Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Secretário-geral da ONU insta governos a taxar lucros "imorais" das empresas

Zé LG, 04.08.22

Sem nome.pngO secretário-geral da ONU considerou "imoral" que as empresas de petróleo e gás estejam a registar resultados financeiros recorde durante a atual crise energética e exortou todos os governos a tributarem os seus "lucros extraordinários".

Esta ganância grotesca está a punir as pessoas mais pobres e vulneráveis, enquanto destrói a nossa única casa”, apontou António Guterres, que pediu aos governos de todo o mundo que imponham mais impostos sobre estes “lucros extraordinários” e que utilizem os recursos para “apoiarem as pessoas mais vulneráveis nestes tempos difíceis”.

O responsável das Nações Unidas lembrou que os lucros combinados das maiores empresas de energia a nível global aproximaram-se dos 100.000 milhões de dólares no primeiro trimestre deste ano e que o negócio neste setor tem um “custo enorme” em efeitos ambientais.

António Costa diz que os partidos têm o dever de “avaliar se é ou não oportuno” ouvir os portugueses sobre o processo de regionalização

Zé LG, 09.07.22

AC.png“Não se pode deixar de fazer [o referendo] porque se tem medo de ouvir os portugueses. Eu até compreendo a posição do PSD, porque de facto, nos últimos anos, cada vez que os portugueses foram ouvidos só disseram coisas que o PSD não gostou que os portugueses tivessem dito”, declarou António Costa na intervenção que proferiu na abertura da reunião da Comissão Nacional do PS, que decorre em Ilhavo, Aveiro.

De acordo com o líder socialista e primeiro-ministro, “por uma questão de oportunidade temporal” não deve deixar de se “fazer aquilo que deve ser feito”, salientando que, em 2024, os partidos têm o dever de “avaliar se é ou não oportuno” ouvir os portugueses sobre o processo de regionalização.

“Não saiu nenhuma medida das sucessivas promessas feitas pela Ministra da Agricultura”

Zé LG, 06.07.22

OPINIAO_RUI_GARRIDO-768x364.jpg«Os agricultores merecem respeito. A seca já é uma dura penalização às suas condições de trabalho. Tal como os aumentos exponenciais dos preços das matérias-primas, de fertilizantes, de combustíveis e de energia, dos alimentos para os animais, em resultado da guerra e também da seca. Porque provocam ainda redução da quantidade e da qualidade das produções. E degradação das condições socioeconómicas dos produtores e dos territórios rurais. Os agricultores estão na primeira linha na produção de alimentos e na salvaguarda da segurança e da soberania alimentar. Precisam de se sentir acompanhados, sob pena de muitas fileiras de produção agroalimentar colapsarem. São necessários e urgentes apoios não só do governo português, como da União Europeia. Porque se hoje sentimos o esforço do aumento dos preços, amanhã podemos sentir a falta de produtos essenciais nas prateleiras dos supermercados.»      Rui Garrido, Presidente da ACOS, aqui.

“Quando reabrem as piscinas municipais descobertas de Beja? Não sei.» diz Paulo Arsénio

Zé LG, 04.07.22

289489477_1465384217227150_3463298389058241376_n.j«… Assim neste momento existem 3 possibilidades: as bombas virem, as inspeções legais decorrerem rapidamente e estar tudo em conformidade e aprovado e poder-se abrir ainda a 15 de agosto ou a 1 de setembro (mantendo as piscinas abertas até 18 desse mês neste ano) ou as bombas não virem ou as inspeções obrigatórias não se poderem realizar em tempo útil ou reprovarem alguma coisa e, nesse caso, as Piscinas só poderão abrir na época balnear "normal" em junho de 2023. ...

E no dia 15 de agosto, 1 de setembro de 2022 ou em junho de 2023, quando nos for possível, sempre dentro da época balnear, teremos todo o gosto em convidar todos, PSD incluído, para marcarem presença na cerimónia de reabertura!»

