Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Resialentejo inaugura, em Moura, o 6º Ecocentro

Zé LG, 08.02.24

Ecocentro_Moura-copy-550x391.jpgO investimento de mais de 960 mil euros, realizado pela empresa intermunicipal Resialentejo, resultado de uma candidatura ao POSEUR, localiza-se no Parque Industrial de Moura e permitirá à população fazer entregas de diversos resíduos e funciona em simultâneo também como Estação de Transferência. O objectivo passa por apoiar o projecto porta a porta deste município, disponibilizando uma solução de entrega de resíduos urbanos ou equiparados a urbanos (embalagens, volumosos, resíduos de equipamento eléctrico e electrónico, resíduos verdes, metal, cartão, vidro, lâmpadas, entre outros).
A Resialentejo passa a disponibilizar seis Ecocentros, localizados nos concelhos de Barrancos, Beja, Castro Verde (Piçarras), Mértola (S. João dos Caldeireiros), Serpa (Pias), a que se junta este novo espaço localizado em Moura.

Câmara de Moura atribui lotes na Área Empresarial de Amareleja

Zé LG, 06.02.24

202402041005488261.pngOs interessados em participar na hasta pública, a realizar em data a definir pela Comissão designada, podem inscrever-se até ao dia 23 de fevereiro de 2024. O Regulamento Municipal de Atribuição de Lotes e Parcelas para instalação de atividades económicas pode ser consultado em: www.cm-moura.pt.

Falta de acessibilidades são “um fator inibidor do desenvolvimento” no distrito de Beja, acusa Vítor Besugo

Zé LG, 30.01.24

VB.pngVítor Besugo, presidente da Junta de Freguesia de Beringel e coordenador distrital da ANAFRE, apresentou uma Moção, no 19º Congresso da ANAFRE, por melhores acessibilidades para o interior do país, em particular para o distrito de Beja, considerando que “temos um país a duas velocidades, uma velocidade do TGV pronta para arrancar no litoral e um país com uma automotora que liga Beja a Casa Branca” com destino a Lisboa, frisando que “não pode haver este tipo de discrepâncias entre o litoral e o interior” e que o distrito de Beja é “um dos territórios do país com maiores carências ao nível das acessibilidades” rodoviárias e ferroviárias e afirma que “as carências” existentes ao nível das acessibilidades, no distrito de Beja, são “um fator inibidor do desenvolvimento do território”, pelo que é urgente proceder “a uma aposta clara na rede de acessibilidades”, que inclui estradas municipais, a conclusão do IP8 em perfil de autoestrada de Sines até Vila Verde de Ficalho, assim como, o IC17, IC4 e tornar em perfil de IC as ligações Beja-Aljustrel-Odemira e Portel-Moura-Ficalho.

Câmara de Beja espera que as obras na estrada Beja-Salvada comecem ainda este ano

Zé LG, 29.01.24

Sem nome (5).pngDepois de dias de chuva intensa, o estado de degradação da EM 511 que liga Beja à Salvada, acentuou-se. Paulo Arsénio está confiante que o arranque das obras se faça, ainda, este ano e garante que, no final deste mês, vai haver uma intervenção “mais musculada”, numa das zonas “mais sensíveis”, junto ao lagar da Olivomundo.

O contrato de empreitada entre o município de Beja, dono da obra e o empreiteiro, foi assinado a 25 de outubro do ano passado e aguarda parecer favorável do Tribunal de Contas para, depois, da consignação, se dar início aos trabalhos que terão um prazo de execução de 240 dias.

Câmara de Odemira faz beneficiação de arruamentos e acessos rodoviários

Zé LG, 29.01.24

Sem nome (4).pngA Câmara de Odemira desenvolveu várias intervenções em todas as freguesias para beneficiação de arruamentos e acessos rodoviários, designadamente repavimentações nas freguesias de Luzianes-Gare, Sabóia e Santa Clara-a-Velha.

A CâmaraMunicipal diz que “o investimento municipal na área da mobilidade é uma prioridade, com o objetivo de melhorar a vivência diária da população e a qualificação do território” e que a beneficiação de arruamentos e acessos rodoviários “acontecerá todos os anos e em todas as freguesias, de acordo com as necessidades identificadas”.

