Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

O que se passa na Rádio Voz da Planície?

Zé LG, 20.09.20

logo RVP.pngDepois de muitas entradas e saídas registadas ao longo dos anos, eis que, nos últimos meses,  a Rádio Voz da Planície perde três dos seus principais profissionais. Primeiro foi a Inês Patola que tornou pública a sua saída. Depois foi o Justino Engana que informou, indivudualmente, quem entendeu informar da sua saída, primeiro de Director e agora de colaborador. E, ontem mesmo, na sua página do Facebook, Ana Teresa Alves escreveu: "Decidi pedir a demissão e, ontem, foi o meu último dia enquanto jornalista da RVP."

116790939_1423368501202105_1084463844848875331_n I

319691_2467093555073_1283647385_n Justino.jpg

Porque decidiram sair? Embora todos reconheçam a importância da RVP nas suas carreiras, percebe-se que não a abandonaram de ânimo leve. Algo se está a passar na Rua da Misericórdia, em Beja...  Se nada for explicado pelos responsáveis, os próximos tempos se encarregarão de mostrar que alterações se registaram na Rádio Voz da Planície.

“Precisamos de pensar! De pensar mais além!”

Zé LG, 16.09.20

“Não sei o que me custa mais, se o problema na saúde ou se o problema moral, social, económico e político... Felizmente na saúde ainda não me afectou, directa ou indirectamente, mas nas outras vertentes afecta-me a cada instante.

Vejo tanta hipocrisia, vejo tanto falso moralismo, vejo tanta ignorância...

Minha gente, ver os telejornais e acreditar não basta para se ser gente!

É preciso acreditar e pensar. É preciso prevenir e pensar. É preciso prevenir e não parar com o que nos faz falta. E não é só o trabalho que nos faz falta, não é só o trabalho que nos alimenta... Somos seres humanos, porra! Para além de todos os defeitos inerentes do ser humano, como o de apontar o dedo porque discordamos de algo mesmo sem conhecimento, precisamos de amor, diversão, compreensão, consideração... Precisamos de nos prevenir mas não de sermos escravos de um sistema cada vez mais capitalista. Precisamos de nos amar! Precisamos de nos respeitar! Precisamos de pensar! De pensar mais além!”

Anónimo 16.09.2020, aqui.

"Será que o IP 8 não é mais importante para a competitividade do todo nacional?"

Zé LG, 13.09.20

Imagen 027.jpg"António Costa deverá ter um qualquer "plano secreto", ... que nós, obviamente, não o entendemos. Foi o que se viu, ..., no lançamento do novo ano político do PS... "Há vulnerabilidades sociais que temos de enfrentar", diz Costa. De acordo. "O interior não é menos desenvolvido que o litoral por mero acaso, é porque tem menos condições de competitividade e isso traduz-se em menos coesão". Certíssimo. "Temos de voltar a ser um país agrícola e com agricultura de qualidade". Ora nem mais. ... "Vamos disponibilizar 20 mil fogos com renda acessível e 17 mil camas para estudantes universitários". ... "Menos coesão é uma vulnerabilidade que temos de ser capazes de enfrentar". ... "Estrada Nacional 14 é fundamental para resolver os problemas entre Porto e Braga". ... ligação de Bragança à fronteira com Espanha; IC 31 entre Castelo Branco e Monfortinho; ligação entre Nisa e Cedilho e a ponte entre Alcoutim e Sanlúcar do Guadiana. Tudo certamente importante. Sim, sim. Mas, e então, será que o IP 8 - não digo até Beja porque ele já se encontra inscrito no Plano Nacional de Investimentos mas até à fronteira de Ficalho, das maiores fronteiras luso-espanholas a única que não tem ligação por autoestrada - não é mais importante para a competividade do todo nacional? 

Luís Godinho, Director do Diário do Alentejo, no seu editorial da edição do dia 4 deste mês.

“Já sabemos que não vai ficar tudo bem, mas escusamos de piorar as coisas.”

Zé LG, 31.08.20

mafalda-anjos-2-crop-1578691778-1300x1300.png“O encontro desta terça-feira do primeiro-ministro com o bastonário dos médicos acalmou os ânimos, e ainda bem. Feitas as declarações de paz e aceites as explicações, é preciso seguir rapidamente em frente. Estamos todos cansados e enervados com tudo por que passámos e temos ainda pela frente. Não tenhamos dúvidas: vêm aí novos tempos difíceis. As escolas vão reabrir – sabe-se lá como e com que efeitos –, o outono está à porta com os seus vírus, e temos mais com que nos ocupar do que com guerras perdidas que em nada contribuem para o que é essencial: ultrapassar a pandemia o melhor possível. Já sabemos que não vai ficar tudo bem, mas escusamos de piorar as coisas.”

Mafalda Anjos, Directora da Revista Visão, aqui.

“A crise não é igual para todos”

Zé LG, 30.08.20

rui-tavares-guedes-2-150x150.png“Um relatório do Institute for Policy Studies é claro: desde o início da pandemia, a fortuna combinada dos 12 homens mais ricos dos EUA aumentou 238 mil milhões de dólares. Noutras contas, feitas pela Bloomberg, a fortuna dos 20 mais ricos do mundo cresceu 300 mil milhões de dólares, apesar das perdas registadas por alguns dos seus membros – como o espanhol Amancio Ortega ou o francês Bernard Arnault – , mas que foram largamente compensadas pelos ganhos de Jeff Bezos, Bill Gates, Mark Zuckerberg e Elon Musk. É verdade que algum deste “sobe-e-desce” resulta de capitalizações bolsistas que podem ser efémeras. Mas é inegável que, enquanto a esmagadora maioria do mundo ficou mais pobre, o pequeno grupo de supermilionários ficou ainda mais rico.”

Rui Tavares Guedes, Director Executivo da Revista Visão, aqui.