Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

IMPACTO SOCIAL DA PANDEMIA NA VIDA DOS UTENTES DO PROJETO COM_VIDA EM DEBATE

Zé LG, 23.06.20

Programa Impacto Social da Pandemia.png

Esta iniciativa pretende realizar uma apresentação e discussão pública dos resultados do estudo levado a cabo, durante o mês de Maio, onde se avaliou, a mais de 300 seniores do projeto, a “percepção de impactos do confinamento (COVID-19)” nas dimensões da saúde, condição física, cognitiva, saúde mental, emotiva e relacional, qualidade de vida, bem-estar e satisfação com a vida, assim como o impacto, durante a pandemia, das atividades dinamizadas pelo COM_VIDA.

Na plataforma ZOOM em direto na sua página de Facebook “COM_VIDA”.

MURPI pede “urgência” na retoma de visitas aos idosos em lares, para evitar o agravamento da sua situação clínica

Zé LG, 09.05.20

201902111652468846 lares.jpgÉ urgente que a DGS-Direcção Geral de Saúde tome medidas para que seja possível retomar visitas aos lares de idosos. Casimiro Menezes, presidente da Confederação Nacional de Reformados, Pensionistas e Idosos-MURPI, recorda que os residentes dos lares estão sem visitas há mais de dois meses e, por isso, defende que é fundamental criar condições para que os idosos voltem a ver os seus familiares ou amigos mais próximos, porque convém ter em conta que o isolamento total a que os idosos têm estado sujeitos leva a depressão, angustia, ansiedade e naturalmente a um agravamento da situação clínica destas pessoas.

“Lares não são unidades de saúde” alerta a CNIS e a União das Misericórdias Portuguesas

Zé LG, 15.04.20

210620131636-405-mosidosos.jpgA Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) e a União da Misericórdias Portuguesas (UMP) manifestam a sua preocupação “com a grave situação que se vive nos Lares de Idosos e de Deficientes” no nosso país e dizem estar a aguardar “uma tomada de posição do Ministério do Trabalho e da Segurança Social”.  

A CNIS e a UMP sublinham que “um doente com infecção COVID-19 necessita de cuidados de saúde, com vigilância diária por médicos e enfermeiros” e, não obstante, de todo o suporte e cuidados que os profissionais dão aos utentes, “as auxiliares não podem prestar cuidados de saúde em doença aguda”, uma vez que “não é a sua competência nem a sua missão”.

“No caso da infecção COVID-19, acresce o risco de disseminação interna da doença em estruturas que não têm condições físicas (espaços de isolamento), equipamentos de protecção individual (EPI) e profissionais de saúde adequadamente treinados para prevenir o contágio. E, pela enorme concentração de pessoas frágeis, também não faz qualquer sentido comparar os lares às casas das pessoas”.

A Autoridade de Saúde”, frisam a CNIS e a UMP, “deverá assegurar antecipadamente o seguimento clínico pelo hospital e pelos ACES e ULS eficaz, com adequada alocação nominal de profissionais e respectivos horários, e o fornecimento de equipamentos de protecção individual”.

"Nós, os velhos, em caso de necessidade, cedemos o ventilador que nos for destinado ao homem que tenha mulher e filhos"

Zé LG, 01.04.20

Esta, entre muitas outras, foi uma afirmação forte de Ramalho Eanes, numa entrevista intensa concedida a Fátima de Campos Ferreira, na RTP, há pouco...

É uma entrevista que vale a pena ver e rever, em que o General Ramalho Eanes faz um conjunto de afirmações contundentes, bem fundamentadas em reflexões profundas. Só para dar um exemplo, alerta para a necessidade de aproveitar esta oportunidade, surgida com dramatismo, para corrigir erros graves que as sociedades têm vindo a praticar, sob pena de crises como a que estamos a atravessar passem a surgir com maior frequência...

Abertas inscrições para Banco de Voluntariado do Baixo Alentejo

Zé LG, 31.03.20

Foi criado no Baixo Alentejo um Banco de Voluntariado com o objetivo, caso seja necessário, de "prestar apoio às estruturas de apoio social aos idosos", numa parceria da Cruz Vermelha, do Centro Distrital de Beja da Segurança Social e da CIMBAL.

202003302030409543 cruz vermelha.jpgCom esta iniciativa, as entidades envolvidas pretendem “dar uma resposta eficaz à pandemia provocada pela covid-19” e apelam a todos os interessados que façam a sua inscrição. É esclarecido, igualmente, que "os inscritos ficam apenas de prevenção e que só serão chamados em caso de manifesta necessidade."

“Fique em Casa, nós vamos até si”

Zé LG, 25.03.20

… é o mote lançado pela Santa Casa da Misericórdia de Beja, num programa de apoio à população mais vulnerável do concelho bejense que, nesta altura de pandemia por Covid19, necessita de auxílio.

20200323165341267 scmb.pngUma iniciativa que arrancou esta semana e presta ajuda a pessoas idosas, residentes no concelho de Beja com mais de 70 anos, com dificuldades em sair de casa, que estejam isoladas ou doentes.

Daqui e daqui.

Farmácias garantem medicamentos ao domicílio, através dos CTT. Ligue 1400.

Zé LG, 01.03.20

201812171152533280 medicamentos.jpg“Já está em funcionamento, em todo o continente e ilhas, a linha telefónica gratuita que garante o acesso a medicamentos com aconselhamento farmacêutico 24 horas por dia”, avança a Associação Nacional de Farmácias (ANF).

A ANF informa que “quem necessitar de medicamentos basta ligar 1400, de qualquer rede móvel ou fixa, e fazer a sua encomenda. As chamadas são gratuitas e há diversas modalidades de entregas ao domicílio garantidas em todo o país.”

