Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Falta de médicos encerra urgência de Obstetrícia do Hospital de Beja

mw-960.jpgÉ a segunda vez, só esta semana, que o serviço é temporariamente encerrado. Para as grávidas que se deslocarem à urgência de Obstrtrícia de Beja, a solução passa pelo encaminhamento para Évora, a 80 quilómetros, o hospital mais próximo. Ou mesmo para Faro, a 140 quilómetros.

A urgência de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital de Beja vai estar encerrada entre esta sexta-feira e as 8h00 de domingo, devido à dificuldade em assegurar o número de médicos necessário para o funcionamento do serviço. É a segunda vez que a situação ocorre esta semana e, pelo menos, a sétima desde o início do ano.

Entre as 6h00 de terça-feira e as 8h00 desta quarta-feira – período do encerramento anterior - “entre 4 a 6 grávidas procuraram o hospital de Beja”, não tendo sido possível o seu atendimento.

Segundo o hospital José Joaquim Fernandes, nenhum outro encerramento está previsto até ao final de agosto, “nem, em princípio, pelo menos nas duas primeiras semanas de setembro”.

 

E depois das "duas primeiras semanas de Setembro"? Como pode estar um serviço público destes estar dependente de um casal de médicos (cuja dedicação não está em causa)? É desta forma que se promove a atracção e fixação de jovens no Interior, neste caso, na região de Beja?!... O que dizem o governo e o PS desta situação? O que se compromete a fazer o PS para a resolver rapidamente, se formar novamente governo após as próximas eleições legislativas?

"Desmentido ao desmentido da ULSBA"

… as condições são violentas, uma vez que ocorre com frequência a presença de 16 doentes (críticos e não-críticos) para 1 enfermeiro (no S.O. apenas há 1 enfermeiros em cada turno, estejam lá internados 1 doente ou 16 doentes). E o cenário repete-se várias vezes ao mês. Ou seja, existe falta de meios para o excesso de trabalho/doentes.

… de manhã e a tempo inteiro, estiveram 7 enfermeiros (ou 5 excluindo triagem e posto de informação). Bem longe do número de 11 enfermeiros comunicado pelo Concelho de Administração do hospital.

Na notícia, é revelado o número de doentes que deram entrada em cada turno. Aqui, há outra inverdade, porque não é revelado o número de doentes do turno anterior. …

Tudo o resto é a mais pura verdade: exaustão da equipa de enfermagem, 16h/dia, 70h de trabalho semanal, dezenas de folgas por gozar por cada um dos enfermeiros, desgaste físico e emocional, burnout, doenças, que levam a baixas médicas, pelo desgaste e penosidade por se trabalhar no serviço de urgência.
Em suma, o comunicado do CA faz apenas uma pequena correção, não sendo um desmentido. Leia na totalidade este “Desmentido”, publicado por A Verdade 08.08.2019 09:16.

ULSBA desmente Bastonária da Ordem dos Enfermeiros, de cuja visita ao Hospital de Beja diz não ter tido conhecimento

urgência.jpg"No seguimento das declarações proferidas pela Senhora Bastonária da Ordem dos Enfermeiros que implicam diretamente a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) e o Hospital José Joaquim Fernandes, a instituição esclarece:
1 - A ULSBA não teve conhecimento de qualquer visita institucional por parte da Ordem dos Enfermeiros no passado fim-de-semana;
2- A situação referida de "um enfermeiro para 20 doentes críticos em serviço de observação", não corresponde à verdade;

... leia o resto do comunicado no comentário deixado por Anónimo 06.08.2019 10:38

"Um enfermeiro para 20 doentes críticos na Urgências do Hospital de Beja"

urgência.jpgA bastonária Ana Rita Cavaco esteve no fim de semana no hospital de Beja e constatou que os enfermeiros estão “numa situação de exaustão”, por falta de profissionais, chegando a trabalhar 16 horas seguidas e a cumprir 70 horas de trabalho semanal, quando os horários deveriam ser de 35 horas.

“Na urgência de Beja havia um enfermeiro para 20 doentes críticos em serviço de observação. O rácio correto é de um enfermeiro para quatro doentes”, relatou a bastonária, acrescentando que “É uma equipa extremamente cansada e com muitos atestados [baixas] por exaustão. Os enfermeiros estão numa situação de sobrecarga horária e Beja é o exemplo mais recente.

“É um assunto que importa discutir”

“... o assunto (Centros de Responsabilidade Integrada) está na ordem do dia, a cardiologia e a cirurgia cardio-toraxica sempre foram especialidades com apetência, e experiência, para este tipo de alternativa organizativa. Acho mesmo que é um assunto que importa discutir e que, quer se queira quer não, se interliga com o desenvolvimento de alguma especificidade de um serviço, com a sua especialização e inovação. Com o hospital central do Alentejo a ser (espero) uma realidade há que pensar nestes assuntos.

