Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Porque razão se despreza assim a mais valiosa jóia do património de Mértola?

Zé LG, 14.04.22

Acidente-768x432.jpg«O último mandato terminou com um superavit de 10 milhões de euros e o orçamento deste ano ronda os 27 milhões, pelo que não foi e não é por falta de recursos financeiros que o Centro Histórico está num tal estado que até o festival islâmico teve que ser cancelado.
Porque razão se despreza assim a mais valiosa jóia do património de Mértola e se desvaloriza este activo fundamental para o desenvolvimento turístico do concelho?» Jorge Pulido Valente, aqui.

“A autarquia deveria ter um papel mais activo e uma visão mais abrangente com a adopção de apoios mais firmes e objectivos”

Zé LG, 26.03.22

57209146_2147160238653491_188981494486663168_n.jpg«A degradação do centro histórico em Beja, como em outros lugares, deve-se a múltiplos factores, desde a especulação imobiliária, a decrepitude do tecido habitacional e comercial, que não se tem reinventado de modo amplo, a neglicência do poder autárquico por falta de uma verdadeira estratégia para o território e para os valores patrimoniais, etc...Temos todos, que definitivamente repensar este rumo que tem levado os proprietários e os empresários a abandonar o centro da cidade. As casas no centro histórico são caras é um facto. A vontade de alguns em investir na requalificação avulsa de imóveis depara-se efectivamente com um contexto altamente burocrático e dispendioso, que não permite estimular uma procura suficientemente forte! A autarquia deveria ter por isso um papel mais activo, e uma visão mais abrangente com a adopção de apoios mais firmes e objectivos! O mercado do arrendamento jovem a preços controlados tem funcionado bem noutros lugares, quer por iniciativa dos proprietários que são apoiados nesse sentido, quer por intervenção dos organismos públicos locais! Não haverá fórmulas mágicas para resolver o problema, mas é preciso encontrar soluções e realizar experiências que permitam avançar noutra direcção que não aquela a que se assiste quotidianamente! Para esse desígnio é fundamental congregar interesses e vontades de todos os agentes transformadores do território, que em suma somos todos enquanto habitantes!» Anónimo 26.03.2022, aqui. Foto copiada daqui.

“deverá ser estimulada a recuperação dos imóveis no centro histórico”

Zé LG, 26.03.22

57209146_2147160238653491_188981494486663168_n.jpg«Em primeiro lugar, deverá ser estimulada a recuperação dos imóveis no centro histórico, através de mecanismos claros e consequentes, que não se restrinjam a benefícios fiscais ou isenções de taxas de licenciamento camarário! Os processos de intervenção em edifícios localizados no centro histórico, desde a fase do projecto à concretização das obras, têm de ser objecto de enorme simplificação e desburocratização, que não arraste os proprietários para um calvário de largos meses ou anos à espera de uma mera aprovação da CMB e da Direcção Regional de Cultura! É preciso reforçar os mecanismos municipais e regionais que estimulem a fixação de residentes e de investidores no centro histórico, de modo claro e objectivo, com a adopção de medidas transparentes e funcionais! Caso contrário, fica-se num plano demagógico e intencional que não passa disso mesmo, assistindo-se em simultâneo ao gradual abandono desses territórios em detrimento de outras áreas!» Anónimo 24.03.2022, aqui. Foto copiada daqui.

Câmara de Mértola realiza sessão participativa com os residentes no Centro Histórico

Zé LG, 11.01.22

202111270901196229.jpgA proposta de alteração ao regulamento de trânsito, o regulamento de Subvenções do Centro Histórico referente ao financiamento a obras de reabilitação de particulares e o ponto de situação e as novidades para este ano relativas ao Sistema PAYT-Recolha Seletiva de Lixo são os principais temas a abordar pela autarquia nesta sessão participativa com os residentes do Centro Histórico, marcada para as 19.00 horas no Pavilhão Expo Mértola.

Câmara de Beja avança com segunda fase de percursos acessíveis no Centro Histórico

Zé LG, 03.10.20

Acessivel-768x432.jpgFoi aprovada a candidatura para implementação de percursos acessíveis na cidade de Beja na zona do centro histórico, com um investimento no valor total 233 mil euros.

Esta segunda fase abrange um conjunto de intervenções que vão requalificar e dinamizar os espaços públicos para os tornar mais acessíveis e possibilitar o seu usufruto por toda a população, no acesso aos percursos urbanos e equipamentos públicos.
A localização da intervenção situa-se no centro da malha urbana da cidade, o que, segundo a autarquia “confere uma importante mais-valia, constituindo uma garantia efetiva de frequência e utilização da população”.

Câmara de Santiago do Cacém arrancou com requalificação do centro histórico de Alvalade

Zé LG, 03.01.20

df344.pngAs obras de requalificação do centro histórico de Alvalade arrancaram ontem. A intervenção, orçada em 793.387,51 euros, contempla a Praça D. Manuel I, a Rua 31 de Maio de 1834, a Rua Duque da Terceira, a Rua de S. Pedro, a Rua e o Largo 25 de Abril, todas da responsabilidade da Câmara Municipal de Santiago do Cacém.

Com esta requalificação a Câmara Municipal de Santiago do Cacém pretende humanizar os espaços dando prioridade à circulação de peões, a colocação de mobiliário urbano, a criação de zonas de esplanada na Praça D. Manuel I, a reestruturação do estacionamento e circulação automóvel, a plantação de árvores, bem como a execução de águas pluviais, pavimentação e a colocação de sinalização rodoviária.

"FESTIVAL B" ANIMA O CENTRO HISTÓRICO DE BEJA A PARTIR DE AMANHÃ

Zé LG, 21.06.18

festival_b_header01.png

Cante. Fado. Petiscos. Três dimensões, três patrimónios imateriais da humanidade. FESTIVAL B: UM FESTIVAL, TODOS OS PATRIMÓNIOS.

