Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

APOIE ENTIDADES COM CONSIGNAÇÃO DE IRS

A Autoridade Tributária divulgou, no Portal das Finanças, a lista das entidades que poderão beneficiar da consignação de 0,5% do IRS.

No concelho de Beja surgem como beneficiárias 18 instituições: Casa do Estudante, Cercibeja, Fundação Manuel Gerardo de Sousa e Castro, Fundação Nobre Freire, Cáritas de Beja, Bombeiros Voluntários de Beja, Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora da Luz de Albernoa, Centro Social e Paroquial do Salvador, Capricho Bejense, Centro de Paralisia Cerebral de Beja, Centro Infantil Coronel Sousa Tavares, Santa Casa da Misericórdia de Beja, Coro de Camara de Beja, Centro Social de Nossa Senhora da Graça, Centro Social da Imaculada Conceição de Salvada, Liga dos Amigos do Hospital de Beja, Associação Sementes de Vida e Associação Recolher e Dar e ainda a Fundação Joaquim Honório Raposo, da Salvada.

Para consignar os 0,5% no IRS deve identificar no quadro 11 do modelo 3, o número de identificação fiscal da entidade em causa.

EMAS DE BEJA MANTÉM TARIFAS DE ÁGUA E SANEAMENTO

24293982_1476722719030110_8675930937452616120_n.jp

Em 2018 a EMAS- Empresa Municipal de Água e Saneamento de Beja não vai aumentar as tarifas de água e saneamento em Beja.

“A decisão assenta na convicção de que não devem ser transferidas para o consumidor eventuais ineficiências decorrentes da prestação de um serviço, que deve processar-se num quadro de recuperação tendencial de custos, mas maximizando sempre a qualidade”, revela a empresa em nota de imprensa.

Rui Marreiros, administrador executivo da EMAS explica que “houve uma tentativa de redução da tarifa”, algo que se revelou “manifestamente impossível face à situação financeira da empresa”.

 

É uma boa notícia, que seria ainda melhor se incluísse o ajustamento das tarifas de resíduos às quantidades "escoadas" em vez de indexadas ao consumo de água, conforme acontece, o que gera graves injustiças.

FINANÇAS DA EMAS EM “ROTURA COMPLETA”

EMAS-Beja.jpg

A Empresa Municipal de Águas e Saneamento de Beja (EMAS) anuncia que está a ultimar, “com carácter de urgência”, a contratação de um empréstimo de médio e longo prazo no valor de 2,5 milhões de euros, para solucionar problemas a curto prazo.

Em causa está o pagamento de vários empréstimos de curto prazo contraídos de forma sucessiva nos últimos dois anos, pela anterior administração, “sem uma previsão relativamente à forma como seriam liquidados, nem uma expectativa sólida quanto ao acesso a financiamentos comunitários”.

Acrescem ainda “elevados valores de facturação que foram e estão a ser apresentados por diversos empreiteiros, empresas de fiscalização, entre outros”, que estão a provocar “rotura completa de tesouraria, criando uma situação insustentável para muitos empreiteiros, prestadores de serviços, fornecedores e também para a própria empresa pela pressão que causa sobre os serviços”.

Rui Marreiros, administrador executivo da EMAS, não esconde as suas preocupações, AQUI e AQUI.

CÂMARA MUNICIPAL DE BEJA APROVA VALORES DO IMI, DERRAMA E IRS PARA 2018

578px_585a7140f36007827350d78234ff63a6.jpg

Foi aprovado por unanimidade, na reunião de câmara de 15 de novembro, a proposta de fixação do valor de 0,35%, para os prédios urbanos e a aplicação do artigo 112º-A do CIMI, no Município de Beja, de acordo com tabela, que estabelece a dedução fixa pelo número dependentes a cargo: Dedução fixa (em €) – 1 dependente – 20€ de dedução, 2 dependentes – 40 €, 3 ou mais dependentes 70€.
Em relação à derrama, foi aprovada a sua fixação em 1,5% sobre o lucro tributável das empresas com volume de negócios superior a 150.000,00 € e isenção para as empresas com volume de negócios inferior ou igual a esse montante.
Quanto ao IRS, foi aprovada a fixação de uma participação de 5%.
Estas deliberações serão votadas na próxima sessão da Assembleia Municipal agendada para o dia 22 de novembro, pelas 18h00, no edifício do antigo Governo Civil de Beja.

In: B NEWSLETTER | 17 de novembro de 2017 | Câmara Municipal de Beja

PAULO ARSÉNIO QUER AUDITORIA ÀS CONTAS DA CÂMARA PARA APURAR A BASE DE PARTIDA

PA.jpg

Paulo Arsénio vai tomar posse como presidente da Câmara de Beja na próxima quarta-feira, 18, tornando-se no segundo socialista a liderar os destinos da autarquia da capital de distrito. E assim que entrar em funções, uma das primeiras decisões será pedir uma auditoria às contas do Município. "Muito provavelmente iremos pedir uma auditoria às contas da Câmara Municipal, não por uma atitude de desconfiança para quem esteve lá antes mas para conhecermos exactamente qual é a nossa base de partida e aquilo que podemos fazer ao longo do mandato", anuncia Paulo Arsénio.

