Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

ALJUSTREL - 100 anos do fundo à superfície em exposição

Zé LG, 03.10.22

CARTAZ EXPO MINEIROS ALJUSTREL.jpgNo dia 3 de outubro de 1922 teve início o maior conflito laboral de que há registo, na vila mineira de Aljustrel. Durante quatro intermináveis meses, os mineiros mantiveram-se em greve para exigir melhores condições de trabalho, de vida, de salários, bem como as oito horas de trabalho diário e o fim da repressão. Esta greve, com contornos dramáticos, teve grande repercussão no país e no estrangeiro e desencadeou uma ampla e comovente onda de solidariedade para com estes trabalhadores e seus familiares que, desprovidos de rendimentos, se viram obrigados a entregar à compaixão do operariado de Lisboa, Barreiro e Beja entre outros locais,  mais de uma centena das suas crianças para que elas tivessem de comer.

A exposição ALJUSTREL - 100 ANOS, DO FUNDO À SUPERFÍCIE irá dar a conhecer esta história e outras mais da vida dos mineiros de Aljustrel com o seu quotidiano de miséria, de lutas e resistências que sucederam nesta vila mineira, cujas jazidas são exploradas há mais de 2000 anos. 

Exposição “Luz Lenta” inaugurada esta tarde em Alvito

Zé LG, 23.07.22

Exposicao-Ermida-_-Alvito-ps3ga222gaz4or5skol70wpt“Luz Lenta” é o título da exposição dos artistas Daniel Moreira e Rita Castro Neves, resultado de uma residência artística realizada em Alvito e que inclui trabalhos em desenho e fotografia e objetos, que será inaugurada hoje, sábado, 23, às 18h00, na Ermida de Santa Luzia, em Alvito, e que fica patente ao público até ao dia 2 de outubro deste ano,.
Antes da inauguração da exposição, também na Ermida de Santa Luzia, os artistas apresentam a instalação performativa “Ermida”, que foi inspirada nas imagens dos frescos seiscentistas ainda existentes nas paredes desta ermida.

ADRAL promove projectos do Alentejo na EXPO Dubai

Zé LG, 09.02.22

202104130955585272.JPGOs principais equipamentos e recursos do Alentejo, com destaque para os projetos do Porto de Sines, da Zona Industrial e Logística de Sines, do Aeródromo de Ponte de Sor e do Aeroporto de Beja, vão ser promovidos no Pavilhão de Portugal da EXPO Dubai 2020, numa missão de internacionalização que decorre até próxima sexta-feira (11/02), promovida pela ADRAL, “Com apresentações diárias e inúmeros encontros marcados”, segundo João Grilo, presidente da agência, que garante que “o Alentejo reúne excelentes condições para captar o interesse de investidores internacionais”, pelo que a missão vai mostrar “o caminho feito até agora, de compromisso entre a aposta nas áreas da inovação e competitividade e as áreas mais tradicionais”.

“Mundo Rural no Montado Séc. XX” em exposição em Portel

Zé LG, 06.02.22

Untitled-1-690x450.jpg

Decorre até ao final deste mês, no Pavilhão Temático – A Bolota, em Portel, a exposição “Mundo Rural no Montado Séc. XX”, com um vasto espólio de fotografias e objectos agrícolas do século passado, da autoria de Fernando Gil.

A exposição pode ser visitada de 3ª Feira a Domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h30 às 18h00.

Beja comemora os 100 anos da Travessia Aérea do Atlântico Sul

Zé LG, 03.02.22

Travessia.jpgA Força Aérea, a Marinha e o município de Beja juntam-se para assinalar os 100 Anos da Travessia Aérea do Atlântico Sul.

A partir de hoje e até dia 13 fevereiro, está patente na Biblioteca Municipal de Beja uma exposição itinerante comemorativa do centenário da travessia. No dia 8 de fevereiro, pelas 21:00 horas, o centenário será assinalado com um concerto pela Banda de Música da Força Aérea, no Pax Julia Teatro Municipal. Ainda no âmbito das comemorações vai ser colocada uma placa no jardim Gago Coutinho e Sacadura Cabral, em Beja, que assinala o Centenário da Travessia.

“Arte numa Perspetiva Diferente” em exposição na Galeria da EDIA

Zé LG, 03.12.21

260367359_2223437734622474_9220923263022481239_n.jFoi inaugurada, no Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, na galeria de arte da EDIA, a exposição “Arte numa Perspetiva Diferente”, que reúne 25 pinturas realizadas por sete utentes do Centro de Paralisia Cerebral de Beja (CPCB). Ao longo destas duas décadas, a exposição “Arte numa Perspetiva Diferente”, transformou-se em reconhecimento de mérito e é estímulo ao desenvolvimento intelectual dos utentes do Centro, reforçando a sua integração e inclusão social e aumentando a sua autoestima.

A 20ª edição da exposição “Arte numa Perspetiva Diferente” pode ser visitada até dia 7 de janeiro, de segunda a sexta-feira, das 09:00 às 18:00 horas. Pode, ainda, ser apreciada nas páginas de Facebook da instituição. A receita proveniente da venda dos trabalhos reverte, na totalidade, para o Centro de Paralisia Cerebral de Beja.

