Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Beja manifesta solidariedade na campanha “Bombeiros Voluntários de Beja-Autoescada”

Zé LG, 28.07.22

Sem nome.pngNesta quinta-feira a campanha que o grupo denominado “Amigos dos BVBeja” está a promover desde o passado dia 21, regista o valor de 10.231 euros de donativos de empresas e cidadãos particulares que se dispuseram a colaborar na reparação do Veículo Escada 30 (VE30), propriedade dos Bombeiros Voluntários de Beja (BVB) e que está inoperacional há alguns meses. A última vez que o VE30 foi utilizado pelos operacionais dos BVB, ocorreu no dia 9 de setembro do ano passado, tendo sido decisivo no combate ao incêndio que deflagrou nos silos da Cooperativa Agrícola de Beja e Brinches, evitando que as chamas destruíssem por completo o complexo de secagem de girassol daquela empresa.

Ao abrigo da “Lei do Mecenato”, as instituições/empresas podem usufruir de um benefício fiscal de acordo com o decreto-lei que regula o “Estatuto dos Benefícios Fiscais”.

Para receber os donativos, foi criada uma conta na Caixa de Crédito Agrícola Alentejo Sul (Beja), com o INAN: PT50 0045 6100 4035 9935 4924 8.

ACOS recolhe produtos para agricultores vítimas dos recentes grandes incêndios

Zé LG, 26.07.22

202207252020151633.jpgA ACOS está a participar na ação de solidariedade, lançada pela CAP, para com os agricultores dos concelhos onde ocorreram recentemente grandes incêndios, designadamente Murça, Valpaços e Vila Pouca de Aguiar.
A associação anuncia que está a reunir em Beja os contributos dos seus associados e de outros agricultores que queiram participar na campanha organizando, logo que tenha carga suficiente, o envio dos donativos para o norte do país.
Os agricultores que pretendam contribuir com palha, feno e concentrados para alimentação animal deverão entrar em contacto com a ACOS para agendamento das entregas. Daqui e daqui.

Criada uma nova resposta social em Beja para imigrantes e refugiados

Zé LG, 25.07.22

Screenshot 2022-07-25 at 12-41-11 Há uma nova resSediada em Beja, a recentemente aberta Cooperativa de Apoio Social a Imigrantes e Refugiados quer apoiar pessoas ao nível burocrático, jurídico e de habitação. Conhecer a cultura das diferentes comunidades que vivem na cidade é um dos primeiros passos.

A Cooperativa de Apoio Social aos Imigrantes e Refugiados (Cossir) é uma organização sem fins lucrativos e nasce de uma necessidade verificada no distrito de Beja. São muitos os imigrantes que chegam ao País para trabalhar e instalar-se, porém, ao nível social, as instituições nem sempre conseguem chegar a todos.

Neste momento os órgãos sociais da Cossir são constituídos pelos cooperadores fundadores, como titulares únicos. Luís Narciso é o administrador único, Carlos Moreira o fiscal único e Sérgio Martins titular único da MAG. Trabalhar no sentido de conseguir a equiparação a IPSS é um dos objetivos iniciais, disse Carlos Moreira.

Misericórdia e Município de Beja assinam protocolo para concretização de Cidadela

Zé LG, 03.07.22

Screenshot 2022-07-02 at 22-06-22 Misericórdia e O protocolo define a forma de apoio financeiro a disponibilizar pela autarquia e acentua o interesse no Ante-Projeto do Espaço Cidadela da Misericórdia face ao importante impacto que pode ter na zona da cidade onde se pretende implementar. A Misericórdia prevê ter condições de apresentar a maqueta no prazo de um ano e quer que este seja “um projeto inclusivo” e integrar outras entidades.
João Paulo Ramôa, Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Beja, frisa que o terreno, com 4,5 hectares, localizado no Bairro dos Moinhos, tem condições para albergar vários projetos, sejam públicos, sejam privados, na área da saúde e do sector social.

ESTAR com novas instalações

Zé LG, 14.05.22

20220513_173152-768x432.jpg

A partir deste sábado, dia 14, a sede da Associação ESTAR muda de instalações, estando atualmente na Rua de Angola, nº 8. A inauguração oficial do espaço será às 16h00, assinalando também o 3º aniversário da Associação.

Para além da sede, a Associação mudou o armazém MARMITA que, a partir da próxima semana, permitirá às famílias a recolha dos cabazes no local.

A loja Espaço Estar continua localizada na Rua António Sardinha, mas as doações de roupa, alimentos e outros bens devem ser efetuadas diretamente na nova sede.

