Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Trabalhadores do grupo ADP em Greve Nacional pela "valorização do trabalho e mais salários"

Zé LG, 11.06.21

202106091542197248.pngHoje, dia 11, os trabalhadores do grupo Águas de Portugal cumprem uma greve de 24 horas pela concretização das medidas necessárias à sua valorização, num grupo que teve 79 milhões de lucros em 2020. Os trabalhadores dizem estar “fartos e descontentes com a atual situação”, e querem “resposta imediata às suas reivindicações sem mais delongas e desculpas”, refere o STAL.

A greve teve início às 00h00 de hoje, e a paralisação dos grtrabalhadores tem como objetivos reivindicar “o cumprimento da aplicação do acordo de empresa que foi assinado há cerca de 2 anos com a Águas de Portugal”, revela Vasco Santana, coordenador do STAL, acrescentando que se pretende que “estas empresas popossam dar resposta às propostas reivindicativas que foram apresentadas no início do ano” e que não obtiveram resposta.

Jerónimo de Sousa afirmou que é preciso valorizar o trabalho e os trabalhadores

Zé LG, 24.05.21

202105231756547484.jpgPara o PCP a recuperação tem de ser sinónimo de desenvolvimento económico e social, garantia do futuro para Portugal e ter como elemento central a valorização do trabalho e dos trabalhadores”, assim como “tem de ser sinónimo de emprego com direitos e exigência de pleno emprego”, frisou o secretário-geral do PCP, em Baleizão.

Jerónimo de Sousa disse, também, que se assiste à “concentração da riqueza num reduzido punhado de acionistas que se apropriam da riqueza criada pelos trabalhadores” e “sugam colossais recursos públicos” e que o governo do PS “teve todas as oportunidades de responder às necessidades mais prementes, mas nem mesmo as possibilidades abertas pelo Orçamento para 2021 aproveitou”, deixou claro.

ACT levantou 144 autos por infrações laborais, este ano, em Odemira

Zé LG, 16.05.21

imgLoader2.ashx.jpgA ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social referiu que "no caso de Odemira a ACT realizou 122 visitas só em 2021 a 92 empresas, incluindo toda a cadeia de contratação", acrescentando que "foram levantados 144 autos por infrações laborais e estas intervenções abrangeram 4318 trabalhadores".
Segundo a ministra, no setor da Agricultura "nos últimos anos a ACT realizou cerca de 3600 visitas a explorações agrícolas e levantou autos de contraordenação relativamente a 4800 infrações com um valor global de coimas de dois milhões de euros. Temos de procurar encontrar formas eficazes de dissuasão e de responsabilização de toda a cadeia de contratação, é isso que temos feito".

Prioridade da cerca sanitária em Odemira é a saúde pública, diz Eduardo Cabrita

Zé LG, 05.05.21

O ministro da Administração Interna disse que a prioridade da cerca sanitária em Odemira (Beja) é a saúde pública, devido à covid-19, mas o Governo está atento a problemas ligados aos trabalhadores agrícolas.

20210504152746329.jpgQuestionado pelos jornalistas sobre problemas que enfrentam os imigrantes que vêm trabalhar na agricultura no Alentejo, não apenas em Odemira, mas também em outros concelhos da região, nomeadamente nas campanhas da apanha da azeitona na zona de Beja, o governante defendeu que “o essencial é que existam medidas preventivas”.

Eduardo Cabrita adiantou que as questões relacionadas com os trabalhadores agrícolas, muitos deles imigrantes, que representam grande parte dos casos de covid-19 neste concelho, não estão esquecidas pelo Governo, afirmando que: “Não é agora, não é hoje, não é essa a prioridade da cerca sanitária. Não é resolver esse problema, mas o Governo está atento”.

Recordou ainda que “um dos quatro pilares do programa do Governo é, exatamente, o desfio demográfico”, que tem, entre as suas componentes, “uma política de inclusão, de integração”, que “levou aliás à constituição, pela primeira vez, de uma secretaria de Estado para a Integração de Migrantes”.

