Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

PCP diz que é “preciso uma estratégia integrada de acessibilidades para o Alentejo”

Zé LG, 11.08.22

Comboios-Beja-768x432.jpgA DORBE do PCP avança que vai, em setembro, fazer uma jornada de luta para “reafirmar as suas propostas para o desenvolvimento da região”, que "têm estado desde sempre na agenda deste partido por serem matérias determinantes para este território e não por estarem na moda".
A DORBE do PCP diz que é “preciso uma estratégia integrada de acessibilidades para o Alentejo, no que respeita aos modos de transporte ferroviário, rodoviário e aeroportuário, que poderia ser a alavanca do desenvolvimento da região” e que “as promessas de investimento repetem-se, em período eleitoral, e nunca chegam a ser concretizadas ou são avançadas para daqui a uns anos”.
Frisa que o Aeroporto de Beja deve ser usado nas suas plenas capacidades e que, apesar dos velhos problemas que apresenta o caminho de ferro, cada vez mais população utiliza o comboio para viajar, porque o “preço ainda vai sendo atrativo tendo em conta o aumento dos combustíveis”. Daqui e daqui.

Aeroporto de Beja precisa de boas acessibilidades para que as companhias aéreas se interessem por usá-lo, segundo João Dias

Zé LG, 19.07.22

20220110185021781.jpgO deputado do PCP eleito por Beja, reuniu-se, esta manhã, com a direção do aeroporto e em jeito de balanço afirma que esta infraestrutura está subaproveitada a vários níveis e ainda que está por concluir uma grande parte do projeto, fundamental para aumentar a sua capacidade em várias vertentes. De acordo com o deputado comunista há investimentos fundamentais que têm que, ser feitos a nível das acessibilidades para que a região e o país possam tirar partido daquilo que o aeroporto de Beja pode dar.

DORBE DO PCP quer aeroporto de Beja “colocado ao serviço do País”

Zé LG, 05.07.22

202206272143435729.jpgA DORBE do PCP diz que, “num quadro de grande saturação dos aeroportos de Lisboa e de Faro”, o de Beja tem “todas as condições no imediato” para ser solução e ajudar a “alargar a capacidade no transporte de mercadorias” e “servir de apoio ao restante tráfego aéreo para o sul do país”.

Lembrando os investimentos previstos para o alargamento do Porto de Sines, vinca que “a potenciação” do aeroporto de Beja deve “ser articulada” com “uma visão nacional que aproveite os fundos comunitários”, referindo que as verbas do PRR devem ser utilizadas para “na rede ferroviária com a modernização e eletrificação de toda a linha do Alentejo”, porque, “Com material circulante moderno” e “a conclusão das vias inscritas no Plano Rodoviário Nacional”, nomeadamente o IP 8, com perfil de autoestrada, será possível criar “ligações rápidas e eficazes a Lisboa e ao Algarve”

A DORBE do PCP insiste que “o aeroporto de Beja deve ser colocado ao serviço do país” e defende a “inadiável e indispensável construção faseada do novo aeroporto no Campo de Tiro de Alcochete”, afirmando que “O investimento de milhares de milhões de euros na Base Aérea do Montijo para utilização provisória, como pretende o Governo, é uma decisão desajustada que adia, mais uma vez, a construção do aeroporto e só explicável pela pressão da multinacional Vinci”.

João Dias fala das “dificuldades por que passamos na área da saúde no distrito de Beja”

Zé LG, 01.07.22

20220130195536716.jpg«Da falta de médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde, à falta de equipamentos como a ressonância magnética, da recusa em melhorar e investir no hospital de Beja e centros de saúde, passando pelo abandono de hospitais como o hospital de Serpa, até à opção para a construção de um hospital privado quando a prioridade deveria ser a de acabar com os contentores no recinto do hospital de Beja construindo a segunda fase do hospital, leva-nos a concluir que no distrito de Beja também a área da saúde tem sido alvo do mais profundo desinvestimento a que podemos assistir no nosso país.»

João Dias, Deputado do Grupo Parlamentar do PCP, aqui.

AR aprova projeto do PCP que defende valorização e reconhecimento do Ensino Superior Politécnico

Zé LG, 25.06.22

20220130195536716.jpgFoi aprovado, ontem, na Assembleia da República, o Projeto de Lei de autoria do PCP que defende a "Valorização e reconhecimento do Ensino Superior Politécnico", reconhecendo a possibilidade dos mesmos poderem passar a conferir o grau de doutor.

João Dias, deputado eleito por Beja e dos subscritores do projeto, diz que o PCP não aceita “que o Ensino Superior Politécnico continue a ser alvo de uma política de desvalorização, que entende o Ensino Superior Politécnico como um Ensino Superior de segunda categoria.

