Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Central Termoelétrica de Sines encerrou ontem

Zé LG, 16.01.21

202101141621365596.jpgApós 35 anos em atividade, o encerramento, ontem, da central da EDP em Sines, com 1.256 megawatts (MW) de potência, marca o princípio do fim de uma era no sector energético nacional e mundial, com a despedida do carvão. No horizonte de Sines surge agora a possibilidade de produção de hidrogénio verde, com a EDP a estudar esta possibilidade em conjunto com outras empresas.

O fim da laboração da central significa também o fim de cerca de um décimo das emissões de óxidos de azoto, dióxido de enxofre, partículas e metais pesados em Portugal, assinala a Zero, que reconhece que o encerramento de Sines e da outra central a carvão portuguesa, no Pego, afeta direta e indiretamente cerca de 700 trabalhadores e lamenta que não tenha havido "diálogo, concertação social e criação de soluções alternativas" para essas pessoas.

O presidente da Câmara Municipal de Sines, Nuno Mascarenhas, considerou que "face à conjuntura existente" o fecho da central a carvão de Sines "não foi o mais indicado".

"Foi uma decisão tomada pela EDP, mas temos de nos concentrar naquilo que é o mais importante e encontrar alternativas para os trabalhadores que direta ou indiretamente exerceram funções durante muitos anos nesta central", sublinhou.

2-4-330x242.jpg

A EDP “tem estado sempre disponível para colaborar com o Governo no que respeita a garantir a segurança do abastecimento, e sempre que tal é necessário, estando a realizar investimentos na central do Alqueva para reforço da prestação de serviços de sistema (a nível do controlo de tensão)”.

Alunos da Escola Secundária de Serpa reivindicam condições de ensino condignas

Zé LG, 12.01.21

202101111648092680.jpgOs alunos da Escola Secundária de Serpa, alguns enrolados em mantas e todos com várias camadas de roupa, protestaram ontem de manhã, na rua, contra o frio que sentem nas salas de aulas. Uma situação que se deve às más condições do estabelecimento de ensino, com infiltrações, falta de isolamento térmico, entre outras, e que se arrasta “há anos”.

Os alunos falam de “pés e mãos a doer” de frio, exigem uma nova escola e prometem ir à Assembleia da República fazer ouvir as suas justas reivindicações.

A concentração começou ontem e vai continuar até quarta-feira. É sempre realizada das 08.00 às 13.15 horas, com cartazes a denunciar o frio que sentem nas salas de aula e que impede a concentração, assim como a aprendizagem.

23 Municípios alentejanos vão erradicar amianto de 38 escolas

Zé LG, 10.01.21

Amianto.jpgatravés das candidaturas por Programa Operacional Regional do Alentejo.

No distrito de Beja estão contempladas a Escola Mário Beirão e a Escola de Santiago Maior, em Beja; a Escola Secundária de Aljustrel e a Escola Básica e Secundária Dr. João Brito Camacho, em Almodôvar, bem como as Escolas Básica e Secundária de Ferreira do Alentejo; a Básica e Secundária de S. Sebastião, em Mértola; a Escola Básica de São Teotónio, no concelho de Odemira e, ainda, a Abade Coreia da Serra e nº1 de Vila Nova de S. Bento, no município de Serpa.

Odemira distinguido como “Município Mais Azul”

Zé LG, 03.01.21

bandeira-azul-odemira-768x541.jpgNo âmbito do Programa Bandeira Azul, o Município de Odemira foi distinguido pela Agência Portuguesa do Ambiente e pela Coordenação Nacional do Programa Bandeira Azul como “Município Mais Azul”.
Este prémio é atribuído ao município de cada região que obtém melhor pontuação nas atividades de educação ambiental e, segundo a autarquia, “o reconhecimento resulta pelo excelente desempenho nas atividades de educação ambiental, realizadas no âmbito do Programa Bandeira Azul 2020”.

