Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

ULSBA quer articulação com instituições para ter melhores cuidados de saúde até 2030

Zé LG, 20.06.24

Jose-Carlos-Queimado.jpgO Plano Local de Saúde do Baixo Alentejo (PLSBA) de 2018 está em fase de revisão e ficará concluído até final deste ano. O novo documento vai apontar as prioridades e as estratégias para a melhoria dos cuidados de saúde até 2030, tendo a equipa responsável pela revisão do documento reunido, ontem, em Beja, com as entidades regionais para a dar a conhecer a cronologia e a metodologia de trabalho. O documento acompanha o Plano Nacional de Saúde na sua duração e nos métodos de identificação dos problemas, seleção das prioridades e estratégias. José Carlos Queimado, presidente da ULSBA, defende a articulação com todas as instituições pois só dessa forma será possível otimizar recursos para ter melhores cuidados de saúde até 2030. Ouvir aqui e aqui.

Nem tudo está mal no SNS

Zé LG, 16.06.24

Sem nome (76).png“No que respeita a indicadores de qualidade dos cuidados de saúde primários (CSP), numa ótica de comparação internacional, constatou-se que, em todos os indicadores, Portugal revelou um desempenho acima da média da OCDE”, refere a avaliação do desempenho das Unidades de Saúde Familiares (USF) e das Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) entre 2019 e 2022, acrescentando que, no final de 2022, 87% dos utentes inscritos em USF e UCSP tinham médico de família atribuído, com as USF a apresentar uma percentagem da população com acesso a esses especialistas de medicina geral e familiar “marcadamente superior às UCSP”, e que um total de 6.056 médicos e 6.517 enfermeiros trabalhavam nos CSP em Portugal continental.

Gonçalo Valente “chama a atenção” para prioridades na área da saúde em Beja

Zé LG, 14.06.24

202401271937398836.PNGO deputado do PSD eleito por Beja reuniu-se com a Secretária de Estado da Gestão da Saúde, para “discutir processos em andamento no nosso distrito, apresentar as nossas prioridades e chamar a atenção para a estrita necessidade de concretizar”, designadamente “a segunda fase do Hospital de Beja e o estudo técnico que está a ser alvo” e “o Hospital de São Paulo em Serpa, bem como algumas valências da misericórdia local, que podem ser majoradas e exploradas para melhor servirem a sua população.” Gonçalo Valente garante que deixou “bem presente” que o distrito de Beja precisa “descriminação positiva”, tendo saído “entusiasmado e satisfeito com o resultado geral da reunião.”

“procurar novas e inovadoras soluções para o problema da saúde”

Zé LG, 07.06.24

Ilustra-Publico_privado-696x487 (1).jpg«... Os tempos em que o SNS e em particular os hospitais públicos eram autênticos potentados onde se resolviam todos os problemas aos doentes, já é passado que não volta mais. Embora não queira dizer que não os haja e que continuem a ser uma referência incontornável.
Não conseguem é já dar resposta em tempo útil a todas as situações com que se deparam, e como consequência a sua qualidade baixou. Isto, devido à demografia do país em curso, ou seja, cada vez somos mais idosos e logo mais doentes.
Pelo que haveria que procurar novas e inovadoras soluções para o problema da saúde neste país.
Não vejo, é que haja grande vontade política para o fazer. O que aliás não é exclusivo da saúde, e até me parece que comum e até pacífico em muitas outras áreas. ...» Anónimo, 06.06.2024, aqui.

“Porque isso iria implicar que todos estaríamos a dar dinheiro aos capitalistas”

Zé LG, 05.06.24

Ilustra-Publico_privado-696x487 (1).jpg«Claro que todas as pessoas, sejam de que partido ou de que ideologia forem, têm o direito de recorrerem a hospitais privados e inscreverem os seus filhos nas escolas privadas que quiserem, ... desde que tenham dinheiro para tal.
O problema, é que alguma malta de esquerda, não defende e nem sequer permite, que se fale ou equacione que o Estado Português possa apoiar e assim permitir que as pessoas que não têm recursos, também possam recorrer aos mesmos hospitais privados e os seus filhos se inscreverem nas mesmas ditas escolas privadas em que eles o fazem.
Porque isso iria implicar que todos nós estaríamos a dar dinheiro aos capitalistas nacionais e estranjeiros, no caso da saúde em particular ao Estado Chinês, em vez de o investirmos no SNS e na Escola Pública.» Anónimo 28.05.2024, aqui.

