Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Será que está a ser feito tudo para evitar que tantos velhos morram?

Zé LG, 23.12.20

100564761_2802640163182185_2963252152606130176_o.j«O factor idade parece ser o mais forte a empurrar alguém para a doença grave, ser hospitalizado, ir parar à UCI e morrer. Se compararmos um jovem de 20 ou 30 anos que tem uma insuficiência cardíaca com um idoso saudável de 75 ou 80 anos, o idoso continua a estar em maior risco do que o jovem» - Manuel Carmo Gomes, professor de Epidemiologia da FC da Universidade de Lisboa, in VISÃO de 17/12.

Sabendo-se isto, porque é que continuam a morrer tantos velhos, designadamente nos lares, onde estão confinados? Porque não são tomadas medidas mais rigorosas de forma a travar a entrada do vírus nos lares? Se há (deve haver) controlo das pessoas - funcionários, técnicos de Saúde, fornecedores, familiares -, que entram nos lares e se já há testes rápidos, porque não se fazem de forma obrigatória a todas elas?

Desculpem, mas não consigo entender que se façam tantos testes e que não se façam todos os que forem necessários para poupar vidas dos mais velhos, por mais curtas que sejam as suas esperanças de vida...

6 comentários

Comentar post