Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Ministra da Agricultura "pediu" mais tempo à FAABA para analisar problemas do sector

Zé LG Zé LG, 23.01.20

202001221539252467.jpgA FAABA reuniu-se, ontem, com a ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, que “pediu” mais tempo para analisar alguns dos assuntos que lhe foram colocados.
Rui Garrido, presidente da FAABA, afirmou que a ministra da Agricultura vai “analisar” as questões que foram levantadas e que lá para Março virá a Beja reunir com a Federação, que levou para a reunião uma “grande” e “complicada” agenda com questões que passam, entre outros aspectos pela seca, medidas agro-ambientais e olival intensivo. Em cima da mesa estiveram também vários assuntos relacionadas com o Alqueva, como o alargamento do perímetro de rega e a gestão da rede secundária.

Ministra da Saúde prometeu reunir-se com a Comissão de Utentes de Beja

Zé LG Zé LG, 22.01.20

202001211954331697.jpgOntem, no final da sessão “Hospitalização Domiciliária - Balanço e Desafios 2020”, em Beja, Marta Temido recebeu da Comissão de Utentes um documento com as necessidades na área da saúde e prometeu realizar uma reunião com a Comissão de Utentes, com participação da ULSBA e da ARSA.

Recorde-se que a Comissão de Utentes de Beja pede o início aos procedimentos com vista à ampliação do Hospital José Joaquim Fernandes em Beja, tal como ficou estipulado no Orçamento Estado para 2019. Exige, igualmente, a aplicação e investimento justo e necessário imediato por parte do Estado para a 2ª fase (ampliação e remodelação), permitindo este investimento dotar o Hospital José Joaquim Fernandes de um novo bloco operatório, outro de consultas externas e um novo módulo de urgências; a melhoria das instalações atuais, aquisição de equipamentos de diagnóstico (ressonância magnética e outros); construção de heliporto, manutenção, melhoria e ampliação de valências médicas e a contratação imediata de médicos, sobretudo para as especialidades onde estão em falta, assim como outros profissionais de saúde.

A Comissão de Utentes diz ter conhecimento do tempo de espera que os utentes aguardam, nas urgências do Hospital de Beja, em macas até serem transferidos para os quartos. Para Rui Eugénio, este é um “problema muito grave”.

João Paulo Ramôa reeleito provedor da Misericórdia de Beja

Zé LG Zé LG, 16.01.20

190120162124-952-JooPauloRamoa.jpgJoão Paulo Ramôa liderou a única lista que se apresentou a votos na Santa Casa da Misericórdia de Beja e foi reconduzido no cargo de provedor. A Direção é constituída pelo presidente João Paulo Ramôa e mais quatro pessoas: Luís Dargent, Afonso Henriques Rabaçal, António Nascimento e Sandra Peixeiro. A Assembleia-geral continua a ser liderada por António Chícharo e o Conselho Fiscal por Pires dos Reis.
João Paulo Ramôa pretende agora consolidar projetos que iniciou no mandato anterior: “trabalho que está a ser desenvolvido junto dos mais velhos, dando-lhes qualidade de vida em suas casas até o mais tarde possível”, “construção de 20 habitações, T0 e T1”… para distribuir depois por pessoas que estejam em situações de pobreza de fundo ou pontual”; “levar a bom porto candidaturas para requalificação da Igreja e do Museu da Farmácia, assim como algumas parcerias que foram iniciadas e que precisam de ser prosseguidas”.

ESDIME tem abertas candidaturas para investimentos na exploração agrícola renovação de aldeias

Zé LG Zé LG, 16.01.20

ESDIME-1-768x432.jpgA ESDIME- Agência para o Desenvolvimento Local no Alentejo Sudoeste tem abertas candidaturas para quatro concursos no âmbito da “Implementação de Estratégias”: “Pequenos investimentos na exploração agrícola”, “Pequenos investimentos na transformação e comercialização de produtos agrícolas”, “Diversificação de atividades na exploração agrícola”.

Estão também abertas as candidaturas para “Renovação de aldeias”, com “vista à preservação, conservação e valorização dos elementos patrimoniais locais, paisagísticos e ambientais”.

Os concursos decorrem até às 17h30 de 06 de março de 2020 e a informação pode ser consultada no site da Agência para o Desenvolvimento Local no Alentejo Sudoeste.

