Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Como é que se luta pela Saúde de uma região

Zé LG, 23.09.20

amp.jpg“Com decência, seriedade e honestidade. Com propostas realistas de soluções e sem populismo. Com conhecimento de causa e, sobretudo, sem escamotear a situação pandémica que se vive a nível mundial.
Outras alturas houve em que as dificuldades tb comprometeram as soluções e, outras ainda, em que foi a falta de vontade política - e as opções políticas feitas em relação ao SNS - do poder central que determinaram desinvestimento.

Em rigor e honestamente alguém consegue afirmar que a situação da Saúde na região é um problema novo? Onde estava o PSD qdo foi governo e qdo tinha uma deputada eleita pelo distrito de Beja? Sugiro que vá procurar declarações da Nilza de Sena feitas sobre a Saúde na região, e sobre a ULSBA em particular, na altura em que era deputada e que as compare com o que agora é dito pelo partido que a elegeu.
Estou particularmente à vontade, tenho lutado pela melhoria da Saúde na região com todas as minhas forças, vim para Beja na vigência do anterior CA - que sempre me deu o apoio que pôde - e sou testemunha do esforço do atual CA - que me apoia na luta pela melhoria da Saúde Mental na região como pode -, em particular da sua Presidente.
Injustiça, maldicência e populismo barato não são o caminho em política.”

Ana Matos Pires 23.09.2020, aqui.

“Beja pode ser a capital ibérica contra a desertificação”

Zé LG, 17.09.20

Costa_e_Silva_3.jpgOutra das medidas defendidas pelo professor e consultor (António Costa Silva ) prende-se com a criação de geoeconomias favoráveis à inovação ao longo da fronteira com Espanha, em regiões progressivamente isoladas e envelhecidas. “Beja pode ser a capital ibérica contra a desertificação”, exemplificou o professor, que imagina para a cidade polos semelhantes aos desenvolvido no Fundão.

“Carta aberta aos poderes políticos sobre a pobreza em Portugal”

Zé LG, 23.06.20

202006221626445624 pobreza.jpg

A EAPN Portugal/Rede Europeia Anti Pobreza entregou uma “Carta aberta aos poderes políticos sobre a pobreza em Portugal” onde sustenta que o combate à pobreza deve ser a "prioridade das prioridades" do país. A OCDE diz que “Portugal é dos países desenvolvidos onde é mais difícil sair da pobreza ou, do outro lado, deixar de ser rico”, lembra a EAPN.

Porque têm os clubes e os jogadores de futebol tratamento diferente dos outros trabalhadores e empresas / serviços, face à COVID-19?

Zé LG, 21.05.20

images.jpgPorque é que os clubes de futebol tiveram de ter um conjunto apertado de regras aplicadas pela DGS às suas instalações e aos seus trabalhadores (jogadores, equipas técnicas e demais profissionais) para poderem voltar à sua actividade e a generalidade das empresas não?

Quantos jogadores, técnicos e outros profissionais de futebol foram infectados pelo novo Coronavírus e quantos trabalhadores de outras actividades o foram? Veja-se o que se tem passado, nos últimos dias, na Plataforma Logística de Azambuja...

Importa ainda não esquecer que muitos trabalhadores, de diversas actividades não pararam de trabalhar e outros passaram mesmo a trabalhar mais para que os países não parassem e pudéssemos continuar a viver.

Parece tratar-se de um contra-senso, porque são precisamente os jogadores, técnicos e demais profissionais de futebol que têm maior vigilância no controlo sanitário e, consequentemente, os riscos que correm são menores...

