Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Porque não foram retomados comboios Beja/Lisboa/Beja suprimidos na Páscoa?

Zé LG, 26.05.20

070320141642-713-ESTAODECOMBOIOSDEBEJA comboios.jpNo fim-de-semana de Páscoa, a CP suprimiu horários de comboios na linha Beja/Lisboa/Beja. Mais de um mês depois, os horários, que deveriam ter sido retomados depois de 13 de abril, mantêm-se suprimidos. O Beja Merece+ vai “pedir esclarecimentos à CP” e alerta para “o perigo” desta questão, dizendo que “pode colocar em” risco “as promessas efetuadas e legisladas para esta linha.”

Florival Baiôa, do Beja Merece+, teme que esta situação tenha sido “uma desculpa” alerta para que esta tomada de decisão “pode fazer perigar as promessas efetuadas para esta linha e que já estão legisladas”. Defende que as “instituições de Beja têm de fazer algo” em relação a esta matéria, avançando que o Beja Merece+ vai “confrontar a CP, no sentido de perceber o que pretende efetivamente”.

Florival Baiôa lembrou que “até à pandemia, o número de passageiros a utilizar o comboio, na linha em causa, tinha aumentado”.

“Agricultura do sudoeste alentejano continua a alimentar o país” ou está a seguir um “caminho extremamente arriscado”?

Zé LG, 31.03.20

imgLoader2.ashx estufas.jpgO Movimento Juntos Pelo Sudoeste acusou empresas frutícolas de Odemira e Aljezur de seguirem um “caminho extremamente arriscado” ao continuarem a operar, podendo “colocar em risco a saúde de milhares de pessoas”, devido à pandemia de covid- 19. “Poderá ser uma decisão economicista, em contraciclo com muitas outras empresas no país que foram obrigadas a parar”.

O comunicado do movimento surge em reação a uma nota de imprensa da Associação dos Horticultores, Fruticultores e Floricultores dos Concelhos de Odemira e Aljezur (AHSA), com o título "Agricultura do sudoeste alentejano continua a alimentar o país”. As associadas da AHSA, que "representam mais de 200 milhões de euros de faturação anual", mantêm "atividade em pleno", apesar da pandemia de covid-19, e "Continuam a operar e a alimentar a cadeia de distribuição nacional e internacional", seguindo "todas as orientações das autoridades" e priorizarando “ao máximo a prevenção e a implementação e adaptação dos seus planos de contingência".

“Juntos pelo Sudoeste” entregou petição com 6 000 assinaturas na AR para impedir que “a área coberta de plástico triplique”

Zé LG, 04.03.20

202003021542599596.jpg“Juntos pelo Sudoeste” (JPS), o movimento de cidadãos de Odemira e Aljezur que se juntou para impedir que “a área coberta de plástico que já existe no parque” se “triplique”, como está previsto na resolução do Conselho de Ministros n.º 179/2019, aprovada pelo anterior Governo, entregou, na Assembleia da República, uma petição pública com cerca de seis mil assinaturas”, com o objectivo de “levar este tema a debate na Assembleia da República para que seja cuidadosamente analisado”, porque “numa região que é Parque Natural há compromissos que não estão a ser cumpridos”.
“Juntos pelo Sudoeste” criou a petição “O Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina não aguenta mais agricultura intensiva”, que pretende também impedir a colocação de contentores dentro das explorações agrícolas para mais trabalhadores emigrantes até 36 mil pessoas”. Daqui e daqui.

Governo mão se comprometeu com sugestões do Beja Merece+

Zé LG, 14.02.20

202002122224083871.JPGDa reunião com o ministro do Planeamento, o Beja Merece+ trouxe a indicação de que “o Governo vai verificar se ainda é possível fazer candidaturas aos projetos de acessibilidades, rodoviárias e ferroviárias, no 2020”, conforme sugeriu o Movimento, no sentido de “evitar os atrasos do 2030”.

Hélio Bernardino concretizou as propostas que foram efetuadas ao ministro do Planeamento, no sentido de “ainda serem efetuadas as candidaturas ao 2020 dos projetos que são necessários avançar”. Deixou claro, contudo, que “o Governo não deu resposta à sugestão do movimento, mas disse que iria verificar se ainda é possível no 2020”. A resposta está prometida a “breve trecho”.

