Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Marciano Lopes sugere criação de “pacto inter-partidário pelo Baixo Alentejo”

201902052225277581.jpgMarciano Lopes é um dos candidatos à presidência da Distrital de Beja do PSD e apresentou, ontem, o manifesto da lista com a qual se apresenta a votos no dia 16 deste mês. No documento é revelada a principal meta desta candidatura, que tem como número dois Luís Galrito, ou seja a de “reafirmar a dignidade da região”, baseada em oito medidas, entre elas um “pacto inter-partidário pelo Baixo Alentejo”. Leia e oiça também aqui.

 

Uma proposta audaz, pertinente e oportuna apresentada por um político sério e competente. Esperemos que os outros partidos não se fechem nos seus casulos e aceitem o desafio de trabalhar para a construção do maior denominador comum para a defesa de Beja e da região.

PLATAFORMA ALENTEJO PROMOVE SESSÃO DEBATE EM BEJA

Sábado, 26 de Janeiro – 16:00 horas, Auditório da Biblioteca de Beja

49949081_2216672455242239_4485165125224890368_n.jp

 

Conheça a importância da "Estratégia Integrada de Acessibilidade Sustentável do Alentejo nas ligações Nacional e Internacional", da Plataforma Alentejo, para Beja, para o Alentejo, para Portugal.
A sessão será aberta pelo Secretariado da Plataforma Alentejo e a palavra será em seguida dada aos presentes. Juntos por Beja, pelo Alentejo, por Portugal!

Plataforma Alentejo quer "mais reconhecimento do poder central" e AMAlentejo quer Comunidade Regional do Alentejo

201808151220054624.jpgA Plataforma Alentejo já reuniu com todos os grupos parlamentares e deu início agora, a uma segunda fase de contactos, que visa sensibilizar os deputados para as reivindicações do movimento e começou pela Comissão Parlamentar de Agricultura. Na opinião da Plataforma é preciso continuar a sensibilizar para as necessidades do território e ganhar mais visibilidade e reconhecimento junto do poder central.

O Projecto de Lei de iniciativa popular com vista à criação da Comunidade Regional do Alentejo conta já com cerca de 12 mil subscritores, revela o Movimento AMAlentejo, entidade promotora.

José Soeiro, membro da Comissão Dinamizadora do AMAlentejo, apela à subscrição deste Projecto disponível no site “petiçãopublica”, considerando que a criação da Comunidade Regional do Alentejo, emanada do Poder Local, em substituição da CCDR Alentejo, poderia agilizar a concretização investimentos estratégicos e a dinamização de infra-estruturas como o Porto de Sines, Aeroporto de Beja e Linha Ferroviária do Alentejo.

Alentejo XXI com 2ª melhor Taxa de Realização do Programa 2020

201811122220269369.jpgA Alentejo XXI, com sede em Beja, apresenta boas taxas de Compromisso, Execução e Realização no âmbito da Medida 10, do PDR 2020, que visa apoiar os pequenos investimentos através da criação ou modernização de unidades de transformação e comercialização de produtos agrícolas. A nível nacional, no universo de 54 associações, a Alentejo XXI apresentava, à data de 30 de setembro, a posição 13, na Taxa de Compromisso, a posição 3, na Taxa de Execução e a posição 2, na Taxa de Realização.

ALENTEJO RECEBE A VISITA DE OITO PAÍSES PARA POTENCIAR EXPORTAÇÕES DA REGIÃO

12295388_1921791411379566_4537677203128633693_n.jp

O Alentejo Export traz ao Alentejo prospetores de negócios na área agroalimentar dos mercados de Espanha, França, Polónia, Noruega, Canadá, Estados Unidos da América, México e Brasil, uma oportunidade para empresas e empresários, poderem mostrar, promover e negociar os seus produtos e os seus serviços.

A 25 o evento decorre nas instalações do NERPOR em Portalegre, a 26 de setembro em Évora, nas instalações do NERE e a 27 em Beja, nas instalações do NERBE.

Duas novas oportunidades de encontrar outros prospetores internacionais oriundos destes oito mercados, ocorrerão nos próximos meses de outubro e novembro em datas ainda a anunciar.

 

“PLATAFORMA ALENTEJO” APRESENTA «ESTRATÉGIA INTEGRADA DE ACESSIBILIDADE SUSTENTÁVEL DO ALENTEJO”

90336_1.jpg

Membros de diversas organizações empresariais, entidades públicas e privadas e movimentos de cidadania, ou na qualidade de cidadãos civicamente empenhados dirigessem-se, através de um abaixo-assinado, ao PR e da AR e ao primeiro-ministro no sentido de solicitar a sua atenção para o que denominam simbolicamente PLATAFORMA ALENTEJO (que pode ser assinada AQUI). Sob o lema «Estratégia Integrada de Acessibilidade Sustentável do Alentejo nas ligações Nacional e Internacional” apresentam aos governantes e a todos os demais cidadãos portugueses um conjunto de prioridades no domínio das acessibilidades e transportes que acreditam serem fundamentais para o desenvolvimento sustentável de toda a região do Alentejo, bem como para a sua coesão social, territorial, ambiental e energética, com claros benefícios para a totalidade do território nacional.

