Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“a liberdade exige responsabilidade cívica”

Zé LG, 28.02.24

image_2024-02-27_19-12-36.png«Não pretendendo fazer defesa de ninguém, o administrador do blog gere o seu espaço pessoal como bem entende! Devemos estar todos gratos por nos proporcionar um espaço de discussão, que se pretende elevado e profícuo em termos públicos (haverá quem confunda este desígnio). Quem não gosta pode criar um blog próprio, com conteúdo por si seleccionado onde só publica ou comenta o que quiser! Já percebemos todos, que alguns conteúdos de natureza menos decente e/ou higiénica, não são bem vindos, e com razão! Afinal a liberdade exige responsabilidade cívica!»                   Anónimo 26.02.2024, aqui.

O agravamento da crise na comunicação social põe em risco a democracia

Zé LG, 10.01.24

Sem nome (44).pngUma comunicação social livre e independente é fundamental e determinante para o bom funcionamento da democracia. Sabemos quanto é difícil à comunicação social e, especialmente, aos jornalistas exercerem a sua função com plena liberdade e total independência, porque quase todos os que têm poder, mesmo que defendendo a democracia, não se inibem de exercer o poder que têm de forma a tentar que eles não os incomodem, escrutinando toda a sua actividade.

É a isso que todos os dias assistimos, pelas mais diversas formas, umas mais evidentes, outras mais subtis ou sofisticadas, a tentativas, muitas delas concretizadas, de condicionar a liberdade e a independência dos órgãos de comunicação social. Esses condicionamentos vão das fontes de financiamento, passando pela precariedade do emprego, até à equiparação de outras formas de comunicar à comunicação social.

 

 

“Parece-me que estamos a viver uma situação muito perigosa de regressão da liberdade.”

Zé LG, 02.11.23

Sem nome (61).png«No passado foi difícil recuperarmos em Espanha as nossas liberdades, sofremos censura. Por isso, estou demasiado velha para aceitar qualquer tipo de censura e não vou exercer autocensura. Estou aberta ao debate, a discutir com os outros as suas posições, sejam elas quais forem, e elas podem, ou não, convencer-me. Mas, o debate parece-me ser o que nos faz avançar, o que nos faz progredir. O que não estou disposta a fazer é que me imponham o que devo pensar. Preocupa-me muito que haja muita gente com medo de não ser, como dizemos em Espanha, politicamente correto. Isto não se refere apenas à política, refere-se a todos os aspetos da vida. Portanto, esta cedência de liberdade por medo do que as redes sociais possam dizer, por medo do que aqueles que foram eleitos possam fazer…não sei, acho que estamos a viver numa espécie de big brother, aquilo ao que George Orwell chamava o Ministério da Verdade. Vivemos numa sociedade absolutamente orwelliana, em que nos dizem o que temos de pensar, o que temos de dizer, parece-me absolutamente monstruoso. Essa é a semente do fascismo.» - Julia Navarro, escritora espanhola, romancista premiada, em entrevista a Jorge Andrade, aqui.

Chega! O fascismo não passará por aqui.

Zé LG, 25.04.23

Ezx2dWzXoAk0KG6.jpgAssistimos hoje a um enfraquecimento das democracias, um pouco por todo o Mundo. O que muitos consideravam irreversível está a acontecer. Tal deve-se, em primeiro lugar, à falta de respostas satisfatórias às necessitades mais sentidas dos povos, por parte dos governos, que, em vez de aprofundarem as suas componentes económica, social e de defesa do ambiente e criarem espaços de maior paricipação popular, muito fazem para reduzir a democracia à sua componente política e eleitoral e mesmo estas são, nalguns casos, fortemente condicionadas. Mas o enfraquecimento das democracias deve-se também à falta de instrumentos que as defendam mais eficazmente. Não pode valer tudo, incluindo tudo o que os seus inimigos fazem para as destruir, em nome da liberdade que elas lhes proporcionam.

Há 49 anos atrás reconquistámos a Liberdade e com ela construímos o regime democrático, que, não sendo perfeito e necessitando de grandes aprofundamentos, nos permitiu ter um Portugal melhor, aberto ao Mundo e mais desenvolvido. Precisamos de melhorar a democracia, travar tentações autoritárias do tipo “quero, posso e mando”, “isto é tudo nosso” ou “vale tudo” e desmascarar e combater todas as forças saudosistas do Estado Novo, que tudo fazem para, aproveitando a falta de defesas eficazes da democracia, para a fragilizar, tentando fazer crer nas pessoas a necessidade de “salvadores da pátria” e de um novo regime autoritário.

