Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Manuel Nunes morreu

Zé LG, 19.08.22

2022081609212586.nb.pngManuel António Nunes Júnior, de 86 anos, natural de Quintos, morreu no passado dia 11, no seu domicílio em Beja, tendo sido cremado no Cemitério de Ferreira do Alentejo, no dia 16. Manuel Nunes era agricultor reformado, tendo sido um dos sócios fundadores da ACOS.

Conhecia de vista o Senhor Manuel Nunes, embora não soubesse quem era, que sempre me cumprimentou com muita simpatia. Só depois da sua morte é que vim a saber quem era e que era tio de um colega do Liceu e amigo.

À família apresento os meus sentidos pêsames.

Já começaram as vindimas

Zé LG, 18.08.22

vindimas-1-768x432.jpgA Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito já começou a receber uvas de castas cuja maturação está mais avançada. Na próxima segunda-feira, as vindimas “abrem de forma mais generalizada” disse José Miguel Almeida, presidente da Adega Cooperativa, que acrescentou que a produção deste ano deverá ser idêntica à do ano passado e, para já, as uvas que estão a chegar à Adega têm uma “elevada qualidade”.
A Adega, no âmbito do “Programa de Vindimas”, que é retomado em setembro, desafia os interessados para uma visita às vinhas, com apanha de uvas, paragem para petisco tradicional e almoço nas instalações da daquela cooperativa.

Primeiro Sistema Integrado de Gestão do Montado experimentado na Herdade da Coitadinha

Zé LG, 14.08.22

JRN.JA_.17808-133841-690x450.jpgO Projecto LIFE Montado-Adapt, concluído em Junho e coordenado pela Associação de Defesa do Património de Mértola (ADPM), teve como objectivo impulsar a adaptação do Montado, em Portugal e Espanha, aos efeitos das alterações climáticas. A Herdade da Coitadinha – Parque de Natureza de Noudar, propriedade da EDIA, foi onde decorreu a experiência, tendo sido implementado o primeiro Sistema Integrado de Gestão do Montado.

O projecto de Defesa do Montado criou ainda uma rede de trabalho e de intercâmbio de conhecimentos, com os olhos postos no futuro com o ambiente sempre presente. 

Ministra da Agricultura aponta investimento em charcas como solução

Zé LG, 11.08.22

Maria-do-Céu-Antunes-1-768x432.jpgA ministra da Agricultura e da Alimentação, Maria do Céu Antunes, apontou a criação de charcas como solução para os problemas da seca e do abeberamento animal, na visita que fez ontem, em Mértola, a uma exploração agropecuária apontada como exemplar no uso eficiente da água.
A Ministra frisou que aquele projeto agrícola em Mértola para além da gestão eficiente da água, investe em raça autóctones e na produção de culturas forrageiras para alimentar os animais em situações difíceis como as vividas agora devido à seca.

Incêndio na Fábrica de Bagaço de Azeitona nas Fortes

Zé LG, 10.08.22

202208101014481428.jpgDeflagrou, hoje de manhã, um incêndio no interior da Fábrica de Bagaço de Azeitona nas Fortes Novas, no concelho de Ferreira do Alentejo, que foi combatido por corporações de Beja, Ferreira do Alentejo, Ourique, Serpa, Alvito, Aljustrel e Vila Nova de Milfontes, com 14 viaturas e 35 operacionais. Não há vitimas a lamentar apenas danos materiais nas instalações da fábrica.

CNA exige que o Governo “passe das palavras aos atos e demonstre vontade política”

Zé LG, 10.08.22

CNA.png“Quatro anos volvidos sobre a publicação do decreto-lei que institui o Estatuto da Agricultura Familiar (EAF) muito falta fazer por parte do Governo e dos diversos ministérios”, assinalou a CNA - Confederação Nacional da Agricultura . Por outro lado, a situação da agricultura familiar “agravou-se exponencialmente” com a pandemia de covid-19, sanções “a pretexto da guerra na Ucrânia”, seca, fogos e aumento dos custos de produção.

Apesar de garantir não desvalorizar o que já foi feito, a CNA apelou à adoção de medidas como a criação de um regime de segurança social extensivo aos cônjuges nas explorações, um regime fiscal adequado e prioridade no abastecimento público, acesso à terra e à água, apoios para os sistemas policulturais, bem como a majoração dos apoios nas medidas de desenvolvimento rural para as zonas desfavorecidas ou com desvantagens naturais.

A CNA exigiu que o Governo “passe das palavras aos atos e demonstre vontade política”, a começar pela convocação da Comissão Nacional da Agricultura Familiar (CNAF).

EDIA disponibiliza 115 parcelas de terreno para arrendamento

Zé LG, 29.07.22

Capturar_2a.jpgA EDIA disponibiliza 115 parcelas de terreno para arrendamento, nos concelhos de Alandroal, Aljustrel, Alvito, Beja, Cuba, Évora, Ferreira do Alentejo, Moura, Mourão, Portel, Reguengos de Monsaraz, Serpa e Vidigueira.