Três faces de um mesmo festival, de uma mesma necessidade ancestral, de alimentar a alma e o corpo, seja através do cante, do fado ou dos petiscos em estreita ligação com a dieta mediterrânica. O FESTIVAL B, CANTE, FADO & PETISCOS pretende celebrar a ligação intemporal da cidade de Beja e da região com essas três dimensões da existência e realização humanas.

Entre as fachadas dos edifícios, as ruas, ruelas e praças da cidade de Beja, celebrando o património arquitectónico, o FESTIVAL B, CANTE, FADO & PETISCOS será um momento de exaltação local, mostrando ao mundo a universalidade destes elementos.

In: http://festivalb.pt/

DESERTO

Zé LG, 15.04.18

Em Beja é a palavra encontrada por muitos para descreverem o centro histórico da sua cidade.

30572097_1697840910308048_4107253379506372608_n.jp

No passado dia 28 de março comemorou-se o Dia Nacional dos Centros Históricos Portugueses. Com este pretexto o “Diário do Alentejo” falou com diversas entidades e protagonistas da vida quotidiana do centro histórico de Beja, com o objetivo de esboçar uma imagem desta área geográfica da cidade. Um retrato em tons de cinza.

Leia AQUI, toda esta excelente peça, com texto e foto de José Serrano, in: DIÁRIO DO ALENTEJO·TERÇA-FEIRA, 10 DE ABRIL DE 2018.

“BEJENSES QUEREM A SUA CIDADE, ARRANJADA, ATRATIVA E BONITA, 365 DIAS POR ANO”

Zé LG, 31.08.17

Centro Histórico de Beja: Decrépito, prédios a ruir e cheio de carros

CH Beja.jpeg

Será necessário criar um “gabinete” do centro histórico para saber, definir e criar um programa de requalificação de todo o centro histórico?
Um dos problemas de falta de reaproximação dos bejenses à cidadeé o desleixo e abandono a que tem sido submetido o centro histórico, baixando a autoestima e o carinho de quem cá vive tem pela cidade. Alguns projetos têm sido desenvolvidos, mas são casos pontuais, que não chegam para mudar a "cara" da zona antiga da cidade. Para tal, é fundamental um plano vigoroso e vasto de reabilitação e recuperação do centro histórico, e aproveitar o facto do turismo e o Alentejo estarem na “moda”, tornando-se ano após ano um dos grandes postais turísticos nacionais.

 

CÂMARA DE BEJA CRIA GABINETE DO CENTRO HISTÓRICO

Zé LG, 03.07.17

151120152319-777-CMBeja.jpg

... que funciona no edifício dos Paços do Concelho e que tem como missão assegurar a definição, gestão, acompanhamento e execução, em articulação interserviços municipais e institucionais, dos processos de requalificação do CH.

O Município assume um papel mais pro-ativo na procura de respostas e soluções articuladas com todos os parceiros envolvidos e que atendem à qualificação do espaço público, desenvolvimento económico, social e cultural.

A autarquia bejense recorda também, que tem em curso diversas ações, com vista à requalificação do centro histórico, nomeadamente a reabilitação de espaços municipais e públicos, contactos com proprietários privados, cujas habitações se encontram em avançado estado de degradação, assim como a organização de iniciativas de promoção cultural e turística.

“REABILITAR PARA ARRENDAR - HABITAÇÃO ACESSÍVEL” FINANCIA REABILITAÇÃO DE EDIFÍCIOS COM 30 ANOS OU MAIS

Zé LG, 15.12.16

141220162233-663-Bejabanner.jpg

O Salão Nobre dos Paços do Concelho, recebe, esta tarde, às 18.00 horas, a apresentação do programa “Reabilitar para Arrendar- Habitação Acessível”, que inclui também a assinatura do Protocolo de cooperação institucional entre a Câmara Municipal de Beja e o IHRU-Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, I. P. .

O novo programa do IHRU, que tem por objectivo o financiamento de operações de reabilitação de edifícios com idade igual ou superior a 30 anos, que após a reabilitação se destinem predominantemente a fim habitacional, devendo as fracções habitacionais destinar-se a arrendamento em regime de renda condicionada, vai ser apresentado, na sessão desta tarde, por Víctor Reis, Presidente do Conselho Directivo do IHRU.

AFINAL O QUE VAI SER FEITO NA PRAÇA DA REPÚBLICA?

Zé LG, 09.12.16

1094291.jpg

 Ler artigo de Carlos Dias n'O Público.

 

Existe um projecto ou apenas uma idéia geral? Vai ser mudado apenas o pavimento ou também as infraestruturas? Vai haver intervenção nos vestígios arqueológicos e colocados alguns à vista, como em espaços públicos noutras cidades? Qual o orçamento? Como é assegurado o financiamento? Para quando está previsto o inícioe o prazo da intervenção?

CÂMARA DE MÉRTOLA RECUPERA "CASA COR DE ROSA"

Zé LG, 03.11.16

casa_rosa.jpg

A Câmara Municipal de Mértola lançou o concurso público para a reabilitação da “Casa Cor de Rosa”, um dos mais bonitos e emblemáticos edifícios do centro Histórico de Mértola. A reabilitação deste espaço inclui uma utilização prevista associada ao aprofundamento da estratégia destinada a potenciar a presença e cultura Islâmica que marcaram e marcam a historia do território de Mértola. 

O investimento ascende aos 960.000 € (novecentos e sessenta mil euros) e será apoiado pelo PARU (Plano de Ação de Regeneração Urbana) no quadro de atuação do Alentejo 2020.