Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

BE apresentou queixa contra ilegalidades na contratação de imigrantes

Zé LG, 04.02.23

be.pngNa queixa apresentada na Procuradoria Geral da República são denunciados “factos relativos a alegadas irregularidades e ilegalidades levadas a cabo por empresas que operam em Portugal na contratação e/ou angariação de mão-de-obra imigrante, bem como práticas que poderão constituir violações de direitos humanos”. "Não basta dizer que as coisas estão mal, é preciso que haja investigação", sublinha Catarina Martins. Por essa razão e "sem prejuízo do trabalho que fazemos no parlamento para garantir que politicamente se responde a esta situação, achámos que devíamos trazer todos os dados para que o Ministério Púbico possa fazer o seu trabalho".

88% dos portugueses “não se sentem confortáveis dentro de casa devido ao frio ou ao calor”

Zé LG, 29.01.23

202301082058266475.jpg«Acontece, no entanto, que são os idosos, no campo ou na cidade, que em regra vivem nas habitações mais degradadas. Em muitos casos, as deficiências construtivas, aliadas à degradação avançada dessas moradias, determinam situações de penúria ambiental, quase sempre agravadas pelo facto dessas pessoas auferirem pensões que não lhes permite fazer as obras necessárias, ou usufruir de sistemas de aquecimento, no caso do frio, a gás ou a eletricidade.

Não têm existido políticas públicas centradas nesta problemática social. … Do que conheço, as Estratégias Locais de Habitação que à escala municipal começam agora a ser implementadas, não tiveram em conta esta realidade. Assim como muitas outras, como seja o acesso à habitação por parte dos jovens.» - Miguel Bento, aqui.

“um Poder absoluto que ouve sem escutar”

Zé LG, 28.01.23

202301222245113986.jpg«A Democracia é tanto mais verdadeira quanto mais as pessoas diretamente implicadas e afetadas nas inúmeras vertentes da vida da nação têm voz. Uma voz publica, livre, não condicionada aberta ou veladamente por um Poder absoluto que ouve sem escutar. Que mantém uma rede para o suposto diálogo onde só tem assento quem e quando o Governo quer. Sempre os mesmos, as mesmas caras, os mesmos interesses, apetece dizer, com preço conhecido, não falo de corrupção, falo da manutenção, do assegurar a sobrevivência dos supostos interlocutores. Um jogo de cartas marcadas. Um sossego com custos enormes agora e no futuro. Onde se fazem leis, decretos, programas com o objetivo de atingir um clima de satisfação, não dos intervenientes, mas sim dos momentaneamente interessados, destruindo, desperdiçando oportunidades e recursos.» - Luís Mira Coroa, aqui.

Há muita gente séria na política. Nem todos são iguais.

Zé LG, 25.01.23

Banner-Lopes-Guerreiro-300x286.jpgCom demasiada frequência, ouvimos dizer que, na política, são todos iguais. E esta afirmação, que podia ser um elogio, pretendendo dizer que todos os que fazem política o fazem de forma desinteressada em termos pessoais e com todo o empenhamento em servir a comunidade e a sociedade, não passa de um atestado de malvadez aos políticos, principalmente aos que militam em partidos com poder e aos que exercem cargos públicos, seja a que nível for.

 

Afinal Costa preenche ou não o questionário?

Zé LG, 19.01.23

António-Costa.jpgO que nasce torto, tarde ou nunca se endireita. O mecanismo de escrutínio prévio dos candidatos a governantes proposto por António Costa a Marcelo, e aprovado em Conselho de Ministros na semana passada, pôs Marcelo e Costa num braço de ferro que veio para ficar. Depois de, esta quarta-feira, o primeiro-ministro ter contrariado o Presidente dizendo que o “crivo já está feito” no que diz respeito aos atuais governantes e, como tal, o questionário de verificação prévia não se aplica a eles, Marcelo voltou à carga: “é óbvio" que se aplica. Daqui.

António Costa inventou à pressa um questionário a fazer aos escolhidos para integrar o governo, na tentaviva de aliviar a pressão sobre o governo em resultado das suspeitas sobre algumas pessoas recém nomeadas para integrar o governo. Com esta invenção acabou por cair numa ratoeira de que ainda não sabe como sair. O PR apressou-se a afirmar que o questionário se aplicava também aos actuais membros do governo e o primeiro-ministo afirmou que não, porque estes já tinham entregue as suas declarações de interesses, o que volta a levantar suspeitas e a aumentar o escrutínio sobre os actuais membros do governo, incluindo António Costa... E há quem questione "o perfil" dos governantes que têm de se sujeitar ao preenchimento de um questionário para serem nomeados, uma vez que só deviam ser escolhidos os que estivessem acima de quaisquer suspeitas...

A impunidade de quem desempenha funções de poder tem de ser combatida

Zé LG, 18.01.23

Banner-Lopes-Guerreiro-300x286.jpgNo discurso de vitória após as últimas eleições legislativas, António Costa afirmou que a maioria absoluta não significava poder absoluto. Houve quem entendesse, na altura, que António Costa estava a fazer uma declaração de humildade democrática e de promessa de que tal iria acontecer. Passado um ano, será mais fácil de compreender que, com aquela afirmação, António Costa estava a fazer um aviso para dentro do PS. Ou seja, estava a fazer um aviso prévio de como se deviam comportar os que ocupassem lugares em representação do PS nos diversos órgão de poder. Que deviam respeitar a ética republicana e as regras democráticas, não abusando do poder nem dele se servindo em proveito próprio ou de familiares, amigos ou correlegionários.

Entretanto o que temos verificado? Exactamente o contrário do que António Costa afirmou há um ano. As demonstrações do quero, posso e mando não têm faltado. Os casos, casinhos e casões demonstrando que alguns dos eleitos do PS na Assembleia da República e em autarquias, quer ministros e secretários de Estado não ouviram ou não ligaram aquele seu pré-aviso também não têm faltado. Isto para não falar nas empresas públicas ou tuteladas pelo Estado…

 

 

Imigrantes "são uma oportunidade"

Zé LG, 14.01.23

imigrantes despejados.png"Em Portugal, as contribuições para a Segurança Social, em 2022, já ultrapassaram os mil milhões de euros, um número significativo e um importante contributo para a sustentabilidade daquele sistema", segundo a secretária de Estado da Igualdade e Migrações, Isabel Almeida Rodrigues, defendendo que os imigrantes "são uma oportunidade" não só para quem parte à procura de melhores condições de vida e segurança, mas também para o País acolhedor.

Além das contribuições para a Segurança Social, a Secretária de Estado da Igualdade e Migrações, considerou que os imigrantes "abrem os nossos olhos e os nossos horizontes" para novas culturas e "trazem outros sabores e outras cores" e acrescentou que o nosso País continua a receber imigrantes "quase todos os dias”, defendendo que a mobilidade "tem de ser vista como um direito fundamental do ser humano".