CGTP-IN contesta falta de direitos e resposta "desequilibrada" do Governo

Zé LG, 01.05.21

safe_image.jpg

A secretária-geral da CGTP-IN afirmou hoje, na concentração do 1.º de Maio em Lisboa, que a pandemia da covid-19 “agravou muitos dos problemas” dos trabalhadores e que “a resposta do Governo” tem sido “desequilibrada”, pedindo o combate à exploração laboral.

Apontando a precariedade, o desemprego, os baixos salários e as reduzidas reformas como “realidades que já cá estavam e que se agravaram”, Isabel Camarinha criticou a resposta do Governo, que “atribui ajudas a quem deveria ser chamado a contribuir e deixa de fora muitos dos que realmente necessitam”. “Não estamos todos no mesmo barco”, reforçou.

No próximo sábado, 08 de maio, está já agendada uma manifestação nacional, a realizar no Porto, para “lutar pelos diretos, por mais emprego, pela produção nacional, pelos salários e os serviços públicos, a lutar por uma Europa dos trabalhadores e dos povos e pela afirmação da soberania”, adiantou a secretária-geral, concluindo que é aos trabalhadores que pertence o futuro.

“Não há desculpa para retrocessos – viver direitos, vencer violências”

Zé LG, 12.03.21

202103101813272098.jpgA Associação das Mulheres Agricultoras e Rurais Portuguesas (MARP) analisa com preocupação a situação atual e, em particular, os impactos na vida das mulheres agricultoras e rurais. Assim sendo, a MARP estará presente e apoia as celebrações do Dia Internacional da Mulher, no dia 13 de março, sábado, em Lisboa, sob o mote “Não há desculpa para retrocessos – viver direitos, vencer violências”, pretendendo levar à rua as reivindicações das Mulheres Agricultoras e Rurais Portuguesas de forma a “semear esperança, cultivar direitos para viver melhor!”

Sindicato e EDP não se entendem nos contratos de saída dos trabalhadores da central termoelétrica de Sines

Zé LG, 07.03.21

202103041506414473.jpgO sindicato das indústrias e energias acusou a EDP de "impor" a trabalhadores da (Setúbal) "a obrigatoriedade da subscrição de contratos de saída, altamente lesivos" após o fecho da instalação. "Subsiste um número ainda significativo de trabalhadores, cerca de 40, que entendem não assinar os contratos porque são prejudiciais para toda a sua vida", explicou o representante do SIEAP, Egídio Fernandes.

Fonte oficial da EDP salientou que "em nenhum caso os trabalhadores são obrigados a escolher uma opção, dispondo de tempo e de informação para ficarem esclarecidos sobre todas as condições". "Tanto que, mesmo depois do encerramento de atividade da Central de Sines, esse processo de conversação ainda decorre junto de alguns trabalhadores".

Com “Confiança, Determinação e Luta-Por um Portugal com Futuro!”, Beja “associa-se” à Jornada Nacional de luta da CGTP-IN

Zé LG, 21.02.21

202102181039181619.pngPara a manhã do dia 25, estão previstos contactos com os trabalhadores, de diversos sectores e abrangendo várias áreas, bem como a distribuição de documentos e a realização de plenários em alguns locais de trabalho. Da parte da tarde, a Praça da República recebe, às 15.00 horas uma concentração com ativistas e dirigentes sindicais.

Maria da Fé Carvalho, coordenadora da União de Sindicatos do Distrito de Beja (USDB), afirma que os direitos dos trabalhadores não podem estar “suspensos” nem confinados e que são várias as exigências que estão na base deste protesto, designadamente a precariedade, os horários de trabalho, que se agravaram com a situação de pandemia, a garantia da saúde, segurança e higiene nos locais de trabalho, bem como um aumento dos salários em 90 euros e, a curto prazo, 850 euros como valor para o salário mínimo nacional.

Não ao racismo e xenofobia!

