Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Petição para revogação de Resolução que permite aumentar área de estufas até 40 % e de contentores no Perímetro de Rega do Mira

Zé LG Zé LG, 24.01.20

imgLoader2.ashx.jpg“Temos cerca de 11 por cento da agricultura intensiva coberta por plástico e aquilo que a resolução [do Conselho de Ministros] diz é que pode vir a aumentar até 40 por cento, além da autorização, a título excecional, de contentores dentro das explorações agrícolas” e da "contratação de milhares de trabalhadores asiáticos em condições pouco claras”, disse Fátima Teixeira, porta-voz do movimento que lançou a petição.

O movimento alerta para as consequências “nefastas” de práticas agrícolas “que apostam na utilização intensiva de água para rega, plásticos, fertilizantes e pesticidas sintéticos”, no “Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, uma zona de excelência, com recursos ambientais que é preciso proteger. Estamos a destruir um património ambiental que é único”, pelo que é urgente “resolver os problemas que já existem ao nível de estufas, de agricultura intensiva e da capacidade para acolher tantos imigrantes” antes de se avançar para a expansão da atividade agrícola.

É urgente travar este avanço e proteger as zonas sensíveis do ponto de vista ecológico, assim como as populações dos aglomerados urbanos, das contaminações desta agroindústria, sendo por isso imperativo a demarcação de uma faixa mínima de 1.000 metros a partir da linha de costa e de 500 metros dos perímetros urbanos, livres de agricultura intensiva”.

Maior bosque ripícola plantado em Portugal cresce nas margens da albufeira de Pedrógão

Zé LG Zé LG, 14.12.19

Para compensar o coberto florestal que iria ficar coberto pelas águas, a EDIA plantou, em 2005, cerca de 650 mil árvores e transplantou 720 exemplares adultos de amieiros e freixos.

1421563.jpgQuando se assiste à destruição massiva e sistemática de galerias ripícolas (ribeirinhas) e de corredores ecológicos no território regado a partir das águas do Alqueva, a Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva (EDIA) apresenta uma das suas mais bem conseguidas medidas de compensação ambiental alguma vez realizada em Portugal. Numa albufeira, o imenso bosque plantado há anos cresce frondoso.

Memórias dos Moinhos de Alvito  -  O PR2 AVT já se encontrada sinalizado!

Zé LG Zé LG, 17.11.19

O segmento de Turismo Natureza – passeios pedestres, tem conhecido nos últimos anos um forte incremento em Portugal de forma global e na Região Alentejo em particular.

A ERT-Turismo do Alentejo  criou uma rede de percursos pedestres sinalizados, com uma estruturação própria, uma linguagem comum e sinalização adequadas , proporcionando uma rede de oferta de elevada procura.

alvito.jpg

Assim surgiu o PR2 Alvito , um percurso circular de 14.8 km que  mostra um campo autêntico, com paisagens a perder de vista. Numa primeira parte os caminhos rurais de terra batida apresentam desníveis moderados que se vão acentuado nos morros onde subsistem os históricos moinhos de vento e capelas com pinturas fresquistas.

PSD apresentou e aprovou recomendação ao Governo para valorização de ZPE na Margem Esquerda do Guadiana

Zé LG Zé LG, 17.05.19

Nilza-de-Sena-768x432.jpgO grupo parlamentar do PSD apresentou e aprovou uma recomendação ao Governo para que este elabore o plano de gestão da Zona de Protecção Especial (ZPE) dos concelhos de Moura, Mourão, Barrancos e Serpa, na estratégia do Turismo 2027, no prazo de um ano, que estabeleça as medidas e acções de conservação, visando a compatibilização da conservação dos valores naturais com as actividades praticadas no Sítio e na ZPE”.

Recomenda aiunda que “a estratégia do Turismo 2027, que consagra a natureza como activo estratégico, contenha mecanismos de combate à sazonalidade” e que sejam criadas “medidas especiais de apoio aos agricultores e às agroindústrias existentes e às que futuramente se venham a instalar neste território, para aproveitar e incrementar o potencial do Empreendimento de Fins Múltiplos do Alqueva e a sua importância estratégica para o País”.