Leia, aqui, todo o longo esclarecimento de Paulo Arsénio, presidente da Câmara Municipal de Beja.

São já 110 os postos de trabalho no Aeroporto de Beja. Que fazer para potenciá-lo mais?

Zé LG, 24.06.22

202206221644074828.jpg“Mais voos civis no aeroporto de Beja é possível”, diz o presidente da Câmara. Lembra, contudo, que “há limitações na placa e na aerogare” e que “tem outras valências”. Paulo Arsénio revelou ainda que a ANA e a Vinci, responsáveis pela gestão do aeroporto de Beja, estão disponíveis para “ampliar placa e lotes disponíveis, no sentido de se tornar esta infraestrutura aeronáutica mais estruturante, com ligação de carga a Sines”.

O autarca de Cuba sublinhou que o “Orçamento do Estado (OE) 2022 não contempla nenhuma destas matérias, deixando de fora o território” e que o “aeroporto de Beja tem de tornar-se internacional, de passageiros e de carga”. João Português defende, igualmente, que é preciso existir “uma atitude concertada na defesa do desenvolvimento do território, de modo a que autarcas - eleitos pelo povo e a quem compete tomar decisões - e população tenham influência no seu sucesso. Todos têm que fazer a sua parte”.

Na sessão da Assembleia Municipal de Beja, foi apresentada e aprovada uma moção da CDU, em que o aeroporto é mencionado como polo de desenvolvimento, mas de forma integrada para o território e com outras infraestruturas também em falta, nomeadamente na rodovia e ferrovia.

O aeroporto de Beja fez, em 2021, uma década e foi, também, no ano passado que se ficou a saber que “não é alternativa ao Montijo”, de acordo com declarações de António Costa, primeiro-ministro.

São 110 os postos de trabalho no aeroporto de Beja. 86 são funcionários da Mesa e 24 têm funções na ANA e noutros serviços. O aeroporto movimentou, em 2020, 2500 pessoas e registou 160 operações de voos premium.

“O pior que pode acontecer é adoecer ou ter acidentes em agosto”, disse a DGS

Zé LG, 22.06.22

GF.pngA diretora-geral da Saúde apresentou hoje, em Alpiarça, o plano de contingência para o verão, o qual junta várias entidades em campanhas para a prevenção de situações que aumentam o risco de doenças ou de acidentes nesta época do ano.

As campanhas abordam questões que se prendem com os efeitos das altas temperaturas, com comportamentos de risco e com o aumento sazonal da população em determinadas zonas do país, os quais aumentam os riscos de doença e de acidentes, com reflexos na procura das urgências hospitalares, disse.

As campanhas do programa “Juntos por um verão seguro 2022” abordam temas como os cuidados em viagem, a necessidade de hidratação, a prevenção de acidentes e de consumos aditivos.

Graça Freitas referiu situações como afogamentos, lesões provocadas por mergulhos, intoxicações alimentares, infeções por transmissão sexual, habituais nesta época do ano.

Jerónimo de Sousa alertou para o papel que o Alentejo pode desempenhar na produção de cereais

Zé LG, 21.06.22

202206192156524547.jpg

No seu discurso de encerramento da 10.ª Assembleia da Organização Regional de Beja do PCP, Jerónimo de Sousa ‘apontou baterias’ ao Governo do PS devido à situação económica do país e alertou para o papel que o Alentejo pode desempenhar na produção de cereais.

“Vivemos uma situação em que se adensam as preocupações em relação à evolução da situação económica e social do país, com um forte impacto muito negativo nas condições de vida e nos direitos dos trabalhadores e do povo”, afirmou, acrescentando que é também “tempo” de o Governo socialista tomar outras medidas, como “garantir a reposição da taxa do IVA nos 6% na eletricidade e gás”, criar “um Cabaz Alimentar Essencial” e definir “um preço de referência para cada um dos produtos, com base nos custos reais e numa margem não especulativa”.

