Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Câmara e vendedores de peixe do Mercado Municipal de Beja não se entendem

Zé LG, 02.07.20

Mercado Municipal de Beja: Câmara diz que resolução está “nas mãos” dos operadores.

20200701184446898.jpg

O primeiro passo para a resolução da questão do Mercado Municipal de Beja “está nas mãos dos operadores”, disse Luís Miranda, vereador da autarquia bejense, na reunião de Câmara, quando foi abordada a questão da saída dos vendedores deste espaço, que irá em breve, entrar em obras de requalificação por um período de cerca de 2 anos. António Pimentão, vendedor de peixe, considera que a Câmara Municipal errou ao colocar o contentor no Largo de Santo Amaro e, que os comerciantes, não podem ficar sem trabalhar, por causa de uma falha do executivo.

Operadores recusam sair de Mercado Municipal de Beja. Câmara esclarece situação.

mercado-beja-768x432.jpg

“A CM Beja prolongou, várias vezes, a abertura do mercado até ao momento em que as obras estão iminentes de se iniciarem e portanto esta atitude, depois de termos estado reunidos no dia 18 de junho (…) e depois de termos explicado até quando é que o mercado poderia ficar aberto o que iriamos fazer para que dentro de um mês ou dois a situação fosse resolvida,  muito nos surpreende a atitude que foi tomada pelos operadores”, acrescenta. O Presidente da Câmara de Beja adianta que “a partir de agora a confiança entre as partes está naturalmente quebrada. A Câmara não confia mais em negociações com aqueles operadores”e a situação passa agora para as advogadas da autarquia.

Francisco da Costa é o novo diretor-geral da ADRAL

Zé LG, 28.06.20

201910161727045666.jpgO Conselho de Administração da ADRAL – Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo já nomeou o seu novo diretor-geral. Francisco da Costa, tem 48 anos, é licenciado em História, empresário na área da comunicação, 2.º secretário da CIMAC – Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, consultor nos setores público e privado e administrador empresarial e é agora o novo diretor-geral da ADRAL.

O novo Diretor-Geral inicia funções no próximo dia 1 de julho, sucedendo a Victor Dordio que, nos últimos doze meses, exerceu aquele cargo interinamente.

RESIALENTEJO aposta na compostagem comunitária e doméstica e na recolha seletiva de bio resíduos na cidade de Beja

Zé LG, 28.06.20

resialentejo-768x432.jpgA RESIALENTEJO - Empresa Intermunicipal de Valorização de Resíduos viu aprovadas, pelo POSEUR, duas candidaturas, em parceria com os oito municípios, relativas à gestão de bio resíduos que totalizam 751 866 euros, com apoio a 85% do Fundo de Coesão.

De acordo com a RESIALENTEJO, aquelas candidaturas “vão permitir melhorar a gestão dos bio resíduos produzidos pelos municípios, apostando na promoção da compostagem comunitária e doméstica em alguns aglomerados populacionais da região e na recolha seletiva de bio resíduos na cidade de Beja”.

“Complementarmente apostar-se-á na dinamização de uma campanha de sensibilização direcionada para esta temática.”

Refinaria de Sines retomou produção após mês de paragem

Zé LG, 19.06.20

A refinaria de Sines retomou a atividade depois de mais de um mês de paragem devido à impossibilidade de escoar os combustíveis, no seguimento das dificuldades provocadas pela pandemia de covid-19.

ta4 sines.pngA Galp Energia garantiu que o “calendário previsto para o processo de retoma gradual da produção está a ser cumprido, tendo sido já reativada a produção da refinaria de Sines”, e que “o ajustamento planeado do sistema refinador da Galp, anunciado no final de abril, continua a decorrer conforme o programado”.

A Galp, sem revelar o impacto que estas paragens terão nas contas da empresa, justificou esta decisão de retoma de atividade com a “evolução da conjuntura nacional e internacional decorrente da prorrogação do estado de emergência”, decretado a 19 de março devido à pandemia, que impôs “medidas extremas de contenção, quarentenas cada vez mais restritivas e a paralisação da maioria das atividades económicas”.

Vendedores de peixe do Mercado descontentes com mudança para Largo de Santo Amaro

Zé LG, 10.06.20

202006081345023842 peixaria.jpgA partir da próxima segunda-feira, dia 15, comerciantes e operadores do Mercado Municipal de Beja vão ser transferidos para o Largo de Santo Amaro, durante cerca de um ano e meio, devido às obras de reabilitação daquele equipamento municipal. A solução encontrada pela Câmara de Beja não agrada a parte dos vendedores, em particular, aos da peixaria.

