Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“Beja está com dinâmica turística grande e com tendência de crescimento”

Zé LG, 04.03.24

beja.png..., afirmou o presidente da Câmara, esclarecendo que “Beja aproveitou a pandemia para se reinventar e mudar um conjunto de estruturas na cidade, nomeadamente no Castelo, onde melhoramos e criamos estruturas que não existiam, mas por toda a cidade melhorámos a sinalética, ou seja, renovámos a cidade” e que em Beja “tem-se tentado promover através do vinho o território e os produtos regionais”.
Paulo Arsénio adiantou que “no concelho de Beja, temos tão produto diferenciador que o turista precisa de vários dias para o conhecer”, que “já começa a ter um preenchimento durante um largo período do ano e durante muitos eventos. No ano passado, abriram mais duas unidades da Vila Galé, e neste momento está um grupo hoteleiro de grande dimensão a finalizar um hotel com quase 100 quartos no centro de Beja”, e que o “alojamento local que tem contribuído também para recuperar uma parte do núcleo urbano da cidade em pequenas unidades”.

CDU defende mais apoios à agricultura e condena "ditadura da distribuição"

Zé LG, 04.03.24

pr (2).png"Que se invista na agricultura e nos agricultores e não no agronegócio. Que se acabe com o escândalo do apoio da PAC, canalizado para as mãos de grandes agrários, esses 7% que ficam com 70% de todos os apoios que vêm da União Europeia, ao mesmo tempo que aos restantes agricultores sobra a diminuição do rendimento. Ao mesmo tempo que Jerónimo Martins e Sonae acumularam mil milhões de euros de lucro", afirmou Paulo Raimundo, em Santarém, frisando que "O país, a agricultura, os agricultores e cada um de nós não tem futuro enquanto não se enfrentar com coragem essa autêntica ditadura da grande distribuição, essa autêntica ditadura que esmaga os pequenos agricultores, esmaga a produção, esmaga cada um de nós cada vez que temos de ir ao supermercado. Sem enfrentar isto de frente não há alternativa no nosso país, não há alternativa para a agricultura".

 

O distrito de Beja precisa de mais força da CDU, afirmou Paulo Raimundo

Zé LG, 03.03.24

202403022334444020.jpg“O Alentejo e o distrito de Beja precisa de mais força da CDU. Precisa de eleger, e vai eleger, o João Dias. Ao contrário dos deputados do PS e do PSD, nunca faltou a nenhuma chamada das populações lá onde foi preciso estar”, garantiu Paulo Raimundo, ontem em Beja.
O secretário-geral do PCP criticou os partidos de direita pelas posições sobre imigração, denunciando “Os discursos do ódio, do racismo e da discriminação que têm vindo a aumentar, mais não fazem do que querer desviar as atenções dos reais problemas e dos responsáveis que meteram milhares de cidadãos portugueses para fora do seu país”, e apelou ao pleno reconhecimento dos direitos dos imigrantes.

Paulo Raimundo lembrou responsabilidade do PS na falta de obras no IP8

Zé LG, 02.03.24

pr (2).pngO secretário-geral do PCP, junto a um viaduto incompleto e sem avanços desde 2012, destacou hoje a “quota de responsabilidade” do líder do PS, Pedro Nuno Santos, enquanto ex-ministro das Infraestruturas, na falta de conclusão das obras do IP8 no Alentejo e assinalou o prejuízo para a região. “O que aconteceu foi que PSD e CDS pararam a obra e o PS agarrou nessa bandeira e manteve isto tal como está. É uma vergonha e uma afronta a toda a gente que vive no distrito de Beja e no Alentejo”. Daqui e daqui.

Quem terá de corrigir mais Luís Montenegro?

Zé LG, 02.03.24

Sem nome (27).png

Para quem tanto criticou - e com razão -, os casos e casinhos de António Costa e, também, de Pedro Nuno dos Santos, ... E isto em poucos dias de campanha eleitoral... Ao desenterrar o passado de má memória e dar a palavra aos seus protagonistas, Luís Montenegro parece ter cometido um erro grave de casting...

