Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

João Ferreira acusou as entidades privadas de saúde de “desertarem” nos momentos difíceis, como é o combate à pandemia de covid-19

Zé LG, 13.01.21

imgLoader2.ashx.jpgO candidato à Presidência da República João Ferreira afirmou, em Santiago do Cacém, que: “Percebemos hoje que aquele negócio que cresceu à sombra do desinvestimento no Serviço Nacional de Saúde, porque foi quando se começou a desinvestir no SNS que começou a nascer e a proliferar o negócio privado da doença, percebermos hoje que na hora do aperto, esses, os grupos económicos que fazem esse negócio, põem-se ao fresco”.

Durante a sua intervenção, João Ferreira sublinhou que as entidades privadas de saúde “desertaram do combate no momento mais difícil”, assim “como desertam de tudo aquilo que não lhes assegure perspetivas de lucro”. Por outro lado, elogiou o Serviço Nacional de Saúde, “que mesmo com o desinvestimento de que foi sendo alvo, está a revelar-se essencial para, numa altura tão difícil e tão exigente, proteger a saúde dos portugueses”.

“Não queremos RSI, mas trabalho” gritaram ciganos à chegada do candidato à PR, André Ventura, a Serpa

Zé LG, 11.01.21

imgLoader2.jpgNo primeiro dia oficial de campanha presidencial, a chegada do candidato André Ventura - o deputado único do Chega, partido da extrema-direita, que chegou a sugerir um confinamento específico dos ciganos durante a pandemia de covid-19 -, a um comício em Serpa, foi marcada por insultos ao candidato e protestos por parte de populares, a maioria de etnia cigana.  Cerca de 50 pessoas empunharam cartazes, gritaram palavras de ordem para expressar o seu desacordo com as ideias defendidas por Ventura: “Alentejo, terra da Liberdade”, “Facho!” ou “Zeca, obrigaram-me a vir para a rua”.

"Vão trabalhar, trabalhar!”, gritou André Ventura, em direção aos manifestantes, ladeado por seguranças. “Beja foi [o distrito] escolhido para ser o início da caminhada presidencial pela razão que temos insistido: há um país em que metade trabalha para outros não fazerem nada”, afirmou, lamentando “privilégios e regalias injustificados nos últimos 45 anos”. Classificou ainda a sua corrida ao Palácio de Belém como “a maior ameaça" ao sistema. “Não são ‘Grândolas’ cantadas lá fora por subsidiodependentes que nos vão fazer parar esta marcha.”

Jerónimo Sousa substitui João Ferreira na sessão pública em Aljustrel

Zé LG, 09.01.21

202101081612591364.jpg

O PCP de Beja revela que João Ferreira não vai estar presente, como inicialmente previsto, na sessão pública agendada para hoje, em Aljustrel, no âmbito da campanha para as Presidenciais 2021, devido “ao preenchimento da agenda” do candidato às eleições para a Presidência da República.
Contudo, a sessão vai decorrer com a participação de Jerónimo de Sousa, Secretário Geral do Partido Comunista Português.

João Ferreira defende mais medidas além da vacina contra a Covid19

Zé LG, 30.12.20

131070106_3819435661420598_6687761789005767158_n.jO candidato presidencial João Ferreira considerou “muito importante” o arranque da campanha de vacinação em Portugal contra a Covid-19, mas defendeu mais medidas que permitam a “retoma da vida económica, social e cultural”.

Segundo João Ferreira, “A vacina é muito importante” e “é fundamental” assegurar que a campanha de vacinação contra a covid-19 “decorre de modo a que todos possam ter acesso às vacinas” mas são necessárias “outras medidas de proteção da saúde”, uma vez que “a vacinação não vai estar concluída no curto prazo”.

É necessário que o Alqueva dê um “contributo mais efetivo” para o desenvolvimento da região, afirma João Ferreira

Zé LG, 28.12.20

Joao-Ferreira-PCP-reuniao-EDIA-Dez-2020-p0jhl75c1qO candidato presidencial apoiado pelo PCP dedicou esta segunda-feira, 28, “às questões da água e do ambiente” no distrito de Beja, onde se verificaram nos últimos anos “transformações muito significativas” no que tem sido “o uso da terra” e no “tipo de paisagem”, devido ao empreendimento do Alqueva.

“Há, de facto, transformações muito profundas e uma evolução da realidade que suscita algumas preocupações, tendo em conta até os desígnios que a Constituição da República fixa para o que deve ser a política agrícola”. Na opinião do candidato, é necessário que o Alqueva dê um “contributo mais efetivo” para o desenvolvimento da região e que “desse aumento da produção resultem benefícios para aqueles que vivem da agricultura”, “gerindo bem os recursos naturais como a água e o solo”. João Ferreira criticou ainda “o caminho” que se tem seguido na zona do Alqueva, onde se regista “um fenómeno de concentração da propriedade e uso da terra”.

