Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“Aeroporto de Beja: juntem-se, porra!” com grande impacto nas redes sociais

Zé LG, 04.08.22

O artigo de opinião de Fernando Caeiros e Lopes Guerreiro, intitulado “Aeroporto de Beja: juntem-se, porra!”, publicado n’ O Público on line terá já alcançado umas 20.000 pessoas. No site d’ O Público foi o artigo com mais partilhas (3.511) na segunda quinzena de Julho, apesar de ter sido publicado no dia 29. No Alvitrando /FB teve, até ontem, um alcance de 13.675 pessoas, 1.323 interações e 118 partilhas.

296437495_3218764275028436_8727712164046163942_n.j

O apelo nele contido de união na acção em defesa do aproveitamento do Aeroporto de Beja como complemento dos de Lisboa e Faro, que se encontram com enormes e crescentes constrangimentos, paraece ter sido bem acolhida. Esperemos que os diversos actores locais e regionais a saibam assumir a sua “responsabilidade de desencadearem uma ação concertada que cumpra o objetivo de a região se fazer ouvir quanto à pertinência que tem a utilização do aeroporto de Beja para, com custos comportáveis e num prazo aceitável, contribuir para a mitigação dos constrangimentos” daqueles aeroportos. Saiba e queira também o governo colocar o interesse nacional e a coesão territorial à frente de todos os outros interesses.

Em defesa do Aeroporto de Beja, é importante neste momento que todos "rememos na mesma direção”

Zé LG, 31.07.22

202206272143435729.jpg«Se não se defende o Aeroporto é porque não se defende, se surge alguém a defender o Aeroporto é porque se defende. Haja paciência e principalmente resiliência para continuar a lutar pela viabilização de uma infraestrutura que já cá está e que tanto pode fazer pela Região e pelo País.

É por estas e por muitas outras que nós baixo alentejanos não saímos deste marasmo. Deixem-se de politiquice barata. É importante neste momento que todos "rememos na mesma direção", independentemente das convicções políticas de cada um. Não é com as opiniões expressadas nos comentários anteriores que conseguimos lá chegar. Neste momento, todos os que defendem o Aeroporto de Beja são bem-vindos. O Aeroporto de Beja, nos dias de hoje, assume-se como um excelente solução para o que está a acontecer no Aeroporto de Lisboa e a construção de uma nova infraestrutura, seja ela em que local for, demorará no mínimo 8/9 anos. Nós Baixo Alentejanos estamos perante uma oportunidade que esperámos por muito tempo e ou nos juntamos para demonstrar que esta é a hipótese mais viável ou corremos o risco do Aeroporto de Beja nunca ser encarado como uma infraestrutura que serve o País. Se nós não acreditamos e criticamos quem acredita, o que farão os de "fora". Fica a dica.» Baixo Alentejano 25.07.2022, aqui.

“Aeroporto de Beja, uma questão de escala”, diz Marcos Aguiar

Zé LG, 24.07.22

83375592_2774342482646766_8287320494928035840_n.jp«… o Aeroporto de Beja seria uma referência mundial em “como promover o desenvolvimento sem derreter a prata toda dos avós”, caso o nosso Governo decidisse, atempadamente, investir em acessibilidades à escala das necessidades da região.
É tudo, pois, uma questão de escala. Neste caso, a escala da nossa visão e, claro, da vontade política para a concretizar.
A visão de integração plena do Baixo Alentejo no grande Sudoeste Ibérico, um território com enorme potencial, que se estende de Portugal a Espanha, do Atlântico ao Mediterrâneo.
A vontade política, ou a falta dela, de desenvolver um eixo rodoviário e ferroviário Sines-Sevilha, com o Aeroporto de Beja no centro, em articulação estreita com o Governo espanhol.»
Marcos Aguiar, Técnico Superior da Câmara Municipal de Aljustrel, aqui.

