Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“a construção de um novo hospital é uma obra de fachada?”

Zé LG, 26.01.24

202107302243594580.jpg«Obras de fachada, tal como o hospital universitário de Coimbra ou o hospital de Santa Maria, que depois são muito difíceis de gerir. Sobretudo nestes tempos em que o SNS tal como o conhecemos está em decadência e se prevê um aumento da procura aos privados na saúde.» Anónimo 25.01.2024. 

«Mas desde quando é que a construção de um novo hospital, é uma obra de fachada? O anónimo deverá ser daqueles que possuem rendimentos para recorrer com frequência ao privado, ou então, acha que o SNS é coisa de delírio despesista! Por muito que alguns saudosistas pretendam, nem o tempo anda para trás, nem o serviço público desaparecerá nos próximos anos! Um conselho imediato pode ser dado a quem defende a extinção do SNS- emigrar para países (à escolha) onde quem não tem meios morre antes de ser atendido num hospital!» Anónimo 25.01.2024.
Daqui.

UMP inaugurou unidade médico-cirúrgica e reabriu serviço de urgência do Hospital de São Paulo

Zé LG, 16.01.24

Serpa (1).pngA União das Misericórdias Portuguesas (UMP) assumiu a gestão do Hospital de São Paulo, em Serpa, ontem, e coincidiu com a inauguração da unidade médico-cirúrgica desta unidade hospitalar e a reabertura do serviço de urgência. O Serviço de Urgência passa a estar "disponível das 08h00 às 24h e a unidade médico-cirúrgica, que foi construída de raiz, prevê a realização de duas mil e 500 a três mil cirurgias por ano".

Graça Coelho é a diretora clínica e a equipa reúne "profissionais de referência no Hospital de São Paulo, em Serpa, que pretende proporcionar um serviço de saúde de qualidade e merecedor da confiança da população que procura os seus cuidados", explica a UMP, acrescentando que vai "disponibilizar serviços clínicos diversos, nomeadamente de cuidados continuados - convalescença e paliativos -, consultas de especialidade, exames com meios complementares de diagnóstico e terá capacidade para cirurgias de ambulatório e internamento." Aqui e aqui.

Hospital de São Paulo vai ser gerido pela União das Misericórdias Portuguesas

Zé LG, 20.11.23

Screenshot 2023-11-20 at 15-00-00 Rádio Castrense - União das Misericórdias Portuguesas vai gerir o Hospital de São Paulo de Serpa a partir de 2024.pngO Hospital de São Paulo em Serpa, vai começar a ser gerido pela União das Misericórdias Portuguesas, a partir de Janeiro de 2024, segundo o secretário Regional de Beja da União das Misericórdias Portuguesas, Francisco Ganhão, que justificou assim a decisão: “Estamos perante uma infraestrutura muito importante para os residentes do concelho de Serpa, mas não só”.

“Exigimos o nosso hospital aberto 24 horas. Queremos o nosso hospital de volta ao SNS”

Zé LG, 03.07.23

202307031322333554.jpgManuel Pizarro, no final de uma reunião na Câmara de Serpa, integrada na iniciativa Saúde Aberta, do Ministério da Saúde, dedicada ao Baixo Alentejo, afirmou que a instituição que gere o Hospital de São Paulo tem que ser ajudada para “seja capaz de colocar o hospital em pleno funcionamento” e que o assunto da reversão ou não da sua gestão para o SNS “deve ser tratado na altura própria”, ou seja, no final do contrato, pois “seria um erro suscitar a questão agora”.
O ministro foi recebido por manifestantes, com palavras de ordem e uma faixa, tendo Luís Mestre, do Movimento de Defesa do Hospital de São Paulo, entregado ao governante um documento a exigir que a gestão do Hospital de São Paulo volte para o SNS e que a unidade hospitalar funcione 24 horas por dia, porque a “A Misericórdia tem demonstrado que não tem condições para gerir o hospital, que está fechado a maior parte do tempo”.
Depois de Serpa, Manuel Pizarro seguiu para Moura e Barrancos, para reunir com as câmaras municipais e visitar os centros de saúde, terminando o dia em Beja, com uma reunião na Câmara Municipal e visitas a uma unidade de saúde familiar e ao Hospital José Joaquim Fernandes.