Além da reunião na EDIA na parte da manhã, João Ferreira reuniu durante a tarde com representantes do movimento “Chão Nosso”, em Serpa, e com agricultores em Pias.

Candidato à presidência da República João Ferreira está hoje no distrito de Beja

Zé LG, 28.12.20

Candidaturas de João Ferreira e Marisa Matias em campanha em Beja e Fortes

Zé LG, 12.12.20

10631_big.jpgA candidatura de João Ferreira às eleições para a Presidência da República promove neste sábado, às 10.30 horas, no auditório da Biblioteca Municipal José Saramago, em Beja, a apresentação dos mandatários concelhios e distrital da candidatura, a qual contará com a presença dos mesmos.

10630_big.jpg

A candidata à presidência da República, Marisa Matias, vai estar no próximo domingo, dia 13, às 15h, na sede da Associação Ambiental Amigos das Fortes (junto à antiga escola primária), para um encontro com a população e activistas .

Marcelo Rebelo de Sousa "revelou" que é candidato à presidência da República

Zé LG, 07.12.20

MRS.png“Porque temos uma pandemia a enfrentar. Porque temos uma crise económica e social para vencer. Porque temos uma oportunidade única de, para além de vencer a crise, mudar para melhor Portugal, na economia, mas sobretudo, no nosso dia a dia, reforçando a nossa coesão social e territorial”, afirmou o atual Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa, quando anunciou a sua recandidatura ao cargo que ocupa nas eleições de 24 de janeiro de 2021. Justificou o caráter tardio com a vontade de publicar as leis eleitorais, convocar as eleições e tomar decisões quanto à pandemia "enquanto presidente e não enquanto candidato".

“João Ferreira foi somando pontos, até ao fim.”

Zé LG, 05.12.20

«OBRIGADO, MIGUEL SOUSA TAVARES!

miguel-sousa-tavares-e1573603747243-768x644.jpg

Estou cansado de ler coisas sobre esta entrevista. Miguel Sousa Tavares não se limitou a colocar questões incómodas, como lhe competia. Foi arrogante e tentou menorizar João Ferreira. Veremos se tem o mesmo padrão com outros.

No meio disto, às tantas, João Ferreira chateou-se. A linguagem corporal mal disfarçava a irritação. Sem nunca perder a compostura, o candidato tornou-se mais direto e incisivo e deixou-se de rodriguinhos. E fez deste momento a sua melhor entrevista até ao momento.

Miguel Sousa Tavares, mal preparado (o auto-convencimento dá nisto...), foi-se enleando e desaparecendo. João Ferreira foi somando pontos, até ao fim.

A suivre...» - Santiago Macias, aqui no seu “avenida da salúquia 34”.

Vi a entrevista e não podia estar mais de acordo com o Santiago Macias.

Alguém pode assegurar que a quebra de contágios nas últimas semanas foi consequência directa do Estado de Emergência?

Zé LG, 04.12.20

Capturar.PNGNão consigo ver como isso é possível.  Mas foi o que Marcelo Rebelo de Sousa fez esta noite: Os últimos quinze dias demonstraram uma adesão impressionante de todos às medidas adoptadas pelo Governo, com base no estado de emergência decretado e renovado, com resultados já visíveis".

Que medidas tomadas ao abrigo do Estado de Emergência, que o Estado de Calamidade não permitia tomar, foram decisivas para esses resultados? E ao fim de quanto tempo da tomada de qualquer medida essa tem impacto efectivo?

As declarações de Estado de Emergência têm servido a Marcelo Rebelo de Sousa, enquanto PR, para intervir na gestão da crise pandémica, favorecendo a sua campanha eleitoral, não assumida mas evidente para toda a gente, com claro prejuizo para todos os restantes candidatos, que ficaram sem palco. E isto com a conivência de António Costa.

Ana Gomes, candidata à Presidência da República, visita o distrito de Beja na próxima terça-feira

Zé LG, 23.11.20

126199041_10219933907601529_8176889002781315164_n.10h30m - recepção no salão nobre da Câmara Municipal de Mértola - projecto da Estação Biológica de Mértola será um dos temas a abordar com os autarcas e outros convidados.

11h15m -  visita ao Centro de Agroecologia de Mértola – Horta da Malhadinha, promovido pela Terra Sintrópica, organização de conservação do ambiente.

15h15m - recepção na Praça da República da cidade de Serpa, seguida de visita à Escola EB S de Serpa.

18 horas - tertúlia na cafetaria do Pax Julia – Teatro Municipal de Beja, transmitida em directo nas redes sociais de Ana Gomes, depois de passagem agendada pelo centenário café Luiz da Rocha.

