Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“especialistas de saúde pública mobilizados” pela tutela “para ficarem” na ULSBA

Zé LG, 30.11.20

202011271855554273.jpgO secretário de Estado Adjunto da Saúde, António Lacerda Sales, disse, na passada sexta-feira, que “estes profissionais (de saúde pública da ULSBA) foram mobilizados para ficarem nesta fase de pandemia”.
António Lacerda Sales aproveitou para frisar que “neste contexto passou a perceber-se melhor a importância do trabalho dos médicos de saúde pública” e que “o Governo está a fazer de tudo para fixar mais médicos neste território de baixa densidade”.

Quem são os actores de primeira linha, eventualmente mais capacitados?

Zé LG, 29.11.20

“já aqui foi dito que por vezes os melhores não são escolhidos, ou se afastam da actividade política corrente!...O exercício cívico também não será o mais esclarecido e visível para questionar os governantes que vamos elegendo!...Assim é mais difícil revermo-nos em figuras capazes, competentes e íntegras, porque frequentemente se fica com a ideia de que as escolhas no seio das organizações partidárias são pouco claras e objectivas, nesse sentido!...Também não é menos verdade de que aos partidos falta organização, espaço de discussão e de tolerância que promovam a criação de alternativas capazes!...E neste contexto, ficamos com actores políticos de segunda linha, inaptos e mal preparados, ficando de lado gente eventualmente mais capacitada!” Anónimo 25.10.2020, aqui.

(Ex)citações em tempos de crise

Zé LG, 28.11.20

Em tempos de crise a natureza humana revela-se mais, no que tem de melhor e pior. Os comportamentos, atitudes e discursos negativos predominam, embora existam exemplos positivos que nos ajudam a compreender melhor como melhor podia ser o mundo se fossem partilhados por mais.

A solidariedade dos que menos têm para os que já nada têm é mais praticada por mais gente, porque cresce significativamente o número dos que menos vão tendo e porque a ameaça de poderem ficar sem nada e da solidariedade dos outros poderem precisar reforça este sentimento.

A disponibilidade para resistir às malfeitorias de quem tanto e tão bom prometeu e lutar por uma vida melhor cresce igualmente nestes tempos, apesar das pressões e repressões de todo o género, desde as mais evidentes às mais refinadas, como agora se viu com a Greve Geral, a segunda que juntou as duas centrais sindicais e a maior que se realizou em Portugal.

 

 

Há 16 anos, fiz a minha primeira e última intervenção em congressos do PCP

Zé LG, 27.11.20

Camaradas

"As teorias de Marx, Engels e Lénine estão sujeitas às correcções, aos aprofundamentos e às actualizações que ao longo do tempo a evolução e as mudanças políticas, económicas e sociais, o progresso científico e a experiência revolucionária necessariamente impõem. Desde o "Manifesto Comunista" de Marx e Engels passou um século e meio. Desde "O imperialismo, estádio supremo do capitalismo" de Lenine passou mais de um século em que o capitalismo sofreu assinaláveis transformações. Em todo este longo período verificaram-se a nível mundial profundas e radicais transformações nas sociedades. As transformações da vida obrigaram à análise das novas realidades e no domínio da teoria a modificação e actualizações de conceitos e princípios."

Esta é apenas uma citação da resolução política, aprovada no XIII Congresso, em Maio de 1990, na ressaca da falência dos partidos comunistas de leste.

Se a recordo aqui é porque parece que a estamos a ignorar.

A preparação e a realização do último congresso agravaram ainda mais a que já era uma situação complexa que se vivia no Partido. Depois do congresso as coisas complicaram-se ainda mais. Nenhum dos grandes objectivos aprovados foi alcançado. Há responsabilidades externas que são apontadas. As responsabilidades internas ou não são reconhecidas ou são atribuídas aos militantes, principalmente aos que têm assumido posições críticas. Nunca aos dirigentes.

 

 

“E não havia comércio em Beja que vendesse uns queijos, umas linguiças, umas garrafas de azeite e de vinho?”

Zé LG, 26.11.20

cabazdenatal150euros-3.png"Meide In. Conhecem? É uma empresa de Castro Verde que foi formada há pouco tempo.

Com tanta sorte que a Câmara de Beja comprou-lhe logo 13 mil euros em cabazes de Natal.

Alguém sabe o que têm esses cabazes? E para quem são? E não havia comércio em Beja que vendesse uns queijos, umas linguiças, umas garrafas de azeite e de vinho?

Siga a festa."

Anónimo 25.11.2020, aqui.

