Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Afinal, Beja vai avançar no desconfinamento. Fez bem Paulo Arsénio em ter reclamado.

Zé LG, 16.04.21

202104160015031173.jpgA Direção Geral da Saúde corrigiu os dados epidemiológicos da incidência cumulativa, que o presidente da Câmara Municipal de Beja, Paulo Arsénio, já tinha contestado.
Com esta correção significa que o concelho sai da linha vermelha traçada pelo Governo, de mais de 120 novos casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, e pode ser retirado do grupo de sete concelhos que não avançam para a terceira fase de desconfinamento, a partir da próxima 2ª feira.

Fez bem o presidente da Câmara em ter reclamado. Aguardemos pelas explicações da DGS para o erro.

A DGS está a tramar Beja? Paulo Arsénio tem de provar esta grave acusação e exigir mais um passo no "desconfinamento"

Zé LG, 16.04.21

202104160015031173.jpgA DGS devia explicar onde é que foi buscar este número que, de facto, vai muito para além dos novos casos [de covid-19] que foram comunicados à Câmara Municipal de Beja nos últimos 14 dias”, exigiu Paulo Arsénio, segundo o qual, Beja teve uma incidência de “101 casos por 100 mil habitantes” entre os dias 01 e 14 de abril, pelo que existe “a perceção clara” de que, “do ponto de vista matemático”, o concelho está abaixo do limite de 120 casos por 100 mil habitantes.
“Mas há mais: não temos ninguém de Beja internado no hospital neste momento e não temos nenhum surto no concelho, onde existem apenas 24 casos ativos. As cadeias epidemiológicas estão todas identificadas. Não faz sentido [excluir o concelho da próxima fase de desconfinamento]”, insistiu Paulo Arsénio.

Estas são acusações muito graves, porque, a confirmarem-se, o Concelho de Beja e a sua população estão a ser castigados e prejudicados indevidamente. Paulo Arsénio tem de demonstrar que os números da DGS estão errados e exigir do governo a reversão da situação. E deve fazê-lo até Segunda-Feira.

ESCLARECIMENTO: A Direção Geral da Saúde corrigiu os dados epidemiológicos da incidência cumulativa, que o presidente da Câmara Municipal de Beja, Paulo Arsénio, já tinha contestado.

João Português diz que ficou “mais claro o caminho a seguir para desenvolver social e economicamente o concelho” de Cuba

Zé LG, 14.04.21

imgLoader2.ashx.jpgO presidente da Câmara de Cuba, João Português, faz o balanço do atual mandato, considerando que, “apesar das circunstâncias difíceis”, permitiu tornar “mais claro o caminho para desenvolver social e economicamente o concelho”. O autarca elege, como principal prioridade, “o combate à pandemia” e a “defesa da saúde das nossas populações”.

O que se modificou no concelho de Cuba, desde 2017: Este mandato representará uma revolução ao nível da reabilitação urbana; na mobilidade pedonal ou de bicicleta; na reabilitação de equipamentos culturais e desportivos; no setor do turismo; no setor social – com a criação de inúmeros projetos nesta área; na proteção civil municipal que, em conjunto com os serviços de ação social, soube ultrapassar os momentos críticos provocados pela crise sanitária; ao nível do desenvolvimento económico – com boas expectativas de uma evolução positiva, apesar da crise económica provocada pela pandemia, com a instalação de novas empresas e a criação de postos de trabalho.

As “obras” mais emblemáticas deste mandato: a conclusão da Casa Museu Fialho de Almeida; a reabilitação urbana do centro da vila de Cuba; a obra de reabilitação da Rua 1.º de Maio e do Largo da Estação; o Ecoparque do Alentejo Central - Praia Fluvial de Albergaria dos Fusos, a concluir até ao final de julho.

O que poderá ficar por cumprir: a instalação de um equipamento social na freguesia de Vila Ruiva.

Os principais problemas com que o concelho de Cuba se debate: despovoamento; atraso na melhoria dos acessos rodoviários e na modernização da linha ferroviária do Alentejo.

Os principais desafios para o quadriénio 2021/2025: a defesa da autonomia caracterizadora da administração local; combater a intenção de agregação dos pequenos concelhos; aproveitamento das verbas sobrantes do Portugal 2020, enquanto se prepara a execução do quadro comunitário 2030.

AgdA elegeu órgãos sociais para o mandato 2021-2023

Zé LG, 11.04.21

75233905_10215765740398562_1446210458880049152_n.jFrancisco Narciso foi reeleito presidente do conselho de administração da empresa Águas Públicas do Alentejo (AgdA), com sede em Beja, para o mandato 2021-2023.

