Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Hospital de Évora suspende internamentos de grávidas após caso de covid-19

Zé LG, 08.10.20

HES.pngO Hospital do Espírito Santo de Évora suspendeu preventivamente novos internamentos no Serviço de Ginecologia e Obstetrícia, até segunda-feira, após um caso de covid-19 entre os profissionais.
Para além de suspender novos internamentos neste serviço, foi determinada a realização de despiste a todos os contactos de risco e vai também proceder-se à descontaminação profunda dos espaços físicos envolvidos.
O Serviço de Urgência continua a garantir o atendimento a todas as utentes, mantendo uma equipa de dois obstetras e uma enfermeira parteira para todas as que necessitem de cuidados de obstetrícia e ginecologia urgentes e emergentes. As restantes utentes devem contactar o 112 para serem encaminhadas de acordo com a sua situação clínica.
Todos os outros serviços do HESE estão a funcionar com normalidade, devendo os utentes dirigir-se ao hospital com toda a confiança, respeitando e cumprindo as orientações da Direção-Geral de Saúde.

Governo continua a apostar no investimento em Évora, com a criação de nova empresa que quer “revolucionar o setor agroflorestal”

Zé LG, 02.10.20

imgLoader2.ashx év.jpgO CEiiA e a brasileira ELIO “uniram-se” para criar uma nova empresa que quer “revolucionar o setor agroflorestal”, através de novos serviços baseados em Veículos Aéreos Não Tripulados.

Esta nova empresa conjunta, designada ELIO Tecnologia, é lançada esta sexta-feira, nas instalações do CEiiA no Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia (PACT), em Évora, a partir das 11:30, com as presenças dos ministros da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e da Agricultura. Nesta sessão serão ainda abordados os desafios do setor agroflorestal, como a integração da tecnologia como resposta às temáticas da Agenda da Inovação para a Agricultura 2030.

Mas somos assim tão maus? Olhe bem para o espelho, caro Chalaça.

Zé LG, 10.09.20

70995711_966075560399666_176337205256519680_o BA.jAfinal de quem é a culpa das nossas dificuldades, de não termos o desenvolvimento (não apenas o crescimento económico) que ambicionamos? Depois de apontados os dedos a muitas causas, eis que surge o eborense Francisco Chalaça a arrumar a questão, apontando as culpas: primeiro, declara que “o grande problema de Beja é estar sempre contra tudo e todos, mesmo os seus, colocando-se sempre do lado do problema e nunca do lado da solução.”; para, depois, rematar que “Querer ver o problema do Baixo Alentejo só na qualidade, ou na falta dela, dos seus dirigentes é um erro, o problema está igualmente nos dirigidos”. E, assim, não deixou nenhum bejense sem culpas no cartório...

Devo fazer uma declaração de interesses: Só me senti bairrista quando me relacionei com algumas pessoas de Évora. Que parecem “ter o rei na barriga”, falam de cátedra, armados em doutores (sendo ou não sendo) e fazem afirmações com se fossem verdades absolutas e incontestáveis, mesmo sem as conseguir fundamentar.

Sem prejuízo de poder voltar ao assunto, vou aqui deixar apenas algumas notas para reflexão:

1 – Desde há quanto tempo foi definida como estratégia de desenvolvimento do território continental concentrar o investimento na afirmação e desenvolvimento de algumas cidades de média dimensão? E qual é essa cidade no Alentejo?

2 – A concentração de serviços desconcentrados da Administração Central em Évora deve-se a “Beja estar sempre contra tudo e todos” e ou aos seus “dirigidos”? Só um exemplo, porque é que a Direcção Regional de Agricultura ficou sediada em Évora e não em Beja, com maior peso agrícola?

3 – A ligação por autoestrada de Lisboa a Espanha por Évora, a passagem da ligação de Lisboa directa para Évora em vez de Beja, a instalação da Embraer em Évora aconteceram por “obra e graça” dos “dirigidos” que “estão sempre a favor de tudo e de todos” de Évora?

