Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

PS anuncia cabeças de listas candidatas às autarquias de Vidigueira

Zé LG, 13.04.21

David-Soares-PS-Vidigueira-2021-p5lh594m75dp2itei4David Soares, atual secretário da Junta de Freguesia de Vidigueira do PS, vai ser o candidato socialista à Câmara de Vidigueira nas eleições Autárquicas deste ano.
Além de David Soares, o PS confirmou nos últimos dias a candidatura do historiador Norberto Fialho à Assembleia Municipal de Vidigueira.
Para as freguesias do concelho, o PS definiu como candidatos David Borges (Vidigueira), Alda Mijasé (Selmes), Diogo Conqueiro (Vila de Frades) e Manuel Matado (Pedrógão do Alentejo).

Câmara de Moura apagou lápide e substituiu-a por outra idêntica, mudando a data, apropriando-se do que outros fizeram

Zé LG, 10.04.21

3-cópia.jpg“Fico orgulhoso do trabalho realizado (nos Quartéis entre 1997 e 2014). E vejo na incapacidade atual em imaginar e em inovar o estado a que chegámos. Quando não se é capaz de fazer melhor que mudar lápides como forma de marcar terreno está (quase) tudo dito.”

Santiago Macias, ex-presidente da Câmara Municipal de Moura, aqui.

Morreu Jorge Coelho, ex-ministro do PS

Zé LG, 07.04.21

JC.pngJorge Coelho, ex-dirigente do PS e antigo ministro, faleceu hoje, na Figueira da Foz, de doença súbita.

Iniciou-se na política pela extrema-esquerda, filiando-se no PS em 1982, quando se ligou a Murteira Nabo, de quem foi chefe de gabinete no Governo do “Bloco Central” e em Macau.

Considerado o “homem da máquina” do PS, Jorge Coelho foi ministro Adjunto, da Administração Interna e de Estado, da Presidência e do Equipamento Social de António Guterres. Demitiu-se em 2001, quando ocupava a pasta do equipamento social, na sequência da queda da tragédia de Entre-os-Rios, um momento que ficou marcado pela frase: "A culpa não pode morrer solteira".

Em 2008 integrou a administração da Mota-Engil, tendo sido presidente da construtora até 2013. Voltou à construtora como Consultor do Conselho Consultivo Estratégico, em 2018, um cargo que ainda ocupava.

“Dois investimentos fundamentais vão arrancar” em Castro Verde, afirma António José Brito

Zé LG, 04.04.21

imgLoader2.ashx.jpgAntónio José Brito, presidente da Câmara Municipal de Castro Verde, fez o balanço do atual mandato, considerando-o um novo ciclo na gestão autárquica do concelho, “com mais ambição e um olhar moderno para a gestão municipal”. O autarca refere a importância da zona empresarial e a requalificação da escola secundária, “dois investimentos fundamentais que vão arrancar” em Castro Verde, como “caminhos decisivos para rejuvenescer o tecido social e, consequentemente, potenciar domínios como a educação, saúde, juventude, cultura e turismo”.

As “obras” mais emblemáticas deste seu mandato: A Estrada de Santa Bárbara, que dá acesso à Mina de Neves-Corvo. A requalificação da Rua Morais Sarmento. O grande investimento, de meio milhão de euros, no pavilhão desportivo. A construção do Centro de Artes e da Viola Campaniça e a requalificação de todos os parques infantis da vila. Ajudámos muito a paróquia, no processo de requalificação da Basílica Real e foram feitos investimentos significativos na melhoria da rede de águas.

Objetivos que poderão ficar por cumprir: A reabilitação urbana do Largo Vítor Prazeres/Rua António F. Colaço e a construção de um grande parque de estacionamento nessa zona. A criação da Zona Empresarial de Castro Verde e a requalificação da escola secundária.

Os principais desafios do próximo mandato: Uma requalificação, ainda mais ampla, da rede de águas de Castro Verde e das nossas estradas municipais. Concluir e alargar a requalificação urbana na zona antiga de Castro Verde e nas sedes de freguesia. Uma nova creche, moderna e ampla, em Castro Verde. Novas instalações para as extensões de São Marcos da Atabueira e Casével. Ampliar e melhorar muito as condições do serviço de urgência de Castro Verde. O Museu da Feira de Castro e o Centro Futuro.