O presidente da Câmara Municipal de Beja, Paulo Arsénio, esclareceu que “no que toca à peixaria, as condições do mercado não são para já as ideais e as indicadas” e disse que “isso não significa que no futuro a autarquia não continue à procura de uma solução melhor”, realçando que a situação é particularmente delicada e difícil e que é preciso que os operadores estejam do “lado da solução e não do problema”.

A independência dos órgãos de comunicação social

Zé LG, 02.06.20

Visão 001.jpg"... porque razão serão então, afinal, menos independentes os meios que aceitam uma compra de espaço publicitário pelo Estado, que é "cega", pública e indiscriminada, do que os que a recusam, mas vivem de subsidiação de dezenas de empresários com agendas políticas e interesses privados?"

Mafalda Anjos, Directora da Visão.

Fundação Vodafone apoia fumadores na Praia de Beja

Zé LG, 31.05.20

202005271008594123 Cinco Réis.jpgO Parque Fluvial dos Cinco Reis vai ser contemplado com uma cadeira anfíbia, um sistema especial de comunicações para os nadadores-salvadores, uma bóia e respectivo mastro de praia e cinzeiros de praia através do Programa “Praia Saudável” da “Fundação Vodafone” resultado de uma candidatura que tinha sido feita pela autarquia bejense.

PCP quer esclarecimentos sobre o problema ambiental e de saúde pública em Fortes

Zé LG, 27.05.20

O Grupo Parlamentar do PCP deu entrada de um requerimento a solicitar a presença de um conjunto de entidades para prestar esclarecimentos sobre o problema ambiental e de saúde pública em Fortes, no concelho de Ferreira do Alentejo e nos concelhos limítrofes, relacionado com laboração do bagaço de azeitona.

202003041945039545 pcp.jpgO PCP recorda que, em Agosto de 2018, na Assembleia da Republica foi aprovada por unanimidade uma “Resolução que Recomenda ao Governo Português que promova medidas urgentes para por termo ao problema ambiental e de saúde pública em Fortes, Ferreira do Alentejo e concelhos limítrofes, relacionado com laboração do bagaço de azeitona, da qual nada foi cumprido”.

Porque têm os clubes e os jogadores de futebol tratamento diferente dos outros trabalhadores e empresas / serviços, face à COVID-19?

Zé LG, 21.05.20

images.jpgPorque é que os clubes de futebol tiveram de ter um conjunto apertado de regras aplicadas pela DGS às suas instalações e aos seus trabalhadores (jogadores, equipas técnicas e demais profissionais) para poderem voltar à sua actividade e a generalidade das empresas não?

Quantos jogadores, técnicos e outros profissionais de futebol foram infectados pelo novo Coronavírus e quantos trabalhadores de outras actividades o foram? Veja-se o que se tem passado, nos últimos dias, na Plataforma Logística de Azambuja...

Importa ainda não esquecer que muitos trabalhadores, de diversas actividades não pararam de trabalhar e outros passaram mesmo a trabalhar mais para que os países não parassem e pudéssemos continuar a viver.

Parece tratar-se de um contra-senso, porque são precisamente os jogadores, técnicos e demais profissionais de futebol que têm maior vigilância no controlo sanitário e, consequentemente, os riscos que correm são menores...

Maior central fotovoltaica do país com mais de 700 mil painéis solares vai nascer em Castelo de Vide

Zé LG, 03.05.20

A maior central fotovoltaica do país, com mais de 700 mil painéis, capazes de produzir energia suficiente para cerca de 160 mil habitações, vai ser construída em Castelo de Vide. Projetada para uma área de 400 hectares, com um prazo de execução de cerca de um ano, implica um investimento superior a 120 milhões de euros.

95788348_2997610856982398_9079575556827119616_o soO licenciamento para a obra, projetada em propriedades de Castelo de Vide e num outro concelho vizinho, já deu entrada nos serviços da Câmara de Castelo de Vide. A construção desta central, batizada com o nome do navegador português Diogo Cão, obrigará à construção de linha exclusiva de alta tensão de ligação à REN.

