Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Nem mesmo com este consenso

Poucas têm sido as vezes em que um tão amplo consenso se gerou entre todas as forças políticas, institucionais, associativas, económicas e sociais em torno da urgente necessidade da conclusão da A26/IP8, da modernização da linha de caminho de ferro e do material circulante, do aproveitamento das potencialidades do Aeroporto, do reforço de financiamento do Hospital Distrital, que garanta a construção da 2ª fase e os equipamentos necessários, e de médicos, enfermeiros e técnicos de diagnóstico, para o desenvolvimento da nossa região, aproveitando da melhor maneira o surto de crescimento económico provocado pelo Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva, que deve ser sustentado no respeito pelo ambiente, combatendo a desertificação e o despovoamento.

IMG_7420 - Cópia.JPGPara este consenso tão alargado foi decisiva a acção de movimentos de cidadania como o Beja Merece+, acompanhado, noutros âmbitos mas com objectivos convergentes, pelo Amalentejo e a pela Plataforma Alentejo, esta com uma intervenção mais institucional e fundamentada tecnicamente.

Apesar deste tão amplo consenso que inclui todos os líderes e deputados distritais dos diversos partidos, o PS, que governa o país, e o PSD, principal partido da oposição, ainda mostram resistências à sua concretização, a nível central, como agora se viu nas votações de propostas de recomendação ao governo de concretização de algumas daquelas medidas, apresentadas pelo PCP e pelo BE.

Um consenso histórico como este, que raramente acontece na nossa região, deve ser respeitado pelo governo, até porque não são muito avultados os valores dos investimentos reclamados. E devem ser severamente julgados por todos nós os que não permitirem o aproveitamento desta janela de oportunidade para o tão ambicionado desenvolvimento da nossa região.

AR recomenda plano de gestão para ZPE dos concelhos de Moura, Mourão, Barrancos e Serpa

ZPE-768x432.jpgFoi publicado em Diário da República o Projeto de Resolução que recomenda ao Governo que elabore, no espaço de um ano, o plano de gestão do sítio e zona de proteção especial (ZPE) que correspondem os territórios dos concelhos de Moura, Mourão, Barrancos e Serpa.

A Resolução recomenda que sejam consagrados “mecanisnos de sazonalidade e apoio a estruturas relativas a itinerários e infraestruturas complementares às atividades, no âmbito da Estratégia do Turismo 2027, que consagra a natureza como ativo estratégico”.

CIMBAL propõe Manuel Soares para o CA da ULSBA

201906111803379618.jpgO Conselho Intermunicipal da CIMBAL na sua reunião de junho, deliberou, por maioria, propor para vogal do Conselho de Administração da ULSBA, Manuel Soares.

Manuel Soares é licenciado em Ciências Farmacêuticas, com especialização em Administração Hospitalar e em Gestão de Unidades de Saúde. Manuel Soares foi vogal Executivo do Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Baixo Alentejo, de 2005 a 2008 e da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, de 2008 a 2012.

Recorde-se que Manuel Soares foi candidato do PS à Câmara Municipal de Serpa nas últimas eleições autárquicas. Foi antes membro da Assembleia Municipal de Serpa e da Assembleia Intermunicipal da Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo.

PSD apresentou e aprovou recomendação ao Governo para valorização de ZPE na Margem Esquerda do Guadiana

Nilza-de-Sena-768x432.jpgO grupo parlamentar do PSD apresentou e aprovou uma recomendação ao Governo para que este elabore o plano de gestão da Zona de Protecção Especial (ZPE) dos concelhos de Moura, Mourão, Barrancos e Serpa, na estratégia do Turismo 2027, no prazo de um ano, que estabeleça as medidas e acções de conservação, visando a compatibilização da conservação dos valores naturais com as actividades praticadas no Sítio e na ZPE”.

Recomenda aiunda que “a estratégia do Turismo 2027, que consagra a natureza como activo estratégico, contenha mecanismos de combate à sazonalidade” e que sejam criadas “medidas especiais de apoio aos agricultores e às agroindústrias existentes e às que futuramente se venham a instalar neste território, para aproveitar e incrementar o potencial do Empreendimento de Fins Múltiplos do Alqueva e a sua importância estratégica para o País”.

CIMBAL tem concluído Plano de Adaptação às Alterações Climáticas

Seca-768x512.jpgA CIMBAL – Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo tem fechado o Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas do Baixo Alentejo (PIAACBA), que define um conjunto de medidas de sensibilização e prevenção, pretendendo assim mitigar o impacto das alterações climáticas no território.

O Plano vai ser apresentado, quarta-feira, pelas 9 horas, no auditório do Nerbe/Aebal no decorrer da Ovibeja, que tem como tema central as alterações climáticas.

