Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

PSD, CDU e do PS chumbaram orçamento e grandes opções de plano para 2020 da Câmara do Redondo

Zé LG, 08.01.20

Screenshot_2020-01-07 DianaFM » Câmara de RedondA Câmara de Redondo vai ser gerida este ano com base no orçamento de 2019, tendo em conta que a proposta de orçamento e grandes opções de plano para 2020 foi aprovada na câmara, mas não passou na Assembleia Municipal.

O presidente da Câmara de Redondo, António Recto (MICRE), diz que que não vê necessidade de levar à Assembleia Municipal uma nova proposta, porque “A forma como temos construído as grandes opções de plano e até mesmo o orçamento, sendo projetos quadrienais e tendo em conta que estão descritos de uma forma generalizada, não impede que a câmara não mantenha a sua atividade regular em 2020 com base no orçamento de 2019”.

António Costa promete prioridade à Saúde

Zé LG, 28.12.19

image_content_2551894_20191026121818.jpgSei bem que a Saúde é actualmente uma das principais preocupações dos portugueses e que há vários problemas para resolver no SNS. Compreendo bem a ansiedade daqueles que ainda não têm médico de família, que aguardam numa urgência ou que esperam ser chamados para um exame, uma consulta ou uma cirurgia.” - disse o primeiro-ministro, na sua mensagem de Natal.

“Contempla [o OE] o maior reforço de sempre no orçamento inicial da Saúde e confere maior autonomia aos hospitais para garantir uma maior eficiência e responsabilidade na gestão do seu dia-a-dia”, recordou António Costa.

Esperemos agora que, com estas palavras do chefe, os que têm responsabilidades no sector e que têm estado sossegadinhos e sem nada fazer para tentar resolver os problemas que tanto afectam os portugueses saiam da sua "área de conforto" e deem sinal de que os querem resolver...

CCDR Alentejo iniciou preparação do próximo Programa Operacional Regional

Zé LG, 07.11.19

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo deu início a um ciclo de sessões temáticas em conjunto com as comunidades intermunicipais tendo em vista a preparação do ALENTEJO 2030, nas quais é auscultada a sociedade civil e debatidos os desafios que se colocam ao Alentejo.
A primeira sessão teve lugar em Ponte de Sor. Dia 11 de Novembro, Évora recebe a segunda sessão. Dia 18 de Novembro tem lugar em Beja a penúltima reunião. O ciclo encerra a 2 de Dezembro em Grândola.

CDU contra o Mapa de Pessoal e IMI Familiar em Beja

Zé LG, 05.11.19

CDU-768x432.jpg

Os vereadores da CDU votaram, na última reunião da Câmara de Beja, contra o Mapa de Pessoal por considerarem que “continua a apostar-se no recrutamento de Técnicos Superiores e Assistentes Técnicos, reduzindo-se os postos de trabalho previstos para Assistentes Operacionais”. Na óptica da CDU, “não restará alternativa ao Município de, querendo fazer face aos graves problemas na higiene e limpeza urbanas, socorrer-se de empresas de trabalho temporário, como já fez, promovendo, assim, a precariedade laboral”.
Os eleitos da CDU votaram também contra o IMI Familiar por entenderem que se trata de um “benefício que não considera as condições económico-sociais dos agregados familiares, sendo aplicável apenas consoante o número de dependentes, de forma cega e injusta”.
Vítor Picado explica porquê, aqui e aqui.

AR recomenda ao Governo a adopção de medidas urgentes para reforçar a resposta pública na saúde no distrito de Beja

Zé LG, 26.09.19

Hospital-de-Beja-768x512.jpgFoi publicada a resolução da Assembleia da República que recomenda ao governo que reforce as medidas de incentivo e apoio à fixação de médicos na Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, ao nível dos cuidados de saúde hospitalares; a atribuição de médico e enfermeiro de família a todos os utentes do distrito de Beja, ao nível dos cuidados de saúde primários; o reforço da capacidade de resposta pública da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados.

Mariana Aiveca diz que vai “vai pôr o Alentejo e mais esquerda no Parlamento”

Zé LG, 12.09.19

be.jpg“Defender o país é também exigir os investimentos que fazem falta”, afirmou Catarina Martins, coordenadora nacional do BE, na sessão de apresentação dos candidatos do partido pelo círculo de Beja, que reforçou a ideia de que “não vale a pena” falar de exportações “se isso for feito à conta da saúde de quem vive [no distrito] ou à conta da degradação dos solos e da água”.

