Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Impõe-se divulgar melhor e agilizar o serviço de recolha de “monstros”

Zé LG, 22.08.20

202005142138468075.jpgA Câmara Municipal de Beja procedeu à substituição dos contentores existentes no Penedo Gordo por molokes, o que representa um avanço em termos ambientais. Entretanto, atendendo à dificuldade de proceder à sua rápida recolha,  mobiliário e equipamentos velhos ("monstros") continuam a ser depositados junto dos molokes. Como a recolha dos resíduos destes é muito mais espaçada do que a dos contentores mantêm-se aqueles “monstros” junto dos molokes durante vários dias, o que é, no mínimo, inestético.

IMG_4973.JPGSugere-se que seja mais divulgado e agilizado o serviço de recolha de “monstros”, como forma de ultrapassar esta má consequência de uma boa medida.

Isto começa a aquecer: “PSD denuncia “teia de relações partidárias” socialistas no Alentejo”

Zé LG, 19.08.20

1371459 rio.jpgO PSD denunciou uma "teia de relações partidárias que se estabelece com a Administração Regional de Saúde e o Centro Distrital da Segurança Social" e exige o apuramento de "responsabilidades políticas municipais e distritais" na morte dos 18 idosos num lar de Reguengos de Monsaraz "por alegada falta de cuidados médicos adequados".

"A ocupação generalizada das estruturas da administração local e regional por parte do Partido Socialista é uma prática que atinge no Alentejo uma dimensão insuportável", sublinha, acrescentando que também o facto de a presidência da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão da Silva coincidir com a presidência da Câmara Municipal de Reguengos revela "a promiscuidade política que domina as relações institucionais naquele município do Alentejo".

Pescadores de Lagostins do Baixo Alentejo vão reunir com ICNF

Zé LG, 18.08.20

9938_big.jpgOs pescadores de lagostins do Baixo Alentejo desmarcaram a manifestação que estava prevista realizar-se na A2, Auto Estrada do Sul.

João Cortez da Associação Importante Oásis referiu à Planície que “ relativamente à manifestação deste sábado passado, não se realizou, visto que o ICNF nos contactou para reunirmos com eles. Vamos tentar chegar a um consenso sobre a alteração da Lei que nunca deveria ter sido alterada.”

Recordamos que a alteração da Lei delimita as zonas onde se pode realizar a pesca. O exercício de pesca profissional fora dos locais delimitados para a prática desta actividade é punido com Coima. Por mais estranho que pareça a maioria das albufeiras onde é permitido pescar, não têm lagostins. Por outro lado, esta é uma pesca sazonal, cuja época está a terminar.

Afinal o que é um centro de saúde e para que serve?

Zé LG, 16.08.20

transferir.jpg“Pois é. A saga anti-saúde não pára. De forma alguma!!!
Os centros de saúde são locais de consultas sobretudo de prevenção e muito pouco mais; os ditos cuidados primários. E logo estão apenas equipados para o efeito, e sobretudo com os técnicos para o efeito.
Ou seja, sempre se soube que as situações sobretudo "curativas", aí não há meios, pelo em que muito pouco ou nada se pode fazer. Pois competem à rede hospitalar.
Mas, não. As pessoas aqui referidas e muitas da minha região não descortinam o que é um centro de saúde, as suas competências e sobretudo os seus limites.
Não. E não há nada a fazer.
Ou será a política no seu mau sentido, já aqui metida...”
Anónimo 14.08.2020, aqui.

Embora não me parecendo correcto nem esclarecedor, destaco aqui este comentário, porque sendo pertinente a questão que levanta, espero que seja bem esclarecida, de forma a evitar que nos desloquemos ao centro de saúde quando nos devemos dirigir ao hospital.

Terei de apanhar a COVID-19 para ser atentido?

