Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

ULSBA criou consulta de acompanhamento pós-covid

Zé LG, 09.04.21

2021021916425172.jpgA Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) colocou em funcionamento, a partir de hoje, uma Consulta de Follow-Up COVID-19.
Trata-se de uma consulta da responsabilidade do Serviço de Medicina Interna, mas de âmbito multidisciplinar, ou seja, com o apoio da Enfermagem de Reabilitação, da Medicina Física e Reabilitação e do Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental, sempre que se justifique.
Melhorar a qualidade de vida dos doentes após a doença Covid-19, visando a sua total recuperação, através da avaliação de sequelas (pulmonares ou a nível de outros órgãos e sistemas) e, assim, adequar as necessidades e os cuidados de saúde futuros é o principal objetivo do Conselho de Administração da ULSBA com a criação desta consulta.

Júlia - novo robot móvel desenvolvido a partir de Beja

Zé LG, 30.03.21

julia.pngO novo robot móvel Júlia (devido a “Pax Julia”), destinado a descontaminar espaços de grande dimensão, como unidades de saúde, fábricas, escritórios ou centros comerciais, está a ser desenvolvido por uma equipa multidisciplinar de investigadores do UNINOVA – Instituto de Desenvolvimento de Novas Tecnologias da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, Instituto Politécnico de Beja e por elementos da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo.
A ideia para este robot surgiu depois de um enfermeiro no Hospital de Beja ter pedido soluções que facilitassem o trabalho das equipas de saúde, especialmente em tempos de pandemia. Neste sentido, Júlia é um robot móvel que recorre a radiação ultravioleta e permite uma desinfeção do ar e superfícies de forma eficaz, segura e autónoma, estando ainda em desenvolvimento, mas estando previsto o seu lançamento até ao final do ano. O projeto conta ainda com o apoio financeiro da SOMINCOR, concessionária das minas de Neves-Corvo.

Hospital de Beja fez menos 1105 intervenções cirúrgicas do que no ano anterior

Zé LG, 05.03.21

imgLoader2.ashx.jpgMais de mil intervenções cirúrgicas foram adiadas pelo Hospital de Beja devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus. Unidade de saúde já começou a reduzir o número de camas destinadas a doentes covid-19. Ordem dos Médicos recorda que cabe à tutela “encontrar soluções para a sua progressiva recuperação” das operações que ficaram por realizar.

Em declarações ao “DA”, a presidente do conselho de administração da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (Ulsba), Conceição Margalha, revela que em 2020 foram realizadas, no Hospital de Beja, menos 1105 intervenções cirúrgicas do que no ano anterior, “menos 834 operações em ambulatório e menos 271 intervenções de cirurgia convencional”. O motivo do decréscimo é claro: a pandemia.

“Já estamos a reabrir a urgência de maneira a conseguir recuperar a lista de espera. O primeiro serviço a ser aberto é a cirurgia de ambulatório, porque é a que tem maior volume e, no fundo, como não precisa de internamento, é aquela que é mais fácil de realizar, sem pôr em causa o tratamento dos doentes covid-19. Neste momento, estamos a libertar o espaço da cirurgia em ambulatório que estava ocupado” por doentes infetados com o novo coronavírus.

Hospital de Beja já começou a retomar "a atividade não Covid” e “tratar doentes que têm outras patologias”

Zé LG, 19.02.21

A presidente do Conselho de Administração da ULSBA esclarece que, tendo em conta os números referentes à última quarta-feira, dia 17, o Hospital de Beja tinha 34 camas ocupadas com doentes Covid internados. Na Unidade de Cuidados Intensivos, o total de camas, para doentes Covid é de 12 e existiam 8 ocupadas, o que significa que estavam 4 camas disponíveis.

Hospital-Beja-768x576.jpgConceição Margalha revelou que, neste momento, a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) já começou “a reduzir o número de camas Covid”, de forma a “ser retomada a atividade não Covid” e “tratar doentes que têm outras patologias”, que até então, “têm ficado para trás”.

Serviço de Urgências do Hospital de Serpa reabre hoje

Zé LG, 15.02.21

030720131604-636-Hospitalserpa.jpgReabre, nesta segunda-feira, às 08:00 horas, o Serviço de Urgência (SUA) do Hospital de São Paulo, em Serpa. “O surto está plenamente controlado” e, por isso, o SUA do Hospital de São Paulo reabrirá, a partir das 08h00 de segunda-feira, dia 15, estando “assegurado o serviço 24h/24h”.

Segundo a Misericórdia de Serpa, «a decisão de encerramento temporário do SUA», teve como «verdadeiro objectivo implementar medidas para que a segurança e confiança nos serviços» prestados «fossem assegurados». Nesse sentido, a reabertura obedecerá a um conjunto de regras, nomeadamente, «implementação de circuitos e medidas, tendo em conta as orientações das entidades competentes, nomeadamente, do Controlo de Infecção, e após nova testagem de todos os colaboradores, garantindo, assim, que a reabertura do SUA do Hospital de São Paulo seja de total confiança e com a máxima segurança”, sublinha o comunicado.