Aeroporto de Beja visto como “complemento imediato” para “aliviar” Portela

Zé LG, 21.07.22

202207211506138645.pngO Museu do Oriente, em Lisboa, recebeu um debate destinado a (re)pensar o novo aeroporto à luz da atualidade económica, ambiental, tecnológica e climática, a organização pertenceu à SkyExpert, especializada em transporte aéreo, aeroportos e turismo. O aeroporto de Beja foi defendido como “complemento imediato” para “aliviar” Portela.
Neste debate foi considerado que “os decisores políticos deveriam aproveitar o atraso da construção do segundo aeroporto de Lisboa para rever todo o projeto e sua urgência na ótica do transporte aéreo do futuro, da sustentabilidade, da descentralização turística do país, do aproveitamento da rede aeroportuária atual do Continente-Portela, Porto, Faro, Beja e aeródromos.”
Na sessão foi ainda divulgado que atualmente "35% dos passageiros que chegam ao aeroporto de Lisboa, nunca chegam a sair dessa infraestrutura porque estão à espera de ligações para os seus destinos e é também para esses passageiros que Beja é alternativa, como complementar a Portela, desanuviando a pressão que existe atualmente. Para esses passageiros, pouco importa se esperam em Lisboa ou em Beja. Nunca chegarão ao Marquês de Pombal.”

Aeroporto de Beja precisa de boas acessibilidades para que as companhias aéreas se interessem por usá-lo, segundo João Dias

Zé LG, 19.07.22

20220110185021781.jpgO deputado do PCP eleito por Beja, reuniu-se, esta manhã, com a direção do aeroporto e em jeito de balanço afirma que esta infraestrutura está subaproveitada a vários níveis e ainda que está por concluir uma grande parte do projeto, fundamental para aumentar a sua capacidade em várias vertentes. De acordo com o deputado comunista há investimentos fundamentais que têm que, ser feitos a nível das acessibilidades para que a região e o país possam tirar partido daquilo que o aeroporto de Beja pode dar.

DORBE DO PCP quer aeroporto de Beja “colocado ao serviço do País”

Zé LG, 05.07.22

202206272143435729.jpgA DORBE do PCP diz que, “num quadro de grande saturação dos aeroportos de Lisboa e de Faro”, o de Beja tem “todas as condições no imediato” para ser solução e ajudar a “alargar a capacidade no transporte de mercadorias” e “servir de apoio ao restante tráfego aéreo para o sul do país”.

Lembrando os investimentos previstos para o alargamento do Porto de Sines, vinca que “a potenciação” do aeroporto de Beja deve “ser articulada” com “uma visão nacional que aproveite os fundos comunitários”, referindo que as verbas do PRR devem ser utilizadas para “na rede ferroviária com a modernização e eletrificação de toda a linha do Alentejo”, porque, “Com material circulante moderno” e “a conclusão das vias inscritas no Plano Rodoviário Nacional”, nomeadamente o IP 8, com perfil de autoestrada, será possível criar “ligações rápidas e eficazes a Lisboa e ao Algarve”

A DORBE do PCP insiste que “o aeroporto de Beja deve ser colocado ao serviço do país” e defende a “inadiável e indispensável construção faseada do novo aeroporto no Campo de Tiro de Alcochete”, afirmando que “O investimento de milhares de milhões de euros na Base Aérea do Montijo para utilização provisória, como pretende o Governo, é uma decisão desajustada que adia, mais uma vez, a construção do aeroporto e só explicável pela pressão da multinacional Vinci”.

A plena utilização do Aeroporto de Beja “seria apostar claramente na coesão territorial”

Zé LG, 04.07.22

acs_58_0.png«Eu sou daqueles que defende a plena utilização do Aeroporto de Beja. Os investimentos em falta para que este projeto funcione (essencialmente para as companhias low coast, estacionamento e reparações de aviões), sobretudo na ferrovia ajustada a uma nova realidade, são claramente diminutos e facilmente exequíveis. Estamos a falar de intervenções financiadas por fundos comunitários, com apoios a 85% a subsídio não reembolsável (fundo perdido).

Dessa forma, estaríamos a apostar claramente na coesão territorial. Uma infraestrutura desta natureza a funcionar na sua plenitude, numa cidade do interior do País, seria efetivamente um investimento que provocaria uma forte mudança e faria toda a diferença.