PS candidata Manuel Janeiro à Câmara de Reguengos de Monsaraz

Zé LG, 31.03.21

Manuel Janeiro.pngManuel Janeiro é o candidato escolhido pela Comissão Política Concelhia do PS de Reguengos de Monsaraz, a que preside, para substituir José Calixto como cabeça de lista à Câmara Municipal daquele concelho. É natural da freguesia de Reguengos de Monsaraz, tendo vivido sempre no concelho, onde exerceu o cargo de vice-presidente da autarquia, entre 2009 e 2017.

Para a Concelhia de Reguengos de Monsaraz do Partido Socialista, Manuel Janeiro, “é um homem gerador de consensos, de caráter firme, mas acessível e que sempre privilegiou o trabalho de equipa nas várias funções que já desempenhou”.

PS candidata João Anéis à Câmara de Viana do Alentejo

Zé LG, 29.03.21

Screenshot_2021-03-29 PS candidata João Anéis àO empresário João Anéis, de 46 anos, foi o nome escolhido pelo PS para suceder, como cabeça de lista à Câmara Municipal de Viana do Alentejo, a Bernardino Bengalinha Pinto, que cumpre o terceiro e último mandato na presidência do município e não se pode recandidatar devido à lei de limitação de mandatos.

É a segunda candidatura até agora anunciada à Câmara de Viana do Alentejo, depois de António Costa da Silva pela coligação PSD/CDS-PP.

PS candidata José Calixto à Câmara de Évora

Zé LG, 28.03.21

119094063_3404153459646516_3066827239053927274_n.j

A Comissão Política Concelhia de Évora do PS escolheu José Calixto, actual presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsara, para cabeça de lista à Câmara Municipal de Évora. Decidiu ainda  escolher Jorge Gaspar, antigo reitor da Universidade de Évor, para encabeçar a lista à Assembleia Municipal. Mais iformação aqui.

PS candidata David Soares à Câmara de Vidigueira

Zé LG, 27.03.21

Vidigueira-Francisco-David-Soares_800x800.jpgFrancisco José David Soares, atual presidente da concelhia do PS de Vidigueira, é o candidato escolhido pela estrutura local para ser o candidato socialista à Câmara Municipal de Vidigueira.

Em 2017, Francisco David Soares, foi o candidato dos socialistas à Junta de Freguesia de Vidigueira, tendo sido derrotado por Carla Penas (CDU), sendo o secretário dessa autarquia.

Para além do cabeça de lista à Câmara, David Borges e Diogo Conqueiro, serão os candidatos, respetivamente, às Juntas de Freguesia de Vidigueira e Vila de Frades.

PS do Baixo Alentejo defende a criação de uma empresa de desenvolvimento do projeto industrial e logístico do Aeroporto de Beja

Zé LG, 27.03.21

021120161735-48-130120161727-74-Aeroporto0.jpgO PS Baixo Alentejo afirma que “o Aeroporto de Beja deve ser uma infraestrutura aeroportuária, que reforce a rede nacional de aeroportos, criando uma nova mais-valia para Portugal e para o Baixo Alentejo, a partir de uma solução de fins múltiplos de indústria aeronáutica, de plataforma logística e de tráfego de passageiros complementar a Faro e a Lisboa” e que “esta solução acrescenta valor inquestionável à região e reforça a capitalização humana e territorial.”

O PS acredita “na viabilidade e na potencialidade do Aeroporto de Beja para a promoção de uma estratégia de desenvolvimento integrado, … que ajude a criar novas indústrias transformadoras e de logística e, com bastante relevo, consiga unir outras infraestruturas, como o Porto de Sines e o Alqueva, na valorização comercial dos nossos produtos, bens e serviços”, defendendo, para o efeito, “a criação de uma empresa de desenvolvimento do projeto industrial e logístico, que viabilize a instalação de empresas, a dinamização económica e afirme uma estratégia sustentável para as próximas décadas e que reforce a posição da ANA na gestão e valorização da componente de passageiros.”

