Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“Trabalhadores rurais de Odemira continuam a ser explorados e o Governo nada fez para resolver este problema”, afirma Alberto Matos

Zé LG, 05.08.21

ODEMIRA-Porta-ZMAR_800x800.jpgAlberto Matos, coordenador da delegação da associação Solidariedade Imigrante de Beja, lamenta que, três meses depois de o Governo ter prometido soluções para responder à falta de condições em que vivem os trabalhadores rurais de Odemira, nada tenha mudado. Alberto Matos afirma que se tratou de uma “operação cosmética e de marketing”.

“Isto é uma situação estrutural, não se altera com pormenores, nem com operações de marketing. Naturalmente, as culturas continuam a necessitar de mão-de-obra, o sistema de contratação continua exatamente o mesmo, isto é, através de intermediários que exploram os trabalhadores no trabalho, na habitação e no transporte. Portanto, podem ter baralhado e dado de novo, mudar as pessoas de algumas casas mais degradadas, mas basicamente a situação mantém-se”, sustenta Alberto Matos, que sublinha que a pandemia mostrou a fragilidade a que estes trabalhadores estão expostos, mas em setembro arrancam as campanhas das vinhas e da azeitona e o cenário vai repetir-se.

Assinado o auto de consignação das obras de construção do Hospital Central do Alentejo, em Évora

Zé LG, 31.07.21

Hospital.pngO projeto envolve um investimento total superior a 180 milhões de euros, mais 30 milhões em equipamento de tecnologia de ponta, destacando-se as componentes de radioterapia, de medicina nuclear e de procedimentos angiográficos de diagnóstico e terapêutica. Este nível de diferenciação, realça a ARS, permitirá responder às necessidades da população do Alentejo, na própria região, com benefícios óbvios de acesso e comodidade para os habitantes.

“Presente envenenado que o poder central atribui às autarquias locais”

Zé LG, 29.07.21

fern mamede.png«Sem as devidas contrapartidas financeiras, o que espera os autarcas que vão ser eleitos em 26 de setembro não é nada animador, já que a partir de 2022 irão receber um pacote de novas competências, nas áreas atrás indicadas e em outras que, mais do que um sinal da importância reconhecida ao poder local e aos seus atores (funcionários incluídos), mais não é do que um presente envenenado que o poder central lhes atribui, em nome de uma descentralização apregoada, mas pouco executada.»

Isto não está bem, mas com a direita no poder seria uma desgraça maior

Zé LG, 21.07.21

Sem nome.pngOs diversos partidos da direita concorrem entre si para mostrar qual é o defende mais ideias do passado e ultrapassadas. Alguns dos seus representantes dizem umas graçolas, outras dizem uns disparates e outros ainda dizem mentiras, contrariando as posições que defenderam no passado, como aconteceu com Adão e Silva, líder parlamentar do PSD, ao declarar que o PSD é fundador do SNS. Não contentes, reclamam a demissão deste ou daquele ministro, em vez de reclamarem a demissão do governo (minoritário) que tanto criticam e atacam. É constrangedor ver, no debate do sobre o Estado da Nação, o estado a que chegaram. Isto não é só da pandemia...

Sindicato acusa Governo por falhar na concretização de medidas necessárias à fixação de médicos

Zé LG, 21.07.21

202107191222044211.jpg

O Sindicato de Médicos da Zona Sul avança que o processo de recrutamento de médicos que se encontra a decorrer apresenta erros e não contempla as necessidades identificadas no país, porque muitos dos serviços e especialidades carenciadas não constam do mapa de vagas que foi colocado a concurso pelo Ministério da Saúde.

Não Sr. primeiro-ministro, eu não sou responsável pelo descontrolo da pandemia!

Zé LG, 27.06.21

202010151132032077.jpgO Sr. primeiro-ministro voltou a afirmar, naquela sua estratégia desresponsabilizadora, que a responsabilidade do descontrolo da pandemia é dos portugueses e que, por isso, vamos sofrer as consequências, designadamente de mais restrições.

Ora, Senhor primeiro-ministro, eu, como a esmagadora maioria dos portugueses, sempre cumpri as normas que o seu governo impôs. Mesmo quando não concordei com algumas e até achei disparatadas algumas destas. Ora, como pode vir agora o Sr. Primeiro-ministro atribuir-me responsabilidades?