4 – A instalação da CCDRA e a concentração de todas as direcções regionais de serviços públicos, a criação da Universidade e a existência da Fundação Eugénio de Almeida ou a criação de um hospital central em Évora devem-se à qualidade dos “dirigidos” que “estão sempre a favor de tudo e de todos” desta Urbe?

5 – Porque não conseguiram ainda os “dirigidos” que “estão sempre a favor de tudo e de todos” de Évora construir um Parque de Feiras e Exposições e fazer uma “Suinévora”? Por que não têm uma “Biblioteca Municipal” de referência nacional como tem Beja, apesar de “estar sempre contra tudo e todos”?

6 – Onde é que está a capacidade das associações de cidadãos (não folclóricas) de Évora para mobilizar dezenas de milhares de cidadãos em defesa do que necessitam e lhes é negado, apesar de ciclicamente prometido, como conseguiu o movimento “folclórico” Beja Merece+?

Gostava ainda que Francisco Chalaça esclarecesse qual é o seu entendimento da expressão “dirigidos”. Porque, tal como a usou, dá uma imagem de “grande chefe”...

De “Beja nada de novo”

Zé LG, 10.09.20

281893_235492956485711_8379156_n Chalaça.jpg"O Lopes Guerreiro, decidiu fazer-me uma maldade, ou pelo menos uma maldadezinha ao dar expressão e visibilidade a dois comentários que coloquei num seu post sobre a candidatura de Ceia da Silva a Presidente da CCDR Alentejo. Os meus comentários resultavam do facto de, durante dois anos da minha vida, ter trabalhado em Beja o que me conferiu a proximidade mínima à cidade e às suas forças vivas, o que conjugado com o fato de ser de Évora me proporciona o distanciamento necessário para poder comentar como o fiz .

Não tinham, nem têm, os comentários em causa, a pretensão de ensinar nada às gentes de Beja, mas nem isso me livrou de ser alvo da turba enraivecida, que reagiu como é normal nestas situações: primeiro entrando em negação; 2º pretendendo denegrir e ofender o mensageiro. já sobre a mensagem disseram nada, como eu os compreendo.
Parafraseando e adaptando Erich Maria Remarque é caso para dizermos de “Beja nada de novo”. Apesar de tudo sem mágoa, dou por encerrado este assunto endereçando saudações Alentejanas." Francisco Chalaça - Anónimo 10.09.2020, aqui.

“o problema está igualmente nos dirigidos”?!

Zé LG, 09.09.20

281893_235492956485711_8379156_n Chalaça.jpg“Querer ver o problema do Baixo Alentejo só na qualidade, ou na falta dela, dos seus dirigentes é um erro, o problema está igualmente nos dirigidos, repare-se como sub-regiões do Alentejo, que são dirigidas pelos mesmos dirigentes inaptos (segundo os Bejenses) conseguem prosperar. É preciso não esquecer que os dirigentes indicados num post anterior são os mesmos que dirigem todo o Alentejo (Beja, Évora, Portalegre, Litoral Alentejano e a Lezíria - quando se trata de ALENTEJO2020). O que fazem as Agências de Desenvolvimento, as Associações Empresariais, as Associações Comerciais, o Politécnico, as associações de cidadãos (não as folclóricas como o + Beja), etc, a gente pensante da Região, se todos estes nada fizerem os dirigentes, autarcas e políticos nada conseguirão fazer.”
Francisco Chalaça, Anónimo 08.09.2020, aqui.