António Costa desvaloriza a importância do PR ou submete o PS aos seus interesses?

Zé LG, 09.11.20

António Costa sobre presidenciais: o PS tem de “fazer o que lhe compete: governar o país”

img_900x508$2020_11_07_22_19_21_989311.jpg

“Vejo que há muitos camaradas meus que, felizmente, têm bastante tempo para reflectir aprofundadamente sobre essa questão”, diz o líder do PS.

Dando ordem de silêncio sobre presidenciais aos membros do Governo, António Costa assume que, para o PS, as presidenciais estão em segundo plano. Prometendo silêncio sobre o seu apoio, garante: “Eu irei votar e não votarei em branco.”

A banalização do Estado de Emergência

Zé LG, 07.11.20

naom_5ae1d695efbd1.jpgO decreto presidencial que declara o Estado de Emergência entre o dia 9, segunda-feira, e o dia 23 de novembro, foi aprovado esta sexta-feira pela Assembleia da República com os votos a favor do PS, PSDCDS e da deputada não inscrita Cristina Rodrigues. BE, PAN e Chega abstiveram-se. PCP, PEV, Iniciativa Liberal  e a deputada não inscrita Joacine Katar Moreira votaram contra. 

O consenso que aprovou as anteriores declarações do Estado de Emergência desfez-se na aprovação desta quarta. O que parece óbvio, face à banalização das justificações apresentadas. Uma declaração do Estado de Emergência é uma decisão grave, que apenas deve ser tomada quando está eminente uma guerra civil ou as autoridades não conseguem manter as condições mínimas de uma vida normal em sociedade. Não deve ser tomada como prevenção para a necessidade de medidas gravosas ou até ao fim da pandemia, como foi afirmado. Hoje, esta medida é tomada em nome da salvaguarda da saúde, amanhã da defesa de uma coisa qualquer, sempre com limitação de liberdades, direitos e garantias... E o que me preocupa mais é a facilidade que tal medida é aceite pela pessoas, que e, em muitos casos, reclamam mais restrições. 

João Ferreira, candidato à PR, está de visita ao Distrito de Beja

Zé LG, 23.10.20

joao_ferreira.pngJoão Ferreira, candidato do PCP às Eleições Presidenciais 2021 visita, nesta sexta-feira, o distrito de Beja. A visita surge no âmbito de assuntos relacionados com a defesa do património neste território.

A visita arranca, às 10.00 horas, no concelho de Cuba, nomeadamente, na Ponte Romana sobre a Ribeira de Odivelas, conhecida como Ponte de Vila Ruiva.

Segue-se, às 11.15 horas, a visita ao campo arqueológico, Salvada 10, localizado junto à aldeia da Salvada.

Às 15 horas, realiza-se no Centro UNESCO, em Beja, uma conferência de imprensa.

Daqui e daqui.

“Temos candidatos suficientes para todos os gostos, e ainda bem.”

Zé LG, 11.10.20

imgLoader2.ashx.jpg“Designar a actuação de AG pela "frontalidade à maneira popular" é que me parece curioso!… Não, a AG não mergulharia nas águas frias do Tejo, porque em matéria de visibilidade televisiva não precisaria disso, bastando as suas constantes aparições (mesmo antes de ser candidata)!… Mas não é isso que interessa aqui. Pessoalmente não gosto da figura por variadíssimas razões, que não caberiam neste espaço, nem tão pouco sou apreciador da sua personalidade!… De resto, muitos dos seus gritos estridentes, não passam disso mesmo, incomodam mais os ouvidos do que a mente!… Temos candidatos suficientes para todos os gostos, e ainda bem. Também não admiro o actual ocupante do cargo, mas enfim, já tivemos pior nos últimos tempos!...
Vamos ver lá mais para a frente, embora ache que nada mudará!”
Anónimo 11.10.2020, aqui.

Ana Gomes vem "Cuidar da República" em Aljustrel e Campo Maior

Zé LG, 09.10.20

imgLoader2.ashx.jpg"Cuidar da República" é o mote do primeiro conjunto de iniciativas de debate público promovido por Ana Gomes na sua candidatura à Presidência da República. No Baixo Alentejo, a primeira paragem será no próximo domingo, dia 11, pelas 11:00 horas, no Espaço Oficinas em Aljustrel, numa "homenagem" à figura de Brito Camacho (um dos líderes do movimento que levou à implantação da República, em 1910), numa autarquia ("não por acaso") liderada pelo presidente da Federação Distrital do PS do Baixo Alentejo.

Antes de Aljustrel, Ana Gomes irá passar pelo Centro Cultural de Campo Maior (sábado, dia 10, pelas 15:00 horas), onde deverá receber o apoio do comendador Rui Nabeiro, dono do grupo Delta.

