Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“nem mais um metro de estufa e a água do perímetro de regra do Mira tem gestão pública”, defende Catarina Martins

Zé LG, 27.07.21

202107240927192853.jpg“O desafio que fazemos – um desafio nacional e um desafio local porque a hipocrisia de se dizer uma coisa do ponto de vista local, enquanto se defende programas políticos que fazem o contrário, também tem de acabar — é que em setembro se encontre o compromisso claro para com Odemira: nem mais um metro de estufa e a água do perímetro de regra do Mira tem gestão pública”, defendeu Catarina Martins, Coordenadora do BE, na sessão de apresentação da candidatura autárquica do BE naquele concelho, sendo a lista à câmara encabeçada por Pedro Gonçalves, deputado municipal do partido.

Para que Odemira não seja “um mar de plástico”, segundo Catarina Martins, esta proposta que, em setembro, “mal os trabalhos parlamentares retomem”, o partido vai apresentar é fundamental.

PCP e BE querem Hospital de Serpa com gestão pública e integrado no SNS

Zé LG, 22.07.21

202102091017026961.pngDeputados do PCP e do Bloco de Esquerda defendem o revogação do acordo para a gestão do hospital de Serpa pela Misericórdia local e a integração da unidade hospitalar no Serviço Nacional de Saúde (SNS), porque “Só a gestão pública dos hospitais integrados no SNS cumpre os princípios constitucionais, nomeadamente a universalidade e a qualidade dos cuidados de saúde, independentemente das condições sociais e económicas dos utentes”, assinala o PCP, e para que “garanta o regular funcionamento da urgência e invista no hospital” para “aumentar o número de consultas, exames e cirurgias, melhorando os cuidados”, garante o BE.

Ventura Ramalho é o cabeça de lista do BE à Assembleia Municipal de Odemira

Zé LG, 26.06.21

202106251125426975.pngVentura Ramalho, 42 anos, residente em Vila Nova de Milfontes, é o candidato do Bloco de Esquerda à Assembleia Municipal de Odemira nas autárquicas deste ano.
Ventura Ramalho é membro da direção do Clube Desportivo Praia de Milfontes, presidente da Associação de Pais do Colégio Nossa Senhora da Graça e representante das Associações de Pais na Comissão de Proteção de Crianças e Jovens do Concelho de Odemira.

“Lutar por uma maior igualdade e justiça social” é uma das prioridades de Gonçalo Monteiro, candidato do BE à Câmara de Beja

Zé LG, 19.06.21

Grande-Entrevista-768x447.jpg“Combater a desigualdade social” no concelho é o primeiro desafio a que se propõe Gonçalo Monteiro, candidato do Bloco de Esquerda (BE) à Câmara de Beja, nas próximas autárquicas, que aceitou o “desafio da concelhia” de Beja do BE para liderar a lista do partido nas próximas eleições autárquicas por considerar que existe “bastante para fazer” no concelho. Gonçalo Monteiro aponta outras prioridades da candidatura do BE: “reforçar a questão da habitação social”, apesar de saber das “dificuldades” que existem “a nível de financiamentos para as autarquias locais”; a Saúde, tendo em conta que o Hospital José Joaquim Fernandes tem “carência de pessoal, infraestruturas e equipamentos”; os transportes, por ser uma questão “diretamente ligada à desertificação das freguesias rurais”.                                    In Grande Entrevista, na Rádio Pax.

BE candidata Bruno Candeias à Câmara de Santiago do Cacém

Zé LG, 14.06.21

20210613184514740.jpgBruno Candeias tem 34 anos e reside no concelho de Santiago do Cacém, onde cresceu e estudou. É atualmente Técnico de Operações Industriais no complexo industrial de Sines. Assumiu recentemente funções como dirigente sindical no Sindicato das Indústrias, Energia e Águas de Portugal.
Bruno Candeias é membro da Concelhia de Santiago do Cacém, dirigente Distrital e Nacional do Bloco de Esquerda e desempenhou funções executivas na Junta de Freguesia de Ermidas-Sado entre 2009-2013, como tesoureiro e responsável pelas áreas do Desporto, Cultura e Juventude. Tem estado ligado ao movimento associativo local e ambiental.

BE defende a proteção da biodiversidade do Parque Natural do Sudoeste Alentejano

Zé LG, 06.06.21

202106021222478018.pngRicardo Vicente apresentou o projeto de resolução do Bloco de Esquerda para a recuperação da biodiversidade do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina e a transição ecológica da agricultura do perímetro de rega do Mira, saudando os milhares de signatários da petição “Juntos pelo Sudoeste”. O Bloco avançou que apoia as propostas dos milhares de subscritores da petição “O parque natural do sudoeste alentejano e a costa vicentina não aguenta mais agricultura intensiva”.

