Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Chuva intensa faz transbordar rio Guadiana em Mértola

Zé LG, 07.02.21

MERTOLA-Rio-Guadiana_800x800.jpgDesde abril de 2013 que o rio Guadiana não transbordava as margens. O caudal no Pulo do Lobo passou de passou de 27,21 para 103,81 metros cúbicos por segundo.

A chuva intensa que tem caído nos últimos, em particular durante esta sexta-feira, fez subir o caudal do rio Guadiana que transbordou as margens e quase submergiu o cais de Mértola.

Apesar de não provocar estragos, as embarcações destinadas a passeios fluviais no “Grande Rio do Sul”, da Câmara de Mértola e de empresas privadas, foram deslocadas para a foz do rio Oeiras que fica cerca de 200 metros abaixo do principal ancoradouro da vila alentejana.

Alentejo sob aviso amarelo por causa do frio

Zé LG, 26.12.20

domingo-sera-de-frio-em-umuarama-com-minima-perto-Dez distritos vão entrar no fim de semana sob aviso amarelo por causa do tempo frio, que pode incluir “persistência de valores baixos da temperatura mínima”, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA): Bragança, Viseu, Évora, Guarda, Vila Real, Leiria, Beja, Castelo Branco, Aveiro e Portalegre. O aviso amarelo vigora entre as 00:00 de sábado e as 09:00 de domingo.

Hoje começa o Inverno

Zé LG, 21.12.20

stone.pngHoje, 21 de Dezembro, é o dia mais curto do ano com somente 09:27:04 horas de exposição solar.
Este é um fenómeno astronómico que acontece todos os anos entre 20 e 22 de dezembro. E o solstício de Inverno este ano, ocorrerá a 21 de dezembro, às 10h02min - segundo o Observatório Astronómico de Lisboa - marcando o início da estação mais fria no hemisfério norte, apesar de ser quando o hemisfério norte se encontra mais próximo do sol, acaba por estar exposto aos menos raios; esta proximidade atingirá o seu pico máximo a 2 de janeiro.
O inverno que começa assim, vai prolonga-se durante 88,98 dias, até ao Equinócio da primavera, a 20 de março de 2021.

“Semana difícil esta última em Beja.”

Zé LG, 27.09.20

P1100242.JPG

“Desde a passagem de um tornado de reduzida intensidade (Categoria F1 na escala de Fujita), mas absolutamente incomum por estas "bandas", causando danos em 74 viaturas, em vários telhados, portas e portões, e destruído ainda cerca de 140 árvores, na Sexta-Feira dia 18, passando por acidentes de viação graves às porta da cidade, por um incêndio habitacional que desalojou várias pessoas e que termina com o surto de COVID-19 diagnosticado no nosso Hospital.”

Paulo Arsénio, presidente da Câmara Municipal de Beja, aqui.

Que impactos está a ter a COVID-19 no clima?

Zé LG, 10.05.20

As medidas de combate à pandemia da COVID-19 levaram à redução da poluição devido à redução da circulação, do consumo, dos resíduos, etc. Este será seguramente o impacto mais positivo da desta pandemia. 

P1080061.JPGSerá que esse impacto já se está a fazer sentir no clima? Em Portugal nos últimos meses, designadamente Abril - águas mil -, o tempo parece ter regressado ao que era antigamente. Será que é já uma realidade ou não passa de uma mera sugestão?

Ministério da Agricultura oferece “sopas depois de almoço” aos agricultores

Zé LG, 18.04.20

Tendo em conta o atual Estado de Emergência e os impactos negativos no exercício da atividade agrícola, o Ministério da Agricultura revela que “os produtores podem agora praticar o pastoreio nas áreas de pousio e não são obrigados à diversificação de culturas nas explorações cerealíferas”. Para a FAABA - Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo, a medida, agora, anunciada já tinha sido solicitada e, neste momento, não é tão importante, devido à chuva que caiu. 

201904071903316325 pousio.jpgRui Garrido, presidente da FAABA, recorda que a medida foi solicitada antes das chuvas que ocorreram nos últimos tempos, porque nessa altura, antes de chover, esta tomada de decisão teria sido relevante, uma vez que as pastagens e as forragens “estavam-se a perder”. Atualmente, “não é uma medida tão importante”, mas poderá ter relevância “nalguns casos que tenham esgotado as suas reservas”.

