Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Urgência de Ginecologia/Obstetrícia de Beja fechada de hoje até Domingo

Zé LG, 22.07.22

h_202205181503536226.pngA Urgência de Ginecologia/Obstetrícia do Hospital de Beja encerra hoje pelas 18:00 e reabre domingo, a partir das 08:00, em virtude da falta de médicos da especialidade. Também o Serviço de Ginecologia/Obstetrícia do Hospital vai estar encerrado entre as 08:00 e as 20:00 de sábado, o que implica a transferência de todas as utentes internadas por falta de médicos de serviço. Daqui e daqui.

Atleta de Beja no Campeonato Europeu de Basquetebol

Zé LG, 10.07.22

267404.jpgMaria do Carmo Cruz, ex-atleta do Beja Basket Clube e natural de Beringel, está convocada para a Seleção Sub-20 Feminina para o Campeonato Europeu.

Maria do Carmo Cruz começou o seu percurso do basquetebol no clube da capital de distrito na época de 2015/2016, no escalão sub-14. Em 2018 passou a integrar o Centro de Alto Rendimento do Jamor e, em simultâneo, jogava em Beja. Nas épocas de 2019/2020 e 2020/2021 representou o Grupo Desportivo Escola Secundária de Santo André, em Setúbal.

Atualmente, na presente época, enquanto frequenta o curso de Medicina, Maria do Carmo Cruz também faz parte da equipa de Sub-19 Femininas do Benfica.

 

“Os bons e os maus. E os míopes.”

Zé LG, 14.03.22

CN.png«Sempre que extremamos posições, deixamos de ser capazes de ver e de sentir o espaço possível para a intercepção com o outro. Em campos opostos, o que importa é apontar o dedo aos defeitos do inimigo descurando os nossos, que são os únicos em que ainda poderemos manter alguma esperança de os poder alterar. Mas a facilidade atrai. Como se identificar o defeito do outro bastasse para nos isentar dum similar. Confortavelmente, numa qualquer poltrona do universo, desprovidos duma humanidade necessária, olhamos os outros, catalogando-os. Responsabilizando-os. Assim, tudo que de mal nos acontece terá sempre uma raíz. E essa nasce permanentemente num campo alheio. Onde nunca podemos por a foice porque a seara não é nossa. E nas flores nunca se toca. Sobretudo nas nascidas em seara alheia.» Celina Nobre, aqui.

“sobre o papel da mulher, da sua experiência e da sua infinita capacidade de encaixe”

Zé LG, 08.03.22

mulheres2-e1602003447622.webp«As mulheres encerram em si a História da desigualdade na humanidade, quer de facto, quer de Direito, seja entre homens e mulheres, seja entre pobres e ricos, ou pela sua diferença, origem ou cor da pele. E, também por isso, o fardo possibilitou desenvolver competências e habilidades que as colocam em vantagem na gestão de conflitos, na organização social e na transmissão de conhecimento(s) e valores. A sensibilidade, a capacidade de calçar o sapato alheio, a compaixão e o amor são mais comuns nelas. Ainda que grande parte sejam consequência direta da construção social, a esta realidade não é alheia a ligação, única, que em regra se estabelece durante a gravidez, na maternidade e depois com a parentalidade. São sentimentos bons de sentir, quer para quem os transmite, quer como destinatários. Há quem nunca os tenha sentido ou que a vida acabou por fazer esquecer». Sónia Calvário, aqui.

“A Igualdade tem de existir – Para o país evoluir”

Zé LG, 07.03.22

CGTP-Igualdade-768x432.jpg... é o mote da Semana da Igualdade, a Comissão para a Igualdade entre Mulheres e Homens da CGTP-IN está a promover, entre hoje e sexta-feira, que também assinala o Dia Internacional da Mulher Trabalhadora.

Para a cidade de Beja está programada uma Tribuna Pública, amanhã, a partir das 10h30, nas Portas de Mértola, com a participação de delegados, dirigentes sindicais e trabalhadores dos vários setores que integram a União de Sindicatos do Distrito de Beja (USDB).

