Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Beja vai receber a Cimeira dos “Amigos da Coesão” da UE

Zé LG Zé LG, 24.01.20

251020161029-400-ACOSTA.jpgA iniciativa agendada para o dia 1 de Fevereiro, “pretende reforçar a posição dos Estados-membros contra cortes nesta política no próximo orçamento plurianual da União Europeia”.
Vão participar na Cimeira, a convite de António Costa, primeiros-ministros e ministros de Portugal, República Checa, Grécia, Lituânia, Polónia, Eslováquia, Eslovénia, Chipre, Croácia, Estónia, Hungria, Letónia, Bulgária, Malta, Roménia, Espanha e Itália e ainda os Comissários Europeus da Coesão e Reformas, Elisa Ferreira, e do Orçamento e Administração, Johannes Hahn.
A última Cimeira dos “Amigos da Coesão” decorreu em Novembro do ano passado, em Praga, capital da República Checa.

Ministra da Agricultura "pediu" mais tempo à FAABA para analisar problemas do sector

Zé LG Zé LG, 23.01.20

202001221539252467.jpgA FAABA reuniu-se, ontem, com a ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, que “pediu” mais tempo para analisar alguns dos assuntos que lhe foram colocados.
Rui Garrido, presidente da FAABA, afirmou que a ministra da Agricultura vai “analisar” as questões que foram levantadas e que lá para Março virá a Beja reunir com a Federação, que levou para a reunião uma “grande” e “complicada” agenda com questões que passam, entre outros aspectos pela seca, medidas agro-ambientais e olival intensivo. Em cima da mesa estiveram também vários assuntos relacionadas com o Alqueva, como o alargamento do perímetro de rega e a gestão da rede secundária.

Aaeroporto no Montijo empurra aviões de treino Épsilon para Beja

Zé LG Zé LG, 22.01.20

Foto5.jpgA saída prevista da Força Aérea vai implicar a transferência dos helicópteros que estão no Montijo para a base de Sintra e dos aviões de treino Épsilon para a base de Beja, explicou João Gomes Cravinho. A construção do novo aeroporto complementar de Lisboa “vai afetar, direta ou indiretamente, sete das dez esquadras da Força Aérea”.

O impacto orçamental, acrescentou o ministro da Defesa, será “na ordem dos 100 milhões de euros”, valor que “precisa de ser acomodado no âmbito da relação entre o Estado e a entidade que tem a gestão do aeroporto”, a Vinci.

Ministra da Saúde prometeu reunir-se com a Comissão de Utentes de Beja

Zé LG Zé LG, 22.01.20

202001211954331697.jpgOntem, no final da sessão “Hospitalização Domiciliária - Balanço e Desafios 2020”, em Beja, Marta Temido recebeu da Comissão de Utentes um documento com as necessidades na área da saúde e prometeu realizar uma reunião com a Comissão de Utentes, com participação da ULSBA e da ARSA.

Recorde-se que a Comissão de Utentes de Beja pede o início aos procedimentos com vista à ampliação do Hospital José Joaquim Fernandes em Beja, tal como ficou estipulado no Orçamento Estado para 2019. Exige, igualmente, a aplicação e investimento justo e necessário imediato por parte do Estado para a 2ª fase (ampliação e remodelação), permitindo este investimento dotar o Hospital José Joaquim Fernandes de um novo bloco operatório, outro de consultas externas e um novo módulo de urgências; a melhoria das instalações atuais, aquisição de equipamentos de diagnóstico (ressonância magnética e outros); construção de heliporto, manutenção, melhoria e ampliação de valências médicas e a contratação imediata de médicos, sobretudo para as especialidades onde estão em falta, assim como outros profissionais de saúde.

A Comissão de Utentes diz ter conhecimento do tempo de espera que os utentes aguardam, nas urgências do Hospital de Beja, em macas até serem transferidos para os quartos. Para Rui Eugénio, este é um “problema muito grave”.

Ministra da Saúde encerra sessão em Beja sobre “Hospitalização Domiciliária Balanço e Desafios 2020”

Zé LG Zé LG, 21.01.20

202001201456219382.jpgO Centro UNESCO, na cidade de Beja, recebe, a partir das 10.30 horas, a cerimónia de assinatura dos protocolos que visam a expansão da hospitalização domiciliária, que Ministério da Saúde pretende levar a efeito. A sessão da abertura conta com a presença do secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, o encerramento, às 17.30 horas, é feito por Marta Temido, ministra da Saúde.

