Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Tractores com lança-chamas para acabar com o uso pesticidas

Zé LG Zé LG, 25.01.20

Mais fácil e sem prejudicar o solo e o meio ambiente. No momento de plantar novas colheitas, os tratores equipado com gás e lança-chamas capazes de queimar as ervas daninhas, evitando ou até abolindo o uso de pesticidas.

tratores-adaptados-com-chamas-sao-a-nova-tecnica-pEste novo sistema tem muitas vantagens, como por exemplo, o fato de remover grande parte da erva daninha, a sua velocidade e eficácia, e ainda impedimento do crescimento de raízes danificadas, desfazendo assim a necessidade de pesticidas e semelhantes.

Petição para revogação de Resolução que permite aumentar área de estufas até 40 % e de contentores no Perímetro de Rega do Mira

Zé LG Zé LG, 24.01.20

imgLoader2.ashx.jpg“Temos cerca de 11 por cento da agricultura intensiva coberta por plástico e aquilo que a resolução [do Conselho de Ministros] diz é que pode vir a aumentar até 40 por cento, além da autorização, a título excecional, de contentores dentro das explorações agrícolas” e da "contratação de milhares de trabalhadores asiáticos em condições pouco claras”, disse Fátima Teixeira, porta-voz do movimento que lançou a petição.

O movimento alerta para as consequências “nefastas” de práticas agrícolas “que apostam na utilização intensiva de água para rega, plásticos, fertilizantes e pesticidas sintéticos”, no “Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, uma zona de excelência, com recursos ambientais que é preciso proteger. Estamos a destruir um património ambiental que é único”, pelo que é urgente “resolver os problemas que já existem ao nível de estufas, de agricultura intensiva e da capacidade para acolher tantos imigrantes” antes de se avançar para a expansão da atividade agrícola.

É urgente travar este avanço e proteger as zonas sensíveis do ponto de vista ecológico, assim como as populações dos aglomerados urbanos, das contaminações desta agroindústria, sendo por isso imperativo a demarcação de uma faixa mínima de 1.000 metros a partir da linha de costa e de 500 metros dos perímetros urbanos, livres de agricultura intensiva”.

Investimento de 3,500 milhões em Central de Hidrogénio em Sines

Zé LG Zé LG, 21.01.20

Este projeto visa produzir hidrogénio a partir de fontes renováveis, para ser exportado para o norte da Europa, nomeadamente os Países Baixos. Terá a capacidade de produzir 465 mil toneladas de hidrogénio por ano, eliminando a emissão de 18,6 milhões de toneladas anualmente.

202001201026411992.jpgCom o nome de Flamingo Verde (Green Flamingo), o projeto envolve 15 empresas, incluindo o Resilient Group, o banco holandês ABN Amro, a dinamarquesa produtora de turbinas eólicas Vestas, e as portuguesas EDP e Galp.

A construção do projeto deverá arrancar no final de 2021, na zona de São Torpes, e deve criar cerca de mil postos de trabalho diretos e indiretos.

Os Verdes querem interdição da colheita mecanizada noturna de azeitona para preservação da avifauna

Zé LG Zé LG, 08.01.20

Os Verdes deram entrada na Assembleia da República de um Projeto de Lei que visa o impedimento da colheita mecanizada noturna de azeitona, método ligado à produção superintensiva de olival, com vista à preservação da avifauna.

P1010801.JPGInvestigadores portugueses estimam que 96 mil aves sejam afetadas todos os anos devido à apanha mecanizada de azeitona durante a noite. O Governo referiu que está a ser produzido um estudo científico para avaliação do impacto desse método de colheita na avifauna e que o ICNF vai reforçar ações de fiscalização e de sensibilização aos operadores envolvidos na apanha da azeitona.
O PEV considera, contudo, que é preciso uma ação mais determinada e, por forma a preservar a biodiversidade e proteger as aves afetadas, apresenta o Projeto de Lei em causa para que seja introduzida a interdição expressa de práticas produtivas, tais como a colheita mecanizada noturna de azeitona. Leia aqui o Projeto de Lei de Os Verdes.

CEBAL integra maior unidade de investigação ao nível da Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento

Zé LG Zé LG, 06.01.20

20200103172355357.jpgA Universidade de Évora revela que, na semana passada, “o ICAAM deixou de existir, para se juntar ao CEBAL (Beja), ao MeditBio (Universidade do Algarve) e ao Cibio-Évora (Universidade de Évora) passando a constituir o MED - Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento”, com “sede na Universidade de Évora e polos em Beja e na Universidade do Algarve, contará com cerca de 320 investigadores, dos quais 170 investigadores doutorados e 64 alunos de doutoramento”.

