Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Governo começou a assegurar testes rápidos nas campanhas agrícolas

Zé LG, 10.04.21

202104091532371970.pngA ministra da Agricultura, Maria da Céu Antunes e a ministra da Saúde, Marta Temido, acompanharam, durante a manhã uma ação de testagem a trabalhadores agrícolas em São Teotónio, Odemira.

Maria do Céu Antunes destacou o caráter fundamental da realização de testes em massa na prevenção de surtos e explicou, ainda, que “este território é dos mais complexos, daí ser tão importante a garantia da testagem e o acompanhamento dos fluxos dos trabalhadores, bem como as devidas condições de isolamento, mediante, claro está, o empenho das diversas Áreas Governativas, a corresponsabilização das empresas neste processo e o apoio das Câmaras Municipais” considerando que “só assim será garantida a segurança dos trabalhadores, bem como a realização das colheitas.”

"A ideia de que esta nova agricultura veio trazer trabalho e dinamismo à região é uma falácia"

Zé LG, 09.04.21

IMG_1768.JPG«É com a convicção de que apenas uma nova agricultura poderá fazer face à emergência climática no Alentejo, que Mário Carvalho, investigador do MED - Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento, defende o modelo de agricultura de conservação, “uma agricultura que produz mais, consumindo menos recursos e utilizando técnicas antigas como as sementeiras diretas, a rotação de culturas que aumentam a resiliência dos ecossistemas e a devolução dos resíduos ao solo de origem”.
Mário Carvalho alerta para a possibilidade de “muitos” dos projetos de agricultura superintensiva instalados no perímetro de rega de Alqueva]” puderem “vir a falir” a médio prazo. “É a lei do mercado, da oferta e da procura. O preço do azeite desceu consideravelmente e há excedente no mercado. Não vai dar para todos e haverá lugar a imparidades, o que será um problema sério para a região e para o país”. Do ponto de vista social, defende, estes modelos de agricultura intensivos “também não estão a ter o impacto desejado, uma vez que a maioria das empresas é estrangeira, que a mão de obra qualificada é sobretudo espanhola e que para o trabalho não qualificado são contratados imigrantes que vivem em condições deploráveis. Portanto, a ideia de que esta nova agricultura veio trazer trabalho e dinamismo à região é uma falácia. As populações periféricas continuam desempregadas”. Segundo Mário Carvalho, a pergunta que se coloca é simples: “Estará o Estado a recuperar o investimento feito, tendo como contrapartida o benefício público” e a redução do impacto das alterações climáticas no Alentejo?»
Leia toda a entrevista de Mário de Carvalho ao Diário do Alentejo.

Juiz do Tribunal de Odemira suspenso preventivamente pelo Conselho da Magistratura

Zé LG, 26.03.21

Juíz-Rui-Pedro-Castro.jpgO Conselho Superior da Magistratura (CSM) suspendeu, preventivamente, o juiz Rui Fonseca e Castro, do Tribunal de Odemira, que publicamente tem manifestado posições negacionistas em relação à pandemia, tendo uma conduta que “se mostra prejudicial e incompatível com o prestígio e a dignidade da função judicial”.

Além da suspensão preventiva, o órgão de gestão e disciplina dos juízes decidiu, ainda, abrir um processo disciplinar ao magistrado.

Rui Fonseca e Castro, que exerceu advocacia antes de, no início do mês, reentrar para a magistratura, até ao dia 15 deste mês, “não proferiu qualquer despacho, ..., nos processos a seu cargo e não apresentou qualquer pedido de autorização ou justificação da ausência nem comunicou a sua ausência ao serviço”.

Já em 2012 tinha sido condenado a 20 dias de multa por infrações disciplinares violadoras do dever de criar no público confiança na administração da justiça e do dever de zelo.

Ana Matos Pires desafiou José Barriga para discutirem publicamente declarações públicas que este fez sobre vacinação em Beja

Zé LG, 22.03.21

139659512_10158986908696170_7674660966307309946_n.

Barriga-768x432.jpgA Drª Ana Matos Pires, escreveu uma carta ao Dr. José Barriga, em que, depois de se apresentar, escreveu: “Tenho, como todos os médicos, responsabilidades acrescidas nesta fase pandémica que implicam, também, a informação prestada à comunidade. É nesta qualidade que me dirijo a si e que lhe lanço o repto de discutir publicamente consigo algumas das declarações públicas que fez e que implicam questões deontológicas, cujo esclarecimento aos pares e à comunidade me parecem de primordial importância.” Que, segundo ela, ficou sem resposta. No comentário que escreveu, no blogue Praça Pública e onde deu divulgou aquela carta, descreveu também as questões que pretendia debater e esclarecer com o Dr. José Barriga.

