Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Porque continuam por vacinar profissionais de saúde do sector privado de Beja, que denunciaram a situação há quatro meses?

Zé LG, 12.05.21

Barriga-768x432.pngContinuamos sem estar vacinados, continuamos completamente ignorados por todas as entidades responsáveis” pelo processo de vacinação contra a Covid-19, frisa José Barriga, considerando que “não há esquecimento possível”, uma vez que, garante ter já contactado e pressionado, “de todas as formas as entidades locais”, que dizem “não serem responsáveis pela vacinação”.
José Barriga diz que as entidades locais de saúde “são altamente responsáveis” pela “1ª fase catastrófica da vacinação”, porque foram inoculadas “vacinas, completamente indevidas, no Hospital de Beja e fora” deste equipamento, e “entregues vacinas aos médicos de família para eles vacinarem caoticamente” pessoas, “nessa 1ª fase”, apontando o dedo à ARS do Alentejo, que diz ser a responsável por esta situação.

BE quer responsabilizar quem ganha com exploração de migrantes

Zé LG, 11.05.21

202105101551435828.jpgA coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, anunciou que o partido vai propor alterações à lei para que seja possível responsabilizar judicialmente “toda a cadeia” que “ganha milhões” com a exploração de trabalhadores agrícolas migrantes.

O BE propôs, em 2016, “uma alterações legislativa” ao Código do Trabalho para a responsabilidade solidária do dono da obra, empresa ou exploração agrícola e respetivos administradores para empresas de trabalho temporário ou prestadores de serviços por elas contratadas. Contudo, “essa lei tem sido de difícil aplicação”, por falta de “mais meios no terreno para fiscalizar a forma como os trabalhadores são tratados e os sucessivos abusos aos direitos humanos”.

Por isso, o partido vai apresentar “uma alteração à lei para que, quando são detetadas situações de trabalho forçado, seja logo toda a cadeia chamada a responder em tribunal”, assim como administradores e responsáveis. “Há muita gente a ganhar dinheiro para fechar os olhos ao que é feito sobre o trabalho forçado em Portugal e o ataque aos direitos humanos e, portanto, é preciso perseguir toda a cadeia que está a lucrar com esta atuação absolutamente vergonhosa no nosso país”, referiu.

“CDU quer ser a alternativa política que Beja precisa”, afirma Vítor Picado

Zé LG, 10.05.21

Entrevista-Vítor-Picado-768x566.jpg“Beja primeiro sempre, para um concelho mais desenvolvido e feliz” é o mote da candidatura da CDU à Câmara de Beja, que tem como grande objectivo reconquistar a maioria, nas eleições autárquicas deste ano, “construindo uma alternativa política que o concelho precisa”.

“É um projeto autárquico alicerçado, no contacto direto, com as populações, com os trabalhadores, repleto de concretizações no concelho de Beja”, sublinha o candidato Vítor Picado, acrescentando que: “Prioridade às Pessoas e Bem-Estar social”, “Afirmação da cidade e do concelho” e “Melhoria dos serviços do município” são os três eixos programáticos em que assenta o projeto autárquico da CDU à autarquia de Beja.

Vítor Picado afirmou ainda que aquilo (a Câmara de Beja ser da mesma cor política do Governo) que poderia ter sido uma vantagem, tornou-se “numa subserviência político-institucional, muitas vezes aflitiva, na falta de defesa dos interesses da região, perante um Governo que tem desprezado o interior”.

Excertos da Grande Entrevista da Rádio Pax a Vítor Picado, candidato da CDU à CM de Beja.

Paulo Arsénio afirma que tem "a certeza que iremos ganhar”

Zé LG, 09.05.21

“SENTIR BEJA-o futuro que nos une” é o lema da candidatura do PS nas próximas eleições autárquicas.

PS.png

Paulo Arsénio afirmou que “queremos ganhar, merecemos ganhar e tenho a certeza que iremos ganhar” referindo-se às eleições autárquicas, revelando ainda que no final de junho, princípios de julho será divulgada a lista completa do PS à Câmara de Beja e garantindo ter orgulho na equipa que o tem acompanhado neste mandato que está na reta final.
Paulo Arsénio considerou que por detrás da candidatura do PS existe credibilidade, confiança e segurança, garantiu que não vai usar a mentira para alcançar objetivos e que o projeto socialista está alicerçado naquilo que tem vindo a ser construído nos últimos 4 anos e informou que a candidatura do PS vai promover, como aconteceu em 2017, sessões para “Ouvir Beja” tendo em vista a construção do programa que será apresentado aos munícipes do concelho.

