Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

PAN recoloca Aeroporto de Beja no debate sobre as localizações preferenciais para o novo aeroporto

Zé LG, 10.01.22

PAN PS.pngFrente ao primeiro-ministro, a porta-voz do PAN reiterou que continua a insistir em Beja como sendo uma das localizações preferenciais para o novo aeroporto, a par com uma aposta na ferrovia. António Costa, por sua vez, acusou o PAN de estar a promover o aumento da pegada ambiental, ao que Inês Sousa Real respondeu: "Não estamos a falar de deslocalizar. Mais de 48% da população é contra o aeroporto situar-se nas áreas metropolitanas. Nós temos que ter uma visão, não podemos andar num dia a dizer que defendemos a coesão territorial, mas quando falamos em soluções que não só passam pelo aproveitamento daquilo que já existe, como é o caso da base de Beja, como também de levarmos essas soluções para o interior do país, aí sim já não é conveniente ou são soluções demasiado caras".

Paulo Arsénio alerta para a necessidade de expansão para a 2ª fase do Aeroporto de Beja

Zé LG, 23.11.21

202104130955585272.JPGPaulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja, que marcou presença, como representante da CIMBAL, na recente reunião do Conselho Consultivo do Aeroporto de Beja, acredita que há um futuro muito promissor para a infraestrutura aeroportuária, sendo o reforço do segmento da aviação executiva, da carga e a instalação de atividades logísticas e industriais, as apostas a curto/médio prazo, sem deixar de considerar que o aeroporto de Beja possa ter um aproveitamento comercial de aeronaves no apoio a Lisboa e a Faro.

Paulo Arsénio diz que estão bem encaminhadas as negociações relativas a mais dois investimentos de volume, na área da indústria, da manutenção, da logística e da carga, revelando que, na reunião do Conselho Consultivo, chamou a atenção para a necessidade de expansão do aeroporto para a 2ª fase, disponibilizando assim mais sete lotes para futuros interessados. Daqui e daqui.

Paulo Arsénio no Dubai para “apresentar o cluster aeronáutico do Alentejo a eventuais futuros investidores”

Zé LG, 16.11.21

255385567_1314138039018436_1601703259032471853_n.j«No Dubai juntamente com os Municípios de Ponte de Sôr e de Évora, com a AICEP Global Parques e a ADRAL, para participarmos 2 dias na "Dubai Air Show" e apresentar o cluster aeronáutico do Alentejo a eventuais futuros investidores.

Diplomacia económica com autarcas da região a promoverem o nicho das possibilidades aeroportuárias da região.» Paulo Arsénio, aqui. Ver também aqui.

O PSD e o Aeroporto de Beja

Zé LG, 31.10.21

ppcsm.jpgO aeroporto de Beja poderia ter sido uma alternativa ao de Faro, … Uma alternativa, que foi colocada de parte pelo secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, que afirmou que “a infra-estrutura alentejana não é considerada nos planos de voo usados pelos pilotos, não tem assistência em terra, nem de combustível, além de que a maioria das aeronaves não pode aterrar em Beja”… e ainda que, “sem prejuízo daquilo que é a rota das companhias aéreas, há também condições para um aeroporto ser considerado alternante” e que as mesmas “não estavam consideradas”. Aqui, há dez anos.

Mais um gigante dos céus no Aeroporto de Beja

Zé LG, 27.07.21

943885_airbus-a330-300-large_tcm110-3651-690x450.jA empresa portuguesa Hi Fly ampliou a sua frota com mais um Airbus A330-300, que aterrou em Beja, onde a empresa tem os seus hangares, na passada Quarta-Feira.

Pode transportar 249 passageiros na configuração de duas classes, e conta com 46 poltronas de alto conforto que se podem tornar camas em Classe Executiva e com 203 poltronas em Classe Económica.