CDU contra transferência para as autarquias locais e delegação de competências do Município de Beja nos Agrupamentos de Escolas

Zé LG, 26.11.20

Escola-768x549.jpgOs vereadores da CDU na autarquia de Beja, na última reunião de Câmara, votaram contra a proposta de aprovação de minuta de contrato de delegação de competências do Município nos Agrupamentos de Escolas, explicando que “este voto contra vem na sequência da não aceitação de competências na área da Educação aprovada, por unanimidade, em reunião de Câmara e Assembleia Municipal, em maio e junho deste ano” e pela “incapacidade total que o Município teria para aceitar e assumir esta gestão dos estabelecimentos de ensino do concelho, no momento presente.”

A CDU considera “irresponsável a atitude dos eleitos do PS na Câmara de Beja ao aceitarem esta transferência à revelia das decisões tomadas oficialmente nos órgãos municipais” e que “aceitar estas competências não trará benefícios à comunidade educativa, antes constituirá um problema acrescido” e que “continuam a verificar-se algumas dificuldades na colocação de auxiliares, professores e recursos técnicos especializados para fazer face às necessidades da comunidade escolar, bem como o desenvolvimento de procedimentos inerentes ao funcionamento dos refeitórios e fornecimento de alimentação, transportes escolares e atividades de enriquecimento curricular, entre outros.” 

Daqui e daqui.

Presidente da Câmara de Serpa defende condições de vida dignas para imigrantes

Zé LG, 24.11.20

150920161724-19-TomePires.jpgO presidente do município de Serpa, onde há registo de três surtos de covid-19 entre imigrantes trabalhadores agrícolas temporários, defendeu hoje a criação urgente de legislação nacional para garantir condições mínimas de habitabilidade a estas pessoas em Portugal.

“Urge uma legislação a nível nacional que dê resposta à situação problemática destas pessoas que vivem em Portugal sem condições mínimas de habitabilidade”, disse Tomé Pires, presidente da Câmara de Serpa, acrescentando que, se Portugal precisa de imigrantes temporários para trabalhos em explorações agrícolas, “tem de criar condições para que vivam condignamente enquanto cá estão”.

Atualmente, não existe legislação específica que regulamente o alojamento de imigrantes trabalhadores agrícolas temporários, “o que faz com que muitas destas pessoas vivam em casas sem as mínimas condições, dentro de localidades ou em zonas isoladas, em situações desconhecidas e que dificultam a intervenção das autoridades”, sublinhando que: “Quem traz estas pessoas para Portugal, quer sejam empesas de trabalho temporário, quer sejam os próprios empresários que necessitam da mão-de-obra, não revelam preocupação nenhuma” com os imigrantes quando aparecem casos de infeção pelo vírus da covid-19.

“Os municípios e os atores locais são fundamentais para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”

Zé LG, 22.11.20

202011101055058479.jpegO secretário-geral da ONU referiu que “Os municípios e os atores locais são fundamentais para que seja possível alcançar muitas das metas que compõem os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. A pandemia da Covid-19 enfatizou ainda mais o papel crucial dos municípios na resposta imediata e na prestação de serviços públicos essenciais. As administrações regionais e locais tomaram medidas rápidas para prevenir e mitigar a propagação do vírus e responder às perturbações causadas pela pandemia. São cada vez mais os municípios que agora se comprometem a comunicar o seu progresso na prossecução dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, inclusive através de Relatórios Locais Voluntários”.

Confederações unidas na denúncia do incumprimento da Lei do OE para 2020 quanto à “Eletricidade Verde”

Zé LG, 22.11.20

CNA denuncia que Regulamentação da “Eletricidade Verde” não respeita Lei do OE2020

202010151423195833.jpg

A CNA denuncia, em comunicado, que a portaria que “supostamente regulamenta uma medida inscrita em Orçamento do Estado (OE) para 2020 (introduzida na 2ª alteração, a 24 de Julho), dedicada ao apoio com os custos energéticos no sector agrícola e pecuário” não “respeita a lei inscrita no documento”.

CAP pede correção de portaria referente à "eletricidade verde"

A CAP afirma que apesar da lei em vigor consagrar um apoio percentual face ao valor das faturas de eletricidade, o que foi publicado em Portaria (n.º 265-B/2020 de 16 de novembro) foi "um apoio percentual face à potência contratada, o que resulta em montante irrisórios, que em muito pouco ou nada apoiam o setor, desrespeitando totalmente a decisão da Assembleia da República."

Confagri diz que “associações sentem-se defraudadas com a questão da eletricidade verde”

A Confagri diz que a portaria recentemente publicada sobre as questões da “eletricidade verde” não cumpre o estipulado na lei do OE2020 e diz que as associações de agricultores sentem-se defraudadas.