A atualização extraordinária para todas as pensões, no montante mínimo de 20 euros por pensionista, ou a adoção de “medidas concretas para assegurar aumentos de salários” foram outras das medidas reclamadas pelo líder do PCP.

“Para o ano, haverá um aumento histórico do valor das pensões”, garante António Costa

Zé LG, 20.06.22

AC.png“Um aumento pela conjugação de se registar este ano um valor anormalmente alto do crescimento muito por efeito comparativo do ano passado e um aumento histórico também muito significativo da taxa de inflação”, justificou o primeiro-ministro, concluindo que: “Estes dois efeitos conjugados vão gerar um grande aumento das pensões de reforma no próximo ano. Isso são dados que nós sabemos”.

Alqueva é líder na produção de azeite, amêndoa e melão

Zé LG, 17.06.22

salema_3.pngSegundo o portal Agricultura & Mar, o Alentejo é responsável por “3/4 de todo o azeite produzido em Portugal e 80% desse azeite é fruto de Alqueva, sendo a maior parte exportado a granel”.
José Pedro Salema, presidente do Conselho de Administração da EDIA, referiu ao jornal Planície que a região “é a maior produtora de amêndoa em Portugal”, acrescentando que “a fileira da amêndoa está a desenvolver-se muito”, assim como “a fileira dos frutos secos e já começamos a ter algumas unidades de descasque”.
O portal Agricultura & Mar adianta ainda que também o Alqueva “é a principal região produtora de melão nacional”. Daqui.

“Prémio Carreira” da Human Resources atribuído a Rui Nabeiro

Zé LG, 16.06.22

nabeiro_19.pngO comendador Rui Nabeiro, fundador da Delta Cafés, foi o vencedor do “Prémio Carreira”, atribuído na 11.ª edição dos Prémios Human Resources.
De acordo com o portal Human Resources, este prémio, à semelhança do prémio “Personalidade do Ano”, é uma escolha da exclusiva responsabilidade da redação da Human Resources, ao contrário dos restantes, que resultam da escolha do público.

“Não há desculpa para que o aeroporto [de Beja] não seja utilizado”, afirma Florival Baiôa

Zé LG, 16.06.22

Aerorporto-de-Beja-1024x576.jpgFlorival Baiôa, porta-voz do movimento de cidadãos “Beja Merece+”, frisa que o aeroporto de Beja tem todas as condições para ser alternativa a Lisboa e lembra a sua utilização por parte de grandes equipas como o Benfica e o Sporting. Leia e oiça tudo.

"o que acontecerá quando o entusiasmo para ajudar passar? Porque as coisas estão esfriando", pergunta o Papa

Zé LG, 16.06.22

Papa: a guerra não pode ser reduzida a uma distinção entre bons e maus

cq5dam.thumbnail.cropped.750.422.jpeg

Publicamos uma grande parte da conversa de Francisco com os diretores das Revistas dos Jesuítas, recebidos em audiência no Vaticano em 19 de maio. A íntegra do encontro foi divulgada na edição desta terça-feira (14) da revista "La Civiltà Cattolica". In: Vatican News

A Companhia está presente na Ucrânia. Estamos vivendo uma guerra de agressão. Nós escrevemos sobre isso em nossas revistas. Qual é o seu conselho para comunicar sobre a situação que estamos vivendo? Como podemos contribuir para um futuro de paz?

Para responder a essa pergunta, temos que nos afastar do esquema normal de "Chapeuzinho Vermelho": a Chapeuzinho Vermelho era boa e o lobo era o mau. Aqui não há bons e maus metafísicos, de uma forma abstrata. Algo global está surgindo, com elementos que estão muito interligados entre eles. Alguns meses antes do início da guerra encontrei um chefe de Estado, um homem sábio, que fala pouco, muito sábio mesmo. E depois de falar sobre as coisas de que ele queria falar, me disse que estava muito preocupado com a maneira como a OTAN estava se movendo. Eu lhe perguntei porquê, e ele me disse: "Estão latindo nas portas da Rússia. E não entendem que os russos são imperiais e não permitem que nenhuma potência estrangeira se aproxime deles". Ele concluiu: "A situação pode levar à guerra". Essa era a sua opinião. Em 24 de fevereiro, a guerra começou. Aquele chefe de Estado foi capaz de ler os sinais do que estava acontecendo.