Paulo Barriga recebe Bolsa de Jornalismo em Saúde

Zé LG, 12.03.21

202103120847119831.jpgO Jornalista Paulo Barriga (colaborador do O Atual) ganhou uma das cinco Bolsas de Jornalismo 2020, uma iniciativa do Sindicato dos Jornalistas, com apoio da farmacêutica Roche, para financiamento de reportagens na área da Saúde.

Paulo Barriga, na qualidade de jornalista freelancer, viu a sua proposta de trabalho subordinado ao tema: “Suicídio no Alentejo em tempos de Covid-19”, ser uma das cinco selecionadas entre as mais de 30 candidaturas apresentadas. O jornalista alentejano dá conta da surpresa e da satisfação, já que não é todos os dias que se recebem este tipo de bolsas.

José Marcelino morreu

Zé LG, 10.03.21

2021030715144176.nb.pngJosé Marcelino Martins Lopes, com 84 anos, natural de Mombeja, morreu no dia 7, tendo-se o funeral realizado no dia 8, do Hospital de Beja para o Cemitério de Ferreira do Alentejo.

O Senhor José Marcelino era motorista da Câmara Municipal de Beja, de onde se aposentou há anos. Foi um dos primeiros motorista do primeiro autocarro, tendo depois passado para as viaturas ligeiras. Foi aí que o conheci. Era um homem discreto, calmo, extremamente simpático e cordial, sempre com um sorriso na cara e bom profissional.

À família apresento os meus sentidos pêsames.

Sindicato e EDP não se entendem nos contratos de saída dos trabalhadores da central termoelétrica de Sines

Zé LG, 07.03.21

202103041506414473.jpgO sindicato das indústrias e energias acusou a EDP de "impor" a trabalhadores da (Setúbal) "a obrigatoriedade da subscrição de contratos de saída, altamente lesivos" após o fecho da instalação. "Subsiste um número ainda significativo de trabalhadores, cerca de 40, que entendem não assinar os contratos porque são prejudiciais para toda a sua vida", explicou o representante do SIEAP, Egídio Fernandes.

Fonte oficial da EDP salientou que "em nenhum caso os trabalhadores são obrigados a escolher uma opção, dispondo de tempo e de informação para ficarem esclarecidos sobre todas as condições". "Tanto que, mesmo depois do encerramento de atividade da Central de Sines, esse processo de conversação ainda decorre junto de alguns trabalhadores".

“Câmara Municipal de Beja não está interessada na arte contemporânea.”?!...

Zé LG, 23.02.21

22491954_1866997063315865_7047551772929531891_n.jp“um galerista apresentou uma proposta à Câmara de Beja, há dois anos, para uma exposição com os meus trabalhos de investigação. O Galerista já faleceu há um ano e não obteve resposta, eu já não me sinto lá muito bem e tu agora dás-nos essa notícia (A Câmara Municipal de Beja não está interessada na arte contemporânea. Florbela Fernandes, Chefe do Departamento da Cultura de CMBeja)…

Jorge Castanho, aqui.

Declarações do Dr. José Barriga coloca o Alvitrando no topo dos posts mais comentados nos Blogues do SAPO

Zé LG, 17.02.21

"Museu da BD dotará a cidade de Beja de uma oferta ímpar no país"

Zé LG, 14.02.21

imgLoader2.ashx.jpg«O trabalho mais relevante que realizei foi o livro “O Amor Infinito que te tenho”. O livro acabou por ser um sucesso em Portugal e na Europa. Tive vários prémios e visitei muitos países. Uma altura incrível da minha vida. Sairá a quarta edição portuguesa no mês que vem. O livro foi publicado em várias línguas e está à venda em muitos países.

Mudei agora de divisão e, entre outras coisas, dedicar-me-ei ao projeto do futuro Museu da Banda Desenhada de Beja, um projeto do município que dotará a nossa cidade de uma oferta ímpar no país. Basta pensar no Bordalo Pinheiro, no Almada Negreiros, no Stuart de Carvalhais, no Carlos Botelho, no Eduardo Coelho, entre outros, para ver a qualidade da nossa BD. O país merece e precisa deste museu. Esta oferta, aliada à Bedeteca e ao Festival, fará de Beja o centro deste movimento.