Hospital Privado em Beja - é mesmo para avançar?

Zé LG, 16.06.23

202212232109557165.pngO projeto do Hospital Privado do Alentejo (HPA) voltou a ser discutido na Câmara de Beja, depois da CDU questionar este investimento. A Câmara vendeu um terreno para o efeito e que pode reverter para o município se o projeto não for executado.

Paulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja, frisou que tem agendada para o próximo mês uma reunião com os investidores e realçou que o projeto tem agora associado um grupo ligado à área da saúde.

“Não seria mais sensato, anunciar o início da construção, quando fosse realmente uma certeza?”

Zé LG, 22.06.22

foto_vice_beja-300x249.jpg«Mas qualquer coisa não está objectivamente clara! Os promotores "tinham a expectativa de arranque da obra até final do ano passado"- ter expectativa não é mau em si mesmo, daí até haver condições para lançar a obra, pode ir uma distância ainda grande - com a carga burocrática que o País visceralmente possui, seria talvez uma expectativa muito alta! Uma coisa é certa, andou meio mundo a apregoar alto e bom som, que estaria para breve o arranque, quando afinal nem o projecto está aprovado! E calculamos todos, o tempo que medeia entre a concepção, a aprovação final por todas as entidades, e o lançamento da obra (que não será pequena)! Não seria mais sensato, anunciar o início da construção, quando fosse realmente uma certeza? Cheio de boas intenções está o inferno cheio!...Posto isto, já ninguém saberá ao certo (pelos vistos nem mesmo a autarquia) se teremos hospital ou não!...Uma porra.» Anónimo 21.06.2022, aqui.

Hospital Privado do Alentejo, cuja obra devia ter arrancado no ano passado, ainda não tem projecto

Zé LG, 21.06.22

foto_vice_beja-300x249.jpgOs Serviços Técnicos da Câmara de Beja ainda não receberam qualquer projeto relativo à construção do Hospital Privado do Alentejo (HPA).
Os promotores tinham a expetativa de arranque da obra até final do ano passado e a conclusão no segundo semestre de 2023.
Paulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja, frisou que “não há qualquer evolução no sentido de se poder garantir o início da construção desse equipamento em Beja”.

Hospital Privado pode "acentuar obsolescência" do Hospital de Beja

Zé LG, 16.09.21

«Não tenho dúvidas que a perspectiva desse negócio, com a forte aplicação de tecnologias de ponta, pode ter como consequências o acentuar da obsolescência dos hospitais públicos, designadamente do Hospital José Joaquim Fernandes, para além do risco de maior desnatação dos seus especialistas. A fascinação por edifícios de traça arquitetónica mais moderna pode custar caro, quer aos bolsos dos doentes quer também à credibilidade política dos autarcas e responsáveis pelo nível decisório regional.» Munhoz Frade 15.09.2021, aqui.

Projeto do Hospital Privado do Alentejo foi apresentado, embora ainda aguarde autorização da Entidade Reguladora da Saúde

Zé LG, 16.09.21

202109151847199536.jpgO projeto do futuro Hospital Privado do Alentejo foi revelado e aguarda autorização da Entidade Reguladora da Saúde. Deverá começar a funcionar no final do último trimestre de 2023.
Francisco Miranda Duarte, presidente do Conselho de Administração da Siemens Healthineers e diretor executivo da Empírica, SGPS, SA, mostrou-se otimista, respondendo que há uma Escola Superior de Saúde em Beja de onde saem enfermeiros graduados que o Hospital Privado quer ir buscar. Quanto aos médicos, frisou que esta resposta oferece diferenciação tecnológica, digital, segurança para o doente e oportunidade de carreira, referindo serem os aliciantes que procuram.