Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

11,2% dos trabalhadores que trabalham a tempo completo são pobres

Zé LG, 01.05.22

1maio-cartaz_short.jpgOrdenados ‘esmagados’, carga fiscal elevada. Este é um dos raio-x feitos ao mercado do trabalho português. A precariedade penaliza ainda mais a situação dos trabalhadores, que vários responsáveis querem ver resolvida.

Isabel Camarinha, líder da CGTP, defende que é inevitável subir todos os salários, considerando que este desafio deve ser encarado como «uma emergência nacional», dizendo que «um país que se quer desenvolvido não pode ter 11,2% dos trabalhadores que trabalham a tempo completo pobres». «Isto é real e com consequências na pobreza infantil, o que também é inaceitável...» e alertou ainda que: «Temos mais de um milhão de trabalhadores com salário mínimo nacional, mas depois temos quase três quartos – 72,5% – com salários abaixo dos mil euros».

Para Henrique Tomé, analista da XTB, «o mercado de trabalho em Portugal continua a promover a precariedade na maior parte das áreas», sublinhando que «a mão-de-obra é qualificada, mas as empresas continuam a querer pagar salários baixos, o que não contribui para o produtividade do país, nem para a própria competitividade das empresas, uma vez que muita mão-de-obra qualificada continua a optar por ir trabalhar para empresas no estrangeiro que oferecem melhores condições». Defende por isso que  «é  necessária uma reforma nesta área, pois é uma vertente fundamental para o crescimento da produtividade das empresas e para a própria economia».

"ter um emprego seguro não é suficiente para sair de uma situação de pobreza"

Zé LG, 30.10.21

image.jpgNo recente estudo "A Pobreza em Portugal - Trajetos e Quotidianos", informa-se que um quinto da população portuguesa é pobre e a maior parte das pessoas em situação de pobreza trabalha, sendo que a maioria dos trabalhadores nessa condição tem vínculos laborais sem termo.

Fernando Diogo, coordenador do estudo, salientou que identificam "quatro perfis de pobreza em Portugal: os reformados (27,5%), os precários (26,6%), os desempregados (13%) e os trabalhadores (32,9%)".

A análise conclui que um terço dos pobres são trabalhadores. Juntando-lhes os precários, percebe-se que mais de metade das pessoas em situação de pobreza trabalha, o que significa que "ter um emprego seguro não é suficiente para sair de uma situação de pobreza".

Conflitos, alterações climáticas e COVID-19 ameaçam objetivo das Nações Unidas da Fome Zero

Zé LG, 17.10.21

Sem nome.pngO Índice Global da Fome (IGF 2021) alerta para retrocessos na luta contra a fome, com cerca de 50 países a não conseguirem atingir a Fome Zero até 2030. Segundo o relatório divulgado hoje pela ONG Ajuda em Ação, a situação da segurança alimentar no mundo tornou-se em 2020 e 2021 ainda mais grave devido ao “cocktail tóxico da crise climática, da pandemia COVID-19 e de conflitos violentos cada vez mais graves e prolongados”.

Núcleo de Beja da Rede Europeia Anti-Pobreza defende intervenções ao nível dos idosos, imigrantes e comunidades ciganas

Zé LG, 07.10.21

logo-eapn-portugal-cor[3].jpgO Núcleo Distrital de Beja da Rede Europeia Anti-Pobreza apela à sociedade civil para que participe na consulta pública da Estratégia Nacional de Combate à Pobreza 2021-2030, devendo os interessados enviar um mail com as suas opiniões ou sugestões para: n.beja@eapn.pt.

A Rede fez um diagnóstico da situação no distrito de Beja e definiu como prioridades, intervenções ao nível dos idosos, imigrantes e comunidades ciganas, adianta João Martins, coordenador do Núcleo de Beja.

Cáritas de Beja alerta para a falta de recursos alimentares e apela à doação particular

Zé LG, 13.03.21

11212_big.jpgA Diocese de Beja relançou a campanha "Cáritas é Amor, Ajude a Ajudar" devido à falta de recursos alimentares e por não ter capacidade de resposta para os diversos pedidos que lhe chegam, lançada pela primeira vez em 2020, aquando do primeiro confinamento.