O Aeroporto de Beja “Já hoje traz desenvolvimento para a região”, afirma David Simão

Zé LG, 07.06.21

imgLoader2.ashx 2.jpgConsegue-se atrair investimento para a região, “Criando apetência, na região, por novos investidores. É necessário facilitar o acesso a terrenos para instalação de novos projetos, com taxas acessíveis e licenciamentos ágeis. Por outro lado, incentivando a instalação de novos negócios com discriminações positivas ao nível da derrama e dos demais impostos municipais.” Afirmou o recém-eleito presidente do Nerbe/Aebal, em entrevista ao Diário do Alentejo.

ANA “dirige” Aeroporto de Beja para indústria aeronáutica e “reafirma o seu empenho no seu desenvolvimento”

Zé LG, 20.04.21

imgLoader2.ashx.jpgA ANA – Aeroportos de Portugal, responsável pela gestão do aeroporto de Beja, classifica o investimento da Mesa como um “bom exemplo do resultado da estratégia de desenvolvimento seguida e o reconhecimento das potencialidades” da infraestrutura do Baixo Alentejo “na vertente industrial, gerando postos de trabalho na região”.
A ANA afirma que “dirigiu o posicionamento” do aeroporto para a captação de outras atividades aeronáuticas, “com elevada relevância no setor, como as atividades de natureza industrial, nomeadamente a manutenção de aeronaves”, e também o estacionamento de média-longa duração.
Ao mesmo tempo, a ANA sublinha que “mantém o aeroporto de Beja preparado para receber o transporte de passageiros” e que está a trabalhar “ativamente para o desenvolvimento” desta vertente. “A ANA reafirma o seu empenho no desenvolvimento do aeroporto de Beja”, que “é, decididamente, um fator adicional de competitividade e deve ser encarado como uma oportunidade de desenvolvimento”.

Aeroporto de Beja pode ser plataforma hub de carga intercontinental

Zé LG, 28.03.21

AB.png«A APAT, há uns tempos atrás, defendeu – e continua a defender – que o Aeroporto de Beja tem infra-estruturas suficientes e capazes para, por exemplo, para funcionar como um hub de carga entre dois continentes, nomeadamente entre o continente asiático e a América e poderia ser eleito como uma plataforma hub para essas cargas que atravessam continentes», argumentou António Nabo Martins, presidente executivo da APAT.

«O Aeroporto de Beja não é um erro do passado […] cria grandes vantagens competitivas para o complexo portuário, industrial e logístico de Sines. Estamos a falar em pistas de um grande aeroporto militar. Os maiores aviões podem aterrar em Beja e há, obviamente, uma sinergia.», começou por dizer Filipe Costa.

«Achamos que, no futuro, haverá essa sinergia. O terminal de carga do Aeroporto de Beja vai fazer parte deste nosso complexo e do nosso esforço para materializar um grande hub logístico no Alentejo. Estamos verdadeiramente confiantes nisto», concretizou o CEO da aicep Global Parques.

PS do Baixo Alentejo defende a criação de uma empresa de desenvolvimento do projeto industrial e logístico do Aeroporto de Beja

Zé LG, 27.03.21

021120161735-48-130120161727-74-Aeroporto0.jpgO PS Baixo Alentejo afirma que “o Aeroporto de Beja deve ser uma infraestrutura aeroportuária, que reforce a rede nacional de aeroportos, criando uma nova mais-valia para Portugal e para o Baixo Alentejo, a partir de uma solução de fins múltiplos de indústria aeronáutica, de plataforma logística e de tráfego de passageiros complementar a Faro e a Lisboa” e que “esta solução acrescenta valor inquestionável à região e reforça a capitalização humana e territorial.”

O PS acredita “na viabilidade e na potencialidade do Aeroporto de Beja para a promoção de uma estratégia de desenvolvimento integrado, … que ajude a criar novas indústrias transformadoras e de logística e, com bastante relevo, consiga unir outras infraestruturas, como o Porto de Sines e o Alqueva, na valorização comercial dos nossos produtos, bens e serviços”, defendendo, para o efeito, “a criação de uma empresa de desenvolvimento do projeto industrial e logístico, que viabilize a instalação de empresas, a dinamização económica e afirme uma estratégia sustentável para as próximas décadas e que reforce a posição da ANA na gestão e valorização da componente de passageiros.”

