Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Falta de ética no acesso de alguns à vacina contra a COVID-19

Zé LG, 01.03.21

95218787_2998800846852646_2555435481613467648_o.jp«O mês de fevereiro iniciou com notícias diárias de novos casos de “vacinação indevida” contra a Covid 19. A indignação tomou conta das redes sociais e a comunicação social veiculou as opiniões dos do costume: comentadores residentes, uns políticos no ativo, outros nem tanto.

Parece-nos que se trata, na maioria, de matéria relacionada com a ética, ou a falta dela, do que propriamente com questões de ilegalidade. …

O Plano da task force, a Norma da DGC e a sua atualização não primam pela clareza. Contudo, a cronologia apresentada na página da DGS, indicando a hierarquização e apontando, para fevereiro, o início da vacinação dos grupos prioritários em razão da idade, bem como as diversas declarações públicas a este respeito, por parte de vários responsáveis políticos, veio fortalecer as suspeitas de que houve pessoas vacinadas indevidamente.

Têm sido noticiados atropelos aos processos de vacinação contra a Covid 19 um pouco por todo o mundo, nalguns casos com consequências imediatas, nomeadamente através da demissão dos prevaricadores. Em Portugal, suspeita-se de muitos casos de vacinação que ilegal. Houve, até ao momento, duas demissões. Porém, ainda que não sejam contrárias à lei, a falta de ética, na maioria das situações que se tornaram públicas, oferece poucas dúvidas.»

Sónia Calvário, aqui.

"Escrever é um ato de liberdade e o confinamento agride essa liberdade." - diz Francisco do Ó Pacheco

Zé LG, 27.02.21

francisco do ó pacheco.jpgFrancisco do Ó Pacheco é natural de Sines, onde nasceu há 73 anos. Filho de pescadores e operários corticeiros, estudou até ao 7.º ano do liceu, que não completou, e ingressou no mundo do trabalho como profissional de hotelaria, depois de ter sido moço de armazém e servente de fábrica de gelo na empresa do pai. Em maio de 1974 entrou para o Partido Comunista Português onde foi membro da concelhia de Sines e das direções regionais de Setúbal e do Litoral Alentejano. Em 1976 foi eleito presidente da Câmara de Sines com maioria absoluta, resultado que repetiria nas eleições até 1993. Entre 2005 e 2008 foi diretor do “Diário do Alentejo”.
No campo das letras, e de uma vasta bibliografia, destacam-se os títulos: “Crónica da 1.ª Greve Ecológica em Portugal" (1999); "25 anos de Poder Local Democrático" (2001), os livros de poesia "Luena da Praia" (2003), "A Ilha das Batas Brancas" (2005) e "Alentejo Salgado e Doce" (2009), "Crónicas de Beja" (2006), os romances “"Angola 1970 – Chanas de Liberdade" (2012), "Vataça, A Favorita de D. Dinis" (2013), "Searas Vermelhas de Abril" (2014) e "O Despontar do Elefante com Pés de Barro" (2017). É ainda autor do livro de contos “Vasco da Gama, O Bastardo Indomável e Outras Estórias" (2020).

Leia aqui a entrevista de Luís Mguel Ricardo a Francisco do Ó Pacheco.

“Não vale criticar? Não vale reivindicar? Não vale denunciar?”

Zé LG, 26.02.21

«Essa conversa do "não vale tudo" sinceramente já enjoa... Mas afinal o que é que vale e o que é que não vale? Não vale criticar? Não vale reivindicar? Não vale denunciar? O que não devia valer é este papel quase ridículo de vitimização que dá a entender que não há argumentos que respondam às questões dos cidadãos (que por sinal os elegeram!).»  Anónimo 24.02.2021, aqui.

(Des)confinamento

Zé LG, 25.02.21

renovacao emergencia.png"O Presidente da República propôs mais uma renovação do estado de emergência em vigor, até 16 de março. Trata-se da 12ª renovação deste regime de exceção em Portugal."

Como receávamos, o que devia ser uma excepção, banalizou-se. E que medidas sanitárias foram tomadas para controlar a pandemia? E para assegurar o controlo das outras doenças? - Menos médicos. Milhões de consultas e outros actos médicos por fazer. Testes e controlo dos contactos de infectados por fazer. Já não falo do "Natal"... O governo, com o beneplácito/apoio/incentivo do PR, reduziu o combate à pandemia (quase) exclusivamente à limitação das liberdades  e ao confinamento de parte da população. Sim, porque eu, como tantos e tantos outros - e não só os da chamada linha da frente -, continuei a trabalhar. Com liberdade para ir trabalhar, mas sem liberdade para fazer tudo o resto.

