Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Falta de ética no acesso de alguns à vacina contra a COVID-19

Zé LG, 01.03.21

95218787_2998800846852646_2555435481613467648_o.jp«O mês de fevereiro iniciou com notícias diárias de novos casos de “vacinação indevida” contra a Covid 19. A indignação tomou conta das redes sociais e a comunicação social veiculou as opiniões dos do costume: comentadores residentes, uns políticos no ativo, outros nem tanto.

Parece-nos que se trata, na maioria, de matéria relacionada com a ética, ou a falta dela, do que propriamente com questões de ilegalidade. …

O Plano da task force, a Norma da DGC e a sua atualização não primam pela clareza. Contudo, a cronologia apresentada na página da DGS, indicando a hierarquização e apontando, para fevereiro, o início da vacinação dos grupos prioritários em razão da idade, bem como as diversas declarações públicas a este respeito, por parte de vários responsáveis políticos, veio fortalecer as suspeitas de que houve pessoas vacinadas indevidamente.

Têm sido noticiados atropelos aos processos de vacinação contra a Covid 19 um pouco por todo o mundo, nalguns casos com consequências imediatas, nomeadamente através da demissão dos prevaricadores. Em Portugal, suspeita-se de muitos casos de vacinação que ilegal. Houve, até ao momento, duas demissões. Porém, ainda que não sejam contrárias à lei, a falta de ética, na maioria das situações que se tornaram públicas, oferece poucas dúvidas.»

Sónia Calvário, aqui.

(Des)confinamento

Zé LG, 25.02.21

renovacao emergencia.png"O Presidente da República propôs mais uma renovação do estado de emergência em vigor, até 16 de março. Trata-se da 12ª renovação deste regime de exceção em Portugal."

Como receávamos, o que devia ser uma excepção, banalizou-se. E que medidas sanitárias foram tomadas para controlar a pandemia? E para assegurar o controlo das outras doenças? - Menos médicos. Milhões de consultas e outros actos médicos por fazer. Testes e controlo dos contactos de infectados por fazer. Já não falo do "Natal"... O governo, com o beneplácito/apoio/incentivo do PR, reduziu o combate à pandemia (quase) exclusivamente à limitação das liberdades  e ao confinamento de parte da população. Sim, porque eu, como tantos e tantos outros - e não só os da chamada linha da frente -, continuei a trabalhar. Com liberdade para ir trabalhar, mas sem liberdade para fazer tudo o resto.

Há quem, apesar da redução abrupta dos números da COVID-19, insista, sem reservas, no prolongamento do confinamento até à Páscoa. Alguém, com bom senso e tendo em conta a evolução dos números, pode defender tal coisa? Três meses de confinamento consecutivo? Mais um mês e meio, quando a situação está a evoluir tão positivamente e os outros países já estão a desconfinar?!... Acham que, se não houver qualquer retrocesso na evolução da pandemia, o país aguenta, as pessoas aguentam? As crianças vão continuar presas em casa até quando? Não será mais razoável começar a desconfinar gradual e controladamente? E evitar transformar a Páscoa num outro "Natal".

Vacinação de pessoas com mais de 80 anos ou mais de 50 anos e doenças crónicas contra a COVID-19 começa hoje em Beja

Zé LG, 24.02.21

202102092137328126.jpgO plano de vacinação contra a Covid-19 avança hoje no concelho de Beja e em mais nove concelhos do distrito.

Em Beja, o horário de vacinação é das 10.00 às 13.00 horas e das 14.00 às 17.00 horas e o espaço, o pavilhão João Serra Magalhães, tem capacidade diária para 425 utentes. Nesta fase da vacinação que inclui pessoas acima dos 80 anos e ainda com 50 ou mais anos, portadoras de doenças crónicas.

Recorde-se que este era um processo que já deveria ter começado a 10 de fevereiro, mas por escassez de vacinas não foi possível.