Leia e oiça também aqui.

Hospital de Beja reforça capacidade de internamento nos cuidados intensivos

Zé LG, 12.02.21

11034_big.jpgNo sentido de dar resposta às necessidades da população, face à evolução da pandemia Covid 19, a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) procedeu a “uma nova reconversão de camas de internamento, com vista a aumentar a oferta de cuidados intensivos”.

Neste sentido, a ULSBA dispõe neste momento de 12 camas de cuidados intensivos e 64 camas de enfermaria para doentes Covid no Hospital de Beja.

Segundo aquela entidade, este número de camas poderá sofrer ajustamentos futuros, de acordo com a evolução que se venha a verificar.

Hospitais de Beja e Évora recusam acompanhantes no parto

Zé LG, 06.02.21

bebe_2.pngOs hospitais de Beja, Évora e Barreiro estão a negar o direito a acompanhante às mulheres em trabalho de parto, expresso na Lei 110/2019, denunciou Sara do Vale, uma das representantes da Associação Portuguesa pelos Direitos das Mulheres na Gravidez e Parto.
Durante a audição da Comissão Eventual para o acompanhamento das medidas de resposta à pandemia de covid-19, nesta quinta-feira, Sara do Vale afirmou que, “peremptoriamente, dizem às mulheres que não vai haver acompanhamento no parto. Nos hospitais de Évora e Beja não há acompanhamento, de todo. E dizem às mulheres (não por escrito, mas ao telefone e presencialmente) que se não quiserem assim, podem ir parir para outro sítio”.

Parceria entre ULSBA, UNINOVA, IPBeja e SOMINCOR cria robô português para combater a pandemia

Zé LG, 05.02.21

202010151132032077.jpgEstá a ser desenvolvido um projeto inovador que junta ULSBA, UNINOVA, Instituto Politécnico de Beja e SOMINCOR. O objetivo “é desenvolver um sistema robotizado para descontaminar, de forma prática e eficiente, espaços de grande dimensão, como unidades de saúde, fábricas, escritórios ou centros comerciais”. Trata-se do robô português “Júlia 1”, que herda o nome da Pax Julia (“Paz de Júlio”).

“Adolescentes e jovens adultos foram os mais afetados no primeiro confinamento geral”

Zé LG, 18.01.21

240620151806-754-ANAMATOSPIRES.jpg

Ana Matos Pires, diretora do Serviço de Psiquiatria da ULSBA e coordenadora Regional da Saúde Mental do Alentejo, diz que “no primeiro confinamento foram os adolescentes e os jovens adultos os mais afetados” e considerou ter sido “uma boa medida manter as escolas em regime de ensino presencial” por ter “um impacto positivo na saúde mental” destas faixas etárias.

Para Ana Matos Pires, os "impactos deste novo confinamento não deixarão de ser preocupantes, mas vão ser mais leves, pois deixa de existir o elemento surpresa contudo, a ansiedade vai subsistir, assim como o agravamento de algumas situações relacionadas com as pessoas cuja situação económica se complique".

ULSBA aumenta capacidade de internamento Covid-19

Zé LG, 16.01.21

O hospital de Beja aumentou o número de camas para internamento de doentes com covid-19, quase duplicando de 24 para 46 as do serviço de medicina e dobrando de quatro para oito as de cuidados intensivos, que hoje estão todas ocupadas.

imgLoader2.ashx.jpgEm consequência do aumento do número de camas, "foi necessário um rigoroso trabalho de gestão e de afetação de recursos humanos e de equipamento" da ULSBA, frisa a administração, registando, "com agrado, a imediata cooperação das equipas envolvidas e de todo o pessoal que, nas diferentes áreas de trabalho, permitiram a criação das condições para que tudo se concretizasse".
O conselho de administração da ULSBA apela "ao respeito pelas regras em vigor neste período difícil" e ao cumprimento das medidas de proteção, nomeadamente o distanciamento social, a etiqueta respiratória, o uso de máscara e a higienização das mãos.

ULSBA recebeu mais 20 médicos internos

Zé LG, 06.01.21

O Conselho de Administração e a Direção do Internato Médico da ULSBA já realizaram a sessão de boas-vindas aos novos 20 médicos internos que iniciam agora a sua formação geral e a sua formação específica no Hospital José Joaquim Fernandes e nos Centros de Saúde da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo.

