Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Monforte recebe uma das maiores centrais fotovoltaicas do país, num investimento superior a 100 milhões de euros

Zé LG, 02.12.21

261990090_4643715955705205_7952378298834869638_n.jA central fotovoltaica de Santas, uma das maiores de Portugal, vai ser instalada na freguesia de Santo Aleixo, concelho de Monforte, numa área de 350 hectares, com um investimento superior a cem milhões de euros, pela Akuo Renováveis Portugal. A obra, com um prazo de execução de ano e meio, vai duplicar a população de Santo Aleixo, levando àquela freguesia cerca de 450 trabalhadores.

A cerimónia de apresentação, que decorreu no local onde em breve arrancam as obras da central fotovoltaica de Santas, contou com a presença de António Costa, primeiro-ministro, João Pedro Matos Fernandes, ministro do Ambiente e da Transição Energética, Joao Galamba, secretário de Estado Adjunto e da Energia, Gonçalo Lagem, presidente da Câmara de Monforte, e Eric Scotto, CEO e fundador da Akuo.

Marcelo Guerreiro eleito presidente da Resialentejo

Zé LG, 24.11.21

Marcelo-Guerreiro-2-pghh0gdoewbiy4ymgoo2kx5x6hrbvtO autarca Marcelo Guerreiro, de Ourique (PS), é o novo presidente do conselho de administração da empresa intermunicipal Resialentejo – Tratamento e Valorização de Resíduos, sucedendo no cargo a António Bota, de Almodôvar. O novo conselho de administração da Resialentejo inclui ainda como vogais: Rui Marreiros, de Beja (PS), e Odete Borralho, de Serpa (CDU).

O socialista Álvaro Azedo, presidente da Câmara de Moura, continua a presidir à Assembleia Geral da Resialentejo.

AR recomenda ao Governo adoção de medidas para o perímetro de rega do Mira e parque natural

Zé LG, 03.11.21

202110291113529697.jpgA Assembleia da República recomendou ao Governo a adoção de medidas para promover a inclusão e a salvaguarda da qualidade de vida na área do Perímetro de Rega do Mira e no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV), dando cumprimento ao solicitado pela Assembleia Municipal de Odemira na Tomada de Posição “Pelo Desenvolvimento Sustentável de Odemira”.

“A Terra está em situação de emergência.”

Zé LG, 02.11.21

44984_Greta_BOS8.jpg«Como cidadãos do mundo, exigimos que encarem a emergência climática. Não no ano que vem. Não no mês que vem. Agora:

> Mantenham a importante meta de limitar o aquecimento global a 1,5°C, com reduções imediatas, drásticas e anuais das emissões de carbono, como o mundo nunca antes viu.

> Encerrem imediatamente todos os investimentos em combustíveis fósseis, subsídios e novos projetos e impeçam novas operações de exploração e extração.

> Parem com a contabilidade "criativa" de emissões de carbono, publicando o total de emissões, incluindo todos os índices de consumo, cadeias de abastecimento, transportes aéreos e marítimos internacionais e a queima de biomassa.

> Entreguem os 100 bilhões de dólares prometidos aos países mais vulneráveis, com recursos adicionais para desastres climáticos.

> Estabeleçam políticas climáticas que protejam os trabalhadores e os mais vulneráveis e reduzam todas as formas de desigualdade.

Greta, da Suécia, Vanessa, de Uganda, Dominika, da Polônia, e Mitzi, das Filipinas»

UÉ integra projeto “Olivares Vivos+”, que vai certificar “o compromisso dos olivicultores com a conservação da biodiversidade”

Zé LG, 23.10.21

202108101628216277.jpgA Universidade de Évora (UÉ) é a representante de Portugal numa rede europeia que vai “desenvolver um certificado que garante o compromisso dos olivicultores com a conservação da biodiversidade”. O projeto, denominado Olivares Vivos+, é financiado pelo Programa LIFE na área de Natureza e Biodiversidade e integra, além de Portugal, Espanha, Itália e Grécia.

O projeto visa também, face às alterações climáticas, “contribuir para uma maior resiliência e resistência do olival, uma cultura chave para a economia da Europa mediterrânea em geral e de Portugal em particular", destacou José Herrera, coordenador nacional do projeto.

Odemira Marcha pela Água - Pela regeneração ecológica da região e contra a expansão da agroindústria

Zé LG, 17.10.21

202110141158217910.jpgEsta iniciativa junta todos os que se preocupam matérias que afetam não só no Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, mas também no Baixo Alentejo e no Algarve, regiões já gravemente “castigadas” pelos efeitos da crise climática, com grandes períodos de seca extrema e que agora é também “alvo da agroindústria desenfreada, sem regras nem limites, como testemunhamos todos os dias.” .

A marcha de hoje, em Odemira, a partir das 14.30 horas, prevê uma concentração no Jardim de Sousa Prado onde haverá lugar para intervenções, música e outras atividades.

“Vão para o terreno, falem com os trabalhadores.”

