Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Necessidade de um debate sobre a redução do tempo de trabalho e nos caminhos para lá chegar

Zé LG, 21.09.22

Relaes-trabalho-1.jpg“O tempo de trabalho que existe na sociedade em que vivemos é injustificável”, frisou Vieira da Silva, ex-ministro do Trabalho e da Economia ,considerando ser necessário promover o debate sobre esta matéria e pensar em alternativas como a semana de quatro dias ou uma distribuição diferenciada de horários ao longo da vida.

Também Carvalho da Silva, antigo secretário-geral da CGTP, partilhou a ideia de debater o tema, mas alertou para o “perigo” de “entrar numa discussão focalizada num instrumento ou apenas via de lá chegar”, apontando outras formas como alterar o conceito de vida ativa e argumentando que o foco deve ser colocado na redução do tempo de trabalho e nos caminhos para lá chegar.

Já José da Silva Peneda, ex-ministro do Trabalho e antigo presidente do Conselho Económico e Social (CES), considerou que existem matérias laborais sobre as quais “valeria a pena” uma comissão no parlamento com representantes dos partidos políticos.

Opiniões expressas aqui.

Aos que usam e abusam do politicamente correcto

Zé LG, 20.09.22

Banner-Lopes-Guerreiro-300x286.jpgDepois de alguns convites que, por uma ou outra razão, acabaram por não ter efeitos práticos, inicio hoje uma crónica semanal na Rádio Vidigueira, a convite do Marco Abundância, a quem muito agradeço. Aproveito para saudar todos os ouvintes da Rádio Vidigueira e em especial os habitantes deste concelho, de onde sou natural.

Este convite teve em mim um efeito agri-doce. Por um lado, é mais uma responsabilidade que me vai ocupar algum do pouco tempo livre de que disponho e obrigar-me a estar mais atento ao que se passa, tendo em conta que há já duas décadas que deixei a vida política activa, com excepção de uma ou outra intervenção pontual e da gestão do meu blogue, o Alvitrando. Por outro lado, a apresentação destas crónicas semanais vai contribuir para uma maior reflexão sobre alguns temas e sobre eles sistematizar melhor o meu pensamento crítico, que espero poderem ser algumas “pedradas no charco”, em que se encontra a nossa sociedade, particularmente na nossa região. Ouvir aqui.

 

 

Os preços vão baixar depois da acabar a inflação?!...

Zé LG, 17.09.22

AC.pngNa narrativa que António Costa criou para justificar o corte nas pensões a partir de 2024, para além do argumento da necessidade de assegurar a sustentabilidade da Segurança Social - que garantia existir antes do Verão -, usa o de que as pensões não podem ser actualizadas por um fenómeno esporádico - a inflação -, como se os preços regressassem aos seus anteriores valores depois dela ser ultrapassada...

CIMAC e PCP criticam PO Alentejo 2030

Zé LG, 17.09.22

regiao_peq.jpgA Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC) denuncia que o PO Alentejo 2030 vai ter menos cerca de 300 milhões de euros do que Alentejo 2020 e critica a forma como o novo programa não contempla as “necessidades municipais” que surgirão com as novas competências atribuídas aos municípios; como o PO não garante “a conexão com o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR)” para responder aos “desafios relacionados com a Habitação”; e como o programa não dá prioridade ao sistema de mobilidade e transportes. Além disso, o PO Alentejo 2030 deixou integrar projetos nacionais que a CIMAC considera essenciais, mas que deveriam ser assumidos pelo Governo e não com os recursos da região, por se tratarem de projetos de interesse nacional, como o Fundo de Transição Justa e a Ferrovia Casa Branca-Beja-Aeroporto e ignorou o resultado da participação dos municípios na elaboração da “versão síntese do Programa Operacional Regional do Alentejo 2030”.

A Direção Regional do Alentejo (DRA) do PCP também se pronunciou negativamente em relação ao Alentejo 2030, considerando que “é evidente a insuficiência dos valores previstos e que o Alentejo disporá de menos financiamentos para a suas necessidades” e defende que “deve ser definida uma estratégia de desenvolvimento para a região que identifique os problemas, defina as orientações e afirme um projeto para o Alentejo, no quadro de uma perspetiva global de desenvolvimento integrado do território nacional” e aponta os principais investimentos públicos necessários para a região.

