Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

GNR de Beja transportou órgão, para transplante, para o Porto

Zé LG Zé LG, 23.01.20

GNR-4-768x432.jpgO Comando Territorial de Beja da GNR realizou, esta madrugada o transporte urgente de um órgão do Hospital José Joaquim Fernandes para o Centro Hospitalar e Universitário do Porto.
O transporte dos órgãos é, regra geral, “pedido à GNR pela Unidade de Saúde que detém o órgão a ser transportado”. A patrulha desloca-se ao local para levantar o órgão e, de seguida, procede ao seu transporte até ao destino.

Ministra da Saúde prometeu reunir-se com a Comissão de Utentes de Beja

Zé LG Zé LG, 22.01.20

202001211954331697.jpgOntem, no final da sessão “Hospitalização Domiciliária - Balanço e Desafios 2020”, em Beja, Marta Temido recebeu da Comissão de Utentes um documento com as necessidades na área da saúde e prometeu realizar uma reunião com a Comissão de Utentes, com participação da ULSBA e da ARSA.

Recorde-se que a Comissão de Utentes de Beja pede o início aos procedimentos com vista à ampliação do Hospital José Joaquim Fernandes em Beja, tal como ficou estipulado no Orçamento Estado para 2019. Exige, igualmente, a aplicação e investimento justo e necessário imediato por parte do Estado para a 2ª fase (ampliação e remodelação), permitindo este investimento dotar o Hospital José Joaquim Fernandes de um novo bloco operatório, outro de consultas externas e um novo módulo de urgências; a melhoria das instalações atuais, aquisição de equipamentos de diagnóstico (ressonância magnética e outros); construção de heliporto, manutenção, melhoria e ampliação de valências médicas e a contratação imediata de médicos, sobretudo para as especialidades onde estão em falta, assim como outros profissionais de saúde.

A Comissão de Utentes diz ter conhecimento do tempo de espera que os utentes aguardam, nas urgências do Hospital de Beja, em macas até serem transferidos para os quartos. Para Rui Eugénio, este é um “problema muito grave”.

Urgências do Hospital Litoral Alentejano sem médicos de clínica geral

Zé LG Zé LG, 06.01.20

720015.pngAs urgências do Hospital Litoral Alentejano (HLA), em Santiago do Cacém, estiveram sem ninguém na escala entre as 20h de sábado e as 8h de ontem. A denúncia foi feita pelo Sindicato Independente dos Médicos, que explicou que o serviço está a ser assegurado por médicos especialistas e não por médicos de clínica geral como seria suposto.

Estas urgências servem as populações de Santiago do Cacém, Alcácer do Sal, Odemira, Grândola e Sines, o que representa um universo de quase 100 mil pessoas.

Jorge Roque da Cunha, secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos fez um apelo à ministra da Saúde, Marta Temido, para que esta “resolva o problema e não diga que está tudo bem”. 

“Nas unidades públicas os riscos têm outras naturezas”

Zé LG Zé LG, 05.01.20

“Os riscos que a gestão de uma unidade privada corre prendem-se com as oportunidades de negócio. Nos relatórios das grandes empresas, frequentemente uma qualquer redução de lucros é vista como um prejuízo. Nas unidades públicas os riscos têm outras naturezas. O risco principal, do ponto de vista estratégico, é falhar o cabal cumprimento da sua missão. Por vezes, é consequência do risco de o financiamento ser curto para garantir a realização de todo o leque de serviços. Para além das metas contabilísticas, ainda há os riscos sociais. O risco de não garantir o acesso atempado a diagnósticos e tratamentos, por exemplo...
Zobaida 03.01.2020 00:20", aqui.

ULSBA recebeu 21 médicos internos

Zé LG Zé LG, 03.01.20

Desses profissionais de saúde, nove vão receber formação específica, nas especialidades de Medicina Intensiva (1), Psiquiatria (1), Pediatria (1), Medicina Interna (2) e Medicina Geral e Familiar (4). A estes juntam-se ainda 12 Médicos Internos para formação geral.

Internos-2020-696x385.jpg

A sessão de boas-vindas, realizou-se esta quinta-feira, e contou com a presença de membros do Conselho de Administração, Direção do Internato Médico e Comissão de Internos da ULSBA e Diretores dos Serviços.

 

Que boa notícia, que nos enche de esperança! Que se concretize a expectativa da ULSBA de quea vinda dos Médicos Internos é um acontecimento muito importante, uma vez que estimula a dinamização dos Serviços Clínicos e cria a possibilidade de fixação de médicos na região”!

O que é feito do vogal nomeado pela CIMBAL para o CA da ULSBA?

Zé LG Zé LG, 03.12.19

201906111803379618.jpgDepois de muitos adiamentos e reflexões, o Conselho Intermunicipal da CIMBAL, na sua reunião de junho, deliberou, por maioria, propor para vogal do Conselho de Administração da ULSBA, Manuel Soares.

Decorreram seis meses e nunca mais se falou no assunto. Manuel Soares já tomou posse? Ficou com algum pelouro à sua responsabilidade? Já se inteirou do estado do Serviço Nacional de Saúde na região? Já a transmitiu e discutiu com a CIMBAL? O que propõe para ultrapassar ou atenuar os principais constrangimentos no acesso das pessoas aos serviços de Saúde? Ou continua tudo como dantes?…

Temos direito a essa informação!

“Natal Diferente” aproxima residentes dos doentes do Hospital de Beja

Zé LG Zé LG, 25.11.19

Hospital-de-Beja-05-768x512.jpgAs Associações de Estudantes da Faculdade de Medicina de Lisboa e da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa trazem, este ano, a Beja o projecto “Natal Diferente”.
O projecto instalou, este sábado, em Beja, um marco de correio onde são depositadas as mensagens da população para serem entregues no dia 24 de Dezembro, aos doentes hospitalizados no Hospital de Beja.

Cruz Vermelha de Beja recusou transporte de doente psiquiátrico

Zé LG Zé LG, 23.11.19

cruz-vermelha-beja-768x432.jpgOs dois funcionários da Cruz Vermelha de Beja, responsáveis pelo transporte de um doente psiquiátrico do serviço de urgência do Hospital de Beja para outra unidade hospitalar em Lisboa, disseram “que já tinham telefonado ao seu superior hierárquico e que este tinha concordado que não se fizesse o transporte por razões de segurança”. Depois disso, abandonaram o hospital.

Ana Matos Pires, diretora do serviço de psiquiatria da ULSB, esclarece que “ele tinha feito a medicação necessária para garantir que o transporte fosse efetuado sem qualquer problema” e que “o transporte de doentes, de acordo com o protocolo assinado com a Cruz Vermelha, está dependente apenas de decisões clínicas”, que estavam asseguradas e que o doente acabou por ser transportado pelos Bombeiros de Vidigueira. “Qualquer argumento relacionado com a segurança cai assim por terra”. A justificação para o que aconteceu “É o estigma, a discriminação.”

Comissão de Utentes de Beja apela à subscrição da petição “Beja exige mais!”

Zé LG Zé LG, 19.11.19

73684700_410160226339046_6505387195732328448_n.png

A Comissão de Utentes de Beja tem online e em diversos locais da cidade, a petição “Beja exige mais! Porque a Saúde é um direito!”. A Comissão apela à subscrição deste documento, que precisa de chegar às 4000 assinaturas para ser entregue na Assembleia da República e discutido em plenário.

Através desta petição é exigido, entre outros aspetos, que se dê "… início aos procedimentos com vista à ampliação do Hospital José Joaquim Fernandes em Beja", tal como ficou estipulado no Orçamento Estado para 2019.