Zé LG, 13.10.21

resi_13.jpg«Gostava de saber qual é a tomada de posição que o STAL vai empreender perante a realidade que se vive nessa empresa. Vai dançar o tango do Diretor Geral e dos seus peões ou vai escolher o seu próprio ritmo, aquele que pugna pela defesa dos direitos dos trabalhadores. O ritmo do combate ao assédio laboral, à perseguição daqueles que não se vergam perante o despotismo que se vai instalando um pouco por todo o lado?
E os Sr.s Presidentes de Câmara recém (re)eleitos que irão herdar a administração desta empresa...não deverão também ser chamados a pronunciar-se? Vão (re)conduzir esta direção nas atuais funções sem analisarem de forma séria o que se passa por lá? Vão para o terreno, falem com os trabalhadores. As eleições já passaram mas daqui a 4 anos há mais...» - Anonimo 12.10.2021, aqui.

Ambiente social na Resialentejo parece ter entrado em ebulição

Zé LG, 12.10.21

resi_13.jpgNa semana passada, o STAL convocou uma reunião com os trabalhadores da Resialentejo, para fazer o ponto da situação das negociações com a empresa, representada pelo Director-Geral, para a revisão do acordo da empresa, que contou com a presença de 60 dos 90 trabalhadores da empresa. Nunca um plenário tinha tido tantos trabalhadores. Nem mesmo quando há seis anos fizeram greve em defesa da viabilidade da empresa.

Apresentadas as propostas da Administração, os trabalhadores, ao constatarem que elas tinham o único objectivo de lhes retirar direitos alcançados há quase 15 anos atrás, não só manifestaram de imediato o seu repúdio, como apontaram o dedo ao Director-Geral acusando-o de ter alterado o organograma por três vezes em um ano e meio, de ter aberto diversos processos disciplinares, de ter colocado trabalhadores “na prateleira”, para colocar outros no seu lugar, valorizando uns em detrimento de outros, usando de prepotência que nunca viram com o objectivo de “dividir para reinar”.

Perante esta resposta dos trabalhadores, a urgência manifestada pela Administração para a assinatura do novo acordo da empresa parece ter desaparecido. Surpreendida com a reacção dos trabalhadores ou apenas suspensão estratégica para voltar à carga depois de eleitos os novos corpos sociais, na sequência das eleições autárquicas? Aguarda-se a evolução da situação, bem como das reacções dos envolvidos.

AR recomenda medidas de inclusão e salvaguarda da qualidade de vida no sudoeste alentejano

Zé LG, 19.09.21

202106021222478018.pngA Assembleia da República recomenda ao Governo a adoção de medidas de inclusão e salvaguarda da qualidade de vida no Perímetro de Rega do Mira e no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV). Propõe a criação de uma nova geração de instrumentos de planeamento para assegurar a sustentabilidade do litoral alentejano, a adoção de medidas que permitam um “adequado conhecimento e análise” das atividades económicas, ligadas ao setor agrícola, desenvolvidas no Perímetro de Rega do Mira, o seu impacto no ambiente e ao nível social e a promoção de processos de planeamento articulados e com “abrangente participação pública, envolvendo os agentes regionais”. Daqui.

Coligação Unidos por Mértola e pelas Pessoas apresenta medidas urgentes para o ambiente

Zé LG, 11.09.21

218857011_139872521599814_4733534676124252454_n.jpA área do ambiente assume no concelho de Mértola, quer pela sua maior vulnerabilidade às alterações climáticas e desertificação quer pela riqueza da sua biodiversidade, uma importância extraordinária, devendo constituir-se como um eixo estruturante para o desenvolvimento do território e aproveitamento integral dos financiamentos do quadro comunitário no enquadramento do Pacto Ecológico Europeu.

Medidas Urgentes Ambiente, Sustentabilidade e Alterações Climáticas

 

Associação ZERO considera “inconcebível” a construção do bloco de rega de Messejana

Zé LG, 30.08.21

imgLoader2.ashx.jpgA associação ambientalista ZERO considerou “inconcebível” a construção do bloco de rega de Messejana, incluído na expansão do Alqueva, por poder implicar “riscos sérios para a sustentabilidade” e pressões hídricas numa albufeira do Alentejo e ser “mais um projeto público sem visão” e um investimento de “20 milhões de euros sem um diagnóstico aceitável das pressões hídricas na albufeira do Monte da Rocha”.
A situação da agricultura de regadio ligada à utilização da água do Monte da Rocha é “preocupante”, porque o bloco de rega proposto é “incompatível” com vários instrumentos de ordenamento do território em vigor, ocupará solos “desadequados para o regadio” e irá por “em causa” habitats e espécies protegidas, levando a “pressões negativas” sobre espécies protegidas presentes na área do bloco, “causando a fragmentação adicional” e a perda de habitats “relevantes”, e porque “as medidas de proteção dos aglomerados urbanos são insuficientes ou nulas” e “não se prevê uma monitorização das práticas [agrícolas] dos beneficiários”.

