Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“Estamos com a Agricultura. Estamos consigo” é esta a nova campanha de rega da EDIA

Zé LG, 04.04.20

9125_big edia.jpgApesar de, no âmbito da evolução a situação em Portugal do Covid-19, manter encerrados todos os espaços de acesso público bem como a suspensão do atendimento presencial na sua sede e nos edifícios de apoio à exploração, a EDIA esclarece que continua a garantir o fornecimento de água aos seus clientes bem como o apoio que até aqui tem vindo a prestar, “fazendo de Alqueva o exemplo de uma agricultura solidária.”

Aconselha também os agricultores clientes da EDIA a utilizarem o email e o telefone para todos os contactos, incluindo a sua inscrição para a próxima campanha de rega, dirigindo-se desta forma às equipas operacionais do perímetro de rega em causa e cujos contactos se encontram nos novos editais em https://www.edia.pt/pt/o-que-fazemos/apoio-ao-agricultor/editais-aproveitamentos-hidroagricolas/.

“Agricultura do sudoeste alentejano continua a alimentar o país” ou está a seguir um “caminho extremamente arriscado”?

Zé LG, 31.03.20

imgLoader2.ashx estufas.jpgO Movimento Juntos Pelo Sudoeste acusou empresas frutícolas de Odemira e Aljezur de seguirem um “caminho extremamente arriscado” ao continuarem a operar, podendo “colocar em risco a saúde de milhares de pessoas”, devido à pandemia de covid- 19. “Poderá ser uma decisão economicista, em contraciclo com muitas outras empresas no país que foram obrigadas a parar”.

O comunicado do movimento surge em reação a uma nota de imprensa da Associação dos Horticultores, Fruticultores e Floricultores dos Concelhos de Odemira e Aljezur (AHSA), com o título "Agricultura do sudoeste alentejano continua a alimentar o país”. As associadas da AHSA, que "representam mais de 200 milhões de euros de faturação anual", mantêm "atividade em pleno", apesar da pandemia de covid-19, e "Continuam a operar e a alimentar a cadeia de distribuição nacional e internacional", seguindo "todas as orientações das autoridades" e priorizarando “ao máximo a prevenção e a implementação e adaptação dos seus planos de contingência".

Ministério da Agricultura adianta apoios da PAC

Zé LG, 30.03.20

Na primeira semana de Abril, o Ministério da Agricultura, vai iniciar a atribuição de adiantamentos para liquidação de pedidos de pagamento no âmbito do PDR2020, dos Programas Operacionais Frutas e Hortícolas e do Programa Nacional de apoio ao sector vitivinícola, com regularização posterior, no valor de 60 milhões de euros, para apoiar “a tesouraria das empresas afectadas pelos efeitos da pandemia da Covid-19”.

P1070673.JPGO Governo vai ainda durante este mês, liquidar pagamentos no “âmbito de um conjunto de medidas de apoio ao sector, no valor de cerca de 30 milhões de euros”. “Esta medida junta-se a outras como a Linha de Crédito Capitalizar 2018 – Covid-19, o alargamento de prazos para submissão das candidaturas no âmbito do Pedido Único 2020 e do PDR2020 e o reembolso das despesas incorridas em acções e iniciativas canceladas ou adiadas devido à Covid-19”.

O sector pode ainda contar com medidas de natureza fiscal e contributiva, bem como apoios da Segurança Social a trabalhadores e empregadores. Todas as medidas estão disponíveis para consulta em covid19estamoson.gov.pt.

 

A Agricultura Não Para

Zé LG, 25.03.20

CAP-768x433.jpgSob este lema, a CAP – Confederação dos Agricultores de Portugal lançou uma linha de atendimento e apoio com o objetivo de, “no atual contexto de estado de emergência declarado, esclarecer os agricultores e a comunidade (…), assim como ao acesso às medidas que foram, entretanto, anunciadas para fazer face a este período conturbado”.

