Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

ALENTEJO RECEBE A VISITA DE OITO PAÍSES PARA POTENCIAR EXPORTAÇÕES DA REGIÃO

12295388_1921791411379566_4537677203128633693_n.jp

O Alentejo Export traz ao Alentejo prospetores de negócios na área agroalimentar dos mercados de Espanha, França, Polónia, Noruega, Canadá, Estados Unidos da América, México e Brasil, uma oportunidade para empresas e empresários, poderem mostrar, promover e negociar os seus produtos e os seus serviços.

A 25 o evento decorre nas instalações do NERPOR em Portalegre, a 26 de setembro em Évora, nas instalações do NERE e a 27 em Beja, nas instalações do NERBE.

Duas novas oportunidades de encontrar outros prospetores internacionais oriundos destes oito mercados, ocorrerão nos próximos meses de outubro e novembro em datas ainda a anunciar.

 

“PLATAFORMA ALENTEJO” APRESENTA «ESTRATÉGIA INTEGRADA DE ACESSIBILIDADE SUSTENTÁVEL DO ALENTEJO”

90336_1.jpg

Membros de diversas organizações empresariais, entidades públicas e privadas e movimentos de cidadania, ou na qualidade de cidadãos civicamente empenhados dirigessem-se, através de um abaixo-assinado, ao PR e da AR e ao primeiro-ministro no sentido de solicitar a sua atenção para o que denominam simbolicamente PLATAFORMA ALENTEJO (que pode ser assinada AQUI). Sob o lema «Estratégia Integrada de Acessibilidade Sustentável do Alentejo nas ligações Nacional e Internacional” apresentam aos governantes e a todos os demais cidadãos portugueses um conjunto de prioridades no domínio das acessibilidades e transportes que acreditam serem fundamentais para o desenvolvimento sustentável de toda a região do Alentejo, bem como para a sua coesão social, territorial, ambiental e energética, com claros benefícios para a totalidade do território nacional.

No imediato, são estas as prioridades: 

AERÓDROMO MUNICIPAL É A “ÂNCORA DO CRESCIMENTO E DO DESENVOLVIMENTO” DO CONCELHO DE PONTE DE SOR

Ponte-de-Sor_14.jpg

O presidente da Câmara de Ponte de Sor, Hugo Hilário diz que o aeródromo municipal é a “âncora do crescimento e do desenvolvimento” daquele concelho, sublinhando que contribuiu para a “redução drástica” do desemprego no concelho.

Atualmente trabalham no aeródromo cerca de quatro centenas de pessoas, havendo a perspetiva de serem criados cerca de 250 empregos com a instalação de mais duas empresas.

Com uma pista de aviação com 1.850 metros, o aeródromo de Ponte de Sor alberga a sede de meios aéreos da Proteção Civil e empresas de componentes para aviões e de manutenção de ultraleves, empresas de produção de drones, de componentes aeronáuticos e de manutenção aeronáutica, bem como uma escola internacional de pilotos, uma unidade do Aeroclube de Portugal e um campus aeronáutico.

SÓ COM “LUTA” É QUE “ISTO LÁ VAI”

MI.jpg

O Movimento pelo Interior voltou ao ativo e reuniu-se, na passada semana, na Herdade do Vale da Rosa. Deste encontro saiu a mensagem de que só a “luta”, e o insistir nos assuntos, promovendo a união entre todos - forças políticas, empresários e cidadãos – é que leva os decisores a resolverem os problemas mais prementes.

Já são muitas as empresas que escolhem o Baixo Alentejo para se implementar porque precisam dos benefícios do Alqueva, mas a desertificação populacional a que este território de baixa densidade tem assistido faz perigar estes investimentos, que carecem de mão-de-obra, que é na maioria dos casos recrutada fora da região.

No Baixo Alentejo existe um conjunto de necessidades estruturantes que condicionam o desenvolvimento do território, entre elas as acessibilidades ferroviária, rodoviária e aeroporto, que continuam à espera do investimento que não aparece. Recorde-se que no PNPOT e no PNI 2030 não há qualquer investimento previsto para acessibilidades no Baixo Alentejo.

MOURA DEBATE ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL

moura.JPG

“Moura-Estratégia de desenvolvimento local: o urbano e o rural” é o mote para um encontro que vai decorrer, esta tarde, no Edifício de Recepção ao Turista, no Castelo de Moura, com início marcado para as 17.30 horas, com a participação dos arquitectos João Nunes, Nuno Lopes, Tiago Mota Saraiva e Victor Mestre, que têm desenvolvido trabalho no território do concelho de Moura.