202101051958268213.JPGA ULSBA informa que os 20 médicos estão distribuídos da seguinte forma: 14 para a Formação Específica, nas especialidades de Medicina Intensiva (1), Cirurgia Geral (1), Psiquiatria (1), Pediatria (1), Medicina Interna (3), Ortopedia (1), Patologia Clínica (1) e Medicina Geral e Familiar (5) e 6 para Formação Geral (antigo Ano Comum).

Este grupo de médicos veio juntar-se aos 37 internos de especialidades hospitalares e 9 de Medicina Geral e Familiar, atualmente em formação na instituição, avança, igualmente a ULSBA.

Hospital de Beja com capacidade de internamento de doentes na área da UCI dedicada à covid-19 esgotada

Zé LG, 05.01.21

Hospital-Beja-4-768x512.jpgDe acordo com Conceição Margalha, atualmente, o hospital de Beja “não tem capacidade de internamento” de doentes na área da UCI dedicada à covid-19, porque está cheia, já que as quatro camas existentes estão ocupadas.

O Hospital de Beja, recebeu desde sábado, e, até às 8 horas de hoje, 15 doentes com covid-19 provenientes do Hospital do Espírito Santo, em Évora.

No sábado à noite, segundo o comunicado, do Hospital de Évora, estavam 69 doentes internados, dos quais oito na Unidade de Cuidados Intensivos. Este foi o maior número registado, até ao momento, desde o início da pandemia.

“É necessário testar mais, é certo, mas também é fundamental actuar na prevenção”

Zé LG, 25.12.20

100564761_2802640163182185_2963252152606130176_o.j«... não é só a Segurança Social que tem responsabilidades, os lares só há pouco tempo (casa roubada trancas à porta) vêm fazendo testes mais frequentes, talvez por incapacidade de controlar os surtos pandémicos no seu seio!

O Instituto de Segurança Social tem responsabilidades acrescidas, porquanto tutela a fiscalização e o funcionamento das instituições sociais, apoia o internamento e a contratação de funcionários, etc....Mas não é só nesta área que as coisas falham, também o próprio Ministério da Saúde não consegue evitar surtos de contágio nos hospitais e nos centros de saúde. Depois ainda há razões de ordem cultural que impediram uma maior eficácia no combate e na prevenção (veja-se a título de exemplo o que se passou para os lados da Vidigueira numa altura em que se celebra a tradição de abertura das talhas)!...A responsabilização individual nem sempre funcionou de modo objectivo e eficaz, o que criou condições para a disseminação do contágio colectivo em meios mais restritos e limitados em termos geográficos e populacionais!...No caso específico dos lares de idosos, do conhecimento que tenho do meio onde resido, há bons e maus exemplos, como será natural, e até considero que o cenário actual poderia ser bem pior!...É necessário testar mais, é certo, mas também é fundamental actuar na prevenção de modo assertivo e rigoroso por se tratar de um grupo etário mais frágil e exposto à doença...A bem de todos nós. »

Anónimo 24.12.2020, aqui.

ULSBA faz apelo urgente à dádiva de sangue

Zé LG, 22.12.20

odemira-dádiva-sangue--768x432.jpgNesta época natalícia, o Serviço de Imunohemoterapia da ULSBA apela a todos os potenciais dadores que façam a sua dádiva de sangue, porque “neste momento, os stocks de sangue no Hospital de Beja estão a níveis baixos” e “a ajuda de todos é muito importante”.

A dádiva deve ser efetuada no Serviço de Sangue (Piso 0), no Hospital de Beja, nos seguintes horários: de 2ª a 5ª feira entre as 9:30 e as 12:30 horas e, de tarde, das 14:30 às 19:00 horas; à 3ªf de manhã, no mesmo horário e, de tarde a partir das 14:30 até às 16:00 horas. À quarta-feira a recolha é realizada só de manhã (entre as 9.30 e as 12:30 horas) e à sexta-feira, a colheita é feita durante a tarde, das 14:30 às 16:00 horas.

Beja vai ter de continuar à espera da Ressonância Magnética?

Zé LG, 19.12.20

130420151031-871-HospitalBeja.jpgO concurso para aquisição e obras para receber o equipamento Ressonância Magnética no Hospital de Beja, no valor de cerca de 1 milhão de euros, recebeu propostas, mas todas com montantes acima do estabelecido. Isto significa que o processo voltou à “estaca zero”, que vai ter de ser reavaliado e muito provavelmente terá de ser aberto novo concurso. Resta saber se será possível aumentar o valor proposto inicialmente. Neste contexto é possível dizer que Beja vai ter de continuar à espera para ver esta situação resolvida.

PCP promove Conferência de Imprensa, à porta do Hospital de Beja

Zé LG, 17.12.20

PCP-1-768x432.jpgA Comissão Concelhia de Beja do PCP promove, esta quinta-feira, pelas 14:30 horas, uma Conferência de Imprensa, à porta do Hospital de Beja, para abordar questões relacionadas com a saúde dos portugueses “que não pode ser um negócio”.