Ana Matos Pires 01.08.2019 00:07”, aqui.

Hospital de Beja pioneiro no Sul a tratar fibrilhação auricular

O Serviço de Cardiologia do Hospital de Beja realizou a primeira ablação de fibrilhação auricular pela técnica de crioablação na região sul, um procedimento minimamente invasivo utilizado para corrigir esta perturbação do ritmo cardíaco através do isolamento elétrico das veias pulmonares na aurícula esquerda.

médicos.jpg“A fibrilhação auricular aumenta o risco de insuficiência cardíaca e Acidente Vascular Cerebral (AVC), sendo também fator de risco para o desenvolvimento de demências. É uma condição que aporta custos para a população e, por isso, é com orgulho que o hospital de Beja passa agora a ser um centro que vem ajudar a tratar esta patologia”, afirma o médico cardiologista Luís Moura Duarte.

Autorizada celebração do contrato da empreitada para construção do novo Hospital Central do Alentejo

hospital central.jpgA Ministra da Saúde referiu que esta resolução «vem autorizar a Administração Regional de Saúde do Alentejo a assumir a realização de despesa no montante máximo de cerca de 150 milhões de euros, determinando ainda a repetição de encargos em quatro anos (2020, 2021, 2022 e 2023)», sublinhando que este novo hospital vai substituir o actual hospital do Espírito Santo de Évora e «funcionar como Hospital Central para toda a região do Alentejo», acrescentando que terá uma elevada gama de recursos tecnológicos.

O Hospital Central do Alentejo vai «responder às necessidades de toda a população do Alentejo, reduzindo significativamente o recurso a cuidados fora da região, quer ao nível das camas de Cuidados Intensivos e Intermédios, quer ao nível das salas de bloco operatório e de recobro» e «tem uma incidência significativa de áreas de ambulatório, acompanhando as modernas tendências de prestação de cuidados, e irá garantir um conjunto de novas especialidades como a cirurgia plástica, vascular, imunoalergologia, infecciologia e neurologia, entre outras», acrescentou.

Hospital de S. Paulo abre Centro de Cardiologia no próximo dia 26

Hospital-de-Serpa-final--768x432.jpgO Centro de Cardiologia do Hospital de S. Paulo, em Serpa, abre no próximo dia 26 de Julho, depois da inauguração marcada para Domingo, às 20 horas.

O Centro vai disponibilizar “consultas da especialidade e todos os meios de complementares de diagnóstico, nomeadamente Ecocardiograma, Electrocardiograma, Holter, Prova de Esforço e MAPA”.

A Santa Casa da Misericórdia de Serpa considera este passo importante “para fazer face às necessidades do Sistema Nacional de Saúde e do doente mais desprotegido”.

Comissão de Utentes de Beja promove hoje uma concentração junto do Hospital Distrital

65291361_2273459739537324_8729058907818819584_n.pn

A Comissão de Utentes de Beja realiza, esta tarde, uma concentração, junto à entrada principal do Hospital da cidade. Esta concentração visa mobilizar e sensibilizar a população para o agravamento da situação do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e, em particular, do Hospital de Beja. Os três deputados, eleitos pelo distrito, foram convidados a participar nesta iniciativa.

“Vem manifestar-te, lutar e exigir mais e melhor saúde. Para ti e para todos!”

Vamos ficar de braços cruzados sabendo que a nossa maternidade corre o risco de fechar?

E quanto à falta de médicos?

E à exaustão dos enfermeiros e outros profissionais de saúde?E o arranque da 2ª fase das obras de ampliação do hospital?

E o encerramento recorrente da ginecologia e obstetrícia?

E a falta de meios de diagnóstico?

Vamos ficar de braços cruzados a assistir ao desinvestimento no SNS e ao seu gradual desmantelamento?

Vamos permitir passivamente a aprovação de qualquer Lei de Bases de Saúde?

65426014_2273455012871130_7286695678779064320_n.pn

 

Na próxima 6ª feira, dia 28,pelas 18:30 horas, adere à concentração junto à entrada principal do Hospital José Joaquim Fernandes em Beja.

Vem manifestar-te, lutar e exigir mais e melhor saúde. Para ti e para todos!

Comentários recentes

  • Anónimo

    Mais uma vez, estamos a constatar o desinvestiment...

  • Anónimo

    Pois, pois.....A falta de dignidade e coerência po...

  • Anónimo

    A democracia é a pior forma de governo, com excepç...

  • Anónimo

    Bem sei, caro LG, que a citação não é da sua autor...

  • Anónimo

    O quê? Ou a linguagem é subliminar, ou sou eu que ...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.