Zé LG, 14.08.20

transferir.jpgHá cerca de um mês que tenho os ouvidois entupidos. Esperei que passasse e, como não passou, tentei uma consulta no Centro de Saúde. Na semana passada, depois de ter tentado consulta de recurso e não ter conseguido - estão sempre esgotadas -, comprei na farmácia um spray na esperança de conseguir fazer o que não consigo no SNS. Como não resultou, voltei a tentar, sem êxito, marcar uma consulta. Estão sempre esgotadas. Tentei pelo telefone - só consegui ligação uma vez, nas outras chama, chama até cair - disseram-me para ir às consultas de recurso... Enviei um e-mail a pedir consulta de recurso, da médica de família ou outra qualquer e ainda não recebi resposta... Há pouco, voltei lá e mais uma vez disseram-me que estavam esgotadas. Perguntei se podia marcar para a tarde ou para outra altura qualquer, responderam-me que não, que voltasse antes dos serviços abrirem... Perguntei pela minha médica de família, está de férias... Perguntei pela enfermeira, está de baixa desde Fevereiro...

O QUE É ISTO? O que preciso de fazer mais para me desentupirem os ouvidos?!... Não vale mandarem-me para os privados. Tenho direito a ser atentido no SNS. Terei de apanhar a COVID-19 para ser atentido?!... O que seu é que se não for atendido rapidamente no Centro de Saúde, terei de ser na urgência da Psoiquiatria...

Câmara de Serpa e DRCA assinam protocolo para salvaguarda do património arqueológico

Zé LG, 13.08.20

serpa-arqueologia-768x432.jpgO protocolo pretende “garantir uma melhor articulação e cooperação entre as entidades com competências na matéria, através de uma ação preventiva mais eficaz para evitar danos sobre o património arqueológico que possam decorrer das práticas agrícolas em modo intensivo, e simultaneamente, potenciar uma ação pedagógica junto das populações”.

A autarquia passará, assim, a enviar à DRCA todas as informações emitidas de pedidos de enquadramento em Plano Diretor Municipal em matéria de arqueologia no âmbito de processos agrícolas, “de modo a possibilitar um acompanhamento e fiscalização de maior proximidade e rigor”.

O que se passa nos Centros de Saúde de Beja?

Zé LG, 11.08.20

«Nunca pensei de ter que esperar à porta do Centro de Saúde de Beja (junto ao Hospital), na rua, para pedir receitas. Também me espantou o facto de haverem doentes cá fora à espera de ordem para entrarem a fim de serem atendidos ao balcão. Alguns queixando-se com dores. A surpresa maior foi ao ver que quem fazia o primeiro contato com os doentes era o segurança de serviço e fazia também a ligação entre quem estava cá fora e quem estava no atendimento administrativo, dizia que na sala de espera do atendimento não poderiam estar mais de oito pessoas. Ora essa, e não havia um enfermeiro para receber os doentes? E se algum doente precisasse de assistência urgente e surgisse alguma tragédia, de quem era a culpa? Do segurança? Do próprio doente?

Precisar de ajuda do Centro de Saúde e ter que esperar ao sol, de pé e sem condições é inadmissível e os responsáveis devem ser chamados a contas por quem de direito.

Depois se acontecer algum acto menos digno não se queixem das consequências.»

Antonio Casaca

«Hoje foi um dia para esquecer, passado no Centro de Saúde de Beja, desloquei-me ao mesmo com a minha esposa, na esperança do poder mostrar exames à minha médica de família, a qual gentilmente vou esconder o nome, cheguei ao CSB pelas 7, 45 quando tinha a informação que a mesma, (MF) estaria presente pelas 9 h, esperei até perto das 12 h, sem notícias da mesma, mas sabendo que estava no CSB, com notificação que estavam utentes para falar com ela, pois...nada ! agora vai de férias e os utentes que se virem ou paguem para ir a particular. Senti-mos revolta, vontade de dizer algumas coisas que no nosso perfeito juízo, não dizemos e nestes casos os utentes são quase sempre mal educados quando, o seu direito à saúde é defraudado, o Covid 19 não pode ser desculpa para tudo!! Tenho que louvar o médico que estava em consulta de recurso, já pelas 15,40, foi excecional!! basta seguir o dia e hora , para saber quem foi, o meu muito obrigado!! O nosso dia atribulado, terminou pelas 18,15 h.»