Zé LG, 14.12.20

«De acordo com a Convenção Internacional sobre a Eliminação de todas as Formas de Discriminação Racial das Organização das Nações Unidas (ONU), não há distinção entre os termos "discriminação racial" e "discriminação étnica", sendo que a superioridade baseada em diferenças raciais é cientificamente falsa, moralmente condenável, socialmente injusta e perigosa, além de não haver justificação para a discriminação racial, em teoria ou na prática, em qualquer lugar do mundo.[9]» – daqui.

African_woman_slave_trade.jpg«Xenofobia (do grego ξένος, translit. xénos: "estranho"; e φόβος, translit. phóbos: "medo"[1]) é o medo, aversão ou a profunda antipatia em relação aos estrangeiros,[2] a desconfiança em relação a pessoas que vêm de fora do seu país com uma cultura, hábito, raça ou religião diferente. A xenofobia compartilha diversas características com o racismo[3] »– daqui.

Vivemos numa casa comum - a  TERRA -, que anda a ser tão mal tratada. Devemos tratá-la com mais cuidado e ter mais respeito uns pelos outros.

PCP promove protesto, frente ao Hospital de Beja, para denunciar problemas no acesso à Saúde

Zé LG, 17.11.20

202011161526551255.jpgO PCP promove hoje, pelas 18horas, uma acção de protesto, em frente ao Hospital José Joaquim Fernandes, em Beja, para denunciar os problemas que a população está a viver no acesso à saúde, agravados pela Covid-19.

Bernardo Loff, médico e representante da DORBE de Beja PCP, diz “o que está em causa é o SNS, num contexto de uma pandemia, cujas consequências são imprevisíveis”, destacando que é necessário o “reforço das Unidades de Saúde Pública, assegurando os rácios de médicos, enfermeiros e técnicos de saúde ambiental por habitantes, que estão estabelecidos na legislação, ou a recuperação de consultas presenciais nos cuidados de saúde primários, que pode ser colmatada com o alargamento dos horários de funcionamento, a fixação de um incentivo excepcional, idêntico ao que é aplicado nos hospitais, bem como o investimento na modernização dos sistemas de comunicações e do equipamento informático”. Também aqui.

Trabalhadores da Administração Local em Luta, marcham até à AR

Zé LG, 23.10.20

202010221943242922 stal.jpgO STAL afirma que o Orçamento do Estado “gora as expetativas dos trabalhadores” e que não “dá resposta às exigências centrais dos trabalhadores da Administração Local”. A marcha nacional que o STAL realiza hoje, tem início às 10.30 horas, na Rua Braamcamp, com destino à Assembleia da República.

PSD e PS reclamam reforço dos serviços públicos e resposta habitacional em Odemira e Aljezur

Zé LG, 12.10.20

PSD defende reforço de serviços públicos para as populações de Odemira e Aljezur

PSD-768x432.jpg

O Grupo Parlamentar do PSD apresentou um projeto de resolução que recomenda ao Governo o reforço dos serviços públicos nos concelhos de Odemira e Aljezur, assim como a definição, no prazo máximo de um ano, da solução urbanística definitiva para a falta de oferta de habitação condigna.

PS pede resposta habitacional “célere” para migrantes do perímetro de rega de Mira

PS-768x432.jpg

O Grupo Parlamentar do Partido Socialista pediu ao Governo uma resposta habitacional para os trabalhadores das explorações agrícolas inseridas no perímetro de rega de Mira, que tem muitos migrantes a viver em “condições de habitabilidade pouco dignas”, numa “condição clara de escassez”.

 

Unanimidade da AM de Aljustrel sobre “culturas intensivas”, “reposição de freguesias extintas” e “suplemento de insalubridade”

Zé LG, 02.10.20

201803061730278395.jpgNa última sessão da Assembleia Municipal (AM) de Aljustrel foram aprovadas, por unanimidade, três moções apresentadas pelos eleitos da CDU. Uma sobre “Proximidade das culturas intensivas e superintensivas aos perímetros urbanos”, outra sobre “Repor as freguesias extintas – um imperativo democrático” e ainda uma terceira “Pela aplicação do suplemento de insalubridade, penosidade e risco”.

