Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Criada a Bio região da Margem Esquerda do Guadiana

bio.JPGFoi assinado o documento que oficializa a criação da Bio Região da MEG-Margem Esquerda do Guadiana, durante a sessão de adesão da MEG à INNER-Rede Internacional de Bio Regiões.

A MEG integra agora uma rede internacional de cerca de meia centena de territórios BIO em todo o mundo e passa a ser a quarta Bio Região em Portugal.

De referir que, ao abrigo do PDR2020, foi aprovado um pedido e apoio que garante financiamento para a dinamização da Bio Região da MEG na sua fase inicial.

“XII Jornadas FENAREG” debatem, em Odemira, Agricultura-Ambiente-Território

A FENAREG e a Associação de Beneficiários do Mira organizam a 6 e 7 de Novembro, em Odemira, o Encontro Regadio 2019 “XII Jornadas FENAREG”, que terão como tema central o trinómio Agricultura-Ambiente-Território e os desafios dos Aproveitamentos Hidroagrícolas para além da gestão da água.

regadio.jpg

Este evento assinala o 50º aniversário do Aproveitamento Hidroagrícola do Mira, um perímetro de rega com 12 mil hectares de área beneficiada, cuja origem da água é a albufeira criada pela Barragem de Santa Clara, no rio Mira, onde se pratica uma agricultura de regadio com vocação exportadora e um forte contributo para o desenvolvimento sócio-económico do território do sudoeste alentejano e da costa vicentina.

Olivum “recomendou a todos os associados a suspensão voluntária deste tipo de atividade na campanha de 2019”

“Com o aproximar da colheita a Olivum solicitou reuniões ao ICNF, ao Iniav, à Drapal, bem como a outras organizações da fileira, de forma a recolher informação sobre os meios aconselhados de prevenção e atenuação dos possíveis impactos dos trabalhos de colheita, designadamente, no que se refere à apanha mecanizada noturna”.

P1060207.JPG

Adiantando ainda que, no passado dia 17, assinou, juntamente com a CAP, a Confagri e a Casa do Azeite, uma proposta de acordo setorial relativo à colheita noturna no olival, onde se recomenda, também, a suspensão temporária e voluntária da colheita noturna, sempre que surja risco de impacto negativo na avifauna”.

Desmantelamento do Ministério da Agricultura é retrocesso e erro histórico

O anúncio por parte do Primeiro-Ministro da nova estrutura orgânica do XXII Governo Constitucional constitui, no que respeita à área da Agricultura, da Floresta e do Desenvolvimento Rural (espalhando-as por três ministérios distintos), um erro e um retrocesso histórico.

P1060219.JPG

Trata-se de um processo de desarticulação de uma área estratégica que devia ser prioritária para o País, do ponto de vista da defesa da produção nacional, da defesa do mundo rural, da defesa da natureza e de um ambiente ecologicamente equilibrado, ou da defesa da floresta contra incêndios. De facto, não compreender a dinâmica da agricultura nacional com toda a sua dimensão agrícola, pecuária, silvícola e florestal, em que os tempos de trabalho, as práticas agrícolas e os rendimentos se complementam, e colocar as políticas de costas umas para as outras levará, inevitavelmente, à redução de rendimentos e ao abandono de novas áreas.

Leia o resto NOTA DA COMISSÃO NACIONAL DE AGRICULTURA JUNTO DO COMITÉ CENTRAL DO PCP.

Esvaziar o Ministério da Agricultura de competências é uma boa solução?

Começo pelo fim: espartilhar” as competências tradicionais do Ministério da Agricultura entre pelo menos três ministérios (Ambiente e Ação Climática, que assume as florestas em exclusivo, Coesão Territorial, que arrecada o Desenvolvimento Rural, e Agricultura, que fica com o que sobra) parece-me ser uma ideia muito estranha. Tão estranha, tão estranha que só espero que possa ser genial. Leia o resto deste pertinente e oportuno artigo.

P1060215.JPG

Grupo Vila Galé inaugurou lagar e quer construir mais dois hotéis em Beja

Um investimento de 3,5 milhões de euros fez nascer um novo lagar em Beja, da empresa Casa Santa Vitória, do grupo Vila Galé, que vai agora produzir o seu próprio azeite, à imagem do que já faz com o vinho. Este novo lagar alia a função industrial de produção de azeite a uma vertente turística, desenvolvendo o olivoturismo, à imagem do que acontece com o enoturismo da sua adega.

gale.pngO Grupo Vila Galé quer investir 22 milhões de euros e construir mais dois hotéis em Beja: um para casais e outro para crianças, visando reforçar a oferta do projeto turístico e agrícola da cadeia hoteleira em Beja, que espera estejam em execução já no próximo ano.

Life LiveAdapt promove questionário sobre as alterações climáticas e a pecuária em regime extensivo

live.jpgEste é um projecto que preconiza a necessidade de adaptação às alterações climáticas dos modelos de produção de pecuária extensiva na Europa. O principal objectivo do projecto é a implementação de uma estratégia baseada em tecnologias e práticas inovadoras que permitam ao sector adaptar-se às alterações climáticas.
Com a realização do questionário pretende-se conhecer a opinião e a experiência dos proprietários de explorações de gado em regime extensivo em relação às alterações climáticas, e também como estas afectam a sua actividade, por isso, a colaboração dos produtores é fundamental.

Morreu Eugénio Fernando, Vice-presidente da ACOS

EF.jpg

Eugénio Cristiano Lopes dos Anjos Fernando, de 62 anos, natural de Beja, faleceu hoje na sua residência, vítima de doença.

Eugénio dos Anjos Fernando era agricultor e director da ACOS, há 30 anos.

O seu corpo vai estar em câmara ardente a partir das 18 horas (a confirmar), nas Casas Mortuárias de Beja, de onde sairá amanhã, Sábado, às 13:30 horas o Cemitério da Quinta do Conde, onde será cremado.

Grupo empresarial de Macau comprou Monte do Pasto ao Novo Banco

vacas-monte-do-pasto-charoles-slider-min-660x330.jO grupo CESL Ásia – Investimentos e Serviços adquiriu, ao Novo Banco, o Grupo Monte do Pasto, localizado nos municípios de Cuba e Alvito, no Alentejo, que reúne 3.700 ha de terras agrícolas, usadas principalmente como pastagens, e apresentou uma visão para o desenvolvimento da Plataforma Focus, base operacional para empresas de alimentos e energia verde em Portugal, Macau, China e Países de língua portuguesa.

O grupo CESL Ásia planeia desenvolver, com o Monte do Pasto, uma plataforma Portugal-Macau que potencie as produções existentes, permita o lançamento de novas actividades agrícolas e pecuárias e intensificar as exportações para os mercados de Macau e China e aproveitar as oportunidades para a cooperação social e económica entre China, Portugal e os Países de Língua Portuguesa (Plataforma de Macau).

De acordo com o plano económico-financeiro delineado, o CESL Ásia prevê que, até 2021, o volume de negócios aumente para cerca de 70 milhões de euros, com 550 funcionários, dos quais mais de 100 serão baseados em Portugal.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Mais uma vez, estamos a constatar o desinvestiment...

  • Anónimo

    Pois, pois.....A falta de dignidade e coerência po...

  • Anónimo

    A democracia é a pior forma de governo, com excepç...

  • Anónimo

    Bem sei, caro LG, que a citação não é da sua autor...

  • Anónimo

    O quê? Ou a linguagem é subliminar, ou sou eu que ...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.