Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Quais foram os investimentos que António Costa visitou em Beja?

Zé LG, 22.01.22

costa.png

Após almoço rápido no centro de Évora, António Costa iniciou na parte da tarde um périplo por alguns dos principais investimentos em curso na região, começando pelas obras no novo Hospital Central do Alentejo. Obras que, segundo os socialistas, estiveram “enguiçadas” durante vários anos, que foram suspensas pelo Governo de Pedro Passos Coelho em 2014 e que agora o executivo de António Costa “desenguiçou”. Seguiu depois para o reservatório do Espinheiro, que tem em curso um projeto de rega, e para a Cooperativa Agrícola de Reguengos de Monsaraz.

Sintomaticamente e numa clara demonstração do entendimento que tem da coesão territorial, quer de Portugal quer do Alentejo, em particular, António Costa, ao contrário do que fez em Évora, não visitou nenhum investimento público em Beja, tendo-se limitado a visitar um investimento privado e a dar um passeio pelas Portas de Mértola, onde ouviu algumas verdades ditas por populares...

António Costa considera essencial avanço da agricultura sustentável e quer mais imigração

Zé LG, 20.01.22

202201191831538112.jpg

O secretário-geral do PS considerou a empresa PaxBerry, que visitou, como “um excelente exemplo de como é possível Portugal passar a produzir frutos quentes e compensar de uma vez por todas o défice alimentar que o país antes tinha”, apontando, para além da produção, a sustentabilidade e o respeito pelo meio ambiente como fatores essenciais.

Referiu-se ainda à “estabilidade relativamente à mão-de-obra que trabalha na empresa”, antes de fazer alusão a dois acordos de mobilidade já assinados por Portugal, um com os Estados-membros Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), e outro com a Índia, acrescentando que “Temos outros acordos em negociação. Como foi evidenciado nesta empresa, o país precisa de imigração para continuar a crescer do ponto de vista económico”, acrescentando que  “Temos de ter a capacidade – e foi isso que se acordou com a Câmara de Odemira, que terá de cumprir – de assegurar habitação condigna a todos os que trabalham. Há recursos financeiros disponíveis para esse efeito e é um trabalho que neste momento está em curso”.

António Costa vem a Beja esta tarde apoiar os candidatos do PS à AR

Zé LG, 19.01.22

202201181157459223.jpgAntónio Costa vai esta tarde, na cidade de Beja, numa ação de campanha eleitoral. Às 15.00 horas, visita a Pax Berry, uma empresa de produção de morangos situada no concelho de Beja e às 15.30 horas, chega junto ao edifício da Caixa Geral de Depósitos de onde segue numa arruada pelas Portas de Mértola, em direção ao Jardim do Bacalhau.

De manhã a acompanhar os candidatos do PS por Beja vai estar também Maria do Céu Antunes, com visitas, às 10.00 horas, à EDIA e às 11.00 horas, à Herdade da Figueirinha.

Quem ganhou o frente-a-frente entre os líderes dos partidos com representação parlamentar?

Zé LG, 17.01.22

frente-a-frente.png1 - O PS e o PSD saíram diminuídos, porque António Costa não respondeu a muitas críticas que ouviu, tendo inclusivamente remetido para a História a explicação das razões porque Portugal se deixou ultrapassar por outros países, e Rui Rio foi palavroso mas frouxo, quer nas críticas à governação quer nas propostas que apresentou, parecendo menos do menos. Entre os dois, António Costa esteve melhor, ao assumir a pose de estado e apresentando números positivos da sua governação.

2 - As Esquerdas (e o PAN) estiveram mais sóbrias e fundamentaram melhor as críticas e as propostas que apresentaram. Rui Tavares terá sido o que teve melhor prestação, seguido de Catarina Martins, João Oliveira, Inês Corte Real, todos bastante bem, e, finalmente, António Costa.

3 - As Direitas, designadamente o CDS e o Chega, optaram pelo estilo "pé em riste" e mostraram contradições em propostas que apresentam com os resultados que delas resultariam. André Ventura e Francisco Rodrigues dos Santos estiveram francamente mal, Rui Rio pouco convincente e João Cotrim de Figueiredo foi o que teve melhor prestação, apesar de não conseguir convencer ninguém (nem ele próprio) da justeza da taxa única do IRS, que Rui Tavares tão bem desmontou.

4 - Em conclusão, parece-me que a vitória do PSD ou a maioria absoluta do PS ficaram mais afastadas e que "ecogeringonça" pode vir a ter pernas para andar.