Apoie instituições consignando parte do seu IRS, sem qualquer custo

Zé LG, 18.04.22

FINANÇAS.jpgA lista de entidades a quem pode atribuir os 0,5% do IRS liquidado é muito extensa. No concelho de Beja são 17 as Instituições a quem pode consignar o IRS sem qualquer custo.

Integram a lista: os Bombeiros de Beja, a Associação Recolher e Dar, a Associação Sementes de Vida, a Cáritas de Beja, a Casa do Estudante, o Centro de Paralisia Cerebral de Beja, o Centro Infantil Coronel Sousa Tavares, o Centro Paroquial e Social do Salvador, o Centro Social e Cultural da Imaculada Conceição da Salvada, o Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora da Luz de Albernoa, o Centro Social de Nossa Senhora da Graça, a Cercibeja, o Coro de Câmara de Beja, a Fundação Manuel Gerardo de Sousa e Castro, a Liga dos Amigos do Hospital de Beja, a Santa Casa da Misericórdia de Beja e a Sociedade Filarmónica Capricho Bejense.

Os contribuintes que pretendam ajudar algumas destas instituições devem preencher, no modelo 3 do IRS, o campo 1101, do quadro 11, com o número de contribuinte da respetiva entidade.

Assembleia Municipal de Beja condenou invasão e ataque militar da Rússia contra a Ucrânia

Zé LG, 03.03.22

Governo-Civil-1-768x432.jpgA Assembleia Municipal de Beja, por unanimidade, condenou o ataque militar da Rússia contra a Ucrânia, solidarizou-se com o povo ucraniano e apelou à paz, à segurança e ao respeito pelo direito internacional.

Assembleia municipal condenou “veementemente a invasão e o ataque militar da Rússia contra a Ucrânia, por violação do direito internacional”, e defendeu “a via diplomática” como “a única solução aceitável” para resolução do conflito, “procurando soluções que salvaguardam preocupações, interesses e direitos de todas as vítimas envolvidas”, solidarizando-se com “o povo ucraniano, a comunidade ucraniana imigrada em Portugal, e, particularmente, com os cidadãos ucranianos e seus descendentes a residir no concelho de Beja, que são parte integrante da nossa comunidade”, e também “com o povo russo, que se vê envolvido” no conflito.

Câmara de Beja celebrou protocolos de apoio com ESTAR e JODICUS

Zé LG, 01.03.22

202202281233223091.jpgA Câmara Municipal de Beja e a Associação ESTAR celebraram um protocolo, aprovado por unanimidade, “para prestar apoio a indivíduos ou agregados familiares que se encontrem em situação de vulnerabilidade social, e que careçam de apoio pontual ou emergente mediante novas medidas de política social, enquadradas na resposta da Associação ESTAR.”

A Câmara de Beja também celebrou um Contrato-Programa com o JODICUS, através do qual o Município de Beja vai ceder a utilização dos espaços da Casa da Cultura ou do Cine Teatro Pax Júlia, para ensaios ou apresentações do espetáculo.

“Violência no Namoro” em debate no Centro UNESCO em Beja

Zé LG, 22.02.22

Violencia-768x432.jpgA Associação ESTAR e os estagiários do curso de Técnico de Apoio Psicossocial da Escola Bento de Jesus Caraça promovem a 2.ª edição da iniciativa “Porta Aberta ao Pensamento”, subordinada ao tema “Violência no Namoro”, hoje, às 18:00 horas, no Centro UNESCO, em Beja.
A ESTAR pretende promover esta iniciativa, mensalmente, abordando um tema diferente em cada sessão.

ESTAR preocupada com falta de condições habitacionais em Beja

Zé LG, 16.02.22

image.jpgA falta de condições dignas de habitação, em particular, verificadas na comunidade imigrante preocupa a Associação ESTAR, que apela a toda a comunidade para ajudar a sinalizar estes casos. Tratando-se de uma situação recorrente, a Associação considera ser fundamental que as Juntas de Freguesia sinalizem estas situações, dado o seu papel de proximidade com a população.

Inês Féria, vice-presidente da ESTAR, afirma que “é necessário que não se olhe para o lado”, frisando que a atuação da associação depende, também, do envolvimento de todos.

“Até lá, cá estamos”

Zé LG, 25.01.22

245398273_10221356950492982_5422486847599957391_n.«Temos muito para fazer. Principalmente fazer cair ideias preconcebidas, formas de pensar ancestrais que nada trazem de novo, e levar a que nos deixem trabalhar porque é apenas isso que queremos fazer: trabalhar porque quando o fazemos resolvemos problemas, ajudamos quem precisa e damos apoio a quem não tem forma de dar resposta.

