Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

CDU aceita participação no Alvitrando, mas só para a semana

Zé LG, 27.07.21

176830588_126442939504334_1761261499061283077_n.jpA CDU, através de Vítor Picado, candidato à Câmara Municipal de Beja, respondeu a confirmar a sua participação no espaço disponibilizado pelo Alvitrando, para apresentação das ideias da sua candidatura.  Informou ainda que, devido aos trabalhos preparatórios da candidatura,  apenas a partir da próxima semana poderá iniciar a sua participação.

Ficamos a aguradar.

PS recusa espaço do Alvitrando para promoção da sua candidatura autárquica a Beja

Zé LG, 26.07.21

209914171_140259261542530_5894347682656069689_n.jpPaulo Arsénio, líder concelhio do PS e recandidato à Câmara de Beja, respondeu, rápida e simpaticamente, à disponibilização de espaço do Alvitrando para divulgação do que entendesse para promover a sua campanha eleitoral, que "usaremos exclusivamente as plataformas da própria candidatura" para esse efeito.

Agradecemos a resposta, lamentando a não participação do PS num espaço que esperamos que seja de esclarecimento dos eleitores sobre as posições das candidaturas às autarquias do concelho de Beja.

“A pedagogia tende a aperfeiçoar e a estimular o envolvimento.”

Zé LG, 11.07.21

imgLoader2.ashxNB.jpg«A pedagogia tende a aperfeiçoar e a estimular o envolvimento. O que queremos, em Aljustrel, é dotar os mais jovens de competências que possam ser vitais para o seu desenvolvimento, enquanto cidadãos bem formados e com princípios, dando-lhes todas as oportunidades, mas também que sejam agentes ativos na sociedade em que estão inseridos. Todos, sem exceção, somos necessários para melhorar o sítio onde se cresce e se vive. Nos territórios de baixa densidade, a ação do coletivo é decisiva na prevenção, preservação e proteção da natureza e, consequentemente, na melhoria da qualidade de vida. Os jovens desempenham, por isso, um papel fundamental.» -  Nelson Brito, presidente da Câmara Municipal de Aljustrel, aqui.

Projeto Outeiro do Circo no curso de verão do Centro de Estudos Ibéricos

Zé LG, 09.06.21

202106071535097463.jpgO Projeto Outeiro do Circo foi convidado a integrar o XXI Curso de Verão do Centro de Estudos Ibéricos, que se realiza entre 6 e 9 de julho, sob o tema “Novas fronteiras, outros diálogos: cooperação e desenvolvimento”, fazendo-se representar por Miguel Serra, coordenador do projeto, que revelou que a participação neste curso, que integra vários painéis, é dedicada àquilo que tem sido o destaque neste projeto, a educação patrimonial e o envolvimento das comunidades mais próximas ao sítio arqueológico.

Candidatura da CDU às autárquicas de 2021 realiza, hoje, em Beja, uma audição aos agentes culturais do concelho

Zé LG, 24.05.21

202105211716285481.jpg

A sessão tem com o propósito “ouvir e recolher contributos para a construção do programa eleitoral”. A próxima auscultação está marcada para sexta-feira, dia 28, para o mesmo horário e tem como objetivo ouvir os agentes do património.

 

Jorge Pulido Valente diz que Movimento Unidos por Mértola não descarta candidatura independente à Câmara de Mértola

Zé LG, 20.05.21

202104301029299459.jpg“Não estamos nessa fase, estamos na fase de construção de uma estratégia e de um projeto. Depois se verá quais as condições políticas concretas, e se obrigarão ou não a que avance uma candidatura independente”, diz Jorge Pulido Valente, do movimento, acrescentando que o principal objetivo do Unidos por Mértola é “a construção de uma estratégia e de um projeto de desenvolvimento”, sendo que a “equipa que concretizará esse projeto é uma questão que ainda está em aberto”. É também preciso “definir quais são os perfis e os principais atores neste processo, para depois perceber como é que tudo pode avançar nas próximas autárquicas”, acrescentando que o movimento é composto por pessoas “com um longo percurso pessoal e profissional de dedicação ao concelho”, tendo sido criado por “não haver da parte dos partidos e do poder político vontade, nem abertura, para a participação dos cidadãos na criação de projetos de desenvolvimento para Mértola”.