O novo conselho de administração foi eleito durante uma Assembleia Geral de acionistas e para além do presidente Francisco Narciso, conta com Simone Pio e João Maurício como vogais executivos, Maria de Fátima Coimbra e Álvaro Beijinha como vogais não executivos.

A mesa da Assembleia Geral é presidida por António Bota, presidente da Câmara de Almodôvar, enquanto a Comissão de Vencimentos tem como presidente Carla Correia.

Câmara de Moura apagou lápide e substituiu-a por outra idêntica, mudando a data, apropriando-se do que outros fizeram

Zé LG, 10.04.21

3-cópia.jpg“Fico orgulhoso do trabalho realizado (nos Quartéis entre 1997 e 2014). E vejo na incapacidade atual em imaginar e em inovar o estado a que chegámos. Quando não se é capaz de fazer melhor que mudar lápides como forma de marcar terreno está (quase) tudo dito.”

Santiago Macias, ex-presidente da Câmara Municipal de Moura, aqui.

Ministra da Coesão Territorial visita Castro Verde

Zé LG, 06.04.21

202104051006546230.jpgA ministra da Coesão Territorial visita Castro Verde, esta 3ª feira. Trata-se de uma visita para Ana Abrunhosa contatar de perto com os principais projetos concluídos e em curso naquele concelho.
A agenda da ministra inclui uma reunião com o presidente da Câmara Municipal, António José Brito, nos Paços do Município e visitas às novas instalações do Centro de Artes e Viola Campaniça e às obras da futura Residência Autónoma da Cooperativa de Educação e Reabilitação de Crianças Inadaptadas e Solidariedade Social dos Concelhos de Castro Verde, Ourique e Almodôvar( CERCICOA).
Ana Abrunhosa marca ainda  presença numa Sessão Pública que assinala o final das obras da Rua Morais Sarmento, uma das principais vias comerciais de Castro Verde.

E assim se promove a "coisão" territorial...

Morreu o presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, vítima de covid-19

Zé LG, 04.04.21

AH.pngO presidente da Câmara Municipal de Viseu, António Almeida Henriques, faleceu esta manhã no Hospital de São Teotónio, vítima de complicações respiratórias decorrentes da COVID-19". Estava internado desde dia 10 de Março, cinco dias depois de ter testado positivo.

António Almeida Henriques tinha 59 anos e era Presidente da Câmara Municipal de Viseu desde 2013. "Foi deputado à Assembleia da República, nas IX, X e XI e XII Legislaturas e Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PSD entre 2005 e 2007 e 2010 e 2011. Entre 2011 e 2013, exerceu funções como Secretário de Estado Adjunto da Economia e Desenvolvimento Regional do XIX Governo Constitucional, liderado por Pedro Passos Coelho”.

À família, à Câmara Municipal de Viseu e ao PSD apresento as minhas condolências.

“Dois investimentos fundamentais vão arrancar” em Castro Verde, afirma António José Brito

Zé LG, 04.04.21

imgLoader2.ashx.jpgAntónio José Brito, presidente da Câmara Municipal de Castro Verde, fez o balanço do atual mandato, considerando-o um novo ciclo na gestão autárquica do concelho, “com mais ambição e um olhar moderno para a gestão municipal”. O autarca refere a importância da zona empresarial e a requalificação da escola secundária, “dois investimentos fundamentais que vão arrancar” em Castro Verde, como “caminhos decisivos para rejuvenescer o tecido social e, consequentemente, potenciar domínios como a educação, saúde, juventude, cultura e turismo”.

As “obras” mais emblemáticas deste seu mandato: A Estrada de Santa Bárbara, que dá acesso à Mina de Neves-Corvo. A requalificação da Rua Morais Sarmento. O grande investimento, de meio milhão de euros, no pavilhão desportivo. A construção do Centro de Artes e da Viola Campaniça e a requalificação de todos os parques infantis da vila. Ajudámos muito a paróquia, no processo de requalificação da Basílica Real e foram feitos investimentos significativos na melhoria da rede de águas.

Objetivos que poderão ficar por cumprir: A reabilitação urbana do Largo Vítor Prazeres/Rua António F. Colaço e a construção de um grande parque de estacionamento nessa zona. A criação da Zona Empresarial de Castro Verde e a requalificação da escola secundária.