Coleção de José Morna com exposição permanente em Viana do Alentejo

Zé LG, 01.08.21

Sem nome.pngA coleção de José Manuel Água Morna, adquirida pelo Município de Viana do Alentejo, em 2018, vai ter uma exposição permanente no edifício da antiga Biblioteca da localidade, na Praça da República.

Segundo o município, “este espólio, com um elevado valor artístico e uma mais valia para o património cultural local e regional, agrega três coleções de escultura em madeira: composições de conjunto representativas do modo de vida alentejano, em contexto de exploração agrícola, figuras de inspiração sobrenatural e réplicas de armamento do período medieval/moderno”.

Centro de Arqueologia e Artes de Beja abriu com “Cangiante”

Zé LG, 04.07.21

Sem nome.pngA exposição “Cangiante”, promovida pela Culturgest em parceria com o município de Beja, assinalou, ontem, a abertura ao público do Centro de Arqueologia e Artes de Beja.

A exposição, com curadoria de Antonia Gaeta, foi construída a partir da Coleção da Caixa Geral de Depósitos, a que se juntaram peças de outros artistas, incluindo sete peças do espólio do escultor Jorge Vieira.

O Centro de Arqueologia e Artes de Beja, é um projeto que já atravessou diversos mandatos, da CDU e do PS, nasce num quarteirão junto à Praça da República, na zona onde antes funcionavam os serviços técnicos do município.

O equipamento é composto por um edifício e uma zona anexa, onde foram descobertos vestígios do antigo fórum romano, abre agora ao publico após um investimento de quase três milhões de euros.

A exposição vai ficar patente ao publico até ao dia 6 de novembro, e o custo da entrada é de 3 euros.

“Arte numa perspetiva diferente” para apreciar até 31 deste mês

Zé LG, 03.12.20

202012021624446596.png

Inaugura hoje, dia 3 de dezembro, Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, a 19ª edição da exposição “Arte numa perspetiva diferente”, dos utentes do Centro de Atividades Ocupacionais do CPCB – Centro de Paralisia Cerebral de Beja. Devido ao atual contexto de pandemia, a exposição é, excecionalmente, realizada on-line, com divulgação conjunta da EDIA e do Centro de Paralisia Cerebral de Beja.

A receita proveniente da venda dos trabalhos reverte integralmente para o Centro de Paralisia Cerebral de Beja. A mostra pode ser visitada em:

https://www.facebook.com/edia.alqueva e https://www.facebook.com/cpc.beja

Peças de Moura na exposição "Guerreiros e mártires - a Cristandade e o Islão na formação de Portugal", no Museu Nacional de Arte Antiga

Zé LG, 22.11.20

10505_big.jpgO arqueólogo Santiago Macias referiu que “a exposição é organizada e dirigida, pelo Joaquim Caetano, que é o Director do Museu de Arte Antiga, e por mim. Resulta de uma proposta que foi feita há 2 anos ao Museu”. Acrescentando que “este episódio dos Mártires de Marrocos, foi significativo na formação, por um lado, do movimento franciscano, e por outro na própria formação do reino de Portugal”.

Inaugurada exposição “In Cómoda – Projeto Pátio Azul” de Paula Estorninho, no Museu Municipal de Vidigueira

Zé LG, 13.10.20

202010121239169427 vidig.jpg“As primeiras bonecas começaram a ser fotografadas em 2005 no pátio azul da minha casa, o que deu origem ao nome do blogue. “A partir de 2011 saíram do pátio para o mundo em busca de novos horizontes. Cada boneca é única e irrepetível. Figuras de aparência delicada, pequenas como um palmo, preciosas como joias, simples como o gesto que as cria, sensíveis como tendo uma alma, são essencialmente muito femininas. Há quem diga que são auto-retratos, “alter-egos”, um reflexo da minha pessoa, talvez assim seja…” Paula Estorninho in blog http://nopatioazul.blogspot.com. Daqui.

Escultura na Costa de Santo André alerta para a proteção dos nossos oceanos

Zé LG, 13.09.20

A figura de um peixe, com 5 metros de comprimento, com exemplos de lixo recolhido nos mares no seu interior, pretende sensibilizar para a importância de proteger este recurso tão importante no ecossistema, bem como alertar para as graves consequências de atitudes irresponsáveis.

202009101904283072.pngA escultura é da autoria de Jorge Vitorino e contou com os apoios da Junta de Freguesia de Santo André e da Câmara Municipal de Santiago do Cacém.

Jorge Serafim convidado para expor no 40.º Salão Internacional de Pintura Naif do Casino do Estoril

Zé LG, 08.09.20

imgLoader2.ashx serafim.jpgA Galeria de Arte do Casino Estoril acolhe, até 15 de setembro, o 40.º Salão Internacional de Pintura Naif, considerado o mais antigo do mundo e uma referência desta modalidade pictórica. Jorge Serafim apresenta-se, estreante, como um dos artistas plásticos presentes, com quatro obras: “duas referentes às ilustrações que fiz para o livro O Afinador de Memórias e as outras duas, a que chamei “Dom Quixote De La Ansiedade” I e II, já realizadas neste contexto pandémico.”

Não há qualquer política, em Beja, para as artes plásticas. Temos belíssimos artistas plásticos e fotógrafos, nascidos nesta terra, que não têm, aqui, um sítio para expor, perdendo-se assim a possibilidade de fortalecerem a relação umbilical com a cidade que os viu nascer.”