PS realiza hoje 2ª Convenção Autárquica em Beja

Zé LG, 08.05.21

202105071133315771.jpg

Neste sábado, o Centro UNESCO, em Beja, recebe, durante a manhã, a partir das 10.30 horas, a 2ª Convenção Autárquica/Políticas Locais/Concelhia de Beja do PS. A iniciativa pode ser acompanhada pelo Facebook.
Esta convenção “é o pontapé de saída do PS para as autárquicas 2021” e sessão de encerramento é protagonizada por Laura Fernandes, das Mulheres Socialistas do Distrito de Beja, Nelson Brito, presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS e Paulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja que assumiu, recentemente a sua recandidatura ao cargo.

Morreu Joaquim Piriquito

Zé LG, 06.05.21

2021050609155028.nb.pngJoaquim Clemente Abril Piriquito, natural de São Matias, com 71 anos, morreu no dia 30 de Abril, no Hospital de Setúbal, realizando-se o funeral esta manhã, da Casa Mortuária de Beringel para o Cemitério de Ferreira do Alentejo, onde será cremado.

Joaquim Piriquito, empresário, foi presidente da Junta de Freguesia de Beringel, pela CDU, nos mandatos de 1978/1982 e de 1990/1993 e membro da Comissão de Freguesia de Beringel do PCP.

Foi nesta altura que o conheci e que com ele lidei. Guardo dele a imagem de um homem bom e sério, determinado, de acção e empenhado na comunidade em que vivia.

À família e ao PCP apresento os meus sentidos pêsames.

PS recandidata Pauo Arsénio à Câmara de Beja

Zé LG, 04.05.21

imgLoader2.jpgO presidente da Câmara de Beja,Paulo Arsénio, que cumpre o seu primeiro mandato, vai recandidatar-se ao cargo nas eleições autárquicas deste ano, anunciou a concelhia do PS. Paulo Arsénio, de 49 anos, foi eleito presidente da autarquia há quatro anos, conquistando para o PS uma câmara municipal que era liderada pela CDU e que só tinha tido gestão socialista entre 2009 e 2013.

Natural de Évora, Paulo Arsénio é licenciado em História e pós-graduado em História Contemporânea (séculos XIX e XX). Técnico de administração tributária adjunto na Direção de Finanças de Beja, é militante do PS desde 1991 e atual presidente da concelhia de Beja. Entre março de 1998 e outubro de 1999 foi deputado socialista eleito pelo círculo de Beja, além de presidente da Juventude Socialista do Baixo Alentejo de 1998 a 2000.

A recandidatura de Paulo Arsénio foi aprovada “por unanimidade, através de voto secreto”, refere a concelhia de Beja do PS,  justificando: “Trata-se de uma prova de reconhecimento pelo trabalho realizado no mandato que agora se aproxima do final e um inequívoco voto de absoluta confiança para continuar a consolidação de um projeto de futuro para o concelho de Beja”.

Deputados eleitos por Beja visitaram Museu Regional Rainha D. Leonor, a convite da DRCAlentejo

Zé LG, 03.05.21

Visita-deputados-Museu-768x576.jpgA visita contou com as presenças da Diretora Regional de Cultura, Ana Paula Amendoeira, do vice-presidente da Câmara Municipal de Beja, Luís Miranda, e do Pe. Manuel do Rosário, Presidente da Associação Portas do Território (APT), “dado que as entidades que representam, serem parceiras fundamentais da DRCAlentejo, para a prossecução dos projetos, em curso, com vista à Reabilitação e Valorização do Museu”, para além dos deputados Telma Guerreiro e Pedro do Carmo (PS) e João Dias (PCP) .

Com esta visita, pretendeu-se “dar a conhecer as condições difíceis, quer ao nível da conservação dos vários edifícios que integram o Museu, quer os problemas ao nível dos recursos humanos”, bem como, “no que respeita às condições de conservação e salvaguarda do acervo, exposição permanente e reservas e a ausência de espaço de reserva e de inventário do mesmo”.

Ministra da Cultura diz que Futurama "vai potenciar uma nova dinâmica num território que tem um enorme potencial criativo"

Zé LG, 02.05.21

202104301724074237.jpgBeja recebeu hoje, a apresentação do projeto Futurama - Ecossistema Cultural e Artístico do Baixo Alentejo, numa sessão que decorreu no Museu Regional Rainha Dona Leonor. A ministra da Cultura Graça Fonseca marcou presenta nesta iniciativa e referiu que o projeto "vai potenciar uma nova dinâmica num território que tem um enorme potencial criativo".