A Igualdade no acesso ao emprego, a desigualdade salarial, a maternidade e paternidade, a conciliação do trabalho com a vida pessoal e familiar, o assédio laboral e as doenças profissionais das mulheres, são matérias em debate, segundo Cristina Barata, coordenadora da Comissão de Igualdade da União de Sindicatos.

Maria da Graça Carvalho tem razão: "é fundamental reforçar a presença das mulheres nos centros de decisão"

Zé LG, 17.02.22

274139981_10219524103645477_3513422331763706714_n.

«Numa intervenção que acabei de fazer em plenário, enfatizei o papel decisivo que as mulheres têm a desempenhar como agentes de mudança e realcei que, para isso acontecer, as questões da igualdade de género têm de estar no centro das políticas:

✔️é fundamental reforçar a presença das mulheres nos centros de decisão, tanto no setor público como no setor privado;

✔️deve estimular-se a sua afirmação como empreendedoras;

✔️ e promover a sua participação em todos os campos ligados por exemplo à engenharia, ciência e inovação.» - Maria Da Graça Carvalho, aqui.

202110261547319974.JPG

Foi promovida a primeira mulher a Oficial General da Marinha

Zé LG, 09.01.22

Marinha.pngA Capitão-de-Mar-e-Guerra da classe de Médicos Navais Maria Correia Halpern Diniz, de 58 anos, foi promovida ao posto de Comodoro, o mais baixo dentro da categoria dos Oficiais Generais (o mais alto é o de Almirante).

"No ano em que a Marinha assinala os 30 anos da entrada das primeiras mulheres como militares, este é mais um marco na história de sucesso que representa a integração das mulheres na Armada", lê-se na nota publicada no site da Marinha.

Lêndias d’Encantar leva “Quarteto de Alba” à Colômbia

Zé LG, 05.08.21

202108041427563834.jpg“Uma crónica no feminino sobre uma civilização que perde dignidade, mas que mantém a esperança”. A peça, escrita e encenada por Carlos Gil Zamora e protagonizada por Andreia Galamba, Bárbara Teixeira, Clara Cunha e Inês Minor, estará em cena dia 12 de Agosto em Bogotá e nos dias 17 e 18 em Medellín.

A deslocação da companhia bejense é feita a convite da Colombian Theatre Corporation no âmbito do 30º aniversário do Festival Mujeres en Escena por la Paz, que decorrerá entre 6 e 15 do presente mês.

Alentejana Beatriz Cameirão sagrou-se campeã nacional de futebol pelo Benfica

Zé LG, 06.06.21

Beatriz Cameirão.pngA jogadora alentejana, natural de Reguengos de Monsaraz, Beatriz Cameirão, 20 anos, sagrou-se campeã nacional pela equipa sénior de futebol do Sport Lisboa e Benfica. Neste jogo em que a equipa do Benfica ganhou, por 3-0, ao rival, a jovem foi titular, sendo substituída aos 61 minutos.

Com a vitória sobre o Sporting Clube de Portugal em jogo da última jornada da fase de apuramento de campeão, a equipa feminina das águias conquistou o título nacional pela primeira vez.

"Cabo Delgado somos nós"

Zé LG, 27.04.21

LJ 001.jpg«... o que se está a passar é uma tragédia. Há uma personagem do meu livro Estuário, um jovem, que diz que, se não se tomar cuidado, a terra será destruída por um vento de irracionalidade. O que está em Cabo Delgado a acontecer é justamente um vento de irracionalidade, que pode alastrar para outros campos. Devámos escrever em todas as paredes: "Cabo Delgado somos nós". Cabo Delgado está abandonado, aquelas pessoas estão cheias de fome. Neste momento, estou muito desiludida com a ONU. Acho fraca, acho frouxa, acho lenta, acho muito lírica, não acho ativa. A ONU não está adaptada aos dias de hoje. E António Guterres, que nos diz tanto, ou abre os olhos para a situação de Cabo Delgado ou, de facto, não fica à altura do momento. Ele lá saberá as linhas com que se cose e as dificuldades que terá, mas Ban Ki-moon (antecessor de António Guterres no cargo de secretário-geral das Nações Unidas) gritava mais alto. Guterres não está a gritar suficientemente alto. E eu, como portuguesa, precisava de que a sua voz fosse mais firme. É mais fácil falar das mudanças ambientais: hoje já toda a gente fala, até as crianças falam... É preciso rebentar as convivências internacionais, com as insensibilidades, com as indiferenças.» Lídia jorge, in VISÃO, de 22/4.