“A ARROGÂNCIA ENDÉMICA NO REINO DO CHUCHIALISMO EM LIBERDADE”

Zé LG, 16.01.22

33.jpg«A arrogância de António Costa ao exibir, durante o debate televisivo com Rui Rio, o OE de 2022 que o governo por si chefiado apresentou e a Assembleia da República rejeitou por maioria, fez-me lembrar a arrogância de Fernando Medina a reafirmar a confiança pessoal e política na Margarida Martins, na véspera das eleições para a Câmara de Lisboa.

Os resultados das eleições de Lisboa são conhecidos. Vamos esperar até ao dia 30 para sabermos os resultados das eleições legislativas.»

Publicada por Pedro Martins à(s) 02:01, em 14 de janeiro de 2022, aqui.

Quem ganhou o debate entre António Costa e Rui Rio?

Zé LG, 13.01.22

Sem nome.pngRui Rio precisava de ganhar claramente este debate para poder continuar a acalentar o desejo do PSD ganhar as eleições. Acho que isso não aconteceu e que o debate foi equilibrado, com vantagem para António Costa, porque foi mais claro e afirmativo nas suas posições e incisivo nos ataques a Rui Rio, que manifestou algumas dificuldades em se defender. O debate, pela necessidade dos contendores afirmarem o que os distingue, empurrou Rui Rio mais para a direita (tem-se esforçado por se afirmar do centro) e António Costa mais à esquerda, de que vinha a tentar descolar nos últimos debates.

Debate equilibrado entre António Costa e Catarina Martins, com mais ganhos para o BE

Zé LG, 11.01.22

debate.pngAntónio Costa, secretário-geral do PS, e Catarina Martins, líder do Bloco de Esquerda, estiveram esta noite em debate para as Legislativas na RTP. Reveja aqui o debate na íntegra.

Se tivermos em conta o que cada um pretendia ganhar com este debate – ganhar votos ao outro -, julgo que Catarina Martins terá sido mais eficaz. Ou seja, não me parece que António Costa tenha conseguido ganhar votos à sua esquerda e designadamente ao BE e, por isso, tentou ganhá-los à sua direita com o que apelidou de bravata ideológica do BE pretender nacionalizar a ANA, a EDP e os CTT e o perigo de por em causa a sustentabilidade da Segurança Social. Catarina Martins poderá ter ganho votos ao PS, ao devolver a António Costa a acusação de ser “mel e fel”, acusando-o de não aplicar medidas aprovadas, dando como exemplo o caso dos cuidadores, recordando-lhe que não anulou as medidas da “troica” penalizadoras dos trabalhadores, ao contrário do que defendeu, e evidenciando a forma como são penalizados alguns trabalhadores ao reformarem-se, por não lhe serem assegurados os mesmos direitos que outros tiveram. Ou seja, António Costa poderá ter ganho alguns votos à sua direita nas dificilmente terá ganho votos à esquerda, incluindo alguma do próprio PS e Catarina Martins terá conseguido fixar os eleitores do BE e ganho alguns ao PS.

Marco Monteiro Cândido, do Gabinete de Comunicação da Câmara de Ourique, é o novo Director do Diário do Alentejo

Zé LG, 11.01.22

202201101742118628.jpgMarco Monteiro Cândido, tem 39 anos, é licenciado em Comunicação Social, com pós-graduação em Jornalismo. Desempenhou funções de jornalista freelancer em jornais da região (Diário do Alentejo e Correio Alentejo), bem como de produtor na equipa da Grande Reportagem da SIC. Paralelamente, colaborou com empresas do sector audiovisual na criação de diversos conteúdos multimédia.

Desde 2015 que desempenha funções no Gabinete de Comunicação da Câmara Municipal de Ourique e, a partir da próxima edição, Marco Monteiro Cândido assumirá interinamente a função de Diretor do jornal, substituindo assim Luís Godinho.

Se o contrato de prestação de serviços com Luís Godinho terminava no final deste mês, porque é que a CIMBAL nomeou já, em plena pré-campanha eleitoral, o técnico de Comunicação Social da Câmara de Ourique para o substituir? Parece-me uma questão demasiado delicada que exige mais esclarecimentos da CIMBAL. Ficamos a aguardar.

PAN recoloca Aeroporto de Beja no debate sobre as localizações preferenciais para o novo aeroporto

Zé LG, 10.01.22

PAN PS.pngFrente ao primeiro-ministro, a porta-voz do PAN reiterou que continua a insistir em Beja como sendo uma das localizações preferenciais para o novo aeroporto, a par com uma aposta na ferrovia. António Costa, por sua vez, acusou o PAN de estar a promover o aumento da pegada ambiental, ao que Inês Sousa Real respondeu: "Não estamos a falar de deslocalizar. Mais de 48% da população é contra o aeroporto situar-se nas áreas metropolitanas. Nós temos que ter uma visão, não podemos andar num dia a dizer que defendemos a coesão territorial, mas quando falamos em soluções que não só passam pelo aproveitamento daquilo que já existe, como é o caso da base de Beja, como também de levarmos essas soluções para o interior do país, aí sim já não é conveniente ou são soluções demasiado caras".