As assinaturas decorrem no âmbito da sessão “Hospitalização Domiciliária Balanço e Desafios 2020” que pretende proporcionar a partilha de experiências das equipas, dificuldades, estratégias, mas também o compromisso de alargamento desta metodologia de trabalho, nos hospitais do SNS.

Durante a sessão são abordados temas como “Visão da Hospitalização Domiciliária na região da Galiza”, “Contratualização e Certificação de Unidades”, “Estratégias de integração de doentes na Hospitalização Domiciliária”, “Hospitalização domiciliária e área cirúrgica”, “Desempenho das equipas-Factores críticos de sucesso” e “Acreditação e  Indicadores de qualidade”.

Governo continua a não investir no Distrito de Beja

Zé LG Zé LG, 17.01.20

Durante a discussão na especialidade do OE2020, o ministro das Infraestruturas foi questionado, pelo deputado do PCP, sobre os investimentos previstos projetos estruturantes do Distrito de Beja.

202001142058345517.jpgSobre a finalização do IP8 e a eletrificação/modernização da linha férrea Casa Branca/Beja/Funcheira, João Dias frisou que Pedro Nuno Santos disse que não há “investimentos previstos para estes projetos” e no caso da ferrovia remeteu esta possibilidade para “uma possível reformulação do Programa Nacional de Investimentos 2030 (PNI2030)”. Sobre o aeroporto disse que “tem vocação para ser a grande base militar do país”.

O PCP refere que os sucessivos Governos têm “deixado o distrito de Beja para segundo plano”.

Este é o PS que prometeu “fazer o que ainda não foi feito”, durante a campanha eleitoral, para depois, no governo, continuar a não fazer o que faz falta.

E o que têm a dizer acerca disto os senhores autarcas do PS que apelaram ao voto nas suas candidaturas para assim ser mais fácil conseguir os investimentos necessários do governo na região?

Governo iniciou “Roteiro para a Descentralização” em Beja

Zé LG Zé LG, 10.01.20

ministra.jpgA Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, esteve na CIMBAL- Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo, em Beja, para reunir com os autarcas das Comunidades Intermunicipais (CIM) do Baixo Alentejo, dando início ao Roteiro para Descentralização, que vai percorrer todo o país.
Alexandra Leitão, disse que o objectivo desta iniciativa é “conhecer junto dos autarcas as principais dificuldades e sugestões que tenham relativamente ao processo de descentralização”, através de “reuniões de balanço e de levantamento de necessidades com as Comunidades Intermunicipais (CIM) e as Áreas Metropolitanas (AM)”.

Governo atribui Medalha de Mérito Cultural a Cláudio Torres

Zé LG Zé LG, 09.01.20

safe_image.jpg

“Em reconhecimento do inestimável trabalho de uma vida dedicada ao estudo e à investigação histórica e às causas do património cultural e da arqueologia peninsular, tendo ajudado a preservar e a compreender, com a sua obra, uma parcela fundamental da nossa memória colectiva, entende o Governo português prestar pública homenagem a Cláudio Torres, concedendo-lhe a Medalha de Mérito Cultural”, que vai ser entregue por Graça Fonseca, numa cerimónia na vila alentejana de Mértola, distrito de Beja, no sábado, 11, dia em que Cláudio Torres, faz 81 anos, refere o gabinete da ministra da Cultura, Graça Fonseca.

António Costa promete prioridade à Saúde

Zé LG Zé LG, 28.12.19

image_content_2551894_20191026121818.jpgSei bem que a Saúde é actualmente uma das principais preocupações dos portugueses e que há vários problemas para resolver no SNS. Compreendo bem a ansiedade daqueles que ainda não têm médico de família, que aguardam numa urgência ou que esperam ser chamados para um exame, uma consulta ou uma cirurgia.” - disse o primeiro-ministro, na sua mensagem de Natal.

“Contempla [o OE] o maior reforço de sempre no orçamento inicial da Saúde e confere maior autonomia aos hospitais para garantir uma maior eficiência e responsabilidade na gestão do seu dia-a-dia”, recordou António Costa.

Esperemos agora que, com estas palavras do chefe, os que têm responsabilidades no sector e que têm estado sossegadinhos e sem nada fazer para tentar resolver os problemas que tanto afectam os portugueses saiam da sua "área de conforto" e deem sinal de que os querem resolver...