Paulo Arsénio desmente denúncias sobre vacinação indevida do Executivo e do Gabinete de Apoio da Câmara de Beja

Zé LG, 21.02.21

26060133_405059736592942_4666802667944049120_o.jpg«... 2º - O Vice-Presidente Luís Miranda foi vacinado contra a COVID-19, como o foram dezenas de outros cidadãos do concelho de Beja com a mesma idade e com as mesmas patologias associadas nas mesmas datas, por ter sido convocado pela médica de família. A função que ocupa não foi critério para a sua vacinação. Quem deve prestar cabais esclarecimentos sobre a convocatória do Vice-Presidente Luís Miranda e de dezenas de outras pessoas nas mesmíssimas condições, deve ser quem procedeu à dita convocatória para a vacinação. Não é comparável a sua situação com outras, nomeadamente a ocorrida em Lisboa, e que determinou a demissão do Vereador em causa;

3º - Para além do Vice-Presidente mais ninguém do Executivo ou do Gabinete (nomeados politicamente) se encontra vacinado neste momento. Eu próprio, a Vereadora Marisa Saturnino, o Vereador Arlindo Morais, o Chefe de Gabinete Nuno Pancada, o Adjunto Pedro Luís Santos e as Secretárias Cláudia Gonçalves e Rita Brito, não estamos vacinados, nem nunca estivemos para o ser até ao momento; ...» 

Paulo Arsénio, presidente da CM de Beja, aqui

 

Este era o esclarecimento que faltava para pôr ponto final às dúvidas levantadas sobre vacinações indevidas. É pena que não tenha sido feito logo que as mesmas vieram a público. Teria evitado muita conversa e o alimentar das dúvidas levantadas. Pelo menos aqui, onde, pela minha parte, dou por encerrada esta questão política.

E os outros?

Zé LG, 20.02.21

em 09/02/2021, aqui:

202102011824137297.jpgO Conselho de Administração da ULSBA tinha esclarecido que todos os seus membros, à exceção de um que não quis, foram vacinados depois de todos os profissionais de saúde da linha da frente, elegíveis para vacinação, o terem sido, excepto os que recusaram a toma da mesma.

Também esclareceu que, face à necessidade de aumentar a resposta no combate da pandemia COVID, tomou a decisão de libertar o espaço do 6º piso do edifício hospitalar, onde se encontrava instalado, passando para uma estrutura provisória, composta por módulos de contentores pré-fabricados e usados, o que permitiu ter disponíveis mais 10 camas de internamento de Medicina COVID.

João Sardica, coordenador regional do DICAD da ARS Alentejo, também esclareceu que foi “vacinado no final do mês de Janeiro”, depois de ter sido “contactado” pelo seu “médico de família”, por ter “64 anos” e por ser “um doente de risco” - “na primeira fase do plano, que contempla como grupo prioritário de vacinação, os pacientes com 50 ou mais anos com pelo menos insuficiência cardíaca, doença coronária”, entre outras, por ser o seu caso. João Sardica revelou, ainda, que não pertence à direção do Nobre Freire "há mais de dois anos".

 

É importante lembrar e divulgar estes esclarecimentos. Até prova em contrário, tenho-os como bons.

Quanto aos outros casos, envolvendo detentores de cargos políticos, repito o que já aqui escrevi: "É imperioso e urgente que seja cabalmente esclarecida a situação! Porque não o fazem? Para além dos envolvidos e da avaliação e das consequências a nível local, é todo um processo em que se joga a vida das pessoas que está posto em causa. Até quando?"

PS defende “execução rigorosa e eficiente” do plano de vacinação contra a Covid-19

Zé LG, 18.02.21

Saude-vacina-1-p31b7kf1ft8npkc9f2s8ciofk3r7avzyzvhA Federação do Baixo Alentejo (FBA) do PS reuniu com os presidentes de concelhia, de câmara, das Mulheres Socialistas, da JS e deputados, com o objectivo de “analisar o plano nacional de vacinação e o seu impacto na região”, tendo igualmente contado com a participação a presidente do conselho de administração da ULSBA, Conceição Margalha.

“Foi igualmente dada informação sobre a vacinação de pessoas com mais de 80 anos e portadores de patologias coronárias, respiratórias, renais ou cardíacas, que irá avançar descentralizadamente, ainda esta semana, nos concelhos onde se regista maior incidência de Covid-19”.

O PS do Baixo Alentejo garante estar “empenhado na execução rigorosa e eficiente do plano de vacinação, centrado nas necessidades identificadas, nas prioridades e no contexto de uma população vulnerável, quer pela idade e doenças crónicas, quer pelas características de isolamento de parte do território”, garantindo que, através dos “seus autarcas e responsáveis políticos”, assume “um compromisso de cooperação e de apoio inquestionável à execução do plano de vacinação, centrado nos cidadãos e no combate à pandemia”.

“pede-se uma investigação ao que se passa com as vacinas em Beja”

Zé LG, 17.02.21

«... Gostaria ver uma declaração do vereador/engenheiro que respondesse às seguintes questões:

- Em que dias foi vacinado?