Carlos Santos

“Coitos, São Matias e Selmes não têm direito a transporte público”?

Zé LG, 02.06.20

«Os Coitos, São Matias e Selmes não têm direito a transporte público. Nem um autocarro de manhã e outro à tarde para ir trabalhar ou visitar doentes. Não pagam impostos como os outros? Que dizem os presidentes de junta? Continuamos a telefonar para vir o táxi? mais uma despesa? é o que temos? ze toi»
Anónimo 01.06.2020, aqui.

Câmara de Beja reforça oferta de transporte público

Zé LG, 01.06.20

beja.jpgNos próximos meses os horários poderão sofrer alterações mês a mês e como tal serão monitorizados a procura e o número de passageiros de cada carreira ao longo do mês de junho.

Assim a partir do dia 1 de junho, aos horários em vigor desde 18 de maio, irão acrescentar-se, até 30 de junho pelo menos, os seguintes:
✔ Mombeja - Beringel - Trigaches - São Brissos - Beja (Saida de Mombeja às 7.15; Regresso com partida de Beja às 18.20);
✔ Quintos - Quinta do Estácio - Monte Padrão - Vila Azedo - Beja (Saída de Quintos às 7.40; Regresso com partida de Beja às 18.35);
✔ Beja - Cabeça Gorda- Salvada (Saída de Beja às 13.25; vinda para Beja com partida da Salvada às 14.25);
✔ Castro Verde - Entradas - Albernoa - Trindade - Boavista - Beja (Saída de Castro às 14:30; Regresso com saída de Beja às 19.10);
✔ Serpa - Baleizão - Quinta de Santo António - Neves - Beja (Saídas de Serpa às 8:00 e às 19.15; Regressos com partidas de Beja às 12.30 e às 18.30);

Desta forma são adicionadas a partir de hoje mais 12 carreiras, com origem ou destino "Beja", às existentes.

Viva o 1º de Maio! Sem trabalhadores nada funciona!

Zé LG, 01.05.20

1maio-banner.jpgO 1º de Maio é uma data de afirmação de valores, força e solidariedade de trabalhadores unidos. É uma data que nasceu com a luta de trabalhadores contra a exploração, pelos direitos laborais e sociais, pela dignidade e justiça social.
Hoje, vivemos um momento complexo em que a prioridade é salvaguardar vidas e a saúde de todos. O Serviço Nacional de Saúde está sob grande pressão – a dedicação e empenho dos profissionais de saúde têm sido notáveis – mas também importantes são os trabalhadores que asseguram o funcionamento de outros serviços públicos e sociais, bem como aqueles que produzem bens e serviços essenciais.
E num momento em que muitos trabalhadores e suas famílias passam por dificuldades - e os seus direitos são atacados - desde o emprego, aos salários - a CGTP afirma que os trabalhadores não estão sozinhos.

Centro de Saúde de Ourique com financiamento aprovado

Zé LG, 27.04.20

2008.03.17.pt.ourique11.jpgA CCDR do Alentejo aprovou a candidatura da ULSBA para a construção do novo Centro de Saúde de Ourique, no valor total de cerca de 1 milhão e 865 euros a que corresponde um apoio do FEDER de cerca de 1 milhão e 585euros (85%).

A Câmara de Ourique, para além de ter colaborado na elaboração da candidatura, disponibilizou o terreno onde vai ser implantado o novo equipamento que ficará ao dispor da população, com localização junto aos Bombeiros Voluntários de Ourique.

A Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo será responsável pela execução do projeto, seguindo-se, agora, a tramitação administrativa, nomeadamente, o lançamento do concurso público.

Será que vamos continuar a valorizar o essencial, depois da COVID-19?