Beja Merece+ quer garantir acessibilidades da região ainda em 2020

Zé LG, 12.02.20

Depois da reunião com o ministro das Infraestruturas, no passado dia 5, o Beja Merece+ regressa, hoje, a Lisboa para falar com o ministro do Planeamento, Nelson Souza. O movimento vai pedir, uma vez mais, “acessibilidades rodoviárias e ferroviárias ainda no 2020”. O Beja Merece+ leva “três especialistas a esta reunião para fazer o Governo entender que não se pode perder tempo, ou seja que não se pode esperar pelo 2030”.

202002011304107077.jpg

Florival Baiôa reforçou a ideia de que “não se pode esperar mais”, dizendo que “mais um ano significa mais 10 de atraso”, pelo que “é preciso garantir, ainda no 2020, a eletrificação da linha férrea Casa Branca/Beja e o trajeto da A26 de Malhada Velha até Beja, porque ao que tudo indica o troço que está fechado irá abrir durante o mês de março”.

“Beja Merece+” acusa António Costa de “desprezar a região”

Zé LG, 29.01.20

20398743_Kq4L3.jpeg.jpgO Movimento “Beja Merece +” irá aproveitar a Cimeira dos “amigos da Coesão” da União Europeia, que se realiza em Beja no próximo Sábado, para entregar ao primeiro ministro um dossier com as reivindicações de melhores condições para a região do Baixo Alentejo, designadamente a conclusão do IP8, o aproveitamento do aeroporto, melhorias nos serviços de saúde da região e a electrificação do troço ferroviário Casa Branca- Beja- Funcheira.

Petição para revogação de Resolução que permite aumentar área de estufas até 40 % e de contentores no Perímetro de Rega do Mira

Zé LG, 24.01.20

imgLoader2.ashx.jpg“Temos cerca de 11 por cento da agricultura intensiva coberta por plástico e aquilo que a resolução [do Conselho de Ministros] diz é que pode vir a aumentar até 40 por cento, além da autorização, a título excecional, de contentores dentro das explorações agrícolas” e da "contratação de milhares de trabalhadores asiáticos em condições pouco claras”, disse Fátima Teixeira, porta-voz do movimento que lançou a petição.

O movimento alerta para as consequências “nefastas” de práticas agrícolas “que apostam na utilização intensiva de água para rega, plásticos, fertilizantes e pesticidas sintéticos”, no “Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, uma zona de excelência, com recursos ambientais que é preciso proteger. Estamos a destruir um património ambiental que é único”, pelo que é urgente “resolver os problemas que já existem ao nível de estufas, de agricultura intensiva e da capacidade para acolher tantos imigrantes” antes de se avançar para a expansão da atividade agrícola.

É urgente travar este avanço e proteger as zonas sensíveis do ponto de vista ecológico, assim como as populações dos aglomerados urbanos, das contaminações desta agroindústria, sendo por isso imperativo a demarcação de uma faixa mínima de 1.000 metros a partir da linha de costa e de 500 metros dos perímetros urbanos, livres de agricultura intensiva”.

“Está na hora de todos se envolverem em prol do desenvolvimento da região”

Zé LG, 13.12.19

A Casa da Cultura encheu, respondendo assim ao apelo do Beja Merece+. A população marcou presença na reunião magna e, depois de ter ouvido o que se passou em Bruxelas, ficou a saber com o que se pode contar no novo quadro comunitário de apoio e o que reivindicar, diretamente, aos decisores europeus. Já no patamar internacional, “a região vai agora tentar aceder ao que tem direito”.

201912112209043649.jpgO principal objetivo da reunião magna realizada ontem foi o de ouvir a população, receber os seus contributos e foram muitos os que foram partilhados. Agora é pensar o que se pode fazer e avançar com candidaturas regionais diretamente aos decisores europeus, tentando assim ganhar tempo e benefícios para o território. As palavras são de Florival Baiôa, que fez o balanço da reunião que juntou a população num propósito comum, o desenvolvimento da região.

