Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Tiago Oliveira eleito secretário-geral da CGTP, substitui Isabel Camarinha

Zé LG, 25.02.24

Sem nome (21).pngTiago Oliveira, 43 anos, actual coordenador da União de Sindicatos do Porto (USP), foi eleito secretário-geral da CGTP. Casado e com uma filha de 20 anos a terminar a faculdade, o novo secretário-geral tem desenvolvido até agora a sua actividade sindical no Norte do país. Filho do também sindicalista Américo Oliveira, nasceu em Matosinhos, onde frequentou um curso profissional de electromecânica que lhe abriu as portas da Auto Sueco, na Maia, quando tinha apenas 17 anos. Cinco anos depois, foi eleito delegado sindical pelos colegas da empresa. Passou a ser sindicalista a tempo inteiro em 2006 quando ingressou na direcção do Site-Norte e sucedeu a João Torres no cargo de coordenador da USP, onde estava há 14 anos.

Carolina Ribeiro é a nova coordenadora do SEP no Alentejo

Zé LG, 03.01.24

SEP.pngCarolina Ribeiro é a nova coordenadora da Delegação Regional do Alentejo do Sindicado dos Enfermeiros Portugueses (SEP), eleita para o mandato de 2023-2027 e sucedendo a Edgar Santos à frente dos destinos daquela delegação.
Carolina Ribeiro explicou, em declarações à Rádio Pax, as prioridades definidas para este mandato e promete dar voz às reivindicações dos enfermeiros.

Médicos estão a praticar “medicina de catástrofe”, segundo a FNAM

Zé LG, 28.12.23

medico-em-stress_Depositphotos_201148668_L-848x566.jpgOs médicos estão a praticar “medicina de catástrofe” em várias unidades onde o volume de doentes é excessivo na última semana do ano, defendeu hoje a Federação Nacional dos Médicos (FNAM), acrescentamdo que os médicos estão sobrecarregados e “sem condições adequadas ao exercício das suas funções” e médicos internos “têm sido forçados” a colmatar a falta de especialistas. “As insuficiências multiplicaram-se durante o Natal, e teme-se o pior para os últimos dias do ano, onde os períodos após as celebrações são tradicionalmente mais exigentes para os SU”, destacando “situações que costumam funcionar abaixo dos mínimos” e que colocam médicos e doentes em risco. “Além disso, os médicos têm sido vítimas de desregulação ilegal dos seus horários, com seis dias de trabalho semanal, sem que lhes seja concedido o descanso compensatório após a realização de trabalho aos domingos e feriados”, assegurou a mesma fonte, sublinhando que ainda está por regularizar o pagamento da majoração do trabalho suplementar aos internos.

EMAS de Beja assina novo acordo de empresa com o STAL

Zé LG, 22.12.23

202312212140099531.jpegO novo Acordo de Empresa formalizado entre a EMAS, de Beja, e o STAL, que entra em vigor em Janeiro de 2024, “resulta de um processo negocial concordante, que visa regular as relações laborais entre a empresa e os colaboradores, de forma a assegurar os direitos, os deveres e as obrigações entre as partes, tendo como base a Lei Geral do Trabalho”, refere a EMAS, concluindo que “O ano em que a EMAS assinala os seus 20 anos de atividade enquanto empresa municipal, termina assim com mais um importante marco alcançado, que será benéfico para o presente e futuro de toda a organização”. Daqui, daqui e daqui.

Árvore dos direitos colocada pela USDB junto da Casa da Cultura de Beja

Zé LG, 21.12.23

USDB.pngA União de Sindicatos do Distrito de Beja (USDB) promoveu hoje de manhã, junto à Casa da Cultura em Beja, uma ação de uma denúncia pública das desigualdades e injustiças sociais que, nesta altura do ano, assumem ainda maior destaque, exigindo resposta às justas reivindicações dos trabalhadores, reformados, pensionistas e outras camadas da população, tais como o aumento significativo dos salários e pensões, contra o aumento do custo de vida, o investimento nos serviços públicos e funções sociais do Estado, a garantia do direito à saúde, à educação e à habitação.

Diz a USDB que “na atual situação os trabalhadores, reformados, pensionistas, idosos e outras camadas da população vivem grandes dificuldades no seu dia a dia”. E mais: “Os baixos salários e pensões levam a uma luta diária para pagar as contas, a renda ou a prestação ao banco, a comida para pôr na mesa, enquanto se assiste a lucros escandalosos por parte de alguns grupos económicos, com o aumento da exploração, do custo de vida, impondo ainda mais dificuldades a quem trabalha ou trabalhou”. Ver aqui também.

Valorização salarial é a “prioridade máxima”

Zé LG, 25.09.23

isabel-camarinha02.jpgA valorização salarial é a “prioridade máxima” da CGTP nos próximos tempos, pelo que reivindica subidas remuneratórias de, pelo menos, 15% (num mínimo de 150 euros) para todos os trabalhadores, de modo a recuperar o poder de compra e fazer face ao aumento dos preços, nomeadamente, da habitação.

Quanto ao salário mínimo nacional, o Governo está a apontar para um aumento dos atuais 760 euros para 810 euros em janeiro, mas a CGTP defende uma subida para 910 euros em janeiro, com o objetivo de chegar aos mil euros de retribuição mínima garantida ainda no próximo ano.

Sobre a relação entre as empresas e os trabalhadores, a secretária-geral da CGTP reconhece que há um “bloqueio generalizado” da negociação coletiva, mas realça que houve avanços “em muitos setores” e até aumentos salariais acima do proposto pelos sindicatos. Daqui.

CIMBAL e municípios de Almodôvar e Ourique ainda não têm ACEP

Zé LG, 27.08.23

20230823194534898.jpgO STAL assinou com a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia de Barrancos um Acordo Coletivo de Empregador Público (ACEP), que visa regular as relações laborais entre as autarquias e os respetivos trabalhadores, tendo em vista “a salvaguarda dos direitos dos trabalhadores e uma maior conciliação da vida pessoal e familiar com a vida profissional.” De acordo com o STAL, no distrito de Beja continuam por assinar o ACEP, os municípios de Almodôvar e Ourique, assim como a CIMBAL.

Câmara de Castro Verde acordou com sindicatos renovação do ACEP

Zé LG, 19.08.23

imgLoader (1).jpgA Câmara de Castro Verde concluiu os acordos com as várias estruturas sindicais representantes dos trabalhadores do município, renovando os acordos coletivos de entidade pública (ACEP), que visam a «melhoria das condições sociais e laborais dos seus trabalhadores», incluindo, entre outros avanços, «o acréscimo dos tempos de descanso por antiguidade e idade» aos 39, 49 e 59 anos, «maior proteção aos trabalhadores com filhos» e o «reconhecimento dos direitos por óbito de familiares do trabalhador até ao terceiro grau da linha colateral», segundo a Autarquia, que frisou ainda que este processo «assentou numa negociação ampla, de concertação com três sindicatos», para «garantir mais direitos aos trabalhadores» e reforçar «o reconhecimento da importância dos trabalhadores na prestação de um serviço público de qualidade à população do concelho».
Os ACEP terão uma vigência de dois anos e serão assinados, entre o município e as estruturas sindicais, no início do mês de setembro.