Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Morreu José Melão

Zé LG, 23.02.21

3d041a_a8b478c894484594a1efd53b53ff04ca_mv2.jpgJosé Bento Picareta Melão, 78 anos, viúvo, natural de Beja, morreu ontem, tendo o funeral saído, hoje,do hospital José Joaquim Fernandes para o cemitério de Beja.

José Melão foi electricista da EDP, de onde se reformou. Foi dirigente do Sindicato dos Electricistas e (julgo que) da USDB. Foi militante e dirigente concelhio de Beja do PCP e autarca da CDU. Foi ainda dirigente associativo e cooperativo.

Convivi de perto com José Melão, durante um largo período, na militância partidária e a nível autárquico. Guardo dele a memória de um homem muito disponível e participativo, voluntarioso e empenhado na acção e luta por uma sociedade melhor. Há muito tempo que não o via nem tinha notícias dele.

À família e ao PCP apresento os meus sentidos pêsames!

Com “Confiança, Determinação e Luta-Por um Portugal com Futuro!”, Beja “associa-se” à Jornada Nacional de luta da CGTP-IN

Zé LG, 21.02.21

202102181039181619.pngPara a manhã do dia 25, estão previstos contactos com os trabalhadores, de diversos sectores e abrangendo várias áreas, bem como a distribuição de documentos e a realização de plenários em alguns locais de trabalho. Da parte da tarde, a Praça da República recebe, às 15.00 horas uma concentração com ativistas e dirigentes sindicais.

Maria da Fé Carvalho, coordenadora da União de Sindicatos do Distrito de Beja (USDB), afirma que os direitos dos trabalhadores não podem estar “suspensos” nem confinados e que são várias as exigências que estão na base deste protesto, designadamente a precariedade, os horários de trabalho, que se agravaram com a situação de pandemia, a garantia da saúde, segurança e higiene nos locais de trabalho, bem como um aumento dos salários em 90 euros e, a curto prazo, 850 euros como valor para o salário mínimo nacional.

“Ministério da Saúde sem critérios para uma liderança clínica forte que permita a adequada gestão em tempos de pandemia”, diz FNAM

Zé LG, 15.12.20

logo (1).pngA FNAM refere que “a adequada governação clínica melhora os cuidados de saúde prestados aos doentes ao promover uma liderança forte associada à qualificação técnico-científica dos médicos, em detrimento de uma visão puramente gestionária das instituições de saúde, sujeita a clientelismos, que se iniciou no ano de 2007 com o «Estatuto do Gestor Público», implementado pelo Ministro da Saúde António Correia de Campos. Este Estatuto revelou-se, ao longo dos anos, uma falácia, ao abrir a porta a nomeações políticas duvidosas para cargos dos Conselhos de Administração hospitalares e dos órgãos de gestão dos ACES.”

Valverde Martins morreu

Zé LG, 15.11.20

2020111512133563.nb.pngAntónio Pedro Valverde Martins, com 85 anos, natural de Beja, morreu ontem no Hospital de Beja. O funeral realizou-se, esta manhã, das Casas Mortuárias para o Cemitério de Beja.

Valverde Martins era bancário reformado. Foi sindicalista, fundador e dirigente da Cooperativa Proletário Alentejano, dirigente do MURPI, para além de outras actividades comunitárias. Foi militante e dirigente distrital do PCP e autarca da CDU.

Valverde Martins era uma um homem bom, humilde, cordato, sempre na procura de consensos, de fortes convicções e de uma dedicação e empenhamento totais às causas em que se envolvia. Foi uma figura marcante de Beja, do simdicalisto e do movimento cooperativo.

À família apresento os meus sentidos pêsames.

Trabalhadores da Administração Local em Luta, marcham até à AR

Zé LG, 23.10.20

202010221943242922 stal.jpgO STAL afirma que o Orçamento do Estado “gora as expetativas dos trabalhadores” e que não “dá resposta às exigências centrais dos trabalhadores da Administração Local”. A marcha nacional que o STAL realiza hoje, tem início às 10.30 horas, na Rua Braamcamp, com destino à Assembleia da República.

