Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

No centésimo aniversário do nascimento do Poeta Raul de Carvalho

Zé LG, 04.09.20

raul252bcarvalho.jpg...

Terra de alqueives, ou monda, ou de pousio,

Terra de largos trigueirais ao sol,

— Quem vos mandou contaminar-me,

E para sempre, do vosso resplendor?...

 

Poalha luminosa, mas agreste;

Folha de zinco em brasa; imensidão;

A toda a volta — Tanto em vós como em mim —

Implantou Deus a solidão.

 

Solidão! de hastes curvas no silêncio

Que dá a volta inteira à terra inteira,

Solidão que eu invoco como se

Vos conhecesse pela primeira vez!...

 

Subo os degraus a medo; páro e ouço...

O que ouço eu? a voz dos sinos? minha mãe?

É com palavras simples e em segredo

Que eu beijo a terra onde nasci também,

In: Perdão, que pode ler todo aqui.

Raul de Carvalho morreu há 40 anos

Zé LG, 03.09.20

imgLoader.ashx RC.jpgRaul de Carvalho nasceu em Alvito faz amanhã 100 anos, onde começou a redigir os primeiros versos.

O poeta conta com vinte e uma obras publicadas em vida e duas ainda a título póstumo.

A preocupação com a condição dos mais desprotegidos é uma constante na vida do poeta, tendo estado ligado a protestos contra a Lei da Segurança Interna, com Natália Correia, Ruy Cinatti e Augusto Abelaira.

A sua inclinação artística pela pintura e pela fotografia fez-se sentir durante os anos vividos em Lisboa.

Raul de Carvalho morreu a 3 de Setembro, na véspera do seu sexagésimo quarto aniversário.

Jerónimo de Sousa na homenagem a Catarina Eufémia

Zé LG, 23.05.20

20200519_declaracoa_jeronimo_sousa_spg.jpgJerónimo de Sousa participa, no próximo domingo, às 11 horas, na homenagem a Catarina Eufémia promovida pela DORBE-Direcção da Organização Regional de Beja do PCP. Em 2020, devido à pandemia do COVID19, a homenagem assume um modelo diferente, não há desfile e a opção foi a realização, no Largo da Igreja, de uma concentração com cerca de 50 militantes, obedecendo às regras de segurança das autoridades de saúde.

Há 46 anos

Zé LG, 25.04.20

..., precisamente a esta hora, fui acordado pela Senhora da casa onde estava hospedado, em Castro Verde, a informar-me de que havia uma revolta (não me lembro se foi o termo que usou) em Lisboa.

A primeira coisa que me ocorreu e que a questionei foi se seria um golpe de estado do Kaulza de Arriaga. Na altura receava-se que tal pudesse acontecer e provocasse um endurecimento ainda maior da repressão por parte do regime.

Levantei-me logo, para, com os meus colegas e amigos, tentar perceber o que se estava a passar. Os meios de comunicação eram bem diferentes dos de hoje e, praticamente só tínhamos a informação que era emitida pela televisão e pela rádio. Foram horas e dias seguidos com os olhos pregados na televisão e os ouvidos no rádio.

Foram dias de renascimento e de esperança que as portas de Abril abriu. Foi um viver intenso e colectivo como nunca imaginei viver. Nem tudo correu da melhor forma, nem logo nem depois, mas por nada deste mundo queria não ter vivido aquele tempo.

Francisco Miguel, um lutador antifascista: Cinco prisões. Quatro fugas das cadeias fascistas. 21 anos de prisão.

Zé LG, 24.04.20

10426165_727398714036177_5910769885301481920_nFM.j"Homem franzino, discreto, pouco expansivo, de uma grande sensibilidade, era amado por todos no PCP. Um símbolo, pela sua vida de décadas (66 anos) ao serviço dos seus ideais e pelo comportamento exemplar que sempre tivera na polícia e nas cadeias. Homem de grande afabilidade, era muito acarinhado por quem privava com ele. Foi exemplar na sua dedicação à luta antifascita, na coragem com que enfrentou as mais duras provas a que foi submetido e pela modéstia com que falava da sua vida e do seu passado.
Cinco prisões: 1938, 1939, 1947, 1950 e 1960. Quatro fugas das cadeias fascistas.
Destacado dirigente do PCP, Francisco Miguel Duarte nasceu em Baleizão, a 18 de Dezembro de 1907 e morreu a 21 de Maio de 1988. Operário, filho de camponeses pobres, abraçou a causa da luta pela liberdade e justiça social quando era ainda muito jovem. Foi um dos dois presos políticos que mais tempo passaram na cadeia: um total de 21 anos, 10 dos quais no “Tarrafal". Julgado nos tribunais fascistas, evade-se por 4 vezes, durante o cumprimento das penas, e regressa sempre à luta."  Leia o resto aqui.

Há quatro anos que Manuel de Castro e Brito nos deixou

Zé LG, 29.03.20

2013-04-24 038.jpgNestes tempos de preparação, primeiro, e de cancelamento, depois, da OVIBEJA várias foram as vezes que nos lembrámos de Manuel de Castro e Brito e da sua forma de conduzir a organização da Grande Feira do Sul, que tem reunido, ano após ano, Todo o Alentejo deste Mundo.

Deixou-nos cedo, com 65 anos. Nestes tempos conturbados que vivemos, certamente que a sua visão e e o seu gosto pela intervenção, marcados por uma ideossincrasia muito própria, que o mantinham em permanente desassossego, não deixariam de agitar algumas águas, que se mantém demasiado calmas...

"Da Inquietação na Pintura" em Alvito

Zé LG, 15.02.20

Apresentação do Catálogo a propósito da Exposição  Da Inquietação na Pintura, de Carlos Correia - 22 de Fevereiro | 16 horas |  Espaço Adães Bermudes, Alvito

imgLoader.ashx.jpg

"As obras expostas, mais de cinquenta, entre pintura, desenho, técnica mista e livros de artista, todas elas pertencentes à colecção Marin Gaspar, mostram um trabalho notável de pesquisa, experimentação, técnica e de génio artístico e são o testemunho de um percurso tão sabiamente desenvolvido, mas precocemente interrompido (1975 – 2018)".