Zé LG, 23.04.20

Tornou-se evidente para todos que "temos" andado equivocados relativamente ao que verdadeiramente interessa. De repente, foram as profissões menos valorizadas (quem produz ou presta serviços do que precisamos para sobreviver) ou que têm vindo a ser progressivamente desvalorizadas (Saúde, Educação, Forças de Segurança, Segurança Social, etc.) a que passámos a reconhecer o seu real valor. A alguns até "passámos" a promover a heróis, como se não fizessem o que sempre fizeram, naturalmente que agora com muito maior pressão.

17042020filipeamorim2983.jpgFotofrafia daqui.

Será que, depois "disto" passar ou, pelo menos, ser controlado, os senhores do poder vão reconhecer na prática a sua importância para as nossas vidas e passar a tratá-los como merecem, não como heróis quando dá jeito, mas como profissionais essenciais à nossa vida e ao nosso bem estar, com a devida tradução em termos remuneratórios, de riscos, etc.

Importa não esquecer que atrás desta crise provocada por esta pandemia outras virão e, eventualmente, com maior gravidade. Receio que não sejemos capazes de tirar desta crise ao devidas ilaações e daqui a algum tempo tudo volte à velha normalidade. Até à próxima...

PCP contra encerramento das extensões de saúde diz que “as outras doenças, crónicas, agudas e urgentes, não estão de quarentena”

Zé LG, 14.04.20

201812241225153249.pngO grupo parlamentar do PCP questionou a ministra da Saúde sobre o encerramento, por tempo indeterminado, de grande parte das extensões de saúde do distrito de Beja e o cancelamento de consultas. Segundo o PCP a justificação, por parte da ULSBA, é que  são medidas inseridas nos planos de contingência Covid 19.

João Dias, deputado do PCP eleito por Beja, afirma que as outras doenças, crónicas, agudas e urgentes, não estão de quarentena, sendo elevado o número de pessoas, maioritariamente idosas, que continuam a precisar de vigilância médica e de enfermagem o que evidentemente vai muito para além do receituário, que ficam assim sem atendimento com esta decisão de encerramento das extensões e de cancelamento de consultas. Para o deputado comunista é preciso não esquecer que o acesso à saúde é um bem essencial.

Para o PCP “no momento atual do combate ao surto epidémico, ainda é mais necessário garantir o funcionamento adequado das extensões de saúde (…) com a adoção de medidas sanitárias, de prevenção e de proteção do contágio (…)”.

O deputado refere ainda que é importante que o Governo aprenda que “o SNS público é essencial para a população”, sendo que a saúde não pode ser “algo de compra e venda”.

Centro de Saúde de Beja realiza testes à covid-19

Zé LG, 02.04.20

200120171647-48-CentrodeSadedeBeja.jpgA Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) revela que tem a funcionar, desde a passada terça-feira, uma Área Dedicada ao COVID-19, designada ADC-Comunidade. Desde ontem, no mesmo espaço, localizado no parque de estacionamento dos funcionários do Centro de Saúde de Beja, junto à Segurança Social, realizam-se testes ao novo coronavírus.

A realização do teste à Covid-19 destina-se aos utentes com suspeita de infeção pelo novo coronavírus, encaminhados pela Linha Saúde 24 ou enviados pelos Centros de Saúde da área da ULSBA.

As colheitas são realizadas mediante agendamento telefónico prévio, das 9.00 às 13.00 horas, sete dias por semana e “o transporte para o local é realizado, preferencialmente, em veículo próprio”.

Os utentes referenciados pela Linha SNS 24 para fazer teste devem solicitar o agendamento da colheita por telefone, através do número 284 313 420 ou por e-mail: testecovid19@ulsba.min-saude.pt. Daqui e daqui.