“Novo ano letivo cheio de “incertezas por parte de toda a comunidade educativa”

Zé LG, 02.09.20

202008211743173958 prof.jpg"A pouco mais de duas semanas do início de um novo ano letivo, os professores pouco sabem, na medida em que as medidas anunciadas são para resolver casos de contágio, caso existam, e não preventivas, como seria de esperar”, diz o SPZS, afirmando, também, que se avizinha um novo ano letivo cheio de “incertezas por parte de toda a comunidade educativa.”

“O governo tem decidido, mas sem auscultar a comunidade educativa e no caso concreto dos professores há muitas perguntas sem respostas: dimensão das turmas, horários flexíveis, garantia de existência de máscaras, o que vai acontecer aos docentes que fazem parte dos grupos de risco?”, frisa Manuel Nobre, do SPZS.

STAL acusa a Câmara de Sines de não assegurar lavagem das fardas e “um espaço digno com a colocação de cacifos triplos”

Zé LG, 23.08.20

202008201547482783 sines.pngO STAL acusou a Câmara Municipal de Sines de não cumprir o Acordo Coletivo de Empregador Público (ACEP), “que foi assinado em janeiro de 2019 e que até hoje não foi cumprido", continuado a não ser assegurada "a lavagem das fardas dos trabalhadores que exercem funções na recolha de resíduos sólidos urbanos, cemitério e saneamento, o que não está a acontecer”, tal como “um espaço digno com a colocação de cacifos triplos”.

Os trabalhadores acusam o governo de “negar o direito à aplicação de um suplemento e outras compensações aos trabalhadores da Administração Local que laboram em condições insalubridade e penosidade”.

Esta é uma questão decisiva para o bom funcionbamento das escolas

Zé LG, 18.08.20

Sindicato diz que funcionários nas escolas são insuficientes para garantir novas regras da pandemia

Escolas.jpgOs trabalhadores não docentes alertaram hoje que faltam funcionários nas escolas para conseguir garantir as regras de segurança associadas à covid-19, lembrando que já antes da pandemia eram poucos e estavam sobrecarregados de trabalho.

Artur Sequeira,da FNSTFP, lembrou que “a pandemia só veio pôr a nú” os problemas já existentes da falta de pessoal não docente, a situação laboral instável e precária e o excesso de trabalho.

“Mais de um terço dos trabalhadores das escolas tem mais de 50 anos e há muita gente em situação de risco. Além disso, já havia uma distribuição de trabalho abusiva, havia quem tivesse a seu cargo um número de salas que era humanamente impossível limpar”, alertou.

Apesar do meu alvitre sobre o funcionamento das escolas no próximo ano lectivo não ter merecido um só comentário, vou insistir em trazer o tema para aqui, porque o considero oportuno e pertinente.

Plenário de enfermeiros à porta do Hospital de Beja, esta manhã, integrado na semana de da CGTP em defesa da saúde e dos direitos dos trabalhadores

Zé LG, 23.06.20

060320171819-317-CGTP.jpgA Semana Nacional de Luta da CGTP, que está a decorrer até sexta-feira, tem como lema: "Vamos à Luta para defender a saúde e os direitos dos trabalhadores! Garantir emprego, salários, serviços públicos". Plenários e reuniões marcam esta semana de atividades, que passa, igualmente, pelo distrito. Em Beja está agendado para hoje de manhã, pelas 11h30, um plenário de enfermeiros, em frente à entrada principal do Hospital de Beja. “Palavras de reconhecimento, que agradecemos, não chegam. Não chegam porque os enfermeiros continuam com problemas por resolver”

A CGTP protesta contra "a política de agravamento da exploração e empobrecimento, de cortes nos salários e atropelo dos direitos e assume o compromisso de levar a cabo uma ampla ação de esclarecimento, mobilização e luta, reforçando a unidade dos trabalhadores".