Dia Nacional da Sustentabilidade

Zé LG, 01.01.21

thumbs.web.sapo.io.pngA proposta apresentada, pelo Movimento pelo Dia da Sustentabilidade, de instituir o Dia Nacional da Sustentabilidade a 25 de setembro foi aprovada no Parlamento, aguardando agora que o governo crie o diploma que o torne efetivo.

O reconhecimento, pelos deputados, da simbologia desta data – 25 de setembro, o dia em que a ONU revelou os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável – dá força à reivindicação do Movimento e sinaliza a necessidade de mudanças reais.

Brigada do Mar recolheu três toneladas de lixo na Lagoa da Sancha

Zé LG, 21.12.20

202012191558541649.jpgNuma ação viabilizada pelo projeto TransforMAR, a Brigada do Mar desenvolveu uma limpeza na Lagoa da Sancha, entre os dias 5 e 8 de dezembro. Oito voluntários limparam a área fora do domínio público marítimo na Lagoa da Sancha, enchendo mais de 150 sacos com diversos resíduos, maioritariamente de plástico, e cerca de 30 sacos só com vidros, mas também diversos materiais provenientes da atividade piscatória, num total de 3090 quilos , sendo 420 quilos de vidro e 2670 quilos de outros resíduos, como plástico.

Bandeira Verde ECO XXI 2020 atribuída ao Município de Beja

Zé LG, 21.12.20

131908487_3216643855107075_4213057950044385066_n.pO Galardão Bandeira Verde ECOXXI foi entregue a apenas três municípios do Alentejo: Avis, Alandroal e Beja, em 2020, ano em que foram apresentadas 62 candidaturas provenientes de todas as regiões do país, das quais 56 foram distinguidas com a atribuição da Bandeira Verde ECO XXI.

O ECOXXI é um Programa implementado desde 2005, pela Associação Bandeira Azul da Europa, que visa reconhecer as melhores práticas de sustentabilidade ao nível municipal, através da avaliação, por um conjunto de peritos de 21 indicadores e 71 sub indicadores nas áreas ambiental, social e económica.

(Des)construir para a Economia Circular

Zé LG, 05.12.20

202012041136552294.png… é a designação do projeto da CIMBAL, que resulta de uma candidatura no âmbito do Programa “Ambiente, Alterações Climáticas e Economia de Baixo Carbono”, financiado pelo EEA Grants, que tem como principal objetivo “promover uma estratégia regional para a reutilização de produtos e componentes de construção, bem como a reciclagem de resíduos de construção e demolição (RCD), reduzindo assim o impacto ambiental da construção e promovendo a sua circularidade.”

Até quando vamos continuar a ter entulheiras espalhadas por todos os lados?

Zé LG, 16.11.20

IMG_5648.JPG

A situação não é fácil de resolver. Se fosse, já estaria ultrapassada. Mas é preciso e urgente fazer mais para acabar com estas situações de entulhos, alguns com materiais perigosos, nas bermas das estradas e noutros locais inapropriados para o efeito, pela poluição material e visual que provocam. Há uns anos, propuz que se definissem locais nas aldeias, controlados pelas Juntas de Freguesias, onde se pudessem depositar os entulhos até determinadas quantidades (pequenas), que fossem regularmente transferidos para os aterros licenciados. Não seria "a" solução mas evitaria esta proliferação de entulhos depositados um pouco por todo o lado, nalguns casos, como o da foto, por onde circula muita gente a pé. Até agora, manteve-se a situação do "mal maior". Até quando?

Morreu um dos pioneiros da defesa do ambiente em Portugal

Zé LG, 11.11.20

Gonçalo Ribeiro Telles, engenheiro agrónomo e arquiteto paisagista, morreu hoje com 98 anos.

img_920x518$2020_11_11_17_13_22_1777745.jpgFoi um dos pioneiros da defesa do ambiente em Portugal, grande defensor da proteção legal dos parques naturais, dos jardins e hortas urbanas. Figura tutelar da defesa da ecologia para fundamentar a intervenção na paisagem e no território, foi o responsável pelo lançamento da política de ambiente em Portugal, cuja legislação incentivou quando passou por vários cargos públicos, nomeadamente como ministro de Estado e da Qualidade de Vida, entre 1981 e 1983.

