Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Centro de Negócios de Aljustrel está em fase final de construção

Zé LG, 19.11.22

CNAlj.pngO Centro de Negócios de Aljustrel, que está a ser edificado no sítio onde ficava o antigo Matadouro Municipal, entrou na reta final de construção, anuncia a autarquia aljustrelense, afirmando que: “Neste local, para além desta nova infraestrutura que ambiciona atrair mais empresas para o concelho, nascerá ainda uma nova artéria pedonal e rodoviária, que fará a ligação desta zona da vila ao Centro de Saúde e à Escola Secundária”.

Morreu José da Luz Pereira

Zé LG, 11.11.22

22549007_145405139537716_2723873173669816665_o.jpg

José da Luz Revés Pereira morreu esta manhã no Hospital de Beja, onde se encontrava internado há duas semanas. O corpo fica em câmara ardente na Casa Mortuária de Casével até amanhã às 11 horas, de onde sai o funeral para ao Cemitério local.

O Senhor José da Luz, como era respeitosamente conhecido, foi um dedicado agricultor, acompanhando sempre a evolução registada na agricultura, e um dos principais dinamizadores do associatismo agrícola na nossa região, sendo, até à hora da sua morte, presidente da Associação de Agricultores do Campo Branco e vice-presidente da ACOS e da FAABA. Defensor da agricultura de extensivo e da preservação do ambiente, contribuiu para a criação da Zona de Protecção Especial de Castro Verde.

O amigo José da Luz era um bom Homem, muito afável, que facilmente fazia amizade com quem conhecia, que gostava e sabia ouvir e que estabelecia relações de respeito com todas as pessoas. Há muitos anos que o conhecia, embora nos tenhamos aproximado mais e estabelecido uma relação de estima pessoal mútua nas primeiras “ovibejas”, onde ambos tivemos participação, praticamente, desde o su início.

À família e aos amigos aprtesento os meus sentidos pêsames.

NERBE inaugura Centro de Incubação de Base Tecnológica, com a presença da ministra da Coesão Territorial

Zé LG, 09.11.22

311571605_457951203098900_5697016116264172271_n.jpgAna Abrunhosa, ministra da Coesão Territorial participa, na Quinta-Feira à tarde, na inauguração do Centro de Incubação de Base Tecnológica (CIBT) NERBE, um projeto que pretende consolidar a posição do NERBE/AEBAL enquanto agente de dinamização de negócios e fixação de empresas na região do Alentejo, e de apoio aos esforços de atuais e futuros empresários.

O CIBT NERBE tem como missão prestar serviços de incubação, incluindo apoio logístico e atividades de dinamização, e serviços de assistência empresarial, a novas empresas de base tecnológica e de conhecimento nos sectores da Alimentação e Floresta, Água – Tratamento e/ou Gestão, Tecnologias de Informação e Comunicação e Aeronáutica.

Esta incubadora contará com um Conselho Consultivo, constituído pelo NERBE/AEBAL, Centro de Biotecnologia Agrícola e Agro-Alimentar do Alentejo, Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio e Instituto Politécnico de Beja.

“Um parque industrial não tem de ser feio, desagradável e inseguro.”

Zé LG, 07.11.22

«Como é possível haver... parques industriais sem árvores, caixotes do lixo ou passadeiras para peões, de forma a atravessar a estrada em segurança? Com centenas de cabos da rede elétrica e de telecomunicações pelo ar, atravessando dezenas de postes espalhados pelas ruas, como se estivéssemos num país subdesenvolvido? Com estacionamento desordenado, sendo os passeios ocupados por carros, deixando a estrada para os peões? Ou iluminação pública de fraca intensidade?

22381727_JdQUc.png… É importante que a Câmara Municipal de Beja proceda a melhorias no parque industrial de Beja, uma vez que este é mais uma zona comercial, do que uma zona industrial e fabril. De certeza que as empresas e os clientes agradeciam.» Daqui.