NERBE/AEBAL aderiu ao OPTA Alentejo

Zé LG, 21.05.20

nerbe.jpgO NERBE/AEBAL informa que é parceiro da OPTA Alentejo - Organização Pontual no Tempo Atual, uma plataforma que visa ajudar “o setor do comércio, turismo e cultura, micro empresas, empresários agrícolas, bem como pessoas que se encontrem em regime de layoff.”
Esta plataforma “pretende estimular o consumo de produtos e serviços no comércio e empresas locais e do Alentejo, detendo espaços para o mercado de trabalho - oferta e procura, voluntariado-, espaços para a divulgação de produtos e serviços e (novas)\formas de os obter por setores de atividade; possibilidade de uma informação e auxilio personalizado no acesso às medidas implementadas pelo Governo de apoio às empresas e trabalhadores; possibilidade de acesso a cabazes alimentares contemplando ainda um espaço para novos aderentes e formas de ser solidários.”

Filipe Pombeiro diz que medidas de apoio às empresas são "manifestamente insuficientes"

Zé LG, 12.05.20

010320152305-596-DSC_0257 nerbe.JPGAs medidas de apoio às empresas, no âmbito das linhas COVID 19, são manifestamente insuficientes" e têm que ser reforçadas, segundo o presidente do NERBE/AEBAL-Associação Empresarial do Baixo Alentejo e Litoral.
Filipe Pombeiro, embora reconheça que o desconfinamento tinha que ser feito por fases, afirma que o 1º constrangimento com que os empresários se debatem é precisamente o facto de nem todos recomeçarem a actividade na mesma altura e quanto mais tempo passar mais tarde será o processo de retoma. Faz ainda algumas criticas à forma como tem decorrido o processo de lay off, previsto para as empresas, e considera que esta medida também "ficou curta".

Máscaras para todos?

Zé LG, 28.04.20

ap20058748749580.jpgMuito se tem falado sobre a eventual necessidade de todos usarmos máscaras em todos os lugares como forma de nos protegermos melhor contra a Covid-19.

Há um mês, encomendámos 10 máscaras artesanais reutilizáveis a um fabricante regional, que as promoveu na Internet. Até hoje e depois de várias insistências e de promessas do seu breve envio, ainda não as recebemos nem o valor que pagámos por elas - 38,00 euros.

Perante algumas normas e pressão social para as utilizarmos nalguns espaços, procurámos em diversos locais até termos encontrado numa loja, onde comprámos 50 máscaras descartáveis por 65,00 euros. 

E agora digam-me: Será que todos podem dar-se a estes "luxos"? A maioria das indicações de práticas pessoais para combater o novo vírus são impraticáveis para todos ou para muitos, criando, mesmo aplicáveis, quase sempre maiores desiguladades.

Foto: Andre Penner/AP

 

Quem (e quando) deve usar máscaras

Zé LG, 27.04.20

a745358f0ef9af1edb7400e4865045c0-754x394.jpg«… Já por várias vezes ouvimos a ministra da Saúde, Marta Temido, a declarar que devem usar-se máscaras enquanto durar a pandemia da covid-19, reiterando que a utilização deste equipamento de protecção individual está recomendada a todas as pessoas com sintomas de infecção respiratória, como febre ou tosse, bem como por “todas as pessoas que trabalhem no interior das instituições de saúde”.
Fora das instituições de saúde, e de acordo com as orientações da Direcção-Geral da Saúde, a utilização de máscara, luvas e touca “está aconselhada aos profissionais ou pessoas que possam contactar directamente com doentes, suspeitos ou confirmados, com covid-19”, como sejam os que “acompanham os doentes no seu domicílio, ou seja, os familiares”, e todos os que “cuidam e têm contactos de proximidade com o doente cuidado” nos lares de idosos e nas unidades da Rede Nacional de Cuidados Integrados.
O uso de máscaras está igualmente recomendado a doentes imunossuprimidos, “nas suas deslocações esporádicas para fora do domicílio, entre os quais se incluem os “doentes em hemodiálise, os doentes oncológicos sob quimioterapia ou radioterapia e os doentes com imunodeficiências ou sob terapêutica imunossupressora”.
Talvez fosse bom clarificar a situação, ..., de modo claro e compreensível para todos.»
Anónimo 26.04.2020, aqui.

Francisco Miguel, um lutador antifascista: Cinco prisões. Quatro fugas das cadeias fascistas. 21 anos de prisão.