Aquilo que estamos vendo é a brutalidade e a ferocidade com que esta guerra está sendo conduzida pelas tropas, geralmente mercenárias, utilizadas pelos russos. E os russos realmente preferem enviar chechenos, sírios, mercenários. Mas o perigo é que só vemos isso, o que é monstruoso, e não vemos todo o drama que está se desenrolando por trás desta guerra, que talvez tenha sido de alguma forma provocada ou não impedida. E registro o interesse em testar e vender armas. É muito triste, mas no final é isso que está em jogo.

 

Rui Nabeiro distinguido com o doutoramento “Honoris causa” pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra

Zé LG, 07.06.22

RUI-NABEIRO-Doutor_800x800-240x240.jpgO empresário e comendador Rui Nabeiro receberá um doutoramento honorífico por parte da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. A mais elevada distinção (Honoris Causa) atribuída por uma universidade portuguesa será entregue na próxima quarta-feira.

O empresário e comendador Rui Nabeiro, conhecido fundador da Delta Cafés, receberá aos 91 anos um doutoramento honorário ou Honoris Causa “destinado a cidadãos de indiscutível mérito profissional e de qualidades humanas” e que constituem “uma referência inspiradora para toda a sociedade”.

Em 26 de novembro de 2006 o empresário Rui Nabeiro foi distinguido pela Universidade de Évora com o doutoramento “Honoris causa”. O ex-presidente da República, Jorge Sampaio, foi o ‘patrono’ do doutoramento (na foto).

"Porto não vai beneficiar com a saída da ANMP e não é expectável nem aceitável que negoceie à parte com o Governo"

Zé LG, 02.06.22

202206011141219399.PNGAdmitindo que esperava que o Porto “refletisse” sobre a decisão, o presidente do município de Beja e também vogal do conselho diretivo da ANMP vincou que “não é expectável nem seria aceitável que o Governo, agora, negocie à parte com o Porto”.
Paulo Arsénio disse preferir que a câmara da ‘cidade invicta’ continuasse a integrar a ANMP, por considerar que existem vantagens para “o Porto e para o Norte”, mas também para a associação, que teria “um dos principais municípios portugueses no seu seio”.
“Portanto, esta é uma decisão que não beneficia ninguém”, insistiu, concluindo que a saída da ANMP “não foi a melhor solução” tomada pela Câmara do Porto para “manifestar desagrado em relação ao processo da transferência de competências”.

Paulo Arsénio (PS) congratulou-se ainda com o reforço de verbas para a Educação, no âmbito da transferência de competências, atribuindo a “conquista” à ANMP.

Jerónimo de Sousa critica Governo por recusar travar escalada de preços

Zé LG, 22.05.22

202205221433348290.jpgJerónimo de Sousa, líder do PCP, hoje em Baleizão, acusou o Governo do PS de fazer “uma política de meias-tintas” por se recusar a aumentar os salários e pensões e a travar a escalada de preços, recordando que o PS prometeu, na campanha eleitoral, valorizar salários e reformas, e que agora, “apanhado com a maioria absoluta que ambicionava e de mãos livres”, “esqueceu a promessa” e “está já a fazer o contrário do que anunciou”.
Jerónimo de Sousa frisou que o “deixar andar e fechar os olhos à especulação e à exploração está bem patente” na proposta de Orçamento do Estado para este ano, considerando que no documento “não se veem as soluções para estes e outros problemas” e que “O que aí está é um autêntico assalto ao bolso de quem trabalha da parte dos grupos económicos, com os seus aumentos especulativos dos bens essenciais, dos alimentares à energia, dos combustíveis aos transportes, à água e habitação”.