“Quatro projetos que farão a diferença no futuro da cidade e do concelho” de Beja, na opinião de Paulo Arsénio

Zé LG, 26.03.21

imgLoader2.ashx.jpgO presidente da Câmara de Beja, Paulo Arsénio, fez o balanço do atual mandato, recordando que a pandemia “condicionou muito o que seriam execuções normais das autarquias” e garantiu estar “em execução, em Beja, o maior volume de obra em simultâneo, desde o Programa Polis”.

O que se modificou no concelho de Beja, desde 2017

O início da reabilitação do mercado municipal e toda a transformação no centro histórico – através dos percursos acessíveis e do lançamento de empreitadas de reabilitação nesta zona -, para além da Zona de Acolhimento Empresarial Norte e da requalificação da piscina municipal, acabarão por marcar este mandato. Estes quatro projetos, que farão a diferença no futuro da cidade e do concelho,

Objetivos ambicionados para este mandato que ficam por cumprir

Não termos conseguido avançar com o projeto de musealização para o Centro de Artes e Arqueologia. Requalificação do parque de campismo.

Principais problemas com que o concelho de Beja se debate 

A falta de habitação social e um casco urbano muito envelhecido, em vastas zonas do centro histórico. As péssimas acessibilidades rodoviárias e ferroviárias a Beja.

Principais desafios para o quadriénio 2021/2025

Aproveitar os novos fundos comunitários. Fazer com que Beja se afirme, progressivamente, como polo de excelência de pequena e média indústria, ligada às oportunidades que Alqueva proporciona. Potenciar as oportunidades turísticas que Beja tem, continuando a recuperar o património edificado. Afirmar Beja como capital de uma futura região do Baixo Alentejo. Acompanhar de perto a execução do PNI 2030 no território, para que não sejamos ultrapassados na resolução do problema das acessibilidades.

“Será necessário continuar a pressionar a Administração Central para olhar de outra forma para as especificidades do interior”

Zé LG, 16.03.21

imgLoader2.ashx.jpgEm entrevista ao “DA", João Serranito Nunes, presidente da Câmara Municipal de Barrancos (que não se vai recandidatar) faz o balanço do atual mandato, realçando o combate à pandemia como a principal prioridade atual do executivo.

Objetivos, por si ambicionados para este mandato, que poderão ficar por cumprir:

A má qualidade das acessibilidades e a falta de apoios à fixação de pequenas e médias empresas, constrangimentos que temos vindo a reivindicar junto do Governo. A instalação de empresas, trabalho que tem sido extremamente prejudicado pela pandemia. Existem projetos em cima da mesa, um deles na área da saúde, que terão de esperar, até haver condições para novos desenvolvimentos. A grave situação de desemprego que encontrámos no início do mandato, seguida da pandemia, vieram alterar alguns dos objetivos do executivo.

Palácio da Justiça de Beja continua “na estaca zero”, apesar do governo ter tido “todo o tempo do mundo para resolver este assunto”

Zé LG, 11.03.21

21921116_ykoYf-690x450.jpegO presidente da Câmara de Beja relembrou o governo de “que nos termos do protocolado entre a Câmara Municipal de Beja e o Instituto de Gestão Financeira do Ministério da Justiça, se a construção do Palácio da Justiça não se iniciar até 30 de outubro de 2022, o terreno cedido reverterá de novo para o Município” e que “Será exatamente isso que faremos se estivermos na Câmara.”

Paulo Arsénio afirma ainda que “Se até 30 de outubro de 2022 a construção do equipamento não se iniciar, caberá ao governo em funções solucionar por meios próprios a questão do terreno para a edificação pretendida, e suportar os custos de adaptação do projeto já existente ou de elaboração de novo projeto”, recordando “que o terreno onde está prevista a construção do equipamento foi cedido pelo Município de Beja a título gratuito e que os custos com o projeto também ficaram a cargo do Município de Beja.”

Paulo Arsénio relembrou ainda ao governo “que desde que o segundo concurso ficou deserto em setembro de 2019 não houve qualquer novo desenvolvimento sobre o assunto pese as múltiplas instâncias da CM Beja”, pelo que “tem pouco mais de um ano e meio para iniciar a construção do Palácio da Justiça de Beja” e que “O tempo continua a correr.”