Manifesto, coordenado pela ADPM, em Defesa da Pecuária Extensiva

Zé LG, 14.09.22

202209051220316826.jpg

No dia 5 de Setembro foi lançado um manifesto em defesa da Pecuária Extensiva, produzido e assinado por 10 projectos LIFE Europeus ligados às alterações climáticas e à proteção da Biodiversidade com parceiros em Portugal, Espanha, Itália, França e Grécia.

O manifesto desenvolve as 5 principais razões para promover a pecuária extensiva na Europa e propõe 10 medidas de apoio a este sistema de produção, para que continue a proporcionar benefícios à biodiversidade, à resiliência dos territórios e às comunidades locais que dele dependem e foi produzido em português e espanhol.

O Manifesto resulta de um esforço conjunto de várias entidades, incluindo alguns dos associados CCPE (Centro de Competências do Pastoreio Extensivo). Foi coordenado pela ADPM no âmbito do projeto LiveAdapt, na celebração do 30º aniversário do programa LIFE da União Europeia.

Marta Temido despediu-se do cargo de ministra da Saúde

Zé LG, 09.09.22

O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece a criação da direção executiva do Serviço Nacional de Saúde (SNS), prevista no estatuto do SNS, e que tem como objetivo reforçar o papel de coordenação operacional das respostas assistenciais.

mw-1440.webp

Marta Temido, que se encontra demissionária, explicou que a criação da direção executiva, o último ato do mandato da ministra da Saúde, "é o culminar de um processo que se iniciou com aprovação da nova lei de bases da saúde, em 2019, que ficou suspensa com a necessidade de responder à pandemia [de covid-19] e continuou mais recentemente com a aprovação do novo estatuto do SNS".

“Tenho continuado a trabalhar e a servir o meu Governo e o meu país, como fiz até agora, grata por esta oportunidade que tive. Naturalmente, tendo a plena consciência de que há ocasiões em que avaliamos também aquilo que é o nosso contexto pessoal e em que avaliamos as condições para prosseguir o caminho. Foi isso que fiz neste momento”, declarou Marta Temido.

“Trabalhar num Governo é também trabalhar em equipa. Formamos equipa com quem esteve antes de nós e com quem virá a seguir a nós. Pela minha parte terei outras formas de servir o SNS, ao qual pertenço, e concretamente o meu Governo e o meu país”, acrescentou.

Lucinda Jorge vai continuar como vereadora do PS na Câmara de Almodôvar

Zé LG, 09.09.22

202209051337481749.jpgDepois de ter sido afastada do cargo de vice-presidente da Câmara de Almodôvar, pelo presidente do município, Lucinda Jorge esclarece que “vai continuar a estar presente nas reuniões camarárias e da Assembleia Municipal, como vereadora do Partido Socialista, defendendo as causas do concelho de Almodôvar e dos seus munícipes”.

A vereadora esclarece que esta situação terá sido causada pela sua decisão em “avançar com uma candidatura à Comissão Política da Concelhia do Partido Socialista de Almodôvar, após o atual presidente da mesma, António Bota, referir numa reunião da Comissão Política a sua indisponibilidade para se voltar a recandidatar” e manifesta, “a sua tristeza e indignação pela falta de cultura democrática por parte do Sr. Presidente da Câmara, Dr. António Bota e reitera a sua total disponibilidade para se candidatar à Comissão Política da Concelhia de Almodôvar do Partido Socialista”

“Não devemos abdicar da nossa liberdade de consciência”

Zé LG, 08.09.22

18615491_wR6ZA.jpeg«Não devemos abdicar da nossa liberdade de consciência, pois ser forçado a agir contra a nossa consciência é, para quem o faz, mais grave do que muitos outros atentados à nossa liberdade, à integridade física e saúde, à honra ou ao bem-estar.
Assistimos a algumas formas de “oportunismo” (de “objeção de conveniência”) que permitem determinados privilégios!
A liberdade de consciência rejeita a imposição de um qualquer “pensamento único”. A liberdade de consciência assenta no respeito pela liberdade e dignidade da pessoa humana.» Anónimo 05.09.2022, aqui.