Jerónimo de Sousa alertou para o papel que o Alentejo pode desempenhar na produção de cereais

Zé LG, 21.06.22

202206192156524547.jpg

No seu discurso de encerramento da 10.ª Assembleia da Organização Regional de Beja do PCP, Jerónimo de Sousa ‘apontou baterias’ ao Governo do PS devido à situação económica do país e alertou para o papel que o Alentejo pode desempenhar na produção de cereais.

“Vivemos uma situação em que se adensam as preocupações em relação à evolução da situação económica e social do país, com um forte impacto muito negativo nas condições de vida e nos direitos dos trabalhadores e do povo”, afirmou, acrescentando que é também “tempo” de o Governo socialista tomar outras medidas, como “garantir a reposição da taxa do IVA nos 6% na eletricidade e gás”, criar “um Cabaz Alimentar Essencial” e definir “um preço de referência para cada um dos produtos, com base nos custos reais e numa margem não especulativa”.

A atualização extraordinária para todas as pensões, no montante mínimo de 20 euros por pensionista, ou a adoção de “medidas concretas para assegurar aumentos de salários” foram outras das medidas reclamadas pelo líder do PCP.

PCP exige aumento do salário mínimo para 800 euros para contrariar inflação

Zé LG, 01.06.22

Screenshot 2022-05-31 at 23-02-34 Partido Comunist“São precisas medidas urgentes para interromper o empobrecimento acelerado de parte da população, o agravamento da exploração e a especulação. Impõe-se um aumento geral dos salários – dos setores privado e público – incluindo um aumento extraordinário do salário mínimo nacional para 800 euros em julho”, porque o crescimento da taxa de variação homóloga de inflação para 8% em maio, o valor mais elevado desde fevereiro de 1993, demonstra que o Governo tem de avançar com “medidas urgentes" que assegurem "a recuperação e valorização do poder de compra” dos portugueses.

Jerónimo de Sousa critica Governo por recusar travar escalada de preços

Zé LG, 22.05.22

202205221433348290.jpgJerónimo de Sousa, líder do PCP, hoje em Baleizão, acusou o Governo do PS de fazer “uma política de meias-tintas” por se recusar a aumentar os salários e pensões e a travar a escalada de preços, recordando que o PS prometeu, na campanha eleitoral, valorizar salários e reformas, e que agora, “apanhado com a maioria absoluta que ambicionava e de mãos livres”, “esqueceu a promessa” e “está já a fazer o contrário do que anunciou”.
Jerónimo de Sousa frisou que o “deixar andar e fechar os olhos à especulação e à exploração está bem patente” na proposta de Orçamento do Estado para este ano, considerando que no documento “não se veem as soluções para estes e outros problemas” e que “O que aí está é um autêntico assalto ao bolso de quem trabalha da parte dos grupos económicos, com os seus aumentos especulativos dos bens essenciais, dos alimentares à energia, dos combustíveis aos transportes, à água e habitação”.

“O Custo de vida Aumenta o Povo não Augenta!!”

Zé LG, 04.05.22

273118887_4643643375734972_3902533592762164967_n.jEste Orçamento do Estado não dá resposta às necessidades que estão colocadas à população, ao país e mais ainda à nossa região, tal qual o Orçamento que foi rejeitado em outubro de 2021 não dava!

É preciso responder ao agravamento do custo de vida, à perda de poder de compra dos trabalhadores, dos reformados e pensionistas, a salvar o Serviço Nacional de Saúde, defender o direito à habitação, reforçar o abono de família das crianças e garantir a gratuitidade das creches a par da criação de uma rede pública de creches.

João Dias, Deputado do PCP, aqui.

Afinal quem invadiu a Ucrânia? Foi a Rússia ou o PCP?

Zé LG, 23.04.22

_100518426_irsqueafp.jpgAs invasões, ocupações e intervenções de países por outros são mais que muitas e todas condenáveis. Umas não podem nem devem servir de justificação a outras. O PCP costuma(va) ter uma posição que muito me agrada, que é a de que nenhum país deve intervir nas questões internas de outro, salvo se a pedido do seu governo legítimo, e, por isso, sempre esteve na primeira linha da crítica às inúmeras intervenções, directas ou por interpostos agentes, dos EUA noutros países. Já quando se trata(va) de intervenções da ex-URSS ou da Rússia, como agora está a acontecer na Ucrânia, não é capaz de tomar a mesma posição, ficando-se por, quando muito, criticá-las mas justificando-as. É o que se verifica agora, mais uma vez. Zelensky e o seu governo podem ser tudo o que de pior o PCP diz deles, mas nada disso justifica a invasão e a guerra desencadeadas pela Rússia na Ucrânia com o objectivo de ocupá-la "a bem", através de um governo seu amigo, ou à força, através da guerra, ocupando-a por inteiro ou partes que reduzam drasticamente a sua importância.