Os principais desafios do próximo mandato: Uma requalificação, ainda mais ampla, da rede de águas de Castro Verde e das nossas estradas municipais. Concluir e alargar a requalificação urbana na zona antiga de Castro Verde e nas sedes de freguesia. Uma nova creche, moderna e ampla, em Castro Verde. Novas instalações para as extensões de São Marcos da Atabueira e Casével. Ampliar e melhorar muito as condições do serviço de urgência de Castro Verde. O Museu da Feira de Castro e o Centro Futuro.

Informe do presidente da Câmara sobre as obras em Beja

Zé LG, 01.04.21

166992342_1167526133679628_6373420107566883107_n.j

Paulo Arsénio informa, na sua página do FB, o seguinte:

«Passeio da Avenida Zeca Afonso em fase avançada.

Faltam os pilaretes numa zona do passeio e as lajes até ao lancil.

Obra por empreitada.

Na mesma empreitada estão incluídas mais 3 pequenas obras que se seguem;

A par desta decorrem neste momento,

“Quatro projetos que farão a diferença no futuro da cidade e do concelho” de Beja, na opinião de Paulo Arsénio

Zé LG, 26.03.21

imgLoader2.ashx.jpgO presidente da Câmara de Beja, Paulo Arsénio, fez o balanço do atual mandato, recordando que a pandemia “condicionou muito o que seriam execuções normais das autarquias” e garantiu estar “em execução, em Beja, o maior volume de obra em simultâneo, desde o Programa Polis”.

O que se modificou no concelho de Beja, desde 2017

O início da reabilitação do mercado municipal e toda a transformação no centro histórico – através dos percursos acessíveis e do lançamento de empreitadas de reabilitação nesta zona -, para além da Zona de Acolhimento Empresarial Norte e da requalificação da piscina municipal, acabarão por marcar este mandato. Estes quatro projetos, que farão a diferença no futuro da cidade e do concelho,

Objetivos ambicionados para este mandato que ficam por cumprir

Não termos conseguido avançar com o projeto de musealização para o Centro de Artes e Arqueologia. Requalificação do parque de campismo.

Principais problemas com que o concelho de Beja se debate 

A falta de habitação social e um casco urbano muito envelhecido, em vastas zonas do centro histórico. As péssimas acessibilidades rodoviárias e ferroviárias a Beja.

Principais desafios para o quadriénio 2021/2025

Aproveitar os novos fundos comunitários. Fazer com que Beja se afirme, progressivamente, como polo de excelência de pequena e média indústria, ligada às oportunidades que Alqueva proporciona. Potenciar as oportunidades turísticas que Beja tem, continuando a recuperar o património edificado. Afirmar Beja como capital de uma futura região do Baixo Alentejo. Acompanhar de perto a execução do PNI 2030 no território, para que não sejamos ultrapassados na resolução do problema das acessibilidades.

Vereadores da CDU, atentos às tentativas de privatização da gestão da água, continuam a pugnar pela defesa do caráter público da EMAS

Zé LG, 24.03.21

201803061730278395.jpgOs vereadores da CDU defendem que “o desenvolvimento sustentável, o uso racional da água, a valorização ambiental do território e seu acesso, universal e equitativo, só podem ser garantidos através de uma gestão ao serviço do interesse público e com respeito pela autonomia e competências dos municípios.”

A CDU afirma que “a tarifa da água, saneamento e resíduos, praticada no concelho de Beja é a mais alta de todo o distrito” e que “os Vereadores da CDU estarão atentos às tentativas de privatização da gestão da água que se têm vindo a colocar e continuará a pugnar pela defesa do caráter público da EMAS.”

Lourenço Féria morreu

Zé LG, 23.03.21

Screenshot_20210322_183948-746x1024.jpgLourenço António Goes Martins Féria, agricultor, natural da Salvada, com 86 anos de idade, morreu ontem, dia 22, na sua residência em Beja.
O funeral realiza-se hoje, dia 23, às 10:00 horas, da Igreja do Carmo para o Cemitério de Beja.
Fundador do CDS na região, Lourenço Féria foi, durante décadas, presidente da distrital de Beja do partido. Foi eleito na Assembleia Municipal de Beja.
Foi quando ambos desempenhámos funções autárquicas que o conheci e estabeleci uma relação de estima mútua, apesar de nos situarmos em posições políticas opostas. Lourenço Féria era um homem simpático, cordial, bom conversador, com grande gosto pela política que fez com entusiasmo, defendendo os seus pontos de vista mas respeitando os dos outros.
À sua família e ao CDS apresento os meus sentidos pêsames.