“O MED será a maior unidade de investigação nacional a trabalhar temas que integram a agricultura, a alimentação, o ambiente e o desenvolvimento rural”, que tem como um dos objetivos “desenvolver investigação cujas questões partem de problemas que se colocam na prática e, sobretudo, às que se relacionam com a nova realidade face às alterações climáticas”.

Mértola vai receber a maior central fotovoltaica do país, num investimento de 450 milhões de euros

Zé LG Zé LG, 29.12.19

O projecto da empresa Fermesolar abrange uma área de implantação aproximada de 703 ha, ocupados pelas várias infraestruturas que compõem a Central Solar, constituída por 1.267.200 painéis que correspondem a uma potência total instalada de 557.568.000 Wpe, foi pensado como demonstração, conciliando à produção solar fotovoltaica a partir de painéis de filmes finos da última geração, a associação do armazenamento de energia em baterias de iões de lítio da última geração.

mapa_central.jpgEstima-se que o número de trabalhadores, na fase de construção, seja cerca de 200, em média.

FAABA satisfeita com recuo da ministra da Agricultura, que prolonga apoio às medidas agroambientais

Zé LG Zé LG, 18.12.19

A Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo (FAABA) regista “com agrado a garantia dada, esta segunda-feira, pela ministra da Agricultura de prolongar os apoios à totalidade das medidas agroambientais em 2020” e de “permitir uma transição entre o atual e o próximo período de programação”. 

P1020860.JPGA FAABA refere que a decisão da ministra “representa um recuo da titular da pasta da agricultura”, frisando que a "ministra não se tinha dado conta das consequências da decisão que havia tomado" e que "ainda bem que recuou nesta matéria".

Associação Ambiental receia que “situações como a da aldeia das Fortes se venham a multiplicar”

Zé LG Zé LG, 17.12.19

42208840_2099139730400968_4388250768738615296_n.jpA Associação Ambiental dos Amigos das Fortes considera que a constatação de que “a capacidade estática de armazenamento das unidades de receção de bagaço de azeitona está “praticamente esgotada” coloca em evidência as fragilidades do modelo de desenvolvimento e exploração do EFMA, a ausência da aceitação de uma estratégia global equilibrada para o setor agrícola e para o EFMA tem provocado desequilíbrios estruturais, que já penalizam as comunidades e populações residenciais limítrofes, onde estão instalados os olivais e as unidades de receção dos bagaços e que não tem dúvidas de que se nada for feito, situações como a da aldeia das Fortes se venham a multiplicar à medida que acresce a pressão para aumentar a capacidade de laboração das unidades industriais de extracção do óleo do bagaço de azeitona, e a abertura de novas fábricas.

20180924174604245.jpg

 

Maior bosque ripícola plantado em Portugal cresce nas margens da albufeira de Pedrógão

Zé LG Zé LG, 14.12.19

Para compensar o coberto florestal que iria ficar coberto pelas águas, a EDIA plantou, em 2005, cerca de 650 mil árvores e transplantou 720 exemplares adultos de amieiros e freixos.

1421563.jpgQuando se assiste à destruição massiva e sistemática de galerias ripícolas (ribeirinhas) e de corredores ecológicos no território regado a partir das águas do Alqueva, a Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva (EDIA) apresenta uma das suas mais bem conseguidas medidas de compensação ambiental alguma vez realizada em Portugal. Numa albufeira, o imenso bosque plantado há anos cresce frondoso.

Projeto PlaCarvões vence prémio de Economia Circular

Zé LG Zé LG, 11.12.19

PlaCarvões.jpgO projeto PlaCarvões "De Plásticos a Carvões Ativados – Economia circular nos plásticos agrícolas e urbanos", desenvolvido em consórcio liderado pela EDIA, com a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, a empresa Gestão Ambiental e de Resíduos e a Universidade de Évora, venceu o prémio Economia Circular nas Instituições Não Empresariais do Alentejo, atribuído pela ADRAL e CCDRA.
“O consórcio PlaCarvões, atento aos problemas emergentes provocados pelos plásticos de uso único, quer na agricultura, quer no circuito urbano e ainda pela contaminação orgânica dos mesmos, desenvolveu estratégias que contribuem para a sua redução, transformando estes resíduos sujos e de mistura, em carvões ativados”.