“Olivum mostra práticas sustentáveis do olival moderno”

Zé LG Zé LG, 16.01.20

202001131924066485.jpgA Olivum informa que iniciou contactos com vários stakeholders no sentido de lhes mostrar, através de encontros e visitas de campo, “as práticas sustentáveis e de defesa do ambiente no olival moderno, seja em copa seja em sebe”. O presidente da Quercus já visitou explorações do Alentejo e a Olivum garante que mostrou “práticas sustentáveis do olival moderno”.

A Olivum diz acreditar, ainda, que “é dialogando e acima de tudo, mostrando o que faz, que se poderá continuar neste caminho de sustentabilidade, rentabilidade e de modernização onde todos podem sair beneficiados” e revela que “para concretizar este objetivo” vai “continuar a convidar e a levar ao terreno todos os interessados neste sector e no seu futuro.”

Associação de Futebol de Beja vence Prémios de Mérito e Excelência da FPF

Zé LG Zé LG, 08.01.20

y66.jpgA Associação de Futebol de Beja (AFBeja) recebeu mais duas distinções em duas categorias: Maior Crescimento de Praticantes de Futsal (absoluto) e Mérito no Desporto Adaptado, pelo Projeto de Futsal Adaptado.

Com destaque para o Prémio de Mérito no Desporto Adaptado, o projeto implementado pela Associação de Futebol de Beja no distrito procura dar a pessoas com deficiência a oportunidade de praticar desporto, enquadrado num calendário de treinos e encontros de futsal planificados para toda a época desportiva.

“Museu do Pão/Centro Interpretativo do Pão” vai ser criado nas traseiras da Casa do Forno da Ti Bia Gadelha, em Beja

Zé LG Zé LG, 20.12.19

Há pouco mais de um mês que o cheiro a pão fresco começou a “invadir” a Rua Aresta Branco, em Beja, no Forno da Ti Bia Gadelha onde um jovem faz pão, dois dias por semana. “No ano em que a adpBeja está a comemorar o seu 40º aniversário”, Florival Baiôa diz que “esta é uma boa notícia para a comunidade, até porque os objetivos de recuperação deste espaço estão a ser concretizados”.

201912191731578581.jpg

Florival Baiôa avançou, também, que “está a ser desenvolvida uma parceria que junta a adpBeja ao IPBeja, à ACOS, às juntas de Freguesia da cidade e à ERT – Entidade Regional de Turismo do Alentejo/Ribatejo, com o objetivo de ser criado o Museu do Pão/Centro Interpretativo do Pão”, que “ficará patente ao público nas traseiras da Casa do Forno.”

FAABA satisfeita com recuo da ministra da Agricultura, que prolonga apoio às medidas agroambientais

Zé LG Zé LG, 18.12.19

A Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo (FAABA) regista “com agrado a garantia dada, esta segunda-feira, pela ministra da Agricultura de prolongar os apoios à totalidade das medidas agroambientais em 2020” e de “permitir uma transição entre o atual e o próximo período de programação”. 

P1020860.JPGA FAABA refere que a decisão da ministra “representa um recuo da titular da pasta da agricultura”, frisando que a "ministra não se tinha dado conta das consequências da decisão que havia tomado" e que "ainda bem que recuou nesta matéria".

Associação Ambiental receia que “situações como a da aldeia das Fortes se venham a multiplicar”

Zé LG Zé LG, 17.12.19

42208840_2099139730400968_4388250768738615296_n.jpA Associação Ambiental dos Amigos das Fortes considera que a constatação de que “a capacidade estática de armazenamento das unidades de receção de bagaço de azeitona está “praticamente esgotada” coloca em evidência as fragilidades do modelo de desenvolvimento e exploração do EFMA, a ausência da aceitação de uma estratégia global equilibrada para o setor agrícola e para o EFMA tem provocado desequilíbrios estruturais, que já penalizam as comunidades e populações residenciais limítrofes, onde estão instalados os olivais e as unidades de receção dos bagaços e que não tem dúvidas de que se nada for feito, situações como a da aldeia das Fortes se venham a multiplicar à medida que acresce a pressão para aumentar a capacidade de laboração das unidades industriais de extracção do óleo do bagaço de azeitona, e a abertura de novas fábricas.

20180924174604245.jpg