Ministra da Cultura diz que Futurama "vai potenciar uma nova dinâmica num território que tem um enorme potencial criativo"

Zé LG, 02.05.21

202104301724074237.jpgBeja recebeu hoje, a apresentação do projeto Futurama - Ecossistema Cultural e Artístico do Baixo Alentejo, numa sessão que decorreu no Museu Regional Rainha Dona Leonor. A ministra da Cultura Graça Fonseca marcou presenta nesta iniciativa e referiu que o projeto "vai potenciar uma nova dinâmica num território que tem um enorme potencial criativo".

Este projeto foi concebido por John Romão e tem como propósitos “dinamizar a região do Baixo Alentejo através de uma sinergia entre os municípios de Serpa, Mértola, Castro Verde e Beja, promovendo a oferta cultural e a integração da comunidade com práticas artísticas contemporâneas em articulação com instituições de ensino, entre outros."

Cristina Taquelim e Jorge Serafim voluntários no projeto HumanaMente @ctivos

Zé LG, 18.04.21

202104152224113612.jpgAs sessões online de leitura e contos com Cristina Taquelim e Jorge Serafim no âmbito do projeto Humnamente@activos, da Cáritas Diocesana de Beja, já começaram e pretendem promover a conversa e a memória através da palavra e ser um complemento à intervenção realizada com a terapia ocupacional no domicílio.

A Cáritas Diocesana de Beja destaca a disponibilidade dos voluntários para participarem neste projeto e desta forma contribuírem para o “combate” ao isolamento dos idosos.

Trata-se de um projeto da Cáritas Diocesana de Beja financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian e conta com a parceria da Alémemória e Câmara Municipal de Beja.

“não faltam exemplos de atitudes de desvalorização da participação dos cidadãos na vida das suas comunidades”

Zé LG, 31.03.21

18209059_1457306047677379_4928715705810667509_o.jp«… a nível regional e local, também não faltam exemplos de atitudes de desvalorização da participação dos cidadãos na vida das suas comunidades. Desde logo, o modo como são tratados os movimentos de cidadãos que lutam por certos direitos, ... “Alarido” e “gritaria” são apenas dois dos epítetos atribuídos por alguma partidocracia a essas lutas ...

..., embora se fale na falta de “massa crítica” na região, acontece com alguma frequência (...) que, em períodos pré-eleitorais autárquicos, se convidem alguns cidadãos ligados a determinadas áreas – ... – para debates abertos à sociedade, ... Só que, passado o período eleitoral e instalados os eleitos locais, estes assumam uma postura oposta a essa abertura manifestada alguns meses antes, ignorando contribuições e ideias desses mesmos cidadãos, como se fossem autossuficientes ou lhes bastasse ouvir os seus correligionários políticos.

E que dizer do ostracismo a que foi votado um dos primeiros (e poucos) conselhos municipais da Cultura, precisamente o que foi aprovado em Beja em 2008? ..., foi pura e simplesmente metido na gaveta pelos três executivos municipais que se seguiram. Neste momento, nem o seu regulamento consta no site da CM Beja. ...

Mais haveria para dizer sobre a questão da participação dos cidadãos na vida da sua polis, mas pelo que atrás se referiu, uma das premissas para que tal aconteça é o fim da desconfiança e até hostilização com que muitos desses cidadãos são encarados, a maior parte das vezes porque algumas das suas opiniões não coincidem, em determinados momentos e sobre determinados temas, com as dos políticos instalados. ...» José Filipe Murteira, no seu Notas à Esquerda.