Há quem, apesar da redução abrupta dos números da COVID-19, insista, sem reservas, no prolongamento do confinamento até à Páscoa. Alguém, com bom senso e tendo em conta a evolução dos números, pode defender tal coisa? Três meses de confinamento consecutivo? Mais um mês e meio, quando a situação está a evoluir tão positivamente e os outros países já estão a desconfinar?!... Acham que, se não houver qualquer retrocesso na evolução da pandemia, o país aguenta, as pessoas aguentam? As crianças vão continuar presas em casa até quando? Não será mais razoável começar a desconfinar gradual e controladamente? E evitar transformar a Páscoa num outro "Natal".

“O envelhecimento da população é dos principais problemas” de Alvito

Zé LG, 23.02.21

imgLoader2.ashx.jpgAntónio João Valério, presidente da Câmara Municipal de Alvito, em entrevista ao “Diário do Alentejo, faz o balanço do atual mandato, considerando-o “interrompido”, pela situação pandémica que, desde há um ano, se vive. Uma situação que, segundo o autarca, levou os responsáveis municipais, a terem que, “inevitavelmente”, olhar de forma preponderante para “situações de emergência social e de saúde pública”.

Principais problemas com que o concelho se debate: Envelhecimento da população, baixas taxas de natalidade, dificuldade de fixação dos jovens e de quadros, com consequências ao nível da falta de massa crítica, no concelho.

Principais desafios que o presidente de câmara, que será eleito para o quadriénio 2021/2025, terá pela frente: Acessibilidades, dinamização/promoção do ensino – particularmente o profissional –, e sustentabilidade do projeto Pousada do Castelo de Alvito, associado à Novalvito.

“Câmara Municipal de Beja não está interessada na arte contemporânea.”?!...

Zé LG, 23.02.21

22491954_1866997063315865_7047551772929531891_n.jp“um galerista apresentou uma proposta à Câmara de Beja, há dois anos, para uma exposição com os meus trabalhos de investigação. O Galerista já faleceu há um ano e não obteve resposta, eu já não me sinto lá muito bem e tu agora dás-nos essa notícia (A Câmara Municipal de Beja não está interessada na arte contemporânea. Florbela Fernandes, Chefe do Departamento da Cultura de CMBeja)…

Jorge Castanho, aqui.

E os outros?

Zé LG, 20.02.21

em 09/02/2021, aqui:

202102011824137297.jpgO Conselho de Administração da ULSBA tinha esclarecido que todos os seus membros, à exceção de um que não quis, foram vacinados depois de todos os profissionais de saúde da linha da frente, elegíveis para vacinação, o terem sido, excepto os que recusaram a toma da mesma.

Também esclareceu que, face à necessidade de aumentar a resposta no combate da pandemia COVID, tomou a decisão de libertar o espaço do 6º piso do edifício hospitalar, onde se encontrava instalado, passando para uma estrutura provisória, composta por módulos de contentores pré-fabricados e usados, o que permitiu ter disponíveis mais 10 camas de internamento de Medicina COVID.

João Sardica, coordenador regional do DICAD da ARS Alentejo, também esclareceu que foi “vacinado no final do mês de Janeiro”, depois de ter sido “contactado” pelo seu “médico de família”, por ter “64 anos” e por ser “um doente de risco” - “na primeira fase do plano, que contempla como grupo prioritário de vacinação, os pacientes com 50 ou mais anos com pelo menos insuficiência cardíaca, doença coronária”, entre outras, por ser o seu caso. João Sardica revelou, ainda, que não pertence à direção do Nobre Freire "há mais de dois anos".

 

É importante lembrar e divulgar estes esclarecimentos. Até prova em contrário, tenho-os como bons.

Quanto aos outros casos, envolvendo detentores de cargos políticos, repito o que já aqui escrevi: "É imperioso e urgente que seja cabalmente esclarecida a situação! Porque não o fazem? Para além dos envolvidos e da avaliação e das consequências a nível local, é todo um processo em que se joga a vida das pessoas que está posto em causa. Até quando?"