Alentejo é a região do país com maior prevalência de insuficiência cardíaca

Zé LG, 14.05.24

electrocardiograma.jpgUm estudo de prevalência de insuficiência cardíaca em Portugal revela “uma grande disparidade” entre regiões, com o Alentejo (29,2%) e Lisboa e Vale do Tejo (18,84%) a apresentarem valores muito superiores à média nacional.
Para Cristina Gavina, cardiologista e investigadora principal do estudo observacional Porthos, estes dados mostram que se está perante “um problema de saúde pública com uma dimensão muito considerável", defendendo, por isso, ser “imperativo fazer uma reflexão sobre estes resultados e desenhar políticas de saúde que permitam responder a este problema”. Ler mais aqui e aqui.

Regulador diz que urgência do hospital de Serpa tem de funcionar 24 horas/dia

Zé LG, 11.05.24

Sem nome (61).png

A Entidade Reguladora da Saúde (ERS) instruiu a gestora do hospital de Serpa para assegurar o funcionamento 24 horas por dia do serviço de urgência, após a morte de um utente que ficou sem assistência, referindo que a SCMS deve “garantir, em permanência, o cumprimento integral do acordo” celebrado com as entidades de saúde, no âmbito do qual o hospital integra o Serviço Nacional de Saúde (SNS), ou seja, a gestora do hospital tem que assegurar o “funcionamento do serviço de urgência avançado no horário previsto” no acordo e o “acesso universal dos utentes do SNS aos cuidados de saúde de que carecem”.

Ministra (des)conhece as competências dos serviços do Ministério da Saúde?

Zé LG, 07.05.24

441541495_7475582055828836_6963069706921715331_n.jpg

O «Plano de Verão» que a ministra da Saúde pediu a Fernando Araújo é, afinal, da competência da DGS — que já o fez — e do Ministério. E Ana Paula Martins, além de ser ministra, até foi presidente do Centro Hospitalar de Lisboa Norte.
Recorde-se que a ministra da Saúde afirmou que o ex-CEO do SNS se recusou a elaborar o Plano de Contingência de Verão para o Serviço Nacional de Saúde, e mostrou-se muito surpreendida pelo facto de o documento ainda não existir. Porém, segundo um despacho de 2023, não compete à Direção-Executiva do SNS elaborar o plano. A Direção-Geral da Saúde já publicou o referencial orientador no dia 30 de Abril e agora as unidades de saúde têm um mês para se pronunciarem. Daqui.

“A Dra Voz” inventou aplicação informática que deteta vírus através da voz

Zé LG, 13.04.24

Sem nome (52).pngClara Capucho, otorrinolaringologista especializada na voz artística, inventou uma aplicação informática que com a Inteligência Artificial deteta vírus através da voz e identifica erros de colocação, podendo prescrever, com precisão, os exercícios que devem ser realizados se as patologias se manifestarem. Os americanos já queriam levar a invenção, mas a médica vai entregá-la ao Serviço Nacional de Saúde.
No dia 16, a também professora da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa, conhecida pela “A Dra Voz” , organiza com o município de Évora e, com o apoio da Fundação GDA , as comemorações do Dia Mundial da Voz no Teatro Garcia de Resende. Leia aqui todo o artigo.

ULSBA com 16 vagas para novos médicos e volta a ter otorrinolaringologia

Zé LG, 05.04.24

médicos.pngO Ministério da Saúde abriu 322 vagas com incentivos para a atração e fixação de mais médicos nas zonas consideradas como carenciadas. Na Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) foram abertas 16 vagas. Estas são referentes às especialidades de Anestesiologia, Cardiologia, Cirurgia Geral, Ginecologia/Obstetrícia, Medicina Física e de Reabilitação, Medicina Interna, Ortopedia, Pediatria, Radiologia, Medicina Geral e Familiar e Saúde Pública.
Entretanto, cerca de dois anos depois, o Hospital Distrital de Beja volta a ter a especialidade de otorrinolaringologia, devolvendo “à população o acesso a cuidados de uma especialidade com muita demanda e que era uma carência que há muito importava suprir"