"Neste momento, a situação está a ser pior, estamos a ter mais solicitações e, por isso, pensámos em relançar a campanha por tempo indeterminado", explicou Ana Soeiro. Trata-se de "uma resposta de emergência" para dar "no imediato" às pessoas que chegam aos serviços de atendimento da Cáritas, "enquanto aguardam para serem, depois, integradas numa das respostas sociais" da instituição, diz a coordenadora técnica do Serviço de Atendimento e Acompanhamento Social (SAAS).

PCP refere que “pobreza alastrou na região Alentejo”

Zé LG, 22.10.20

imgLoader2.ashx.jpg"A situação de pandemia em que se vive tem tido impactos significativos na região Alentejo, entre eles o aumento do desemprego, a diminuição de rendimentos e o agudizar da situação dos profissionais da cultura, questões que conduziram ao alastrar da pobreza neste território, onde a campanha do medo também se acentua”, refere Dias Coelho da DRA do PCP, acrescentando que as dificuldades não se ficam por aqui, pois tem tido manifestações bastante negativas, igualmente, nas questões da saúde e da educação.

“Carta aberta aos poderes políticos sobre a pobreza em Portugal”

Zé LG, 23.06.20

202006221626445624 pobreza.jpg

A EAPN Portugal/Rede Europeia Anti Pobreza entregou uma “Carta aberta aos poderes políticos sobre a pobreza em Portugal” onde sustenta que o combate à pobreza deve ser a "prioridade das prioridades" do país. A OCDE diz que “Portugal é dos países desenvolvidos onde é mais difícil sair da pobreza ou, do outro lado, deixar de ser rico”, lembra a EAPN.

O novo Coronavírus não criou a pobreza e a fome

Zé LG, 12.05.20

A pobreza e a fome afectavam milhões de pessoas antes no novo Coronavírus surgir. Este só veio acentuar e evidenciar mais uma realidade cruel e que os poderes pouco têm feito para combater. Daí o seu agravamento progressivo, que afecta cada vez mais um maior número de trabalhadores, o que é alvitante.

Daí assistir com surpresa(?) às declarações de alguns responsáveis, que parecem atribuir ao novo Coronavírus a responsabilidade por essas situações…

“Sobrevivendo e Resistindo: Comunidades Ciganas, Racismo e Habitação”

Zé LG, 25.11.19

é o mote para um debate que vai decorrer, a partir das 15.00 horas, na Escola Superior de Educação de Beja.

201911221030195233.jpg

Com a realização desta iniciativa o Núcleo Distrital de Beja da Rede Europeia Anti-Pobreza pretende juntar instituições, associações, moradores e pessoas interessadas, de maneira a ajudar a enquadrar as responsabilidades e as capacidades de cada um. Pretende-se também ajudar a alavancar um processo partilhado de efectiva inclusão social destas comunidades.

A Rede Europeia Anti-Pobreza afirma que “Este é um problema complexo, que importa (re)conhecer e que exige a cooperação entre poderes públicos, sociedade civil e os moradores locais”.

Círculo do Silêncio pelo fim da pobreza e exclusão social

Zé LG, 31.10.19

silêncio.jpgA Cáritas Diocesana de Beja, em colaboração com diversos parceiros promove, esta tarde, às 17.30 horas, nas Portas de Mértola, mais um Circulo de Silêncio, desta vez pela erradicação da pobreza.

A Cáritas recorda que entre um total de 2,2 milhões de pessoas que estavam em risco de pobreza ou exclusão social, cerca de 110 mil portugueses viviam no ano passado em risco de pobreza, privação material severa e sem trabalhar.

UMA MULHER NO TOPO DO MUNDO

Zé LG, 12.11.17

img236.jpgUma mulher solidária

Faz tempo que tive o ensejo de ouvir na rádio uma entrevista de uma senhora que, pelo teor da mesma, não me deixou sobremaneira indiferente e a partir daí procurei acompanhar o seu percurso na saga solidária que a anima. Trata-se de Maria do Céu da Conceição e da sua inspiradora história de sucessivos desafios e sucessos. Resumidamente, esta mulher inconformada procura com a sua generosidade e criatividade retirar da pobreza e da ignorância várias centenas de crianças de bairros de lata do Bangladesh, mais concretamente da capital do país, Daca. A divulgação da sua ação, bem como a principal angariação de receitas, derivam de imensas iniciativas arrojadas em que se envolve, nomeadamente maratonas, escaladas em várias partes do mundo, destacando-se uma nos Himalaias (8 848 metros de altitude), sendo a primeira mulher portuguesa a conseguir tal proeza.