Autarcas do PS do Baixo Alentejo apresentaram as suas expectativas sobre o PRR a António Costa

Zé LG, 09.03.21

reunião-autarcas-PS-768x432.jpgOs autarcas do Baixo Alentejo eleitos pelo Partido Socialista participaram numa reunião com o secretário-geral do PS e primeiro-ministro, António Costa, no âmbito da preparação do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). A reunião contou com a participação do Secretário-geral adjunto, José Luís Carneiro, da Secretária Nacional para as Autarquias, Maria da Luz Rosinha e do Secretário Nacional para a Administração, Luís Patrão.

A Federação do PS do Baixo Alentejo e os autarcas socialistas exprimiram junto de António Costa a sua expectativa de que “o PRR seja uma oportunidade para a região e um instrumento ao serviço do reforço da coesão económica, social e territorial e que contribua, de forma decisiva, para a recuperação do atraso estrutural que o pais ainda apresenta, realidade que é, ainda, mais acentuada em territórios como o Baixo Alentejo, em áreas como a saúde, a educação, habitação e o acesso generalizado aos serviços públicos”.

João Serranito Nunes não se recandidata à Câmara de Barrancos

Zé LG, 09.03.21

202103081835587913.PNGJoão Serranito Nunes, eleito, em 2017, como independente na lista do PS, não está disponível para se recandidatar à presidência da Câmara Municipal de Barrancos nas autárquicas deste ano. Alegando, motivos pessoais, manifestou à concelhia de Barrancos do PS indisponibilidade para voltar a ser candidato, como confirmou Miguel Escoval, presidente da concelhia de Barrancos do PS, acrescentando que, neste momento, ainda não está definido o candidato do PS em Barrancos, a situação está a ser “estudada” com a Federação do Baixo Alentejo.

Gavino Paixão nomeado Adjunto do Presidente da Câmara de Beja

Zé LG, 02.03.21

202103021220329637.pngGavino Paixão assume, nesta 3ªfeira, as funções de Adjunto do Gabinete do Presidente da Câmara Municipal de Beja.

Gavino Paixão, jurista, foi deputado do Partido Socialista, eleito pelo círculo de Beja, antes disso foi vereador do PS na Câmara Municipal de Barrancos. Entre 2010 e 2019, Gavino Paixão esteve no Brasil, no regresso a Portugal fixou-se em São Matias, no concelho de Beja, onde reside atualmente.

Presidente do PS Baixo Alentejo debateu temática da água com a ministra da Agricultura

Zé LG, 23.02.21

202102212244306635.jpgO Presidente da Federação do Partido Socialista do Baixo Alentejo, Nelson Brito, reuniu-se, este fim-de-semana, com a ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, o presidente da Comissão Parlamentar de Agricultura e Mar, o deputado eleito pelo PS no Baixo Alentejo, Pedro do Carmo, para debater o calendário de obras do Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva (EFMA), a decorrer nos blocos de rega Póvoa/Amareleja/ Moura e Messejana, bem como da rede primária da Albufeira do Roxo/ Albufeira da Rocha" e, ainda, abordar "a viabilidade de projetos energéticos nas barragens do EFMA e solicitada a inscrição da barragem de Oeiras/Almodôvar nos próximos instrumentos financeiros comunitários.”

André Linhas Roxas (CDU) deverá ser o concorrente de Álvaro Azedo (PS) nas eleições para a Câmara de Moura

Zé LG, 22.02.21

11087_big.jpgO socialista Álvaro Azedo, actual presidente da Câmara Municipal de Moura, e André Linhas Roxas, vereador da CDU no município mourense, são dois possíveis candidatos a encabeçar as listas dos seus partidos à autarquia.

Álvaro Azedo poderá recandidatar-se pelo PS, com uma possível alteração no que se refere aos primeiros lugares da lista (vereadores).

Segundo a Rádio Planície, há mais dois partidos na corrida às autárquicas no concelho de Moura. O PSD, ao que tudo indica, pode concorrer em coligação com o CDS e o CHEGA irá apresentar candidatos à autarquia e a todas as freguesias do concelho.