“é necessária uma participação mais ativa de cada cidadão na vida da sua comunidade”

Zé LG, 07.09.22

«É por estas e por outras razões que, cada vez mais, é necessária uma participação mais ativa de cada cidadão na vida da sua comunidade, mais envolvimento e compromisso, para que não tenhamos, com base em comunidades passíveis e a definhar, uma sociedade mais fraturada e desigual e, dessa forma, facilmente dominada por interesses e poderes pouco claros e pouco escrutinados! Não é fácil neste mundo de aparências onde temos o cinismo social, que vigora desde a idade antiga, e que nos dias de hoje está bem identificado numa rede social!» Anónimo 06.09.2022, aqui.

"ataques que aqui frequentemente aparecem nada têm de democráticos"

Zé LG, 06.09.22

«Estes ataques que aqui frequentemente aparecem nada têm de democráticos. São proferidos com ódio anticomunista por quem deseja que esse partido desapareça do mapa. Democracia não é pensarmos todos da mesma maneira, seguindo atrás do que insensatamente se proclama, como um rebanho de ovelhas.» Anónimo 03.09.2022, aqui.

"O que é verdadeiramente preocupante é a indiferença"

Zé LG, 05.09.22

«O que é verdadeiramente preocupante é a indiferença a qualquer nível que, infelizmente, vai fazendo escola por este País e Mundo fora! Quando permitimos que a indiferença se instale, atos de injustiça, etc, então o lento veneno da indiferença por conveniência, seja a que título for, acabará por destruir os nossos direitos, liberdades e garantias! Isto é PREOCUPANTE!» Anónimo 01.09.2022, aqui.

Ceia da Silva garante financiamento da eletrificação da linha ferroviária de Casa Branca a Beja e até ao Aeroporto de Beja

Zé LG, 03.09.22

263351_233871943311440_8079959_n.jpgCeia da Silva, presidente da CCDR do Alentejo, anunciou que: “Na OP3 do novo quadro comunitário está a eletrificação de Casa Branca a Beja com o ramal até ao Aeroporto de Beja. Isto significa uma grande vitória para o distrito de Beja, para os bejenses e para todos nós”; “Estão aqui cerca de 100 milhões de euros garantidos para que essa operação seja feita e para que o comboio vindo de Casa Branca chegue ao Aeroporto de Beja”.

Ceia da Silva garantiu ainda que, como presidente da CCDRA exige "que o Governo construa aquilo que falta da autoestrada (…) pelo menos até ao Aeroporto de Beja”, afirmando ser “uma luta de todos nós” e demonstrando o seu “total apoio” a todas as entidades envolvidas nesta “luta”.

“há anos que tento que a EMAS resolva o problema mas é pregar no deserto”

Zé LG, 26.08.22

51902550_2353321111346788_1222159826277105664_n.jp«Não é novidade, infelizmente, há anos que tento que a EMAS resolva o problema mas é pregar no deserto. As diminuições de pressão, os cortes, as reparações, acontecem nas horas de ponta. Noutros concelhos- como Oeiras - as intervenções são feitas em horas mortas, com exceção das intervenções de emergência.

Outro ponto negro é o desleixo de quem repara, relativamente à lama, terra e resíduos que entram na rede e entopem esquentadores e todos os filtros que temos nas nossas casas, incluindo torneiras de poupança.

Finalmente, há quatro anos que alerto para as perdas de água do sistema de rega junto ao parque onde vai ser construído o tribunal. Disseram-me que era com a câmara. Bom, continuam metros cúbicos a derramar para o esgoto.» António Nascimento, aqui.

Que lógica tem a Câmara de Beja ir pedinchar às outras Autarquias?

Zé LG, 25.08.22

BVBEJA-AutoEscada_800x800.jpg«Serei o único a achar ridículo que o Presidente da Câmara da Capital de Distrito, pensar sequer em ir MENDIGAR às restantes Câmaras da CIMBAL, uma contribuição para um equipamento dos Bombeiros Voluntários de Beja? Então os outros concelhos não têm as suas próprias Corporações de Bombeiros Voluntários? E cada Câmara desse mesmo Concelho não apoia as suas corporações?
Que lógica tem Beja ir PEDINCHAR às outras Autarquias? ... 60.000,00 euros, para a reparação de um equipamento tão essencial como a Autoescada dos BVB, nem deveria ser uma problema para uma Autarquia de Beja que apresentou um Orçamento de quase 43.000.000,00 euros. Afinal, o que são 60 mil euros em quase 43 Milhões de euros?!» Anónimo 23.08.2022, aqui.