Álvaro Azedo, presidente do Município explica que “a iniciativa vai ser desenvolvida em várias sessões. Esta primeira acção tem como objectivo discutir “a estratégia a criar e a concretizar no concelho” que contribua para “o desenvolvimento local em perímetro urbano e rural”.

FERNANDO CAEIROS APRESENTA PROPOSTAS PARA ESTANCAR DESPOVOAMENTO

Como será no próximo ciclo de programação, 20/30, que se vislumbrará a possibilidade de adopção de algumas medidas com consequências no estancar do despovoamento, deixamos à consideração as seguintes sugestões:

- Definição de um modelo de governação próximo e emergente dos territórios, com autonomia regional;

- Aumento em pelo menos um terço das dotações consignadas aos territórios de baixa densidade, enquanto compromisso médio no QREN e no PT2020;

- Apoio reforçado às empresas que promovam a fixação de população e o aumento do emprego em territórios de baixa densidade, com forte majoração da componente a fundo perdido, bem como do apoio a actividades que diversifiquem a base económica regional;

- Clarificação das políticas públicas com consignação de dotações muito expressivas ao desenvolvimento das mesmas.

fcaeiros

 

 

35ª OVIBEJA MARCADA POR CARTA ABERTA EM DEFESA DA REGIÃO

ovi.JPG

A Ovibeja tem sido sempre uma voz reivindicativa junto do poder central e a 35ª edição não foi exceção. Neste contexto, a 35ª Ovibeja ficou marcada pela Carta Aberta a exigir que as acessibilidades sejam cumpridas ainda no âmbito da reprogramação do Portugal 2020. O documento foi entregue a todos os decisores políticos que visitaram o certame.

documento subscrito pela ACOS – Agricultores do Sul, pelo NERBE/AEBAL, pelo IPBeja, pela CIMBAL e pela Associação Comercial identifica um conjunto de debilidades com o qual a região se depara há anos, principalmente no que diz respeito às acessibilidades.

CIMBAL ASSINA CONTRATOS DE 4 MILHÕES DE EUROS COM PROMOTORES, NA 35ª OVIBEJA

cimbal.jpg

É realizada, hoje, na Ovibeja, a Sessão Pública de Assinatura de Termos de Aceitação, do Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e Emprego (SI2E).

A iniciativa decorre, a partir das 17.00 horas, na Arena do Azeite, espaço situado no Pavilhão Terra Fértil e consiste na formalização daqueles termos de aceitação.

Os projectos da responsabilidade de promotores privados foram aprovados pela CIMBAL, pela Alentejo XXI e ESDIME e ascendem a um investimento de 4 milhões de euros,prevendo a criação de 40 postos de trabalho.

BEJA É O DISTRITO QUE APRESENTA O PIOR CENÁRIO ECONÓMICO

2-estudo-nacional-de-competitividade-regional-1-63

De acordo com a terceira edição do Estudo Nacional de Competitividade Regional, elaborado pela plataforma online Zaask em colaboração com a Universidade Católica Portuguesa, a situação financeira das empresas do distrito de Beja é a pior do país.

As perspectivas dos empresários para o ano de 2018 também não são animadoras e pioraram em relação a 2017, colocando o distrito no último lugar a nível nacional.

Segundo os empreendedores, Beja é o segundo distrito do país onde as receitas das empresas mais diminuíram.

No que respeita ao aconselhamento na criação de novos negócios, os empresários da região são dos menos optimistas, colocando o distrito em penúltimo lugar e longe da média nacional.

 

As receitas das empresas que operam no distrito de Portalegre aumentaram em 2017 e colocam Portalegre no primeiro lugar a nível nacional, de acordo com um estudo nacional de competitividade regional da Zaask hoje divulgado

O distrito de Portalegre alcança o melhor resultado nacional ao nível das receitas das suas empresas e o segundo onde os empresários sentem mais facilidade em contratar trabalhadores.

Passaram por cá

(desde 15-01-2011)

Comentários recentes

  • Ana Matos Pires

    A propósito de Silos, estão todos convidados. Apar...

  • Anónimo

    Andam por aí umas cromas a falar de recusa de tran...

  • Anónimo

    Só para complementar o que atrás se refere.Todos a...

  • Anónimo

    Foram edifícios construídos depois da grande cheia...

  • Anónimo

    Então é mesmo. De um lado os rapazes e do outro as...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.