PS defende “execução rigorosa e eficiente” do plano de vacinação contra a Covid-19

Zé LG, 18.02.21

Saude-vacina-1-p31b7kf1ft8npkc9f2s8ciofk3r7avzyzvhA Federação do Baixo Alentejo (FBA) do PS reuniu com os presidentes de concelhia, de câmara, das Mulheres Socialistas, da JS e deputados, com o objectivo de “analisar o plano nacional de vacinação e o seu impacto na região”, tendo igualmente contado com a participação a presidente do conselho de administração da ULSBA, Conceição Margalha.

“Foi igualmente dada informação sobre a vacinação de pessoas com mais de 80 anos e portadores de patologias coronárias, respiratórias, renais ou cardíacas, que irá avançar descentralizadamente, ainda esta semana, nos concelhos onde se regista maior incidência de Covid-19”.

O PS do Baixo Alentejo garante estar “empenhado na execução rigorosa e eficiente do plano de vacinação, centrado nas necessidades identificadas, nas prioridades e no contexto de uma população vulnerável, quer pela idade e doenças crónicas, quer pelas características de isolamento de parte do território”, garantindo que, através dos “seus autarcas e responsáveis políticos”, assume “um compromisso de cooperação e de apoio inquestionável à execução do plano de vacinação, centrado nos cidadãos e no combate à pandemia”.

"porque tem o PS tanto interesse em apoiar e avançar com o Hospital Privado, sendo um partido defensor do SNS?"

Zé LG, 07.02.21

202102031428078441.png

«Tem procura suficiente para justificar a sua existência? O estudo diz que sim? Se sim, de que natureza é essa procura?

-subsistemas, sobretudo ADSE?

-Seguros?

-Doentes privados, com capacidade financeira para complementar encargos?

-Sistema público que necessita de complementaridade na prestação de cuidados em determinadas valências, ambulatório e internamento, como obstetrícia, cirurgia, ortopedia, cardiologia?

Se estão reunidas as três condições referidas, em simultâneo, o hospital terá asas para voar.

Se está reunida a última das condições, há que questionar porque tem o hospital público necessidade dessa complementaridade? Não dá a resposta às necessidades dos utentes porquê? As causas, a existirem, o que parece afirmativo, porque os anseios pelo novo hospital privado parecem ser enormes, não têm outra solução senão um novo hospital construído e gerido pelo capital privado?

Porquê só essa solução? Quais os interesses locais nessa única solução?

Se o hospital privado for uma realidade com êxito, reunidas as três condições acima referidas, que hospital público (HJJF) teremos de futuro?

Por último, mas não menos importante, não é fácil de entender, porque tem o PS tanto interesse em apoiar e avançar com esta iniciativa privada na saúde, sendo um partido defensor do SNS, do hospital público e por demais crítico da resposta privada no sistema de saúde?»

Anónimo 04.02.2021, aqui.

CDU contra aumento do“tarifário de resíduos sólidos urbanos do Município de Beja para 2021”

Zé LG, 04.02.21

87029748_2731061786987441_2681103892527185920_o.jpOs vereadores da CDU na Câmara de Beja votaram “contra” a “aprovação do tarifário de resíduos sólidos urbanos do Município de Beja para 2021”, por considerarem que significa o segundo aumento “na fatura da água, neste mandato” e revela “uma total falta de sensibilidade do executivo PS, principalmente numa altura difícil para todas as famílias que em pleno período de pandemia e de estado de emergência”.

Vítor Picado, vereador da CDU, diz ser “fundamental que a aplicação da tarifa social da água para todos os consumidores se efetivasse o mais rapidamente possível até porque esta medida... foi aprovada por maioria, na Assembleia Municipal de 28 de setembro de 2020, continuando o PS na Câmara Municipal ... a não respeitar as deliberações” deste órgão.

26060133_405059736592942_4666802667944049120_o.jpgPaulo Arsénio, presidente da Câmara, responde dizendo que “o valor (pago à Resialentejo duplicou, em janeiro deste ano, por imposição esplanada em decreto-lei”, o que “obrigou ao aumento do tarifário em causa”

O presidente da Câmara , diz que “a proposta da CDU não explicava, nem sugeria, onde se poderia financiar o dinheiro não cobrado”, que “esta possibilidade não está fora de hipótese”, mas que “está a ser avaliada pela EMAS de Beja, não estando ainda concluídos os cálculos”.