Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Câmara de Santiago do Cacém arrancou com requalificação do centro histórico de Alvalade

Zé LG, 03.01.20

df344.pngAs obras de requalificação do centro histórico de Alvalade arrancaram ontem. A intervenção, orçada em 793.387,51 euros, contempla a Praça D. Manuel I, a Rua 31 de Maio de 1834, a Rua Duque da Terceira, a Rua de S. Pedro, a Rua e o Largo 25 de Abril, todas da responsabilidade da Câmara Municipal de Santiago do Cacém.

Com esta requalificação a Câmara Municipal de Santiago do Cacém pretende humanizar os espaços dando prioridade à circulação de peões, a colocação de mobiliário urbano, a criação de zonas de esplanada na Praça D. Manuel I, a reestruturação do estacionamento e circulação automóvel, a plantação de árvores, bem como a execução de águas pluviais, pavimentação e a colocação de sinalização rodoviária.

"FESTIVAL B" ANIMA O CENTRO HISTÓRICO DE BEJA A PARTIR DE AMANHÃ

Zé LG, 21.06.18

festival_b_header01.png

Cante. Fado. Petiscos. Três dimensões, três patrimónios imateriais da humanidade. FESTIVAL B: UM FESTIVAL, TODOS OS PATRIMÓNIOS.

Três faces de um mesmo festival, de uma mesma necessidade ancestral, de alimentar a alma e o corpo, seja através do cante, do fado ou dos petiscos em estreita ligação com a dieta mediterrânica. O FESTIVAL B, CANTE, FADO & PETISCOS pretende celebrar a ligação intemporal da cidade de Beja e da região com essas três dimensões da existência e realização humanas.

Entre as fachadas dos edifícios, as ruas, ruelas e praças da cidade de Beja, celebrando o património arquitectónico, o FESTIVAL B, CANTE, FADO & PETISCOS será um momento de exaltação local, mostrando ao mundo a universalidade destes elementos.

In: http://festivalb.pt/

DESERTO

Zé LG, 15.04.18

Em Beja é a palavra encontrada por muitos para descreverem o centro histórico da sua cidade.

30572097_1697840910308048_4107253379506372608_n.jp

No passado dia 28 de março comemorou-se o Dia Nacional dos Centros Históricos Portugueses. Com este pretexto o “Diário do Alentejo” falou com diversas entidades e protagonistas da vida quotidiana do centro histórico de Beja, com o objetivo de esboçar uma imagem desta área geográfica da cidade. Um retrato em tons de cinza.

Leia AQUI, toda esta excelente peça, com texto e foto de José Serrano, in: DIÁRIO DO ALENTEJO·TERÇA-FEIRA, 10 DE ABRIL DE 2018.

“BEJENSES QUEREM A SUA CIDADE, ARRANJADA, ATRATIVA E BONITA, 365 DIAS POR ANO”

Zé LG, 31.08.17

Centro Histórico de Beja: Decrépito, prédios a ruir e cheio de carros

CH Beja.jpeg

Será necessário criar um “gabinete” do centro histórico para saber, definir e criar um programa de requalificação de todo o centro histórico?
Um dos problemas de falta de reaproximação dos bejenses à cidadeé o desleixo e abandono a que tem sido submetido o centro histórico, baixando a autoestima e o carinho de quem cá vive tem pela cidade. Alguns projetos têm sido desenvolvidos, mas são casos pontuais, que não chegam para mudar a "cara" da zona antiga da cidade. Para tal, é fundamental um plano vigoroso e vasto de reabilitação e recuperação do centro histórico, e aproveitar o facto do turismo e o Alentejo estarem na “moda”, tornando-se ano após ano um dos grandes postais turísticos nacionais.

 

CÂMARA DE BEJA CRIA GABINETE DO CENTRO HISTÓRICO

Zé LG, 03.07.17

151120152319-777-CMBeja.jpg

... que funciona no edifício dos Paços do Concelho e que tem como missão assegurar a definição, gestão, acompanhamento e execução, em articulação interserviços municipais e institucionais, dos processos de requalificação do CH.

O Município assume um papel mais pro-ativo na procura de respostas e soluções articuladas com todos os parceiros envolvidos e que atendem à qualificação do espaço público, desenvolvimento económico, social e cultural.

A autarquia bejense recorda também, que tem em curso diversas ações, com vista à requalificação do centro histórico, nomeadamente a reabilitação de espaços municipais e públicos, contactos com proprietários privados, cujas habitações se encontram em avançado estado de degradação, assim como a organização de iniciativas de promoção cultural e turística.

“REABILITAR PARA ARRENDAR - HABITAÇÃO ACESSÍVEL” FINANCIA REABILITAÇÃO DE EDIFÍCIOS COM 30 ANOS OU MAIS

Zé LG, 15.12.16

141220162233-663-Bejabanner.jpg

O Salão Nobre dos Paços do Concelho, recebe, esta tarde, às 18.00 horas, a apresentação do programa “Reabilitar para Arrendar- Habitação Acessível”, que inclui também a assinatura do Protocolo de cooperação institucional entre a Câmara Municipal de Beja e o IHRU-Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, I. P. .

O novo programa do IHRU, que tem por objectivo o financiamento de operações de reabilitação de edifícios com idade igual ou superior a 30 anos, que após a reabilitação se destinem predominantemente a fim habitacional, devendo as fracções habitacionais destinar-se a arrendamento em regime de renda condicionada, vai ser apresentado, na sessão desta tarde, por Víctor Reis, Presidente do Conselho Directivo do IHRU.

AFINAL O QUE VAI SER FEITO NA PRAÇA DA REPÚBLICA?

Zé LG, 09.12.16

1094291.jpg

 Ler artigo de Carlos Dias n'O Público.

 

Existe um projecto ou apenas uma idéia geral? Vai ser mudado apenas o pavimento ou também as infraestruturas? Vai haver intervenção nos vestígios arqueológicos e colocados alguns à vista, como em espaços públicos noutras cidades? Qual o orçamento? Como é assegurado o financiamento? Para quando está previsto o inícioe o prazo da intervenção?

CÂMARA DE MÉRTOLA RECUPERA "CASA COR DE ROSA"

Zé LG, 03.11.16

casa_rosa.jpg

A Câmara Municipal de Mértola lançou o concurso público para a reabilitação da “Casa Cor de Rosa”, um dos mais bonitos e emblemáticos edifícios do centro Histórico de Mértola. A reabilitação deste espaço inclui uma utilização prevista associada ao aprofundamento da estratégia destinada a potenciar a presença e cultura Islâmica que marcaram e marcam a historia do território de Mértola. 

O investimento ascende aos 960.000 € (novecentos e sessenta mil euros) e será apoiado pelo PARU (Plano de Ação de Regeneração Urbana) no quadro de atuação do Alentejo 2020.