 

EURODEPUTADA DO PCP REUNE COM CPCJ EM BEJA

Zé LG, 04.01.16

Inês Zuber, deputada do PCP no Parlamento Europeu, reúne esta segunda-feira, 4 de Janeiro, pelas 15:00 horas, na Câmara Municipal de Beja, com representantes de Comissões para a Proteção de Crianças e Jovens do distrito de Beja.

manchete_banner_030120162010-51-InsZuber.jpg

Este encontro surge na sequência da aprovação, no passado mês de Novembro, em sessão plenária do Parlamento Europeu, do relatório "A redução das desigualdades, com especial atenção à pobreza infantil", da deputada do PCP, com 569 votos a favor, 49 abstenções e 77 votos contra.



ALVITO ASSINALA O DIA INTERNACIONAL DA ERRADICAÇÃO DA POBREZA E EXCLUSÃO SOCIAL

Zé LG, 15.10.15

pobreza.jpegPara assinalar o Dia Internacional da Erradicação da Pobreza e Exclusão Social, o Município irá desenvolver, nos dias 16 e 17 de outubro, iniciativas que promovem a participação e a inclusão social, dirigidas a toda a comunidade.


A propósito do Dia Mundial da Alimentação Pensar, Comer e Não Desperdiçar dá o mote às atividades a desenvolver com os alunos do Agrupamento de Escolas que, através de jogos pedagógicos, aprendem mais sobre a alimentação saudável.

“Só com a luta do povo é possível derrotar a política de exploração e empobrecimento”

Zé LG, 14.02.14

O estudo sobre as Infraestruturas de Elevado Valor Acrescentado comprova a intenção de abandono do Alentejo, assim como, o que se conhece dos fundos comunitários para a região, a afirmação saiu da última reunião da Direcção Regional do Alentejo do PCP.
Os comunistas denunciam aquilo a que chamam de propaganda de êxitos do Governo quando aquilo que está a acontecer com as políticas que estão a ser praticadas é a aceleração do despovoamento, envelhecimento e desertificação. João Dias Coelho, da DRA do PCP, dá voz ao protesto.

In: http://www.vozdaplanicie.pt/index.php?go=noticias&id=2186

“Uma só família. Alimento para todos”

Zé LG, 13.12.13

… é o mote para uma campanha internacional lançada pela Cáritas Internationalis, apadrinhada pelo Papa Francisco, que apela à erradicação da fome no Mundo até 2025.

Esta campanha, que conta com o apoio da Confederação Episcopal Portuguesa, pretende alertar os governos de todo o Mundo, as Nações Unidas e todos os cidadãos para o direito à alimentação.

A presidente da Cáritas de Beja diz que, nesta região, certamente que há famílias com fome.

In: http://www.vozdaplanicie.pt/index.php?go=noticias&id=1754

“Flores de Esperança” é apresentado hoje

Zé LG, 11.07.13

… às 18h30, na Igreja Paroquial do Bairro da Esperança. Trata-se de um projecto que recorre às flores como elemento de esperança e de novas perspectivas para a criação de dinâmicas regeneradoras.

O projecto “Flores de Esperança”, que nasceu de um desafio lançado pela Rede Europeia Anti-Pobreza, pela Igreja Paroquial do Bairro da Esperança e pelo Centro Social, Cultural e Recreativo à população do Bairro da Esperança, pretende envolver parceiros públicos e privados e, sobretudo, estimular a auto-estima e a participação activa da comunidade local. Entre as acções conta-se a que dá nome ao projecto, ou seja, desenvolver um calendário anual de iniciativas em torno das flores no Bairro que os seus promotores pretendem se torne o local mais florido da cidade de Beja.

In: http://www.vozdaplanicie.pt/index.php?go=noticias&id=574