Zé LG, 24.04.20

10426165_727398714036177_5910769885301481920_nFM.j"Homem franzino, discreto, pouco expansivo, de uma grande sensibilidade, era amado por todos no PCP. Um símbolo, pela sua vida de décadas (66 anos) ao serviço dos seus ideais e pelo comportamento exemplar que sempre tivera na polícia e nas cadeias. Homem de grande afabilidade, era muito acarinhado por quem privava com ele. Foi exemplar na sua dedicação à luta antifascita, na coragem com que enfrentou as mais duras provas a que foi submetido e pela modéstia com que falava da sua vida e do seu passado.
Cinco prisões: 1938, 1939, 1947, 1950 e 1960. Quatro fugas das cadeias fascistas.
Destacado dirigente do PCP, Francisco Miguel Duarte nasceu em Baleizão, a 18 de Dezembro de 1907 e morreu a 21 de Maio de 1988. Operário, filho de camponeses pobres, abraçou a causa da luta pela liberdade e justiça social quando era ainda muito jovem. Foi um dos dois presos políticos que mais tempo passaram na cadeia: um total de 21 anos, 10 dos quais no “Tarrafal". Julgado nos tribunais fascistas, evade-se por 4 vezes, durante o cumprimento das penas, e regressa sempre à luta."  Leia o resto aqui.

Iniciados os trabalhos de desinfeção no Bairro das Pedreiras, em Beja

Zé LG, 20.04.20

IMG-20200420-WA0002-768x432.jpgOs trabalhos de desinfeção no Bairro das Pedreiras, em Beja, tiveram início esta segunda-feira. A medida integra o Plano de Contingência da Câmara Municipal de Beja no âmbito da pandemia Covid-19.

O presidente da União de Freguesias de Salvador e Santa Maria da Feira, António Ramos, afirma que “esta é uma medida de prevenção”, uma vez que, até ao momento, não há registo de nenhum caso positivo naquele local.

A chuva que se tem feito sentir, nos últimos dias, atrasou as “desinfeções que estavam planeadas para ser feitas há mais tempo” e que agora “serão realizadas regularmente”, explica o presidente da União de Freguesias.

Questões levantadas e propostas apresentadas pelo BE na AM de Beja para minimizar danos causados pela Covid 19

Zé LG, 12.04.20

92669856_3184606271569914_2513412276048887808_n giO Bloco de Esquerda, na reunião da Assembleia Municipal de Beja de 07/04/2020, solicitou informações e avançou com algumas propostas que considerou essenciais para minimizar os danos causados pela pandemia Covid 19, designadamente:

- Limpeza e desinfeção dos espaços públicos;

- Suspensão do pagamento das rendas em todos os fogos municipais;

- Isenção do pagamento de faturas de água, bem como das taxas relativas às águas residuais e resíduos sólidos até um montante de consumo considerado mínimo face às necessidades sanitárias;

- Isenção da cobrança das taxas relativas à ocupação de espaço público e publicidade;

- Condições do Bairro das Pedreiras, que facilitam a propagação do contágio;

- Condições de habitabilidade, de transporte e de trabalho da população migrante;

- Implementação do projeto Co(m)sigo, articulação com as IPSS, proteção individual de trabalhadores e utentes; papel da "Rede Social" na coordenação, desenvolvimento e majoração das diferentes respostas sociais;

- Reforço do apoio às IPSS, bem como à Corporação de Bombeiros;

- Proporcionar as condições para a efetivação do ensino à distância para todo/as o/as aluno/as;

- Fornecer informação relativamente aos Planos de Ensino à Distância (E@D) elaborados pelos agrupamentos de escola, visando os objetivos do ensino universal.

Ler aqui, aqui, aqui e aqui, na íntegra.