STAL acusa a Câmara de Sines de não assegurar lavagem das fardas e “um espaço digno com a colocação de cacifos triplos”

Zé LG, 23.08.20

202008201547482783 sines.pngO STAL acusou a Câmara Municipal de Sines de não cumprir o Acordo Coletivo de Empregador Público (ACEP), “que foi assinado em janeiro de 2019 e que até hoje não foi cumprido", continuado a não ser assegurada "a lavagem das fardas dos trabalhadores que exercem funções na recolha de resíduos sólidos urbanos, cemitério e saneamento, o que não está a acontecer”, tal como “um espaço digno com a colocação de cacifos triplos”.

Os trabalhadores acusam o governo de “negar o direito à aplicação de um suplemento e outras compensações aos trabalhadores da Administração Local que laboram em condições insalubridade e penosidade”.

Plenário de enfermeiros à porta do Hospital de Beja, esta manhã, integrado na semana de da CGTP em defesa da saúde e dos direitos dos trabalhadores

Zé LG, 23.06.20

060320171819-317-CGTP.jpgA Semana Nacional de Luta da CGTP, que está a decorrer até sexta-feira, tem como lema: "Vamos à Luta para defender a saúde e os direitos dos trabalhadores! Garantir emprego, salários, serviços públicos". Plenários e reuniões marcam esta semana de atividades, que passa, igualmente, pelo distrito. Em Beja está agendado para hoje de manhã, pelas 11h30, um plenário de enfermeiros, em frente à entrada principal do Hospital de Beja. “Palavras de reconhecimento, que agradecemos, não chegam. Não chegam porque os enfermeiros continuam com problemas por resolver”

A CGTP protesta contra "a política de agravamento da exploração e empobrecimento, de cortes nos salários e atropelo dos direitos e assume o compromisso de levar a cabo uma ampla ação de esclarecimento, mobilização e luta, reforçando a unidade dos trabalhadores".

"SE SENTES QUE ESTÁS EM PERIGO PEDE AJUDA"

Zé LG, 27.05.20

101384528_165656678257921_986493931363500032_o.png

 “PROTEGER CRIANÇAS COMPETE A TODOS” ⚠️
👉 De forma a tornar mais acessível a comunicação de situações de perigo, e somar a outras linhas de emergência já existentes, a CNPDPCJ, dispõe agora de uma linha telefónica, que garantirá o devido encaminhamento destas situações para a CPCJ territorialmente competente.
Esta campanha destina-se a sublinhar a importância da comunicação das situações de perigo, apelando à especial envolvência de toda a sociedade civil, reforçando o trabalho que tem vindo a ser realizado pelas CPCJ ao longo deste período de pandemia e confinamento.
#protegercriançascompeteatod@s #direitosdacriança #cnpdpcj #cpcj

Viva o 1º de Maio! Sem trabalhadores nada funciona!

Zé LG, 01.05.20

1maio-banner.jpgO 1º de Maio é uma data de afirmação de valores, força e solidariedade de trabalhadores unidos. É uma data que nasceu com a luta de trabalhadores contra a exploração, pelos direitos laborais e sociais, pela dignidade e justiça social.
Hoje, vivemos um momento complexo em que a prioridade é salvaguardar vidas e a saúde de todos. O Serviço Nacional de Saúde está sob grande pressão – a dedicação e empenho dos profissionais de saúde têm sido notáveis – mas também importantes são os trabalhadores que asseguram o funcionamento de outros serviços públicos e sociais, bem como aqueles que produzem bens e serviços essenciais.
E num momento em que muitos trabalhadores e suas famílias passam por dificuldades - e os seus direitos são atacados - desde o emprego, aos salários - a CGTP afirma que os trabalhadores não estão sozinhos.