É referido, também, que “o 1400 é especialmente recomendado às pessoas que, pela sua idade ou condição de saúde, se devem abster de qualquer saída à rua durante a pandemia de COVID-19” e que “o centro de atendimento dará prioridade à satisfação dos pedidos de doentes crónicos e pessoas com mais de 60 anos.”

As farmácias garantem a dispensa de medicamentos ao domicílio, em todo o país, com serviços próprios, em pareceria com autarquias, IPSS e os CTT.

Serviço de Psiquiatria da ULSBA integra projeto internacional LEAVES, que se destina a dar apoio ao luto nos idosos

Zé LG, 26.02.20

202002241631401225 psiquiatria.jpgO LEAVES “ajuda os idosos a processar a perda de um cônjuge num ambiente on-line empático e atencioso”. Ou seja, o objetivo “é impedir o luto prolongado, ou tratá-lo, para que as pessoas mais velhas, em luto, possam levar uma vida ativa, significativa e digna.”

Ana Matos Pires, diretora do Serviço de Psiquiatria da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), esclarece que os países que integram o consórcio são a Holanda, a Suíça e Portugal e que a ULSBA é a única entidade clínica nacional a participar.

“MUDA o Teu Território” com a criação de unidades de turismo rural junto da população sénior

Zé LG, 17.09.19

incubadora-768x432.jpgA incubadora de Inovação Social do Baixo Alentejo apurou o vencedor do projecto “MUDA-TT- MUDA o Teu Território”, distinguindo o projecto mais inovador para o território do Baixo Alentejo, entre um total de 18 apresentados por 85 jovens. A criação de unidades de turismo rural junto da população sénior da região foi a proposta vencedora.

João Pedro Cascalheira, coordenador da incubadora, não tem dúvidas de que “ficou provado que é possível repensar o território, que se apresenta deprimido, isolado e com fracas acessibilidades, de forma positiva e inovadora” e afirma que os jovens “estão atentos” e têm condições para “garantir o futuro da região”.

“Melhor Envelhecer” em debate na Rádio Pax

Zé LG, 23.07.19

Envelhecimento-768x432.jpgA região Alentejo é a que apresenta, no país, o maior indicie de envelhecimento e a Rádio Pax inicia hoje um ciclo de conferências sobre o envelhecimento activo

“Melhor Envelhecer” vai para o ar hoje, às 18 horas e vão estar em debate o combate à solidão e a promoção de uma vida social activa, com os convidados:Rádio Pax inicia hoje um ciclo de conferências sobre o envelhecimento activo Maria Cristina Faria, Socióloga; Ana Rita Guerreiro, Assistente Social; Arsénia Estevens, ex-funcionária publica; Lúcio Sousa, professor aposentado e Vital Guerreiro, trabalhador da construção civil reformado.

“Envelhecer na Comunidade: Saúde, Direitos e Cuidados” em debate ibérico no IPBeja

Zé LG, 16.05.19

20190515104050146.jpgDurante dois dias, são mais de cinquenta as comunicações que vão ser feitas para partilhar estudos, trabalhos, projectos, boas práticas e experiências, profissionais, académicas e científicas, em torno dos painéis temáticos: “Intervenção em Psico-gerontologia e Saúde na Comunidade”, “Cuidados Continuados Integrados”, “Cultura, Florescimento e Apoio ao Envelhecimento na Comunidade”, “Direitos, Vivências no Envelhecimento”, e “Capacitação no Envelhecimento”.

UNIVERSIDADE DE ÉVORA LIDERA CONSÓRCIO "LABORATÓRIO DE VIDA DO ALENTEJO"

Zé LG, 08.03.18

idoso_alegre.png

Foi criado a 27 de fevereiro, na CCDR Alentejo, e na presença do Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, o consórcio Alentejo Living Lab.

Este consórcio "Laboratório de Vida do Alentejo" – estruturado desde há quatro anos - será coordenado pela Universidade de Évora e foi apresentado por Manuel Lopes, diretor do Centro de Investigação em Ciências e Tecnologias da Saúde da Universidade de Évora.

Sendo o Alentejo uma das regiões mais envelhecida da Europa, o objetivo é valorizar a saúde dos alentejanos através da investigação científica e com base no ecossistema regional, em função do contexto alentejano.

Quer-se a criação de um ecossistema regional que promova e apoie o desenvolvimento de processos, produtos e serviços inovadores, validado pelos seus utilizadores e que acrescentem algo à sua capacidade de decisão e que, assim, possam vir a contribuir para um envelhecimento ativo e saudável.

MISERICÓRDIA DE BEJA "AO ENCONTRO DE UM AMIGO"

Zé LG, 30.12.17

201712280742521.jpg

Nos dias em que chuva ameaça cair dos céus as ruas empedradas de Beja ficam mais cinzentas, entristecem. Uma tristeza que também cruza as portas da casa onde Veneranda Militão, de 80 anos, vive sozinha no centro da cidade, paredes meias com o Largo do Carmo (por sinal um dos locais mais movimentados de Beja). Viúva, o contacto com os dois filhos é quase inexistente. Os irmãos estão longe e vizinhos nem vê-los. "Tinha dias que só via as paredes de casa", conta de voz embargada e uma ponta de lágrimas a querer romper pelos olhos.
Veneranda Militão não utiliza o verbo "ter" no pretérito imperfeito por acaso. É que esta antiga trabalhadora no hospital da cidade encontrou duas novas amigas: Ana Rita Guerreiro e Marisa Carvalho, as assistentes sociais da Santa Casa da Misericórdia de Beja (SCMB) que trabalham no projecto "Ao encontro de um amigo". Uma iniciativa que permitiu a esta octogenária ter finalmente alguém com quem conversar e, sobretudo, combater a solidão que lhe consumia os dias.