O valor da renda por hectare está cifrado nos 75 e 100 euros, dependendo do tipo de propriedade, sendo que as despesas com o consumo de água e taxa de manutenção das parcelas inseridas no perímetro de rega, ficam a cargo do rendeiro.

As propostas deverão ser apresentadas até ao próximo dia 09 de setembro. Consulte o Edital AQUI.

ACOS recolhe produtos para agricultores vítimas dos recentes grandes incêndios

Zé LG, 26.07.22

202207252020151633.jpgA ACOS está a participar na ação de solidariedade, lançada pela CAP, para com os agricultores dos concelhos onde ocorreram recentemente grandes incêndios, designadamente Murça, Valpaços e Vila Pouca de Aguiar.
A associação anuncia que está a reunir em Beja os contributos dos seus associados e de outros agricultores que queiram participar na campanha organizando, logo que tenha carga suficiente, o envio dos donativos para o norte do país.
Os agricultores que pretendam contribuir com palha, feno e concentrados para alimentação animal deverão entrar em contacto com a ACOS para agendamento das entregas. Daqui e daqui.

BE quer agricultura intensiva com avaliações de impacto ambiental e laboral

Zé LG, 25.07.22

20210916144922802.pngA coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, propôs que passem a existir avaliações de impacto da agricultura intensiva e superintensiva, ao nível “do impacto sobre a água, de impacto ambiental, mas também sobre as condições dos trabalhadores”.

A dirigente do BE discursou no arranque de uma marcha integrada no “Roteiro pela Justiça Climática”, promovido pelo partido, realizada entre a zona dos Alteirinhos e a Zambujeira do Mar. Na sua intervenção, a coordenadora do BE manifestou apoio aos trabalhadores agrícolas imigrantes e salientou que a marcha serve para “lutar por uma lei contra o trabalho forçado e que garanta condições a todos os trabalhadores em Portugal”.

FAABA propõe à ministra da Agricultura alargamento do horário para trabalhos agrícolas no Alentejo

Zé LG, 18.07.22

202207181605146040.jpgA FAABA, apesar de reconhecer “a absoluta necessidade de implementação de medidas que evitem a deflagração de fogos”, solicita à ministra da Agricultura que tenha em conta “algumas situações na nossa região, que pelas suas particularidades, deveriam, ... merecer outra atenção e até algum alívio e bom senso nas medidas restritivas agora decretadas” e propõe “que seja permitida a debulha normal dos cereais, exceto no período compreendido entre as 13 e 17 horas (período em que as temperaturas são mais elevadas)", bem como a possibilidade de “utilização de retroescavadoras para abertura e fecho de valas. ..., onde o risco de incêndio é nulo. ...” e de “determinadas operações de preparação de terreno para culturas anuais ou permanentes, (ex. lavouras e ripagens sem recursos à utilização de alfaias de discos) ...", exceto no período indicado.

A FAABA conclui, apelando à ministra da Agricultura “para que, em conjunto com os vários Ministérios envolvidos ... seja dado o seguimento que propomos, uma vez tratar-se de medidas que, em nossa opinião, não trarão um risco acrescido de incêndio.”

“Não saiu nenhuma medida das sucessivas promessas feitas pela Ministra da Agricultura”

Zé LG, 06.07.22

OPINIAO_RUI_GARRIDO-768x364.jpg«Os agricultores merecem respeito. A seca já é uma dura penalização às suas condições de trabalho. Tal como os aumentos exponenciais dos preços das matérias-primas, de fertilizantes, de combustíveis e de energia, dos alimentos para os animais, em resultado da guerra e também da seca. Porque provocam ainda redução da quantidade e da qualidade das produções. E degradação das condições socioeconómicas dos produtores e dos territórios rurais. Os agricultores estão na primeira linha na produção de alimentos e na salvaguarda da segurança e da soberania alimentar. Precisam de se sentir acompanhados, sob pena de muitas fileiras de produção agroalimentar colapsarem. São necessários e urgentes apoios não só do governo português, como da União Europeia. Porque se hoje sentimos o esforço do aumento dos preços, amanhã podemos sentir a falta de produtos essenciais nas prateleiras dos supermercados.»      Rui Garrido, Presidente da ACOS, aqui.

Projeto “+Solo + Vida” luta contra a desertificação da área natural do Vale do Guadiana

Zé LG, 02.07.22

202206301508291956.jpgO início do mês de julho fica marcado pelo arranque do Programa Territorial “+Solo + Vida”, um dos quatro projetos aprovados a nível nacional pelo Fundo EEAGrants, aviso “Projetos de preparação para condições meteorológicas extremas e de gestão de riscos no contexto das alterações climáticas”. O projeto é promovido pela ADPM e tem como entidades parceiras a Cooperativa Agrícola do Guadiana, a Natural Business Intelligence, a Universidade do Algarve e a International Development Norway.

