Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Baixo Alentejo em seca severa

Zé LG, 14.06.22

seca2-768x432.jpgO Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) revelou que a quase totalidade do território do Baixo Alentejo estava numa situação de seca severa, no final de maio, apontado como o mais quente e seco dos últimos 92 anos.
Segundo o IPMA, no final de maio verificou-se uma diminuição significativa dos valores de percentagem de água no solo, em todo o território, sendo de realçar a região Alentejo, entre outras, “onde se verificam valores de percentagem de água no solo inferiores a 20%”. Em Beja, a média da temperatura mínima foi de 13,2 graus. A média da temperatura máxima foi de 28,8 graus. A precipitação total foi de 4.1mm.

Ler mais aqui e aqui.

Afinal, que fenómeno meteorológico aconteceu em Beja?

Zé LG, 31.05.22

Heatbutst_Beja_mini.png

Na madrugada de 21 de maio em Beja, aconteceu um fenómeno meteorológico estranho chamado heatburst: entre as 5h45 e as 5h50 desse sábado, a estação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) detetou rajadas de vento repentinas de 53 km/h, a temperatura aumentou de 22,9°C para 33,4°C e a humidade relativa no ar desceu de 49% para 13%. A informação foi avançada hoje pelo IPMA.

Esta seca “é a pior de todas pois afeta o País de uma maneira geral e de forma severa”

Zé LG, 06.02.22

20220203125405343.jpgafirma José da Luz, presidente da Associação de Agricultores do Campo Branco (A.A.C.B.), que deixa claro que “já não há pastagens” nem “o que estava armazenado” para suprimir esta falta, acrescentando que à seca juntaram-se “os preços das rações que dispararam” e que “se não chover nos próximos 15 dias, as culturas outono/inverno e pastagens estão completamente perdidas”. É perentório ao afirmar que “nesta situação, seca e custos de produção inflacionados, sem apoios extraordinários as explorações de sequeiro não vão sobreviver”.

O IPMA anuncia que “a sul do Tejo espera-se uma situação de seca extrema", com o litoral alentejano e a região de Lisboa a enfrentarem as piores condições.

Rui Garrido, presidente da FAABA, afirma que “chegou a altura de nós alertarmos, porque brevemente, vamos ter um novo governo e, em conjunto temos que equacionar as medidas. Perante a falta de água e o aumento brutal dos custos de produção, gera-se uma situação muito complicada, para a rentabilidade das explorações agrícolas”. E adianta que “é nesse sentido que nós não podemos deixar de avisar, quem vem a seguir e estaremos cá para isso em termos de equipa ministerial, para o Ministério da Agricultura”.

Chuva intensa faz transbordar rio Guadiana em Mértola

Zé LG, 07.02.21

MERTOLA-Rio-Guadiana_800x800.jpgDesde abril de 2013 que o rio Guadiana não transbordava as margens. O caudal no Pulo do Lobo passou de passou de 27,21 para 103,81 metros cúbicos por segundo.

A chuva intensa que tem caído nos últimos, em particular durante esta sexta-feira, fez subir o caudal do rio Guadiana que transbordou as margens e quase submergiu o cais de Mértola.

Apesar de não provocar estragos, as embarcações destinadas a passeios fluviais no “Grande Rio do Sul”, da Câmara de Mértola e de empresas privadas, foram deslocadas para a foz do rio Oeiras que fica cerca de 200 metros abaixo do principal ancoradouro da vila alentejana.

Alentejo sob aviso amarelo por causa do frio

Zé LG, 26.12.20

domingo-sera-de-frio-em-umuarama-com-minima-perto-Dez distritos vão entrar no fim de semana sob aviso amarelo por causa do tempo frio, que pode incluir “persistência de valores baixos da temperatura mínima”, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA): Bragança, Viseu, Évora, Guarda, Vila Real, Leiria, Beja, Castelo Branco, Aveiro e Portalegre. O aviso amarelo vigora entre as 00:00 de sábado e as 09:00 de domingo.

Hoje começa o Inverno

Zé LG, 21.12.20

stone.pngHoje, 21 de Dezembro, é o dia mais curto do ano com somente 09:27:04 horas de exposição solar.
Este é um fenómeno astronómico que acontece todos os anos entre 20 e 22 de dezembro. E o solstício de Inverno este ano, ocorrerá a 21 de dezembro, às 10h02min - segundo o Observatório Astronómico de Lisboa - marcando o início da estação mais fria no hemisfério norte, apesar de ser quando o hemisfério norte se encontra mais próximo do sol, acaba por estar exposto aos menos raios; esta proximidade atingirá o seu pico máximo a 2 de janeiro.
O inverno que começa assim, vai prolonga-se durante 88,98 dias, até ao Equinócio da primavera, a 20 de março de 2021.

“Semana difícil esta última em Beja.”

Zé LG, 27.09.20

P1100242.JPG

“Desde a passagem de um tornado de reduzida intensidade (Categoria F1 na escala de Fujita), mas absolutamente incomum por estas "bandas", causando danos em 74 viaturas, em vários telhados, portas e portões, e destruído ainda cerca de 140 árvores, na Sexta-Feira dia 18, passando por acidentes de viação graves às porta da cidade, por um incêndio habitacional que desalojou várias pessoas e que termina com o surto de COVID-19 diagnosticado no nosso Hospital.”

Paulo Arsénio, presidente da Câmara Municipal de Beja, aqui.

Que impactos está a ter a COVID-19 no clima?

Zé LG, 10.05.20

As medidas de combate à pandemia da COVID-19 levaram à redução da poluição devido à redução da circulação, do consumo, dos resíduos, etc. Este será seguramente o impacto mais positivo da desta pandemia. 

P1080061.JPGSerá que esse impacto já se está a fazer sentir no clima? Em Portugal nos últimos meses, designadamente Abril - águas mil -, o tempo parece ter regressado ao que era antigamente. Será que é já uma realidade ou não passa de uma mera sugestão?