Faltam menos de 200 assinaturas

90336_1.jpg... para a AR ter de discutir a «Estratégia Integrada de Acessibilidade Sustentável do Alentejo nas ligações Nacional e Internacional” na revisão do PNPOT em curso, de forma a considerar um conjunto de prioridades no domínio das acessibilidades e transportes fundamentais para o desenvolvimento sustentável do Alentejo, bem como para a sua coesão social, territorial, ambiental e energética, com claros benefícios para a totalidade do território nacional.

Para garantir esse debate, se ainda não o fez, pode assinar a Petição Pública “PLATAFORMA ALENTEJO-Estratégia Integrada de Acessibilidade Sustentável do Alentejo nas ligações Nacional e Internacional” em: https://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT90336

ULSBA tem Plano Local de Saúde em consulta

ulsba.jpgA Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) tem disponível para consulta o seu Plano Local de Saúde (PLS 2018-2020), desenvolvido pela Unidade de Saúde Pública (USP), com os contributos de outras unidades da ULSBA e de instituições parceiras e está alinhado “com as estratégias nacional e regional, contribuindo concertadamente para o cumprimento das metas nacionais”, mas traça “estratégias e intervenções específicas e individualizadas, orientadas para os potenciais ganhos em saúde da comunidade que serve”.

As Doenças Cardiovasculares, Diabetes, Perturbações Depressivas, Obesidade, Abuso do Tabaco, Patologia Osteoarticular, Doenças dos Dentes e Gengivas integram a lista de problemas de saúde priorizados no Plano Local. 

Daqui e daqui.

Marciano Lopes sugere criação de “pacto inter-partidário pelo Baixo Alentejo”

201902052225277581.jpgMarciano Lopes é um dos candidatos à presidência da Distrital de Beja do PSD e apresentou, ontem, o manifesto da lista com a qual se apresenta a votos no dia 16 deste mês. No documento é revelada a principal meta desta candidatura, que tem como número dois Luís Galrito, ou seja a de “reafirmar a dignidade da região”, baseada em oito medidas, entre elas um “pacto inter-partidário pelo Baixo Alentejo”. Leia e oiça também aqui.

 

Uma proposta audaz, pertinente e oportuna apresentada por um político sério e competente. Esperemos que os outros partidos não se fechem nos seus casulos e aceitem o desafio de trabalhar para a construção do maior denominador comum para a defesa de Beja e da região.

PNI 2030 é “uma mão cheia de nada e outra de coisa nenhuma”

201901091718203542.jpgO Executivo da DORBE do PCP afirma que “a proposta do Programa Nacional de Investimentos (PNI) 2030” representa para a região, nos investimentos de que tanto necessita, “uma mão cheia de nada e outra de coisa nenhuma”.

A DORBE do PCP frisa que “infelizmente para o desenvolvimento do distrito e bem-estar das populações, o PNI 2030 anuncia/promete que avançará o projeto de eletrificação da linha férrea entre Casa Branca e Beja, ignorando a ligação ao Algarve/Funcheira, transformando-a num ramal”. Que faz o mesmo sobre “o IP8 até Beja, ignorando a necessidade da sua continuação até à fronteira de Vila Verde de Ficalho, tal como está definido no Plano Rodoviário Nacional e que isto significa amputar a região de uma via de comunicação indispensável ao desenvolvimento regional e interligação da mesma às infraestruturas ferroviárias e aeroportuárias”.

Ler e ouvir também aqui.

Câmara de Mértola promove Orçamento Participativo

cartaz_op_freguesia.jpg

Com objetivo de aproximar os munícipes do concelho de Mértola das grandes opções políticas públicas locais e incentivar uma cidadania participativa, ativa e responsável, a Câmara Municipal promove em 2019 o primeiro Orçamento Participativo, que irá integrar o “Orçamento Participativo Jovem” (OPJ) e o “Orçamento Participativo Geral” (OPG).

Podem ser apresentadas propostas nas seguintes áreas de competência do Município: Educação, Desporto e Juventude; Equipamentos e Espaços Públicos; Saúde e Bem-estar; Economia Local; Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural; Transportes, Mobilidade e Acessibilidade; Empreendedorismo.
O valor máximo do investimento autárquico a atribuir ao OP para a edição 2018/2019 é de cem mil euros, dos quais 40 mil são para o OPJ (no máximo 10 mil por projeto) e os restantes para o OPG (com um valor máximo de 20 mil por projeto).

Comentários recentes

  • Anónimo

    São apenas recomendações e mais nada.O que é que q...

  • Anónimo

    Há, aí no problem, eles entendem todos bem.Se for ...

  • Anónimo

    Os deputados vão de férias descansados. Quem fica ...

  • Anónimo

    É evidente que é bom negócio. A questão é quando p...

  • Anónimo

    Para os seres humanos a saúde faz parte do seu bem...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.