Foi oposicionista ao Estado, concorrendo à Assembleia Nacional em 1957 e 1969 e juntando-se à candidatura de Humberto Delgado à Presidência da República em 1958, apesar de ser monárquico, porque entendia que não se estava a discutir entre República e Monarquia mas sim entre Ditadura e Democracia.

Culturas de regadio ameaçam de extinção 30 espécies de plantas endémicas no Alentejo

Zé LG, 17.10.20

A Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental, um levantamento que nos últimos quatro anos avaliou o risco de espécies ameaçadas, divulgou que pelo menos 30 espécies de plantas endémicas localizadas no Alentejo estão ameaçadas de extinção.

Adicionalmente, das cerca de 110 espécies de plantas endémicas de Portugal continental, que são exclusivas do nosso país e que não existem em mais nenhuma parte do mundo, quase metade, 53 espécies, encontram-se em vias de extinção.

linaria-ricardoi.pngUma das plantas mais ameaçadas de extinção é a Linaria dos olivais, uma espécie endémica do Baixo Alentejo cujo habitat são as searas e os olivais tradicionais, porque ficou sob uma “enorme pressão” devido ao aparecimento de culturas intensivas como o olival de regadio, o que “é um caso paradigmático” porque “existe um sítio da Rede Natura designado para proteger esta espécie, mas que não a está a proteger”.

Inaugurada a “Casa do Montado, Eco-Etnografia”

Zé LG, 11.10.20

O projecto nasceu da vontade de ver valorizado o património agro-silvo-pastoril e a herança etnográfica e gastronómica do Alentejo.

10237_big.jpgA família de Peter Nevelli Ellis Mollet, em Junho de 2017, após 150 anos, alienou a Herdade do Passareiro, propriedade de 570 ha localizada nos distrito e concelho de Évora, em pleno coração do Sítio do Monfurado da Rede Natura 2000. A forte ligação da família à fileira da cortiça permitiu que ao longo dos anos fossem conservadas peças ligadas à actividade agrícola e florestal, bem como um valioso arquivo documental, entretanto confiados à Casa do Montado, com o intuito de manter viva a memória do trabalho realizado ao longo de gerações e com a missão de perpetuar este património florestal único denominado Montado. Devido às medidas relacionadas com o Covid-19, a exposição terá apenas visitas sob marcação.

CDU interpela Câmara de Mértola sobre a prometida recuperação da área mineira da Mina de São Domingos

Zé LG, 09.10.20

21751422_475530459478682_1426121464407630468_n.jpg«Os Vereadores da CDU na Câmara de Mértola questionaram o executivo socialista sobre os garantidos 20 milhões de euros destinados à recuperação da área mineira da Mina de São Domingos, obra prometida com pompa e circunstância em sessão pública no dia 10 de setembro de 2016, com a presença do então Ministro do Governo Socialista, Manuel Caldeira Cabral. E reafirmada em cerimónia pública em 5 de junho de 2019, sessão que contou com a presença do então Secretário de Estado da Energia do Governo do Partido Socialista João Galamba... :

1. Passado um ano da receção provisória da obra todas as ações previstas foram devidamente concretizadas?

2. Em que situação se encontram os trabalhos da 2ª fase, tendo em conta que já passou mais de um ano da sua consignação e do lançamento da primeira pedra e como se vão desenvolver as fases seguintes?

3. A intervenção de desmatação e alteração do coberto vegetal e a intenção de construção de um central solar de grandes dimensões na Mina de S. Domingos não colide com os objetivos dos projetos da EDM, tendo em conta que estes preveem também o desenvolvimento, turístico da área em causa.»