“Beja Merece +” realiza reunião plenária e pública

Zé LG, 11.12.19

201911121841136643.jpgO “Beja Merece+” faz hoje, na Casa da Cultura da cidade, uma reunião magna. O movimento convida toda a população a participar nesta iniciativa onde se vai falar sobre “o que se ouviu em Bruxelas” e sobre “as novas janelas de oportunidade para o desejado desenvolvimento” da região. A reunião magna começa às 19.00 horas.
Florival Baiôa, membro do movimento disse à Rádio Pax, que esta é uma oportunidade para a população “escolher o futuro [da região]”.

Daqui e daqui.

Comissão de Utentes de Beja apela à subscrição da petição “Beja exige mais!”

Zé LG, 19.11.19

73684700_410160226339046_6505387195732328448_n.png

A Comissão de Utentes de Beja tem online e em diversos locais da cidade, a petição “Beja exige mais! Porque a Saúde é um direito!”. A Comissão apela à subscrição deste documento, que precisa de chegar às 4000 assinaturas para ser entregue na Assembleia da República e discutido em plenário.

Através desta petição é exigido, entre outros aspetos, que se dê "… início aos procedimentos com vista à ampliação do Hospital José Joaquim Fernandes em Beja", tal como ficou estipulado no Orçamento Estado para 2019.

Movimento Alentejo VIVO identificou violação aos PDM em mais de 5 mil hectares na área de influência de Alqueva

Zé LG, 18.11.19

A Associação Ambientalista ZERO refere que se tem assistido à instalação de culturas intensivas fora dos blocos de rega, em áreas onde as mesmas são proibidas ou condicionadas nos PDM, acrescentando que, num primeiro levantamento efetuado, pode-se já afirmar que esse valor supera os 2500 ha no concelho de Beja e os 2000 ha no concelho de Serpa e em menor expressão no concelho de Ferreira do Alentejo, estendendo-se esta situação um pouco por todos os outros concelhos envolvidos.

regadio.JPGAs situações identificadas referem-se a áreas classificadas nas cartas de ordenamento como espaços agro-silvo-pastoris, mesmo como áreas florestais de produção e até de proteção, áreas com condicionantes em termos de Reserva Ecológica Nacional (REN) ou em faixas adjacentes a povoações.

A ZERO considera que “não é aceitável que as diversas entidades com responsabilidades em matérias de gestão e ordenamento do território continuem sem assumir as suas responsabilidades”, e exige a “imediata intervenção da CCDRA, no sentido de fazer cumprir os preceitos previstos nos diversos instrumentos de gestão territorial em vigor, bem como da IGAMAOT, pelo que será solicitada uma auditoria urgente à forma como todo o processo de instalação dos perímetros de rega tem decorrido”.

Daqui.

Obrigado Graça!

Zé LG, 13.11.19

Graça.jpg

Obrigado Maria da Graça Carvalho, por teres promovido a deslocação de uma delegação do movimento “Beja Merece +”, constituída por alguns dos nossos melhores, a Bruxelas, onde puderam contactar com deputados do Parlamento Europeu e funcionários da Comissão Europeia!

Sabemos que, em termos práticos, de pouco serve, porque se trata de problemas nacionais os que estão em causa, que só o nosso governo pode resolver, como muito bem disse o “nosso” deputado europeu Carlos Moedas. Mas sabemos também que, para muitos deles, se trata de uma experiência única, que muito os vai animar na luta que desenvolvem pelo desenvolvimento da nossa região e por que lhes devemos estar muito gratos.

Que pena que tenho eu que tenhas aderido a essas “bandas” partidárias. Mas que orgulho que sinto em ti por fazeres o que os das minhas “bandas” políticas não fazem.

Beja Merece +! De facto! E fico muito contente por muitos amigos, da minha geração (com outros), contra tudo e contra todos, quais “D. Quixote”, tudo tentarem fazer para travar esta caminhada para o despovoamento e para a desertificação a que o poder central persiste em condenar-mos.