Uma pandemia, uma doença, não se combate (só) com medidas administrativas, com confinamentos e restrições das liberdades individuais e colectivas. Combate-se também – e principalmente, com medidas sanitárias. E o Senhor primeiro-ministro, há mais de seis meses, repetiu a sua divulgação – testes, rastreio e confinamento das pessoas infectadas ou com hipótese de estarem. Será que essas medidas, da responsabilidade do governo, foram aplicadas de acordo com as necessidades, face à evolução da pandemia? Se foram, porque é que se chegou novamente ao descontrolo registado nalguns concelhos, designadamente da Área Metropolitana de Lisboa, como já se tinha verificado há seis meses (a história está-se a repetir uma vez mais…)?

Não, Senhor primeiro-ministro, a responsabilidade não é das pessoas, pelo menos da grande maioria. A principal responsabilidade é sua e do seu governo, porque não tomou as medidas sanitárias que anunciou, na medida que era necessário, e porque não foi capaz de fazer aplicar, a quem não as cumpre, as medidas de contenção que tomou, que é para isso, também, que serve um governo e um primeiro-ministro...

Eleitos da CDU acusam eleitos do PS na CIMBAL de não reivindicarem os investimentos necessários à região para protegem o governo do seu partido

Zé LG, 22.06.21

202102221057594410.jpgOs eleitos da CDU na Assembleia Intermunicipal da CIMBAL acusam os eleitos do PS, nesse órgão, de protegerem o seu governo e não reivindicarem os investimentos necessários à região, depois de, na última reunião da Assembleia intermunicipal, os eleitos do PS terem votado contra uma moção apresentada pelos eleitos da CDU onde era exigido do governo a concretização do investimento público há muito previsto para esta região, designadamente na mobilidade rodoviária, ferroviária e aeroporto, saúde e a construção da 2ª fase do Hospital de Beja, assim como, o modelo de desenvolvimento ligado ao Alqueva e ao regadio.

Para João Ramos esta situação vem contradizer alguns eleitos e dirigentes socialistas que “batem com a mão no peito” a dizer que o partido que têm é o Baixo Alentejo, que lutam pela região e que não se vergam ao partido.

Fermelinda Carvalho acusou governos do PS e PS de Portalegre de “fazerem politica à base de promessas que nunca se concretizam”

Zé LG, 17.06.21

200864304_4131672396909566_3124121422928249523_n.pA presidente da Câmara de Arronches (PSD), acusou os governos do PS e os socialistas do distrito de Portalegre de “fazerem politica à base de promessas que nunca se concretizam”, dando como exemplos a famosa barragem do Pisão, prometida há décadas, bem como o projeto da nova escola da GNR em Portalegre, que não tem tido avanços, e as obras do Tribunal de Portalegre que se encontram paradas há mais de seis anos.

A também candidata à Câmara de Portalegre nas autárquicas deste ano afirmou ainda que o distrito de Portalegre tem sido “descriminado negativamente” pela administração central, que nos últimos anos não promoveu um único investimento considerado estruturante para a região, e que “se não fosse o investimento privado, muitos jovens não teriam tido condições para se fixarem no Alto Alentejo”.

Mais um secretário de Estado em Moura

Zé LG, 16.06.21

AM de Odemira desagrada pela forma como o Governo “geriu esta pandemia”

Zé LG, 16.06.21

202105041649342112.jpgA moção: “Resiliência dos setores do turismo, restauração, comércio e serviços no concelho de Odemira” foi apresentada pelos eleitos do PS, na Assembleia Municipal de Odemira, e foi aprovada por unanimidade.

Segundo o que se pode ler na moção, os eleitos do PS demonstram o seu desagrado pela forma como o Governo “geriu esta pandemia”, em particular, em Odemira, não compreendendo “como se podem continuar a adotar critérios absolutamente desadequados para esta fase e demasiado penalizadores para este setor que se esforça diariamente para cumprir todas as regras” e defendendo que o poder local deve ser ouvido de forma a “proceder a uma revisão imediata dos critérios por forma a permitir, com segurança, a retoma das atividades e criar uma linha de apoio, a fundo perdido, para os empresários (e pessoas singulares) afetados pela cerca sanitária”, que se instalou nas freguesias de São Teotónio e Longueira/Almograve, referindo que “o valor a compensar pelo Governo seja aquele que resultar da diferença entre o volume de faturação no período homólogo ao de 2019 e o volume de faturação ocorrido durante a cerca sanitária”.

Em Odemira parece que ficou tudo resolvido com as cercas sanitárias e o circo mediático...

Zé LG, 12.06.21

O Concelho de Odemira (477) é o segundo com mais casos de COVID-19 por 100 mil habitantes, segundo os dados oficiais publicados.