PCP volta a reforçar a importância “de colocar o aeroporto de Beja ao serviço do povo e do País”

Zé LG, 24.03.21

021120161735-48-130120161727-74-Aeroporto0.jpgA Direção Regional do Alentejo (DRA) do PCP entende que a infraestrutura “assume no atual quadro uma importância estratégica para o País, para toda a Região do Alentejo e para o seu desenvolvimento”.

A par do aeroporto, o PCP entende, que a “linha do Alentejo cuja eletrificação e modernização deve constituir uma prioridade imediata como pilar essencial de um sistema ferroviário para ligações nacionais e internacionais por forma a assegurar as respetivas ligações rápidas a Lisboa e a Faro, ao Porto de Sines e à Estremadura Espanhola (com as plataformas logísticas necessárias)– com as suas ligações ao Aeroporto e à linha de alta velocidade que deverá ligar Lisboa a Madrid e o interface com a rede viária”.

A DRA do PCP, “reafirmando a disponibilidade dos Comunistas para a convergência de esforços com todos os sectores democráticos da sociedade Alentejana, … apela a ... que se avance decididamente, sem mais demoras para o cabal aproveitamento dos anunciados milhares de milhões de euros para investimentos provenientes de fundos comunitários para a concretização destes projetos estratégicos que há muito, o País e a Região reclamam e o PCP nas diversas instituições tem proposto e exigido”.

António Costa afirma que “não faz o menor sentido colocar Beja na avaliação da localização do aeroporto”

Zé LG, 17.03.21

"Por que é que o Governo não faz uma avaliação ambiental estratégica a sério, que inclua a opção de Beja? O Governo tem medo dos resultados da avaliação? O Governo tem medo que o resultado venha demonstrar que a solução de Beja é a mais adequada?", perguntou André Silva ao primeiro-ministro.

771891.png

"A grande razão pela qual não se pode colocar Beja, não faz o menor sentido colocar Beja nesta avaliação é a seguinte: o aeroporto mais longe de um centro urbano que existe está a 66 quilómetros. Lisboa está de Beja à distância de 129 quilómetros, e isto é intransponível", justificou Costa na Assembleia da República, acrescentando que o Governo decidiu "de uma vez por todas" fazer "a avaliação ambiental estratégica, não entre duas, mas entre três soluções: Alcochete, Portela + Montijo ou Montijo + Portela".

Aeroporto de Beja ainda pode ganhar centralidade?

Zé LG, 08.03.21

Opção Beja com alta velocidade volta a ser pedida em nome da coesão

image.jpg

Chumbo ao Montijo reaviva defensores de projeto que permita aproveitar infraestrutura alentejana e captar pessoas para a região. Com ligação ferroviária à Europa.

Se o Montijo não andar, as soluções para o novo aeroporto de Lisboa vão além de Alcochete. Beja é uma hipótese que encontra defensores, aliando a infraestrutura já existente ao potencial de ligação e captação de atividade e pessoas para uma zona do país que sofre brutalmente os efeitos da desertificação.

O projeto passaria pela linha de alta velocidade com hub em Beja e ligação direta às principais regiões - Lisboa (40 m), Porto (80 m), Faro e Badajoz (20 m) e Madrid (125 m). Além da conclusão da A26 Sines para a ligação do Porto ao Aeroporto e à ferrovia nacional, espanhola e europeia.

Entrou o primeiro avião, para manutenção de linha, no hangar da "Mesa", no Aeroporto de Beja

Zé LG, 14.01.21

Obtidos os licenciamentos necessários, na sequência dos testes realizados na primavera e no verão de 2020, por parte das entidades aeronáuticas competentes, o dia 12.01.2021 fica assinalado no calendário como aquele em entrou no hangar a primeira aeronave para manutenção. Trata-se de um A-321 da empresa-mãe "Hi Fly".