Posto isto, parecem-me manifestamente despropositadas as críticas tão profusamente feitas ao PCP, pelas posições que tem tomado, que não são novas e que tem o direito de tê-las, por mais condenáveis que as possamos considerar. Perante tudo o que tantos têm escrito e dito sobre as posições do PCP, chego a ter dúvidas se foi Putin a dar instruções para a Rússia invadir a Ucrânia ou se foi o PCP. E também é verdade que algumas pessoas do PCP, por aquilo que têm dito e escrito, não têm ajudado a esclarecer estas dúvidas...

Se o PCP só dissesse isto eu até estava de acordo...

Zé LG, 21.04.22

20220420_declaracao_paulsa_santos_conferencia_impr«Face à grave situação na Ucrânia e no Leste da Europa, que afecta de forma preocupante toda a situação mundial, o PCP reafirma a necessidade de serem realizados todos os esforços no sentido da paz e contra a escalada da guerra e que deve ser este objectivo que deve pautar o papel de Portugal e das suas instituições. Ao mesmo tempo, o PCP reafirma que não tem nada a ver com o governo russo e o seu presidente. A opção de classe do PCP é oposta à das forças políticas que governam a Rússia capitalista e dos seus grupos económicos

O problema é que, quando explica mais a sua posição, atribui todas as responsabilidades pela situação ao governo ucraniano e seus apoiantes e passa olimpicamente ao lado das responsabilidades de Putim e do governo russo, como se não tivesse sido a Rússia a invadir a Ucrânia e a iniciar a guerra. Para além de todas as razões e justificações que possam existir ou ser apresentadas, há um país agressor e um país invadido e a ser destruído, há milhões de ucranianos que tiveram de fugir das suas casas, das terras e do país onde viviam, deixando tudo para trás. Há milhares de mortos e muitos mais feridos. Todas as guerras têm essas consequências, em maior ou menor grau. Mas quem iniciou esta e quem invadiu a Ucrânia foi a Rússia. Putin e o governo russo não podem deixar de ser condenados por isso. Tal como todos os outros que tiveram responsabilidades semelhantes noutras situações. Mas agora é desta que se trata. O PCP não pode dizer que defende a Paz e não responsabilizar quem iniciou esta guerra e invadiu um país.

PCP condena a intervenção militar da Rússia na Ucrânia e diz que está do lado da paz, não da guerra

Zé LG, 06.03.22

No comício comemorativo do 101.º aniversário do PCP, no Campo Pequeno, em Lisboa, em que se gritou "paz sim, guerra não", Jerónimo de Sousa condenou "a recente intervenção militar da Rússia na Ucrânia, "uma guerra que urge parar e que nunca deveria ter começado", e a intensificação da escalada belicista dos Estados Unidos, da NATO e da União Europeia".

jcf2295.jpg"Não caricaturem a posição do PCP que sem equívocos, e ao contrário de outros, condena todo um caminho de ingerência, violência e confrontação, o golpe de Estado de 2014, promovido pelos EUA na Ucrânia, que instaurou um poder xenófobo e belicista, a recente intervenção militar da Rússia na Ucrânia e a intensificação da escalada belicista dos EUA, da NATO e da União Europeia”, afirmou.

PCP fecha comemorações do Centenário, no dia em que assinala o seu 101º aniversário, com Comício no Campo Pequeno

Zé LG, 06.03.22

2022_topo_169_comicio_campo_pequeno.jpgPCP realiza hoje, dia 6 de Março, um Comício no Campo Pequeno em Lisboa, que culmina as comemorações do Centenário do Partido Comunista Português e assinala o seu 101º aniversário com o Lema «O Futuro tem partido, Liberdade, Democracia, Socialismo».

O Partido Comunista Português reafirma com determinação e confiança, o ideal e projecto comunista, o seu compromisso de sempre com os trabalhadores e o povo na luta que continua pela paz, a liberdade, a democracia e o socialismo.