- Como lhe foi “receitada” a vacina?

- Onde levou a vacina?

... se ... em Beja, a vacinação de pessoas com mais de 80 anos e mais de 50 anos de idade com doenças graves (e de risco para a covid 19) deveria ter começado apenas dia 10 de Fevereiro de 2021, e que inclusive foi adiada para data em que haja mais disponibilidade de vacinas, como explica o vereador que o mesmo já tenha sido vacinado?

... pede-se que exista uma investigação ao que se passa com as vacinas em Beja. Não pode nem deve ser poder local, amizades ou interesses a ditar quem deve ser imunizado para este vírus que nos abalou a todos, mas sim o nosso papel na sociedade moderna que gostamos de dizer que somos.»

Bejense 16.02.2021, aqui.

“Esclareçam de uma vez por todas e acabem com o assunto (das vacinas)!”

Zé LG, 17.02.21

imgLoader2.ashx.jpg«Lamentável e triste! Caso seja verdade, assumam! Caso não o seja, provem-no!
Assim ficam sempre as dúvidas, as perguntas no ar: Estará o "staf" administrativo do Hospital todo vacinado? E o executivo (e seu staf) da Câmara também? E os familiares?...
Esclareçam de uma vez por todas e acabem com o assunto e quem tiver que sofrer as consequências do que fez ou disse, que as sofra!»            Anónimo  16.02.2021, aqui.

Declaração de interesses: Sou amigo do Engº Luís Miranda e da Drª Conceição Margalha e, pelo que julgo conhecê-los, tenho dificuldade em admitir que possam ter agido dolosamente. 

Mas a questão assume contornos políticos de consequências de difícil avaliação, que aconselha os directamente visados, tal como o presidente da ARS do Alentejo, o presidente da Câmara e o PS a esclarecê-lo com a maior brevidade possível. Em política, a presunção da inocência de pouco vale. Cada dia, cada hora que passa, sem o devido esclarecimento, o julgamento popular torna-se mais difícil de reverter. É imperioso e urgente que seja cabalmente esclarecida a situação! Porque não o fazem? Para além dos envolvidos e da avaliação e das consequências a nível local, é todo um processo em que se joga a vida das pessoas que está posto em causa. Até quando?

Declarações do Dr. José Barriga coloca o Alvitrando no topo dos posts mais comentados nos Blogues do SAPO

Zé LG, 17.02.21

Adiamento do início da vacinação no Baixo Alentejo

Zé LG, 16.02.21

imgLoader2.ashx.jpgO processo de vacinação contra a covid-19 destinado a idosos com mais de 80 anos e a pessoas entre os 50 e os 79 com comorbidades deveria ter arrancado em Beja na passada quarta-feira, como tinha sido anunciado pelo presidente da Câmara Municipal, Paulo Arsénio. Mas devido ao “número insuficiente de vacinas” que chegaram ao Alentejo, o início desse processo foi adiado.

O presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo, José Robalo, confirmou que a vacinação na região começou esta semana mas apenas em dois centros de saúde: o de Grândola e o de Elvas. “Nesta primeira fase piloto, foram distribuídas 1 500 vacinas, tendo em conta a existência de pessoas que obedecem aos critérios de vacinação. A distribuição foi feita de forma a existir uma maior equidade de acesso em relação a estes dois centros de saúde”.

Segundo José Robalo, “se tudo correr bem”, o processo estender-se-á ao Baixo Alentejo e ao Alentejo Central nos próximos dias. “Quando passarmos ao Baixo Alentejo será o conselho de administração da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (Ulsba) que decidirá, em função do risco de incidência do novo coronavírus, qual ou quais os concelhos que devem iniciar a vacinação.

Conceição Margalha, presidente do conselho de administração da Ulsba, confirma que: “Estamos a preparar tudo para que isso aconteça, mas não sabemos ainda a data em que começa, nem quanto é que iremos ter as vacinas”.

Marta Louro, in Diário do Alentejo.

“os países pobres continuam sem qualquer previsão para a vacinação”

Zé LG, 11.02.21

João-Paulo-Ramôa.jpgO processo de vacinação contra a covid-19 não está a ser desencadeado de forma igual, nos vários países do Mundo, segundo João Paulo Ramôa, que afirma que, “quando se fala” de questões relacionadas com a saúde, os países demonstram “uma grande solidariedade” entre si, mas “não é isso que se tem verificado”, neste momento, no “acesso às vacinas”.
Em seu entender, “observamos um mundo completamente não solidário, em que a União Europeia se deixou ultrapassar por países como Israel - que já vacinou toda a população -, Estados Unidades da América e Inglaterra - que tiveram prioridade neste processo”.
Por outro lado, João Paulo Ramôa diz que “os países pobres continuam sem qualquer previsão para a vacinação”. O “mundo solidário deixou de o ser (…) porque na balança também pesa a economia. Essa discrepância na distribuição das vacinas” contra a covid-19 “mostra que a economia se sobrepõe sempre aos ideais da solidariedade humana”.