139094460_1120316428400599_2682082891549921132_n.jNeste momento o hangar emprega 40 pessoas, prevendo a empresa mais10 em fevereiro/março. A "Mesa" prevê concluir a 2.fase do hangar em 2023, altura em que o empreendimento deverá ter um total de 150 postos de trabalho diretos.

IP vai estudar ligação do aeroporto de Beja à linha ferroviária do Alentejo

Zé LG, 29.12.20

Linha-ferroviaria-1024x576.jpgA Infraestruturas de Portugal (IP) publicou em Diário da República um despacho que autoriza a contratação de estudos e de projetos para executar uma das obras previstas no Plano Nacional de Investimentos (PNI 2030).

Uma eventual ligação do aeroporto à ferrovia está incluída nos estudos que a IP vai lançar para modernizar e eletrificar o percurso entre Casa Branca e Beja. Também está contemplada a instalação de sinalização eletrónica no troço de 63,5 quilómetros.

O PNI 2030 contempla um orçamento total de 230 milhões de euros para a modernização, até 2025, das linhas ferroviárias do Alentejo e também do Sul – no troço entre Torre Vã e Tunes e com uma eventual ligação ao aeroporto de Faro.

Aeroporto de Beja pode ser a solução para distribuir vacinas para a covid-19

Zé LG, 20.11.20

aeroporto-beja_0.pngPaulo Soares, especialista em aviação, admitiu que o aeroporto de Beja pode ser a solução para fazer chegar as vacinas para a covid-19 ao resto do país, porque não há tempo para construir aviões especiais para o seu transporte, capazes de manter temperaturas extremamente negativas, porque “Só conheço uma arca frigorífica com disponibilidade de espaço: é a que está no Aeroporto de Beja” e porque este está “num sítio isolado, sem congestionamento” e, a partir de lá, as vacinas podiam ser distribuídas “de carro ou em pequenos aviões, também eles preparados, com arcas frigoríficas pequeninas e por pouquíssimo tempo”.

Observatório do Baixo Alentejo defende a criação de um Gabinete para gestão da plataforma logística do aeroporto de Beja

Zé LG, 10.11.20

261220161606-705-AeroportoBeja9.jpgO Observatório do Baixo Alentejo (OBA) defende a criação de um Gabinete para gestão da plataforma logística do aeroporto de Beja, essencial para capacitar aquele espaço, permitindo a instalação e desenvolvimento das atividades empresariais.

Tendo como premissa, que o “aeroporto é decisivo para desenvolver toda a região, incluindo Sines e Sevilha”, a criação deste Gabinete é, segundo o OBA, a solução mais viável para a dotar o espaço envolvente do aeroporto de Beja de dinâmica, criando condições atrativas ao investimento privado. Nesse sentido, o OBA já iniciou um conjunto de reuniões para sensibilizar os diversos parceiros institucionais e empresariais para a importância desta proposta, no âmbito de uma estratégia integrada para o desenvolvimento desta infraestrutura.

"urge criar uma estrutura que ponha de pé uma infraestrutura paralela e complementar ao aeroporto" de Beja