Centenário da morte de Eduardo Metzner, um dos fundadores do PCP

Zé LG, 02.03.22

Sem nome.pngCaiu no esquecimento, mas marcou o seu tempo. Saltou para a ribalta quando foi preso político sob a ditadura de João Franco, na fase final do reinado de D. Carlos. Em 1909, lançou o jornal A Revolta. Durou pouco tempo, mas foi mais uma estocada na monarquia. Logo no primeiro editorial apontava o dedo: “a sociedade portuguesa desconjunta-se e precipita-se num abismo de corrupção”. Metzner entusiasmou-se depois com a Revolução Russa de 1917, divulgando-a em Portugal, ao traduzir a “Constituição Política da República dos Sovietes”. De sua autoria, publicou “A verdade acerca de Revolução Russa” (em 1919). Trata-se de um livro bastante documentado e com um certo sentido crítico. Se apontava essa revolução como “a mais espantosa transformação social de todos os tempos”, não deixava de lhe reprovar alguns “excessos” e “abusos contra a Liberdade”. Mas no final de 1920, surgiu como um dos fundadores do Partido Comunista Português, presidindo à primeira reunião da sua “comissão organizadora”. Em Março de 1921, ainda foi eleito para a “Comissão de Educação e Propaganda” e teve um papel importante na divulgação do novo partido. Daqui.

«Não consigo, não posso, nem quero defender "esta dama..."»

Zé LG, 02.03.22

guerra.png«Como homem de esquerda sinto profunda vergonha pela posição que o PCP assumiu nesta questão da Ucrânia.

Indefensável, injustificável, incompreensível.

Era muito importante ter a capacidade de ler a verdade.

Uma resposta armada contra uma agressão externa... Tudo bem, tudo normal.

Uma invasão com argumentos não sustentáveis, inconcebível!

Para quem lutou pelo direito ao voto, para quem entende o poder Autárquico como a maior conquista de Abril, para quem diz que defende a liberdade dos povos de todo o mundo de escolher o seu próprio caminho....

Não consigo, não posso, nem quero defender "esta dama..."»

Anónimo 28.02.2022, aqui.

NOTA: Para quem queira aprofundar a questão pode ler aqui a posição do PCP “Sobre a situação na Ucrânia - Elementos para a compreensão”.

PCP apresenta “É tão lindo o meu partido!” no Pax Júlia

Zé LG, 19.02.22

pcp-690x450.jpg“É tão lindo o meu partido!” assim se chama o espetáculo musical organizado pelo PCP que acontece, hoje, às 21:00 horas, no Pax Julia Teatro Municipal de Beja. O título do espetáculo é um verso de uma moda popular do Cante Alentejano, Património da Humanidade, com a mesma denominação e que foi feita no período revolucionário pós 25 de Abril. A iniciativa reúne perto de uma centena de artistas e intérpretes convidados e surge no âmbito das celebrações dos 100 anos do Partido Comunista Português. “Comemorar o centenário do PCP e fazer uma revisitação ao papel e à importância que o PCP teve e tem no Alentejo” é um dos objetivos. Ver mais aqui, aqui e aqui.

“Atenção redobrada e continuação da luta em defesa do desenvolvimento regional”, defende Miguel Ramalho

Zé LG, 10.02.22

243330149_155201280132886_6707126606447870688_n.jp«… a conjuntura é propicia ao crescimento da sobranceria, da arrogância, do revanchismo, do nepotismo, da corrupção, consolidando e alargando a rede clientelar político partidária, prática já preocupante na região, a que nos habituaram alguns, muitos, responsáveis políticos regionais do Partido do Poder, porque se o ‘crime’ compensou o sentimento de impunidade pode vir a crescer.
Resta-nos a todos uma atenção redobrada e a continuação da luta em defesa do desenvolvimento regional, uma postura de combate às desigualdades sociais, sejam quais forem as adversidades que venham a resultar desta nova realidade.»  Daqui.

Jaime Serra morreu

Zé LG, 09.02.22

jaime_serra.jpg

Faleceu hoje, aos 101 anos de idade, Jaime Serra, um dos mais destacados dirigentes do PCP, que dedicou toda a sua vida à luta da classe operária, dos trabalhadores e do povo português, contra o fascismo, pela liberdade e a democracia, por uma sociedade nova, o socialismo e o comunismo. Conseguiu fugir das cadeias fascistas sempre que foi preso. A quarta prisão de onde conseguiu fugir foi histórica fuga da Fortaleza de Peniche em 3 de Janeiro de 1960, em que desempenou um papel preponderante.

Foi deputado à Assembleia Constituinte e deputado à Assembleia da República pelos distritos de Setúbal e Coimbra até 1983. Deixou editadas obras, onde inscreve a experiência e vivência própria da luta e actividade política e partidária - “Eles têm o direito de saber”, “As explosões que abalaram o fascismo”, “O abalo do poder” e “12 Fugas das Prisões de Salazar”.

O corpo estará em câmara ardente Sexta-feira, a partir das 16h00, na Casa Mortuária da Igreja S. Francisco de Assis, realizando-se o funeral no Sábado, para o cemitério do Alto de S. João, onde será cremado após cerimónia a realizar pelas 11h30.

À família e ao PCP apresento as minhas sentidas condolências.