João Paulo Ramôa fez acusações graves à ARS e à CMB e estas reagiram em força

Zé LG, 10.04.20

João Paulo Ramôa acusa ARS Alentejo de discriminar Beja

ramôa-1-768x432.jpg

João Paulo Ramôa comentou a falta de informação dada pela ARS – Administração Regional de Saúde do Alentejo no que diz respeito a dados relativos a casos de infeção pelo novo Coronavírus na região, dizendo que sente que “a ARS faz discriminação entre filhos e enteados, isto é, entre Évora, Beja e Portalegre, sendo Évora o filho”.

 

Bairro das Pedreiras, uma “bomba relógio” às portas de Beja

O ex-governador civil do distrito de Beja lançou duras críticas ao executivo PS, na Câmara Municipal de Beja (CMB). O motivo é o facto do Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil (PMEPC) ter sido acionado “tão tardiamente”.

 

Acusações de João Paulo Ramôa “suscetíveis de provocar alarme social” diz ARS

O Conselho Diretivo da ARS- Administração Regional de Saúde do Alentejo veio esclarecer aquelas que diz ser “as acusações graves e infundadas” de João Paulo Ramôa, acrescentando que, no âmbito da pandemia da Covid-19, atua “em estreita articulação com a Direcção-Geral da Saúde, Serviços de Saúde Pública, e todas as instituições prestadoras de cuidados de saúde, quer hospitalares quer de cuidados de saúde primários (…)”.

A ARS diz ser “incompreensível que o comentador preste informações destituídas de qualquer fundamento, ofensivas e suscetíveis de provocar alarme social”.

 

Paulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja, diz estar a ser "saco de porrada"

26060133_405059736592942_4666802667944049120_o PA.

“As afirmações - numa entrevista que não passou de um ataque politico à CM Beja na pior altura - mal fundamentadas são tantas que nem sei por onde começar.”

Depois de dar o seu ponto de vista sobre “3 ou 4 afirmações”, afirma que “estamos a "anos-luz" de sermos tão maus e impreparados quanto o Eng. Ramoa nos fez no seu comentário. Não sei o que o move para desferir este surpreendente ataque à CM Beja nesta fase. Mas confesso que até calculamos.”, para terminar dizendo que “Não ficaria bem comigo se não tivesse escrito esta nota. Sermos "saco de porrada" nesta fase com afirmações em que não acertou numa única, e que ficam "no ar", lamento mas não podia deixar passar.“

 

O PSD fica-se ou dá cobertura a JPR? O PS mostrou-se unido nas várias frentes, tendo respondido "com tudo". E agora? Será que fica por aqui ou iremos assistir a cenas dos próximos capítulos?... 

Associação Amigos das Fortes recusa convite da Câmara de Ferreira do Alentejo

Zé LG, 05.03.20

A Associação Ambiental dos Amigos das Fortes (AAAF), convidada para o dia do município de Ferreira do Alentejo, que se assinala hoje, para uma sessão solene a realizar frente à Câmara Municipal, com a presença das associações e os respetivos estandartes, declinou o convite como forma de protesto contra a situação que as Fortes vivem há mais de 12 anos.

202003041945101966.jpgFátima Mourão frisou, ainda, que o compromisso da Associação é “estar ao lado da população das Fortes e procurar que a Câmara de Ferreira do Alentejo execute o papel a que está confinada, defender as populações, responder a problemas concretos e fomentar a nossa participação nas políticas correspondentes.”

“Juntos pelo Sudoeste” entregou petição com 6 000 assinaturas na AR para impedir que “a área coberta de plástico triplique”

Zé LG, 04.03.20

202003021542599596.jpg“Juntos pelo Sudoeste” (JPS), o movimento de cidadãos de Odemira e Aljezur que se juntou para impedir que “a área coberta de plástico que já existe no parque” se “triplique”, como está previsto na resolução do Conselho de Ministros n.º 179/2019, aprovada pelo anterior Governo, entregou, na Assembleia da República, uma petição pública com cerca de seis mil assinaturas”, com o objectivo de “levar este tema a debate na Assembleia da República para que seja cuidadosamente analisado”, porque “numa região que é Parque Natural há compromissos que não estão a ser cumpridos”.
“Juntos pelo Sudoeste” criou a petição “O Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina não aguenta mais agricultura intensiva”, que pretende também impedir a colocação de contentores dentro das explorações agrícolas para mais trabalhadores emigrantes até 36 mil pessoas”. Daqui e daqui.

