Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“Deram a independência ao Baixo Alentejo”

...Temos um aeroporto subaproveitado, com as condições ideais para resolver os problemas resultantes do atrofio do aeroporto da Portela... Comboios… uma linha, ex-linha do sul, principal eixo ferroviário que rasgava o sul do país, acharam por bem encerrar Beja-Funcheira, tornando inexistentes as deslocações para o Algarve, através deste meio de transporte. É irónico mas real, os nossos vizinhos espanhóis lutam para manter a Catalunha, os nossos sucessivos governos, deram a independência ao Baixo Alentejo, governem-se e não contem connosco. Como alentejano e cidadão deste país, sinto-me revoltado, pelo abandono da região. Acho que não devia ser assim, que eu saiba também pagamos os altos impostos a que estamos sujeitos. .... Tenho esperança no campo ferroviário (CP), ..., temos uma nova administração, ..., com vontade de trabalhar nas melhorias do transporte ferroviário, assim o Ministério das Finanças o permita… João Neves

Daqui, Anónimo 19.11.2019 20:53

PSD Alvito exige explicações sobre “derrocada” e “apagão” na Feira dos Santos

António Freire, do PSD de Alvito, disse que “parte de uma estrutura amovível colocada no recinto de espetáculos desabou e jovens magoaram-se”, que até à data “nem uma palavra deste Executivo camarário sobre o sucedido” e exigiu “um pedido público de desculpas pelo triste desfecho da Feira dos Santos.” Disse, ainda, que também gostaria de ver esclarecido um “apagão” na iluminação durante a Feira.

feira.JPGAntónio João Valério, o presidente da Câmara Municipal de Alvito, esclareceu que tudo foi “tratado em conformidade”, que “os jovens foram tratados” dos ferimentos “sem gravidade”, que a autarquia “falou com a família, acompanhando sempre o sucedido”. Sobre a quebra na iluminação referiu que foi “decorrente de uma avaria no gerador”.

Paulo Arsénio pede ao governo intervenção urgente no IP8 e José Filipe Murteira critica-o e explica porquê

76756948_805983806500531_2024966755239067648_o.jpg"Missiva da CM Beja enviada ao Sr.Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Dr.Pedro Nuno Santos, no primeiro dia útil em funções (dia 28/10) do XXII Governo Constitucional para reforçar a necessidade de intervenção que a Estrada Nacional n.121/IP8 rapidamente requer." Paulo Arsénio, aqui.

“… a sua carta... É enviada com dois anos de atraso (no que ao seu mandato diz respeito) (a). Penso que, logo após a sua eleição, deveria ter sido tomada uma posição sobre esta ligação rodoviária que, ano após ano se tem vindo a degradar. E… deveria ter uma segunda parte, dedicada à ligação ferroviária Beja-Casa Branca.” José Filipe Murteira, aqui.

“É mais urgente salvaguardar o que resta do património natural do Alentejo”

P1060215.JPG“… Falta fazer muito..., no sentido da preservação e disciplina na implementação de mais culturas deste tipo, e para isso é premente que todos os organismos da tutela falem a uma só voz e em tempo útil! … é necessário investimento agrícola sim, mas é mais urgente salvaguardar o que resta do património natural do Alentejo, porque aí também reside parte da actividade turística e social desta vasta região!”

Anónimo 18.11.2019 19:12, aqui.

“Os Baixo-Alentejanos estão verdadeiramente interessados em resolver os seus problemas?”

Sim, isso foi feito, mas ao que parece com poucos ou nenhuns resultados!.. E só isso já seria matéria para reflexão interna. Os autarcas e os políticos que em geral foram legitimados pelo voto, é que deveriam mostrar mais respeito pelos cidadãos! No entanto parece que nem isso constitui mal maior, porque se insiste na fórmula! Os Baixo-Alentejanos estão verdadeiramente interessados em resolver os seus problemas? É a pergunta que me coloco muitas vezes, porque a dúvida persiste!… estamos demasiado fragmentados e sós e demasiado preocupados com as nossas quintinhas para a causa ganhar a expressão necessária! Mas aqui o mal é mais endémico do que circunstancial… Seja como for, nada se perde em insistir ainda que o caminho seja tortuoso!
Anónimo 16.11.2019 23:29, aqui.

Jerónimo de Sousa diz que “ditadura do défice não dá resposta aos problemas do país”

jerónimo.jpgO secretário-geral do PCP criticou neste sábado o programa do Governo PS por “dar prioridade” à “ditadura do défice” e manter “privilégios” dos grandes grupos económicos “em detrimento” do investimento e da resposta aos problemas do país.