“É urgente dotar a região de melhores condições de saúde”, afirma Nelson Brito

Zé LG, 19.05.22

202205172201003277.PNGO investimento público, na opinião de Nelson Brito deve ser colocado para uma “mudança de paradigma”, para contribuir “para uma região melhor para se viver e em que, finalmente, se concretize a adiada coesão económica, social e territorial do Baixo Alentejo”, pelo que “é urgente dotar a região de melhores condições de saúde, visto que se trata de um direito fundamental e requisito crítico para a fixação e atração de nova população, evidência que ficou ainda mais explicitada após dois anos de resposta do Serviço Nacional de Saúde à situação pandémica, em todo o território nacional”.

O líder distrital e deputado do PS apontou como prioridades “avançar com a construção imediata da segunda fase do Hospital José Joaquim Fernandes, em Beja” e fazer “um esforço de atração para o Baixo Alentejo de mais médicos de saúde pública, especialistas no âmbito dos cuidados de saúde primários de medicina geral ou familiar e ainda especialistas na área hospitalar”.  Daqui, daqui, daqui e daqui.

Hospital de Beja “desapareceu” do Orçamento do Estado, denuncia Catarina Martins

Zé LG, 18.05.22

Catarina-Martins-1-768x432.jpgCatarina Martins, a Coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), visitou, esta manhã, o Hospital de Beja e não poupou críticas ao Governo pelo desinvestimento, lamentando que o Orçamento de Estado não tenha atribuídas verbas para a ampliação daquela unidade de saúde. “O Hospital de Beja desapareceu do Orçamento do Estado, entre 2018 e agora”, disse, apontando ainda outros problemas: a contratação e a fixação de profissionais, recordando que o prometido aumento das “vagas carenciadas” ficou “aquém das necessidades” no Hospital de Beja.
A coordenadora do Bloco o Esquerda aproveitou a oportunidade para enaltecer a resposta de saúde mental criada em Beja.                               Leia e oiça aqui e aqui.

“Ovibeja deverá ser entendida como uma voz da região. Sem quintais, ou quintinhas.”

Zé LG, 14.05.22

OPINIAO_RUI_GARRIDO-768x364.jpgA agricultura e o mundo rural mobilizam-se no campo, mas é na cidade que germina a sua capacidade de se interligar e interrelacionar com todos. Uma das grandes expressões do mundo rural é a Ovibeja que, na edição deste ano nos trouxe a gratificação de nos sentirmos todos juntos, superando as expectativas, e a média dos anos anteriores, em relação ao número de visitantes e também de participantes nos colóquios.

Podemos dizer que Ovibeja é uma instituição na região. É festa, é tradição, ruralidade, mas é, sobretudo, intervenção cívica. É um evento que, ao reunir as diferentes áreas de atividade da região, diferentes sensibilidades, áreas de formação e de intervenção, deverá ser entendida como uma voz da região. Sem quintais, ou quintinhas. Porque, o mais importante é saber potenciar a atenção suscitada sobre a região.

Nova reitora da Universidade de Évora defendeu a criação de “uma voz única” na defesa dos interesses do Alentejo

Zé LG, 10.05.22

Sem nome.pngHermínia Vasconcelos Vilar, a nova reitora da Universidade de Évora, defendeu a criação de “uma voz única” na defesa dos interesses do Alentejo, afirmando que este é o desígnio para o seu mandato que agora se inicia.
A nova equipa reitoral é constituída pelos vice-reitores João Valente Nabais, Ana Paula Canavarro e Paulo Quaresma e pelos pró-reitores Ana Fialho, Vítor Nogueira, Clarinda Pomar, Paulo Mendes e Augusto Peixe.