Não será possível adoptar medidas em função da gravidade das situações?

Zé LG, 19.01.21

Mais de 96% das mortes com COVID-19 tinham mais de 60 anos, enquanto 46% dos infectados tinham entre 20 e 50 anos. 1,88% dos homens e 1,42% das mulheres que foram contagiados morreram. Daqui.

transferir.png

A adopção de medidas e a comunicação iguais para todos quando as situações são tão diferentes não parece ser a estratégia mais adequada. Parece evidente que quem precisa de ser protegido são os mais idosos. Como evidente parece que aos mais novos se deve apelar à solidariedade para com aqueles. 

Mas isso não vai mudar agora de repente. E, por isso e para que não continuem a ser sempre os mesmos a suportar os maiores custos, parece que a solução para tentar travar este crescendo de casos, internamentos e mortes seja um confinamento o mais geral possível durante duas ou três semanas, com suspensão de prazos e compensações justas aos mais penalizados (trabalhadores e micro, pequenos e médios empresários). A alternativa será prolongar o confinamento sem prazo para alguns, os mesmos de sempre. O PR fala até Março...

Concordo com as propostas do PSD de combate à pandemia

Zé LG, 13.01.21

image.jpg"Não basta confinar, é preciso mudar. É fundamental encetar uma mudança radical na resposta à covid-19 para evitar uma nova subida de casos nos próximos meses pós-confinamento. Com recurso à ciência e olhando para os exemplos de países que têm respondido com sucesso à pandemia, desde a Dinamarca à Coreia do Sul, fica evidente que é possível fazer melhor", defendeu o deputado do PSD Ricardo Baptista Leite.

O social-democrata referiu que estes países fizeram "quatro a cinco vezes mais" testes do que Portugal, "testando sistematicamente, semanalmente em alguns casos, grupos de risco como profissionais das escolas, dos lares, os profissionais de saúde", e que além disso "identificam proativamente todas as cadeias de infeção e asseguram o isolamento de todos os cidadãos infetados e suspeitos".

"Testar, identificar, isolar. No caso português, urge igualmente atuar onde se encontram os maiores focos de mortalidade, como é o caso dos lares. Mapear os lares, sejam legais ou ilegais, e evacua de imediato os idosos residentes nos lares que não têm condições adequadasTestar, identificar, isolar. No caso português, urge igualmente atuar onde se encontram os maiores focos de mortalidade, como é o caso dos lares. Mapear os lares, sejam legais ou ilegais, e evacua de imediato os idosos residentes nos lares que não têm condições adequadas", acrescentou o médico e deputado, salientando que o PSD propôs estas medidas em novembro.

Defesa Nacional reforça apoio à realização de rastreios epidemiológicos no Alentejo

Zé LG, 13.01.21

202003021242426463.jpgNo âmbito da resposta à pandemia no Alentejo e a pedido da respetiva Administração Regional de Saúde, as Forças Armadas vão reforçar o apoio à realização de rastreios epidemiológicos com uma segunda equipa de 26 militares da Marinha Portuguesa. Este grupo deverá entrar em funções já esta quinta-feira e junta-se a uma outra equipa composta por 26 elementos da Marinha Portuguesa, que se encontra a operar desde 19 de novembro, tendo já efetuado o acompanhamento de mais de 1.200 casos ao longo de quase 2 meses.

Alunos da Escola Secundária de Serpa reivindicam condições de ensino condignas

Zé LG, 12.01.21

202101111648092680.jpgOs alunos da Escola Secundária de Serpa, alguns enrolados em mantas e todos com várias camadas de roupa, protestaram ontem de manhã, na rua, contra o frio que sentem nas salas de aulas. Uma situação que se deve às más condições do estabelecimento de ensino, com infiltrações, falta de isolamento térmico, entre outras, e que se arrasta “há anos”.

Os alunos falam de “pés e mãos a doer” de frio, exigem uma nova escola e prometem ir à Assembleia da República fazer ouvir as suas justas reivindicações.

