Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“com a fragmentação da AR é o fim da arrogância”

Zé LG, 28.03.24

Jose-Pedro-Aguiar-Branco.jpg«A sua eleição foi um bom exemplo do que temos pela frente em termos de legislatura.
Assim como a arrogância do PSD/AD se porventura tivesse a maioria dos deputados mesmo com a IL. Deixaríamos de ter um arrogante António Costa para termos uma nova versão do Cavaco Silva tão ou mais arrogante do que aquele.
O CHEGA, goste o PSD ou não, é um partido fundamental para a sua governação. E se quer mesmo governar tem que assumir, como fez com o PS para esta eleição de presidente da AR, que negoceia com ele. Aliás como fez o PSD Açores com o CHEGA Açores e o mesmo certamente irá acontecer na Madeira.
É verdade que se trata não só de legitimação do CHEGA como partido de poder e institucional, e sobretudo um feroz seu concorrente à direita. Mas não é o único, também por aí anda a IL.
Agora e felizmente, com a fragmentação do expecto político com representação na AR, e também à esquerda, é o fim da arrogância de Antónios Costa, Josés Sócrates e Cavacos e Silva de vez.» Anónimo, 28.03.2024, aqui.

“a liberdade exige responsabilidade cívica”

Zé LG, 28.02.24

image_2024-02-27_19-12-36.png«Não pretendendo fazer defesa de ninguém, o administrador do blog gere o seu espaço pessoal como bem entende! Devemos estar todos gratos por nos proporcionar um espaço de discussão, que se pretende elevado e profícuo em termos públicos (haverá quem confunda este desígnio). Quem não gosta pode criar um blog próprio, com conteúdo por si seleccionado onde só publica ou comenta o que quiser! Já percebemos todos, que alguns conteúdos de natureza menos decente e/ou higiénica, não são bem vindos, e com razão! Afinal a liberdade exige responsabilidade cívica!»                   Anónimo 26.02.2024, aqui.

Vinte anos mais tarde, ALVITRANDO

Zé LG, 14.01.24

IMG_20231229_160406.jpg

Há 20 anos, no meu primeiro alvitre, escrevi: “Pela minha parte, irei dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que, pela sua pertinência ou oportunidade, achar que devem ser divulgados por esta via, que hoje decidi abrir”. É isso que tenho feito. O ALVITRANDO tem cumprido a missão para que foi criado.

Com uma média diária, no último ano, de 391 visitas e 746 visualizações, parece continuar a justificar a sua manutenção, embora o nível do debate, que muitas vezes se fica pelas “bocas” e quase só anima quando “faz sangue” e raramente se faz em torno dos assuntos mais importantes, deixe muito a desejar e, por vezes, canse.

Vinte anos mais tarde, alvitrando vou continuar, como quem corre atrás de uma ilusão, sonhos que o tempo quer apagar, que o tempo que passou não volta não.

“Sem obras estruturantes na cidade, não haverá desenvolvimento”

Zé LG, 12.01.24

22583665_y5VJV.jpeg«O trabalho desenvolvido pelo executivo da autarquia em 2023, foi uma repetição dos anos anteriores, ou seja, paupérrima em obras ou melhorias, não tendo havido no concelho uma obra com impacto ou mudança estrutural. … nas Grandes Opções do Plano e Orçamento de 2023, ..., consta, entre várias promessas, o investimento da Zona de Acolhimento Empresarial Norte, no valor de 15,1 milhões de euros, sendo que a única mudança que aconteceu no local, foi o início da construção de uma estrada, ..., sendo que o investimento incluí muitas outras áreas de atuação; reabertura do Mercado Municipal de Beja; os projetos vencedores do 1º Orçamento Participativo de 2022, não foram implementadas em 2023; o início das obras no Museu de Banda Desenhada; estudo e início da Circular Externa de Beja; remodelação do estádio Flávio dos Santos; obras no parque industrial, junto à nora; conclusão do Fórum Romano de Beja. … No meio do deserto, em termos de investimento, apenas houve o início das obras do edifício do CEBAL, ..., e do Fórum Romano de Beja.» Do post “Gestão autárquica em 2023: uma mão cheia de nada”, do blogue MAIS BEJA.