No imediato, são estas as prioridades: 

AERÓDROMO MUNICIPAL É A “ÂNCORA DO CRESCIMENTO E DO DESENVOLVIMENTO” DO CONCELHO DE PONTE DE SOR

Ponte-de-Sor_14.jpg

O presidente da Câmara de Ponte de Sor, Hugo Hilário diz que o aeródromo municipal é a “âncora do crescimento e do desenvolvimento” daquele concelho, sublinhando que contribuiu para a “redução drástica” do desemprego no concelho.

Atualmente trabalham no aeródromo cerca de quatro centenas de pessoas, havendo a perspetiva de serem criados cerca de 250 empregos com a instalação de mais duas empresas.

Com uma pista de aviação com 1.850 metros, o aeródromo de Ponte de Sor alberga a sede de meios aéreos da Proteção Civil e empresas de componentes para aviões e de manutenção de ultraleves, empresas de produção de drones, de componentes aeronáuticos e de manutenção aeronáutica, bem como uma escola internacional de pilotos, uma unidade do Aeroclube de Portugal e um campus aeronáutico.

SÓ COM “LUTA” É QUE “ISTO LÁ VAI”

MI.jpg

O Movimento pelo Interior voltou ao ativo e reuniu-se, na passada semana, na Herdade do Vale da Rosa. Deste encontro saiu a mensagem de que só a “luta”, e o insistir nos assuntos, promovendo a união entre todos - forças políticas, empresários e cidadãos – é que leva os decisores a resolverem os problemas mais prementes.

Já são muitas as empresas que escolhem o Baixo Alentejo para se implementar porque precisam dos benefícios do Alqueva, mas a desertificação populacional a que este território de baixa densidade tem assistido faz perigar estes investimentos, que carecem de mão-de-obra, que é na maioria dos casos recrutada fora da região.

No Baixo Alentejo existe um conjunto de necessidades estruturantes que condicionam o desenvolvimento do território, entre elas as acessibilidades ferroviária, rodoviária e aeroporto, que continuam à espera do investimento que não aparece. Recorde-se que no PNPOT e no PNI 2030 não há qualquer investimento previsto para acessibilidades no Baixo Alentejo.

MOURA DEBATE ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL

moura.JPG

“Moura-Estratégia de desenvolvimento local: o urbano e o rural” é o mote para um encontro que vai decorrer, esta tarde, no Edifício de Recepção ao Turista, no Castelo de Moura, com início marcado para as 17.30 horas, com a participação dos arquitectos João Nunes, Nuno Lopes, Tiago Mota Saraiva e Victor Mestre, que têm desenvolvido trabalho no território do concelho de Moura.

Álvaro Azedo, presidente do Município explica que “a iniciativa vai ser desenvolvida em várias sessões. Esta primeira acção tem como objectivo discutir “a estratégia a criar e a concretizar no concelho” que contribua para “o desenvolvimento local em perímetro urbano e rural”.

FERNANDO CAEIROS APRESENTA PROPOSTAS PARA ESTANCAR DESPOVOAMENTO

Como será no próximo ciclo de programação, 20/30, que se vislumbrará a possibilidade de adopção de algumas medidas com consequências no estancar do despovoamento, deixamos à consideração as seguintes sugestões:

- Definição de um modelo de governação próximo e emergente dos territórios, com autonomia regional;

- Aumento em pelo menos um terço das dotações consignadas aos territórios de baixa densidade, enquanto compromisso médio no QREN e no PT2020;

- Apoio reforçado às empresas que promovam a fixação de população e o aumento do emprego em territórios de baixa densidade, com forte majoração da componente a fundo perdido, bem como do apoio a actividades que diversifiquem a base económica regional;

- Clarificação das políticas públicas com consignação de dotações muito expressivas ao desenvolvimento das mesmas.

fcaeiros

 

 

Comentários recentes

  • Anónimo

    Então já se nota os efeitos do saneamento politico...

  • Anónimo

    Mais tarde o mais cedo, assim os nossos representa...

  • Anónimo

    É óbvio que não és comunista...

  • Anónimo

    Muito bem. A cegueira partidária não pode deixar d...

  • Anónimo

    Teremos de concluir,perante o que aqui dizem,neste...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.