Estou a escrever e a desenhar um novo livro: o “Estrela”. Ganhei uma bolsa de criação literária do Ministério da Cultura para me dedicar ao livro nos próximos meses. Espero que corra tudo bem. E que seja um bom livro.»

Leia aqui , na íntegra, a entrevista de Paulo Monteiro a Luís Miguel Ricardo.

 

“É uma farsa dizer que o PCP perdeu no Alentejo para a direita nas presidenciais 2021”

Zé LG, 10.02.21

202001271729082271.jpgA DRA do PCP refere que os “números desmentem a narrativa, criada por Rui Rio na noite eleitoral, de que o Partido Comunista Português perdeu para a direita no Alentejo, nas presidenciais de 2021”.

Reafirma “a necessidade de reforçar os profissionais de saúde, de se cumprir a construção do Hospital Central em Évora e a 2ª fase de construção do Hospital de Beja”. No que se refere às vacinações é importante garantir vacinas para toda a população.

Ao nível social e económico refere diversos “setores que estão a enfrentar vários problemas”, assim como “o agudizar de muitos problemas dos trabalhadores que se veem em situações de desemprego e horários de trabalho alterados”, pelo que apela “à participação na luta de todos e na ação nacional da CGTP marcada para o dia 25 deste mês”.

A Metalúrgica Alentejana “possuía uma capacidade técnica e tecnológica que permitia desenhar, fundir, fresar… peças para a indústria naval”

Zé LG, 06.02.21

«Metalúrgica Alentejana: terra, memória e futuro

Aldo-Passarinho-opinião-696x366.png… a MA emerge como espaço de perceção, memória e fantasia que nos desafia a cartografar os testemunhos, a documentação ou os objetos que nos permitem compreender o papel desta indústria no espaço sociocultural, onde se fundiram alfaias que rasgaram a terra e ajudaram o homem a “modelar” a paisagem, num período histórico de grandes transformações no Alentejo.

No Álbum Alentejano, por volta de 1932, podemos ler que a MA era uma “…das mais importantes casas no género existentes no país…”, especializada em “relhas aceiradas e bicos” (poético!); e, vamos perceber através da documentação do fundo da MA no Arquivo Distrital de Beja[4] que nos anos 60-70 esta, para além de ter clientes um pouco por todo o Alentejo, possuía uma capacidade técnica e tecnológica que permitia desenhar, fundir, fresar… peças para a indústria naval. ...»

Aldo Passarinho, Professor Instituto Politécnico de Beja, aqui.

ULSBA recupera médico de Saúde Pública

Zé LG, 27.01.21

Hospital-Beja-4-768x512.jpg“Em consequência das diligências do presidente da Federação do PS Baixo Alentejo, Nelson Brito, junto do ministério da saúde e da reunião tida há dias, com a ministra da Saúde, Marta Temido, foi ultrapassado o constrangimento resultante da ausência de médico de saúde pública na região”.

“Esta solução, que permite a fixação de um médico coordenador de saúde pública na ULSBA, a tempo inteiro, e consequentemente possibilita o funcionamento deste serviço, vem colmatar uma fragilidade grave que se vivia nos cuidados de saúde regionais, nomeadamente em tempos de combate à pandemia da Covid-19”, explica Nelson Brito, presidente da Federação do PS Baixo Alentejo.

 

Esperemos que o presidente da Federação do PS Baixo Alentejo tenha o mesmo sucesso noutras reivindicações da região.

“Adolescentes e jovens adultos foram os mais afetados no primeiro confinamento geral”

Zé LG, 18.01.21

240620151806-754-ANAMATOSPIRES.jpg

Ana Matos Pires, diretora do Serviço de Psiquiatria da ULSBA e coordenadora Regional da Saúde Mental do Alentejo, diz que “no primeiro confinamento foram os adolescentes e os jovens adultos os mais afetados” e considerou ter sido “uma boa medida manter as escolas em regime de ensino presencial” por ter “um impacto positivo na saúde mental” destas faixas etárias.

Para Ana Matos Pires, os "impactos deste novo confinamento não deixarão de ser preocupantes, mas vão ser mais leves, pois deixa de existir o elemento surpresa contudo, a ansiedade vai subsistir, assim como o agravamento de algumas situações relacionadas com as pessoas cuja situação económica se complique".

Presidente do PS Baixo Alentejo apresentou propostas à ministra da Saúde

Zé LG, 12.01.21

PS-768x576.jpgO presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS reuniu-se com a ministra da Saúde, Marta Temido, a quem entregou um projeto de criação da Unidade de Cuidados Paliativos no Hospital de Beja, da autoria do médico Munhoz Frade e reafirmou a “defesa do Serviço Nacional de Saúde”.

