Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Os novos donos do Alentejo com mais de 65% dos olivais da região

Zé LG Zé LG, 17.01.20

img_797x448$2020_01_16_09_55_33_615825.jpg

Cerca de 70% do território agrícola da região de Alqueva mudou de mãos nos últimos dez anos - e o Alentejo passou de celeiro a olival da nação. O antigo terratenente seareiro cedeu lugar a um novo megalatifúndio assente em fundos  internacionais, com seis grandes grupos a deter ou a gerir mais de 65% dos olivais da região. São eles os grandes beneficiários do maior investimento público alguma vez realizado na agricultura portuguesa: 2,5 mil milhões de euros. Ao mesmo tempo que escasseia, a terra irrigada por Alqueva está a sofrer uma pressão sem precedentes, com o preço do hectare a crescer seis vezes em 15 anos. Neste período, graças aos novos olivais alentejanos, Portugal passou de importador crónico a quinto maior exportador mundial de azeite. E, segundo a Comissão Europeia, o olival português poderá aumentar 88% até 2030. Mas isso teve consequências sociais e ambientais. Este é o primeiro de três capítulos de uma reportagem realizada ao abrigo de uma bolsa de investigação jornalística da Fundação Calouste Gulbenkian

Maior bosque ripícola plantado em Portugal cresce nas margens da albufeira de Pedrógão

Zé LG Zé LG, 14.12.19

Para compensar o coberto florestal que iria ficar coberto pelas águas, a EDIA plantou, em 2005, cerca de 650 mil árvores e transplantou 720 exemplares adultos de amieiros e freixos.

1421563.jpgQuando se assiste à destruição massiva e sistemática de galerias ripícolas (ribeirinhas) e de corredores ecológicos no território regado a partir das águas do Alqueva, a Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva (EDIA) apresenta uma das suas mais bem conseguidas medidas de compensação ambiental alguma vez realizada em Portugal. Numa albufeira, o imenso bosque plantado há anos cresce frondoso.

Movimento Alentejo VIVO identificou violação aos PDM em mais de 5 mil hectares na área de influência de Alqueva

Zé LG Zé LG, 18.11.19

A Associação Ambientalista ZERO refere que se tem assistido à instalação de culturas intensivas fora dos blocos de rega, em áreas onde as mesmas são proibidas ou condicionadas nos PDM, acrescentando que, num primeiro levantamento efetuado, pode-se já afirmar que esse valor supera os 2500 ha no concelho de Beja e os 2000 ha no concelho de Serpa e em menor expressão no concelho de Ferreira do Alentejo, estendendo-se esta situação um pouco por todos os outros concelhos envolvidos.

regadio.JPGAs situações identificadas referem-se a áreas classificadas nas cartas de ordenamento como espaços agro-silvo-pastoris, mesmo como áreas florestais de produção e até de proteção, áreas com condicionantes em termos de Reserva Ecológica Nacional (REN) ou em faixas adjacentes a povoações.

A ZERO considera que “não é aceitável que as diversas entidades com responsabilidades em matérias de gestão e ordenamento do território continuem sem assumir as suas responsabilidades”, e exige a “imediata intervenção da CCDRA, no sentido de fazer cumprir os preceitos previstos nos diversos instrumentos de gestão territorial em vigor, bem como da IGAMAOT, pelo que será solicitada uma auditoria urgente à forma como todo o processo de instalação dos perímetros de rega tem decorrido”.

Daqui.

Governo corta apoios ao investimento para a instalação de olivais e lagares no perímetro de Alqueva

Zé LG Zé LG, 13.06.19

O Governo anunciou esta quarta-feira que vai suspender apoio ao investimento em olival na região do Alqueva e delimitar as manchas contínuas para proteção da biodiversidade. Luís Capoulas Santos, considera que as implicações do olival têm sido “distorcidas” pela opinião pública e não têm as pressões ambientais que lhe são atribuídas.

Olival.JPG

“Determinei, no atual quadro comunitário de apoio, que não haverá no perímetro de Alqueva mais apoios ao investimento para a instalação de olivais e de agro-industrias associadas ao olival, porque temos capacidade de laboração suficiente”, afirmou o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, no debate marcado de urgência pelo Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV), com o tema “travar as culturas intensivas e superintensivas”.

No OLA com um pé no Alqueva e olhos nas estrelas

Zé LG Zé LG, 11.05.19

É com um pé no Alqueva e olhos nas estrelas, que, no próximo dia 11, o Observatório do Lago do Alqueva (OLA) celebrará 3 anos.

ola.png

Em plena área “Dark Sky Alqueva” e com condições únicas para observar as estrelas, situado nas margens do Grande Lago Alqueva e com uma vista privilegiada sob Monsaraz, o OLA tem um programa especial para celebrar a data. Dirigido a crianças e adultos, este programa contará com música, uma exposição de fotografia, mais uma edição do “Café Ciência” e as inevitáveis observações astronómicas.

Efacec vai instalar central fotovoltaica em Moura

Zé LG Zé LG, 05.03.19

paineis-solares-768x432.jpgA empresa anuncia que viu adjudicada pela EDIA - Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas de Alqueva, a central fotovoltaica de Moura com 1 MW (Megawatt), que “vai permitir a distribuição de energia para 801 habitações”.

Esta central de Moura pode contribuir para solucionar o problema dos 105 trabalhadores que perderam o seu posto de emprego, com o encerramento da fábrica de painéis solares de Moura, detida pelos espanhóis da Acciona.

“Olival no Alentejo: a revolução agrária 4.0 à volta do Alqueva”

Zé LG Zé LG, 25.02.19

thumbs.web.sapo.io.jpgHá uma mudança na paisagem do Alentejo. A reboque do olival intensivo e superintensivo a planície dourada está a dar lugar a um manto verde. Associações ambientalistas e investigadores (Universidade de Évora) alertam para os perigos dos pesticidas e pedem boa gestão da água. Agricultores (Olivum) e Câmara Municipal de Beja defendem que promove investimento, dinamiza a economia, cria emprego e fixa populações. O Ministério da Agricultura e entidades públicas (EDIA e INIAV) reforçam que não provoca danos ao ambiente.

Veja aqui a reportagem de Miguel Morgado, para o SAPO 24.

Jacinto-de-Água ameaça atingir Alqueva

Zé LG Zé LG, 21.02.19

copy_of_cronistas_ta_-_2019-02-20t160303.085.jpgO Jacinto-de-Água, uma praga mundial que ameaça rios um pouco por toda a parte, originária da bacia do Amazonas, Brasil, está propagada pelo Guadiana e parece capaz de atingir a barragem de Alqueva. É a própria Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA) que a declara  "preocupante e uma ameaça, pois trata-se de uma espécie exótica invasora com elevada capacidade de propagação e consequentemente com elevada capacidade de degradação da qualidade da água".

Para já o controlo da propagação da espécie que é exótica e de crescimento rápido, está a ser possível com recurso a duas barreiras de contenção entre Portugal e Espanha, a primeira colocada em 2012 a dez quilómetros da Ponte da Ajuda e a segunda em 2014 a três quilómetros da albufeira de Alqueva.