"O uso da água do Alqueva está muito longe de ser sustentável"

Zé LG, 02.10.20

A associação ambientalista ZERO alertou que "o uso da água do Alqueva está muito longe de ser sustentável" e, "agora que a primeira fase do EFMA está praticamente concluída e uma segunda está a ser implementada, é inegável que estamos perante opções erradas na gestão, as quais vão ter reflexo no futuro do empreendimento".

Alqueva.JPGPor outro lado, "parece não se querer assumir que a crise climática é uma urgência e que face aos cenários previsíveis temos de avaliar que água vai estar disponível". "A quantos anos de seca pode a albufeira responder em dotações para rega quando tivermos quase 200.000 hectares dependentes em época normal e mais ainda nas fases de seca?", questiona a ZERO.

E, "a jusante da produção olivícola, predominante neste modelo agrícola", surgiu o "problema" da poluição do ar gerada por fábricas de transformação e extração de óleo do bagaço de azeitona resultante da produção de azeite nos lagares. "É esta a agricultura que queremos para a região? Monoculturas para exportação com base na subsidiação da água e no maior investimento público ao nível agrícola jamais efetuado? Ou mais diversificação [que] possa responder às necessidades alimentares do país?", questiona a ZERO.

“Amigos das Fortes” pedem na AR para serem “salvos da poluição”

Zé LG, 29.09.20

O PCP convidou a Associação Ambiental Amigos das Fortes a caracterizar o problema que estão a viver perante a Comissão Parlamentar de Ambiente. E os Amigos das Fortes pediram para serem “salvos da poluição”, com a qual convivem “há anos”, provocada pela “fábrica de bagaço de azeitona da ZPO”. O PCP chamou, também, a esta Comissão as entidades responsáveis. São ouvidas na quarta-feira, com o objetivo” de “construir um quadro legal que permita o convívio equilibrado nos territórios da produção industrial e do ambiente, assim como chamar as entidades competentes a cumprirem o seu papel”, segundo João Dias, deputado do PCP eleito por Beja e responsável por esta iniciativa.

20180924174604245 Fortes.jpgFátima Mourão referiu que “foi a terceira vez que a Associação esteve na Assembleia da República (AR)” e que “voltou a pedir ajuda porque a população precisa de ser salva”. Recordou que “a fábrica labora 11 meses no ano quando não o devia fazer” e que “a vida nesta aldeia do concelho de Ferreira não é possível nos termos em que a fábrica continua a atuar”.

“Por um modelo de Desenvolvimento Rural Transversalmente Sustentável”

Zé LG, 29.09.20

20200925183634952 rural.jpgO GAIA Alentejo, o Movimento Alentejo Vivo e a Associação Ambiental Amigos das Fortes realizou, em Beja, uma ação pelo mundo rural no dia da Greve Global pelo Clima”. Neste evento foi aprovada uma “Carta Aberta- Por um modelo de Desenvolvimento Rural Transversalmente Sustentável”.
Esta carta aberta, em que solicitam “ações urgentes por parte de quem consideram ter responsabilidades neste processo”, refere, entre outros aspetos que “é essencial corrigir o curso no sentido de um modelo de desenvolvimento efetivamente sustentável, terminando com a poluição na aldeia das Fortes, revogando o perímetro de rega do Mira, criando corredores ecológicos e ilhas de biodiversidade em redor das povoações, habitações, espaços públicos e massas de água, assim como implementar zonas estratégicas para os próximos três anos.”

Escultura na Costa de Santo André alerta para a proteção dos nossos oceanos

Zé LG, 13.09.20

A figura de um peixe, com 5 metros de comprimento, com exemplos de lixo recolhido nos mares no seu interior, pretende sensibilizar para a importância de proteger este recurso tão importante no ecossistema, bem como alertar para as graves consequências de atitudes irresponsáveis.

202009101904283072.pngA escultura é da autoria de Jorge Vitorino e contou com os apoios da Junta de Freguesia de Santo André e da Câmara Municipal de Santiago do Cacém.