Nelson Brito defendeu “a urgência de responder à carência de médicos de saúde pública no distrito”. Apresentou “as necessidades ao nível das infraestruturas de saúde, com enfoque na construção da 2ª fase do Hospital José Joaquim Fernandes, bem como garantir financiamento para a Unidade de Cuidados Intensivos, piso de consultas externas e projeto de instalação da ressonância magnética neste estabelecimento hospitalar”. Frisou ainda “a necessidade de cumprir com o compromisso de construção da CPI – Centro de Respostas Integradas (Antigo CAT)” e sugeriu à ministra “a constituição de novos instrumentos para contratação de médicos para o interior, quer por via legislativa, quer por via do reforço da tabela remuneratória dos médicos que decidam fixar-se no interior.” Daqui e daqui.

ULSBA recebeu mais 20 médicos internos

Zé LG, 06.01.21

O Conselho de Administração e a Direção do Internato Médico da ULSBA já realizaram a sessão de boas-vindas aos novos 20 médicos internos que iniciam agora a sua formação geral e a sua formação específica no Hospital José Joaquim Fernandes e nos Centros de Saúde da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo.

202101051958268213.JPGA ULSBA informa que os 20 médicos estão distribuídos da seguinte forma: 14 para a Formação Específica, nas especialidades de Medicina Intensiva (1), Cirurgia Geral (1), Psiquiatria (1), Pediatria (1), Medicina Interna (3), Ortopedia (1), Patologia Clínica (1) e Medicina Geral e Familiar (5) e 6 para Formação Geral (antigo Ano Comum).

Este grupo de médicos veio juntar-se aos 37 internos de especialidades hospitalares e 9 de Medicina Geral e Familiar, atualmente em formação na instituição, avança, igualmente a ULSBA.

Joaquim Tadeu faleceu, vítima de COVID-19

Zé LG, 06.01.21

JOAQUIM-TADEU_800x800-321x214.jpgJoaquim Tadeu, mais conhecido como “professor Tadeu”, tendo em conta a profissão que exercia na Escola Mário Beirão, morreu nesta terça-feira, vítima de Covid-19, nos Cuidados Intensivos do Hospital de Beja, onde estava internado há cerca de três semanas.

Natural de Guimarães, Joaquim Tadeu, que completaria amanhã 51 anos, escolheu o Alentejo como a sua “Terra Mãe”, tendo primeiro residido em Beja e depois rumado a Vidigueira, onde se fixou há alguns anos. Além dos dois filhos, um rapaz e uma rapariga, o futebol, as bicicletas e o cante eram as suas paixões.

Recorde-se que no próximo dia 23 de janeiro, fará 6 anos que Ana Albuquerque, esposa de Joaquim Tadeu, também professora e impulsionadora do projeto Mocinhos em Cante, juntamente com Paulo Colaço, faleceu.

À família apresento os meus sentidos pêsames.

Os médicos de saúde pública da ULSBA sempre se foram embora, contrariando o que disse o secretário de Estado Adjunto da Saúde

Zé LG, 17.12.20

260920130939-912-3019_HospitalBeja2000.jpgOs médicos de saúde pública da ULSBA já saíram. Embora o secretário de Estado Adjunto da Saúde tenha dito, em Beja, no final do passado mês, que iriam ser mobilizados para ficarem isso não se concretizou.

Os médicos de saúde pública são os responsáveis pelos processos de investigação na área da Covid-19, pelas decisões de isolamento e pela realização de testes e a ULSBA tinha três que desempenhavam estas funções fundamentais neste contexto de pandemia.

“Ministério da Saúde sem critérios para uma liderança clínica forte que permita a adequada gestão em tempos de pandemia”, diz FNAM

Zé LG, 15.12.20

logo (1).pngA FNAM refere que “a adequada governação clínica melhora os cuidados de saúde prestados aos doentes ao promover uma liderança forte associada à qualificação técnico-científica dos médicos, em detrimento de uma visão puramente gestionária das instituições de saúde, sujeita a clientelismos, que se iniciou no ano de 2007 com o «Estatuto do Gestor Público», implementado pelo Ministro da Saúde António Correia de Campos. Este Estatuto revelou-se, ao longo dos anos, uma falácia, ao abrir a porta a nomeações políticas duvidosas para cargos dos Conselhos de Administração hospitalares e dos órgãos de gestão dos ACES.”