“Este é o grande problema de Beja, estar sempre contra tudo e todos”

Zé LG, 08.09.20

281893_235492956485711_8379156_n Chalaça.jpg“A propósito da eleição do próximo Presidente da CCDR Alentejo, vai nas redes sociais, frequentadas pelas gentes de Beja, um alarido que é bem demonstrativo das razões porque o Distrito está estagnado, a mal decência, a desconfiança permanente naqueles que governam na região e localmente, a desorganização da sociedade civil, enquanto elementos indutores de desenvolvimento, o reafirmar quotidiano de que são preteridos nas políticas públicas em detrimento de Évora, mentido a si próprios sobre o domínio de Évora nos organismos regionais liderantes do desenvolvimento o que é um embuste que tem como único objetivo esconder as suas reais e evidentes responsabilidades pela situação que o Distrito vive.
Veja-se só quem de fato tem poder nos organismos, determinantes para o desenvolvimento do Alentejo:
CCDR Alentejo:
Presidente: Roberto Grilo (Portalegre)
Vice Presidente: Jorge Pulido Valente (Beja)
Vogal: Carmem Carvalheira (Évora)
Autoridade de Gestão do Alentejo 2020
Presidente. Roberto Grilo (Portalegre)
Vogal: Hélder Guerreiro (Beja)
Vogal: Filipe Palma (Beja)
Como se vê Évora tem 1 Vogal nos 2 órgãos mais importantes da Região, é conhecido algum alarido da sociedade civil ou das forças politicas de Évora reclamando, o que até seria legitimo, sobre esta sub-representação nos órgãos de poder regionais?
Este é o grande problema de Beja, estar sempre contra tudo e todos, mesmo os seus, colocando-se sempre do lado do problema e nunca do lado da solução.”
Francisco Chalaça - Anónimo 08.09.2020, aqui.

Carlos Pinto de Sá afirma que o governo vai “matar” o Cendrev

Zé LG, 02.08.20

CarlosPintoSa-300x187.jpg“É absolutamente inaceitável, incompreensível e condenável a redução de verbas de oito por cento para o Alentejo, quando todas as outras regiões aumentaram as verbas que tinham para estes concursos”, assegura o presidente da Câmara Municipal de Évora, que explica ainda que o “mais bizarro” é que o Cendrev concorreu e “atingiu a pontuação para receber apoio”. “Curiosamente, apesar de ter havido esta decisão, vem-se dizer que não há dinheiro para apoiar o Cendrev”, acrescenta.

O caso foi exposto à ministra da Cultura, sendo que, explica Carlos Pinto de Sá, a mesma “mostrou-se sensível”, garantindo que a situação seria tratada até março ou abril. Contudo, e com a pandemia, nada foi feito nesse sentido, servindo a situação que se vive no país “como desculpa para que não se chegue a uma solução”, para que “companhias históricas como o Cendrev possam ter o apoio que merecem”.

Novo projecto aeronáutico a caminho de Évora

Zé LG, 25.05.20

image.jpgHá um novo projecto aeronáutico a caminho de Évora. O avião ATL-100 da brasileira Desaer vai ser desenvolvido em parceria com o a equipa de Évora do CeiiA, instalada no Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia, ao longo dos próximos 3 anos. Mas a empresa portuguesa pretende que o Alentejo receba uma linha final de montagem da aeronave, de acordo com entrevista publicada no Diário de Notícias, o diretor do CEiiA, para a Aeronáutica e Defesa, Miguel Braga.
O investimento para fase de desenvolvimento é de 20 milhões de euros.
Na fase de industrialização, o CEiiA pretende ter uma unidade em Évora e outra no Brasil e ainda a criação de uma unidade para o fabrico de componentes em Portugal. Mas o objetivo principal é ter um “final assembly line”. “O objetivo é igualmente montar a aeronave em Portugal, o que terá um efeito muito grande do ponto de vista do emprego indireto pela estabilização na região do Alentejo, em Évora, em Beja, em Ponte de Sôr, cidades que estão seguramente preparadas, em termos de infraestruturas para receber um projeto desta natureza” refere o responsável.