Mas afinal o que é que está mesmo em causa com a realização do Congresso do PCP?

Zé LG, 21.11.20

20201015_reuniao_regional_quadros_lisboa_xxi_congrTal como em relação à realização da Festa do Avante, também acho agora que o PCP fazia melhor em alterar a data da realização do seu Congresso. Apenas porque evitava expor-se e alimentar a polémica. Mas também acho que agora, tal como como aconteceu com Festa do Avante, o PCP vai organizar o Congresso com todas as precauções e não haverá acréscimo de contágios por esse motivo.

Agora ouvir e ler comentários de quem nada disse quando o Chega realizou o seu congresso e jantares sem quais precauções, pretender que o PCP seja impedido de realizar o seu congresso pelos contágios que daí podem surgir é querer gozar com a inteligência das pessoas, é anti-comunismo do mais básico, é, anticonstitucional, é, em última análise, querer regressar a tempos de má memória.

Sei que há gente bem-intencionada que critica a realização do Congresso do PCP por se ter lugar no “pico da onda” da pandemia e quando as pessoas estão tão condicionadas. Mas a questão que se deve colocar é se o que se pretende é ou não evitar contágios. E se estes não  vão acontecer com a realização do Congresso do PCP, tal como se verificou com a Festa do Avante, devido à organização e às medidas preventivas recomendadas, então porque deve ser impedida a sua realização? E porque se acusa o PR e o governo de não a impedirem? É por razões sanitárias ou políticas?   

"Desporto... com tudo aberto"

Zé LG, 20.11.20

"O desporto deveria ser aquela actividade, em todos os níveis de competição, desde as crianças aos adultos, com tudo aberto. Porque é a melhor forma de ter um corpo resiliente e com mecanismos imunitários. Claro que teriam de ser cumpridas algumas regras básicas, mas não é aceitável que um grupo de jovens que pratica futebol, andebol ou basquetebol esteja "fechado". - Prof. Carlos Neto, em entrevista à VISÃO de 5/11. 002 - Cópia (2).jpgA propósito desta entrevista, fui ao baú buscar esta fotografia, com meio século, onde eu e outros colegas "fomos apanhados" a fazer ginástica no campo, num dos tempos das actividades extra-curriculares que tínhamos às quartas-feiras de tarde no Liceu. E no Liceu, a maior parte do desporto escolar tinha lugar nos espaços exteriores...

Aeroporto de Beja pode ser a solução para distribuir vacinas para a covid-19

Zé LG, 20.11.20

aeroporto-beja_0.pngPaulo Soares, especialista em aviação, admitiu que o aeroporto de Beja pode ser a solução para fazer chegar as vacinas para a covid-19 ao resto do país, porque não há tempo para construir aviões especiais para o seu transporte, capazes de manter temperaturas extremamente negativas, porque “Só conheço uma arca frigorífica com disponibilidade de espaço: é a que está no Aeroporto de Beja” e porque este está “num sítio isolado, sem congestionamento” e, a partir de lá, as vacinas podiam ser distribuídas “de carro ou em pequenos aviões, também eles preparados, com arcas frigoríficas pequeninas e por pouquíssimo tempo”.

Autarcas alentejanos contestam inclusão em concelhos de risco

Zé LG, 17.11.20

Imagem-Coronavirus-SNS24-07.png

Aljustrel contesta recolher obrigatório

Ferreira quer revisão de critérios

Évora discorda de inclusão em concelhos de risco

«Entendendo que se o Preâmbulo da RCM n.⁰ 92-A/2020 tivesse sido corretamente aplicado, nos termos da respetiva redação, o Concelho de Beja estaria excluído do confinamento de "fim-de-semana"»

João Paulo Trindade diz que “falta estratégia a longo prazo para a região no OE2021”

Zé LG, 16.11.20

201901092210076338.jpgJoão Paulo Trindade referiu que o IPBeja “está satisfeito com o número de alunos que a instituição conseguiu captar no ano letivo 2020/21” e que esta é uma instituição que se envolve com o território onde opera.

Preocupado com o futuro e com a questão demográfica do território, João Paulo Trindade gostaria de ver esplanada no OE2021 “uma resposta para a região em que estivesse evidente uma estratégia a longo prazo e pensada como um todo”, porque só assim seria possível a instituições como o IPBeja “formar e fixar população, massa crítica”.

Até quando vamos continuar a ter entulheiras espalhadas por todos os lados?