“Será necessário continuar a pressionar a Administração Central para olhar de outra forma para as especificidades do interior”

Zé LG, 16.03.21

imgLoader2.ashx.jpgEm entrevista ao “DA", João Serranito Nunes, presidente da Câmara Municipal de Barrancos (que não se vai recandidatar) faz o balanço do atual mandato, realçando o combate à pandemia como a principal prioridade atual do executivo.

Objetivos, por si ambicionados para este mandato, que poderão ficar por cumprir:

A má qualidade das acessibilidades e a falta de apoios à fixação de pequenas e médias empresas, constrangimentos que temos vindo a reivindicar junto do Governo. A instalação de empresas, trabalho que tem sido extremamente prejudicado pela pandemia. Existem projetos em cima da mesa, um deles na área da saúde, que terão de esperar, até haver condições para novos desenvolvimentos. A grave situação de desemprego que encontrámos no início do mandato, seguida da pandemia, vieram alterar alguns dos objetivos do executivo.

Palácio da Justiça de Beja continua “na estaca zero”, apesar do governo ter tido “todo o tempo do mundo para resolver este assunto”

Zé LG, 11.03.21

21921116_ykoYf-690x450.jpegO presidente da Câmara de Beja relembrou o governo de “que nos termos do protocolado entre a Câmara Municipal de Beja e o Instituto de Gestão Financeira do Ministério da Justiça, se a construção do Palácio da Justiça não se iniciar até 30 de outubro de 2022, o terreno cedido reverterá de novo para o Município” e que “Será exatamente isso que faremos se estivermos na Câmara.”

Paulo Arsénio afirma ainda que “Se até 30 de outubro de 2022 a construção do equipamento não se iniciar, caberá ao governo em funções solucionar por meios próprios a questão do terreno para a edificação pretendida, e suportar os custos de adaptação do projeto já existente ou de elaboração de novo projeto”, recordando “que o terreno onde está prevista a construção do equipamento foi cedido pelo Município de Beja a título gratuito e que os custos com o projeto também ficaram a cargo do Município de Beja.”

Paulo Arsénio relembrou ainda ao governo “que desde que o segundo concurso ficou deserto em setembro de 2019 não houve qualquer novo desenvolvimento sobre o assunto pese as múltiplas instâncias da CM Beja”, pelo que “tem pouco mais de um ano e meio para iniciar a construção do Palácio da Justiça de Beja” e que “O tempo continua a correr.”

Pedro do Carmo eleito representante de Portugal na União Interparlamentar

Zé LG, 06.03.21

202103051752265286.pngPedro do Carmo, deputado socialista eleito pelo círculo de Beja, é um dos oito representantes de Portugal na Assembleia da União Interparlamentar que atualmente é presidida pelo deputado português Duarte Pacheco.

A União Interparlamentar (UIP) é a organização internacional dos Parlamentos dos Estados soberanos. Nos termos dos seus Estatutos, partilha os objetivos da Organização das Nações Unidas e apoia os seus esforços, trabalhando com ela em estreita colaboração.

Pedro do Carmo afirma que “naturalmente, tudo farei para dar expressão neste fórum do sentir, dos problemas e dos desafios do Mundo Rural e dos territórios de baixa densidade, realidades que nem sempre têm a visibilidade que merecem como espaços de identidade, de potencial produtivo e de sustentabilidade. Também aqui procurarei dar voz e defender a nossa realidade como Baixo Alentejanos, integrados num território rural”.

“O envelhecimento da população é dos principais problemas” de Alvito

Zé LG, 23.02.21

imgLoader2.ashx.jpgAntónio João Valério, presidente da Câmara Municipal de Alvito, em entrevista ao “Diário do Alentejo, faz o balanço do atual mandato, considerando-o “interrompido”, pela situação pandémica que, desde há um ano, se vive. Uma situação que, segundo o autarca, levou os responsáveis municipais, a terem que, “inevitavelmente”, olhar de forma preponderante para “situações de emergência social e de saúde pública”.

Principais problemas com que o concelho se debate: Envelhecimento da população, baixas taxas de natalidade, dificuldade de fixação dos jovens e de quadros, com consequências ao nível da falta de massa crítica, no concelho.

Principais desafios que o presidente de câmara, que será eleito para o quadriénio 2021/2025, terá pela frente: Acessibilidades, dinamização/promoção do ensino – particularmente o profissional –, e sustentabilidade do projeto Pousada do Castelo de Alvito, associado à Novalvito.