“Por todos, no mesmo sentido e a uma só voz.”

Zé LG, 30.03.21

JR.png«…, embora valorizando o espaço de diálogo aqui existente, não poderia deixar de dizer, que este espaço poderia ser também um espaço para os homens. E digo isto, porque não consigo perceber vantagens em nenhum tipo de segregação.

Onde reside a diferença? – pergunto. A diferença só existe se quisermos que ela exista. E não deve existir!

A mudança tem de ser feita por mulheres livres e responsáveis, mas também por homens responsáveis e livres. Neste sentido, quero aqui deixar expressa esta ideia: tudo o que falta fazer na defesa do princípio da igualdade – e de tudo o que nos deve mover – tem que ser feito e participado por mulheres e por homens, com as suas vivências, experiências, saberes e desejos. Por todos, no mesmo sentido e a uma só voz.

A luta é a mesma e só juntos conseguiremos uma ação responsável, partilhada e livre, quaisquer que sejam os espaços, os sítios e as formas dessa participação.»

Assim termina João Rocha o seu texto, aqui.

“Não há desculpa para retrocessos – viver direitos, vencer violências”

Zé LG, 12.03.21

202103101813272098.jpgA Associação das Mulheres Agricultoras e Rurais Portuguesas (MARP) analisa com preocupação a situação atual e, em particular, os impactos na vida das mulheres agricultoras e rurais. Assim sendo, a MARP estará presente e apoia as celebrações do Dia Internacional da Mulher, no dia 13 de março, sábado, em Lisboa, sob o mote “Não há desculpa para retrocessos – viver direitos, vencer violências”, pretendendo levar à rua as reivindicações das Mulheres Agricultoras e Rurais Portuguesas de forma a “semear esperança, cultivar direitos para viver melhor!”

Promotores e mecenas de Vila Viçosa recuperam casa e espólio de Florbela Espanca

Zé LG, 31.12.20

ta_-_2020-12-30t063446.066.pngNeste ano em que se assinalam os 90 anos sobre a morte de Florbela Espanca, encontra-se em franco desenvolvimento o projeto da CASA FLORBELA ESPANCA ® em Vila Viçosa, uma iniciativa concebida por um conjunto de promotores e de mecenas, que tem como objetivo valorizar, estudar e divulgar a vida e a obra da Poetisa.
O projeto tem por base a requalificação do imóvel onde Florbela Espanca residiu durante a infância e adolescência, precisamente no nº 59 da antiga Rua da Corredoura (actual Rua Florbela Espanca), em pleno centro histórico de Vila Viçosa.
Para além da aquisição do edifício "florbeliano", foi possível reunir um vasto espólio original da Poetisa, em parte inédito, que conjuga textos manuscritos, cartas, postais, fotografias e objectos pessoais e que irá ser o núcleo estruturante do projeto museológico que está a ser desenvolvido e que muito em breve será uma realidade.

Ana Cabecinha sagrou-se campeã nacional pela sétima vez e conseguiu mínimos olímpicos nos 20km marcha

Zé LG, 28.12.20

AnaCabecinha-600x400.jpgAna Cabecinha é natural de Baleizão, Beja, e nasceu a 29/04/1984. É atleta de Alta Competição de Atletismo desde 1998, destacando-se nas categorias dos 10.000m e dos 20.000m, e é, nesta distância, recordista nacional.

Soma vários títulos nacionais, desde os escalões jovens. Em 2003 ganhou a medalha de bronze, nos 10.000m, no Campeonato da Europa de Juniores. Esteve nos Jogos Olímpicos (JO) de Pequim-2008, onde estabeleceu recorde nacional; participou também nos JO de Londres-2012 e Rio de Janeiro-2016. A atleta é campeã Ibero-Americana (2006 e 2010) e medalha de prata (2004). No Mundial de Pequim (2015) conquistou o 4.º lugar.

Ana Cabecinha, marchante do Clube Oriental de Pechão (Olhão), desde 1996, está, este mês, no pódio do Expoente M., onde pode ler a sua entrevista.