BE candidata Raúl Rasga à Câmara de Évora

Zé LG, 03.06.21

Raul Rasga.pngO candidato à Câmara de Évora pelo Bloco de Esquerda, Raúl Rasga, de 50 anos, afirmou que esta candidatura vai para além do bloco, pois é uma candidatura de convergência progressista, assumindo uma “política de transparência e de participação na gestão do município”.
Bruno Martins é o cabeça de lista do BE à Assembleia Municipal.

Bloco de Esquerda evoca hoje Catarina Eufémia

Zé LG, 19.05.21

202105181248095592.jpgO Bloco de Esquerda (BE) recorda que Catarina Eufémia foi assassinada há “67 anos pela GNR a soldo do fascismo” e revela que faz hoje, a sua homenagem, lembrando que “o exemplo de Catarina Eufémia continua a inspirar-nos e a dar-nos forças para as batalhas do presente.”

A homenagem a Catarina Eufémia e ao seu sobrinho Manuel da Saudade está marcada para as 19.00 horas para o cemitério de Baleizão e às 20.00 horas é realizado um jantar na Sociedade Filarmónica 24 de Outubro.

BE candidata Pedro Gonçalves à Câmara de Odemira

Zé LG, 15.05.21

Pedro-Goncalves-BE-Odemira-2021-p75ck8qiaskd2vtc6oPedro Gonçalves, de 48 anos, vai ser o candidato do Bloco de Esquerda (BE) à Câmara de Odemira nas eleições Autárquicas deste ano. Residente em Colos, Pedro Gonçalves lidera a Concelhia de Odemira do BE e, no plano autárquico, foi presidente da Assembleia de Freguesia de Colos e é atualmente deputado na Assembleia Municipal de Odemira.

Para Pedro Gonçalves, “é e tem que ser possível viver no concelho de Odemira, com toda a gente e por toda a gente”. “Um concelho que não sirva apenas os interesses de alguns, mas que seja verdadeiramente de todas e todos”, acrescentando que assume o desafio de “lutar por um território mais acessível, com mais qualidade de vida, mais emprego, mais transportes, mais segurança, mais solidário, com mais cultura e mais desporto”.

"Basta seguir o rasto do dinheiro"

Zé LG, 29.04.21

Sem nome.png«... E não vale o argumento de que legislar agora sobre a ocultação de riqueza é legislar a quente. Como se tivéssemos descoberto a falta de criminalização do enriquecimento ilícito só com as curvas do processo Marquês. Não foi agora, foi há muito tempo, há tempo demais, que tomámos consciência de que uma lei que permita ir no encalço do dinheiro da corruipção é imprescindível. Não é, pois, por precipitação, mas sim, por responsabilidade que se deve criminalizar a ocultação de incrementos de riqueza.

A democracia não pode ficar refém dos que a querem frágil para dela se servirem ou para a liquidarem. A ambos a democracia tem de tirar o chão. e, Para isso, não precisa de inventar a roda. Basta seguir o rasto do dinheiro.»

José Manuel Pureza, in VISÃO, de 22/04.

Alvitense Joana Mortágua é a candidata do BE à Câmara de Almada

Zé LG, 19.04.21

JM.pngA deputada Joana Mortágua é a candidata do Bloco de Esquerda (BE) à presidência da Câmara Municipal de Almada nas próximas eleições autárquicas, onde é vereadora desde 2017.

Joana Mortágua, de 34 anos, licenciada em Relações Internacionais, foi candidata a esta autarquia do distrito de Setúbal nas últimas autárquicas de 2017, onde foi eleita vereadora.

BE diz que há “instalação abusiva e desregulada de culturas intensivas e superintensivas em Portugal.”

Zé LG, 07.04.21

P1100009.JPGPara o BE não se pode aceitar que o território esteja “a ser alvo de transformações brutais, que uniformizam as paisagens com monoculturas, que consomem recursos hídricos e que são beneficiados por investimentos públicos de regadio contra o interesse público e contrariando as evidências científicas sobre a resposta às alterações climáticas”. Neste contexto, Ricardo Vicente quis saber se “o Governo pensa promover a melhoria e a criação de pequenos regadios dispersos em toda a superfície agrícola útil e com menos impactos ambientais em vez de fazer investimentos de privilégio para uma minoria como decorre no Alqueva”; se “está prevista a redução dos incentivos a sistemas agrícolas desajustados das condições produtivas reais, nomeadamente através do ajustamento do preço da água de rega nos regadios públicos aos custos reais” e o que “pretende fazer quanto à manutenção da heterogeneidade da paisagem e diversidade biológica que suportam o equilíbrio dos ecossistemas.”

BE propõe aplicação de moratória à instalação de culturas intensivas e superintensivas

Zé LG, 15.02.21

IMG_6481.JPGO BE apresentou à Assembleia da República um projeto de resolução que recomenda “a instauração de uma moratória à instalação de novas explorações de abacate, olival, amendoal e outras culturas em regime intensivo e superintensivo”, no Alentejo e Algarve e que “sejam estabelecidas regras e que se impeça, suspendendo até às mesmas estarem definidas, a instalação de novas culturas em regime intensivo e superintensivo”.