PS defende “execução rigorosa e eficiente” do plano de vacinação contra a Covid-19

Zé LG, 18.02.21

Saude-vacina-1-p31b7kf1ft8npkc9f2s8ciofk3r7avzyzvhA Federação do Baixo Alentejo (FBA) do PS reuniu com os presidentes de concelhia, de câmara, das Mulheres Socialistas, da JS e deputados, com o objectivo de “analisar o plano nacional de vacinação e o seu impacto na região”, tendo igualmente contado com a participação a presidente do conselho de administração da ULSBA, Conceição Margalha.

“Foi igualmente dada informação sobre a vacinação de pessoas com mais de 80 anos e portadores de patologias coronárias, respiratórias, renais ou cardíacas, que irá avançar descentralizadamente, ainda esta semana, nos concelhos onde se regista maior incidência de Covid-19”.

O PS do Baixo Alentejo garante estar “empenhado na execução rigorosa e eficiente do plano de vacinação, centrado nas necessidades identificadas, nas prioridades e no contexto de uma população vulnerável, quer pela idade e doenças crónicas, quer pelas características de isolamento de parte do território”, garantindo que, através dos “seus autarcas e responsáveis políticos”, assume “um compromisso de cooperação e de apoio inquestionável à execução do plano de vacinação, centrado nos cidadãos e no combate à pandemia”.

PCP promove conferência de imprensa frente ao Hospital de Beja

Zé LG, 18.02.21

202011161526551255.jpgA Comissão Concelhia do PCP de Beja promove esta quinta-feira, pelas 14:30 horas, uma conferência de imprensa, em frente ao Hospital de Beja, com o mote “Reforçar o SNS, combater a Covid-19, garantir o regresso à atividade normal”, inserida numa campanha a decorrer em todo o país, que pretende “chamar a atenção para a necessidade de se garantir o acesso aos cuidados de saúde e melhorar a vida dos portugueses, recuperando os atrasos verificados”.

“O reforço do SNS, defendido pelo PCP muito antes da pandemia, é, foi e será a resposta que os portugueses necessitam para aceder aos cuidados de saúde a que têm direito”.

“pede-se uma investigação ao que se passa com as vacinas em Beja”

Zé LG, 17.02.21

«... Gostaria ver uma declaração do vereador/engenheiro que respondesse às seguintes questões:

- Em que dias foi vacinado?

- Como lhe foi “receitada” a vacina?

- Onde levou a vacina?

... se ... em Beja, a vacinação de pessoas com mais de 80 anos e mais de 50 anos de idade com doenças graves (e de risco para a covid 19) deveria ter começado apenas dia 10 de Fevereiro de 2021, e que inclusive foi adiada para data em que haja mais disponibilidade de vacinas, como explica o vereador que o mesmo já tenha sido vacinado?

... pede-se que exista uma investigação ao que se passa com as vacinas em Beja. Não pode nem deve ser poder local, amizades ou interesses a ditar quem deve ser imunizado para este vírus que nos abalou a todos, mas sim o nosso papel na sociedade moderna que gostamos de dizer que somos.»

Bejense 16.02.2021, aqui.

“Esclareçam de uma vez por todas e acabem com o assunto (das vacinas)!”

Zé LG, 17.02.21

imgLoader2.ashx.jpg«Lamentável e triste! Caso seja verdade, assumam! Caso não o seja, provem-no!
Assim ficam sempre as dúvidas, as perguntas no ar: Estará o "staf" administrativo do Hospital todo vacinado? E o executivo (e seu staf) da Câmara também? E os familiares?...
Esclareçam de uma vez por todas e acabem com o assunto e quem tiver que sofrer as consequências do que fez ou disse, que as sofra!»            Anónimo  16.02.2021, aqui.

Declaração de interesses: Sou amigo do Engº Luís Miranda e da Drª Conceição Margalha e, pelo que julgo conhecê-los, tenho dificuldade em admitir que possam ter agido dolosamente. 

Mas a questão assume contornos políticos de consequências de difícil avaliação, que aconselha os directamente visados, tal como o presidente da ARS do Alentejo, o presidente da Câmara e o PS a esclarecê-lo com a maior brevidade possível. Em política, a presunção da inocência de pouco vale. Cada dia, cada hora que passa, sem o devido esclarecimento, o julgamento popular torna-se mais difícil de reverter. É imperioso e urgente que seja cabalmente esclarecida a situação! Porque não o fazem? Para além dos envolvidos e da avaliação e das consequências a nível local, é todo um processo em que se joga a vida das pessoas que está posto em causa. Até quando?

