Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

"Não, Secretário João Galamba. Aljustrel não é um “bom exemplo” ambiental."

galamba.PNGNo programa Prós e Contras do dia 11 de Novembro de 2019, o Secretário de Estado Adjunto João Galamba referiu Aljustrel enquanto um "exemplo" no que concerne a “minas modernas”, referindo-se a um suposto bom desempenho ambiental que "vale a pena ver". Estas afirmações vão contra posições de diversas instituições, individualidades, investigações jornalísticas e movimentos ambientalistas. Vão também contra um largo consenso entre a população da vila mineira alentejana: a população quer a mina aberta, mas quer também que sejam tomadas medidas que salvaguardem o ambiente e a saúde.

O Movimento Aljustrel Pelo Ambiente repudia qualquer tratamento leviano dos problemas ambientais e de saúde de Aljustrel. ... Rejeitamos também que Aljustrel seja apresentado enquanto bom exemplo ambiental enquanto os problemas ambientais que se arrastam não forem devidamente estudados e resolvidos.

As palavras de João Galamba chocam de caras com a realidade. Um tema desta complexidade não se coaduna com declarações levianas na praça pública. Em vez de espalhar desinformação sobre temas complexos, pede-se aos responsáveis políticos que falem com conhecimento de causa e sustentação científica e técnica. Aproveitamos estas infelizes declarações do Secretário de Estado para reafirmar a necessidade de mais fiscalização e de mais medidas concretas para mitigar os efeitos da indústria na vila mineira.

Leia tudo aqui.

PCP questiona Governo sobre reativação do ramal ferroviário de Aljustrel

João-Dias10-768x512.jpgO Grupo Parlamentar do PCP quer saber se o Governo tem “conhecimento dos efeitos resultantes para a população, ambiente e infraestruturas rodoviárias no que respeita ao transporte de minério, com recurso a viaturas pesadas usado pela Almina”, se “reconhece que o transporte por via rodoviária compromete a saúde e segurança das populações, (…)”, “quais os custos acrescidos com a reparação de infraestruturas rodoviárias danificadas pela sobrecarga resultante do transporte de minério”, “que medidas pensa o Governo tomar para eliminar todos os efeitos prejudiciais resultantes do transporte de minério (…)”, se “reconhece que o Ramal Ferroviário de Aljustrel de apenas 8 km e 276 m é a melhor opção para o transporte de tão avultadas quantidades de minério” e se “está o Governo disponível para implementar um plano de reativação do Ramal Ferroviário de Aljustrel”.

João Dias, deputado do PCP disse que tem recebido muitas preocupações “relativamente ao transporte de minério” proveniente da Almina.

STIM diz que sector mineiro foi “esquecido” pelos candidatos pelo círculo de Beja à AR

Mina-768x576.jpgLuís Cavaco, coordenador do STIM- Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira, acusa os candidatos de “falarem da agricultura e de outros setores e de esquecerem o setor mineiro”.

Em seu entender, “devia existir uma maior preocupação”, uma vez que na região existem duas minas “que são das empresas mais empregadoras do distrito”.

O coordenador do STIM diz ainda que “há quatro anos, todos os deputados com assento parlamentar opinaram sobre este setor, mas que nestas Legislativas pouco ou nada se tem falado”.

Empresa mineira quer fazer prospecção no Alentejo

prosp-mineira-768x432.jpgA Matsa, S. A., requereu a atribuição de direitos de prospecção e pesquisa de depósitos minerais de cobre, chumbo, zinco, ouro, prata e metais associados, no Alentejo.
A empresa quer fazer prospecção numa zona denominada de “Ermidas”, localizada nos concelhos de Ferreira do Alentejo, Aljustrel, Santiago do Cacém, Grândola e Ourique.
O pedido está patente para consulta, dentro das horas de expediente, na Direcção de Serviços de Minas e Pedreiras da Direcção-Geral de Energia e Geologia.

FACECO solidária com pescadores que perderam embarcações no incêndio de Maio

67239257_369368550441520_7567279471250636800_n-768Metade do valor recolhido com a receita das entradas na FACECO - Feira das Actividades Culturais e Económicas do Concelho de Odemira vai reverter a favor dos pescadores da Azenha do Mar, que viram as suas embarcações atingidas pelo incêndio no passado dia 6 de Maio, no portinho de pesca daquela localidade. Das onze embarcações, duas foram totalmente consumidas pelas chamas e outras quatro sofreram danos de diferentes graus, sendo o prejuízo total calculado em cerca de 100 mil euros.

A Câmara de Odemira, entidade promotora da FACECO quis aliar-se à Campanha de Solidariedade que está a ser desenvolvida junto da comunidade e empresários locais, lançada no dia 31 de Maio, Dia Nacional do Pescador, (…), que “inclui um conjunto de iniciativas para angariação de fundos que reverterão para a aquisição e/ou reparação das embarcações afectadas (…)”, explica a autarquia.

PCP quer mais fiscalização na Almina – Minas de Aljustrel

201812241225153249.pngO Grupo Parlamentar do PCP voltou a questionar o Governo sobre o que se passa nas Minas de Aljustrel. Neste requerimento o PCP diz que a frequente ocorrência de acidentes é da maior gravidade e exige o esclarecimento cabal dos factos e o apuramento de todas as responsabilidades nos acidentes ocorridos nesta mina, da responsabilidade da Almina.

Nas minas de Aljustrel só nos últimos meses dois trabalhadores perderam a vida e esta semana aconteceu mais um acidente onde um trabalhador das lavarias foi vítima de uma descarga elétrica de 6 mil voltes, tendo ficado em estado grave. Trata-se de um trabalhador contratado através de uma empresa de subcontratação que opera nesta mina, refere o deputado do PCP, eleito por Beja, João Dias frisando que apesar dos vários requerimentos efetuados, o Governo continua sem responder.

Pedreira de Vila Viçosa vai poder ser apreciada numa plataforma de vidro suspensa

60e8fa0727e3e0f10753a638cfcf9553-754x394.jpg

Na Pedreira Monte D’El Rey, em Vila Viçosa, nasceu um circuito de turismo industrial dedicado às suas maiores riquezas locais: a paisagem e a extração de mármore. Por isso, será lançada nos próximos dias uma nova rota turística que pretende chamar mais pessoas à região e inclui uma experiência no mínimo original: visitas ao fundo da pedreira, através de uma plataforma de vidro suspensa por uma grua. Em breve, até vai poder jantar por ali.

Comentários recentes

  • Zobaida

    Regime comuno-socialista??? Isto não é um problema...

  • Anónimo

    E um post sobre a mãe de um aluno que agrediu uma ...

  • Anónimo

    Também lá andaste Janeca eu sei, desculpa não me l...

  • João Espinho

    A última vez que falei com ele foi, precisamente,...

  • Anónimo

    Sim amigo recordo com saudade.....O Velho "Sesimbr...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.