Alberto Matos, do BE, diz que eleições nas CCDR's são “mascarada do centralismo”

Zé LG, 01.09.20

202008281818593635 AM.jpgAlberto Matos, da Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda (BE), considera que o plano de recuperação económica e social de Portugal 2020-2030 “não tem força legal ou política” e que “o BE discute estes temas com o Governo, anualmente, orçamento a orçamento”.

Quanto às eleições para as CCDR's, programadas já para setembro, Alberto Matos deixou claro que o “BE votou contra”, que “esta não passa de uma reforma dourada de alguns autarcas, até porque mesmo eleitos podem ser demitidos pelo Governo, logo não passa de uma mascarada do centralismo”. Alberto Matos frisa que “é necessária sim a regionalização, novo referendo e até alterações à constituição”. Saudou, ainda, “o PCP por se colocar de fora deste processo, não apresentando candidato”.

BE questiona governo sobre problemas ambientais e de saúde pública causados pela transformação de bagaço de azeitona em Fortes

Zé LG, 23.05.20

88357361_2494039430910994_640823165106257920_o ForO BE questionou a Ministra da Saúde, Marta Temido, sobre a transformação de bagaço de azeitona em Fortes, Ferreira do Alentejo, referindo que “a unidade industrial da empresa AZPO – Azeites de Portugal, que transforma bagaço de azeitona, continua a causar problemas ambientais e de saúde pública, segundo a população da localidade de Fortes”, pelo que quer saber se “o Governo confirma a persistência dos problemas de saúde pública relacionados com a transformação de bagaço de azeitona” naquela localidade.

Fortes  83336710_2454725614842376_9093452905398140

O Bloco quer ainda saber “das medidas urgentes de saúde pública recomendadas ao Governo pela Assembleia da República na Resolução n.º 279/2018, de 23 de agosto, que medidas foram realizadas e quais estão ainda por realizar” e, ainda, “que medidas prevê o Governo adotar para evitar que a unidade industrial continue a causar problemas de saúde pública à população de Fortes”.

Marcha pelo emprego em Sines

Zé LG, 22.05.20

cgtp.jpgA secretária-geral da CGTP disse esta quinta-feira que “as opções que têm sido tomadas pelo Governo não garantem o emprego e os direitos dos trabalhadores”, alertando para o perigo dos vínculos precários em plena crise de Covid-19.

“Nesta altura em que o desemprego, a quebra de retribuições dos trabalhadores, o layoff é tão intenso e tão forte, e as opções que têm sido tomadas pelo Governo não garantem o emprego, os salários, a saúde e os direitos dos trabalhadores, é importante que haja ação e luta”, disse Isabel Camarinha, que recordou que “Trabalhadores com vínculos precários foram os primeiros a ser mandados embora pelas empresas que trabalham no Complexo [Industrial de Sines] e que asseguram um conjunto de trabalhos, tarefas que são de postos de trabalho permanente” e, ainda, que “há o vírus da Covid e há o vírus do ataque aos direitos aos trabalhadores, da exploração que está a aumentar ainda mais nesta situação”.

Catarina.jpg

jerónimo.jpgA marcha pelo emprego, convocada pelo SITE-Sul, contra a precariedade e para exigir a reintegração dos trabalhadores nos postos de trabalho e um vínculo efetivo nas empresas do Complexo Industrial de Sines, realizou-se em Sines e contou com a presenças dos líderes do BE, Catarina Martins, que se manifestou contra a "normalização" do lay-off e advertiu para efeitos nos salários e do PCP, Jerónimo de Sousa, que alertou para "a situação dramática" em que vivem muitos trabalhadores do complexo industrial de Sines que devido aos vínculos precários perderam o emprego.

BE questiona Câmara de Beja sobre questões “sanitárias, económicas e sociais”

Zé LG, 21.05.20

92669856_3184606271569914_2513412276048887808_n giA Concelhia de Beja do Bloco de Esquerda (BE) considera “essencial o aprofundamento da comunicação entre os vários órgãos autárquicos e destes com a população, em particular entre a Câmara e a Assembleia Municipal, órgão deliberativo a quem compete fiscalizar a ação do executivo.” Neste contexto, o BE, para além das questões colocadas pela deputada Gina Mateus na Assembleia Municipa, que ficaram sem resposta”, fez um conjunto de perguntas sobre questões sanitárias, económicas e sociais, designadamente:

- como pensa o Município “suprir a falta de meios tecnológicos nas famílias do concelho, sentida no âmbito da interrupção das atividades letivas presenciais”;

- que apoios aos idosos que não estão institucionalizados e aos imigrantes do concelho;

- como pensa a Câmara de Beja “resolver a questão da placa «ameaçando com covid-19» como tática para se fechar o caminho municipal 1063, usando argumentos que provocam o medo na população, uma situação que se arrasta desde 2018”.