 

Recordo o que defendi AQUI: Tal como há quatro anos, defendo “Uma avaliação externa às contas da Câmara e das empresas municipais... logo no início do mandato", feita por uma empresa e acompanhada por uma equipa representante dos eleitos no executivo, o que "devia ser uma prática corrente no início de cada mandato para que se soubesse com que base financeira um novo executivo inicia o mandato", evitando dessa forma as polémicas que surgem sobre a situação financeira do Município.

AVALIAÇÃO EXTERNA ÀS CONTAS DA CÂMARA E DAS EMPRESAS MUNICIPAIS DEVIA CONSTITUIR UM COMPROMISSO DE TODOS OS CANDIDATOS

0001 - Cópia.jpg

Tal como há quatro anos, defendo “Uma avaliação externa às contas da Câmara e das empresas municipais... logo no início do mandato", feita por uma empresa e acompanhada por uma equipa representante dos eleitos no executivo, o que "devia ser uma prática corrente no início de cada mandato para que se soubesse com que base financeira um novo executivo inicia o mandato", evitando dessa forma as polémicas que surgem sobre a situação financeira do Município.

CÂMARA DE ALMODÔVAR PASSA A RECEBER PARTE DA DERRAMA DA SOMINCOR

201708041128181.jpgDepois de muitos anos de reivindicação, a Câmara de Almodôvar vai receber este ano parte da Derrama correspondente aos impostos pagos pela Somincor, que explora as minas de Neves-Corvo, em 2016.
De acordo com a autarquia, o actual Governo criou uma nova fórmula específica para a repartição da Derrama municipal relativa à actividade de exploração de produtos mineiros no âmbito do Orçamento de Estado 2017.
Assim, a Câmara de Almodôvar vai receber este ano "cerca de 40 mil euros relativos à Derrama de 2016", ou seja, cerca de 30% do valor total da Derrama da Somincor, sendo o restante entregue ao Município de Castro Verde, "que até agora era o único beneficiário deste imposto".

 

TERMINOU BEM O QUE COMEÇOU TORTO E PROSSEGUIU RETORCIDO

transferir (1).jpg

António Domingues apresentou a sua demissão da função de presidente do conselho de administração da Caixa Geral de Depósitos, confirmou esta noite o Ministério das Finanças. Esta demissão surge na sequência do polémico caso da apresentação das declarações de rendimentos.

Nesta quarta-feira a Comissão Europeia confirmou ter-se reunido com o atual presidente da CGD para debater a recapitalização do banco público, quando este ainda não tinha sido nomeado para o cargo e pertencia aos quadros do BPI.A equipa de gestão da Caixa, liderada por António Domingues, entrou em funções em 31 de agosto.

MUNICÍPIO DE ODEMIRA VAI CONTINUAR A REDUZIR OS IMPOSTOS MUNICIPAIS EM 2017

030220161608-179-autarquiaodemira.jpg

No Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) será aplicada a taxa de 0,33% nos prédios urbanos, acrescentando redução para famílias com dependentes no agregado, mantendo-se o agravamento para os prédios degradados e devolutos.

O município decidiu fixar em 4,50% (a anterior era de 4,75%) a participação no Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS) com domicílio fiscal no concelho. Foi também aprovada a não aplicação de Derrama às pequenas empresas com sede no concelho e cujo volume de negócios não ultrapasse os 150 mil euros. 

As taxas foram aprovadas pela Câmara Municipal, nas reuniões realizadas nos dias 15 e 23 de Setembro, e pela Assembleia Municipal, em 30 de Setembro.

DESDE QUANDO É QUE ISTO É UM BOM ACTO DE GESTÃO?

A autarquia de Almodôvar dá conta, em nota de imprensa, que está nos lugares de topo, entre os 308 municípios do país, que melhor paga as suas contas aos fornecedores de bens e serviços, numa escala onde há municípios a pagar a mais de 1400 dias.

Segundo o documento, em média, o município de Almodôvar demorou, em 2015, apenas 3 dias a liquidar as suas facturas, o que se traduz num prazo substancialmente inferior à média nacional, que se fica pelos 49 dias.   

 

Comentários recentes

  • Anónimo

    Vamos ter nova geringonça. E a ideia, pessoalmente...

  • Anónimo

    Num país em que o maior trambiqueiro político está...

  • Anónimo

    Uma vida saudável depende de muitos outros factore...

  • Zé LG

    A alimentação não é um factor importante para uma ...

  • Anónimo

    Porreiro, pá!É ver para crer!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.