Centro de Saúde (UCSP) de Beja criou mail para esclarecer dúvidas dos utentes

Zé LG, 22.03.20

A Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados de Beja (que na prática é o Centro de Saúde junto à Segurança Social e todas as extensões de saúde do concelho de Beja nas freguesias, exceto Baleizão), criou um mail para que os utentes, com médico de família nesse Centro, possam esclarecer algumas dúvidas que tenham.
Destina-se de forma mais direta, mas não exclusiva, a grupos de risco (diabéticos, hipertensos, pessoas com doenças oncológicas ou autoimunes, pessoas com 70 anos ou mais, etc.)
Indicar no mail, antes de colocar a(s) questão:
✅ Nome do utente;
✅ Número de utente do SNS;
✅ Nome do/a médico/a de família;
Enviar questões para:  ucsp.beja.covid@ulsba.min-saude.pt
E aguardar resposta.
Este meio, criado pelos médicos da unidade, não substitui a linha "Saúde 24" mas é mais um precioso meio de ajuda nesta altura de incerteza generalizada.

Casos de coronavírus detectados no Baixo-Alentejo vão para Lisboa

Zé LG, 12.03.20

imgLoader2.ashx.jpegSempre que surja, no Baixo Alentejo, um caso suspeito de infeção pelo novo coronavírus o doente será transportado para um hospital de Lisboa. Será assim durante esta fase de contenção da doença.

Todas as unidades e agrupamentos de saúde “estão a dar cumprimento” às orientações da Direção-Geral de Saúde (DGS) no sentido de “preparar e reforçar a prontidão dos profissionais e dos serviços” para dar resposta ao alastramento da doença. São essas orientações que determinam o reencaminhamento dos doentes para um dos hospitais de referência em Lisboa. Uma vez validada a suspeição de infeção pelo Covid-19, o doente “mantém-se em isolamento” na unidade de saúde onde for assistido, “enquanto aguarda o transporte para um dos hospitais de referência que, à data, para o sul do País, são em Lisboa”. Segundo a ARSA, o plano de contingência “é evolutivo e adaptável às necessidades, definidas pela taxa de ataque e número de doentes a necessitar de internamento”.

OMS declara COVID-19 pandemia por causa do novo coronavírus

Zé LG, 11.03.20

dg.jpgO diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom, declarou esta quarta-feira o novo coronavírus (COVID-19) uma pandemia.

O número de pessoas infetadas desde dezembro pelo novo coronavírus em todo o mundo aumentou para 118.554, das quais morreram 4.281, segundo um balanço feito pela agência noticiosa France-Presse (AFP), com dados atualizados às 09:00 de hoje.

Citando fontes oficiais, a AFP refere que, no total, foram registadas em 110 países e territórios 1.214 contaminações e 30 novas mortes desde o último balanço, às 17:00 de terça-feira.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.200 mortos.

Portugal regista 59 casos confirmados de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS), que comunicou que em Portugal se atingiu um total de 375 casos suspeitos desde o início da epidemia, 83 dos quais ainda a aguardar resultados laboratoriais. Há ainda 667 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

Mulher em isolamento no Centro de Saúde de Moura por suspeita de ter sido infectada com o Coronavírus

Zé LG, 11.03.20

i032210.jpg

Uma mulher, que foi a um funeral a França e regressou há poucos dias a Portugal, encontra-se em isolamento, no Centro de Saúde de Moura, por suspeita ter sido infectada com o novo vírus Covid-19, aonde se dirigiu de livre vontade, após começar a ter sintomas, semelhantes a uma gripe sazonal.

A unidade de saúde tem tentado entrar em contacto com a Linha de Saúde 24, no entanto não tem conseguido obter informação.

Odemira exige ao Governo melhores cuidados de saúde

Zé LG, 03.03.20

260620161930-870-mdico.jpgA Assembleia Municipal de Odemira deliberou, por maioria, aprovar a moção apresentada pelo Bloco de Esquerda, que refere que “há utentes a dormir à porta destas extensões de saúde para conseguirem uma simples consulta de recurso”, sendo “gritante o número de utentes sem acesso a um médico de família e visível a contínua falta de investimento em meios humanos e infraestruturas na área da saúde – nomeadamente, em Sabóia e em Vila Nova de Milfontes (…)” e “exigir ao Governo que sejam tomadas medidas imediatas de forma a suprir as carências em matéria de saúde dos habitantes do Concelho de Odemira”. Leia e oiça também aqui.