Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“Os Mesmos de Sempre a Pagar” dinamizam “ação de protesto pela inversão desta política”

Zé LG, 24.09.22

202209221716184122.jpgO Movimento “Os Mesmos de Sempre a Pagar” promove amanhã em Beja, Aljustrel, Ferreira do Alentejo, Mértola e Serpa um conjunto de ações contra o aumento do custo de vida e contra o empobrecimento. Mobilizar e sensibilizar as populações contra o rumo de empobrecimento que está a ser colocado, fruto do aumento do custo de vida e a desvalorização de salários, pensões e reformas é o principal objetivo.

Na cidade de Beja o protesto vai ouvir-se, às 9.00 horas no mercado de Santo Amaro, a partir das 11.00 horas e no mercado quinzenal que decorre no Parque de Estacionamento do Parque de Feiras e Exposições.

Aos que usam e abusam do politicamente correcto

Zé LG, 20.09.22

Banner-Lopes-Guerreiro-300x286.jpgDepois de alguns convites que, por uma ou outra razão, acabaram por não ter efeitos práticos, inicio hoje uma crónica semanal na Rádio Vidigueira, a convite do Marco Abundância, a quem muito agradeço. Aproveito para saudar todos os ouvintes da Rádio Vidigueira e em especial os habitantes deste concelho, de onde sou natural.

Este convite teve em mim um efeito agri-doce. Por um lado, é mais uma responsabilidade que me vai ocupar algum do pouco tempo livre de que disponho e obrigar-me a estar mais atento ao que se passa, tendo em conta que há já duas décadas que deixei a vida política activa, com excepção de uma ou outra intervenção pontual e da gestão do meu blogue, o Alvitrando. Por outro lado, a apresentação destas crónicas semanais vai contribuir para uma maior reflexão sobre alguns temas e sobre eles sistematizar melhor o meu pensamento crítico, que espero poderem ser algumas “pedradas no charco”, em que se encontra a nossa sociedade, particularmente na nossa região. Ouvir aqui.

 

 

Os preços vão baixar depois da acabar a inflação?!...

Zé LG, 17.09.22

AC.pngNa narrativa que António Costa criou para justificar o corte nas pensões a partir de 2024, para além do argumento da necessidade de assegurar a sustentabilidade da Segurança Social - que garantia existir antes do Verão -, usa o de que as pensões não podem ser actualizadas por um fenómeno esporádico - a inflação -, como se os preços regressassem aos seus anteriores valores depois dela ser ultrapassada...

O Ministério da Agricultura precisa de especialista em assuntos bancários ou autárquicos?!…

Zé LG, 08.09.22

20220902_152050.jpg

Maria do Céu Antunes pode nomear quem entender para o seu Gabinete. Não deve é usar justificações tão esfarrapadas… diga antes que é para desempenhar funções políticas da sua confiança. Não deixará, por isso, de ser criticada, mas não o será por nos atirar areia para os olhos.

“é necessária uma participação mais ativa de cada cidadão na vida da sua comunidade”

Zé LG, 07.09.22

«É por estas e por outras razões que, cada vez mais, é necessária uma participação mais ativa de cada cidadão na vida da sua comunidade, mais envolvimento e compromisso, para que não tenhamos, com base em comunidades passíveis e a definhar, uma sociedade mais fraturada e desigual e, dessa forma, facilmente dominada por interesses e poderes pouco claros e pouco escrutinados! Não é fácil neste mundo de aparências onde temos o cinismo social, que vigora desde a idade antiga, e que nos dias de hoje está bem identificado numa rede social!» Anónimo 06.09.2022, aqui.

"ataques que aqui frequentemente aparecem nada têm de democráticos"

Zé LG, 06.09.22

«Estes ataques que aqui frequentemente aparecem nada têm de democráticos. São proferidos com ódio anticomunista por quem deseja que esse partido desapareça do mapa. Democracia não é pensarmos todos da mesma maneira, seguindo atrás do que insensatamente se proclama, como um rebanho de ovelhas.» Anónimo 03.09.2022, aqui.

"O que é verdadeiramente preocupante é a indiferença"

Zé LG, 05.09.22

«O que é verdadeiramente preocupante é a indiferença a qualquer nível que, infelizmente, vai fazendo escola por este País e Mundo fora! Quando permitimos que a indiferença se instale, atos de injustiça, etc, então o lento veneno da indiferença por conveniência, seja a que título for, acabará por destruir os nossos direitos, liberdades e garantias! Isto é PREOCUPANTE!» Anónimo 01.09.2022, aqui.

“Devia aproveitar-se o aproveitamento hidroagrícola para contribuir para a nossa Independência Nacional em produtos alimentares.”