Pretende-se igualmente capacitar os atores locais, nomeadamente os agricultores, para a adoção de boas práticas agrossilvopecuárias de combate à degradação do solo nos concelhos abrangidos pela área do Parque (Mértola e Serpa); realizar um diagnóstico das principais barreiras à adoção de boas práticas e desenvolver um modelo de governança para impulsionar a adaptação às alterações climáticas a nível local; e aplicar demonstrativamente 10 boas práticas, com elevado potencial de replicação, em 94 hectares nas explorações silvo agropecuárias do Parque.

EDIA promove debate sobre independência energética na agricultura

Zé LG, 27.06.22

EDIA-lança-debate--810x378.pngA independência energética no setor agrícola vai ser o tema para uma sessão de apresentação de soluções aplicadas à agricultura, seguida de debate, no próximo dia 28 de junho, pelas 10h00, no auditório da EDIA, em Beja.

A EDIA, que apresentará a sua visão para a independência energética do Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva, está empenhada em partilhar soluções e conhecimentos junto dos seus clientes, abrindo caminho à sustentabilidade do Projeto de Alqueva e reforçando o objetivo associado à diminuição da pegada ecológica da atividade do setor primário.

Ministra da Agricultura destaca projeto-piloto de energia renovável da ABRoxo

Zé LG, 13.06.22

202206111945413085.jpgEste projeto vai “acrescentar o equilíbrio entre o desenvolvimento económico” e o “desenvolvimento ambiental”, além de permitir “diminuir a pegada ecológica” e “fixar mais carbono”, frisou a ministra Maria do Céu Antunes, após a sessão de apresentação da Comunidade de Energia Renovável do Roxo, em São João de Negrilhos.

A Comunidade de Energia Renovável é um projeto-piloto da Associação de Beneficiários do Roxo (ABRoxo), gestora deste perímetro de rega que beneficia mais de 8.500 hectares nos municípios de Aljustrel e Ferreira do Alentejo (Beja) e Santiago do Cacém (Setúbal), e da Federação Nacional de Regantes de Portugal (Fenareg).

O presidente da ABRoxo, António Parreira, disse que o objetivo “é ter 8.500 hectares” do aproveitamento “regados com energia praticamente a custo zero”, realçando que: “Seremos o primeiro perímetro de rega no país a fornecer água com pressão com energia produzida por nós próprios”.

No âmbito da Comunidade de Energia Renovável do Roxo, foi assinado um acordo com a Transwater, com sede em São João de Negrilhos e que produz tubos de betão com alma de aço, utilizados sobretudo para abastecimento de água, que vai permitir à empresa adquirir à associação energia a um custo mais reduzido face ao praticado pelos operadores energéticos.

Ministra da Agricultura diz que Portugal quer duplicar produção nacional de cereais

Zé LG, 05.06.22

202106050942418156.jpg“Portugal produz atualmente 18% dos cereais que consome. Há uma estratégia para aumentar até 38%. Portugal não tem condições naturais, de solo e de clima, para poder ser competitivo com outras geografias, nomeadamente até ao nível da Europa”, adiantou Maria do Céu Antunes, ministra da Agricultura, esclarecendo que o objetivo é “aumentar a autonomia estratégica”, que acredita ser possível “através de um conjunto de investimentos” que irão “estimular os agricultores a fazer, seja do ponto de vista da inovação, do desenvolvimento tecnológico, para melhorar a qualidade dos solos, que são pobres, seja para a disponibilização de água”, para haver “cereais regados”. O Governo irá ainda disponibilizar um apoio financeiro “para que estes produtores possam fazer esta opção quando tiverem que fazer as suas sementeiras”.

“Não há qualquer problema no abastecimento” de cereais, afirmou a ministra da Agricultura diz em Beja

Zé LG, 31.05.22

202205301636598167.png“Temos reservas de cereais para cerca de um mês em ‘stock’”, mas os importadores “garantem-nos que não há qualquer problema no abastecimento” apesar da guerra na Ucrânia, afirmou Maria do Céu Antunes em Beja. A ministra da Agricultura e da Alimentação observou ainda que “a única coisa de diferente que, infelizmente, está a acontecer tem a ver com o preço” dos cereais. “Ainda assim, acompanhamos este setor semanalmente junto dos importadores, para a todo o tempo podermos intervir e ajudar a minimizar qualquer impacto que possa acontecer”.

A ministra da Agricultura e da Alimentação esteve numa visita de campo, organizada pela Cooperativa Agrícola de Beja e Brinches e pelo Clube Português dos Cereais de Qualidade, que contou também com a presença da ministra adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes. Daqui e daqui.