Hospital de Évora realizou a primeira coronariografia não invasiva no sul do país

Zé LG, 09.05.20

imgLoader2.ashx hosp.jpgA primeira coronariografia em hospitais do SNS do sul do país foi feita no Centro de Responsabilidade Integrado Cardiovascular do Alentejo (CRIA) do HESE, em colaboração com o Serviço de Imagiologia, utilizando "tecnologia de ponta" para a realização deste diagnóstico não invasivo, nomeadamente nas novas salas de intervenção e de angio tomografia computorizada (Angio TC) de 124 cortes. A coronariografia não invasiva "permite a realização deste exame sem necessidade de colocação de cateter dentro do coração, através da tomografia computorizada (TAC), com injeção de contraste".

A presidente do conselho de administração do HESE, Maria Filomena Mendes, salienta que, "apesar da conjuntura" relacionada com a pandemia de covid-19, "é muito importante" o hospital continuar a "evoluir, a investir em inovação, e a dar resposta aos doentes com outras patologias" e que "Esta nova tecnologia permite melhorar a qualidade dos cuidados prestados à população da região do Alentejo na área da cardiologia, cirurgia vascular e neuroradiologia e contribui para a descentralização e proximidade dos cuidados, evitando a deslocação dos doentes para fora da região".

ALENTEJO 2020 aprovou candidatura da Construção do Hospital Central do Alentejo-Consultas Externas

Zé LG, 02.05.20

202004291145302429 hospital.jpgO Alentejo 2020 recorda que “esta  nova infraestrutura projectada para a área de Consultas Externas estará assente em vários pressupostos como a minimização de incidências ambientais negativas, aplicáveis durante a fase de construção e de exploração do Hospital Central do Alentejo” e que “além disso, irá contribuir para a promoção de uma resposta eficaz e eficiente, de qualidade aos utentes, dos serviços das Consultas Externas nas várias especialidades que serão instaladas”. A execução deverá iniciar-se durante o ano de 2020, estando prevista a sua conclusão até final de 2023.

Évora acolhe supercomputador ligado ao projecto do maior radiotelescópio do mundo

Zé LG, 01.02.20

1435144.jpgO supercomputador Oblivion, com desempenho equivalente à combinação de mais de mil computadores, vai funcionar em Évora, associado ao projecto do futuro maior radiotelescópio do mundo e disponível também para a comunidade científica e empresas, foi revelado esta quinta-feira. Esse radiotelescópio é o SKA (Square Kilometre Array).

“É uma máquina potente, com nós de computação, de gestão e de armazenamento. E podemos dizer que tem uma performance equivalente a 1200 computadores pessoais a funcionarem em conjunto”, destacou o astrofísico Miguel Avillez, coordenador do Oblivion.

A máquina, instalada no Data Center da DECSIS, no Parque Industrial e Tecnológico da cidade, vai ser inaugurada pela Universidade de Évora a 4 de Fevereiro.

O supercomputador em Évora vai “apoiar no processamento de volumes em massa de dados resultantes de actividades de investigação e inovação desenvolvidas em Portugal e enquadradas no design, prototipagem e operação” do radiotelescópio SKA e dos “seus eventuais precursores”.

Évora incluída em projeto-piloto de subsídio para cuidadores informais

Zé LG, 20.01.20

cuida.pngO Governo vai testar um novo subsídio para Cuidadores informais. Este projeto-piloto vai começar por ser testado em 30 concelhos e, de acordo com a ministra do Trabalho e da Segurança Social, Ana Mendes Godinho, Évora é um dos concelhos selecionados.
Este projeto-piloto prevê a criação de um subsídio “acumulativo” aos já existentes, não se sabendo ainda o valor da prestação, nem o número de pessoas que serão abrangidas por esta medida.

«Municípios e Desenvolvimento Turístico no Alentejo»

Zé LG, 27.11.19

darksky.jpgO Curso de Turismo da  Universidade de Évora vai organizar na próxima quinta-feira, 28, no auditório nobre do Colégio do Espírito Santo, em Évora, uma conferência intitulada «Municípios e Desenvolvimento Turístico no Alentejo».