IL e Chega anulam-se mutuamente

Zé LG, 09.01.22

IL acusa Chega de ser "pouco confiável" e ouve que "só quer saber do lucro"

chega il.png

André Ventura e João Cotrim de Figueiredo protagonizaram da RTP um debate intenso, com acusações de parte a parte, contrapuseram os respetivos programas e encontraram poucos termos de cruzamento.

Este foi, a meu ver, um debate esclarecedor pelas acusações mútuas que puseram a claro o que cada um pretende e que é, nalguns casos, bem diferente do que prometem. Para não me alongar, deixo esta questão: Se sendo, mais ou menos, da mesma área político-ideológica têm tanta falta de respeito e de consideração um pelo outro, como pretendem convencer os outros da validade dos seus partidos, políticas e propostas?

Foi promovida a primeira mulher a Oficial General da Marinha

Zé LG, 09.01.22

Marinha.pngA Capitão-de-Mar-e-Guerra da classe de Médicos Navais Maria Correia Halpern Diniz, de 58 anos, foi promovida ao posto de Comodoro, o mais baixo dentro da categoria dos Oficiais Generais (o mais alto é o de Almirante).

"No ano em que a Marinha assinala os 30 anos da entrada das primeiras mulheres como militares, este é mais um marco na história de sucesso que representa a integração das mulheres na Armada", lê-se na nota publicada no site da Marinha.

PS critica as declarações de Catarina Martins sobre o concelho de Odemira, esperando que peça “desculpa aos 30.000 odemirenses”

Zé LG, 08.01.22

202106021222478018.pngA Concelhia de Odemira do PS criticou as declarações da líder do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, sobre o concelho, ao ter dito, na quarta-feira, 5, durante um debate televisivo para as eleições legislativas, que “não queremos que o nosso país seja uma gigantesca Odemira”, afirmando que: “Esta forma infeliz, demonstrativa de ignorância e principalmente de irresponsabilidade – que infelizmente não é caso único – ofende Odemira e os odemirenses”.
Nesse sentido, os socialistas esperam que Catarina Martins, “que ainda irá participar em mais debates televisivos”, e que “todos os que usaram essa metáfora de forma infeliz” possam “publicamente” pedir “desculpa aos 30.000 odemirenses, gente boa que ama e se orgulha do seu território”.

BL - IL um exemplo de debate democrático

Zé LG, 06.01.22

catarina-martins-cotrim-figueiredo-850x525.jpgTenho procurado ver todos os debates eleitorais nos diversos canais televisivos. Tem havido de tudo, predominando as "peixeiradas", tipo "pé em riste", onde o que é mais valorizado é o "sangue" que cada um faz correr "das feridas abertas" para alimentar os ódios clubísticos, assentes na total falta de racionalidade e - porque não dizê-lo? -, no pior que a natureza humana tem. Para que tal aconteça nos debates que estão a realizar-se tudo tem feito um candidato treinado naquele "campeonato". Mas, felizmente, que têm existido excepções. E esta noite houve uma destas - o debate entre os líderes do Bloco de Esquerda e da Iniciativa Liberal. Apesar de ter sido um dos debates que colocou frente-a-frente os líderes de partidos com visões e propostas mais opostas, foi um debate em que os participantes, sem deixarem de ser frontais e contundentes, se respeitaram e mantiveram um debate sereno, sem gritos, sem atropelos, ofensas e injúrias. Julgo que quem assistiu a este debate, independentemente do seu posicionamento, terá ficado mais esclarecido sobre ambas as visões, tão diferentes, quase sempre antagónicas. Que diferença deste para o debate, realizado também esta noite, com os líderes do PS e do Chega!...

"Juntos" ou "um homem só"?

Zé LG, 06.01.22

270760652_5044275785584705_3952239838955366386_n.j

"Eu sou o Estado" parece estar de volta. Quando as pessoas começam a confundir-se com as instituições que lideram estão umas e outras a meter-se por atalhos apertados. Se a isso acrescentarem o culto da personalidade as coisas ainda mais se complicam. Temos exemplos recentes, na política e no futebol, disso mesmo. Vamos ver no que vai dar...