“Devia aproveitar-se o aproveitamento hidroagrícola para contribuir para a nossa Independência Nacional em produtos alimentares.”

Zé LG, 21.08.22

IMG_20220707_175845.jpg

«… Nada, fizeram tudo ao calhas. Conclusão: amendoeiras e mais amendoeiras, oliveiras e mais oliveiras. Em grande parte por estrangeiros. É claro que são culturas bem adaptadas à área regada; e o resto? O trigo regado também é altamente rentável no Alentejo; e não precisa de muita água porque a maior parte do ciclo vegetativo decorre no inverno. É sabido que os portugueses estão altamente dependentes do trigo importado. É evidente que os agricultores devem ter liberdade para produzir o que lhes é mais favorável, mas o Estado pode e deve dar orientações, fazer PLANEAMENTO. ...» Anónimo 20.08.2022, aqui.

"Senhor perdoai-lhes que não sabem o que dizem!"

Zé LG, 19.08.22

273160253_2118218421666773_4314774936622695036_n.j«Não posso deixar de manifestar a minha indignação com a sucessão de comentários que acabo de ler, num dos posts da página oficial de facebook de uma entidade pública, a Câmara Municipal de Beja!

Já todos percebemos que a ostracização constante do executivo camarário em funções é um foco, com o objetivo muito específico de promover o desgaste e a desmotivação dos eleitos, tentando afastá-los daquilo que é o seu propósito mais importante: trabalhar pelo concelho e pelas pessoas.

Compreendemos e até desculpamos, aqueles que por falta de oportunidades, não dispõem do nível de conhecimento adequado, o que os impossibilita de acederem a alguma informação fidedigna e de analisar criticamente determinados assuntos, (incapacitando-os até, de escrever duas frases que consigamos entender) o que os daz colocar constantemente o nosso trabalho em causa.Uma espécie de desconhecimento de factos concretos e possibilidades.

E para esses, o primeiro pensamento que me ocorre é aquele do "Senhor perdoai-lhes que não sabem o que dizem!"»... Leia aqui o resto do post de Marisa Saturnino, vereadora na CMB.

“o utente tem que adivinhar que vai ficar doente, que vai ter uma dor aguda”

Zé LG, 13.08.22

centro-de-saude-1.jpg«Não sei se deva rir ou chorar. Presentemente a Urgência no Centro de Saúde funciona por marcação, uma coisa nunca vista uma Urgência funcionar por marcação, o que quer dizer que um utente que tenha que ir de urgência ao Centro de Saúde não pode ser atendido porque tem que ser por marcação, portanto o utente tem que adivinhar que vai ficar doente, que vai ter uma dor aguda. Agora ainda querem encaminhar os casos que aparecem na Urgência do Hospital para os Centros de Saúde, que por sua vez não têm vaga porque funcionam por marcação, ou seja de manhã fica logo esgotada e da parte da tarde fica logo esgotada às 14h. Francamente haja paciência para tanta falta de incompetência.» Anónimo 10.08.2022, aqui.

PCP diz que é “preciso uma estratégia integrada de acessibilidades para o Alentejo”

Zé LG, 11.08.22

Comboios-Beja-768x432.jpgA DORBE do PCP avança que vai, em setembro, fazer uma jornada de luta para “reafirmar as suas propostas para o desenvolvimento da região”, que "têm estado desde sempre na agenda deste partido por serem matérias determinantes para este território e não por estarem na moda".
A DORBE do PCP diz que é “preciso uma estratégia integrada de acessibilidades para o Alentejo, no que respeita aos modos de transporte ferroviário, rodoviário e aeroportuário, que poderia ser a alavanca do desenvolvimento da região” e que “as promessas de investimento repetem-se, em período eleitoral, e nunca chegam a ser concretizadas ou são avançadas para daqui a uns anos”.
Frisa que o Aeroporto de Beja deve ser usado nas suas plenas capacidades e que, apesar dos velhos problemas que apresenta o caminho de ferro, cada vez mais população utiliza o comboio para viajar, porque o “preço ainda vai sendo atrativo tendo em conta o aumento dos combustíveis”. Daqui e daqui.