Nada como um Governo com uma maioria absoluta para tomar a decisão em colocar o aeroporto de Beja como complementar ao Aeroporto Humberto Delgado. Isso sim, seria uma decisão histórica e corajosa.» António Costa da Silva, aqui.

"não seria melhor activar e melhorar o aeroporto de Beja"?

Zé LG, 02.07.22

Sem nome.png«Um grande amigo disse-me, ao almoço: então, não seria melhor activar e melhorar o aeroporto de Beja que fica a uma hora e meia de Lisboa? Para os lisboetas isto seria um susto, claro. Egoisticamente, dá jeito ter o aeroporto mesmo à mão, sendo que o risco de um acidente que envolva a cidade é olimpicamente ignorado. Mas a verdade é que Beja fica a uma hora e meia. As estradas são boas, era terminar alguns quilómetros de auto estrada e nenhum estrangeiro iria refilar. Era assumir que vamos a outras cidades e demoramos uma hora, duas horas, a chegar ao centro das mesmas e nem nos lembramos de apresentar queixas. Pois, isto no estrangeiro é tudo melhor.» Opinião de Patrícia Reis, aqui.

"Não há tempo a perder. Isto não é privilegiar o interior. É privilegiar o bom senso e o país."

Zé LG, 02.07.22

37395331_10155489272226120_7609340824714739712_n.jNotas soltas:

- Hoje demorei 2.30h para chegar a casa no centro de Londres vindo do aeroporto de Stansted. Se viesse de Luton demorava o mesmo. Nem vou falar de Southend.

- O presidente da Conf. De Turismo de Portugal diz que perdemos um milhão de turistas por ano devido a problemas de capacidade na aeroporto da Portela.

- A base do Montijo so vai estar pronta na melhor das hipoteses daqui a 4 anos.

- Beja tem um aeroporto a funcionar a 1.45h de Lisboa. Sem investimento adicional.

- Meus caros. Não há tempo a perder. Isto não é privilegiar o interior. É privilegiar o bom senso e o país. Luís Diogo, aqui.

São já 110 os postos de trabalho no Aeroporto de Beja. Que fazer para potenciá-lo mais?

Zé LG, 24.06.22

202206221644074828.jpg“Mais voos civis no aeroporto de Beja é possível”, diz o presidente da Câmara. Lembra, contudo, que “há limitações na placa e na aerogare” e que “tem outras valências”. Paulo Arsénio revelou ainda que a ANA e a Vinci, responsáveis pela gestão do aeroporto de Beja, estão disponíveis para “ampliar placa e lotes disponíveis, no sentido de se tornar esta infraestrutura aeronáutica mais estruturante, com ligação de carga a Sines”.

O autarca de Cuba sublinhou que o “Orçamento do Estado (OE) 2022 não contempla nenhuma destas matérias, deixando de fora o território” e que o “aeroporto de Beja tem de tornar-se internacional, de passageiros e de carga”. João Português defende, igualmente, que é preciso existir “uma atitude concertada na defesa do desenvolvimento do território, de modo a que autarcas - eleitos pelo povo e a quem compete tomar decisões - e população tenham influência no seu sucesso. Todos têm que fazer a sua parte”.

Na sessão da Assembleia Municipal de Beja, foi apresentada e aprovada uma moção da CDU, em que o aeroporto é mencionado como polo de desenvolvimento, mas de forma integrada para o território e com outras infraestruturas também em falta, nomeadamente na rodovia e ferrovia.

O aeroporto de Beja fez, em 2021, uma década e foi, também, no ano passado que se ficou a saber que “não é alternativa ao Montijo”, de acordo com declarações de António Costa, primeiro-ministro.

São 110 os postos de trabalho no aeroporto de Beja. 86 são funcionários da Mesa e 24 têm funções na ANA e noutros serviços. O aeroporto movimentou, em 2020, 2500 pessoas e registou 160 operações de voos premium.