Zé LG, 21.08.22

IMG_20220707_175845.jpg

«… Nada, fizeram tudo ao calhas. Conclusão: amendoeiras e mais amendoeiras, oliveiras e mais oliveiras. Em grande parte por estrangeiros. É claro que são culturas bem adaptadas à área regada; e o resto? O trigo regado também é altamente rentável no Alentejo; e não precisa de muita água porque a maior parte do ciclo vegetativo decorre no inverno. É sabido que os portugueses estão altamente dependentes do trigo importado. É evidente que os agricultores devem ter liberdade para produzir o que lhes é mais favorável, mas o Estado pode e deve dar orientações, fazer PLANEAMENTO. ...» Anónimo 20.08.2022, aqui.

"Senhor perdoai-lhes que não sabem o que dizem!"

Zé LG, 19.08.22

273160253_2118218421666773_4314774936622695036_n.j«Não posso deixar de manifestar a minha indignação com a sucessão de comentários que acabo de ler, num dos posts da página oficial de facebook de uma entidade pública, a Câmara Municipal de Beja!

Já todos percebemos que a ostracização constante do executivo camarário em funções é um foco, com o objetivo muito específico de promover o desgaste e a desmotivação dos eleitos, tentando afastá-los daquilo que é o seu propósito mais importante: trabalhar pelo concelho e pelas pessoas.

Compreendemos e até desculpamos, aqueles que por falta de oportunidades, não dispõem do nível de conhecimento adequado, o que os impossibilita de acederem a alguma informação fidedigna e de analisar criticamente determinados assuntos, (incapacitando-os até, de escrever duas frases que consigamos entender) o que os daz colocar constantemente o nosso trabalho em causa.Uma espécie de desconhecimento de factos concretos e possibilidades.

E para esses, o primeiro pensamento que me ocorre é aquele do "Senhor perdoai-lhes que não sabem o que dizem!"»... Leia aqui o resto do post de Marisa Saturnino, vereadora na CMB.

“o utente tem que adivinhar que vai ficar doente, que vai ter uma dor aguda”

Zé LG, 13.08.22

centro-de-saude-1.jpg«Não sei se deva rir ou chorar. Presentemente a Urgência no Centro de Saúde funciona por marcação, uma coisa nunca vista uma Urgência funcionar por marcação, o que quer dizer que um utente que tenha que ir de urgência ao Centro de Saúde não pode ser atendido porque tem que ser por marcação, portanto o utente tem que adivinhar que vai ficar doente, que vai ter uma dor aguda. Agora ainda querem encaminhar os casos que aparecem na Urgência do Hospital para os Centros de Saúde, que por sua vez não têm vaga porque funcionam por marcação, ou seja de manhã fica logo esgotada e da parte da tarde fica logo esgotada às 14h. Francamente haja paciência para tanta falta de incompetência.» Anónimo 10.08.2022, aqui.

PCP diz que é “preciso uma estratégia integrada de acessibilidades para o Alentejo”

Zé LG, 11.08.22

Comboios-Beja-768x432.jpgA DORBE do PCP avança que vai, em setembro, fazer uma jornada de luta para “reafirmar as suas propostas para o desenvolvimento da região”, que "têm estado desde sempre na agenda deste partido por serem matérias determinantes para este território e não por estarem na moda".
A DORBE do PCP diz que é “preciso uma estratégia integrada de acessibilidades para o Alentejo, no que respeita aos modos de transporte ferroviário, rodoviário e aeroportuário, que poderia ser a alavanca do desenvolvimento da região” e que “as promessas de investimento repetem-se, em período eleitoral, e nunca chegam a ser concretizadas ou são avançadas para daqui a uns anos”.
Frisa que o Aeroporto de Beja deve ser usado nas suas plenas capacidades e que, apesar dos velhos problemas que apresenta o caminho de ferro, cada vez mais população utiliza o comboio para viajar, porque o “preço ainda vai sendo atrativo tendo em conta o aumento dos combustíveis”. Daqui e daqui.

Ministra da Agricultura aponta investimento em charcas como solução

Zé LG, 11.08.22

Maria-do-Céu-Antunes-1-768x432.jpgA ministra da Agricultura e da Alimentação, Maria do Céu Antunes, apontou a criação de charcas como solução para os problemas da seca e do abeberamento animal, na visita que fez ontem, em Mértola, a uma exploração agropecuária apontada como exemplar no uso eficiente da água.
A Ministra frisou que aquele projeto agrícola em Mértola para além da gestão eficiente da água, investe em raça autóctones e na produção de culturas forrageiras para alimentar os animais em situações difíceis como as vividas agora devido à seca.