Somincor distinguida como “Melhor Exportadora com Capitais Estrangeiros (Multinacional)”

Zé LG, 05.11.22

Mina-de-Neves-Corvo-1-px45ay00p0yf7scto5ra5oe5ufq5n5kj437h5es34w.jpgA Somincor, concessionária das minas de Neves-Corvo, no concelho de Castro Verde, foi distinguida, na passada semana, como “Melhor Exportadora com Capitais Estrangeiros (Multinacional)” na 12ª edição dos prémios “Exportação & Internacionalização”, promovidos pelo novobanco e “Jornal de Negócios”, em parceria com a Iberinform.

A Somincor refere que esta é uma distinção que “muito honra e que enche de orgulho a empresa”, sublinhando que “mesmo em condições adversas”, nomeadamente devido à pandemia de Covid-19, foi capaz “de superar as dificuldades e ser considerada a empresa com melhor desempenho exportador do nosso país”.

Não será velha a visão de que “os empresários não estão dispostos a aqui investir o seu dinheiro e depois serem apelidados de fascistas"?

Zé LG, 21.10.22

127039230_1087071795058396_6042060700786322194_o.jpg«O problema é muito complexo e profundo, com raízes antes e depois do 25 de abril de 1974.
A autarquia, quando era comunista e agora socialista, não ajuda. E os empresários locais e nacionais não estão dispostos a virem aqui investir o seu dinheiro, e depois serem apelidados de fascistas ou capitalistas que vêm sugar o suor dos trabalhadores.
E assim continua Beja e o Baixo Alentejo na sua senda e na decadência irreversível em que se encontra há décadas.» Anónimo 15.10.2022, aqui.

O número de empresas locais, nacionais e estrangeiras que têm aqui investido nos últimos anos, com maior impacto na agricultura, não desmentirá o comentário supra? O problema não terá mais a ver com o que essas empresas aqui deixam?

Monte do Pasto recebe “Prémio Empreendedorismo e Inovação”

Zé LG, 18.10.22

Untitled-7.jpgA Monte do Pasto, situado no concelho de Cuba, acaba de vencer o Prémio Empreendedorismo e Inovação Crédito Agrícola 2022 na categoria Alimentação, Nutrição e Saúde com o Ethical Meat.

Este é um projecto inovador no campo da produção sustentável de carne e de aceleração de sustentabilidade no sector agropecuário, com um investimento de mais de 700 mil Euros, com cofinanciamento do Compete 2020. 

Vencedora desta última em 2022, a Monte do Pasto foi distinguida enquanto produtora agrícola que promove uma alimentação mais equilibrada, nutritiva e saudável, mas que contribui igualmente para um menor impacto ambiental.

Saúde Mental – Como promovê-la dentro das organizações?

Zé LG, 15.10.22

thumbs.web.sapo.png63% dos colaboradores afirmam que ter um líder que fala abertamente sobre saúde mental faz com que se sintam mais confortáveis em expressar os seus sentimentos.

A Saúde Mental dentro das organizações é um problema que deve ser tomado em consideração. A Organização Mundial de Saúde define a saúde mental como um estado de bem-estar em que o indivíduo desenvolve as suas capacidades, lida com as tensões normais da vida, pode funcionar produtivamente, e é capaz de contribuir para a sua comunidade.

De acordo com a Federação Mundial de Saúde Mental (WFMH), uma em cada cinco pessoas tem sofrido algumas condições de saúde mental no local de trabalho.

As pessoas são o trunfo mais importante das organizações. A saúde mental é primordial e as organizações têm a responsabilidade de criar um ambiente honesto e aberto que apoie os colaboradores face às dificuldades.

 

"Esclavagistas qataris não são bem-vindos", dizem adepos do SC de Braga

Zé LG, 13.10.22

Os adeptos do Braga mostraram-se contra a venda de parte das ações da SAD minhota ao Qatar Sports Investments, proprietário do Paris Saint-Germain F.C. Durante o jogo com o Union Saint-Gilloise (3-3) na Bélgica, os adeptos dos 'guerreiros' fizeram questão de mostrar isso mesmo, com a exibição de uma tarja em tom de protesto.