Jerónimo de Sousa veio a Beja dizer que “desviam-se milhões para negócios ruinosos, como o Novo Banco, mas não se dá resposta às necessidades do desenvolvimento do País, como é o caso do distrito de Beja que vê adiada a resposta aos seus problemas e aos das sua gentes que tem direito de usufruir de uma eficiente rede de acessibilidades rodoferroviárias, ou de uma rede de cuidados de saúde de qualidade prestados pelo Serviço Nacional de Saúde.”

São muitos os milhões que se esvaem, enquanto se adia a reclamada requalificação da rede de estradas nacionais, como por exemplo a ligação Moura – Barrancos, as ligações Cuba-IP8, a ligação Beja/Aljustrel-Odemira, a concretização de projectos e obras adiadas sucessivamente como o IP8/A26 em perfil de autoestrada, ou a modernização da rede ferroviária, entre muitos outros problemas a aguardar a resposta que se impõe.

Movimento Alentejo VIVO identificou violação aos PDM em mais de 5 mil hectares na área de influência de Alqueva

A Associação Ambientalista ZERO refere que se tem assistido à instalação de culturas intensivas fora dos blocos de rega, em áreas onde as mesmas são proibidas ou condicionadas nos PDM, acrescentando que, num primeiro levantamento efetuado, pode-se já afirmar que esse valor supera os 2500 ha no concelho de Beja e os 2000 ha no concelho de Serpa e em menor expressão no concelho de Ferreira do Alentejo, estendendo-se esta situação um pouco por todos os outros concelhos envolvidos.

regadio.JPGAs situações identificadas referem-se a áreas classificadas nas cartas de ordenamento como espaços agro-silvo-pastoris, mesmo como áreas florestais de produção e até de proteção, áreas com condicionantes em termos de Reserva Ecológica Nacional (REN) ou em faixas adjacentes a povoações.

A ZERO considera que “não é aceitável que as diversas entidades com responsabilidades em matérias de gestão e ordenamento do território continuem sem assumir as suas responsabilidades”, e exige a “imediata intervenção da CCDRA, no sentido de fazer cumprir os preceitos previstos nos diversos instrumentos de gestão territorial em vigor, bem como da IGAMAOT, pelo que será solicitada uma auditoria urgente à forma como todo o processo de instalação dos perímetros de rega tem decorrido”.

Daqui.

Beja “tem as suas particularidades e para mim tem futuro... temos de ser mais que isto.”

"Realmente e infelizmente Beja tem cada vez mais pequenez de espírito e menos vozes que se erguem precisamente devido à atitude intrínseca espelhada neste comentário, acabe-se com a maledicência gratuita, a inveja, a ignorância, a procrastinação, a desunião, o egoísmo nesta cidade, quando o assunto é o nosso futuro coletivo! Parem com as comparações e com a vitimização, a nossa cidade não é um campo de batalha entre vermelhos e rosas, os interesses coletivos não servem para instrumentalizacões políticas, a nossa cidade não é Évora, não é Faro, não é Castelo Branco, etc. tem as suas particularidades e para mim tem futuro... ouvir um bejense dizer mal da comitiva Beja Merece+ é inqualificável, é mesmo o retrato do que somos, que seja o ponto final dessa forma de estar, temos de ser mais que isto.
José Dores 16.11.2019 23:35", aqui.

“É evidente que a Câmara não está a fazer um trabalho competente”

“… é notória, a falta de caixotes de lixo , … nas zonas mais movimentadas, sendo esta falha da total responsabilidade da Câmara Municipal de Beja.

Atualmente, os caixotes do lixo encontram-se quase sempre esgotados na sua capacidade, acabando por obrigar as pessoas a colocar o lixo de fora dos contentores, trazendo insalubridade às ruas e criando uma paisagem horrível da cidade, …

lixo.jpeg… Não sei se o problema é falta de veículos, funcionários ou simplesmente má organização. Mas que há um problema, isso é inegável, …

Não estamos bem, ...”

In Mais Beja, aqui.

“Mas "PORRA PÁ" a "gente" precisa de mais...”

"Mais uma vez, estamos a constatar o desinvestimento a que os sucessivos governos de Portugal têm remetido o nosso Alentejo.
Toda a "gente" diz bem e gosta do Alentejo....Quer pela gastronomia, quer pelo vinho, quer pelo sossego, quer pela qualidade do pão e do ar que respiramos.
Mas "PORRA PÁ" a "gente" precisa de mais...
Anónimo 12.11.2019 12:18", aqui.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Palavras para quê? É o PS no seu melhor nas instit...

  • Anónimo

    Factos são factos. Palavras para quê??!

  • Anónimo

    "os filhos da casa" vão resolver o assunto!...o qu...

  • Anónimo

    Deixo aqui um post que retirei do Facebook, de um ...

  • Anónimo

    Não concordo. Como bem diz, dada a manifesta incap...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.