota turística da EN2. Nelson Brito, presidente da Câmara de Aljustrel, alerta para os riscos da daquela via e exige a urgente reparação do troço entre Aljustrel e Castro Verde.

A A26 também mereceu destaque, nomeadamente o troço concluído há mais de dois e que continua encerrado. O presidente da Câmara Municipal de Aljustrel, defendeu que o troço deveria abrir imediatamente mesmo que o litígio com a concessão, por causa da Praça de Portagens, ainda não esteja resolvido. Para o autarca a solução é simples neste momento abria sem portagens.

Plataforma Alentejo solicita audiências ao 1º ministro e ao PR e prepara convenção do Alentejo sobre acessibilidades

plataforma.jpgO Secretariado da Plataforma Alentejo considerando os novos elementos já disponíveis e o referido estudo da REFER decidiu proceder à elaboração de uma exposição sobre as acessibilidades no Alentejo e solicitar ao primeiro-ministro e ao presidente da República audiências para a sua entrega e fundamentação. Está em cima da mesa, igualmente, a realização a 15 de Setembro de uma convenção do Alentejo sobre as acessibilidades (Marítimas, Aeroportuárias, Ferroviárias e Rodoviárias) e sobre o planeamento e ordenamento do território, considerando o facto da revisão do PROTA já estar em curso. Considera ser ainda possível recuperar parte importante do atraso existente na tomada de algumas decisões e introduzir ajustamentos, nalgumas decisões estratégicas anunciadas, que em muito poderão contribuir para o sucesso de alguns dos objetivos que têm vindo a ser publicamente assumidos pelo Governo, disse Claudino Matos.

Claudino Matos acusa IP de estar "de costas voltadas" para o Alentejo

imgLoader2.ashx.jpg"A conclusão a que chegámos é que a IP faz estudos mais ou menos encomendados à medida pelo Governo para beneficiar determinados distritos do Alentejo em detrimento de outros e dos interesses regional e nacional", disse Claudino Matos, do secretariado da Plataforma Alentejo, após uma reunião realizada com um vice-presidente e técnicos da empresa.

Claudino Matos acusou a IP de estar "basicamente de costas voltadas para o Alentejo" e, "ignorando contributos da sociedade civil", também para as propostas da estratégia defendida pela plataforma em termos de acessibilidades rodoviárias e ferroviárias "indispensáveis ao desenvolvimento harmonioso" da região.

Propostas do Beja Merece+ passam na AR, através de recomendações ao governo apresentadas por PCP e BE

A Assembleia da República aprovou esta sexta-feira três projetos de resolução que recomendam ao Governo a eletrificação e requalificação do troço ferroviário entre Casa Branca e a Funcheira, a conclusão do IP8 e a valorização do aeroporto de Beja.
O primeiro projeto de resolução foi apresentado pelo Bloco de Esquerda. Os outros dois pelo PCP. Todos eles resultam das reivindicações apresentadas pela petição do Movimento Beja Merece+ que também esta sexta-feira foi debatida pelos deputados.

280420172115-810-MOVIMENTO.jpg

A recomendação de eletrificação da linha ferroviária foi aprovada com a abstenção do PSD e os votos favoráveis dos restantes partidos.
Já a recomendação do cumprimento do Plano Rodoviário Nacional e conclusão do IP8 nos distritos de Setúbal e Beja, foi aprovada com os votos a favor de todos os partidos e os votos contra da maioria do grupo parlamentar do PS. Um grupo de sete deputados socialistas, entre os quais Pedro do Carmo (Beja) e Norberto Patinho (Évora) votaram a favor.
Finalmente, a recomendação ao Governo para valorização do aeroporto de Beja enquanto instrumento para o desenvolvimento da região foi aprovada com a abstenção do PS e os votos a favor dos restantes partidos e dos deputados Pedro do Carmo e Norberto Patinho. Leia e oiça também aqui e aqui.

Assembleia da Replública discute Petição do Beja Merece+

65313488_402529323689962_3139894575418572800_n.jpgEsta sexta-feira estará em discussão, análise e votação, a partir das 09:30 horas, na Assembleia da República (AR), a petição do Movimento Beja Merece+, que reivindica “que sejam retomadas e concluídas as obras do IP8/A26, a eletrificação do troço ferroviário Casa Branca-Beja-Funcheira, o total aproveitamento do aeroporto de Beja e melhores serviços de saúde para a região”. O documento, que foi entregue com 26 101 assinaturas, em maio do ano passado, no Palácio de S. Bento, estará agora à consideração dos vários grupos parlamentares que integram a “Casa da Democracia”. O “Diário do Alentejo” falou com os deputados eleitos por Beja, tentando antecipar o sentido de voto dos seus partidos, e com Florival Baiôa, sobre as expetativas que tem para esta votação. Ler aqui.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Ora aqui está uma área em que os nossos autarcas s...

  • Anónimo

    Está tudo dito... nada a acrescentar! Incapacidade...

  • Anónimo

    "O Ministério do Planeamento anunciou esta quinta-...

  • Anónimo

    Se os autarcas locais , independentemente da cor p...

  • Anónimo

    Conordo em absoluto com o comentário anterior.O di...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.