É com esses objectivos que alguns têm vindo a usar e abusar deste espaço para tentar condicionar e impedir qualquer debate sério sobre qualquer assunto e fazer a defesa do fascismo e propaganda de ideias anti-democráticas. Se o querem fazer, façam-no nos seus espaços, não usem este. Chega! O fascismo não passará por aqui.

“Não devemos abdicar da nossa liberdade de consciência”

Zé LG, 08.09.22

18615491_wR6ZA.jpeg«Não devemos abdicar da nossa liberdade de consciência, pois ser forçado a agir contra a nossa consciência é, para quem o faz, mais grave do que muitos outros atentados à nossa liberdade, à integridade física e saúde, à honra ou ao bem-estar.
Assistimos a algumas formas de “oportunismo” (de “objeção de conveniência”) que permitem determinados privilégios!
A liberdade de consciência rejeita a imposição de um qualquer “pensamento único”. A liberdade de consciência assenta no respeito pela liberdade e dignidade da pessoa humana.» Anónimo 05.09.2022, aqui.

Sem palas

Zé LG, 05.04.22

images.jpgEstamos a viver tempos difíceis, em que alguns acham que são detentores da verdade absoluta, condenam sumariamente quem expressa opiniões diferentes das suas, sem esperar que as entidades competentes façam o seu trabalho de investigação, dando a oportunidade aos acusados de se defenderem, antes de proferirem a respectivas sentença. Infelizmente, muitos órgãos de comunicação social, já para não falar das redes sociais, preferem aquele tipo de actuação em vez deste último, contribuindo para uma espiral de falta de respeito e de agressividade que em nada contribui para a avaliação ponderada dos acontecimentos e notícias, com respeito pelas opiniões divergentes, por mais absurdas que nos possam parecer. 

O Alvitrando procura dar oportunidade a que todos e cada um expressem o mais livremente possível as suas opiniões, por mais disparatadas e absurdas e divergentes da minha. Por isso é admitido o anonimato, que deve ser entendido como forma das pessoas se expressarem mais à vontade, mas com responsabilidade, o que nem sempre acontece. Há quem, reiteradamente, pretenda fazer do Alvitrando uma "quinta" sua, onde pode injuriar e ofender como entende e quem entende, e um veículo da propaganda das ideias que defende, sem mostrar respeito pelo gestor do blogue, nem, principalmente, pela forma como faz a sua gestão. Há quem, inclusivamente, me tenha aconselhado a que tirasse as palas, não percebendo que, se as usasse, certamente não teria oportunidade de me dar tais conselhos aqui....

“Era só o que faltava que não tivéssemos capacidade ou liberdade para questionar o modo como é conduzido o nosso destino colectivo”

Zé LG, 02.01.22

humildade_973039.jpg.crdownload«A humildade nunca deve ser confundida com tacanhez de alma, acomodação do espírito ou de inconsciência! É por vezes bastante evidente para muita gente atenta e esclarecida, que somos governados por gente mal preparada, ignorante e que tende a repelir tudo quanto representa uma reacção ao estado comatoso, egocêntrico e celestial em que se encontram a exercer o poder! Era só o que faltava que não tivéssemos capacidade ou liberdade para questionar o modo como é conduzido o nosso destino colectivo, quando achamos que o rumo não é certo ou consequente! Para esse fim, a humildade é necessária com certeza, mas não pode substituir a inteligência e a capacidade de raciocínio!» Anónimo 01.01.2022, aqui.

Relação de Lisboa confirma condenação de Ventura por ter chamado "bandidos" a família do Bairro Jamaica

Zé LG, 15.09.21

Chega.pngO Tribunal da Relação de Lisboa confirmou hoje a sentença que condenou o presidente do Chega, André Ventura, a pedir desculpas a uma família do Bairro Jamaica, Seixal, por "ofensas ao direito à honra" ao chamar-lhes "bandidos".

No acórdão hoje emitido, o tribunal da Relação considera que Ventura e o Chega usaram a fotografia no debate "como arma de segregação social".

"A atuação dos Réus (...) extravasou os limites da liberdade de expressão e lesou o direito à imagem dos autores, sendo que [André Ventura] fez imputações ofensivas aos autores sem base factual suficiente e de modo totalmente desproporcionado", considerou o coletivo.

"Não pode ser dado espaço a quem não aceita princípios básicos da democracia"

Zé LG, 08.06.21

«É importante interiorizar que a democracia é um espaço de todos que defendem o debate de ideias. Nunca pode ser um espaço para opiniões contra a própria essência da democracia.

Tolerância e liberdade de opinião, são princípios fundamentais. ...

Não pode ser dado espaço a quem não aceita princípios básicos.... Liberdade de opinião mas com um grau de exigência elevado por princípios fundamentais.»

Cgp - Anónimo 07.06.2021, aqui.