“Circuito do Sol” pretende criar 1ª pista do mundo de carros eléctricos em Serpa

Zé LG, 24.08.21

ACS-CIRCUITO-SOL-01-690x450.jpg

Este  projecto pretende criar um complexo turístico, desportivo e tecnológico vocacionado para os desportos motorizados, no antigo Kartódromo de Serpa, em Vila Verde de Ficalho e  está em consulta pública até 24 de Setembro. Este circuito quer ser o primeiro a nível mundial pensado e desenhado para veículos eléctricos, representa um investimento de 16 milhões de euros.

“Não se quer acabar com a agricultura, apenas criticar o "modelo agrícola" que tem sido seguido nas últimas décadas”

Zé LG, 04.08.21

202106021222478018.png«Nenhuma dessas Associações quer acabar com a agricultura, apenas criticam o "modelo agrícola" que tem sido seguido nas últimas décadas, e que nos tem conduzido a problemas ambientais, sociais e patrimoniais, que estão à vista de todos, aliás o próprio Ministério da Agricultura já o reconheceu por diversas ocasiões… Pode exercer-se actividade agrícola (o sector primário ocupa um lugar importante, a par do turismo e do património natural nas regiões do interior, como é sabido) de modo mais sustentável, basta haver preocupações nas acções comunitariamente apoiadas, no sentido de se preservar a maior riqueza dos territórios, sem comprometer o modelo económico! Pode inclusive, seguir-se outros paradigmas europeus, que estão num caminho diferente do nosso, é só preciso que as entidades com responsabilidades na área remem para o mesmo lado!»

Anónimo 03.08.2021, aqui.

Associação ZERO critica o apoio comunitário concedido a projetos agrícolas “que destruíram habitats protegidos” na área do Alqueva

Zé LG, 03.08.21

20210602100838579.jpg“A ZERO verifica que se continua a subsidiar um modelo agrícola destrutivo do ambiente, perante a ineficácia das entidades públicas e corrompendo os próprios objetivos das medidas da PAC” e que, “sem as necessárias salvaguardas, o próximo quadro de apoios [comunitários] poderá seguir precisamente o mesmo caminho”.
As conclusões um levantamento “do estado geral de habitats, áreas protegidas e sistemas agroflorestais de alto valor natural” realizado pela ZERO no concelho de Beja, mostram que a “maior parte das intervenções destrutivas ocorreram após 2015”, causando “a destruição de 18 charcos temporários mediterrânicos” e “o desaparecimento de mais de 1.000 hectares” de montado.
De acordo com o estudo, “são cerca de 120 as parcelas”, num total de 3.900 hectares, que receberam apoios do Programa de Desenvolvimento Rural 2020 e que “causaram danos em habitats e sistemas agrícolas importantes do ponto de vista ambiental”.

Já se pode, de novo, tomar banho na Praia da Zambujeira do Mar

Zé LG, 03.07.21

202107011441323920.jpgA situação já está normalizada e já são permitidos banhos na praia da Zambujeira do Mar, no concelho de Odemira, depois de ter sido interdita a banho desde quarta-feira, depois de ter sido detetada a presença na água da bactéria coliforme Escherichia coli (E.coli).
Nas últimas análises efetuadas pela Agência Portuguesa do Ambiente, já não foram detetados vestígios da presença na água da bactéria coliforme Escherichia coli (E.coli). A Agência Portuguesa do Ambiente vai realizar novas análises no dia 6 de julho de 2021.

Banhos interditos na praia da Zambujeira do Mar devido a bactéria E.coli na água

Zé LG, 02.07.21

202107011441323920.jpgA decisão foi tomada após a Capitania do Porto de Sines receber uma comunicação da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) de que, nas análises feitas na quarta-feira, tinha sido detetada "a bactéria E.coli na água". Nesse mesmo dia, "foi feita a recolha de novas amostras" à água.
Desconhecendo-se "a origem" da contaminação por concentração de coliformes fecais e até que as restrições sejam levantadas, os banhistas "podem permanecer no areal, mas os banhos estão totalmente desaconselhados".

BE defende a proteção da biodiversidade do Parque Natural do Sudoeste Alentejano

Zé LG, 06.06.21

202106021222478018.pngRicardo Vicente apresentou o projeto de resolução do Bloco de Esquerda para a recuperação da biodiversidade do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina e a transição ecológica da agricultura do perímetro de rega do Mira, saudando os milhares de signatários da petição “Juntos pelo Sudoeste”. O Bloco avançou que apoia as propostas dos milhares de subscritores da petição “O parque natural do sudoeste alentejano e a costa vicentina não aguenta mais agricultura intensiva”.

Dia Mundial do Ambiente celebra-se hoje

Zé LG, 05.06.21

202106041623578027.jpgO Dia Mundial do Ambiente surgiu no dia 5 de junho de 1972 durante uma Conferência das Nações Unidas. A conferência tratava o Meio Ambiente Humano em Estocolmo, a famosa Conferência de Estocolmo. Este encontro teve como principal objetivo sensibilizar de modo a alterar como vemos e tratamos as questões ambientais, estabelecendo princípios para orientar a política ambiental em todo o planeta.” Nesta data, Telma Saião, do movimento Chão Nosso, lembra as questões da agricultura intensiva e os impactos das mesmas no nosso território.