Recomendações da ACT para adaptar os locais de trabalho e proteger os trabalhadores

Zé LG, 29.04.20

act.jpgMais de um mês depois de parte do país se ter adaptado ao teletrabalho ou suspendido atividade devido à pandemia de Covid-19, Governo e empresas já preparam o regresso. No Dia Nacional de Prevenção e Segurança no Trabalho, a Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) lançou 19 recomendações para "garantir que todos convivam e trabalhem com segurança, saúde e bem-estar“.

Para que nenhum cuidado seja esquecido e para que as empresas funcionem da melhor forma possível, acabam de ser disponibilizadas pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em articulação com a ACT e a DGS [Direção Geral de Saúde], 19 Recomendações para Adaptar os Locais de Trabalho e Proteger os Trabalhadores”.

Galp suspende atividade na refinaria de Sines por impossibilidade de escoamento "dos produtos produzidos", na sequência da pandemia

Zé LG, 24.04.20

202004211236192771 sines CT.jpgA Galp anunciou que vai suspender a atividade na refinaria de Sines a partir de 4 de maio e durante cerca de um mês, por impossibilidade de escoamento "dos produtos produzidos", na sequência da pandemia.

Hélder Guerreiro, da Comissão de Trabalhadores da Refinaria de Sines, está preocupado com a situação e, embora a empresa tenha afirmado que “a medida não terá impacto nos salários dos trabalhadores”, diz que “o mais importante nesta altura é garantir todos os postos de trabalho, incluindo dos prestadores de serviços e evitar mais despedimentos que podem criar a situação social grave em toda a região”.

CCAM de Beja e Mértola doou 40 mil euros à ULSBA, para aquisição de cinco ventiladores para o Hospital de Beja

Zé LG, 15.04.20

202003102208341788 Covid-19.jpgO Conselho de Administração da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Beja e Mértola decidiu apoiar a ULSBA- Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo através de uma doação de 40 mil euros, para aquisição de cinco ventiladores para o Hospital José Joaquim Fernandes em Beja, “sendo o valor remanescente canalizado para comparticipar os custos associados à transformação dos quartos de isolamento COVID-19 com pressão negativa”.
A ULSBA, que estima que a entrega dos equipamentos possa ocorrer na próxima semana, “assinala e enaltece publicamente o movimento de apoio social, individual e coletivo, que a população e entidades da região têm protagonizado durante estes tempos difíceis que vivemos (…)”.

Gostei de ouvir António Saraiva

Zé LG, 07.04.20

images.jpgO líder da CIP defendeu, esta noite na SIC, algumas posições, como a necessidade de parte da dívida externa ser perdoada, que até há muito pouco tempo apenas era defendida pela "esquerda radical" e pouco mais. Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades...

Apresentou uma proposta das empresas se comprometerem a não despedir nem a distribuir dividendos durante quatro anos, como contrapartida de financiamento necessário à manutenção da sua actividade. Parece uma proposta que vale a pena ser considerada e que pode ser parte da solução para a crise económico-social que está aí.

Lay Off para os Funcionários Públicos?!

Zé LG, 06.04.20

Porque tenho ouvido pessoas a perguntar porque é que o governo não coloca, transcrevo aqui este texto de RuiMCB, do Economia e Finanças, que os pode ajudar a esclarecer.

Ode a João Vieira Pereira: Lay On para os FP

COVID-19-900x900.jpg

Ode a João Vieira Pereira! O João, no seu editorial de hoje no Expresso indigna-se por os funcionários do Estado não estarem a contribuir para o sacrifício nacional pois não há um único em lay off com corte de salário (que seria pago pelo mesmo Estado). De quem falará ele?

Diz que não é dos 30.569 médicos, nem dos 49.022 enfermeiros. Nem será dos 9.670 técnicos de diagnóstico e terapêutica. Bem como dos 1.962 técnicos superiores de saúde. Também não será dos 51366 polícias das forças de segurança ou dos 1.548 polícias municipais. Ou dos 2.292 Bombeiros.

Se bem percebi também não fala dos 136.150 professores dos vários níveis de ensino básico e secundário que continuam a dar aulas à distância e a preparar o que aí vem. Ou dos 15.241 docentes universitários e 10.470 docentes superior politécnico que continuam com aulas não presenciais.

Continue a ler o resto resto do texto, porque vale a pena.