Declarações do Dr. José Barriga coloca o Alvitrando no topo dos posts mais comentados nos Blogues do SAPO

Zé LG, 17.02.21

“Mértola com enorme deficit de participação, que não é estimulada nem dinamizada pelo poder político”

Zé LG, 16.02.21

150366415_363601354683647_1156136200566512993_o.pn

No primeiro encontro/debate do Fórum Mértola Participação e Cidadania, sobre o tema: participação e cidadania para a construção de um futuro melhor para as pessoas, foi reconhecido por todos que em Mértola existe um enorme deficit de participação e a que a mesma não é estimulada nem dinamizada pelo poder político, sendo, até, muitas vezes entendida como oposição e as opiniões não alinhadas consideradas como críticas destrutivas e não construtivas.

O Fórum irá continuar o seu trabalho quer fomentando a participação na discussão pública quer produzindo informação cidadã e organizando novos encontros debate, estando já previsto para o início de março, um sobre a reactivação do turismo em Mértola após a pandemia e um outro, em data a definir, sobre o processo de transição agroecológica.

Médico José Barriga acusa PS de aproveitamento na vacinação contra a COVID-19, em Beja

Zé LG, 16.02.21

151210378_10158295584453192_2292755682305148682_n.

106032995_3022036561205568_4183646071429826120_o.j

Depois do Dr. José Barriga ter denunciado que o vereador Luís Miranda foi vacinado antes da actual fase de vacinação contra a COVID-19 e por ser marido da presidente do Conselho de Administração da ULSBA, Luís Miranda escreveu no Facebook: "Fui convocado como cidadão com mais de 50 anos, portador de doença coronária, com vários episódios e fatores de riscos. Fui vacinado no momento indicado pelo calendário do Plano Nacional de Vacinação. Nem antes nem depois."

Leia e oiça também aqui.

"Museu da BD dotará a cidade de Beja de uma oferta ímpar no país"

Zé LG, 14.02.21

imgLoader2.ashx.jpg«O trabalho mais relevante que realizei foi o livro “O Amor Infinito que te tenho”. O livro acabou por ser um sucesso em Portugal e na Europa. Tive vários prémios e visitei muitos países. Uma altura incrível da minha vida. Sairá a quarta edição portuguesa no mês que vem. O livro foi publicado em várias línguas e está à venda em muitos países.

Mudei agora de divisão e, entre outras coisas, dedicar-me-ei ao projeto do futuro Museu da Banda Desenhada de Beja, um projeto do município que dotará a nossa cidade de uma oferta ímpar no país. Basta pensar no Bordalo Pinheiro, no Almada Negreiros, no Stuart de Carvalhais, no Carlos Botelho, no Eduardo Coelho, entre outros, para ver a qualidade da nossa BD. O país merece e precisa deste museu. Esta oferta, aliada à Bedeteca e ao Festival, fará de Beja o centro deste movimento.

Estou a escrever e a desenhar um novo livro: o “Estrela”. Ganhei uma bolsa de criação literária do Ministério da Cultura para me dedicar ao livro nos próximos meses. Espero que corra tudo bem. E que seja um bom livro.»

Leia aqui , na íntegra, a entrevista de Paulo Monteiro a Luís Miguel Ricardo.

 

“O que é mais importante?”

Zé LG, 13.02.21

202102112232197197.jpg«No turbilhão do tempo, na voracidade dos mercados, somos peças de uma grande máquina. Recursos. Recursos humanos. Humanizados? Ganhámos projeção individual. Mas somos levados a pensar que o nosso contributo social de pouco importa. E, afinal, percebemos agora melhor do que nunca que, o que cada um fizer, reflete-se num todo que a todos diz respeito. Corremos atrás do que não temos mas esquecemo-nos de cuidar do que está ao nosso alcance. As pessoas. A nossa integridade. Enquanto parte de um todo de que somos semente, raiz e fruto. Mais do que respostas, que muitas vezes não temos, é importante questionar: o que é mais importante?»

Joana Gomes, aqui.

