Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“o PCP ainda é demasiado importante”

Zé LG, 17.01.24

PR (1).png«Ao contrário do que muitos pensam, dado que não só os seus conceitos ideológicos como o próprio partido em si estarem em continua decadência, o PCP ainda é demasiado importante para não se estar com a devida atenção aos seus comunicados. Isto porque a quase dois meses das eleições, já se percebeu que o principal cenário que em principio daí resultará, será a reedição de uma nova Geringonça de esquerda.

Só que desta vez o PS não irá ter a sua vida tão facilitada como nas anteriores, ao ponto de ser de somenos importância conhecer o seu programa eleitoral, pois irá ser forçosamente alterado com as multiplas imposições que Bloco e o PCP lhe irão exigir. Uma vez que estes não só não se esqueceram da forma como os expoliou do seu eleitorado tradicional nas últimas eleições, como da arrogância como governou nestes últimos dois anos. De modo que embora seja quase impossivel haver dinheiro para reverter todas as privatizações aqui referidas, de certeza que desta vez o Estado não se irá ficar apenas pelos 0,5% dos CTT que tanto alarido e celeuma têm dado.» Anónimo, 16.01.2024, aqui.

PCP quer “abrir caminho” para controlo público de empresas estratégicas

Zé LG, 15.01.24

PR (1).pngPaulo Raimundo referiu que empresas como a ANA, a Petrogal, a EDP, a PT ou os CTT foram privatizadas segundo a premissa de que “o Estado não aguenta” e que era preciso “melhorar os serviços, a resposta aos utentes”, o que considerou não se ter verificado, pelo que quer “abrir caminho” para que o Estado recupere o controlo público de empresas em sectores estratégicos da economia, qualificando as privatizações de “crime político e económico” e de “campo fértil” para a corrupção. O secretário-geral do PCP sublinhou que, apesar de a Constituição estipular que o poder económico deve estar subordinado ao poder político, “a prática diária faz o contrário”.

Paulo Raimundo na apresentação da lista por Évora

Zé LG, 09.01.24

PCP.pngPaulo Raimundo, secretário-geral do PCP, marca presença, nesta terça-feira, às 18h00, no Palácio de D. Manuel, na presentação da lista de candidatos pelo distrito de Évora às legislativas 2024, cujo primeiro nome é Alma Rivera, e o mandatário é o médico oncologista Rui Pedro Duarte Dinis.

“postura de André Ventura é exatamente o oposto da Odete Santos”

Zé LG, 31.12.23

Sem nome (86).png«Do que me lembro, Odete Santos usava argumentos para defender as suas ideias, não usava chavões, nem pretendia chocar e provocar por provocar para ter audiência.

Do que me lembro, Odete Santos não procurava efeitos televisivos e que chamassem a atenção sobre ela, ela chamava a atenção para a resolução dos problemas e expunha como achava que seriam resolvidos. Com franqueza, lealdade e civilidade.

Do que me lembro, a postura de André Ventura é exatamente o oposto da Odete Santos. O assunto é ele, os problemas a sua passadeira para as câmaras televisivas.» zé onofre, 30.12.2023, aqui.

“Talvez faltem Odetes Santos na política actual!”

Zé LG, 30.12.23

Sem nome (86).png«Talvez faltem Odetes Santos na política actual! Assiste-se cada vez mais, ao vociferar (ou papaguear) de frases feitas, a manifestações politicamente correctas, mas que na realidade, poucas consciências despertam, ao contrário da figura de OS! Dá trabalho, causa incómodos, e esboroa o status quo "porreirista" em que os partidos vivem! Este modus vivendi partidário, vai permitindo empregar boyada mal preparada, carreirista e oportunista q.b.! Fazem falta figuras incómodas (ou pouco acomodadas), ousadas e problematizadoras por tudo aquilo que acrescentam às estruturas políticas, como uma espécie de espaço de debate e de auto análise! Por essa mesma razão, se assiste cada vez mais, a uma perpetuação do poder, que nem com a substituição esporádica dos actores e dos líderes, se consegue reinventar e/ou transformar positivamente! Anónimo, 28.12.2023», aqui.

Morreu Odete Santos, uma mulher que punha "o coração nas palavras"

Zé LG, 27.12.23

Sem nome (84).pngNascida em 26 de Abril de 1941, na freguesia de Pêga, concelho da Guarda, Maria Odete Santos era advogada, aderiu ao PCP em 1974 e foi deputada à Assembleia da República entre 1980 e 2007, tendo exercido também vários cargos a nível partidário e autárquico, em Setúbal. Como dirigente partidária e deputada, destacou-se em áreas dos Direitos, Liberdades e Garantias, na defesa dos direitos dos trabalhadores e dos direitos das mulheres, assuntos que abordou em conferências, debates, entrevistas e artigos publicados, com destaque para o "particular significado" da sua intervenção na conquista de novos direitos para as mulheres, nomeadamente o combate ao aborto clandestino e pela despenalização da Interrupção Voluntária da Gravidez". No parlamento, dedicou-se às áreas do direito do Trabalho, Assuntos Constitucionais e direitos das mulheres, tendo sido agraciada com a Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.

Odete Santos escreveu vários livros e gozou de uma popularidade que extravasou o âmbito político, com presenças regulares em programas de televisão, desde debates políticos a programas de entretenimento.

À família e ao PCP apresento os meus sentidos pêsames. Até sempre Odete Santos!

Paulo Raimundo pergunta "onde estão os autarcas do PS na defesa da região?