Chineses vão produzir EPI em vez de pilhas em fábrica a instalar em Beja

Zé LG, 01.04.20

Depois de, em 2008, a Câmara Municipal de Beja e a empresa Hipo - High Power Green Batteries, Lda terem assinado um protocolo, visando a cedência de terreno para a instalação de uma fábrica de produção de baterias/pilhas e outros produtos industriais, com a criação de 580 postos de trabalho, em três fases distintas num período total de 8 anos, que levou uma Delegação da Câmara de Beja à China nesse mesmo ano, e de, mais tarde, em 2011, ter sido considerada a possibilidade de passarem a ser fabricados caças sul-coreanos em vez de pilhas chinesas, os chineses voltaram à carga e propõem-se instalar agora a referida fábrica, mas virada para a produção de EPI – equipamentos de protecção individual -, de forma a abastecer o mercado europeu e não só daqueles equipamentos destinados a fazer face à Covid – 19.

A confirmar o interesse efectivo dos chineses neste projecto é a reunião marcada para amanhã na Câmara Municipal, com a presença de uma delegação chinesa e representantes de vários ministérios, com o objectivo de fechar o acordo que viabilize o investimento, de forma a que a fábrica possa começar a laborar ainda este ano.

ESCLARECIMENTO aos mais distraídos: Esta foi a minha mentira do 1 de Abril.

“Agricultura do sudoeste alentejano continua a alimentar o país” ou está a seguir um “caminho extremamente arriscado”?

Zé LG, 31.03.20

imgLoader2.ashx estufas.jpgO Movimento Juntos Pelo Sudoeste acusou empresas frutícolas de Odemira e Aljezur de seguirem um “caminho extremamente arriscado” ao continuarem a operar, podendo “colocar em risco a saúde de milhares de pessoas”, devido à pandemia de covid- 19. “Poderá ser uma decisão economicista, em contraciclo com muitas outras empresas no país que foram obrigadas a parar”.

O comunicado do movimento surge em reação a uma nota de imprensa da Associação dos Horticultores, Fruticultores e Floricultores dos Concelhos de Odemira e Aljezur (AHSA), com o título "Agricultura do sudoeste alentejano continua a alimentar o país”. As associadas da AHSA, que "representam mais de 200 milhões de euros de faturação anual", mantêm "atividade em pleno", apesar da pandemia de covid-19, e "Continuam a operar e a alimentar a cadeia de distribuição nacional e internacional", seguindo "todas as orientações das autoridades" e priorizarando “ao máximo a prevenção e a implementação e adaptação dos seus planos de contingência".

PSA Sines apoia trabalhadores, famílias e comunidade para fazer face à pandemia da covid-19

Zé LG, 28.03.20

imgLoader2.ashx.jpgA empresa PSA Sines, concessionária do Terminal XXI do porto alentejano, vai atribuir este mês um valor adicional de 300 euros a cada um dos mais de mil colaboradores para fazer face à pandemia da covid-19. O diretor-geral da empresa de Singapura, Gobu Selliaya, anunciou que o valor individual de 300 euros vai ser processado ainda este mês “na esperança que esta medida possa ajudar a fazer face a alguns dos constrangimentos imediatos, diretos e indiretos, provocados por esta pandemia”.

A empresa estendeu ainda o apoio às famílias que se encontram em casa, a dar apoio aos filhos menores, adiando para abril o processamento do desconto no salário daqueles “que optaram por acionar a ausência” devido ao encerramento das escolas.

Alargando o apoio à comunidade, a PSA Sines fez um donativo à Santa Casa da Misericórdia local, que vai permitir à instituição a criação de “um espaço próprio/adequado para o caso de ser necessário ativar a quarentena dentro das suas próprias instalações”, referiu o mesmo responsável.

A Agricultura Não Para

Zé LG, 25.03.20

CAP-768x433.jpgSob este lema, a CAP – Confederação dos Agricultores de Portugal lançou uma linha de atendimento e apoio com o objetivo de, “no atual contexto de estado de emergência declarado, esclarecer os agricultores e a comunidade (…), assim como ao acesso às medidas que foram, entretanto, anunciadas para fazer face a este período conturbado”.

A linha de atendimento telefónico, cujo o número é o 217 100 000 e funciona todos os dias úteis, de segunda a sexta-feira, entre as 9h e 17h, é assegurada pelos técnicos especialistas da CAP e serve “igualmente para a Confederação recolher, diretamente do terreno, informação sobre as principais dificuldades com que os Agricultores e Comunidades Rurais se debatem na sua atividade diária, de forma a informar o Governo e, assim, garantir o funcionamento do setor agrícola, do Mundo Rural e da cadeia de abastecimento nacional”.