“os países pobres continuam sem qualquer previsão para a vacinação”

Zé LG, 11.02.21

João-Paulo-Ramôa.jpgO processo de vacinação contra a covid-19 não está a ser desencadeado de forma igual, nos vários países do Mundo, segundo João Paulo Ramôa, que afirma que, “quando se fala” de questões relacionadas com a saúde, os países demonstram “uma grande solidariedade” entre si, mas “não é isso que se tem verificado”, neste momento, no “acesso às vacinas”.
Em seu entender, “observamos um mundo completamente não solidário, em que a União Europeia se deixou ultrapassar por países como Israel - que já vacinou toda a população -, Estados Unidades da América e Inglaterra - que tiveram prioridade neste processo”.
Por outro lado, João Paulo Ramôa diz que “os países pobres continuam sem qualquer previsão para a vacinação”. O “mundo solidário deixou de o ser (…) porque na balança também pesa a economia. Essa discrepância na distribuição das vacinas” contra a covid-19 “mostra que a economia se sobrepõe sempre aos ideais da solidariedade humana”.

“É uma farsa dizer que o PCP perdeu no Alentejo para a direita nas presidenciais 2021”

Zé LG, 10.02.21

202001271729082271.jpgA DRA do PCP refere que os “números desmentem a narrativa, criada por Rui Rio na noite eleitoral, de que o Partido Comunista Português perdeu para a direita no Alentejo, nas presidenciais de 2021”.

Reafirma “a necessidade de reforçar os profissionais de saúde, de se cumprir a construção do Hospital Central em Évora e a 2ª fase de construção do Hospital de Beja”. No que se refere às vacinações é importante garantir vacinas para toda a população.

Ao nível social e económico refere diversos “setores que estão a enfrentar vários problemas”, assim como “o agudizar de muitos problemas dos trabalhadores que se veem em situações de desemprego e horários de trabalho alterados”, pelo que apela “à participação na luta de todos e na ação nacional da CGTP marcada para o dia 25 deste mês”.

“Fórum Mértola Participação Cidadania” realiza primeiro debate no próximo Sábado

Zé LG, 09.02.21

202102082216429687.jpgJorge Pulido Valente é um dos elementos do Fórum Mértola Participação Cidadania, que junta várias pessoas de diversos quadrantes políticos e independentes. Um Fórum que propõe para os próximos tempos um conjunto de debates sobre as perspetivas de desenvolvimento para o concelho, em diversas áreas. A primeira iniciativa realiza-se, no próximo sábado, trata-se de um encontro via zoom para debater “Mértola: como construir um futuro melhor para as pessoas?”.

Jorge Pulido Valente considera que, neste momento, não se coloca a questão de uma possível candidatura, entendendo o facto de estar a ser "abordado" para se candidatar à Câmara de Mértola como o reconhecimento do “bom trabalho” que desenvolveu e de ser visto como “um ativo importante para o desenvolvimento do concelho”.

Não vale tudo! Não vivemos no pior dos mundos!

Zé LG, 09.02.21

«O PIOR DA NATUREZA HUMANA

... tem sido evidenciado com estas cenas das corridas às vacinas. O que alguns (poucos, espero eu) têm feito para serem vacinados ou conseguirem que alguém das suas relações o seja antes da sua vez, passando à frente - podendo condenar à morte -, de outros é o "chico-espertismo" que vemos nas filas do que quer que seja.

... tem sido igualmente evidenciado por julgamentos na praça pública do carácter de todos os que assim procederam, sem separar as águas. Sim, porque alguns dos que passaram à frente dos que estavam na fila podem-no ter feito com justificação ou, pelo menos, sem dolo. O que não é exactamente o mesmo que fazê-lo apenas por oportunismo…»

 

Escrevi isto há dias no Facebook. Por alguns comentários que aqui tenho lido, parece que alguns comentadores insistem em meter tudo no mesmo saco, nivelando todos e os seus comportamentos e atitudes por baixo. Para eles, tudo e todos são o piorio. Atribuem responsabilidades a quem as não tem e apontam “factos” que o não são.

Há muitos problemas que devem ser criticados e reclamada a sua resolução pelos que têm a responsabilidade de os resolverem. Há erros e crimes que são cometidos, que devem ser denunciados e exigida a sua reparação, assacando responsabilidades a quem os comete. Não vale a pena inventar mais, na tentativa (intencional ou não) de fomentar a ideia de que “são todos iguais”, “é tudo farinha do mesmo saco”, “isto está pior do que antigamente”, “vivemos no pior dos mundos”, …, porque isso não corresponde à realidade. Esse tipo de intervenção sabemos todos que consequências tem e a quem serve…