Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Carlos Pinto de Sá alertou para o risco de não se cumprirem metas do PRR

Zé LG, 13.06.24

20230809101345981.jpgO presidente da Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá, alertou o Governo para o risco de Portugal poder não atingir as metas do PRR se as empresas de construção não conseguirem garantir “tantas obras em simultâneo”, recordando que “Há um problema que é conhecido, que é o problema dos empreiteiros e da capacidade que temos para poder realizar obras” e que “Portugal tem dificuldades do ponto de vista das suas empresas para garantir tantas obras em simultâneo”, alertando que isso pode colocar em causa “as metas dos calendários” apontados. Mas, ao mesmo tempo, frisou, que é preciso “fazer esse esforço” e “tentar cumprir o prazo” das obras inscritas nas metas do PRR.

O que se passa com as EL de Habitação dos munícipios da CIMBAL?

Zé LG, 12.06.24

ccdr-1440x967.jpgApesar da reunião realizada na CIMBAL com a ministra da Habitação, em Setembro, com o objetivo de “efetuar um ponto de situação sobre a implementação das Estratégias Locais de Habitação nos treze municípios do território, identificar os principais constrangimentos para o seu desenvolvimento e avançar com propostas de solução”, ontem só o Município de Alvito, daqueles 13, assinou o contrato com o governo. Porquê? O que se passou que impediu outros municípios da CIMBAL de assinarem os contratos que lhes permitem avançar com as referidas estratégias?

Assinados contratos para reabilitação e construção de habitação no Alentejo

Zé LG, 11.06.24

ccdr-1440x967.jpgEsta manhã, na CCDRAlentejo, realizou-se a cerimónia de assinatura dos Contratos e Homologação inseridos no programa “Construir Portugal: Nova Estratégia para a Habitação- PRR”, com a presença dos ministros, Adjunto e da Coesão Territorial, Manuel Castro Almeida, e das Infraestruturas e Habitação, Manuel Pinto Luz.
Os Contratos assinados com os municípios alentejanos de Alcácer do Sal, Alter do Chão, Alvito, Arronches, Campo Maior, Castelo de Vide, Elvas, Évora, Marvão, Montemor-o-Novo, Nisa, Odemira, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Santiago do Cacém, Sines, Sousel, Vendas Novas, Vila Viçosa e alguns ribatejanos, têm o valor de 60 milhões de euros e destinam-se à construção de 655 fogos.
Miguel Pinto Luz explicou que a assinatura destes contratos “é muito importante”, porque “permite a cada um dos municípios iniciarem todos os procedimentos, nomeadamente concursais, para avançarem com a obra“ e desafiou os autarcas para, “além de começarem a lançar as obras, que façam também já a análise de candidaturas para potenciais famílias e utilizadores destas casas”.

IP lança concurso para construção de variante em Évora

Zé LG, 06.04.24

202303151714384067.jpgA Infraestruturas de Portugal (IP) lançou o concurso público para a construção da Variante Nascente a Évora do IP 2, num investimento de 58,4 milhões de euros, com financiamento do PRR. “A empreitada a contratar visa a construção de uma nova ligação rodoviária alternativa ao atual troço do IP2, com início no Nó de Évora Nascente da [autoestrada] A6, imediatamente após a praça de portagem, e fim na conexão com o IP2, em S. Manços”, e terá dupla faixa de rodagem e cerca de 12,8 quilómetros de extensão.

PS absteve-se na AM de Beja sobre a necessidade de financiamentos do PRR

Zé LG, 12.12.23

Sem nome (26).pngA Assembleia Municipal de Beja aprovou por maioria, com a abstenção dos eleitos do PS, uma Moção sobre a necessidade de fundos estruturais estratégicos do PRR, em que propõe ao Governo que adote as seguintes medidas políticas, através do PRR - Plano de Recuperação e Resiliência:

- Reforço da prestação dos cuidados de saúde, através da contratação de profissionais; e da construção da segunda fase do Hospital José Joaquim Fernandes.

- A melhoria das acessibilidades, através da conclusão da A26 e do IC27; e a modernização e eletrificação da linha ferroviária Beja-Casa Branca, bem como a recuperação do traçado ao Algarve.