Minha querida prima Vera

Zé LG, 06.04.20

À medida que os anos passam, vai-me custando, cada vez mais, suportar as tuas ausências.

Quando não estás comigo parece que nunca mais chega a altura de regressares, o que acontece, todos os anos, no dia do teu aniversário.

Não é nada fácil viver sem ti, sem a tua luz, sem o teu brilho, sem as tuas cores, sem o ter calor morno, sem a tua força criadora.

Mas, com o teu regresso, tudo muda, tudo se renova e inova, é com o se fosse o nosso renascer.

Contigo tudo desabrocha, a vida apetece ser mais vivida.

IMG_2868.JPGContigo sabe bem aproveitar os dias, cada vez maiores, reluzentes, cheios de sol, a aquecerem-nos cada vez mais.

Contigo apetece passear pelos campos floridos, cuja paleta de cores nos deixa inebriados.

Contigo a paixão e o desejo tornam-se mais intensos e incontidos. Fazes-me sentir o que não consigo sentir com nenhuma outra.

Clique aqui, se quiser ler o resto deste texto, de Alvito, 18 de Março de 2006, publicado na edição nº 71 da revista Mais Alentejo.

À 1 hora dá duas

Zé LG, 28.03.20

Miguel Bastos Araújo, investigador da Universidade de Évora, aponta relação entre clima e propagação da Covid-19

Zé LG, 17.03.20

imgLoader2.ashx.jpegO investigador Miguel Bastos Araújo, da Universidade de Évora, indicou uma relação entre o clima e características epidemiológicas do novo coronavírus, cuja maior parte dos casos aconteceu em áreas “secas e com temperatura fresca”. Em termos do número de pessoas infetadas no mundo, desde o início de janeiro e até à passada terça-feira, há “uma concentração de casos em áreas com uma temperatura fresca, ali por volta dos seis e dos nove a 10 graus”, indicou, em declarações à agência Lusa.

Segundo o investigador, Prémio Pessoa em 2018 e responsável pela Cátedra na área da Biodiversidade na Universidade de Évora (UÉ), “a maior parte dos casos” de pessoas com a doença Covid-19 verifica-se “em área secas” e “com uma precipitação baixa”, no período da infeção.

Esta relação “que parece haver entre as características epidémicas do vírus e o clima” é um dos resultados de um estudo de Miguel Bastos Araújo e do investigador iraniano Babak Naimi, da Universidade de Helsínquia (Finlândia). No caso de Portugal, exemplificou, “o que se prevê é que, agora, em março e abril, o vírus continue em expansão”, porque “terá condições para isso”, mas espera-se que, “a partir de maio ou junho decaia abruptamente”.

“O que não quer dizer que não continue a haver contágios porque, por exemplo dentro de casa, com ar condicionado, essas são condições ideais para a propagação do vírus. O que se prevê é que seja muito mais reduzida essa propagação, as condições do ecossistema são menos adequadas para o vírus”, completou.

Depressão Elsa provocou vítimas mortais e desalojados, estradas cortadas e inundações

Zé LG, 20.12.19

Pelo menos duas pessoas morreram na sequência do mau tempo. A queda de árvore fez uma vítima mortal no Montijo e um desabamento de terras em Castro Daire provocou uma segunda vítima mortal. Veja aqui as previsões do tempo, os alertas da Proteção Civil e as indicações para as diferentes localidades.

transferir.jpgNova depressão chega sábado. A agitação marítima associada ao Fabien irá também fazer-se sentir na costa ocidental, em especial no litoral norte”. Contudo, prevê-se que os efeitos da depressão Fabien não apresentem em Portugal continental a mesma intensidade do que os da tempestade Elsa, “em particular em termos de vento e com mais significado em termos de precipitação”.

TEMPO

Zé LG, 08.12.19

20180206_141940.jpg... que para uns abunda ao ponto de não saberem o que fazer-lhe e a outros que tanta falta faz para fazerem tudo o que precisam e querem.
... que não volta para trás e que nem sempre é aproveitado da melhor forma e quando damos por isso já não temos.
... de sair daqui agora, porque me faz falta para outros usos que não podem esperar.