CNA exige que o Governo “passe das palavras aos atos e demonstre vontade política”

Zé LG, 10.08.22

CNA.png“Quatro anos volvidos sobre a publicação do decreto-lei que institui o Estatuto da Agricultura Familiar (EAF) muito falta fazer por parte do Governo e dos diversos ministérios”, assinalou a CNA - Confederação Nacional da Agricultura . Por outro lado, a situação da agricultura familiar “agravou-se exponencialmente” com a pandemia de covid-19, sanções “a pretexto da guerra na Ucrânia”, seca, fogos e aumento dos custos de produção.

Apesar de garantir não desvalorizar o que já foi feito, a CNA apelou à adoção de medidas como a criação de um regime de segurança social extensivo aos cônjuges nas explorações, um regime fiscal adequado e prioridade no abastecimento público, acesso à terra e à água, apoios para os sistemas policulturais, bem como a majoração dos apoios nas medidas de desenvolvimento rural para as zonas desfavorecidas ou com desvantagens naturais.

A CNA exigiu que o Governo “passe das palavras aos atos e demonstre vontade política”, a começar pela convocação da Comissão Nacional da Agricultura Familiar (CNAF).

"Decisores políticos regionais mais (pre)ocupados com a gestão das suas carreiras do que com a resolução dos problemas"?

Zé LG, 09.08.22

1517365556289.jpg«Enquanto os nossos principais decisores políticos regionais estiverem mais (pre)ocupados com a gestão das suas carreiras, cargos e agendas políticas pessoais do que com a resolução dos problemas e o desenvolvimento de projectos, dificilmente se conseguirá a governação integrada, participativa e colaborativa. A minha última frustração na CCDRA foi precisamente não termos conseguido implementar o Govint a nível regional, apesar do enorme trabalho que fizemos em conjunto com o IPAV e muitos dos actores regionais.» Jorge Pulido Valente, ex-vice-presidente da CCDRA.

Transferência de "urgências" para os Centros de Saúde:

Resolver o problema ou transferi-lo de local?

Zé LG, 08.08.22

centro-de-saude-1.jpgHá dias ouvi e li que o Ministério da Saúde pretende aliviar os serviços de Urgências dos hospitais, transferindo os casos menos graves para os centros de saúde. À primeira vista, parece uma boa medida, tendo em conta que não há necessidade de sobre-utilização das Urgências dos hospitais com casos que não são muito urgentes e passar estes para os centros de saúde, que os conhecem melhores e estão mais próximos. Mas, infelizmente há um mas...

Fui agora mesmo ao meu centro de saúde, porque ando com um problema que se tem vindo a agravar, causando-me muito incómodo. Ao perguntar ao segurança se podia marcar uma consulta de recurso ele respondeu-me, simpaticamente, que as consultas de recurso estavam esgotadas para hoje... Este é, de facto, um grande MAS. Se os centros de saúde já não conseguem dar resposta satisfatória às funções que actualmente devem como vai ser com mais aquela sobrecarga de trabalho?

Andaram-nos a vender a (falsa) ideia de que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) tinha grande capacidade de resposta, durante a pandemia, porque se mobilizou (quase todo) exclusivamente para ela. Fizeram orelhas moucas aos inúmeros alertas e denúncias de tudo o que estava a deixar de ser tratado e das consequências que daí resultariam. Aí está à vista de todos. Os problemas do SNS não são de hoje, vêm de muito longe. Há muitos responsáveis - uns assumidos outros nem tanto -, que pouco fazem para defendê-lo, contribuindo com decisões inadequadas e ineficientes ou com a falta delas corretas e tomadas oportunamente, para a sua degradação.

O SNS é seguramente o serviço público que que mais importância tem para todos, principalmente para os mais necessitados, porque garante / deve garantir o que de mais importante temos, a VIDA, sempre que possível com qualidade.

IPBeja quer mais alunos estrangeiros para “poder abrir alguns cursos” e “manter os fracos professores”?

Zé LG, 08.08.22

202207220942462189.jpg«..., gostaria de dizer que considero que uma instituição de ensino superior em Beja pode ser um grande factor de desenvolvimento concelhio e até mesmo regional. Por este motivo, considero que tudo se deve fazer para que se mantenha em funcionamento. Porém, com padrões que garantam uma formação robusta e de qualidade. Ressalvo ainda que, em meu entender, se em algumas escolas do IPB isso acontece, isso não pode ser generalizado a todas. ...

O facto do IPB ter alunos estrangeiros ... pode até ser interessante. Porém, o que se passa no IPB é que o número destes alunos é um escândalo. E o mais grave é que estes alunos só existem para que possam abrir alguns cursos, pois de contrário o IPB fecharia as suas portas por falta de alunos.