Zé LG, 16.11.20

IMG_5648.JPG

A situação não é fácil de resolver. Se fosse, já estaria ultrapassada. Mas é preciso e urgente fazer mais para acabar com estas situações de entulhos, alguns com materiais perigosos, nas bermas das estradas e noutros locais inapropriados para o efeito, pela poluição material e visual que provocam. Há uns anos, propuz que se definissem locais nas aldeias, controlados pelas Juntas de Freguesias, onde se pudessem depositar os entulhos até determinadas quantidades (pequenas), que fossem regularmente transferidos para os aterros licenciados. Não seria "a" solução mas evitaria esta proliferação de entulhos depositados um pouco por todo o lado, nalguns casos, como o da foto, por onde circula muita gente a pé. Até agora, manteve-se a situação do "mal maior". Até quando?

"Libertem as crianças"

Zé LG, 14.11.20

IMG_3999.JPG"As crianças estão a ser impedidas de viver a infância de forma plena. Há um aprisionamento progressivo no contexto familiar, escolar e comunitário. O tempo de ser criança foi invadido por uma ditadura de agendas e actividades organizadas pelos adultos que não as deixam brincar livremente, em contacto com a natureza."

"Num estudointernacional da Unilever, demonstrou-se que os presos têm mais tempo livre fora das celas do que têm as crianças no seu dia a dia. É uma imagem fotíssima e preocupante. Deu origem a uma campanha cujo título era precisamente "Libertem as crianças". Como é possível as crianças não terem direito a brincar ao ar livre? Não é com brinquedos que têm de brincar, é com materiais que a Natureza oferece."

Carlos Neto, em entrevista à VISÃO, na edição da semana passada.

“Haja coragem para mudar o que está mal… e vão ver que o Chega não chega lá.”

Zé LG, 10.11.20

“… o Chega é um partido oportunista que copia o pior do que outros fazem, como seja o recurso ás noticias falsas e a sua ampla divulgação nas redes sociais.

O Chega procura polémicas para ter visibilidade, tais como posturas racistas e xenófobas, mas as pessoas que votam neles não são mais do que votos de protesto, ai a culpa é de todos nós independentemente de sermos mais de esquerda ou direita pois há erros repartidos, como sejam o das desigualdades sociais , na saúde, na educação, no trabalho e sua remuneração, e , para mim , o mais grave é a nível da justiça em que vivemos num estado quase paleolítico com os juízes como personagens medievais e os advogados como autênticos vendedores de banha da cobra.

Haja coragem para mudar o que está mal, não é fácil, e vão ver que o Chega não chega lá."

Anónimo 07.11.2020, aqui.

Observatório do Baixo Alentejo defende a criação de um Gabinete para gestão da plataforma logística do aeroporto de Beja

Zé LG, 10.11.20

261220161606-705-AeroportoBeja9.jpgO Observatório do Baixo Alentejo (OBA) defende a criação de um Gabinete para gestão da plataforma logística do aeroporto de Beja, essencial para capacitar aquele espaço, permitindo a instalação e desenvolvimento das atividades empresariais.

Tendo como premissa, que o “aeroporto é decisivo para desenvolver toda a região, incluindo Sines e Sevilha”, a criação deste Gabinete é, segundo o OBA, a solução mais viável para a dotar o espaço envolvente do aeroporto de Beja de dinâmica, criando condições atrativas ao investimento privado. Nesse sentido, o OBA já iniciou um conjunto de reuniões para sensibilizar os diversos parceiros institucionais e empresariais para a importância desta proposta, no âmbito de uma estratégia integrada para o desenvolvimento desta infraestrutura.

Foi dado “um passo decisivo” para a concretização da construção do novo Hospital Central Alentejo, em Évora

Zé LG, 10.11.20

costa_evora_2020-720x430.jpg“Estamos a dar um passo decisivo para a concretização de um investimento que há muitas décadas era ansiado pela região do Alentejo e para responder a uma necessidade que já existia antes da covid e que continuará depois da covid, que é termos um novo hospital central no Alentejo”, referiu o primeiro-ministro, António Costa, na cerimónia de adjudicação da obra do novo Hospital Central do Alentejo, ao grupo espanhol Acciona, que decorreu na sede da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, em Évora.

"Uma porra de discurso!"

Zé LG, 09.11.20

mitos-coronavirus.jpg"E ainda há quem irresponsavelmente considere que as medidas restritivas impostas pelo Governo visem a limitação da liberdade individual, quando o que está em causa é a saúde pública acima de tudo!...Claro que as liberdades dos cidadãos estão limitadas em nome do interesse colectivo, porque assim tem de ser!...Caso contrário, vivemos com despreocupação, como se nada acontecesse, numa espiral de contágios sem fim, porque a malta tem é de olhar para o seu umbigo, mesmo que se ponha em causa a vida dos outros!...Uma porra de discurso!"

Anónimo 09.11.2020, aqui.