Diariamente, continuamos a receber palavras de conforto, propostas de parcerias, pedidos de apoio e é isso que nos move porque quando não tivermos razão de existir, retiramo-nos mas até lá…cá estamos.» - Madalena Palma, no “Expoente m”, aqui.

Câmara de Beja canaliza verba que não gasta em fogo de artifício para o Banco Alimentar

Zé LG, 31.12.21

fogo-de-artifício-2020-768x576.jpgPelo segundo ano consecutivo, não haverá, em Beja, fogo-de-artifício, nesta noite, de passagem de ano, devido ao agravamento da pandemia e às consequentes medidas do Governo que proíbem ajuntamentos na via pública. A proposta de canalizar este valor para o Banco Alimentar foi aprovada, em reunião de Câmara, de 29 de dezembro.
Com este donativo financeiro serão adquiridos os alimentos mais necessários em função das carências sinalizadas, neste momento, que serão depois distribuídos pelas instituições que prestam assistência.

Isaurindo Oliveira reconduzido como presidente da Cáritas de Beja

Zé LG, 18.11.21

Isaurindo-Oliveira-pg7nvciv7b19b1gj2vhocj29u51niepIsaurindo Oliveira tomou posse, hoje, como presidente da Cáritas Diocesana de Beja, depois de ter sido reconduzido no cargo pelo bispo de Beja.

Além de Isaurindo Oliveira, a nova direção da Cáritas de Beja conta com Sandra Palma Ferro (secretária), Davide Soares (tesoureiro), Luís Morais (vogal para a área da Responsabilidade Social), padre José Manuel Bravo (vogal para a Pastoral Social), Romilson Almeida (vogal para a área dos utentes) e padre António Pereira (assistente religioso).

Para o conselho fiscal foram escolhidos Francisco Alvarinho (presidente), Claudino Matos e João Fernandes (vogais).

“a meritocracia é uma falácia e o RBI é uma ferramenta económica mais justa se usada como complemento a políticas sociais”

Zé LG, 04.11.21

Logo_ICE_2020_HD-2048x1990-1-300x292.png«Um grupo de habitantes de Alcácer do Sal irá receber durante dois anos 500 euros mensais, sem contrapartidas e independentemente da sua condição social. Trata-se de uma experiência piloto para testar o impacto do Rendimento Básico Incondicional (RBI) no emprego e no bem-estar da comunidade abrangida.

A ideia partiu de um natural da terra que, depois de ter trabalhado vários anos no estrangeiro, regressou a casa para fazer “algo diferente” pelas pessoas do seu concelho. “Não vejo o RBI como uma bala de prata mas como uma ferramenta que promove justiça social.”

O Rendimento Básico Incondicional é uma proposta política que visa dar uma prestação monetária, a todos os cidadãos, de forma incondicional, ou seja, livre de obrigações.»

Não, não ficou tudo na mesma!... Ficou pior!

Zé LG, 10.10.21

202102011824137297.jpgLogo que surgiu a pandemia, muitas foram as vozes que se fizeram ouvir a garantir que nada iria ficar na mesma. À medida que a pandemia avançou e assustou mais, passámos a ouvir elogios, não só aos trabalhadores da Saúde, que foram catalogados de heróis, mas também a todos os que asseguravam que a vida continuasse, com referência a profissões tantas vezes ignoradas ou subestimadas como as ligadas à agricultura e à produção e distribuição de bens essenciais, que tiveram de continuar a trabalhar na mesma.

Chegados agora à fase em que parece estar a ser controlada a pandemia, os “heróis” ficaram com o título e continuaram com os problemas que os afecta(v)am. Os outros trabalhadores de áreas essenciais – para além dos já citados, os que produziram as vacinas e todos os produtos usados no combate à Covid-19) e tantos outros -, que durante um curto período inicial viram ser-lhes reconhecida a sua importância, voltaram a cair no esquecimento e a ver os meses a crescerem e os ordenados a minguarem.

Entretanto, as estatísticas mostram como grandes empresas, algumas apoiadas pelos Estados, multiplicaram os lucros e concentram a riqueza e as dificuldades dos trabalhadores, desempregados, reformados e pequenos empresários se acentuaram. Há mesmo empresas e outras entidades empregadoras que, à pala da pandemia – mesmo que esta não as tenha afectado -, estão a tentar retirar mais direitos aos trabalhadores…

Ou seja, efectivamente não está a ficar tudo na mesma à medida que caminhamos para o fim da pandemia. Está a ficar muito pior… porque, ao contrário do que se admitia, não foi por termos sido “todos metidos no mesmo barco” que a natureza humana evidenciou os seus aspectos mais positivos. Antes pelo contrário, a de alguns, designadamente dos têm mais poderes, está a evidenciar o que de pior tem...