Paulo Arsénio desmente denúncias sobre vacinação indevida do Executivo e do Gabinete de Apoio da Câmara de Beja

Zé LG, 21.02.21

26060133_405059736592942_4666802667944049120_o.jpg«... 2º - O Vice-Presidente Luís Miranda foi vacinado contra a COVID-19, como o foram dezenas de outros cidadãos do concelho de Beja com a mesma idade e com as mesmas patologias associadas nas mesmas datas, por ter sido convocado pela médica de família. A função que ocupa não foi critério para a sua vacinação. Quem deve prestar cabais esclarecimentos sobre a convocatória do Vice-Presidente Luís Miranda e de dezenas de outras pessoas nas mesmíssimas condições, deve ser quem procedeu à dita convocatória para a vacinação. Não é comparável a sua situação com outras, nomeadamente a ocorrida em Lisboa, e que determinou a demissão do Vereador em causa;

3º - Para além do Vice-Presidente mais ninguém do Executivo ou do Gabinete (nomeados politicamente) se encontra vacinado neste momento. Eu próprio, a Vereadora Marisa Saturnino, o Vereador Arlindo Morais, o Chefe de Gabinete Nuno Pancada, o Adjunto Pedro Luís Santos e as Secretárias Cláudia Gonçalves e Rita Brito, não estamos vacinados, nem nunca estivemos para o ser até ao momento; ...» 

Paulo Arsénio, presidente da CM de Beja, aqui

 

Este era o esclarecimento que faltava para pôr ponto final às dúvidas levantadas sobre vacinações indevidas. É pena que não tenha sido feito logo que as mesmas vieram a público. Teria evitado muita conversa e o alimentar das dúvidas levantadas. Pelo menos aqui, onde, pela minha parte, dou por encerrada esta questão política.

Assembleias Municipais querem ser “voz ativa” na definição de políticas regionais

Zé LG, 11.02.21

ComunicadoANAM_Prancheta-1-1024x529.pngA Associação Nacional das Assembleias Municipais (ANAM) está a ter reuniões com as cinco CCDR, porque as Assembleias Municipais querem participar mais na definição das políticas a nível local e consideram que estes organismos regionais - o nível de poder intermédio entre o poder central e a administração local - podem “levar ao Governo” os problemas, as sugestões e o trabalho que está a ser feito nas regiões.
Entre as principais preocupações que a ANAM levou para estes encontros, estão o combate à pobreza, que está a intensificar-se devido à conjuntura de pandemia, a saúde e a transição digital, além de outras políticas públicas regionais, numa altura em que se está a delinear o plano para aplicação dos fundos comunitários para os anos 2020/2030. Todos os documentos que resultaram destas reuniões têm sido distribuídos pelas Assembleias Municipais, com o objetivo de que os eleitos e os cidadãos que representam saibam “como é que se está a projetar melhorar as suas condições de vida em termos regionais”.

Álvaro Nobre morreu

Zé LG, 28.01.21

3d041a_23307346f23c45ac919fe46289525ee1_mv2.jpgÁlvaro Nobre, de 86 anos, natural de Cabeça Gorda morreu no passado dia 26 tendo o funeral sido realizado do dia seguinte, da casa mortuária de Cabeça Gorda para o cemitério da aldeia.

Álvaro Nobre era funcionário público aposentado, tendo sido militante do PCP e eleito autárquico da CDU durante muitos mandatos.

Álvaro Nobre era um Homem bom, íntegro, simples mas sábio e sempre com uma postura correcta. Sempre fiel aos seus ideais, de convicções firmes mas tolerante e sempre privilegiando as convergências e os entendimentos com vista ao bem comum. Tinha estima e um grande respeito por ele.

À Família e ao PCP apresento os meus sentidos pêsames.

Assunção Honrado morreu

Zé LG, 27.01.21

2021012119313165.nb.pngAssunção Leonor Bárbara Gil Honrado, de 69 anos, natural de São Marcos da Ataboeira, morreu no passado dia 21, no Hospital de Torres Vedras, tendo sido cremada no Crematório da Póvoa de Santa Iria, no dia 25.

Assunção Honrado era professora aposentada, tendo sido eleita, como independente, nas listas da CDU, em vários mandatos, na Assembleia Municipal de Beja.

Convivi mais de perto com a Assunção Honrado no período em que ambos fomos autarcas da CDU no Concelho de Beja. Criámos uma relação de estima mútua. Era uma Mulher bem disposta, de bom trato e relacionamento fácil, frontal, sempre fiel aos seus ideais, de convicções firmes, empenhada cívica e politicamente.

Há bastante tempo que não tinha notícias dela e hoje fui surpreendido com a notícia da sua morte, que me deixou consternado.

À família apresento publicamente os meus sentidos pêsames.