A linha de atendimento telefónico, cujo o número é o 217 100 000 e funciona todos os dias úteis, de segunda a sexta-feira, entre as 9h e 17h, é assegurada pelos técnicos especialistas da CAP e serve “igualmente para a Confederação recolher, diretamente do terreno, informação sobre as principais dificuldades com que os Agricultores e Comunidades Rurais se debatem na sua atividade diária, de forma a informar o Governo e, assim, garantir o funcionamento do setor agrícola, do Mundo Rural e da cadeia de abastecimento nacional”.

“que medidas de controlo estão a ser aplicadas aos trabalhadores agrícolas?”, pergunta o PCP

Zé LG, 24.03.20

201812241224561736 pcp.pngO PCP questionou a ministra da saúde sobre as medidas “a aplicar ao exercício da atividade agrícola na atual situação de pandemia associada à covid-19”, uma vez que “há registos, do INE, que dizem que no Litoral Alentejano há mais de 6 mil trabalhadores agrícolas” e quer saber “como está a ser feito o controlo nesta população vulnerável”.

O PCP entende que “há ainda um caminho extenso a percorrer no sentido de assegurar os rendimentos da população, a salvaguarda dos postos de trabalho e a prevenção da propagação da doença, nomeadamente no que concerne às atividades agrícolas.” Diz tratar-se “de um sector vulnerável já que por um lado se trata de atividades que não se compadecem com longos períodos de quarentena e por outro lado dificilmente o seu exercício é compatível com a aplicação das medidas de salvaguarda que estão a ser equacionadas.”

O PCP quer saber, ainda, “que medidas de prevenção da contaminação pelo novo Sars-Cov-2 estão a ser equacionadas para os territórios agrícolas em que se conhece haver grande concentração destes trabalhadores, em espaços confinados, nomeadamente estufas?

Autarquias alentejanas higienizam vias e espaços públicos com colaboração de agricultores

Zé LG, 21.03.20

ta_ed_17 elvas.pngA Câmara Municipal de Elvas realizou durante a madrugada e o dia de hoje, sexta-feira, uma ação de higienização de vias e espaços públicos, como forma de combater a propagação do COVID-19.

Câmaras de Moura e Serpa prontas para começarem a pulverização dos espaços públicos

A associação de produtores de azeite alentejana Olivum está disponível para apoiar municípios com máquinas de tratamento e tratores.

ZERO e Movimento Alentejo Vivo visitaram áreas críticas associadas à intensificação agrícola no Baixo-Alentejo

Zé LG, 11.03.20

A Direcção da ZERO-Associação Sistema Terrestre Sustentável, incluindo o seu presidente Francisco Ferreira, fez, hoje, no distrito de Beja, uma visita para “dar a conhecer de perto os problemas ambientais relacionados com a implementação dos perímetros de rega da área de influência do projecto de Alqueva”.

P1010799.JPGJosé Paulo Martins, dirigente da Associação Zero e membro do Movimento Alentejo Vivo, afirmou que o “pequeno circuito” que foi feito, porque muito mais havia para mostrar, teve início em Fortes, com passagem por Alfundão, Beringel, Boavista, Trindade, Salvada, Quintos, Baleizão e Neves, terminando com um encontro com elementos do Movimento Alentejo VIVO na cidade de Beja. José Paulo Martins recordou ainda que há já muito tempo que a Associação Zero anda a alertar as autoridades competentes para a tomada de medidas, mas até agora nada tem sido feito.

Cooperativa Agrícola do Guadiana apresenta contributo para Agenda de Inovação

Zé LG, 06.03.20

A Cooperativa Agrícola do Guadiana apresentou ao Ministério tutelado por Maria do Céu Albuquerque, um contributo para a Agenda de Inovação para a Agricultura, propondo três vetores de atuação que considera fundamentais para a manutenção da viabilidade dos sistemas agrícolas do sul do Baixo Alentejo.

130620130008-108-OvelhasCampanias.jpgSegundo explica João Madeira, a Cooperativa Agrícola do Guadiana entendeu colocar estas questões na Agenda de Inovação, “por serem abordagens inovadoras à política que tem sido seguida até agora”.