Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

EDP reconhece 74 cortes no fornecimento de electricidade ao Penedo Gordo desde o início de 2018

"Os cortes que se verificam no Penedo Gordo têm origem na rede de média tensão e, sendo assim, esclareço que não são da responsabilidade da CM Beja que concessiona ao prestador de serviço apenas a rede de baixa tensão. Independentemente de "responsabilidades", a CM Beja contactou a EDP que nos informou que registou no Penedo Gordo 50 episódios de cortes em 2018 e que já contabiliza 24 episódios de cortes de janeiro até final de julho em 2019, com particular incidência nos primeiros meses do ano e nos últimos dias do mês de julho, sobretudo no dia 29 desse mês. A EDP comunicou-nos que o problema que origina os cortes é de muito difícil deteção mas que irá monitorizar ainda com maior atenção a linha que serve a localidade de Penedo Gordo de forma a poder, o mais rapidamente possível (e o mais rapidamente possível não é imediato) resolver esta problema que estava sinalizado.
Votos de uma boa semana,
Paulo Arsénio (Anónimo 12.08.2019 12:01)", aqui.


Registo e agradeço a disponibilidade de Paulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja, para esclarecer esta grave situação que afecta a população do Penedo Gordo, que a EDP diz não saber quando vai resolver. E se este problema se passasse na Cidade de Beja…
É este o resultado da privatização de serviços públicos.

Iluminação precisa-se

Este é o Largo de Francisco Miguel Duarte, no Penedo Gordo. Nele existe, embora mal se veja à noite, um parque infantil, que foi arranjado no mandato anterior. Este largo só tem duas lâmpadas e só uma (a do lado direito da fotografia) virada para o seu interior. A outra (do lado esquerdo da fotografia) está virada para fora, para a rua que fica em frente. 

Largo.JPGAdmito (embora não veja porquê? que possa não ser fácil dotar o Largo de uma adequada iluminação pública. Mas não compreeendo nem aceito que não se ponha mais uma lâmpada virada para o interior do Largo e que daria alguma luz ao Parque Infantil, no poste que tem a lâmpapada virada para fora do Largo. Fica a sugestão à Autarquia.

"A água não pode ser um negócio!"

«Desconhecimento e ignorância

44942075_10213082948456012_5319585749379579904_n.j

Sabiam que a distribuição eléctrica em baixa tensão (domiciliária) é uma competência municipal?
Sabiam que a mesma foi concessionada a uma empresa PÚBLICA no final dos anos 70?
Sabiam que, nos anos 90, a empresa concessionária - a EDP - passou a estar cotada em bolsa, ficando o Estado com cerca de 25% do capital?
Sabiam que a EDP, actualmente, é uma empresa 100% privada?
Sabiam que não existe, actualmente um único concelho do país com capacidade financeira ou técnica para avocar as suas competências em matéria de distribuição de energia eléctrica em baixa tensão?
Então, pensem no risco que hoje se corre quando se pretende entregar a competência municipal da distribuição de água em baixa pressão a terceiros.
Em Alenquer (uma Câmara de maioria do Partido Socialista), fizeram-no. Agora que querem denunciar a concessão, e está-lhes a ser exigida uma compensação de 60 milhões de euros.
Há matérias em que é preciso ter muito cuidado.
A água é um bem essencial!
A água não pode ser um negócio!
A água não é um negócio!

P. S. Alguém se lembra das "golden share" das empresas públicas? Aquela posição societária minoritária que permitia ao Estado bloquear decisões que fossem lesivas para a empresa e para o interesse público? Aquelas que o Eng. Sócrates eliminou, e abriu portas à venda desastrosa da PT? Também eram questões contratuais e decorriam da lei. Enfim…»

João Nuno Sequeira

Plataforma Alentejo solicita audiências ao 1º ministro e ao PR e prepara convenção do Alentejo sobre acessibilidades

plataforma.jpgO Secretariado da Plataforma Alentejo considerando os novos elementos já disponíveis e o referido estudo da REFER decidiu proceder à elaboração de uma exposição sobre as acessibilidades no Alentejo e solicitar ao primeiro-ministro e ao presidente da República audiências para a sua entrega e fundamentação. Está em cima da mesa, igualmente, a realização a 15 de Setembro de uma convenção do Alentejo sobre as acessibilidades (Marítimas, Aeroportuárias, Ferroviárias e Rodoviárias) e sobre o planeamento e ordenamento do território, considerando o facto da revisão do PROTA já estar em curso. Considera ser ainda possível recuperar parte importante do atraso existente na tomada de algumas decisões e introduzir ajustamentos, nalgumas decisões estratégicas anunciadas, que em muito poderão contribuir para o sucesso de alguns dos objetivos que têm vindo a ser publicamente assumidos pelo Governo, disse Claudino Matos.

Claudino Matos acusa IP de estar "de costas voltadas" para o Alentejo

imgLoader2.ashx.jpg"A conclusão a que chegámos é que a IP faz estudos mais ou menos encomendados à medida pelo Governo para beneficiar determinados distritos do Alentejo em detrimento de outros e dos interesses regional e nacional", disse Claudino Matos, do secretariado da Plataforma Alentejo, após uma reunião realizada com um vice-presidente e técnicos da empresa.