Aeroporto de Beja é “uma excelente e útil alternativa” aos de Lisboa e Faro, “em caso de necessidade e de sobrelotação”

Zé LG, 23.06.22

202104130955585272.JPGA Assembleia Municipal de Beja aprovou uma moção, proposta pela coligação Beja Consegue (PSD/CDS-PP/PPM/IL/Aliança) e aprovada por unanimidade pelos eleitos das várias forças políticas, em que, apesar de admitir que o Aeroporto de Beja “dificilmente conseguirá ser um aeroporto complementar ao de Lisboa”, os eleitos defendem que “pode ser, em caso de necessidade e de sobrelotação dos aeroportos de Lisboa e de Faro, uma excelente e útil alternativa”.

O Alentejo, “como potencial económico, precisa do aeroporto como polo de desenvolvimento e valorização da região, pois, este possui espaço suficiente para uma plataforma logística de carga aérea, tendo um elevado potencial como zona industrial”, acrescenta a Moção. Daqui e daqui.

“Não há desculpa para que o aeroporto [de Beja] não seja utilizado”, afirma Florival Baiôa

Zé LG, 16.06.22

Aerorporto-de-Beja-1024x576.jpgFlorival Baiôa, porta-voz do movimento de cidadãos “Beja Merece+”, frisa que o aeroporto de Beja tem todas as condições para ser alternativa a Lisboa e lembra a sua utilização por parte de grandes equipas como o Benfica e o Sporting. Leia e oiça tudo.

PAN recoloca Aeroporto de Beja no debate sobre as localizações preferenciais para o novo aeroporto

Zé LG, 10.01.22

PAN PS.pngFrente ao primeiro-ministro, a porta-voz do PAN reiterou que continua a insistir em Beja como sendo uma das localizações preferenciais para o novo aeroporto, a par com uma aposta na ferrovia. António Costa, por sua vez, acusou o PAN de estar a promover o aumento da pegada ambiental, ao que Inês Sousa Real respondeu: "Não estamos a falar de deslocalizar. Mais de 48% da população é contra o aeroporto situar-se nas áreas metropolitanas. Nós temos que ter uma visão, não podemos andar num dia a dizer que defendemos a coesão territorial, mas quando falamos em soluções que não só passam pelo aproveitamento daquilo que já existe, como é o caso da base de Beja, como também de levarmos essas soluções para o interior do país, aí sim já não é conveniente ou são soluções demasiado caras".

Paulo Arsénio alerta para a necessidade de expansão para a 2ª fase do Aeroporto de Beja

Zé LG, 23.11.21

202104130955585272.JPGPaulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja, que marcou presença, como representante da CIMBAL, na recente reunião do Conselho Consultivo do Aeroporto de Beja, acredita que há um futuro muito promissor para a infraestrutura aeroportuária, sendo o reforço do segmento da aviação executiva, da carga e a instalação de atividades logísticas e industriais, as apostas a curto/médio prazo, sem deixar de considerar que o aeroporto de Beja possa ter um aproveitamento comercial de aeronaves no apoio a Lisboa e a Faro.

Paulo Arsénio diz que estão bem encaminhadas as negociações relativas a mais dois investimentos de volume, na área da indústria, da manutenção, da logística e da carga, revelando que, na reunião do Conselho Consultivo, chamou a atenção para a necessidade de expansão do aeroporto para a 2ª fase, disponibilizando assim mais sete lotes para futuros interessados. Daqui e daqui.

Paulo Arsénio no Dubai para “apresentar o cluster aeronáutico do Alentejo a eventuais futuros investidores”

Zé LG, 16.11.21

255385567_1314138039018436_1601703259032471853_n.j«No Dubai juntamente com os Municípios de Ponte de Sôr e de Évora, com a AICEP Global Parques e a ADRAL, para participarmos 2 dias na "Dubai Air Show" e apresentar o cluster aeronáutico do Alentejo a eventuais futuros investidores.

Diplomacia económica com autarcas da região a promoverem o nicho das possibilidades aeroportuárias da região.» Paulo Arsénio, aqui. Ver também aqui.