Braga.png

"Esclavagistas qataris não são bem-vindos", lia-se na faixa exibida na bancada atrás da baliza de Matheus Magalhães, guardião dos 'guerreiros', por volta do quarto de hora de jogo. Foi também nesse momento que os adeptos bracarenses atiraram várias tochas para o relvado, obrigando à interrupção da partida durante alguns segundos.

Grupo Cortez criado para a pesca de lagostim e peixe do rio em Alqueva

Zé LG, 25.09.22

Untitled-1-1-1024x659.jpgUma das áreas que mais se desenvolveu com o Alqueva, foi a actividade da pesca de lagostim e peixe do rio. O Grupo Cortez, criado pelo mourense João Cortez, apostou neste sector e tem corrido bem. “Não falamos só de Alqueva, mas de tudo o que está adjacente à barragem, o que nos ajudou a criar uma oportunidade de negócio e a empresa Grupo Cortez”, afirmou o empresário que acrescentou ter “um acordo com as grandes superfícies e intermediários, onde nos garantem quase todo o escoamento que conseguimos obter”. O negócio também é feito com Espanha, já que a empresa de Moura “representa quatro fábricas espanholas de lagostins, onde é feita a recolha directamente”, afirmou o pescador.
A apanha de lagostim e peixe de rio, como achigã, barbo, lucioperca e sável, umas das espécies mais apreciadas no Ribatejo e ainda pouco valorizada no Alentejo, faz do Grupo Cortez uma empresa de referência. 

Associações de regantes denunciam custos “insuportáveis da energia” e relamam medidas do governo

Zé LG, 22.09.22

Regantes.pngA Federação Nacional de Regantes de Portugal (FENAREG) reuniu com o secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Rui Martinho, a quem expôs as preocupações dos agricultores relativamente ao impacto que o aumento exponencial do preço da energia elétrica está a ter na distribuição de água à agricultura e pediu a abertura de um novo concurso no âmbito do Plano de Desenvolvimento Rural (PDR 2020) para apoio à instalação de painéis fotovoltaicos nos regadios coletivos. Ler mais aqui e aqui.

“Fugir” de má chefia é o motivo número um de saída de uma empresa

Zé LG, 18.09.22

398142.pngDe acordo com vários estudos e com um inquérito feito por Susana Barros, B2B Strategy and Leadership Advisor | Invited teacher and mentor na Porto Business School / Executive Education Entrepreneur, no LinkedIn com mais de 1200 respostas, o motivo número um de saída de uma empresa é “fugir” de uma má chefia.

Na sua página de Linkedin, a responsável destaca que a maioria das empresas «não têm essa noção porque não fazem entrevistas de saída aos seus colaboradores. Da parte dos colaboradores que estão a “fugir” de uma má chefia, por um lado não querem arranjar problemas e por outro acham que ninguém quer saber em qualquer caso, por isso escudam-se no aumento salarial para justificarem a saída.»

"Há muita gente que não quer trabalhar"?

Zé LG, 05.09.22

Banner-2_-990-x-250px_bottom_Sodexo-795x201-795x20Hugo Bernardes, fundador e sócio-gerente da Key Talente, entende que "a nossa cultura empresarial ainda encara o envolvimento e a valorização do propósito de vida como um problema imediato". O que pensar, então, do desabafo comum: Há muita gente que não quer trabalhar"? O psicólogo... vê a escazzez de colaboradores em certas áreas como um reflexo dos salários baixos: "Como diz uma famosa citação, se pagar em amendoins, terá macacos".

As novas gerações, influenciadas pela cultura Erasmus, "olham para os bens na perspetiva do uso e não da propriedade, querem ter experiências e tempo; o trabalho é uma componente da vida, nem sempre a principal", afirma Luís Miguel Ribeiro, presidente da Associação Empresarial de Portugal, que aposta em medidas para cativar colaboradores, como oferta de seguros de saúde, o trabalho híbrido - a pensar ns redução de custod de deslocação e no aumento das taxas de juro - e a criação de espaços para refeições e convívio.