“A democracia e a participação não podem nem devem esgotar-se nos partidos políticos”

Zé LG, 26.03.21

«Penso que a democracia e a participação, não pode nem deve, esgotar se nos partidos políticos. Até porque os partidos são geridos com muitos interesses e por vezes contrários aos locais/regionais. Um exemplo concreto é o aeroporto. Um independente de Beja vê a pertinência de lutar por uma infraestrutura como aquela. Na lógica partidária nacional não deve ser promovido porque há outros interesses e que até são válidos! Durante muito tempo conotou-se negativamente o caso do queijo limiano mas cada vez mais acho que essa é a maneira correta de estar em democracia e defender os nossos interesses.»
Anónimo 24.03.2021, aqui.

Fórum Mértola para a Participação e Cidadania debateu a reactivação do turismo após a pandemia

Zé LG, 20.03.21

Sem nome.png«As palavras mais ouvidas foram cooperação, estratégia participada, medidas de política pública, cidadania, visão prospectiva e vontade colectiva de construção de um futuro melhor para este território e as pessoas.
Combater a sazonalidade, preparar a oferta para responder ao aumento significativo da procura, capacitar e formar empresários e colaboradores, promover o destino turístico Mértola como Clean and Safe, dinamizar novos produtos e actividades aproveitando os excelentes recursos naturais do concelho e, sobretudo, envolver a comunidade, foram as ideias chave que marcaram as conclusões.» Veja a gravação.

“Mértola com enorme deficit de participação, que não é estimulada nem dinamizada pelo poder político”

Zé LG, 16.02.21

150366415_363601354683647_1156136200566512993_o.pn

No primeiro encontro/debate do Fórum Mértola Participação e Cidadania, sobre o tema: participação e cidadania para a construção de um futuro melhor para as pessoas, foi reconhecido por todos que em Mértola existe um enorme deficit de participação e a que a mesma não é estimulada nem dinamizada pelo poder político, sendo, até, muitas vezes entendida como oposição e as opiniões não alinhadas consideradas como críticas destrutivas e não construtivas.

O Fórum irá continuar o seu trabalho quer fomentando a participação na discussão pública quer produzindo informação cidadã e organizando novos encontros debate, estando já previsto para o início de março, um sobre a reactivação do turismo em Mértola após a pandemia e um outro, em data a definir, sobre o processo de transição agroecológica.

Assembleias Municipais querem ser “voz ativa” na definição de políticas regionais

Zé LG, 11.02.21

ComunicadoANAM_Prancheta-1-1024x529.pngA Associação Nacional das Assembleias Municipais (ANAM) está a ter reuniões com as cinco CCDR, porque as Assembleias Municipais querem participar mais na definição das políticas a nível local e consideram que estes organismos regionais - o nível de poder intermédio entre o poder central e a administração local - podem “levar ao Governo” os problemas, as sugestões e o trabalho que está a ser feito nas regiões.
Entre as principais preocupações que a ANAM levou para estes encontros, estão o combate à pobreza, que está a intensificar-se devido à conjuntura de pandemia, a saúde e a transição digital, além de outras políticas públicas regionais, numa altura em que se está a delinear o plano para aplicação dos fundos comunitários para os anos 2020/2030. Todos os documentos que resultaram destas reuniões têm sido distribuídos pelas Assembleias Municipais, com o objetivo de que os eleitos e os cidadãos que representam saibam “como é que se está a projetar melhorar as suas condições de vida em termos regionais”.

“Fórum Mértola Participação Cidadania” realiza primeiro debate no próximo Sábado

Zé LG, 09.02.21

202102082216429687.jpgJorge Pulido Valente é um dos elementos do Fórum Mértola Participação Cidadania, que junta várias pessoas de diversos quadrantes políticos e independentes. Um Fórum que propõe para os próximos tempos um conjunto de debates sobre as perspetivas de desenvolvimento para o concelho, em diversas áreas. A primeira iniciativa realiza-se, no próximo sábado, trata-se de um encontro via zoom para debater “Mértola: como construir um futuro melhor para as pessoas?”.

Jorge Pulido Valente considera que, neste momento, não se coloca a questão de uma possível candidatura, entendendo o facto de estar a ser "abordado" para se candidatar à Câmara de Mértola como o reconhecimento do “bom trabalho” que desenvolveu e de ser visto como “um ativo importante para o desenvolvimento do concelho”.