Zé LG, 16.12.23

202312152214471996.jpgO secretário-geral do PCP, Paulo Raimundo, ontem na Vidigueira, disse que "foi o PCP que esteve lá ao lado das populações, a CDU esteve e está lá também com os seus autarcas, o João Dias lá esteve e está. Não perdemos um minuto que seja na luta pelo acesso e defesa do direito à saúde. E perante esta realidade do SNS aqui no distrito, onde andam os outros? As outras forças, os outros deputados? Onde estão os autarcas do PS? Não andam, ou melhor, andam certamente por aí, mas longe deste problema. Aquando das eleições é só promessas. Não esquecemos a promessa da construção da segunda fase do Hospital de Beja, mais uma levada pelo vento, mais uma promessa adiada. Mas também não só não esquecemos como sentimos os efeitos de anos e anos de adiamento do IP8, parado com a troika e que o Governo PS se recusou a retomar. Não esquecemos e não permitiremos que se esqueça a hipocrisia dos que enchem a boca com a ferrovia, mas que deixam há décadas o povo deste distrito à espera de linhas férreas capazes de responder às necessidades e desenvolver a região, essa mesma hipocrisia que mantém o Aeroporto de Beja subaproveitado, ajoelhando o País e a região aos interesses da Vinci. Mas como aí estão as eleições, esses mesmos que tais voltarão com a chuva de promessas e proclamações de boas intenções com afirmações ocas de que agora é que é. A propaganda pode ser muita e forte, mas, ao contrário do que gostariam alguns, o povo não tem memória curta, e muito menos os alentejanos. Sabem quem esteve e está com eles todos os dias e quem esteve ausente".

Manuel Gusmão morreu

Zé LG, 09.11.23

manuel_gusmao.jpgManuel Gusmão nasceu em Évora, em 1945. Poeta, ensaísta, tradutor, crítico literário, professor universitário, foi um dos maiores nomes da literatura e da cultura portuguesa dos séculos XX e XXI. Foi distinguido pelo Estado português com a Medalha de Mérito Cultural. 

Militante do PCP desde Maio de 1974, tinha ligação regular e directa com o Partido desde 1971. Membro do Comité Central do PCP do IX ao XIX Congresso, foi membro da Direcção da Organização Regional de Lisboa. Era actualmente membro da Comissão Nacional da Cultura junto do CC. Em 1975 foi eleito deputado à Assembleia Constituinte pelo círculo de Évora e à Assembleia da República entre 1976 e 1979.

Fez parte da Comissão Instaladora Provisória do Sindicato dos Professores, constituída em Maio de 1974, e da Comissão Directiva Provisória, eleita nesse ano. Foi redactor das revistas “O Tempo e o Modo”, “Letras e Artes”, “Crítica” e “Seara Nova” e fez parte do Conselho Editorial da Revista “Vértice”. 

À família e ao PCP apresento os meus sentidos pêsames.

Margarida Tengarrinha morreu

Zé LG, 27.10.23

margarida_tengarrinha.jpg

Maria Margarida Carmo Tengarrinha, de 95 anos, natural de Portimão, morreu. O corpo estará em câmara ardente na Casa Mortuária da Igreja do Colégio em Portimão, no dia 31 de Outubro, saindo às 12h30 para o crematório de Albufeira.
Margarida Tengarrinha teve uma vida inteiramente dedicada à luta e intervenção pela emancipação dos povos, pela democracia, o progresso social, a paz e o socialismo. Participou, desde jovem, nas lutas estudantis, foi membro da Direcção Universitária do MUD Juvenil, aderiu ao PCP em 1952, passou à clandestinidade em 1954, integrou o Comité Central desde Maio de 1974 até 1988 e foi deputada à Assembleia da República nas III e IV legislaturas. Integrava a Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação.
Margarida Tengarrinha publicou diversos livros sobre pintura, cultura popular e sobre a sua experiência e intervenção enquanto funcionária do PCP. Tem também uma vasta obra de artes plásticas.

À família e ao PCP apresento os meus sentidos pêsames.

PS e PCP querem projetos estruturantes do distrito de Beja garantidos no OE

Zé LG, 10.10.23

201812162050225615.jpgO deputado PS Pedro do Carmo acha que este "vai ser um orçamento ambicioso e centrado nas ajudas às famílias e empresas" e diz que vai "exigir, na especialidade, que seja feito "o ponto de situação sobre os projetos estruturantes, nomeadamente o aeroporto, com os desenvolvimentos avançados pela Comissão Técnica Independente (CTI)", pedindo "a garantia de que avancem os concursos previstos". Frisou que quer ver "neste orçamento a ferrovia e o IP8 garantidos", assim como os "investimentos necessários às autarquias, no âmbito do PRR e Alentejo 2030 para se resolver o que ainda é preciso fazer na habitação e saúde, entre outros aspetos, no distrito".

201812241225153249.png

O deputado do PCP, João Dias, frisou que neste "Orçamento do Estado será exigido, no que ao distrito de Beja diz respeito, mais do mesmo porque o Governo não tem cumprido no território, no que se refere ao aeroporto, à ferrovia e ao IP8", considerando que "é preciso outro olhar para responder às consequências da seca no distrito, assim como garantir que os blocos de rega do Alqueva em falta sejam finalizados". Promete, ainda, que o "PCP vai entregar propostas, também, na especialidade, sobre o IC4 e o IC27".

Leia e oiça aqui.