Francisco George chuta abandono da obra do Lar da Cruz Vermelha para Tadeu de Freiras, que diz recusar jogar “pingue-pongue”

Zé LG, 11.06.21

maxresdefault.jpgFrancisco George, presidente da CVP, diz ter conhecimento da situação, “apesar de todas as decisões” referentes a este equipamento social destinado a idosos terem sido “iniciadas pela anterior direção” da instituição. “O espaço já se encontrava neste estado antes da minha eleição como presidente nacional da Cruz Vermelha em 26 de outubro de 2017. Ora, antes, as obras para o lar já se encontravam suspensas. Portanto, sob a responsabilidade da direção anterior”, refere. “Por este motivo, melhor do que ninguém, o então dirigente da delegação de Beja, José Tadeu de Freitas, saberá responder, visto que foi ele que geriu o empreendimento.”

26907856_471535473247496_6673916734096684721_n.jpgJosé Tadeu de Freitas, que liderava a delegação de Beja da CVP, recusa entrar em “diálogos de pingue-pongue” com Francisco George, mas lembra que, á época, “era um diretor funcionário, o que significa que a decisão da obra cabia sempre à sede nacional e nunca à delegação local”.

Câmara de Cuba já iniciou a empreitada de reabilitação de 50 habitações sociais

Zé LG, 23.05.21

202105201448418412.jpgA Câmara Municipal de Cuba já assinou o contrato de adjudicação para a Empreitada de Reabilitação de 50 habitações sociais na vila, no valor de 143 mil euros. Os trabalhos iniciaram-se no passado dia 17 e “A sua conclusão está prevista em todos os fogos num período de 120 dias”.

A autarquia informa que, em linhas gerais, a “intervenção tem como objetivo a dignificação e melhoria das condições de vida dos residentes do concelho com necessidades económicas.

CVP com obras do Lar Residencial paradas há quatro anos, em edifício alugado há mais de oito anos

Zé LG, 15.05.21

BEJA-CRUZ-VERMELHA-lar_800x800.jpgEm 2012, a Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) assinou com a Infraestruturas de Portugal (IP) um contrato de arrendamento da antiga cantina da REFER, válido por 20 anos e renovável, para ali instalar a Casa de Repouso e o Serviço de Apoio Domiciliário, que funcionam num prédio antigo no Centro Histórico de Beja.

O que já devia ser um Lar Residencial em funcionamento há mais de quatro anos, é um edifício ao abandono, onde foram gastos cerca de meio milhão de euros e apesar das obras terem parado em fevereiro de 2017, a CVP continua a pagar a renda mensal, num total de 850.000 euros.

Após tomar posse do cargo de presidente da Direção Nacional da CVP, Francisco George esteve em Beja e anunciou que “vão ser investidos mais de um milhão de euros na construção da residência” e “que no próximo dia 2 de janeiro de 2018 as obras vão ser retomadas. Está garantido o financiamento de 600 mil euros para as concluir”. Passaram três anos e a situação está na mesma: obras paradas.

Mas a situação pode vir a ter contornos mais graves. É voz corrente no interior da instituição que a Cruz Vermelha vai encerrar a Casa de Repouso e o Serviço de Apoio Domiciliário, que passará para a Santa Casa da Misericórdia de Beja, que assumirá as obras e o aluguer do antigo edifício da Refer, mas a dívida do empréstimo de meio milhão continuará a ser da responsabilidade da CVP.

Desde que Francisco George assumiu a presidência da Cruz Vermelha que a “Dança de Cadeiras” na Delegação de Beja não para

Zé LG, 27.04.21

George-e-Equipa_800x800.jpgDesde que Francisco George assumiu a presidência da Cruz Vermelha em novembro de 2017, a Delegação de Beja já conheceu vários responsáveis. A última presidente da Comissão Administrativa, antes do atual Delegado Especial, durou seis dias. Lar/Residência de Beja: um que não abre ou que pode fechar.

A “Dança de Cadeiras” começou na noite de 1 de dezembro de 2017, na primeira visita de Francisco George enquanto presidente da Direção Nacional da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), cargo que tinha assumido sete dias antes e desde essa data já houve um presidente, cinco presidentes de Comissões Administrativas (CA) e agora um Delegado Especial.

Veja, aqui, todas as mudanças registadas desde aquela data.