O evento contará com a presença dos seguintes oradores: António Ceia da Silva (presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo), José Calixto (presidente do município de Reguengos de Monsaraz), Eduardo Luciano (vereador do município de Évora), Rosinda Pimenta (vereadora do município de Mértola), Rui Jesuíno (vereador do município de Elvas), Célia Ramalho (vereadora do município de Coruche) e Ricardo Cardoso (vice-presidente do município de Odemira).

Oito milhões de euros de investimento na 2ª fase do PACT de Évora

Zé LG, 23.11.19

ministra.jpgA ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, visitou o Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia (PACT), em Évora, e considerou que "é um caso de sucesso", porque, tendo em conta o que os responsáveis das empresas instaladas no parque lhe transmitiram, "está a abarrotar e a precisar urgentemente de uma segunda fase, revelando que a segunda fase do projeto, cuja candidatura a fundos comunitários "já está aprovada", envolve a construção de "quatro edifícios", num investimento de oito milhões de euros. "É um projeto emblemático ao qual daremos o maior apoio na segunda fase", vincou, salientando que as obras podem ir "para o terreno já", porque o projeto "já está aprovado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo".

“Geografia das Acessibilidades e as Infraestruturas do Alentejo é tema da Convenção da Plataforma Alentejo

Zé LG, 05.09.19

201904282338559916.jpgÉ já no próximo dia 12, que vai decorrer no auditório da CCDRA, em Évora, a Convenção “Geografia das Acessibilidades e as Infraestruturas do Alentejo”. A uma semana da realização, a Plataforma Alentejo recorda que as inscrições são gratuitas, mas obrigatórias, podendo ser efetuadas até terça-feira, dia 10, junto do Secretariado da Plataforma, através do email plataforma.alentejo18@gmail.com.

Os trabalhos têm início às 9.30 horas e durante a manhã vai falar-se sobre “Porto do Sines e Aeroporto de Beja-Infraestruturas Estratégicas de interesse nacional e regional” uma intervenção a cargo de Manuel Tão, Grupo Técnico de Apoio à Plataforma Alentejo. Segue-se a intervenção de Elio Bernardino, do mesmo Grupo Técnico, com a abordagem ao tema “Infraestruturas de acessibilidade ferroviárias e rodoviárias-sua importância estratégica e prioridades”. Da parte da tarde, é a vez de Carlos Gaivoto, do Grupo Técnico de Apoio à Plataforma Alentejo abordar o “PROTA em revisão e o Plano Intermunicipal-modelo de ordenamento e planeamento”.

António Costa da Silva recusou integrar lista do PSD por Évora, depois da escolha de Sónia Ramos para cabeça de lista por Rui Rio

Zé LG, 27.07.19

silva.jpgA presidente da Comissão Política Distrital de Évora do PSD, a jurista Sónia Ramos, foi a escolha do líder do partido, Rui Rio, para cabeça de lista por este círculo eleitoral, em detrimento de António Costa da Silva, um dos atuais vice-presidentes da bancada parlamentar social-democrata.

"Parece evidente para todos que não faz sentido nenhum eu pertencer às listas do PSD. Obviamente que não aceitei", declarou hoje à agência Lusa o deputado social-democrata, que encabeçou a lista pelo círculo de Évora nas últimas eleições legislativas.

Alentejo Central irá poder votar eletronicamente já nas Eleições Europeias

Zé LG, 11.02.19

eleições.jpgA CIMAC acolheu a Sessão Pública de Apresentação do Projeto Piloto de Voto Eletrónico no Distrito de Évora, presidida pelo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

Com a presença dos presidentes de Câmara Municipal do Distrito, membros do Governo, representantes dos Partidos Políticos e população em geral, foi dado a conhecer o sistema de voto eletrónico que será projeto-piloto no Alentejo Central, já nas próximas Eleições Europeias, marcadas para 26 de maio de 2019.