Encerrada para obras Estrada Municipal 535, em Castro Verde

Zé LG, 25.01.24

Sem nome (1).pngNa sequência da empreitada de pavimentação, drenagem e sinalização em curso, a Câmara Municipal de Castro Verde vai cortar o trânsito na Estrada Municipal 535, entre as 09:00 e as 17:30 horas, até a 16 de fevereiro. O corte de trânsito vai decorrer em três fases: a primeira entre hoje e 30 de janeiro, na Estação de Ourique e Casével; a segunda fase, de 31 de janeiro a 6 de fevereiro, em Casével e Almeirim e, por fim, a terceira fase, de 7 a 16 de fevereiro em Almeirim e Castro Verde.
Como alternativa de acesso a Castro Verde, Casével e Estação de Ourique a autarquia recomenda o IC1, a EN123 e o IP2, e esclarece que “está assegurada a circulação dos transportes públicos e escolares, dentro do seu horário normal de funcionamento”.

“Enquanto não se fizerem intervenções de fundo… não se resolve nada!”

Zé LG, 18.01.24

419308199_7082008685226041_8171215924015860723_n.jpg«A EM529 é como a generalidade das estradas municipais neste País - foram construídas num tempo em que se andava de carroça, sem grande visão de crescimento ou de incremento de uma circulação automóvel intensa! Como na generalidade, não estão estruturalmente preparadas para cargas de pesados, na ordem das 10 a 20 toneladas, acontece a sua degradação, inevitável, a não ser que se reformulem de modo profundo e dispendioso! As novas práticas agrícolas, mais industrializadas apenas aceleraram o processo. Enquanto não se fizerem intervenções de fundo, ao invés de arranjos casuísticos e de cosmética, não se resolve nada! É necessário mais dinheiro (que muitas autarquias não possuem) e uma visão de mais longo alcance (que alguns políticos parecem não ter) para melhorar a rodovia municipal! Até lá, não haverá milagres em lugar nenhum...» Anónimo, 17.01.2024, aqui.

Chega culpa as “Entidades Governativas” pela “rutura de um cano”

Zé LG, 09.01.24

274647575_254783236829948_8973868462697141081_n.jpgA distrital de Beja do Chega denuncia a “rutura de um cano” numa residência estudantil do IPBeja, “resultado do desinvestimento total na Educação e nos Edifícios estruturais de apoio aos Estudantes”, adiantando que “esta situação, devido à hora a que ocorreu, não foi resolvida pela Entidade responsável das Águas, o Piquete não atendeu as chamadas por ser fim de semana, mostrando o descalabro das instituições que deveriam existir para servir o cidadão, obrigando mais de 100 estudantes a acederem a um duche, só um, das 19:00/24:00, na outra residência”.

EN 258-1 entre Cuba e o cruzamento do IP2 interrompida, para obras

Zé LG, 02.01.24

Screenshot 2024-01-02 at 20-06-41 Rádio Vidigueira - Rádio Vidigueira.pngA Infraestruturas de Portugal, S.A, iniciou esta terça-feira, uma empreitada na EN 258-1, entre Cuba e o cruzamento com o IP2, sendo o trânsito “suprimido nessa data por um período estimado de até 90 dias”, tornando-se necessário desviar o trânsito rodoviário “pelo percurso formado pelos troços da EN 387 – Cuba / entroncamento da ER 258 (prox. Vila de Frades), da ER 258 – entroncamento EN 387 (prox. Vila de Frades) / Vidigueira e IP2 – Vidigueira / entroncamento IP2 (proximidade São Matias).

Contratos de Concessão de Distribuição Eletricidade em BT acompanhados

Zé LG, 27.12.23

202312212201467722.jpgRealizou-se a primeira reunião da Comissão de Acompanhamento dos Contratos de Concessão de Distribuição de Eletricidade em Baixa Tensão, composta por quatro representantes da E-Redes e pelo Presidente e Vice-Presidentes do Conselho intermunicipal e Primeiro Secretário da CIMBAL, com o "objetivo efetuar o acompanhamento das medidas preconizadas no Acordo entre a concessionária e os municípios do Baixo Alentejo".

Na reunião foi feita "a prestação de informação, por parte dos representantes da concessionária, sobre a implementação das diversas medidas previstas no Acordo, nomeadamente, sobre partilha de informação, Investimento nas redes, utilização de infraestruturas e iluminação pública, e ainda com as perspetivas do lançamento do concurso público internacional para a concessão da distribuição de eletricidade em baixa tensão".