Alterações nos horários de trabalho e de local de plenário de trabalhadores põem STAL e Câmara de Beja de candeias às avessas

Zé LG, 05.06.20

201812202250165321 stal.pngO STAL de Beja denuncia “a tentativa de limitar a atuação deste Sindicato por parte do Executivo da Câmara Municipal, bem como da chefe de divisão da Cultura, que tentou boicotar o plenário de trabalhadores, agendado para as instalações da Biblioteca Municipal da cidade”, revela esta estrutura sindical em comunicado. Paulo Arsénio nega tais acusações e diz que "o STAL está a tomar uma atitude de hostilidade". Ler mais aqui.

Marcha pelo emprego em Sines

Zé LG, 22.05.20

cgtp.jpgA secretária-geral da CGTP disse esta quinta-feira que “as opções que têm sido tomadas pelo Governo não garantem o emprego e os direitos dos trabalhadores”, alertando para o perigo dos vínculos precários em plena crise de Covid-19.

“Nesta altura em que o desemprego, a quebra de retribuições dos trabalhadores, o layoff é tão intenso e tão forte, e as opções que têm sido tomadas pelo Governo não garantem o emprego, os salários, a saúde e os direitos dos trabalhadores, é importante que haja ação e luta”, disse Isabel Camarinha, que recordou que “Trabalhadores com vínculos precários foram os primeiros a ser mandados embora pelas empresas que trabalham no Complexo [Industrial de Sines] e que asseguram um conjunto de trabalhos, tarefas que são de postos de trabalho permanente” e, ainda, que “há o vírus da Covid e há o vírus do ataque aos direitos aos trabalhadores, da exploração que está a aumentar ainda mais nesta situação”.

Catarina.jpg

jerónimo.jpgA marcha pelo emprego, convocada pelo SITE-Sul, contra a precariedade e para exigir a reintegração dos trabalhadores nos postos de trabalho e um vínculo efetivo nas empresas do Complexo Industrial de Sines, realizou-se em Sines e contou com a presenças dos líderes do BE, Catarina Martins, que se manifestou contra a "normalização" do lay-off e advertiu para efeitos nos salários e do PCP, Jerónimo de Sousa, que alertou para "a situação dramática" em que vivem muitos trabalhadores do complexo industrial de Sines que devido aos vínculos precários perderam o emprego.

Semana da Igualdade com atividades no distrito de Beja

Zé LG, 01.03.20

202002271748086819.jpgA CGTP realiza de 2 a 6 de março várias iniciativas, por todo o país, no âmbito da Semana da Igualdade, que coincide com as comemorações do Dia Internacional da Mulher. No distrito de Beja estão, igualmente, várias atividades programadas, abrindo com a realização, na segunda-feira, dia 2 de março, no auditório da USDB, de um Plenário de Trabalhadoras das IPSS, focando atenções nos temas: assédio no trabalho e doenças profissionais das mulheres trabalhadoras.

Isabel Camarinha, a nova (e primeira) Secretária-Geral da CGTP-IN

Zé LG, 15.02.20

IMG_7610.JPGSaímos deste Congresso fortalecidos, com grande e genuína abertura para dinamizar a unidade na acção, com todos os que trabalham no nosso país, sejam eles de que nacionalidade forem, tenham que credo religioso tenham e mesmo com os que nenhum têm, votem em que Partido votarem, porque aquilo que nos une é a nossa condição de explorados é o facto de sermos trabalhadores.
Estamos a chegar ao fim do nosso Congresso, vamos partir para novas lutas, com a confiança nos trabalhadores, com o exemplo e o estímulo da acção dos que nos antecederam e daqueles que asseguram hoje este grande projecto sindical e que daqui saúdo.
Leia todo o seu discurso de encerramento do XVI Congresso da CGTP-IN , aqui.