"Fechámos a porta" em 2021! - diz Paulo Arsénio

Zé LG, 04.01.22

270083462_1343568612742045_4432586460293784279_n.j

«✅ Execução orçamental de extraordinários 87,04%;

✅ Menos de 50 faturas de pagamento a fornecedores a transitarem para 2022;

✅ Últimos apoios de 2021, aprovados na reunião de Câmara de 29.12.2021, pagos ao Coro de Câmara de Beja, ao Salvadense e ao Banco Alimentar contra a Fome, delegação de Beja, este último com a verba inicialmente destinada/prevista para o fogo-de-artifício da passagem de ano que não se realiza;

Previsão para 2022 de transição de perto de 6 milhões de euros no Orçamento para compromissos de obras em curso e de muitas a lançar ainda no âmbito do Quadro Comunitário de Apoio Portugal 2020.

Caminhamos com passos seguros e firmes rumo ao futuro, fazendo a diferença. Com projetos; Com financiamentos; Com sustentabilidade financeira; #bejacentrodosul»

Paulo Arsénio, presidente da Câmara Municipal de Beja, aqui.

A falácia da estabilidade

Zé LG, 03.01.22

IMG_8424.JPGAntónio Costa usa e abusa da estabilidade para pressionar o eleitorado a dar-lhe o que tanto ambiciona - a maioria absoluta. Sabemos todos o que foram as maiorias absolutas que Portugal teve. Sabemos todos como o PS tem vindo a tomar conta de (quase) todos os lugares de poder e influência, mesmo sem maioria. Imaginemos o que seria com maioria absoluta... 

A estabilidade política e governativa não é assegurada com a maioria de que quem governa tem, mas essencialmente pela sua política e pelas políticas implementadas e com o grau de satisfação das necessidades e anseios das pessoas. O PS e António Costa nem sequer ganharam as eleições em 2015 e não foi por isso que não foi criada uma maioria das esquerdas que lhe permitiram governar durante quatro anos, com estabilidade. Não obtiveram maioria absoluta em 2019 e não foi por isso que não governou mais dois anos. O governo de António Costa só caiu porque falhou em compromissos assumidos e pretendia um cheque em branco para governar sem compromissos com quem lhes permitiu governar durante seis anos. A instabilidade foi criada por falta de respostas do governo às necessidades e anseios das pessoas, a que António Costa não queria que os partidos á sua esquerda dessem voz.

Salvo alguma grande surpresa, a maior maioria que é possível gerar nas próximas eleições é a do bloco central, formal ou informal, que o Marcelo Rebelo de Sousa tanto defende, Rui Rio não exclui e de que António Costa se excusa de falar. E alguém, incluindo os que a defendem, tem dúvidas dos perigos - e, porque não dizê-lo, da instabilidade social -, que tal solução traria, pelo pântano dos interesses que aprofundaria?

A estabilidade não passa, por tudo isso, de uma falácia usada por António Costa (e outros) para tentar alcançar a tão perigosa maioria absoluta.

“Geringonça” foi “das soluções interpartidárias mais estáveis que houve no país até agora”

Zé LG, 27.12.21

AC.png“Ora, o país não precisa de governos provisórios de dois anos, o país precisa mesmo é de estabilidade durante quatro anos. Precisa de uma solução para quatro anos”, defendeu António Costa, que recuou a 2015 para sublinhar que ele próprio e o então Presidente da República Cavaco Silva exigiram acordos escritos ao BE, PCP e PEV com “horizonte da legislatura”. “Podiam ter corrido mal e não ter chegado ao fim. Felizmente, correram bem e chegaram até ao fim. Foram aliás das soluções interpartidárias mais estáveis que houve no país até agora. Mais estáveis do que a Aliança Democrática, mais estáveis do que qualquer uma outra e mais duradouras (durou mais ou menos seis anos). Enfim, com altos e baixos, mas durou seis anos”, vincou o chefe do executivo. 

Se pretende uma solução governativa estável e reconhece quea “Geringonça” foi “uma das mais estáveis”, porque não a renovou nem mostra vontade de a recuperar?!

Rodeia Machado recebe Fénix de Honra da Liga Portuguesa de Bombeiros

Zé LG, 12.12.21

74230430_103396691135648_4393285290748280832_n.jpgAntónio João Rodeia Machado , vice-presidente da Liga Portuguesa de Bombeiros (LPB), foi agraciado com a Fénix de Honra, a terceira mais importante condecoração da LPB, que lhe foi entregue pelo primeiro-ministro António Costa na cerimónia de inauguração do novo museu do bombeiro.

FENIX-HONRA_800x800-160x160.jpg

Rodeia Machado, também presidente da direção dos Bombeiros Voluntários de Beja há cerca de três décadas, recebeu o justo reconhecimento pelo seu trabalho desenvolvido durante 16 anos como vice-presidente da LPB.