"Impõe-se um outro mundo onde se possa ser mais humano”

Zé LG, 11.01.24

84164569_2736496576405637_3341637835080859648_n.jpg«A vaga neoliberal que é a expressão do capitalismo atual, onde jaz a social-democracia, tem como objetivo restringir e, nalguns casos, liquidar direitos e liberdades, sobretudo os que constituíram alavancas para melhorar as condições de vida materiais e espirituais, e, na sua essência, empobrecer os assalariados e fazer das classes médias classes assalariadas, reduzindo-as substancialmente, ficando uma minoria de um por cento com a riqueza de mais de cinquenta por cento de toda a população mundial, como acontece.

É preciso alterar esta realidade, ganhando para um projeto político a imensa maioria dos que vivem do seu trabalho e as empresas produtivas. Numa perspetiva hegemónica gramsciana, as cabeças deverão ficar direitinhas nos pescoços de quem as tem, pois, como já vimos, não deu certo e a repetição seria ainda mais trágica.

Impõe-se, quase como dever kantiano, um outro mundo onde se possa ser mais humano, onde cada um não é o lobo que se abate sobre o seu companheiro de espécie, onde a meritocracia altamente duvidosa nos põe em guerra de todos contra todos.»

Domingos Lopes, in “Nas Asas do Sonho”, publicado no Público.

“Um dia chegaremos lá.”

Zé LG, 01.01.24

wcms_815676.png«... temos mais um dia este ano, para refletirmos, todos e não só eu.

Tentarei, todos os dias, encontrar um meio de me esclarecer, e de comunicar aos outros, como poderemos e deveremos acabar com as injustiças, com a exploração do homem pelo homem.

Penso que o combate contra as injustiças deveria ser assumido por todos, sem demagogia e sem mentira.

Um dia chegaremos lá.

Que 2024 seja o primeiro ano do fim das injustiças "vem-me à ideia uma frase batida, hoje é o primeiro dia do resto da nossa vida", também do Sérgio).» zé onofre, 01.01.2024, aqui.

Alvitrando com post nos mais comentados no SAPO

Zé LG, 01.01.24

Estes foram os posts mais comentados no SAPO durante o fim-de-semana.

1. Prognósticos antes do jogo (68), in: És a nossa Fé!

2. Perdoem-me a imodéstia (42), in: Delito de Opinião

3. As Notas de Julius 2023/24 (24) (35), in: Camarote Leonino

4. Votos de Um Excelente 2024 (25), in: Educar (Com)Vida

5. Com a CDU em Beja, em 40 anos pouco se viu?!... (23), in: Alvitrando

“O que se passou no dia seguinte (ao 25 de Abril), já é outra parte da História”

Zé LG, 19.12.23

eduardogageiro01.jpg«… ou bem que falamos direito ou então divagamos na já gasta retórica distorcida da História sobre o 25 de abril de 1974.

Essa data apenas tem um único significado, que foi o de um golpe de estado perpetrado por oficiais de patentes intermédias das Forças Armadas. Que se organizaram primeiro com o argumento da defesa dos interesses corporativos da classe, mas depois e de facto como forma de acabar de vez com a guerra colonial. A título de curiosidade dizer que os guerrilheiros do PAIGC ainda hoje se vangloriam com o facto da maior parte dos militares do 25 de abril estiveram a fazer serviço na Guiné. E que foi com a surras que lá levaram que perceberam que tinham que acabar com a guerra colonial.

Embora, como princípios gerais para justificar tal acção, aparecesse a teoria dos 3 Ds, ou seja Descolonização, Democratização e Desenvolvimento, do país.

O que se passou no dia seguinte, já é outra parte da História, assim como a luta partidária e política entre as forças em questão imporem o seu modelo de sociedade.

Luta essa que dura até aos dias de hoje e de que este blog é o seu reflexo.»

Anónimo 18.12.2023, aqui.