O PCP de Beja considera que “temos assistido ao encerramento de vários serviços e valências, com a consequente contratação de serviços ao privado”, assim como, “ao desinvestimento no Serviço Nacional de Saúde (SNS), ao nível de recursos humanos, mas também ao nível financeiro, “prática comum dos governos PS e PSD-CDS”.

Hospital de Beja avança com melhoramentos, enquanto aguarda por financiamento para mexer no projecto da 2ª fase

Zé LG, 10.12.20

110120181516-728-ConceioMargalha.jpgA presidente do Conselho de Administração da ULSBA, Conceição Margalha, referiu que “só se vai mexer no projeto de construção da 2ª fase do Hospital de Beja existente quando o financiamento, através de fundos comunitários, estiver garantido”. “A breve prazo, com financiamento garantido no Alentejo 2020, está a construção do 2º Piso das Consultas Externas”, que vai “contemplar consultas de pediatria, integrada de diabetes e de medicina interna” e que “vai receber, ainda, o Conselho de Administração, que se mudou do 6º piso para contentores”. Adiantou, igualmente, que “vai ser melhorada a Unidade de Cuidados Intensivos, que vai ficar com 8 camas e 2 de isolamento” e que a “Unidade do Piso 3 vai ser de Cuidados Intermédios”.

CDS-PP exige demissão das direções do Hospital de Évora e da ARS do Alentejo

Zé LG, 02.12.20

cds_distrital_evora-360x300.pngA Distrital de Évora do CDS-PP exige a demissão do conselho de administração do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) e do conselho diretivo da Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo, na sequência de alertas feitos pelo Sindicato Independente dos Médicos sobre alegadas dificuldades no Serviço do Gastroenterologia do HESE.

Para a Distrital de Évora do CDS-PP, “a direção da ARS do Alentejo e o conselho de administração do HESE têm sido manifestamente incapazes ou incompetentes para resolver os enormes desafios que a nossa região tem pela frente na área da saúde, ainda mais agora num momento excecional de pandemia”, pelo que exige “que estas direções se demitam elas próprias dos seus cargos, numa derradeira demonstração de dignidade e respeito por aqueles que deveriam defender e cuidar no cumprimento das suas funções”.

“especialistas de saúde pública mobilizados” pela tutela “para ficarem” na ULSBA

Zé LG, 30.11.20

202011271855554273.jpgO secretário de Estado Adjunto da Saúde, António Lacerda Sales, disse, na passada sexta-feira, que “estes profissionais (de saúde pública da ULSBA) foram mobilizados para ficarem nesta fase de pandemia”.
António Lacerda Sales aproveitou para frisar que “neste contexto passou a perceber-se melhor a importância do trabalho dos médicos de saúde pública” e que “o Governo está a fazer de tudo para fixar mais médicos neste território de baixa densidade”.

Afinal o que vieram cá fazer os dois secretários de Estado?

Zé LG, 28.11.20

128304224_1089514018147507_5354896333125402_n.jpg"Estiveram (ontem) em Beja os Secretários de Estado Adjuntos da Defesa Nacional e da Saúde, Dr. Jorge Seguro Sanches e Dr. António Lacerda Sales respetivamente.

A propósito da questão central da pandemia COVID-19, foram visitadas a Base Aérea n.⁰ 11 de Beja e o Hospital José Joaquim Fernandes com a companhia do Chefe de Estado Maior da Força Aérea, General Joaquim Borrego e da Dra Conceição Margalha, Presidente do Conselho de Administração da ULSBA.

Da parte da tarde reunião via zoom dos Presidentes de Câmara da área da CIMBAL com os Secretários de Estado presentes em Beja.

Às 17.00 horas presente no NERBE, a convite do Presidente da Direção Dr. Filipe Pombeiro, para testemunhar a muito importante assinatura do contrato de empreitada da futura nova incubadora de base tecnológica de empresas de Beja, uma iniciativa do NERBE em estreita articulação com o Instituto Politécnico de Beja, com o CEBAL e com o COTR. ... Presente também o Vice-Presidente da CCDR Alentejo, Dr. Aníbal Reis Costa entidade que financia o projeto a 85%."

Escreveu Paulo Arsénio na sua página do Facebook.

Estas visitas podem ser interessantes para os governantes ficarem a conhecer melhor a realidade local e os problemas mais prementes das suas áreas de intervenção. Mas expliquem-me – quem for capaz -, que contributo trouxeram para Beja e região a visita destes dois governantes? Imagino que a visita à “futura nova incubadora” (de empresas, não de crianças) tenha contribuído muito para a melhor prestação dos secretários de Estado nas suas áreas – Saúde e Defesa… Não teriam mais em que aproveitar o seu precioso tempo, em especial o secretário de Estado da Saúde, em tempos de pandemia?