In: VISÃO, de 26/08/2022.

Minas de Neves-Corvo vão ser vendidas?

Zé LG, 17.08.22

Mina-de-Neves-Corvo-1-1024x576.jpgA multinacional sueco-canadiana Lundin Mining está a equacionar a venda das minas de Neves-Corvo, por cerca de 1.000 milhões de euros. De acordo com o “Expresso”, fontes próximas da empresa revelam que a empresa “está a falar com potenciais assessores para a operação enquanto explora várias opções para as minas de Neves-Corvo”. Com mais de quatro décadas de existência, a mina de Neves-Corvo é uma das maiores da Europa, produzindo cobre e zinco. Gerida pela Lundin Mining através da Somincor, emprega cerca de 2.000 pessoas.

O Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira (STIM) olha para a possível venda das minas de Neves-Corvo com uma “enorme preocupação”. Luís Cavaco, dirigente do STIM, olha para o “timing” em que a venda é noticiada com alguma desconfiança, garante que o sindicato foi "apanhado de surpresa" e afirma que vai pedir uma reunião à administração da empresa porque quer esclarecimento sobre esta situação. O sindicalista "teme" que venha a assistir a um cenário igual àquele que já viveu em Aljustrel.

CNA exige que o Governo “passe das palavras aos atos e demonstre vontade política”

Zé LG, 10.08.22

CNA.png“Quatro anos volvidos sobre a publicação do decreto-lei que institui o Estatuto da Agricultura Familiar (EAF) muito falta fazer por parte do Governo e dos diversos ministérios”, assinalou a CNA - Confederação Nacional da Agricultura . Por outro lado, a situação da agricultura familiar “agravou-se exponencialmente” com a pandemia de covid-19, sanções “a pretexto da guerra na Ucrânia”, seca, fogos e aumento dos custos de produção.

Apesar de garantir não desvalorizar o que já foi feito, a CNA apelou à adoção de medidas como a criação de um regime de segurança social extensivo aos cônjuges nas explorações, um regime fiscal adequado e prioridade no abastecimento público, acesso à terra e à água, apoios para os sistemas policulturais, bem como a majoração dos apoios nas medidas de desenvolvimento rural para as zonas desfavorecidas ou com desvantagens naturais.

A CNA exigiu que o Governo “passe das palavras aos atos e demonstre vontade política”, a começar pela convocação da Comissão Nacional da Agricultura Familiar (CNAF).

RESIALENTEJO instala Eco Centro e de uma Estação de Transferência de Recicláveis

Zé LG, 09.08.22

Estaciones-de-trasnferencia-head-83f77d90-690x450.O Parque Industrial de Moura, foi o local escolhido pela RESIALENTEJO e pela autarquia, para a construção de um Eco Centro e de uma Estação de Transferência de Recicláveis, que vai receber resíduos recicláveis, incluindo biorresíduos, e é essencial para a consolidação do sistema de recolha selectiva porta-a-porta implementado no concelho, sendo Moura a cidade “piloto” a nível regional e nacional, deste projecto. A empreitada da construção do Eco Centro e da Estação de Transferência de Recicláveis, deverá estar concluída no primeiro trimestre de 2023.

Resialentejo já tem em funcionamento novo edifício social

Zé LG, 03.08.22

RESIalentejo-768x432.jpgO novo edifício social da Resialentejo, situado no Parque Ambiental do Montinho, já está em funcionamento. Dotado de um novo posto médico, lavandaria, refeitório, sala de convívio e balneários a infraestrutura visa melhorar as condições de trabalho na empresa à centena de colaboradores da empresa . Este novo edifício representa o fim da primeira fase de um investimento em equipamentos de cerca de 4,5 milhões de euros. Daqui e daqui.