Afinal que impacto teve a Festa do Avante no aumento de contágios da COVID-19?

Zé LG, 20.09.20

Muito se falou sobre a irresponsabilidade do PCP realizar a Festa do Avante, este ano, em plena pandemia, pelo impacto que teria no agravamento da situação. Desde comentadores até comerciantes da Amora, passando pelo líderes do PSD e do CDS até ao envolvimento, como nunca antes se tinha visto, do PR e às maiores limitações colocadas pela DGS, tudo foi feito no sentido de travar ou impedir a realização da Festa.

20200906comiciofestaavante09.jpgEntretanto a Festa do Avante realizou-se - com repetição de alguns elogios à capacidade de organização e cumprimento de regras do PCP - e passadas duas semanas ainda não ouvi ninguém atribuir à realização da Festa a responsabilidade pelo significativo aumento de "casos" a que temos vindo a assistir.  

E, entretanto também e mais grave do que isso, não ouvi nenhum responsável, a começar pelo PR, atribuir aquelas responsabilidades ao PCP ou a autocriticar-se pelo exagero e incorrecção das posições que assumiu. 

Que o "Zé" diga o que lhe lhe dá na real gana e faça afirmações gratuitas e irresponsáveis é uma coisa. Que o PR e líderes partidários e outros responsáveis de outras entidades procedam da mesma forma já não se admite. No combate político não deve valer tudo, principalmente quando se usa a Saúde e o medo como armas de arremeço.

PR de Portugal e Rei de Espanha e primeiros-ministros dos dois países assinalam reabertura de fronteiras em Caia e Badajoz

Zé LG, 15.06.20

marcelo_e_rei.pngSerá na fronteira alentejana do Caia, que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o Rei de Espanha, Filipe VI e os primeiros-ministros António Costa e o espanhol Pedro Sánchez, vão assinalar a reabertura de fronteiras entre Portugal e Espanha, no próximo dia 1 de julho.
Nesta fronteira Caia e Badajoz, a comitiva portuguesa cruzará a fronteira para cumprimentar a espanhola; depois, cruzarão ambas as comitivas a fronteira em sentido inverso para almoçarem juntos em Portugal.
Com esta iniciativa, Portugal e Espanha querem dar uma mostra de concertação face a alguns desentendimentos com anúncios unilaterais relacionados com as fronteiras luso-espanholas.

Ana Gomes admite candidatar-se à Presidência da República

Zé LG, 18.05.20

mw-860.jpgA socialista ficou chocada com o apoio de António Costa a Marcelo, que diz ser um perigo por dar espaço a André Ventura. E admite agora repensar o seu "não" a uma candidatura presidencial em janeiro. "Há quem pense que o PS não é uma democracia", disse na SIC-Notícias.

Classificando o episódio de "lamentável, deprimente mesmo", mostrou preocupação com que vê as próximas presidenciais. "Isto de facto mudou muita coisa. Vem dar muita preocupação a toda a gente, aos democratas do nosso país em particular. É grave e faz-nos refletir. O candidato do regime (Marcelo) vai polarizar a sociedade e isso vai facilitar a vida dos extremos e num momento em que temos aí a extrema direita organizada. É tão grave que eu tenho que refletir se sou candidata".

"Eu disse que não sou candidata, mas neste momento todos os democratas têm que refletir", afirmou Ana Gomes relativamente a uma potencial candidatura a Belém. "Admito refletir", reafirmou, "eu e outras pessoas".

Entre o oito e o oitenta devia existir mais bom senso

Zé LG, 13.05.20

image.jpgParece-me estarmos a viver um período em que o bom senso - sempre tão necessário e agora mais do que nunca -, escasseia. Vejamos só dois  exemplos.

As medidas de combate à COVID-19 balançam, rápida e frequentemente, de excessivamente condicionantes e impraticáveis a excessivamente distentidas e pouco cautelosas. Veja-se o que se passa com as escolas e creches, com as empresas e o trabalho, com a restauração e o turismo, com o futebol e outras modalidades desportivas, para já não falar nas máscaras, no distanciamento físico, na lavagem e limpeza, etc, etc.

A crise governamental, escancarada entre o ministro das Finanças e o primeiro ministro, com este a dar já como eleito para um novo mandato o PR, que, embalado, se envolve naquela crise, acentuando-a com a afirmação de que o primeiro-ministro tinha razão e, consequentemente, sugerindo o afastamento do ministro das Finanças. Tudo isto, depois de terem afirmado repetidamente que tudo devia ser feito para evitar outras crises à crise sanitária causada pela COVID-19.

Se isto não é falta de bom senso, digam lá o que é isto...

Foto: TIAGO PETINGA/LUSA/Arquivo