Entretanto fala-se e fala-se de Lisboa (e com razão, dada a gravidade da situação) e já, quase, não se fala de Odemira, como se a situação neste concelho tivesse ficado resolvida com as medidas anunciadas e tomadas… como se os problemas (falta de condições no trabalho e de habitação, entre outras) antes existentes e que estão na causa do descontrolo da situação pandémica tivessem sido resolvidos.

Porque não voltam lá o primeiro-ministros e outros governantes com maiores responsabilidades na situação, com a comunicação social, para fazerem o balanço das medidas anunciadas e tomadas e o impacto que tiveram no combate à Covid-19?

fique_em_casa_1_1023_2500.pngSe o governo virar costas à situação bem pode a Câmara de Odemira informar que: “Face aos desenvolvimentos da dinâmica da pandemia da COVID-19, o Município de Odemira implementou um conjunto de medidas de organização interna, medidas de prevenção e medidas de apoio às famílias, às instituições, às empresas e ao emprego.”...

Ministra da Coesão Territorial esteve, mais uma vez, em Beja

Zé LG, 09.06.21

Ministra-Coesão-em-Beja-1-768x420.jpgA necessidade de repovoamento da região, de combate às alterações climáticas e de criação de projectos de indústrias criativas e de investigação tecnológica foram alguns dos temas que estiveram em cima da mesa na reunião, de ontem, entre o Observatório do Baixo Alentejo e a Ministra da Coesão Territorial.

Jorge Barnabé destacou “a resposta muito satisfatória” da governante às propostas apresentadas pelo OBA, tendo ficado acordado um “trabalho profícuo entre o Observatório, o Ministério da Coesão Territorial e a CCDR Alentejo”.

A visita da governante a Beja passou também, pelo Instituto Politécnico de Beja, pelas obras de requalificação dos Paços do Concelho, bem como, pelos percursos acessíveis no centro histórico e pelo logradouro do Centro Unesco.

No final da visita, a governante participou, na cerimónia de assinatura dos Termos de Aceitação no âmbito do programa de Apoio à Produção Nacional, que se realizou na CIMBAL.

Ministra da Coesão Territorial ou da Propaganda?

Zé LG, 08.06.21

202106051553354376.pngAntónio Costa, na constituição do actual governo (o maior de sempre?), entre outras novidades, apresentou a criação do Ministério da Coesão Social e para o liderar nomeou a antiga presidente da CCDR do Centro, Ana Abrunhosa.

O que poderia ter sido uma boa medida, rapidamente se percebeu que não passava de mera propaganda e agora Ana Abrunhosa assumiu mesmo o papel de ministra da Propaganda, designadamente dos autarcas do PS. Veja-se o corropio da ministra, quase sempre acompanhada por outros membros do governo e dirigentes da Administração Pública, pelos concelhos em que o PS gere as autarquias e o que lá vai fazer – inaugurar ruas, visitar intervenções em Paços dos Municípios, apadrinhar a assinatura de protocolos não se sabe muito bem para quê… Certamente que, entre tantas visitas, tantas apresentações e tantas assinaturas, deve haver alguma coisa que efectivamente contribua para a Coesão Territorial… mas é tão difícil de encontrar “uma agulha num palheiro”...

António Costa afirma que “lá para final de 2024” será “o momento certo” para avaliar “a decisão de avançar para a regionalização”

Zé LG, 02.06.21

20210531_222438-768x576.jpgO secretário-geral do PS apontou o próximo mandato autárquico como “muito importante”, porque vai estar em vigor a descentralização de competências e os seus recursos financeiros, processo cuja avaliação poderá abrir portas à regionalização.
Na sessão em Beja, para apresentação da sua moção de orientação política ao Congresso do PS, que se realiza em 10 e 11 de julho, António Costa destacou igualmente que, “pela primeira vez”, vai caber às CCDR eleitas pelos autarcas e não nomeadas pelo Governo a elaboração da estratégia de desenvolvimento para cada região.
Assim sendo, “lá para final de 2024, antes de entrarmos no último ano do mandato autárquico”, será “o momento certo” para avaliar o processo da descentralização de competências, que “seguramente” será um “sucesso”, e do modelo de gestão das CCDR, … “E para tomarmos, então, a decisão de avançar para a regionalização nos termos previstos na Constituição e, de uma vez por todas, confiar na descentralização em todos os escalões”, disse António Costa.