E porque é que interessa abrir alguns cursos? Ora para manter os fracos professores que por lá ficaram por não terem outras alternativas. É certo que esta apreciação também não se pode generalizar pois entendo que existem muito bons professores que se mantêm na instituição, mas o certo é que o percurso de alguns foi mesmo este.

... faz sentido andarmos a formar licenciados e mestres à custa dos nossos impostos para isso? Parece que a resposta que todos daremos mais facilmente é: não!...

Então, porque se continua a apostar nesta forma de gastar os nossos impostos se isso apenas serve para alguns "professores" se manterem a receber os seus vencimentos chorudos? … comentário de Pica do 7, 03.08.2022, aqui.

“Aeroporto de Beja: juntem-se, porra!” com grande impacto nas redes sociais

Zé LG, 04.08.22

O artigo de opinião de Fernando Caeiros e Lopes Guerreiro, intitulado “Aeroporto de Beja: juntem-se, porra!”, publicado n’ O Público on line terá já alcançado umas 20.000 pessoas. No site d’ O Público foi o artigo com mais partilhas (3.511) na segunda quinzena de Julho, apesar de ter sido publicado no dia 29. No Alvitrando /FB teve, até ontem, um alcance de 13.675 pessoas, 1.323 interações e 118 partilhas.

296437495_3218764275028436_8727712164046163942_n.j

O apelo nele contido de união na acção em defesa do aproveitamento do Aeroporto de Beja como complemento dos de Lisboa e Faro, que se encontram com enormes e crescentes constrangimentos, paraece ter sido bem acolhida. Esperemos que os diversos actores locais e regionais a saibam assumir a sua “responsabilidade de desencadearem uma ação concertada que cumpra o objetivo de a região se fazer ouvir quanto à pertinência que tem a utilização do aeroporto de Beja para, com custos comportáveis e num prazo aceitável, contribuir para a mitigação dos constrangimentos” daqueles aeroportos. Saiba e queira também o governo colocar o interesse nacional e a coesão territorial à frente de todos os outros interesses.

Com o PS a governar sozinho, os trabalhadores e os pobres que paguem a crise

Zé LG, 02.08.22

Sempre que acontece algo de muito negativo, lá vêm as fases costumeiras de que “nada irá ficar como dantes”, “o mal afecta-nos a todos”, “agora é que vamos perceber que estamos todos no mesmo barco”, “a ganância de alguns irá ser combatida para que os que mais precisam possam ter mais alguma coisa e mais dignidade”, …. Depois é o que se tem visto e está a ver.

Ouvimos ainda recentemente, aquando do debate do Orçamento de Estado, o governo afirmar que não há condições para aumentar os salários e as pensões, tal como falta dinheiro para assegurar as funções do Estado, designadamente as que mais poderão combater as crescentes desigualdades sociais, como se está ver com o que se está a passar no Serviço Nacional de Saúde.

Sem nome.png

Mas, por outro lado e de forma pornográfica, os bancos aumentaram em mais do dobro os seus lucros no primeiro semestre, fundamentalmente à custa do do desemprego de milhares de trabalhadores e do aumento das comissões. E ainda justificam tais aumentos com a necessidade de fazer face à inflação, que, segundo os seus administradores, afecta a todos.

Aliás, os lucros, pornográficos face à situação que estamos a viver, estão a ser obtidos igualmente por muitas outras empresas, designadamente na área das energias, que utilizam a mesma justificação da inflação.

Ou seja, as grandes empresas servem-se da inflação para especularem e terem lucros superlativos, enquanto os trabalhadores, os reformados e os mais necessitados empobrecem devido ao aumento do custo de vida provocado pela inflação.

Esta é a política de subserviência aos grandes interesses instalados que o governo do PS insiste em seguir e acentuar, agora sem os empecilhos dos seus ex-parceiros da Geringonça… É um fartar vilanagem.

Ver lucros dos bancos aqui e aqui.

Aeroporto de Beja: juntem-se, porra!

Zé LG, 30.07.22

FC.LG.pngA trapalhada dos “despachos” sobre os “novos” aeroportos recolocou Beja no processo de decisão sobre a rede aeroportuária nacional. Cabe aos atores alentejanos, muito especialmente às autarquias (através das Comunidades Intermunicipais - do Alto Alentejo, do Baixo Alentejo, do Alentejo Central e do Alentejo Litoral), aos deputados eleitos pelos círculos eleitorais de Beja, Évora, Portalegre e Setúbal, aos representantes da economia, à CCDRA, à ERT e aos demais agentes e organizações da sociedade civil alentejana, a responsabilidade de desencadearem uma ação concertada que cumpra o objetivo de a região se fazer ouvir quanto à pertinência que tem a utilização do aeroporto de Beja para, com custos comportáveis e num prazo aceitável, contribuir para a mitigação dos constrangimentos do aeroporto Humberto Delgado.