- que a modernização e o desenvolvimento do distrito de Beja têm de ser, necessariamente, amparados pela vontade política.

Aberto concurso público para construção da Variante de Aljustrel

Zé LG, 09.11.23

400443484_351485107381543_6237155982515254896_n.jpgA Variante de Aljustrel terá um custo de 12 milhões e 500 mil euros, financiado pelo PRR, e a empreitada um prazo de execução de 540 dias, tendo as empresas interessadas 42 dias para concorrer ao concurso público agora aberto. A sua construção, a cargo da Infraestruturas de Portugal (IP), permitirá um melhor ordenamento do perímetro urbano na localidade, mas também será crucial para o desenvolvimento das atividades económicas, proporcionando melhores acessos rodoviários às muitas empresas já instaladas ou que pretendem fixar-se.

Com esta variante minimizar-se-á o impacto negativo decorrente da circulação de tráfego, sobretudo pesado, dentro da vila e devolver-se-á o centro de Aljustrel às pessoas, melhorando-se as condições de mobilidade, e permitirá ainda melhorar as ligações entre Aljustrel e a Estrada Nacional 2 (EN 2), à Autoestrada do Sul A2 e a Odemira.

IPBeja lança concurso para construção de nova residência de estudantes

Zé LG, 28.07.23

IPBeja-Residencia.jpgO IPBeja já lançou o concurso público internacional para a construção da nova residência de estudantes, orçada em 16,5 milhões de euros e que integra o Programa Nacional de Alojamento para o Ensino Superior, com o apoio do PRR. Com um prazo de construção de 17 meses, a residência vai criar 503 novas camas para estudantes na cidade de Beja.
Maria de Fátima Carvalho, presidente do Politécnico de Beja, sublinha que este investimento confere ao Instituto melhores condições para captar alunos.

PRR tem mais 5,6 milhões de euros

Zé LG, 27.05.23

PRR.pngA maior fatia de reforço ao investimento é de apoio às empresas, mas há uma grande aposta na coesão territorial”, salientou Mariana Vieira da Silva, ministra da Presidência. Só as agendas mobilizadoras vão receber 2,8 mil milhões de euros, um valor que contrasta com os anteriores 930 milhões, mas a estas medidas acresce o aumento de investimentos nos bairros digitais que passam a financiar 25.

PRR financia Beja em 40 milhões de euros e Évora em 169 milhões de euros

Zé LG, 01.03.23

PRR-Simbolo_800x800.jpgA distribuição de verbas do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) é muito díspar e vai ter impactos diferentes nos concelhos do país. O JN analisou mais de 95 mil projetos do PRR, fez as contas e mostra quanto vai receber cada concelho, bem como a taxa de execução atual (Ver aqui) . Se uns recebem poucas dezenas de milhares de euros, outros recebem muitas centenas de milhões.

O distrito de Beja vai receber 48.541.532 euros para 1.066 projetos. O Município de Beja está contemplado com 39 945 450 euros, sendo o projeto maior a “Residência de estudantes do IPBeja com 503 camas” com 16.425.465 euros. Veja aqui quanto recebe cada concelho do Distrito.

Évora vai receber 169 052 969 euros para 604 projetos, sendo o maior o “New Space Portugal” no valor de 137 364 121 euros.

EP de Alvito com financiamento do PRR para reequipar as novas instalações

Zé LG, 23.12.22

EPA-768x432.jpgA Escola Profissional de Alvito (EPA) viu aprovadas pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) duas candidaturas para a implementação de dois Centros Tecnológicos Especializados (CTE), um na área Industrial e outro na área da Informática. O valor é de 2, 6 milhões de euros.
“A aprovação destas candidaturas permitirá reequipar as novas instalações da Escola Profissional de Alvito, as quais serão inauguradas muito em breve, e modernizar a oferta profissional neste estabelecimento de ensino”, revela aquele estabelecimento de ensino.
O Centro Tecnológico Industrial abrange os cursos Técnico de Cozinha/Pastelaria, Técnico de Restaurante/Bar e Técnico de Turismo Ambiental e Rural enquanto que o Curso Técnico de Informática contempla todos os cursos da área das Ciências Informáticas.