“Não podemos desresponsabilizar o PS” de contribuir para “piorar as leis laborais” em Portugal

Zé LG, 31.05.21

20210530195040639.jpg“Ouvimos António Costa agora, enquanto recandidato a secretário-geral do PS, dizer que a pandemia [de covid-19] deixou bem patente o grau de desregulação que existe nas relações de trabalho”, disse Jerónimo de Sousa, lembrando que “é este mesmo PS” liderado por Costa “que, ainda há dois anos, se juntou ao PSD e ao CDS para alargar o período experimental por seis meses, apesar dos avisos” feitos pelo PCP, que levou “a que milhares de jovens fossem despedidos mal começou a epidemia”. É “o mesmo PS que vota contra as iniciativas” do PCP “para pôr fim à caducidade da contratação coletiva, sabendo que essa é a fonte da desregulação” nas relações de trabalho. “O mesmo PS que, em vez de garantir vínculos efetivos aos profissionais de Saúde, [os] está a contratar para responder à ‘covid’”, mas deixando-os “numa situação inaceitável de precariedade”.

José Correia da Luz, autarca do PS, acusa o Governo Central de ser “o grande opositor” ao desenvolvimento do interior

Zé LG, 28.05.21

192790984_4075455825864557_1248180081456073800_n.jO vereador socialista na Câmara de Portalegre, José Correia da Luz, na reunião do executivo municipal, acusou o Governo Central de ser “o grande opositor” ao desenvolvimento do interior, e em particular de Portalegre, referindo ainda que “o Governo Central quando olha para o Alto Alentejo é para pedir que sejam os municípios a pagar parte da fatura”.

Para o autarca socialista a falta de condições de circulação e segurança do IP2, motivadas pelo mau estado da estrada, é um dos grandes exemplos do abandono a que esta zona do país tem sido votada pela Governo Central.

"Bolhas"

Zé LG, 26.05.21

IMG_7265.JPGA ministra da Presidência afirmou que os ingleses que vinham assistir à Final da Taça dos Campeões Europeus eram metidos numa "bolha" desde oa saída de Inglaterra até ao Estádio do Dragão e depois deste até ao regresso a Inglaterra. Desta forma não haveria qualquer risco de contágio do novo coronavirus, ao contrário do que aconteceria se fosse autorizado público na Final da Taça de Portugal.

Bastaram menos de duas semanas para mostrar quanto irrealista era o plano do governo. Hoje começaram a chegar os primeiros espectadores e os profissionais de diferentes sectores são unânimes em afirmar que aquela "solução" era impraticável. 

 Este ep+isódio, à semelhança de outos, veio mostrar que é o governo que se encontra dentro de uma "bolha", não ouvindo nem vendo o que o rodeia e não revelando capacidade de avaliação dos riscos nem de tratamento igual para eventos iguais em termos de daqueles. O governo tem mostrado que não sabe ou não quer gerir a pandemia com respeito igual por todos, protegendo os que lhe interessam e prejudicando os que mais precisam de ser defendidos.

Ministra da Agricultura afirmou que o país tem de “congregar esforços para impulsionar a transição para uma economia limpa”

Zé LG, 19.05.21

202103171224293426.jpg... após a assinatura do protocolo do Roteiro Ambiental para a Suinicultura, que deverá permitir a convergência de estratégia entre várias entidades.

Precisamos de respostas de desenvolvimento sustentável, que é a mesma coisa, para mim, que dizer de equilíbrio, de balanço, entre as três dimensões que me parecem fundamentais: a economia, o ambiente e a resposta social”, defendeu a ministra da Agricultura.

O uso eficiente dos recursos é fundamental “para recuperar e promover a biodiversidade, para podermos diminuir a poluição, para podermos ter um maior aproveitamento do potencial associado à biomassa e aos biocombustíveis", defendeu Maria do Céu Antunes.

O presidente da FPAS acredita que este roteiro vai permitir "desenvolver um guia de ações preconizadas pelos empresários suinícolas nas suas explorações, que visem a redução das emissões de C02 em 55%, tendo por base os valores de 1990 no horizonte 2030”, visando ainda promover a “reciclagem e valorização de nutrientes produzidos pela atividade, substituindo o recurso a fertilizantes de síntese em mais de 50%”.

Ministro da Defesa Nacional assiste na BA 11 a exercício do NATO Tiger Meet

Zé LG, 11.05.21

202105102213389892.jpgO ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, assiste esta tarde, às 14.00 horas, a um exercício do "NATO Tiger Meet". Este exercício internacional está a decorrer, até 6ª feira, na Base Aérea Nº11, em Beja.

Esta é a terceira vez que a Base Aérea Nº11 recebe o Exercício Internacional NATO Tiger Meet. Recorde-se que no NTM que decorreu em 2019, em França, a Esquadra 301-Jaguares da FAP foi reconhecida como a melhor esquadra de voo, tendo conquistado o troféu “Silver Tiger” e o prémio “Tiger Spirit”.