O PSD e o Aeroporto de Beja

Zé LG, 31.10.21

ppcsm.jpgO aeroporto de Beja poderia ter sido uma alternativa ao de Faro, … Uma alternativa, que foi colocada de parte pelo secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, que afirmou que “a infra-estrutura alentejana não é considerada nos planos de voo usados pelos pilotos, não tem assistência em terra, nem de combustível, além de que a maioria das aeronaves não pode aterrar em Beja”… e ainda que, “sem prejuízo daquilo que é a rota das companhias aéreas, há também condições para um aeroporto ser considerado alternante” e que as mesmas “não estavam consideradas”. Aqui, há dez anos.

Mais um gigante dos céus no Aeroporto de Beja

Zé LG, 27.07.21

943885_airbus-a330-300-large_tcm110-3651-690x450.jA empresa portuguesa Hi Fly ampliou a sua frota com mais um Airbus A330-300, que aterrou em Beja, onde a empresa tem os seus hangares, na passada Quarta-Feira.

Pode transportar 249 passageiros na configuração de duas classes, e conta com 46 poltronas de alto conforto que se podem tornar camas em Classe Executiva e com 203 poltronas em Classe Económica.

O Aeroporto de Beja “Já hoje traz desenvolvimento para a região”, afirma David Simão

Zé LG, 07.06.21

imgLoader2.ashx 2.jpgConsegue-se atrair investimento para a região, “Criando apetência, na região, por novos investidores. É necessário facilitar o acesso a terrenos para instalação de novos projetos, com taxas acessíveis e licenciamentos ágeis. Por outro lado, incentivando a instalação de novos negócios com discriminações positivas ao nível da derrama e dos demais impostos municipais.” Afirmou o recém-eleito presidente do Nerbe/Aebal, em entrevista ao Diário do Alentejo.

ANA “dirige” Aeroporto de Beja para indústria aeronáutica e “reafirma o seu empenho no seu desenvolvimento”

Zé LG, 20.04.21

imgLoader2.ashx.jpgA ANA – Aeroportos de Portugal, responsável pela gestão do aeroporto de Beja, classifica o investimento da Mesa como um “bom exemplo do resultado da estratégia de desenvolvimento seguida e o reconhecimento das potencialidades” da infraestrutura do Baixo Alentejo “na vertente industrial, gerando postos de trabalho na região”.
A ANA afirma que “dirigiu o posicionamento” do aeroporto para a captação de outras atividades aeronáuticas, “com elevada relevância no setor, como as atividades de natureza industrial, nomeadamente a manutenção de aeronaves”, e também o estacionamento de média-longa duração.
Ao mesmo tempo, a ANA sublinha que “mantém o aeroporto de Beja preparado para receber o transporte de passageiros” e que está a trabalhar “ativamente para o desenvolvimento” desta vertente. “A ANA reafirma o seu empenho no desenvolvimento do aeroporto de Beja”, que “é, decididamente, um fator adicional de competitividade e deve ser encarado como uma oportunidade de desenvolvimento”.

Aeroporto de Beja pode ser plataforma hub de carga intercontinental

Zé LG, 28.03.21

AB.png«A APAT, há uns tempos atrás, defendeu – e continua a defender – que o Aeroporto de Beja tem infra-estruturas suficientes e capazes para, por exemplo, para funcionar como um hub de carga entre dois continentes, nomeadamente entre o continente asiático e a América e poderia ser eleito como uma plataforma hub para essas cargas que atravessam continentes», argumentou António Nabo Martins, presidente executivo da APAT.

«O Aeroporto de Beja não é um erro do passado […] cria grandes vantagens competitivas para o complexo portuário, industrial e logístico de Sines. Estamos a falar em pistas de um grande aeroporto militar. Os maiores aviões podem aterrar em Beja e há, obviamente, uma sinergia.», começou por dizer Filipe Costa.

«Achamos que, no futuro, haverá essa sinergia. O terminal de carga do Aeroporto de Beja vai fazer parte deste nosso complexo e do nosso esforço para materializar um grande hub logístico no Alentejo. Estamos verdadeiramente confiantes nisto», concretizou o CEO da aicep Global Parques.