Mariana Aiveca, cabeça-de-lista do BE pelo distrito, garantiu que “a campanha está a ser viva”, que a sua equipa é “uma equipa capaz de ganhar” e que “vai pôr o Alentejo e mais esquerda no Parlamento”. Apresentou ainda a emergência climática, o trabalho com direitos, serviços públicos e acessibilidades condignas como os eixos prioritários do Bloco do Esquerda para as próximas eleições de 6 de outubro. 

Iluminação precisa-se

Zé LG, 12.08.19

Este é o Largo de Francisco Miguel Duarte, no Penedo Gordo. Nele existe, embora mal se veja à noite, um parque infantil, que foi arranjado no mandato anterior. Este largo só tem duas lâmpadas e só uma (a do lado direito da fotografia) virada para o seu interior. A outra (do lado esquerdo da fotografia) está virada para fora, para a rua que fica em frente. 

Largo.JPGAdmito (embora não veja porquê? que possa não ser fácil dotar o Largo de uma adequada iluminação pública. Mas não compreeendo nem aceito que não se ponha mais uma lâmpada virada para o interior do Largo e que daria alguma luz ao Parque Infantil, no poste que tem a lâmpapada virada para fora do Largo. Fica a sugestão à Autarquia.

Publicada recomendação para valorização do Aeroporto de Beja

Zé LG, 26.07.19

A Assembleia da República recomenda ao Governo que “proceda, com carácter de urgência, à revisão do Plano Estratégico do Aeroporto de Beja, reforçando as estratégias já aí definidas, designadamente as actividades ligadas aos sectores produtivos”.

Aeroporto-de-Beja-768x432.jpgPor outro lado, solicita que se “desenvolva, com brevidade, no que se refere à zona industrial integrada no âmbito do conceito de aeroporto indústria (aeronáutica, manutenção, formação, agro-indústria e actividades que, em geral, necessitem de utilizar o aeroporto), condições especiais e características de apoio discriminatórias positivas”.

A Assembleia recomenda ainda a aposta “numa estratégia de médio/longo prazo para desenvolver, no Alentejo, um cluster aeronáutico, articulando o Aeroporto de Beja com outras estruturas e empresas existentes e a criar na região, numa visão integrada de desenvolvimento industrial e de serviços, bem como de potenciação das infra-estruturas públicas na região”.

Nem mesmo com este consenso

Zé LG, 07.07.19

Poucas têm sido as vezes em que um tão amplo consenso se gerou entre todas as forças políticas, institucionais, associativas, económicas e sociais em torno da urgente necessidade da conclusão da A26/IP8, da modernização da linha de caminho de ferro e do material circulante, do aproveitamento das potencialidades do Aeroporto, do reforço de financiamento do Hospital Distrital, que garanta a construção da 2ª fase e os equipamentos necessários, e de médicos, enfermeiros e técnicos de diagnóstico, para o desenvolvimento da nossa região, aproveitando da melhor maneira o surto de crescimento económico provocado pelo Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva, que deve ser sustentado no respeito pelo ambiente, combatendo a desertificação e o despovoamento.

IMG_7420 - Cópia.JPGPara este consenso tão alargado foi decisiva a acção de movimentos de cidadania como o Beja Merece+, acompanhado, noutros âmbitos mas com objectivos convergentes, pelo Amalentejo e a pela Plataforma Alentejo, esta com uma intervenção mais institucional e fundamentada tecnicamente.

Apesar deste tão amplo consenso que inclui todos os líderes e deputados distritais dos diversos partidos, o PS, que governa o país, e o PSD, principal partido da oposição, ainda mostram resistências à sua concretização, a nível central, como agora se viu nas votações de propostas de recomendação ao governo de concretização de algumas daquelas medidas, apresentadas pelo PCP e pelo BE.

Um consenso histórico como este, que raramente acontece na nossa região, deve ser respeitado pelo governo, até porque não são muito avultados os valores dos investimentos reclamados. E devem ser severamente julgados por todos nós os que não permitirem o aproveitamento desta janela de oportunidade para o tão ambicionado desenvolvimento da nossa região.