Zé LG, 08.11.20
"... urge criar uma estrutura que ponha de pé uma infraestrutura paralela e complementar ao aeroporto, fora do perímetro da concessão, em espaço previamente definido no Plano Director Municipal do concelho de Beja. Esta empresa que seria a gestora do futuro parque, genuinamente ancorada numa parceria alargada teria como propósito a criação duma infraestrutura que possibilitasse a instalação de unidades das mais diversas naturezas, construída de forma faseada e tendo como horizonte a diversificação da base económica da região. Atrevo-me a sugerir e a desafiar as estruturas mais significativas da nossa região para a sua criação, nomeadamente: as autarquias alentejanas que a desejem incorporar, tendo naturalmente a Câmara Municipal de Beja um papel importante, a EDIA, a APS, o NERBE e a ACOS, sem excluir outros entidades com vocação para abraçar este desafio.
É um imperativo para o desenvolvimento do aeroporto, caminhar no sentido de atrevermo-nos a criar a necessária complementaridade para lhe conferir o “músculo” que ainda lhe falta, tornando-o mais competitivo, não esquecendo paralelamente os investimentos indispensáveis nas infraestruturas rodoviárias e ferroviárias em falta."
Manuel Camacho, Novembro/2020, aqui.

Screenshot_2020-11-07 Evoluo da Situao de Refernci

Planta copiada daqui.

“se temos problemas (no aeroporto de Beja) vamos à luta para os ultrapassar”

Zé LG, 12.10.20

imgLoader2.ashx Aeroporto.jpg“Temos um Consórcio, que refere o aeroporto de Beja, como uma hipótese, para o fabrico de uma aeronave ligeira, avião ATL-100, mas também temos um autarca que refere que o "nosso" aeroporto tem alguns "constrangimentos", será um novo romance como o da "Embraer", se temos problemas vamos à luta para os ultrapassar, se o problema é o espaço junto ao aeroporto, vamos expropriar a bem do interesse público, não podemos perder todas as oportunidades de industrialização, e desenvolvimento." A.Mestre - Anónimo 11.10.2020,” aqui.

Fabrico do avião ATL-100 também vai passar por Beja, mas…

Zé LG, 10.10.20

Um projeto luso-brasileiro que visa desenvolver e fabricar uma aeronave ligeira no Alentejo pode passar por Beja. O responsável pelo consórcio referiu o aeroporto como uma possibilidade para a instalação da fábrica.

imgLoader2.ashx Aeroporto.jpgPaulo Arsénio, o presidente da Câmara de Beja, confirma que o projeto está pensado para ser desenvolvido em Beja, Ponte de Sor e Évora, mas refere que o aeroporto tem “alguns constrangimentos”, desde logo a existência de apenas um lote vago destinado a atividades industriais, mas que não tem dimensão para a instalação da fábrica. Refere ainda que “a placa de estacionamento apenas tem capacidade para 12 aeronaves, e quando a MESA começar a operar – o que estará para breve – quatro ou cinco estarão sempre ocupadas”.
Ao contrário de Beja, que não teve nenhum contacto com os promotores, o município de Ponte de Sor já realizou algumas reuniões com o consórcio e, o presidente daquela autarquia refere que “a avaliação que foi feita reconhece que o aeródromo municipal reúne as condições exigidas para a aeronave operar”, dizendo ainda saber que “este investimento está previsto ser tripartido entre Beja, Ponte de Sor e Évora”.

Porto de Sines estuda "viabilidade de novos projetos, no qual o aeroporto de Beja possa ser peça útil no xadrez logístico da região”

Zé LG, 01.10.20

270620161553-183-AEROPORTOBEJA.jpgJosé Luís Cacho, presidente do Conselho de Administração da APS – Administração dos portos de Sines e do Algarve, adiantou que “o Porto de Sines se encontra a alargar os horizontes em termos de modelos de captação de negócios, estudando a viabilidade de novos projetos, no qual o aeroporto de Beja possa ser peça útil no xadrez logístico da região.”

Frisou também que “está a olhar para o aeroporto de Beja na perspetiva de zona franca, do e-commerce e de um conjunto de valências”, assim como a “tentar averiguar se existe potencial para captar projetos” e que “talvez no primeiro semestre do próximo ano” já exista “algo para apresentar”.

Vincou ainda que sempre defendeu uma visão “ibérica dos portos”, onde não deve haver espaço para o “receio” da competitividade com Espanha, acrescentando que: “O mercado é ibérico e a ferrovia é fundamental para esse mercado, assim como a rodovia”.