Beja Merece + em Bruxelas

Zé LG, 12.11.19

graça.jpgUma comitiva constituída por elementos do Movimento “Beja Merece +”, profissionais de saúde, empresários, artistas e jornalistas do distrito de Beja apresenta-se, hoje e amanhã, em Bruxelas, com um programa recheado.
Trata-se de uma visita promovida por Maria da Graça Carvalho, eurodeputada do PSD, natural de Beja, que afirmou que é importante que se saiba, em Bruxelas, que há regiões na Europa em que as acessibilidades não estão resolvidas e as questões da qualidade da saúde ainda se colocam.

A Embaixada do BMM é constituída por:

Paula Susana Maldonado Potra Simões - António Jorge Teixeira Serafim - António José Rodeia Zambujo - Florival Baiôa Monteiro - Fernanda Isabel Mestre Grou - Bruno Filipe Alves de Carvalho Ferreira - Luis Manuel Castilho Godinho Santana - Bernardo Ramos Ribeiro Ferraz Espinho - Nuno Jorge Moreira Amorim de Figueiredo - António José Curre Barahona - Edite Maria Spencer Reis - Paulo Jorge de Abreu Fonseca Monteiro - Catarina Isabel Lampreia Gaspar - Pedro Camilo de Araújo Lima de Vasconcelos - Filipe Jorge Martins Piçarra Fialho Pombeiro - José Manuel Brízido Serrano - António Jorge Machado Benvinda - Élio Amador Bernardino - Francisco Carlos Teixeira Serafim - Justino de Matos Engana - João Paulo de Almeida Lança Trindade - Victor Manuel da Silva Madeira - Jorge Manuel Matos Aniceto - Rui Manuel Inácio Garrido - Cláudia Sofia Marques Romão Hilário.

Beja Merece+ vai a Bruxelas “defender o futuro da região”

Zé LG, 09.11.19

beja merece+.JPGO Beja Merece+ vai a Bruxelas, nos dias 12 e 13 deste mês. Leva uma embaixada do Alentejo, com 25 pessoas que acreditam no futuro da região, para ser ouvida sobre acessibilidades rodoviárias, ferroviárias e aeroporto, assim como sobre serviços de saúde. O Beja Merece+ quer que Bruxelas pressione o Governo a olhar de outra forma para o Alentejo e que ajude a região a ficar ligada à Europa.
Foi Maria da Graça Carvalho, eurodeputada do PSD, que convidou o movimento e o Beja Merece+ vai pedir a intervenção de Bruxelas junto do Governo, porque está na hora do Alentejo se fazer ouvir. As declarações são de Florival Baiôa, do Beja Merece+.

Petição Pública pela Eletrificação e Modernização da Linha do Alentejo, como uma prioridade de interesse nacional

Zé LG, 01.11.19

AMALENTEJO.jpgA Comissão Dinamizadora do AMAlentejo entregou, à Assembleia da República, as primeiras mil assinaturas de apoio à “Petição Pública pela Eletrificação e Modernização da Linha do Alentejo, como uma prioridade de interesse nacional”.

A Comissão Dinamizadora do AMAlentejo realça que a entrega das primeiras mil assinaturas obriga à “audição do AMAlentejo pela Comissão da Assembleia da República a quem for distribuída a apreciação da Petição em causa”.

O Movimento “sublinha a importância de prosseguir e intensificar a recolha de assinaturas de modo a alcançar as 4 mil assinaturas necessárias para tornar obrigatória a discussão pelo Plenário da Assembleia da República da ‘Petição Pública pela Eletrificação e Modernização da Linha do Alentejo, como uma prioridade de interesse nacional’”.

“Aeroporto de Beja apto a receber no imediato 1 milhão e 500 mil passageiros por ano”

Zé LG, 01.10.19

Aeroporto-de-Beja-768x432.jpg

De acordo com a Plataforma Alentejo, “da troca de opiniões (com e a Administração do Aeroporto de Beja/ANA Aeroportos de Portugal) resultou claro que o Aeroporto de Beja está apto a receber no imediato 1 milhão e 500 mil passageiros por ano, que reúne condições excepcionais para o tráfego aéreo e tem todas as condições para a sua ampliação de acordo com eventuais necessidades futuras cabendo aos decisores políticos a clarificação do que se pretende realmente do Aeroporto de Beja e sobre a utilização militar da BA11”.

Claudino Matos, do secretariado da Plataforma Alentejo, afirma que a principal conclusão é que as acessibilidades rodoviárias e ferroviárias são fundamentais para o desenvolvimento do aeroporto de Beja.