Não vale tudo! Não vivemos no pior dos mundos!

Zé LG, 09.02.21

«O PIOR DA NATUREZA HUMANA

... tem sido evidenciado com estas cenas das corridas às vacinas. O que alguns (poucos, espero eu) têm feito para serem vacinados ou conseguirem que alguém das suas relações o seja antes da sua vez, passando à frente - podendo condenar à morte -, de outros é o "chico-espertismo" que vemos nas filas do que quer que seja.

... tem sido igualmente evidenciado por julgamentos na praça pública do carácter de todos os que assim procederam, sem separar as águas. Sim, porque alguns dos que passaram à frente dos que estavam na fila podem-no ter feito com justificação ou, pelo menos, sem dolo. O que não é exactamente o mesmo que fazê-lo apenas por oportunismo…»

 

Escrevi isto há dias no Facebook. Por alguns comentários que aqui tenho lido, parece que alguns comentadores insistem em meter tudo no mesmo saco, nivelando todos e os seus comportamentos e atitudes por baixo. Para eles, tudo e todos são o piorio. Atribuem responsabilidades a quem as não tem e apontam “factos” que o não são.

Há muitos problemas que devem ser criticados e reclamada a sua resolução pelos que têm a responsabilidade de os resolverem. Há erros e crimes que são cometidos, que devem ser denunciados e exigida a sua reparação, assacando responsabilidades a quem os comete. Não vale a pena inventar mais, na tentativa (intencional ou não) de fomentar a ideia de que “são todos iguais”, “é tudo farinha do mesmo saco”, “isto está pior do que antigamente”, “vivemos no pior dos mundos”, …, porque isso não corresponde à realidade. Esse tipo de intervenção sabemos todos que consequências tem e a quem serve…

Brigada do Mar recolheu três toneladas de lixo na Lagoa da Sancha

Zé LG, 21.12.20

202012191558541649.jpgNuma ação viabilizada pelo projeto TransforMAR, a Brigada do Mar desenvolveu uma limpeza na Lagoa da Sancha, entre os dias 5 e 8 de dezembro. Oito voluntários limparam a área fora do domínio público marítimo na Lagoa da Sancha, enchendo mais de 150 sacos com diversos resíduos, maioritariamente de plástico, e cerca de 30 sacos só com vidros, mas também diversos materiais provenientes da atividade piscatória, num total de 3090 quilos , sendo 420 quilos de vidro e 2670 quilos de outros resíduos, como plástico.

Luís Filipe Vieira fez o que já devia ter feito e outros não fizeram

Zé LG, 17.09.20

image.jpg«Reforçando ainda que é altura dos responsáveis políticos se preocuparem mais em "combater a tendência de transformar em sentença transitada a notícia de uma suspeita ou de uma acusação judicial", Vieira agradece a todos os benfiquistas pelos apoios que tem recebido, mas afirma que não pode permitir que "instrumentalizem o Sport Lisboa e Benfica e a minha comissão de honra em lutas políticas que nada têm que ver com o Clube a que presido e a cuja presidência serei recandidato".

Desta forma, Luís Filipe Vieira tomou a decisão de retirar da sua Comissão de Honra "todos – todos – os titulares de cargos públicos, sejam autarcas, deputados ou membros do Governo", lamentando que  "nos depois do 25 de Abril, se tenha de censurar quem livremente decidiu manifestar-me o seu apoio, mas o populismo e a demagogia dos dias de hoje obrigam-me a fazê-lo de forma a terminar com uma polémica injustificada e profundamente hipócrita".»

Vamos ver se agora o FCP e outros clubes na mesma situação afastam dos seus órgãos sociais "todos – todos – os titulares de cargos públicos, sejam autarcas, deputados ou membros do Governo", que os integram e se os partidos políticos deixam de integrar dirigentes de clubes e outras associações nas listas de apoio às suas candidaturas...