A concentração começou ontem e vai continuar até quarta-feira. É sempre realizada das 08.00 às 13.15 horas, com cartazes a denunciar o frio que sentem nas salas de aula e que impede a concentração, assim como a aprendizagem.

“antiga rivalidade deve ser substituída por uma saudável competição”

Zé LG, 07.12.20

91893112_106538667677396_7251835718455001088_o.jpg

Capturar.PNG«Desde a formação inicial da bem-dita "geringonça" que neste Baixo Alentejo continuou a baixa política: muita resistência a essa cooperação entre as esquerdas e o "centro-esquerda". Ainda não vimos sinais muito inequívocos de que os velhos preconceitos e sectarismos a nível da Federação local do PS e também dos comunistas estejam em vias de ser tornados obsoletos. A antiga rivalidade deve ser substituída por uma saudável competição, através do confronto de ideias que contribuam para arrancar o desenvolvimento da nossa região.»

Anónimo 04.12.2020, aqui.

CDS-PP exige demissão das direções do Hospital de Évora e da ARS do Alentejo

Zé LG, 02.12.20

cds_distrital_evora-360x300.pngA Distrital de Évora do CDS-PP exige a demissão do conselho de administração do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) e do conselho diretivo da Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo, na sequência de alertas feitos pelo Sindicato Independente dos Médicos sobre alegadas dificuldades no Serviço do Gastroenterologia do HESE.

Para a Distrital de Évora do CDS-PP, “a direção da ARS do Alentejo e o conselho de administração do HESE têm sido manifestamente incapazes ou incompetentes para resolver os enormes desafios que a nossa região tem pela frente na área da saúde, ainda mais agora num momento excecional de pandemia”, pelo que exige “que estas direções se demitam elas próprias dos seus cargos, numa derradeira demonstração de dignidade e respeito por aqueles que deveriam defender e cuidar no cumprimento das suas funções”.

Praias versus grandes superfícies comerciais

Zé LG, 24.11.20

Ir à praia e apanhar Sol ajuda a reforçar o sistema imunitário. Nesta altura, há mais que espaço para as pessoas manterem a distância física recomendada. Em espaço livre o vírus propaga-se com maior dificuldade.

praia.JPG

Em espaços fechados o vírus propaga-se mais facilmente. Nas grandes superfícies comerciais é difícil, para não dizer impossível, manter a distância física recomendável. Em (quase) nenhuma há controlo do número de pessoas por área recomendado. 

Não seria de recomendar às pessoas que fossem às praias e que fosse feito um controlo às presenças de pessoas nas superfícies comerciais?

Uso obrigatório de máscaras no trabalho. Aulas suspensas antes dos feriados e proibição de circulação entre concelhos nas "pontes".

Zé LG, 21.11.20

fa62981ebcc6947ec36bc11933a442c5.jpgNovas medidas gerais:

  • Uso obrigatório da máscara no local de trabalho, exceto quando os postos de trabalho são isolados ou quando haja separação física entre diferentes postos.
  • Proibição de circulação entre concelhos:
    • entre as 23h de 27 de novembro e as 5h de 2 de dezembro;
    • entre as 23h de 4 de dezembro e as 5h de 9 de dezembro.
  • Nos dias 30 de novembro e 7 de dezembro estão suspensas as atividades letivas em todos os níveis de ensino. Nas mesmas datas há tolerância de ponto e o apelo a entidades privadas para dispensa de trabalhadores.

Beja e mais quatro concelhos alentejanos saem da lista de risco elevado de contágio

Zé LG, 21.11.20

fa62981ebcc6947ec36bc11933a442c5 (1).jpgAljustrel, Beja, Borba, Ferreira do Alentejo, Sousel saem da lista de risco elevado, num conjunto de 17 a nível nacional.

Os concelhos serão divididos em diferentes níveis de risco de contágio, sendo "em função destes critérios de risco" que nos próximos meses serão "modeladas as medidas a adotar para que se ajustem o melhor possível à realidade efetiva em cada concelho":

 "Extremamente elevado": mais de 960 casos de doença por 100 mil habitantes;

"Muito elevado": mais de 480 novos casos por 100 mil habitantes;

"Elevado": mais de 240 e até 480 casos por 100 mil habitantes;

"Moderado": menos de 240 casos por 100 mil habitantes.

Neste momento existem 65 concelhos de risco moderado, 86 de risco elevado, 80 de risco muito elevado e 47 de risco extremamente elevado. As regras específicas para cada concelho podem ser vistas no site Estamos On.