Aeroporto de Beja “pode e deve ser complementar” aos de Lisboa e Faro, defende o PAN

Zé LG, 27.02.24

202402271420585622.jpgDe passagem pelo Aeroporto de Beja, no âmbito da campanha para as eleições legislativas de março, a porta-voz do PAN, Inês Sousa Real, após se encontrar e ouvir as reivindicações de Manuel Valadas, porta-voz do movimento Melhor Alentejo, Inês Sousa Real, acompanhada pelo cabeça de lista por Beja, Luís Coentro, lamentou que exista “um aeroporto praticamente fantasma”, salientando que: “Esta infraestrutura está criada e tem, inclusivamente, arcas frigoríficas de grande dimensão que podiam potenciar a própria agricultura da região e a nossa soberania e capacidade económica de exportação de bens e produtos”. Considerando que esta infraestrutura também podia ser complementar aos aeroportos de Lisboa e Faro, defendeu uma aposta na ferrovia e a inclusão das obras nas ligações a Beja no Plano Nacional de Investimentos (PNI). Daqui e daqui.

Luís Montenegro acredita que vai "recuperar deputado por Beja" e "dar novo Governo a Portugal"

Zé LG, 27.02.24

Sem nome (24).png

Na sua deslocação a Beja, o líder do PSD e da AD, Luís Montenegro, disse que há um “esquecimento do distrito de Beja no contexto nacional” e que a falta de acessibilidades é um “travão ao desenvolvimento” da região, defendendo que sem acessibilidades é difícil atrair empresas, criar emprego e fixar pessoas.
Luís Montenegro afirmou que pretende contribuir para "a atração de investimento/empreendedores que criem oportunidades de emprego e negócios, dois pontos cruciais para travar a saída de pessoas, essencialmente os jovens, deste território em busca de oportunidades", considerando que "no distrito de Beja, as pessoas vão deixar de ir atrás do PS, dominante no território".
Com atenções "centradas na agricultura", o líder do PSD considerou "ser estratégica para o distrito por tudo o que envolve o setor e permite potenciar" e afirmou que a AD defende "uma imigração regulada que contribua para a fixação de pessoas no território e que evite às mesmas caírem nas mãos das redes de tráfico de mão de obra. Uma imigração que promova a entrada de famílias".

Tiago Oliveira eleito secretário-geral da CGTP, substitui Isabel Camarinha

Zé LG, 25.02.24

Sem nome (21).pngTiago Oliveira, 43 anos, actual coordenador da União de Sindicatos do Porto (USP), foi eleito secretário-geral da CGTP. Casado e com uma filha de 20 anos a terminar a faculdade, o novo secretário-geral tem desenvolvido até agora a sua actividade sindical no Norte do país. Filho do também sindicalista Américo Oliveira, nasceu em Matosinhos, onde frequentou um curso profissional de electromecânica que lhe abriu as portas da Auto Sueco, na Maia, quando tinha apenas 17 anos. Cinco anos depois, foi eleito delegado sindical pelos colegas da empresa. Passou a ser sindicalista a tempo inteiro em 2006 quando ingressou na direcção do Site-Norte e sucedeu a João Torres no cargo de coordenador da USP, onde estava há 14 anos.

Pedro Nuno Santos versus Luís Montenegro

Zé LG, 24.02.24

Nim Sopas.png

A pré-campanha eleitoral tem sido fértil em casos e casinhos, tal como foi o governo do PS, de maioria absoluta, e que, por isso também, acabou por cair. Parece que é nisto que se está a transformar a vida política no nosso País. Como se não existissem temas importantes  para discutir para o futuro do País.

A questão sobre o que fazer depois das eleições tem alimentado boa parte dos debates entre Pedro Nuno dos Santos, do PS, e Luís Montenegro, do PSD, e contribuído para reforçar a ideia que se tem dos dois. Enquanto o primeiro, mesmo gerando alguma confusão, faz, neste caso diz qual é a sua posição - o PS não apresenta nem apoia uma moção de censura caso não consiga formar governo, sozinho ou com o apoio de outros partidos à sua esquerda, o segundo não se compromete, deixa para depois... e não diz qual a sua posição, como relativamente a outras questões.