Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Festival das Marias está de regresso ao Alentejo

Zé LG, 02.10.23

Marias.pngA 4.ª edição, em Portugal, do Festival das Marias - Festival Internacional de Artes no Feminino, está de regresso ao Alentejo de 4 a 28 deste mês, com várias realizações agendadas. Este ano, o programa do festival não está concentrado em 10 dias, como acontecia sempre, mas sim espalhado por todo o mês de outubro e com mais atividades aos fim de semana, revela a diretora artística Leopoldina Almeida. Daqui.

Câmara de Beja celebrou protocolos de apoio com ESTAR e JODICUS

Zé LG, 01.03.22

202202281233223091.jpgA Câmara Municipal de Beja e a Associação ESTAR celebraram um protocolo, aprovado por unanimidade, “para prestar apoio a indivíduos ou agregados familiares que se encontrem em situação de vulnerabilidade social, e que careçam de apoio pontual ou emergente mediante novas medidas de política social, enquadradas na resposta da Associação ESTAR.”

A Câmara de Beja também celebrou um Contrato-Programa com o JODICUS, através do qual o Município de Beja vai ceder a utilização dos espaços da Casa da Cultura ou do Cine Teatro Pax Júlia, para ensaios ou apresentações do espetáculo.

Casa da Memória de Eunice Muñoz é inaugurada hoje em Amareleja

Zé LG, 14.10.21

Casa-Museu-Eunice-Muñoz-768x512.jpgA Amareleja, no concelho de Moura, inaugura, nesta quinta-feira, a Casa da Memória de Eunice Muñoz, em homenagem “em vida” da vila que viu nascer a atriz, de 93 anos, que marca presença na cerimónia.
Joaquim Mário, presidente da Junta de Freguesia da Amareleja, entidade que teve a iniciativa de colocar projeto em andamento, esclarece que “é um espaço pequeno, mas que vai albergar 93 anos de memória de Eunice Muñoz, 80 dos quais, nos palcos”. A iniciativa contou com a colaboração da própria Eunice Muñoz, bem como, de alguns familiares da atriz.
A primeira exposição vai ter a duração de “entre seis meses e um ano”, mas depois “outras exposições virão, com assuntos mais abrangentes ou mais específicos”, mas sempre relacionados com a vida e a obra da atriz”, refere, ainda, o autarca.

Lêndias d’Encantar leva “Quarteto de Alba” à Colômbia

Zé LG, 05.08.21

202108041427563834.jpg“Uma crónica no feminino sobre uma civilização que perde dignidade, mas que mantém a esperança”. A peça, escrita e encenada por Carlos Gil Zamora e protagonizada por Andreia Galamba, Bárbara Teixeira, Clara Cunha e Inês Minor, estará em cena dia 12 de Agosto em Bogotá e nos dias 17 e 18 em Medellín.

A deslocação da companhia bejense é feita a convite da Colombian Theatre Corporation no âmbito do 30º aniversário do Festival Mujeres en Escena por la Paz, que decorrerá entre 6 e 15 do presente mês.

Arte Pública apresenta “Loucas, não como as outras” no Pax Júlia

Zé LG, 21.10.20

202010191708595078 arte.jpg“Loucas, não como as outras” é um “espetáculo assumidamente feminista, um trabalho de teatro de cabaré muito divertido em que rir a rir vai-se falando de coisas serias”. A peça é apresentada pela companhia de teatro de Beja Arte Pública, que pode ver hoje, e no dia 28 deste mês, no Pax Júlia, na capital de distrito, a partir das 21.30 horas.

“Loucas, não como as outras” é uma “muito bem-humorada incursão ao território do bicho-homem e da construção social das suas máscaras, das suas inseguranças e medos - que originam o machismo, o racismo, as mentiras conjugais, a dificuldade de aceitação das suas próprias incongruências e a diferença do outro - encenada por Gisela Cañamero e interpretada pelas atrizes Carmen Jesuíno, Sandra Maya e Tânia Sacramento que reclamam para si a liberdade de serem diferentes às bem arrumadas convenções sociais de género”.

Carlos Pinto de Sá afirma que o governo vai “matar” o Cendrev

Zé LG, 02.08.20

CarlosPintoSa-300x187.jpg“É absolutamente inaceitável, incompreensível e condenável a redução de verbas de oito por cento para o Alentejo, quando todas as outras regiões aumentaram as verbas que tinham para estes concursos”, assegura o presidente da Câmara Municipal de Évora, que explica ainda que o “mais bizarro” é que o Cendrev concorreu e “atingiu a pontuação para receber apoio”. “Curiosamente, apesar de ter havido esta decisão, vem-se dizer que não há dinheiro para apoiar o Cendrev”, acrescenta.

O caso foi exposto à ministra da Cultura, sendo que, explica Carlos Pinto de Sá, a mesma “mostrou-se sensível”, garantindo que a situação seria tratada até março ou abril. Contudo, e com a pandemia, nada foi feito nesse sentido, servindo a situação que se vive no país “como desculpa para que não se chegue a uma solução”, para que “companhias históricas como o Cendrev possam ter o apoio que merecem”.