Ler e ouvir aqui e aqui.

Presidente da Assembleia Municipal de Vidigueira anuncia demissão

Zé LG, 19.09.19

Vidigueira.jpgNa última reunião da Assembleia Municipal de Vidigueira, o presidente daquele órgão, Pedro Janeiro, anunciou que iria abandonar o cargo.

O Movimento Vidigueira Independente sublinha ainda que “em mais de 40 anos, nunca um Presidente de Assembleia Municipal se demitiu, no Concelho de Vidigueira”. Em seu entender, esta situação “mostra, claramente a fragilidade da equipa da CDU e o desmoronar de uma equipa, que perde o seu líder”.

Plataforma Alentejo solicita audiências ao 1º ministro e ao PR e prepara convenção do Alentejo sobre acessibilidades

Zé LG, 30.07.19

plataforma.jpgO Secretariado da Plataforma Alentejo considerando os novos elementos já disponíveis e o referido estudo da REFER decidiu proceder à elaboração de uma exposição sobre as acessibilidades no Alentejo e solicitar ao primeiro-ministro e ao presidente da República audiências para a sua entrega e fundamentação. Está em cima da mesa, igualmente, a realização a 15 de Setembro de uma convenção do Alentejo sobre as acessibilidades (Marítimas, Aeroportuárias, Ferroviárias e Rodoviárias) e sobre o planeamento e ordenamento do território, considerando o facto da revisão do PROTA já estar em curso. Considera ser ainda possível recuperar parte importante do atraso existente na tomada de algumas decisões e introduzir ajustamentos, nalgumas decisões estratégicas anunciadas, que em muito poderão contribuir para o sucesso de alguns dos objetivos que têm vindo a ser publicamente assumidos pelo Governo, disse Claudino Matos.

Claudino Matos acusa IP de estar "de costas voltadas" para o Alentejo

Zé LG, 11.07.19

imgLoader2.ashx.jpg"A conclusão a que chegámos é que a IP faz estudos mais ou menos encomendados à medida pelo Governo para beneficiar determinados distritos do Alentejo em detrimento de outros e dos interesses regional e nacional", disse Claudino Matos, do secretariado da Plataforma Alentejo, após uma reunião realizada com um vice-presidente e técnicos da empresa.

Claudino Matos acusou a IP de estar "basicamente de costas voltadas para o Alentejo" e, "ignorando contributos da sociedade civil", também para as propostas da estratégia defendida pela plataforma em termos de acessibilidades rodoviárias e ferroviárias "indispensáveis ao desenvolvimento harmonioso" da região.

Propostas do Beja Merece+ passam na AR, através de recomendações ao governo apresentadas por PCP e BE

Zé LG, 06.07.19

A Assembleia da República aprovou esta sexta-feira três projetos de resolução que recomendam ao Governo a eletrificação e requalificação do troço ferroviário entre Casa Branca e a Funcheira, a conclusão do IP8 e a valorização do aeroporto de Beja.
O primeiro projeto de resolução foi apresentado pelo Bloco de Esquerda. Os outros dois pelo PCP. Todos eles resultam das reivindicações apresentadas pela petição do Movimento Beja Merece+ que também esta sexta-feira foi debatida pelos deputados.

280420172115-810-MOVIMENTO.jpg

A recomendação de eletrificação da linha ferroviária foi aprovada com a abstenção do PSD e os votos favoráveis dos restantes partidos.
Já a recomendação do cumprimento do Plano Rodoviário Nacional e conclusão do IP8 nos distritos de Setúbal e Beja, foi aprovada com os votos a favor de todos os partidos e os votos contra da maioria do grupo parlamentar do PS. Um grupo de sete deputados socialistas, entre os quais Pedro do Carmo (Beja) e Norberto Patinho (Évora) votaram a favor.
Finalmente, a recomendação ao Governo para valorização do aeroporto de Beja enquanto instrumento para o desenvolvimento da região foi aprovada com a abstenção do PS e os votos a favor dos restantes partidos e dos deputados Pedro do Carmo e Norberto Patinho. Leia e oiça também aqui e aqui.