Claudino Matos acusou a IP de estar "basicamente de costas voltadas para o Alentejo" e, "ignorando contributos da sociedade civil", também para as propostas da estratégia defendida pela plataforma em termos de acessibilidades rodoviárias e ferroviárias "indispensáveis ao desenvolvimento harmonioso" da região.

Propostas do Beja Merece+ passam na AR, através de recomendações ao governo apresentadas por PCP e BE

A Assembleia da República aprovou esta sexta-feira três projetos de resolução que recomendam ao Governo a eletrificação e requalificação do troço ferroviário entre Casa Branca e a Funcheira, a conclusão do IP8 e a valorização do aeroporto de Beja.
O primeiro projeto de resolução foi apresentado pelo Bloco de Esquerda. Os outros dois pelo PCP. Todos eles resultam das reivindicações apresentadas pela petição do Movimento Beja Merece+ que também esta sexta-feira foi debatida pelos deputados.

280420172115-810-MOVIMENTO.jpg

A recomendação de eletrificação da linha ferroviária foi aprovada com a abstenção do PSD e os votos favoráveis dos restantes partidos.
Já a recomendação do cumprimento do Plano Rodoviário Nacional e conclusão do IP8 nos distritos de Setúbal e Beja, foi aprovada com os votos a favor de todos os partidos e os votos contra da maioria do grupo parlamentar do PS. Um grupo de sete deputados socialistas, entre os quais Pedro do Carmo (Beja) e Norberto Patinho (Évora) votaram a favor.
Finalmente, a recomendação ao Governo para valorização do aeroporto de Beja enquanto instrumento para o desenvolvimento da região foi aprovada com a abstenção do PS e os votos a favor dos restantes partidos e dos deputados Pedro do Carmo e Norberto Patinho. Leia e oiça também aqui e aqui.

Assembleia da Replública discute Petição do Beja Merece+

65313488_402529323689962_3139894575418572800_n.jpgEsta sexta-feira estará em discussão, análise e votação, a partir das 09:30 horas, na Assembleia da República (AR), a petição do Movimento Beja Merece+, que reivindica “que sejam retomadas e concluídas as obras do IP8/A26, a eletrificação do troço ferroviário Casa Branca-Beja-Funcheira, o total aproveitamento do aeroporto de Beja e melhores serviços de saúde para a região”. O documento, que foi entregue com 26 101 assinaturas, em maio do ano passado, no Palácio de S. Bento, estará agora à consideração dos vários grupos parlamentares que integram a “Casa da Democracia”. O “Diário do Alentejo” falou com os deputados eleitos por Beja, tentando antecipar o sentido de voto dos seus partidos, e com Florival Baiôa, sobre as expetativas que tem para esta votação. Ler aqui.

“Vem manifestar-te, lutar e exigir mais e melhor saúde. Para ti e para todos!”

Vamos ficar de braços cruzados sabendo que a nossa maternidade corre o risco de fechar?

E quanto à falta de médicos?

E à exaustão dos enfermeiros e outros profissionais de saúde?E o arranque da 2ª fase das obras de ampliação do hospital?

E o encerramento recorrente da ginecologia e obstetrícia?

E a falta de meios de diagnóstico?

Vamos ficar de braços cruzados a assistir ao desinvestimento no SNS e ao seu gradual desmantelamento?

Vamos permitir passivamente a aprovação de qualquer Lei de Bases de Saúde?

65426014_2273455012871130_7286695678779064320_n.pn

 

Na próxima 6ª feira, dia 28,pelas 18:30 horas, adere à concentração junto à entrada principal do Hospital José Joaquim Fernandes em Beja.

Vem manifestar-te, lutar e exigir mais e melhor saúde. Para ti e para todos!

Petição do Beja Merece+ é discutida e votada no Parlamento a 5 de julho

A discussão, análise e votação da petição do Beja Merece+ são feitas, no Parlamento, no dia 5 de julho. O Beja Merece+ quer que sejam muitos os alentejanos a acompanhar o movimento e está a apelar à inscrição da população no autocarro que rumará a Lisboa naquela data.

201906212019093113.jpg

Recorde-se que em maio de 2018, a petição foi entregue com mais de 26 mil assinaturas e por mais de 500 alentejanos.

Na petição é exigida a conclusão da A26 (Sines - Beja – Ficalho) e a eletrificação da linha de caminho de Ferro Casa Branca - Beja – Funcheira, assim como investimento no aeroporto de Beja e melhores serviços de saúde para o Baixo Alentejo.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Vamos ter nova geringonça. E a ideia, pessoalmente...

  • Anónimo

    Num país em que o maior trambiqueiro político está...

  • Anónimo

    Uma vida saudável depende de muitos outros factore...

  • Zé LG

    A alimentação não é um factor importante para uma ...

  • Anónimo

    Porreiro, pá!É ver para crer!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.