Este projeto foi concebido por John Romão e tem como propósitos “dinamizar a região do Baixo Alentejo através de uma sinergia entre os municípios de Serpa, Mértola, Castro Verde e Beja, promovendo a oferta cultural e a integração da comunidade com práticas artísticas contemporâneas em articulação com instituições de ensino, entre outros."

Câmara de Beja vai deixar desaparecer a Fábrica de Farinhas de Rama da Trindade?

Zé LG, 02.05.21

“O último moleiro” assim se intitula um documentário, da autoria de Nelson Filipe Patriarca e Hélder Reis, que revela a história da Fábrica de Farinhas de Rama da Trindade, no concelho de Beja.

Com alvará de 1934, esta fábrica, está desativada desde meados dos anos 80 e guarda em si “um espólio único em toda a região.” Os autores do documentário consideram que este local, embora possa ser fundamental no âmbito da preservação do património cultural, de conhecimento e sabres do concelho, ninguém lhe tem dado a devida importância.

O local é privado, mas o seu proprietário Manuel Neves gostava que o mesmo pudesse ser recuperado. Diz que houve interesse do Executivo de Carreira Marques de o adquirir, no âmbito da Rota do Pão, mas acabou por não acontecer e atualmente não parece existir interesse de privados, nem do município de Beja em o poder preservar.

Alto Comissariado para as Migrações vai "descentralizar os seus serviços" para Beja

Zé LG, 30.04.21

i045232.jpg"O Alto Comissariado para as Migrações irá descentralizar os seus serviços para Beja e assim ter uma abordagem ainda mais eficaz com os imigrantes", afirmou a secretária de Estado para a Integração e as Migrações.
Cláudia Pereira salientou que está a ser trabalhada uma "abordagem de proximidade com os municípios" e as empresas com vista a um "maior envolvimento" para a "melhoria das condições" de vida dos imigrantes, e que o Governo tem articulado com as autoridades locais a estratégia local de habitação, destacando ainda que os centros locais de apoio ao imigrante têm "feito um trabalho muito significativo a nível local".

Francisco Santos falou de Beja, pela primeira vez, desde que saiu da Câmara

Zé LG, 29.04.21

202104280019038775.jpgFrancisco Santos, médico, natural da freguesia de Santa Clara do Louredo (Boavista), liderou durante um mandato (2005/2009) a Câmara Municipal de Beja. A derrota nas autárquicas de 2009, apesar de ter subido a votação com que foi eleito, fê-lo regressar à medicina e à sua residência em Almada.

Pela primeira vez, desde a noite eleitoral de 19 de outubro de 2009 que ditou o seu afastamento da Câmara de Beja, Francisco Santos, aceitou dar uma entrevista onde revisita o seu mandato, os projetos que mais gosto lhe deram implementar, como o CEBAL ou a Academia Sénior, e os projetos estruturantes da região como o Aeroporto de Beja e as acessibilidades rodo/ferroviárias.

Manuel Descalço morreu

Zé LG, 28.04.21

2021042610580863.nb.pngManuel António Pereira Descalço, com 60 anos, solteiro, natural de Trigaches, morreu no Hospital de Beja, no dia 24, tendo-se o funeral realizado no dia 27, da Casa Mortuária para o Cemitério daquela Aldeia.

Conheci-o há mais de 30 anos, na Câmara Municipal de Beja, onde era calceteiro e de onde se aposentou há uns anos. Abriu depois um café na sua Aldeia, onde estive para ir há uns dois anos a um jantar de antigos trabalhadores da Autarquia, mas não pude.

Guardo do Descalço a imagem de um homem bom, calmo e bem disposto.

À família apresento os meus sentidos pêsames.

Desde que Francisco George assumiu a presidência da Cruz Vermelha que a “Dança de Cadeiras” na Delegação de Beja não para

Zé LG, 27.04.21

George-e-Equipa_800x800.jpgDesde que Francisco George assumiu a presidência da Cruz Vermelha em novembro de 2017, a Delegação de Beja já conheceu vários responsáveis. A última presidente da Comissão Administrativa, antes do atual Delegado Especial, durou seis dias. Lar/Residência de Beja: um que não abre ou que pode fechar.

A “Dança de Cadeiras” começou na noite de 1 de dezembro de 2017, na primeira visita de Francisco George enquanto presidente da Direção Nacional da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), cargo que tinha assumido sete dias antes e desde essa data já houve um presidente, cinco presidentes de Comissões Administrativas (CA) e agora um Delegado Especial.

Veja, aqui, todas as mudanças registadas desde aquela data.