Odemira exige ao Governo melhores cuidados de saúde

Zé LG, 03.03.20

260620161930-870-mdico.jpgA Assembleia Municipal de Odemira deliberou, por maioria, aprovar a moção apresentada pelo Bloco de Esquerda, que refere que “há utentes a dormir à porta destas extensões de saúde para conseguirem uma simples consulta de recurso”, sendo “gritante o número de utentes sem acesso a um médico de família e visível a contínua falta de investimento em meios humanos e infraestruturas na área da saúde – nomeadamente, em Sabóia e em Vila Nova de Milfontes (…)” e “exigir ao Governo que sejam tomadas medidas imediatas de forma a suprir as carências em matéria de saúde dos habitantes do Concelho de Odemira”. Leia e oiça também aqui.

Marcha pela Saúde em Beja exige mais investimento num SNS gratuito e de qualidade

Zé LG, 02.03.20

A Comissão de Utentes de Beja saiu à rua, debaixo de chuva, para “exigir mais investimento na saúde, na região”. A “necessidade, urgente de diversos especialistas", "o estado em que consultas de pediatria e de diabetes é dado, em contentores” e a “2ª fase de construção do Hospital de Beja” foram algumas das reivindicações que se fizeram ouvir nesta iniciativa.

202002291227532562 Marcha.jpg“A Comissão de Utentes de Beja defende um Serviço Nacional de Saúde (SNS) gratuito e de qualidade, não é contra a iniciativa privada na saúde, mas reitera o facto, de ser determinante que o SNS não seja amputado”, frisou Rui Eugénio.

Petição para revogação de Resolução que permite aumentar área de estufas até 40 % e de contentores no Perímetro de Rega do Mira

Zé LG, 24.01.20

imgLoader2.ashx.jpg“Temos cerca de 11 por cento da agricultura intensiva coberta por plástico e aquilo que a resolução [do Conselho de Ministros] diz é que pode vir a aumentar até 40 por cento, além da autorização, a título excecional, de contentores dentro das explorações agrícolas” e da "contratação de milhares de trabalhadores asiáticos em condições pouco claras”, disse Fátima Teixeira, porta-voz do movimento que lançou a petição.

O movimento alerta para as consequências “nefastas” de práticas agrícolas “que apostam na utilização intensiva de água para rega, plásticos, fertilizantes e pesticidas sintéticos”, no “Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, uma zona de excelência, com recursos ambientais que é preciso proteger. Estamos a destruir um património ambiental que é único”, pelo que é urgente “resolver os problemas que já existem ao nível de estufas, de agricultura intensiva e da capacidade para acolher tantos imigrantes” antes de se avançar para a expansão da atividade agrícola.

É urgente travar este avanço e proteger as zonas sensíveis do ponto de vista ecológico, assim como as populações dos aglomerados urbanos, das contaminações desta agroindústria, sendo por isso imperativo a demarcação de uma faixa mínima de 1.000 metros a partir da linha de costa e de 500 metros dos perímetros urbanos, livres de agricultura intensiva”.

Comissão de Utentes de Beja apela à subscrição da petição “Beja exige mais!”

Zé LG, 19.11.19

73684700_410160226339046_6505387195732328448_n.png

A Comissão de Utentes de Beja tem online e em diversos locais da cidade, a petição “Beja exige mais! Porque a Saúde é um direito!”. A Comissão apela à subscrição deste documento, que precisa de chegar às 4000 assinaturas para ser entregue na Assembleia da República e discutido em plenário.

Através desta petição é exigido, entre outros aspetos, que se dê "… início aos procedimentos com vista à ampliação do Hospital José Joaquim Fernandes em Beja", tal como ficou estipulado no Orçamento Estado para 2019.