Greve geral da função pública marcada para 6ª feira

Zé LG, 29.01.20

As estruturas sindicais, da CGTP-IN e da UGT reclamam aumentos salariais além dos 0,3% inscritos no Orçamento de Estado para 2020.

202001272155135366.jpgPara além da greve a Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública marcou, para o mesmo dia uma manifestação, em Lisboa, agendada para as 14.30 horas, no Marquês de Pombal, seguindo a pé em direcção à Assembleia da República.

Urgências do Hospital Litoral Alentejano sem médicos de clínica geral

Zé LG, 06.01.20

720015.pngAs urgências do Hospital Litoral Alentejano (HLA), em Santiago do Cacém, estiveram sem ninguém na escala entre as 20h de sábado e as 8h de ontem. A denúncia foi feita pelo Sindicato Independente dos Médicos, que explicou que o serviço está a ser assegurado por médicos especialistas e não por médicos de clínica geral como seria suposto.

Estas urgências servem as populações de Santiago do Cacém, Alcácer do Sal, Odemira, Grândola e Sines, o que representa um universo de quase 100 mil pessoas.

Jorge Roque da Cunha, secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos fez um apelo à ministra da Saúde, Marta Temido, para que esta “resolva o problema e não diga que está tudo bem”. 

A água não pode ser um “negócio”, defende Arménio Carlos

Zé LG, 27.11.19

201911261041444675.jpgA União de Sindicatos do Distrito de Beja realizou, ontem, na capital de distrito, uma tribuna pública em defesa da água pública e da gestão pública da água.
Arménio Carlos afirmou que numa altura em que o Governo pretende avançar com a “privatização” da água é fundamental a aliança, entre trabalhadores do sector, população e forças políticas. O secretário-geral da CGTP reafirmou a ideia que a água é um bem público e que pode haver negócios para tudo menos para este bem precioso à vida.

STAL e Câmara de Beja assinaram novo ACEP

Zé LG, 22.11.19

O processo arrastou-se algum tempo e teve algumas formas de luta pelo meio mas finalmente chegou-se a um acordo e, a partir de Janeiro de 2020 são repostos os três dias de férias aos trabalhadores da Câmara Municipal de Beja que tinham sido retirados no tempo do Governo do PSD/CDS-PP.

Vasco Santana, do STAL em Beja, afirma que aquilo que aconteceu agora foi a renegociação do ACEP existente há já algum tempo.

75588102_807961429636102_9156319801998573568_n.jpgO Acordo seguirá agora a tramitação legal até à sua publicação que se espera possa ocorrer até final do primeiro trimestre de 2020.

STIM diz que sector mineiro foi “esquecido” pelos candidatos pelo círculo de Beja à AR

Zé LG, 03.10.19

Mina-768x576.jpgLuís Cavaco, coordenador do STIM- Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira, acusa os candidatos de “falarem da agricultura e de outros setores e de esquecerem o setor mineiro”.

Em seu entender, “devia existir uma maior preocupação”, uma vez que na região existem duas minas “que são das empresas mais empregadoras do distrito”.

O coordenador do STIM diz ainda que “há quatro anos, todos os deputados com assento parlamentar opinaram sobre este setor, mas que nestas Legislativas pouco ou nada se tem falado”.

Trabalhadores da administração pública manifestam-se, esta tarde, em Lisboa

Zé LG, 10.05.19

Manifestao.jpgO protesto, convocado pela Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública, está marcado para as 14.30 horas, no Marquês de Pombal, os manifestantes seguem depois a pé em direcção à Residência Oficial do 1º Ministro, António Costa.

Os aumentos salariais e as progressões nas carreiras são dois dos motivos que levam ao protesto. As expectativas dos trabalhadores em relação a este Governo saíram goradas porque, em final de mandato, continua a faltar a reposição de vários direitos que tinham sido retirados.